You are on page 1of 3

Página 1 de 3

SILVEIRA, Marco Antonio Pinheiro da; DINIZ, Eduardo Henrique.


Relação entre mudança organizacional e implantação de Sistemas de
Informações: um estudo no setor de autopeças. Gestão & Produção,
São Carlos, v. 9, n. 3, p.397-410, 2002 .

Resenhado por: Marcos Roberto Rosa (Administração – FMP)

1º) O artigo trata da implantação de Sistemas de Informações (SI) e processos de mudança


organizacional e seus impactos nas organizações a partir de dois enfoques: tecnológico ou
organizacional. O primeiro “têm por característica o uso de Tecnologia de Informação (TI)
para impulsionar a mudança na organização” e o segundo “é representado por abordagens que
dão ênfase ao aspecto da reestruturação dos processos e conscientização de pessoas,
colocando os SI como elemento secundário”.
2º) Os autores buscaram nas diversas alternativas de mudança organizacional quando a
aplicação da TI pode transformar os processos de negócio, a partir do enfoque tecnológico, e
em quais circunstâncias os processos com suporte de TI sofrem uma reestruturação, com
ênfase no enfoque organizacional. A partir deste pressuposto foram apresentadas várias
propostas, sob as perspectivas organizacionais ou tecnológicas.
3º) Proposta com enfoque organizacional: Just-in-Time/Produção Enxuta. Trata-se de uma
série de técnicas desenvolvidas pelos japoneses que propõe uma mudança radical na forma de
trabalhar os estoques, visando um melhor aproveitamento do material disponível e a menor
quantidade possível estocada na empresa. Este método pode causar problemas na produção,
uma vez que os setores dependem muito uns dos outros, haja vista a inexistência do estoque
regulador, e exige uma colaboração muito grande com os fornecedores.
4º) Proposta com enfoque organizacional: Theory of Constraints (TOC). Apresentado por
Eliahu Goldratt em seu livro “A Meta”, o sistema logístico denominado Teoria das Restrições
(TOC) foca todos os esforços da empresa nos recursos gargalos, relacionando os fluxos por
este ponto com a demanda do mercado, ajustando a capacidade da unidade a esta demanda.
Apesar de utilizar-se de recursos tecnológicos para programação e controle da produção a
TOC é tratada sob a ótica do enfoque organizacional.
5º) Proposta com enfoque organizacional: Total Quality Management (TQM). Trata-se de
uma idéia de retórica voltada para o cliente, com ênfase na qualidade dos produtos e
atendimento pré e pós venda. O conjunto de técnicas usadas varia de uma organização para
outra, porém todas convergem para a mesma finalidade, sendo, quase sempre, determinadas
por um sistema de normatização padrão.
Página 2 de 3

6º) Proposta com enfoque organizacional: Outras. Apesar de as propostas listadas


anteriormente serem as mais relevantes, vale destacar outras aplicadas pelas organizações:
Reengenharia, apresentada como uma reação às práticas da era industrial, por intermédio da
reunificação das tarefas em processos empresariais; Downsizing, ou redução de tamanho da
força de trabalho da organização; Proposta sueca, exemplificada pelas experiências realizadas
pela indústria Volvo, na Suécia, que utilizam montagem em docas e fabricação baseada em
grupos semi-autônomos.
7º) Proposta com enfoque tecnológico: Gerenciando por instrumentos. Relacionam a
forma como o negócio com a mudança do código procedural do software. Um bom exemplo é
a integração de todas as informações dos processos em bancos de dados que facilitam a
visualização e tomada de decisões pelos executivos.
8º) Proposta com enfoque tecnológico: Comércio eletrônico e Internet. Busca um
estreitamento do relacionamento do fornecedor com o cliente, através de processos que
agregam rapidez e facilidades para ambas as partes. Geralmente é utilizado conjuntamente
com o Just-in-Time.
9º) Proposta com enfoque tecnológico: Enterprise Resources Planning (ERP). Ou SIGE
(Sistemas Integrados de Gestão Empresarial, no Brasil) são sistemas de informações que
integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A integração
pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de: finanças, contabilidade, recursos
humanos, fabricação, marketing, vendas, compras, etc) e sob a perspectiva sistêmica (sistema
de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio a
decisão, etc). Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para
integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e
armazenamento de todas as informações de negócios.
10º) Proposta com enfoque tecnológico: Organização Virtual. Conceito relativamente novo
que prega uma a utilização de redes ligando pessoas, ativos e idéias para criar e distribuir
produtos, unindo-se com fornecedores e clientes (e, às vezes, mesmo concorrentes) sem ser
limitadas pelas fronteiras da organização tradicional ou localização física.
11º) Mudanças no setor de autopeças. Os autores justificam a escolha do setor de autopeças
pela significativa necessidade deste setor em buscar agilidade e redução de custos para
atender a um mercado exigente e competitivo. Divide as empresas em dois grandes grupos: as
empresas transnacionais de grande porte, que atuam como montadoras finais ou fornecedores
de módulos montados e as fornecedoras nacionais de componentes menores. Analisa e discute
Página 3 de 3

cinco (5) casos que envolvem organizações consideradas como parte do primeiro grupo de
empresas.
12º) Estudos de caso: Empresa A. “Teve intenso projeto de implantação das técnicas da
Lean Production, denominado projeto Kaizen, a partir de 1994. É referência inclusive em
publicações sobre o tema. Pouca menção é feita à implantação de SI na implantação do
projeto de mudança. O produto é complexo, mas com variabilidade relativamente pequena. É
baixo o índice de terceirização (30%)”.
13º) Estudos de caso: Empresa B. Utilizou a proposta da TOC, com implantação de um
sistema informatizado, em conjunto com a implantação de pacote de ERP. Complexidade e
variabilidade de produto são altas. Alto índice de terceirização (70%). SIs considerados
importantes para o projeto de mudança.
14º) Estudos de caso: Demais empresas. As demais empresas analisadas foram
apresentadas pelos autores em forma de gráficos e dados estatísticos onde pode-se observar
uma semelhança bastante grande com as duas primeiras, tanto no enforque utilizado como nas
formas e percentuais de terceirização.
15º) As conclusões do artigo apontam posições extremas dos enfoques organizacional e
tecnológico em relação à importância da implantação de SI num processo de mudança.
Afirma, ainda “que o objetivo de identificar projetos principais de mudança nas empresas,
com avaliação de sua natureza organizacional ou tecnológica, foi alcançado. Isso ocorreu no
Relacionamento com Fornecedor e na Produção, e não para a Cadeia Física de Valor como
um todo”. Ressalta, ainda, a identificação “que a implantação de SI funcionou de maneiras
diferentes nos projetos apontados pelos entrevistados, porém sem se poder afirmar que foi
utilizada abordagem organizacional ou tecnológica. Em vez de se concentrar nessas duas
posições, a pesquisa como um todo produziu como resultado a identificação de uma escala,
que indica a intensidade do fator implantação de SI como alavanca das mudanças”.
16º) Os autores finalizam o trabalho fazendo “uma recomendação importante para novas
pesquisas com natureza semelhante é que elas sejam mais detalhadas e tenham focos em
atividades da cadeia de valor mais específicas, como, por exemplo, no Relacionamento com
Fornecedor, Produção ou Relacionamento com Cliente”, pois na presente pesquisa “foram
validados apenas os resultados obtidos nos itens Relacionamento com Fornecedor e
Produção.” Continua recomendando que “se pode buscar um foco na cadeia como um todo e
na integração entre os grupamentos.”