You are on page 1of 12

UFRN

CENTRO DE TECNOLOGIA
FUNDAMENTOS DE ECOLOGIA PARA ENGENHARIA

Leis da Conservação da
Massa e da Energia
INTRODUÇÃO
Todo e qualquer fenômeno que acontece na natureza
necessita de energia para ocorrer. A vida, como a
conhecemos, requer basicamente matéria e energia.

Em qualquer sistema natural, matéria e energia são


conservadas, ou seja, não se criam nem se destroem matéria
nem energia.

Duas leis da física explicam esse comportamento: a lei da


conservação da massa e a lei da conservação da energia ou
primeira lei da termodinâmica.

A segunda lei da termodinâmica - A qualidade da energia


sempre se degrada de maneiras mais nobres (maior
qualidade) para maneiras menos nobres (menor qualidade).
Lei da conservação da massa

Em qualquer sistema, físico ou químico, nunca se cria nem


se elimina matéria, apenas é possível transformá-la de
uma forma em outra.

Tudo que existe provém de matéria preexistente, só que em


outra forma, assim como tudo o que se consome apenas
perde a forma original, passando a adotar uma outra.

Tudo se realiza com a matéria que é proveniente do


próprio planeta, apenas havendo a retirada de material
do solo, do ar ou da água, o transporte e a utilização desse
material para a elaboração do insumo desejado. podendo
muitas vezes ser reutilizado.
Lei da conservação da massa

Esta lei explica também um dos grandes problemas com o qual


nos defrontamos atualmente: a poluição ambiental,
compreendendo água, solo e ar.

O fato de não ser possível consumir a matéria até sua


aniquilação implica a geração de resíduos em todas as
atividades dos seres vivos,

Esses resíduos indesejáveis a quem os eliminou, mas que podem


ser reincorporados ao meio, para serem posteriormente
reutilizados.

Esse processo denomina-se reciclagem e ocorre na natureza por


meio dos ciclos biogeoquímicos, nos quais interagem mecanismos
biogeoquímicos que tornam os resíduos aproveitáveis em outra
forma.
Lei da conservação da massa

Quando não existe um equilíbrio entre consumo e


reciclagem, podem advir conseqüências desastrosas ao meio
ambiente, tais como eutrofização dos lagos, contaminação dos
solos por pesticidas e fertilizantes etc.

Atualmente, o mundo vive em plena era do desequilíbrio, uma


vez que os resíduos são gerados em rumo muito maior que a
capacidade de reciclagem do meio.

A Revolução Industrial do século XIX introduziu novos


padrões de geração de resíduos, que surgem em quantidades
excessivamente maiores que a capacidade de absorção e
reciclagem da natureza (materiais sintéticos não-
biodegradáveis).
Lei da conservação da massa

‹ Não existe processo 100% eficiente. Em qualquer sistema,


físico ou químico, nunca se cria nem se elimina matéria; apenas
é possível transformá-la de uma forma em outra.

‹ Poluição ambiental (água, solo e ar).

‹ Sempre haverá geração de resíduos indesejáveis em todas as


atividades dos seres vivos.

‹ Desequilíbrio: geração de resíduos maior do que a


capacidade de reciclagem do meio.
Primeira lei da termodinâmica

Análogo à conservação das massas.A energia pode se transformar


de uma forma em outra, mas não pode ser criada nem
destruída.As diversas formas de energia podem ser enquadras
genéricamente:

‹Energia cinética – energia que a matéria adquire em


decorrência de sua movimentação e em função de sua massa e
velocidade.No caso da energia cinética total das moléculas de uma
amostra de matéria é denominada energia calorífica.

‹Energia potencial – energia armazenada na matéria em razão


de sua posição ou composição.Exemplo: energia armazenada nos
combustíveis fósseis, nos alimentos etc. é classificada como energia
potencial.
Primeira lei da termodinâmica

Assim sendo, é possível verificar que determinada parte de um sistema


sofreu variação em sua energia total. Entretanto, as partes vizinhas
também podem ter sofrido variações, de tal modo que o conjunto,
formado por todas essas partes, pode não ter apresentado variação
alguma.

Por meio da primeira lei da termodinâmica é possível provar que as


avaliações do potencial energético do planeta são, em geral, otimistas.

Considerando-se petróleo, gás natural, carvão e combustíveis naturais,


nota-se que o potencial poderá ser menor do que indicam as
estimativas, uma vez que não se leva em conta a energia necessária
para a exploração, o transporte e a transformação desses materiais. O
potencial à disposição da humanidade deve, então, ser quantificado em
termos de energia líquida, e não bruta, como em geral é feito.
Primeira lei da termodinâmica

A aplicação mais importante da primeira lei da termodinâmica está


relacionada à maneira como os seres vivos obtêm sua energia para
viver, que chega até eles por meio de diversas transformações.

A energia luminosa, incidente na superfície da Terra, é absorvida


pelos vegetais fotossintetizantes, que a transformam em energia
potencial, nas ligações químicas de moléculas orgânicas complexas.

No processo respiratório, essas moléculas são quebradas em


moléculas menores, liberando a energia que é utilizada nas funções
vitais dos seres vivos.
Segunda lei da termodinâmica
Todo processo de transformação de energia dá-se a partir de uma
maneira nobre para uma menos nobre, ou de menor qualidade.

Quanto mais trabalho se conseguir realizar com uma mesma


quantidade de energia, mais nobre será esse tipo de energia. Embora a
quantidade de energia seja preservada (primeira lei da termodinâmica),
a qualidade (nobreza) é sempre degradada.

Toda transformação de energia envolve sempre rendimentos inferiores


a 100%, sendo que uma parte da energia disponível transforma-se em
uma forma mais dispersa e menos útil, em geral na forma de calor
transferido para o ambiente.

‹ Conseqüência um: todo corpo com forma ordenada necessita


de energia de alta qualidade para manter sua entropia baixa.
Segunda lei da termodinâmica

Tem aplicação importante na obtenção de energia pelos seres vivos.


A energia radiante é absorvida pelos vegetais fotossintetizantes e
passa por uma série de transformações que afetam sua qualidade.

Em cada transformação, a energia útil torna-se menor, advindo um


aumento da entropia. Os seres vivos, incapazes de sintetizar seu
próprio alimento, têm à sua disposição uma quantidade total de
energia bem inferior à disponível aos seres capazes de tal síntese.

Nos seres vivos, a energia para a manutenção da organização


individual é conseguida por meio da respiração.

‹Conseqüência ambiental: tendência da globalização da poluição.


Conclusão

‹ É preciso atender às necessidades humanas (melhor


qualidade de vida).

‹ Não existe a reciclagem completa da energia (a energia


dispersada em qualquer transformação será perdida para
sempre).

‹ Aumento da entropia, o que implica maior desordem nos


sistemas locais, regionais e globais.

‹ Exploração de recursos naturais de maneira inadequada =


mais poluentes e energia de baixa qualidade, resultando em
excessivos problemas para a Terra.