Janete estava num dilema. Carlos propusera-lhe casamento. Namoravam há cerca de um ano e estavam muito apaixonados.

Janete achava que o dia mais feliz de sua vida seria aquele em que Carlos lhe pedisse para ser sua esposa, mas o dia chegara e ela estava indecisa. Não lhe dera uma resposta definitiva, mas dissera-lhe que responderia no dia seguinte. O que a preocupava? Carlos era élder na Igreja e dissera que casariam no templo se ela assim desejasse. Por algum tempo ele não pudera assumir nenhum cargo na Igreja por causa de seu trabalho, mas prometera mudar depois do casamento. Janete lembrou-se de que sua bênção patriarcal dizia algo a respeito da pessoa com quem se casaria, por isso, releu-a: “Tempo virá em que pedirão sua mão em casamento. Ore sinceramente para ter sabedoria em escolher, dentre os que pretendem sua mão, um jovem digno. Por estes sinais, você saberá quem é a pessoa que o Senhor aprovaria: ele será limpo de corpo e mente. Terá o sacerdócio e desejará ansiosamente levá-la ao templo para serem selados por esta vida e por toda a eternidade.” Janete sabia que Carlos não preenchia todos esses requisitos e que não era a pessoa que o Senhor aprovaria.

Janete estava num dilema. Carlos propusera-lhe casamento. Namoravam há cerca de um ano e estavam muito apaixonados. Janete achava que o dia mais feliz de sua vida seria aquele em que Carlos lhe pedisse para ser sua esposa, mas o dia chegara e ela estava indecisa. Não lhe dera uma resposta definitiva, mas dissera-lhe que responderia no dia seguinte. O que a preocupava? Carlos era élder na Igreja e dissera que casariam no templo se ela assim desejasse. Por algum tempo ele não pudera assumir nenhum cargo na Igreja por causa de seu trabalho, mas prometera mudar depois do casamento. Janete lembrou-se de que sua bênção patriarcal dizia algo a respeito da pessoa com quem se casaria, por isso, releu-a: “Tempo virá em que pedirão sua mão em casamento. Ore sinceramente para ter sabedoria em escolher, dentre os que pretendem sua mão, um jovem digno. Por estes sinais, você saberá quem é a pessoa que o Senhor aprovaria: ele será limpo de corpo e mente. Terá o sacerdócio e desejará ansiosamente levá-la ao templo para serem selados por esta vida e por toda a eternidade.” Janete sabia que Carlos não preenchia todos esses requisitos e que não era a pessoa que o Senhor aprovaria.

Janete estava num dilema. Carlos propusera-lhe casamento. Namoravam há cerca de um ano e estavam muito apaixonados. Janete achava que o dia mais feliz de sua vida seria aquele em que Carlos lhe pedisse para ser sua esposa, mas o dia chegara e ela estava indecisa. Não lhe dera uma resposta definitiva, mas dissera-lhe que responderia no dia seguinte. O que a preocupava? Carlos era élder na Igreja e dissera que casariam no templo se ela assim desejasse. Por algum tempo ele não pudera assumir nenhum cargo na Igreja por causa de seu trabalho, mas prometera mudar depois do casamento. Janete lembrou-se de que sua bênção patriarcal dizia algo a respeito da pessoa com quem se casaria, por isso, releu-a: “Tempo virá em que pedirão sua mão em casamento. Ore sinceramente para ter sabedoria em escolher, dentre os que pretendem sua mão, um jovem digno. Por estes sinais, você saberá quem é a pessoa que o Senhor aprovaria: ele será limpo de corpo e mente. Terá o sacerdócio e desejará ansiosamente levá-la ao templo para serem selados por esta vida e por toda a eternidade.” Janete sabia que Carlos não preenchia todos esses requisitos e que não era a pessoa que o Senhor aprovaria.