INTRODUÇÃO BÍBLICA

INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO BÍBLICA
I. A ORIGEM SOBRENATURAL DA BÍBLIA A. O LIVRO DE DEUS A Bíblia é um livro incomparável. Diferencia-se dos demais livros por dois motivos: 1º - Deus é o seu próprio autor, apesar de ter sido escrita por homens. 2º - É a revelação escrita de Deus aos homens. B. TEMA CENTRAL O tema central da Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, é a redenção do homem através de Cristo Jesus. No momento que o homem pecou contra Deus no Éden, Ele ali mesmo providenciou a salvação do homem. (Gn 3.15). Nos livros do Antigo Testamento encontra-se a promessa dessa redenção e a revelação da promessa de Deus de Salvação do homem através de um redentor - Jesus Cristo. Todos os profetas trouxeram à nação de Israel e a todos os homens pecadores a promessa de Salvação. Os Salmos de Davi claramente falam de um Redentor que haveria de vir. No Novo Testamento inicia com o nascimento de Cristo - o Messias prometido. No Novo Testamento são realizadas as promessas feitas no Antigo Testamento. Quando Cristo morreu na cruz do Calvário e ressuscitou ao terceiro dia, consumou a obra da salvação do homem. Portanto, Jesus Cristo é o grande tema de toda a Bíblia. C. ESCRITORES E DURAÇÃO A Bíblia é um verdadeiro milagre. Levou cerca de 16 (dezesseis) séculos para ser escrita e cerca de 40 diferentes pessoas, de diferentes épocas, línguas, costumes, lugares, circunstâncias e posições a escreveram. Apesar de tudo isso, ela possui um só tema central e constitui uma revelação sem contradições. D. GENUINIDADE E AUTENTICIDADE Um livro genuíno é aquele que se acredita ter sido escrito realmente por aquele a quem se atribui a autoria. A Igreja Cristã em todos os seus registros afirma que foram os profetas e os apóstolos que escreveram a Bíblia. Um livro é considerado autêntico quando os fatos nele narrados se deram como realmente estão relatados. A História e as descobertas arqueológicas modernas atestam a veracidade dos fatos narrados na Bíblia. “Temos uma prova ocular de que a Bíblia existe. Ela foi escrita por alguém; se não foi por aqueles cujos nomes ela menciona, difícil se4 torna saber-se quem foi então. Não é provável que homens ímpios tivessem produzido um livro como a Bíblia, que os está condenando sempre .” (Rev. Amos Binney - Compêndio de Teologia - Ed. Nazarena. Pág. 24,25).

CEFORTE

1

revelando. percebe-se que eles estão cheios do Espírito Divino.) através de todo o Antigo Testamento. O último livro da Bíblia. O Salmo 19 inteiro mostra atributos de Deus que podemos conhecer através da natureza.19) Tudo que o homem precisa saber sobre Deus e seus propósitos estão revelados na Bíblia. 45.14-15. em adição ao elemento humano. Revelação Especial: A revelação especial demonstra como Deus se fez conhecido de forma mais completa e perfeita.11.”Dessa forma. b) Revelação através da Consciência: Deus também se revela através da consciência do homem.”(Sl 19. Paulo declara que “os gentios não têm lei (a lei do Antigo Testamento). Em Romanos 1. Por isso já não há mais profetas e profecias como nos tempos do Antigo Testamento. sendo percebido por meio das coisas que foram criadas”. encerra a revelação de Deus aos homens. e os seus pensamentos mutuamente acusando-se ou defendendo-se . mais completa e cheia de significado e bênçãos. quanto à revelação especial. desde o princípio do mundo.. de sua vontade e de seus propósitos foi gradativa e progressiva. Em Romanos 2. (Ap 22. o criador.” ( H.1). REVELAÇÃO Revelação é a ação de Deus.” (Wiley e Culbertson . Paulo diz que nenhum homem pode dizer que não conhece nada sobre Deus. Ela é a forma material da revelação escrita de Deus. a) A Bíblia . Deus revelou outras coisas que se encontram registradas no Novo Testamento. mandou seu filho Jesus Cristo (Hb. Estes mostram a norma da lei gravada nos seus corações. fazendo-se conhecido aos homens e comunicando-lhes os seus propósitos.10. “Isto não quer dizer que a atividade volitiva dos homens em determinar o desenvolvimento histórico fique fora de consideração. “Temos que observar. a) Revelação através da Natureza: “Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras de suas mãos . uma vez que o homem sozinho jamais poderia chegar a um conhecimento pleno e perfeito de Deus. 1. claramente se reconhecem. Introdução à Teologia Cristã. até que. Quando se observa as maravilhas da natureza. Deus não se revelou de uma só vez ao homem.” c) Revelação Deus na História: Deus é o Senhor da História.Ibden). Orton Wilei e Paul Culbertson.20. na plenitude dos tempos. de alguma forma. há a presença Diretora. A natureza é mostrada na Bíblia como uma revelação prática de Deus.18. na constituição da mente e no progresso da história humana. não tendo lei. testemunhando-lhes também a consciência. a Vontade Autorizada por detrás de cenário humano. com clareza e plenitude através da Bíblia e da vida e obras de Jesus Cristo.1-6). Ed. Essa voz é o trabalho do Espírito Santo na consciência do homem. pois tanto “o atributo invisível de Deus. que Deus começou a se revelar “de muitas maneiras” (Hb 1. O mundo pagão pode chegar a um certo conhecimento sobre Deus através da natureza. Dn 12.1. Revelação Geral: “É o descortino que Deus faz de si mesmo para todos os homens na natureza. A revelação de Deus completa-se nas páginas da Bíblia. percebe-se que o homem através da sua consciência possui a capacidade de estabelecer julgamentos morais de seus atos realizado. Quando Cristo retornou ao céu e enviou o Espírito Santo.a Palavra pessoal” (Wiley e Culbertson . esta revelação de si mesmo. . Mas. “que o sentido de obrigação em fazer o bem e rejeitar o mal reflete a vontade de um Senhor a quem devemos em última análise prestar contas.8 e I Pe 1. “Ela ocupa uma posição intermediária entre a revelação parcial de Deus na natureza e a revelação especial perfeita de Deus em Cristo .a Palavra de Deus: A Bíblia contém e é a Palavra de Deus. Todos os acontecimentos através da história humana revelam que por trás deles estão os planos de Deus. porém só quando o homem é renovado pelo Espírito de Deus é que a revelação de Deus na natureza torna-se mais clara. Deus fala no mais recôndito da alma humana. servem ele de lei para si mesmos. revelando um certo conhecimento sobre a existência de Deus. 1.INTRODUÇÃO BÍBLICA REVELAÇÃO II. Pág. como seu eterno poder e assim também a sua própria divindade.Ibden).. procedem por natureza de conformidade com a lei. isto é possível porque Deus se revela a todos os homens nos conflitos de sua existência moral. o céu infinito e as leis que mantêm o universo em equilíbrio perfeito. Nazarena. 2. o Apocalipse.

conhecemos o Pai. até completar-se em Jesus.11). Jesus é a palavra de Deus viva. verdadeiro Deus e verdadeiro homem. do nascimento até a ascensão. 2º . Percebe-se que o nível de conhecimento vai aumentando gradativamente. Por exemplo. Is 40. Em gênesis 3. por meio de Jesus Cristo.todo Antigo Testamento.4.Explanação . mostrando suas pregações.I. Narram sua vida. Jesus e a Bíblia se completam. pois trata da preparação para o advento de Cristo. Portanto. o Salvador e Redentor. que é a “expressão exata do seu ser.9). 4º . À medida que o homem foi tornando mais maduro e progredindo no conhecimento de Deus.18 “Ninguém jamais viu a Deus: o Deus unigênito. obras e milagres.14). b) Jesus Cristo .” (Hb1. Este é o centro e a plenitude de toda revelação divina. Jo 1. que são a explanação da doutrina de Cristo. gradualmente. Pág. . Deus foi revelando-se aos poucos. Jesus.Propagação .1. é conhecido por meio da palavra escrita de Deus. Há várias passagens a respeito deste assunto: I Tm 3.” (Jo 1.5 “e a glória do Senhor será revelada”.Os Evangelhos que tratam da manifestação de Cristo. Jesus é a revelação última do Pai “Quem me vê a mim.” (George Hansen. A revelação foi gradativa e progressiva.O livro de Apocalipse que trata da consumação de todas as coisas preditas. Isaías transmite a revelação de Deus sobre a morte de Jesus Cristo (Is 53.a Revelação Perfeita de Deus: Jesus Cristo é o Verbo (Logos) de Deus que “se fez carne e habitou entre nós. Como já nos referimos no início deste estudo: Jesus Cristo é o grande tema central da Bíblia. que está no seio do pai. C. assim: 1º .16 dia que “Deus manifestado em carne”.15. indicando que ele iria derrotar Satanás e as forças do mal. Quando conhecemos a Jesus. 31). A Bíblia é a Palavra de Deus escrita.Manifestação . que é a Bíblia. Deus revelado na pessoa de Jesus Cristo. progressivamente Deus foi-se revelando um pouco mais.As Epístolas. Scolfild). o verbo de Deus encarnado.1-4).Consumação . Através do Apóstolo e discípulos houve grande expansão do evangelho no mundo conhecido da época. Introdução à Bíblia. “Tomando Jesus como o centro da Bíblia. vê o Pai” (Jo 14. a revelação sobre Jesus. Séculos mais tarde. podemos resumir os 66 livros em cinco palavras referentes a Ele. Tudo o que Deus começou a revelar desde os tempos do Antigo Testamento completou-se e cumpriu-se no Novo Testamento.O livro de Atos que trata da propagação de Jesus. é quem o revelou”. inicia no Gênesis e termina no Apocalipse.INTRODUÇÃO BÍBLICA REVELAÇÃO O Novo Testamento é uma extensão e complementação do Antigo Testamento. o Messias. prosseguindo até a sua manifestação gloriosa relatada em Apocalipse. 3º . São as promessa de Deus referentes ao Salvador. 5º . há a primeira referência sobre a vinda do Salvador.” (Dr. até tornar completa com a morte e ressurreição de Jesus.Preparação .

Ela ensina que a Bíblia em sua totalidade. que a Bíblia não é a Palavra de Deus. porém sob uma influência tão poderosa do Espírito Santo.9. afirma em II Tm 3. porém. A Bíblia através dos Séculos). . Também afirma que “a inspiração se estende somente aos ensinos e preceitos doutrinais. sem envolver o estilo.” No entanto.25. o conceito é inspirado a palavra não. c) De conceito (idéias) e não de palavras: Esta teoria diz que Deus inspirou as idéias.. O evangelho de João contém verdades selecionadas.16.16.19. II Tm 3.21). O escritor era ou não era inspirado”. ou seja. Teorias sobre a Inspiração da Bíblia: a) Mecânica ou Ditada: Esta teoria “nega a inspiração do escritor e aceita somente a inspiração dos escritos. mas apenas contém a Palavra de Deus. Afirma ainda que o escritor escreveu a[penas aquilo que Deus ditou.Ibden). “Houve uma cooperação vital e contínua entre os escritores sagrados e o Espírito Santo de Deus que os capacitava. às verdades desconhecidas pelos autores humanos. Há verdades. e) Comum ou Grau de inspiração: Esta teoria afirma que algumas partes da Bíblia são inspiradas em maior grau que outra. ‘algumas vezes a inspiração do espírito santo se deu na seleção ou escolha do que devia ser registrado. (Wiley e Culbertson . 1. Veja Mc 7. que o que eles escreveram foi a Palavra de Deus.Theopneustos) que significa literalmente “o respirar de Deus” ou “o soprar de Deus”. “A necessidade de inspiração decorre da natureza dos assuntos que as Escrituras revelam. Como uma idéia ou pensamento só pode ser expressado por palavras. Veja II Sm 23. f) Plenária ou Verbal: Esta teoria é a doutrina tradicional da igreja e a que ensinaram tanto Cristo como os seus apóstolos. Três fatores muito importantes na doutrina da Inspiração: a) O Espírito Santo: Foi ele quem inspirou os escritores sagrados. puderam escrevê-la.” (Wiley e Culbertson . Afirma que homens santos escreveram a Bíblia com palavras do seu vocabulário. Este sopro é a influência sobrenatural DO Espírito Santo de Deus sobre os escritores sagrados.1.” (Antônio Gilberto. Atos 28. A Bíblia através dos Séculos). razão pela qual os seus escritos têm perfeita validade e sem contradições.Teologia Sistemática). As seguintes afirmações dos escritores sagrados: “Assim diz o Senhor”.21. Afirma que a Bíblia foi escrita por “homens com uma percepção espiritual tão excepcional que.13.16 que “Toda Escritura é inspirada por Deus”. A Bíblia. os escritores sagrados afirmam que era Deus quem falava através deles. “A Palavra de Deus veio” que ocorrem mais de duas mil vezes na Bíblia.16-17. a idéia. A Bíblia através dos Séculos). (Jó 32. Jo 16.18. II Pe 1. Jr 1.1. Ele é o autor da inspiração.Ibden). 2. em todas as suas partes são inspiradas. O apóstolo João selecionou certos acontecimentos da vida de cristo para formar o quarto evangelho (Jo 20. e sem qualquer noção de mente e raciocínio muito próprio em todos os escritores sagrados.INTRODUÇÃO BÍBLICA INSPIRAÇÃO III. A inspiração aqui é associada com a seleção de material.8. Ez 3. devido aos seus dons inatos. outras não. (Antônio Gilberto. entre outras verdades. Por isso os escritos são sem erros ou enganos. Lewis S.13. mostram que os escritores falaram movidos pelo Espírito Santo de Deus.30-31). Veja I Co . “a inspiração dos escritores da Bíblia não admitem graus. elevado a um plano mais alto de conhecimento. como as que se referem à criação e aos tempos anteriores ao dilúvio. ao passo que as Escrituras ensinam claramente que ‘homens santos falaram sendo inspirados pelo Espírito Santo” (II Pe 1. II Pe 1.2.”(Dr. logo as palavras também são inspiradas. que se não poderiam conhecer exceto por meio de inspiração especial.21). Ed 1. b) Parcial: Esta teoria “ensina que algumas partes da Bíblia são inspiradas. Chafer .” (Antônio Gilberto.12. Ap 22. Hb 1. Atos 1. mas deixou o escritor sagrado livre para expressar essas idéias com suas próprias palavras. INSPIRAÇÃO O termo “inspiração divina” deriva de uma palavra grega (Θεοπνευστος . d) Natural (da intuição humana): Esta teoria nega o lado sobrenatural das Escrituras e exalta o conhecimento sobrenatural do homem.

”(Jo 14.INTRODUÇÃO BÍBLICA INSPIRAÇÃO Outras vezes ‘inspiração’ significa apenas a garantia de um registro certo. Lewis Sperry Chafer Ibden). 24. Os Profetas e os Salmos.. tendo tanto a verdade infalível como a autoridade divina em tudo o que afirma e ordena. percebe-se que o homem foi o instrumento que Deus usou para revelar-se aos homens. Basil Manley a respeito deste assunto diz que: 1º . Josué foi um grande comandante. Em II Sm 23. porque era “O Espírito Santo . b) O Testemunho de Jesus Cristo: Diversas vezes Jesus declarou em seus discursos que o Antigos Testamentos possuía autoridade divina. Na tentação Jesus usou as palavras do Antigo Testamento. Dt 6. 2º . Pedro. possui autoridade divina mas também possui a expressão humana. 24.14.16.27. b) O Escritor Sagrado: “Os escritores sagrados foram homens usados por Deus como instrumentos para nos comunicar um conhecimento dEle e de Seus propósitos. de Zacarias e Malaquias. Mc 7. para a repreensão. No seu livro encontramos muitos exemplos e referências às coisas do campo tais como: relva. 17. vacas. etc (Amós 4. Ele fez várias citações tanto do Pentateuco como de Salmos. daí o caráter investigador mencionado no seu evangelho (Lc 1. 12. diz que Deus falou com Moisés e tratou com ele “face a face”. Lendo o Antigo Testamento nenhuma palavra aprece com mais freqüência do que estas: “Veio a mim a apalavra de Deus”. as palavras do diabo não são palavras de verdade. pois tudo o que está escrito nela foi inspirada pelo Espírito Santo. c) O Testemunho dos Apóstolos: Os apóstolos muitas vezes em seus escritos declaram ser as Escrituras inspiradas por Deus. seu estilo como resultado de sua própria cultura. mas vinha de Deus.44.13.3.16-20. No entanto.13. Lc 18. Quanto ao Novo Testamento Jesus antecipadamente declarou que ele iria ser também inspirado por Deus. O profeta Amós foi um boiadeiro. Declarou que o Antigo Testamento era a Palavra de Deus. mas temos certeza de que ele as proferiu.35. Veja também Jo 16. Paulo era um homem erudito e teólogo. pois ela dava testemunho a respeito dele. gado.” Pedro também atestou a inspiração divina das Escrituras quando no . Em Lc 24.13. É o mesmo das palavras dos amigos de Jó. Em II Tm ele declara que: “Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino. portanto imperfeitas. Tiago e João eram pescadores. Veja as seguintes referências: Mt 15. o homem escreveu mensagem de Deus utilizando os seus próprio recursos humanos. e a sua palavra está em minha língua. Daí a grande diversidade de estilos encontrados na Bíblia.36. (Dr. Lewis Sperry Chafer Ibden). Achamos na Bíblia palavras ditas pelo próprio diabo. Dessa forma. Isaías. além de profeta. A apóstolo Paulo freqüentemente fez citações do Antigo Testamento em suas epístolas. Lewis Sperry Chafer Ibden). Testemunhos da Inspiração Bíblica: a) Testemunho da Bíblia: A própria Bíblia testifica que ela é a Palavra de Deus. e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.’’ (Dr. para educação na justiça. cada escritor sagrado conservou a sua própria personalidade. a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. Mesmo sendo usados por Deus como instrumento. Jo 10.44-45. o rei Davi declara ter recebido uma inspiração divina: “o Espírito do Senhor fala por meu intermédio. e através da inspiração do Espírito santo. Não são palavras de deus mas de homens.1)..3. de Isaías. Moisés foi príncipe e legislador e um grande general.17.10. foi um grande estadista. O Antigo Testamento está cheio de referências a respeito da inspiração divina: Dt 34. Isto é comprovado por todas as evidências de origem humana que mostram claramente como qualquer outro que tenha sido escrito por homens. Davi e Salomão foram reis e poetas. Lucas era médico. 8.A Bíblia é verdadeiramente uma produção humana. e.31. 3º . para a correção. Mateus era funcionário público.2.A Bíblia é verdadeiramente a Palavra de Deus. c) A Bíblia (As Escrituras Sagradas): A Bíblia é o resultado da combinação dos elementos humano e divino. capim. Daniel foi chefe de Estado. 4. Ele reconhece a divisão das Escrituras hebraica: A lei. 3.Esta dualidade de autor se estende a cada parte das escrituras e à linguagem assim como às idéias gerais que são expressadas”. Mas a Bíblia traz um registro exato das palavras. Os escritores foram homens ligados a diversas atividades humanas.6.” Todos os profetas deram mensagens convictos de que suas palavras eram inspiradas pelo Espírito Santo de Deus. pois temos garantia do que aí está registrado. vos ensinará todas as coisas.13).35. sabiam que aquilo que estavam escrevendo não era deles próprios.26). O Dr.” (Dr.

Ap 1. Tanto as revelações feitas pelos profetas do Antigo Testamento como pelos apóstolos no Novo Testamento são colocados no mesmo nível de inspiração e autoridade.16.20. Pedro classifica os escritos do apóstolo Paulo como as “demais Escrituras”.” (Wiley e Culbertson .3.INTRODUÇÃO BÍBLICA INSPIRAÇÃO dia de Pentecostes declarou: “Irmãos.10.16).6. que foi o guia daqueles que prenderam a Jesus.Ibdem). . I Jo 2. (II Pe 3. convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo proferiu anteriormente por boca de Davi. I Co 2.2). acerca de Judas. coloca as epístolas de Paulo no mesmo nível de autoridade do restante das Escrituras. “Os apóstolos também estavam seguros de que suas próprias mensagens eram do Senhor Jesus Cristo e dadas pelo Espírito santo. Veja Gl 1.” (Atos 1. 22.12-13. ou seja. Ef 3.

Rute.Os Escritos ou Hagiógrafos . Joel. Como pode-se observar a divisão dos livros da Bíblia Hebraica é diferente da do nosso Antigo Testamento. (formado pelos livros de: Cantares. São assim chamados por serem mais longos que os demais livros proféticos. Os Profetas e os Escritos (Hagiógrafos).A BÍBLIA HEBRAICA Chamamos de Bíblia Hebraica ao conjunto de livros sagrados que estavam sendo usados no tempo de Jesus. Num total de 29 livros. Eclesiastes e Ester) e Livros Históricos. Samuel e Reis) e Profetas Posteriores. Obadias. Efésios. Zacarias e Malaquias. (formado pelos livros de Isaías. I-II Samuel. João e Judas.Livros da Lei (Pentateuco) . Filipenses. (formado pelos livros de : Josué. Colossenses. 2 .São assim chamados porque foram escritos em forma de poesia. I-II Coríntios. Provérbios. 4.C. I-II Crônicas. pelo cardeal Hugo Saint Cler.formado pelos livros de Isaías. Miquéias. b) Epístolas Gerais (Universais): Hebreus. A divisão em capítulos foi feita em 1250 d.A Lei .O ANTIGO TESTAMENTO Em nossa Bíblia está divido em cinco partes: Os Livros da Lei. (formado pelos livros de Salmos. Constituem esta divisão os livros de Jó.Livros Poéticos . as demais foram escritas por Pedro. Levítico.INTRODUÇÃO BÍBLICA DIVISÕES DA BÍBLIA IV . Os livros da Lei incluem os cinco primeiros livros do nosso Antigo Testamento: Gênesis. 1 . Nota: A Divisão da Bíblia em Capítulos e Versículos. Lamentações.Trata da revelação das coisas futuras. Naum.Os Evangelhos . Atos dos Apóstolos. Os Cinco Rolos.Tanto na Bíblia Hebraica como no antigo Testamento são chamados livros da Lei. Neemias e Ester.Os Profetas .É chamado de Atos porque narra a história dos apóstolos e do início da Igreja Cristã. A poesia hebraica é diferente da nossa. Tiago. somando um total de 39 livros. Êxodo. 3 . Juízes. Neles encontra-se narrada a vida de Cristo.também conhecida como Pentateuco que quer dizer cinco livros. B . C . Provérbios e Jó). 4 . Gálatas. Jonas.Livros Históricos . Ageu. pois não possui métrica nem rima. Os livros são iguais aos da Bíblia Hebraica: Gênesis. I-II-III João e Judas. 2 . Marcos.Profetas Maiores .Formado pelos livros de Mateus.DIVISÕES DA BÍBLIA A .As Cartas . O texto original na Bíblia não era dividida em capítulo e versículos. I-II Timóteo. Tiago. Esdras.Grande parte dessas cartas foram escritas pelo Apóstolo Paulo. Ezequiel e os doze profetas menores). Ezequiel e Daniel. Jeremias. Cantares e Lamentações de Jeremias.Formado pelos livros de Oséias. 3 .Formado por Josué. correspondendo ao nosso Antigo Testamento e está dividida em três partes: A Lei (Pentateuco).Profetas Menores . 3 . 1 . São assim chamados por serem menos longos que os demais livros proféticos. Eclesiastes.Esta Segunda divisão é formada pelos livros escritos pelos profetas. só podendo ser percebida nos originais hebraicos. Jesus refere-se às duas divisões da Bíblia Hebraica: A Lei e Os Profetas. Constituindo-se dessa forma um livro histórico. Salmos. I-II Tessalonicenses. Jeremias.40. Tito e Filemon. Apocalipse . Eram divididos em: Livros Poéticos. Esdras-Neemias e Crônicas). 5 . porque neles se encontram as principais leis e mandamentos que Deus deu ao seu povo Israel através de Moisés. Amós. Os Livros Poéticos. Lucas e João. São assim chamados porque narram a história de povo de Israel até aproximadamente 400 anos antes de Cristo. Sofonias. Êxodo. Números e Deuteronômio. Profetas Maiores e Profetas Menores. Rute.17 e 22. (formado pelos livros de Daniel. I-II Pedro. Habcuque.Atos dos Apóstolos . A divisão . abade dominicano e estudioso das Escrituras. Levítico. 2 . a) Epístolas Paulinas: Romanos.Os livros pertencentes a esta terceira divisão foram escritos por homens que não eram profetas. Em Mateus 5.O NOVO TESTAMENTO Está dividido em quatro partes: Os Evangelhos. As Cartas (Paulinas e Gerais) e Apocalipse. I-II Reis. Juízes. Os Profetas dividem-se em Profetas Anteriores. 1 . Números e Deuteronômio.

em 1551. a primeira foi a do Antigo Testamento. também por Robert Stevvens. em 1445 d.INTRODUÇÃO BÍBLICA DIVISÕES DA BÍBLIA em versículo foi feita em duas etapas. feita pelo Rabi Nathan.C. A publicação da Bíblia completa foi feita pela primeira vez com os capítulos e versículos. em 1555. A Segunda foi a do Novo Testamento feita por Robert Stevens. .

8. vários “biblions” eram chamados de “Bíblia” daí o termo significar literalmente “uma coleção de livros pequenos”.A BÍBLIA .16 d) A Palavra de Deus . Daniel e Jeremias. Assim como a maioria das línguas semíticas. no entanto. Há. o que facilitou a divulgação do evangelho no mundo conhecido da época. 3.C.Mc 7. onde foi necessário fazer uma tradução da Bíblia do hebraico para o grego . os judeus entendiam e falavam tanto o grego como o hebraico. mais ou menos de forma quadrada. E era também a língua oficial dos israelitas.13.Is 34. Grego: Língua original dos 27 livros do Novo Testamento. apareceram os sinais vocálicos. era a língua internacional do comércio ao longo das rotas comerciais do Oriente. Os trechos do Antigo Testamento que foram escrito nesta língua devem-se. colocados em cima. Das línguas originais bíblicas é a mais conhecida e de expressão muito precisa e que mais se assemelha ao português. no entanto. até 300 d. Essa lera a língua falada na época de Jesus. O hebraico era a língua falada pelos habitantes de Canaã. (Com exceção de Mateus que alguns acreditam ter sido escrito em aramaico. registra vários nomes que ela dá a si mesma. AS LÍNGUAS ORIGINAIS A Bíblia foi escrita em três línguas originais: O Hebraico. O texto da Bíblia foi preservado e transmitido mediante os seus manuscritos. escritos à mão em papiro ou pergaminho.Rm 1. tais como: a) Escrituras . cerca de 285 a. embaixo e dentro das consoantes. escreviam ou entendiam o grego. Hb 4.12 e) Os Oráculos de Deus . da arte e da ciência. .) Não era o grego clássico e sim o KOINÉ. MANUSCRITOS Manuscritos são rolos ou livros da literatura antiga. no Antigo Testamento alguns trechos em outros idiomas.C. do templo e dos rolos sagrados que comumente eram escritos nesse idioma. provenientes dos fenícios.C. porém no decorrer do tempo. no Século IV a. No tempo de Jesus. os apóstolos bem como os irmãos da Igreja Primitiva falavam o aramaico.C. Há uma tradição antiga que afirma ter sido o Evangelho de Mateus escrito integralmente em aramaico. por causa do cativeiro assírio (722) e do babilônico (607) os hebreus deixaram de falar a língua hebraica e adotaram a aramaica (siríaco-caldaica). o Aramaico e o Grego. mesmo antes de Abraão. A influência do grego foi tamanha que se impôs até mesmo no Egito.C. uma vez que todos falavam. o hebraico lê-se da direita para a esquerda.MANUSCRITOS E VERSÕES V . 2. O Hebraico ou Judaico: Todo o Antigo Testamento foi escrito em hebraico com exceção de algumas passagens escritas em aramaico nos livros de Esdras. O vocábulos foi aplicado pela primeira vez às Sagradas Escrituras.2. 1. O Aramaico. já o clássico era o da filosofia. do homem simples. composto de 24 letras. o hebraico continuava a ser a língua oficial dos eruditos.2 c) Livro do Senhor . por João Crisóstomo. do comércio. Era a língua mundial entre aproximadamente 300 a. A. D.MANUSCRITOS E VERSÕES O vocábulo Bíblia vem do grego (língua em que foi escrito originalmente o Novo Testamento) “Bíblos” que primitivamente significava entrecasca de papiro preparado para receber escrita. Conhecido também como siríaco-caldaico: Esse idioma semita era falado em Arã ou Síria desde 2000 a.. Porém. Os livros do Novo Testamento eram escritos em grego e as pregações também eram feitas em grande parte neste idioma. Ne 8. esse sistema foi inventado pelos massoretas como forma de fixarem a pronúncia tradicional do hebraico.a chamada Septuaginta.42 b) Sagradas Escrituras .LÍNGUAS ORIGINAIS . B. sem qualquer sinal de vocalização. possivelmente ao cativeiro assírio (Israel) e babilônico (Judá). Um rolo pequeno ou lâmina de papiro pequena era chamado “Biblion”. O Alfabeto é ocidental. Embora tenham sido absorvida pelo aramaico.INTRODUÇÃO BÍBLICA LÍNGUAS ORIGINAIS .Mt 21. Cerca de 1000 a.Rm 3. A Bíblia. O Alfabeto é composto de 22 letras. patriarca de Constantinpla. O Aramaico influenciou profundamente o hebraico a tal ponto que quando Israel retornou do cativeiro tanto da Síria como da Babilônia falavam apenas o aramaico. primitivamente eram empregadas apenas consoantes. Ele.5. todas consoantes. a língua popular. dos eruditos. do culto.

Um erro numa folha inutilizava-a. As letras e as palavras eram contadas. entre os anos de 1947 e 1955. A Bíblia através dos Séculos). Esses homens criaram um sistema de acentos que fixavam o significado de cada palavra. O escriba não podia escrever uma só palavra de memória. ou acrescentava uma palavra .13. procurando corrigir os erros das cópias feitas pelos copistas. Os judeus Moses Bem Arsher e seus filhos Arão e Naftali são os mais famosos eruditos dos massoretas. A Baixa Crítica diferencia-se da Alta Crítica. Com o sistema de acentos. Tinha de pronunciar bem alto cada palavra antes de escrevê-la. Obs. Os manuscritos originais dos livros do Antigo Testamento perderam-se. Tinha que limpar a pena com muita reverência antes de escrever o nome de Deus. tudo era feito manuscrito. e existiram até 950 d. de forma que cada livro constituía um rolo. já mencionados anteriormente. ou colocava uma palavra numa linha errada.” (Antônio Gilberto. A Bíblia foi escrita originalmente em rolos. Surgiu pelo ano de 500 d. Esse trabalho era feito a mão com o máximo cuidado e zelo extremado. Dessa forma.11. cada cópia deveria ter o mesmo número de palavras e letras que no original. revisavam-nos e davam a sua interpretação. Êx 2. Os Massoretas: Os massoretas. Os Copistas Bíblicos: Copistas eram homens que faziam cópias das Escrituras Sagradas a partir dos manuscritos originais. pois desde Esdras já havia a preocupação de corrigir os erros nas copias dos manuscritos. 1. pelo fato de vários desses manuscritos terem sido encontrados na região de Qumran. palavra derivada de “massorah” quer dizer tradição. dispendioso e trabalhoso dos escribas.2. ou trocava uma apalavra ou letra. preservaram por escrito a tradição das vogais.INTRODUÇÃO BÍBLICA LÍNGUAS ORIGINAIS . preocupa-se com a reconstrução dos textos bíblicos originais. remonta os primórdios da era cristã. eram extraídas do papiro 4e coladas de forma sobrepostas. Jó 8. não alteraram a mensagem dos livros. chamada de Baixa Crítica. 1. a cadência exata para a recitação nas sinagogas. “Cuidado redobrado havia com a escrita dos livros sagrados. entrecascas. II Tm 4. e continuaram até cerca de 200 anos d. três erros numa folha inutilizavam todo o rolo. quando Esdras organizou um grupo de escribas para cuidarem do texto das Escrituras Sagradas.1. Era melhor que o papiro e de uso bem mais recente. Os manuscritos mais antigos que temos da Bíblia hoje em dia são aqueles encontrados nas cavernas do Mar Morto. Devemos ser sumamente agradecidos aos judeus por seu cuidado extremo na preparação e preservação dos manuscritos do Antigo Testamento. As tiras. A tinta era especialmente preparada. O que há hoje em dia são apenas cópias dos manuscritos originais. data. esses erros. e a conexão entre palavras. e composição dos livros da Bíblia. dos copistas. cometiam certos erros tais como: esquecia de copiar uma palavra ou escrevia uma letra a mais. Por isso.2. . sua pronúncia. A ciência não é nova. inexistentes nos manuscritos originais. pois esta se preocupar com as questões de autoria. A palavra papel deriva dessa palavra. feitas pelos copistas.C. As suas atividades tiveram início cerca de 400 anos a.C. pode-se afirmar que as cópias do antigo Testamento hebraico existentes hoje foram preservados com alto grau de exatidão. Pergaminho era feito de pele de animais que depois de curtida era polida para poder receber a escrita. 2. Aqui estão algumas regras que eles exigiam de cada escriba. Caso contrário a cópia estava errada.C. Um dos métodos mais simples que os soferins usavam para verificar se a cópias de um determinado livro estava correta era: anotavam no fim de cada livro o número de palavras e letras. Eles copiavam os textos das Escrituras.C. através de um trabalho lento.3. Is 18. Os manuscritos do Antigo Testamento existentes no início da era cristã foram considerados como verdadeiros e autorizados pelo Senhor Jesus Cristo e pelos apóstolos. No entanto.MANUSCRITOS E VERSÕES Papiro é uma planta aquática que cresce junto aos rios. e não estavam unidos uns aos outros como estão agora. Os Soferins: Soferim é uma palavra hebraica e está no plural. eram um grupo de homens preocupados com a Crítica Textual. Também são chamados de “manuscritos de Qumra’. e acentos hebraicos e corrigiam muitos erros. O pergaminho tinha de ser preparado de peles de animais limpos. A Crítica Textual. prensadas e depois polidas para receberem a escrita. porém. Eram escribas versados nas leis de Deus e nas tradições dos judeus. Até a invenção da imprensa por Gutemberg em 1450. apesar de todo cuidado e zelo.

Visava especialmente os judeus que haviam esquecido o hebraico e falavam apenas o grego. De todas as versões modernas esta tem sido considerada como a mais fiel e exata. Durante a Idade Média tornouse a Bíblia mais usada pela Igreja do Ocidente. antigas e modernas. um grupo de sábios ingleses e norte-americanos fizeram uma revisão dessa versão. a versão foi feita entre 387 e 405 A. Logo ela tornou-se muito conhecida e difundida entre as nações daquela época. tradução para a língua grega e a Vulgata versão para a língua latina. recebendo o nome de Edição Revisada e Corrigida (ARC). Foi também ela o primeiro livro impresso no mundo. Ele era ministro da Igreja Reformada Holandesa e traduziu totalmente o Novo Testamento. Foi uma tradução da Vulgata. publicada em 1881 o Novo Testamento e em 1885 o Antigo Testamento. A primeira versão para a língua inglesa foi feita por John Wycliff. Usando o texto grego para o Novo Testamento e o hebraico para o antigo Testamento. Foi feita por Jerônimo. Depois de morto. línguas que ele aprendeu depois de convertido. Após ser revisada em 1894 e 1925 a tradução de Almeida foi publicada em 1951 pela Imprensa Bíblica Brasileira. O Antigo Testamento foi publicado em 1753 na Holanda. foi encarregado pelo Bispo de Roma Dâmaso para fazer a tradução da Bíblia para o latim. Esta tradução foi feita diretamente das línguas originais e também foi a primeira Bíblia impressa em Inglês. VERSÕES Há muitas versões das Sagrada Escrituras para diferentes línguas. por judeus que viviam na cidade de Alexandria. Devido a alguns erros. 2. John Wycliff morreu antes de concluir a tradução do Antigo Testamento. b) Versão Portuguesa: A primeira versão em português das Sagradas Escrituras foi feita por João Ferreira de Almeida. Portanto. que emprega antigas caracteres hebraicos.MANUSCRITOS E VERSÕES Há. em português. hoje dois tipos de textos em hebraico: o massorético e o Pentateuco Samaritano. em Goa.21. Quase todas as outras versões da Bíblia tiveram como base a Vulgata. ele nomeou 54 homens distintos por seu talento e piedade para prepararem uma nova versão da Bíblia. De 1945 a 1955 um grupo de 30 teólogos de várias denominações fizeram outra revisão.D. Logo que subiu ao trono. a comissão revisora publicou o Novo . porém o Antigo Testamento foi só até Ezequiel 48. porém só 47 tomaram parte definitivamente. 3.INTRODUÇÃO BÍBLICA LÍNGUAS ORIGINAIS . Tindale morreu antes de concluir a tradução do antigo Testamento. os Poéticos e os profetas. 1. num mosteiro em Belém. A Septuaginta (LXX): Esta foi a primei9ra tradução completa do Antigo Testamento do original hebraico. Morreu em 1691. Outras versões importantes: a) Versões Inglesas: A Inglaterra foi a primeira nação a ter a Bíblia em sua própria língua. Os livros Históricos. foi publicado em 1681. Foi feita no Egito. considerado o homem mais sábio do seu tempo. e em 1546 foi decretada como a Bíblia oficial da Igreja Católica Romana no concílio de Trento. Seus auxiliares completaram o resto que faltava. portanto. Foi estrangulado e queimado pelos católicos romanos em 1536. O Novo Testamento saiu primeiro. tendo publicado o Novo Testamento em 1526. As principais traduções são: A Septuaginta (LXX). a tradução mais popular e preferida dos povos de fala inglesa é a versão feita sob a direção do King James I (Rei Tiago). e a Igreja Católica Romana o queimou em estátua. Wycliff teve seu túmulo aberto por ordem do papa e seus ossos foram queimados e as cinzas lançadas no rio Swift. No entanto. Deve-se a ela também a classificação por assunto como temos hoje no Antigo Testamento: a Lei. a única e fiel tradução da Bíblia para o português foi feita por protestantes e publicada no estrangeiro. tendo Jacob Opdem Akker completado o resto da versão. C. Esta tradução é ainda hoje usada na Igreja Grega. rei da Inglaterra. em 1380. foi publicada pela primeira vez pela Sociedade Bíblica Britânica. como se vê. A Vulgata: Recebe este nome porque “Vulgata” vem do latim “vulgos” que quer dizer povo. A segunda tradução foi feita por Willian Tindakle. na ilha de Faros. É chamada de Versão Revisada. Jerônimo tinha 60 anos quando iniciou a tradução. Só em 1819 é que a Bíblia completa. Recebe este nome devido ao número de pessoas (72) que fizeram a tradução. A versão de Almeida teve como base as línguas originais: o grego e o hebraico. e é pré-cristão.

carece de fidelidade. A tradução também foi feita da Vulgata.MANUSCRITOS E VERSÕES Testamento em 1951 e o antigo Testamento em 1959. Conhecedor profundo do Latim. além de ter “:notas” explicativas que desdizem o texto. concluída em 1932. mas só publicada em 1946. A publicação é da Sociedade Bíblica do Brasil. Tornou-se logo a Bíblia preferida e a mais popular do povo católico brasileiro. no entanto. não passa em muitos lugares de péssima paráfrase do original. Apesar de primar pelo português. Ela tem sido a base de muitas edições das Sagradas Escrituras.INTRODUÇÃO BÍBLICA LÍNGUAS ORIGINAIS . fez a sua versão da Vulgata. publicou o Novo Testamento em 1781 e o Antigo Testamento em 1790. A segunda versão em português é a do padre português Antônio Pereira de Figueiredo. Á última versão é a do padre brasileiro Matos Soares. . recebendo o nome de Edição Revisada e Atualizada (ARA). pelo fato de notar-se em Matos soares idéias preconceituosas e tendenciosas.

todos aceitos e reconhecidos como inspirados por Deus. uma vez que estavam aparecendo vários escritos heréticos e espúrios com a pretensão de serem inspirados por Deus. norma ou regra para julgar ou medir." (Guilherme Keer. Percebe-se. coube a Esdras a tarefa de colecionar aqueles livros que eram reconhecidos como inspirados. Marcião. 1. "A primeira menção que temos do Antigo Testamento como coleção completa data do ano 130 a.A FORMAÇÃO DO CÂNON DO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS Cânon é o nome que se dá ao conjunto de livros divinamente inspirados e aceitos para servirem como regra de fé e prática dos cristãos.C.(Ne 8. Josué (Js 24. em ambos. "Os Escritos"..A FORMAÇÃO DO CÂNON DO NOVO TESTAMENTO Ao contrário do Antigo Testamento que levou mais de mil anos para ser formado. Aos poucos esses livros passaram a circular entre as primeiras igrejas. os livros do Novo Testamento foram escritos num curto espaço de tempo. cerca de 1491 a. As Epístolas de Paulo foram os primeiros livros a serem escritos. A ordem dos livros como temos hoje em nossas Bíblias não obedecem a ordem cronológica. Dessa forma. (Ed 7. Por isso não houve nenhuma objeção em aceitá-los como parte do Cânon. Marcião era um líder religioso. mas seguem a da Vulgata. mas a reunião dos rolos canônicos foi obra de suas mãos. "A Lei. através da história do povo israelita. O Cânon do Velho Testamento. Os livros que formam o Cânon do Antigo Testamento foram escritos num espaço de mais de mil anos. Os Profetas e Escritos. concluindo-o cerca de 1451 a. 51). gnóstico e herege que por sua própria conta decidiu selecionar os livros do Novo Testamento que deveriam ser considerados divinamente inspirados e por isso deveriam fazer parte do Cânon do Novo Testamento.14). 445 a. percebe-se que a formação do Cânon foi gradual. mais tarde Hebreus e as Epístolas Gerais e o último livro a ser escrito foi Apocalipse. No entanto. Segundo a tradição judaica. os últimos foram Neemias e Malaquias. Esta coleção de livros recebe o nome de Bíblia ou Escrituras sagradas. I e II Samuel (I Sm 10. dessa forma. Vai desde Moisés. no entanto. A . mais ou menos 100 anos. e responsável pelas reformas religiosas em Israel depois da volta do cativeiro babilônico. os Livros Proféticos. Os Profetas e Os Escritos. foi contemporâneo de Neemias. No sentido bíblico significa um modelo. "A Lei e os Profetas". até Esdras.1-5 e Ed 7.C. A palavra Cânon é de origem grega e significa literalmente vara reta de medir. B . a primeira relativa ao Antigo Testamento e a Segunda. Jesus e seus discípulos usaram vários nomes como: "As Escrituras". Esdras era escriba e sacerdote.C. os Escritos. Depois surgiram os Evangelhos e Atos. Seus livros sempre foram respeitados por todos e aceitos como divinamente inspirados.26). para determinar quais os escritos que eram divinamente inspirados.10. tornando-se tão importantes na vida da Igreja que houve a necessidade de um reconhecimento canônico. O Cânon de Marcião: O Cânon de Marcião foi o primeiro a ser feito. menciona a Lei. O processo de formação do Cânon da Bíblia teve duas fases.10). Dessa forma. .25). para designarem os livros que constituem o Cânon do Antigo Testamento.D.. A reação imediata e agressiva da Igreja contra este Cânon mostra que ela de modo geral já havia selecionado e aceito os atuais livros como os únicos inspirados e rejeitado os outros. ao Novo Testamento. escrito no ano 96 d. É atribuído a ele também as três divisões: A Lei. retirando dos mesmos todas as referências aos judeus. que a seleção dos livros que formam o Cânon do Antigo Testamento foi aceito naturalmente. percebe-se que tanto Jesus como os apóstolos e escritores do Novo Testamento consideravam esses livros como divinamente inspirados e com autoridade divina. pág.C. Moisés escreveu o Pentateuco. Aos livros da Lei aos poucos foram sendo acrescentados outros livros. os Livros da Lei. tem também o sentido de régua. Os Profetas e os Salmos". por isso mutilou vários livros. era contrário às influências do Judaísmo no Cristianismo. o Espírito Santo de Deus tanto inspirou os escritores sagrados a escreverem os livros como também inspirou os judeus e a igreja a fazerem a seleção dos livros que deveriam fazer parte do Cânon da Bíblia. cerca de 144 A. ou seja a ordem em que foram escritos.INTRODUÇÃO BÍBLICA LIVROS APÓCRIFOS VI . Esdras não foi o último escritor sagrado do Antigo Testamento.A FORMAÇÃO DO CÂNON DO ANTIGO TESTAMENTO O processo de formação do Antigo Testamento não foi igual ao do Novo Testamento.6. Causas que levaram à formação do Cânon do Novo Testamento: Três causas levaram o Igreja a preservar a integridade dos escritos inspirados e a formar o Cânon do Novo Testamento: a.C.

de preservar os escritos realmente inspirados. o livro deveria ter sido escrito por um apóstolo ou por alguém que tivesse vivido intimamente com um apóstolo e o livro tivesse sido escrito numa data dentro do período apostólico. Os apóstolos tinham autoridade para escrever sobre Jesus Cristo porque eles haviam estado em contato direto com Jesus Cristo. OS LIVROS APÓCRIFOS O Cânon do Antigo Testamento da Igreja Católica Romana é diferente do Cânon Protestante. Muitos livros foram rejeitados porque não estavam de acordo com este critério. A Universalidade: Para ser aceito no Cânon do Novo Testamento o livro deveria primeiramente ser aceito por todas as igrejas. uma vez que havia muitas dúvidas quanto a sua autoria. O Imperador comemorou a vitória cunhando uma moeda especial. já os havia rejeitado por considerá-los como não inspirados por Deus. a fim de que fosse evitado a inclusão de livros apócrifos e espúrios. no III Concílio de Cartago. foram oficializados no Concílio de Trento. todos os 27 livros já eram aceitos pelas Igrejas. ter caráter espiritual elevado e efeito moral edificante. porque nem todos os livros eram aceitos por todas as igrejas e outros tinham a autoria duvidosa. O livro de Hebreus foi o que causou mais dificuldade. na África.C. Quatro critérios de canonicidade foram usados para determinar os livros que deveriam fazer parte do Cânon do Novo Testamento. o Imperador Diocleciano decretou qeu todos os livros sagrados fossem queimados. 2.C. Antes do final do IV Século d. porém vários líderes religiosos queriam acrescentar aos já aceitos pela igreja como inspirados e considerá-los como canônicos ou semi-canônicos. Veja novamente o item sobre Inspiração. A princípio houve muita discussão. que combatia ardorosamente várias doutrinas heréticas da igreja romana. Atanásio. Marcos foi companheiro e recebeu influência tanto de Pedro como de Paulo. por parte da Igreja. Acréscimo de livros Apócrifos: Durante esse período passaram a circular vários escritos de inspiração duvidosa e considerados pelos cristãos ortodoxos como espúrios. A igreja.1-4). A autoria: O critério mais importante era o da apostolicidade. como era o caso da carta aos Hebreus. Judas e Tiago eram meio-irmãos de Jesus e companheiro dos apóstolos da Igreja em Jerusalém. Os livros que já eram aceitos como inspirados por Deus não encontraram nenhuma dificuldade. (Veja I João 1. ou seja. em 1546. O reconhecimento por parte da Igreja Católica Romana desses livros teve como finalidade combater a Reforma Protestante. Lucas era amigo e companheiro de Paulo.C. Deus não só inspirou homens e os usou como instrumentos para transmitir a sua mensagem.INTRODUÇÃO BÍBLICA LIVROS APÓCRIFOS b. no entanto. A Inspiração Divina: O último critério era o reconhecimento de que o livro era divinamente inspirado pelo Espírito Santo de Deus. tais como: doutrina do purgatório. Critérios de Canonicidade: A formação do Cânon do Novo Testamento precisou de algum tempo e houve muitas diferenças de opinião. da . Dessa forma observa-se que o processo foi longo. b) A Doutrina: O conteúdo do livro deveria estar de acordo com a doutrina oral dos apóstolos. c. mas também inspirou aqueles que tiveram que decidir sobre quais os livros que deveriam fazer parte do Cânon do Novo Testamento. Porém o reconhecimento e fixação oficial do Cânon do Novo Testamento só ocorreu em 397 d. preservando a integridade dos Escritos Sagrados. houve necessidade. além dos 39 do Antigo Testamento e dos 27 do novo Testamento a Igreja Católica Romana aceitou mais 7 livros e 4 acréscimos apócrifos como inspirados. publicou uma lista com os 27 livros que hoje se encontram na nossa Bíblia. ou seja. patriarca de Alexandria. a. As edições da Bíblia da Igreja Católica romana possuem um total de 73 livros e mais 4 acréscimos feitos aos livros canônicos de Ester e Daniel. em 393 d. A lista foi aceita e reconhecida pelo Concílio de Hipona. Mas a Igreja sob a orientação do Espírito Santo soube preservar os escritos que viriam fazer parte do Cânon do Novo Testamento. d. Diante deste fato. Decreto do Imperador Diocleciano: No ano 300. porém necessário. V. bem como deveriam estar de acordo com as doutrinas do resto das Escrituras Sagradas. c.

Em muitos trechos há uma nítida semelhança com os livros de Provérbios. que eles não podiam servir como textos para base doutrinária. pois jamais tais livros foram citados por eles. mas a Igreja Romana só aceitou 11. rejeitando três restantes. filho de Siraque. ( I Macabeus 4. Significa também. o livro está cheio de erros históricos e geográficos. ou Evangélica não aceita esses livros porque: 1) Nunca foram reconhecidos e aceitos como divinamente inspirados e por isso não faziam parte do cânon hebraico. . que incentivado por um anjo. Eclesiastes e Jó. II Macabeus: Vem logo após o livro de I Macabeus. como já foi estudado. F. daí a razão da diferença dos dois cânones.23. portanto naquele período em que Deus cessou completamente sua revelação e comunicação com o homem. livros de origem desconhecida ou falsa e no sentido religioso.46. quando em 1546. Os sete maridos anteriores haviam sido mortos no dia do casamento por um espírito mau. “oculto”. É muito difícil aceitar-se que haja alguma coisa de verdadeiro nesta história. Judite: Vem logo depois do livro de Tobias. filho de Siraque”. a idolatria e a iniquidade. O total eram 14 escritos apócrifos. O termo apócrifo vem do grego “APOCRYPHOS’ e quer dizer literalmente “escondido”. também condena a adoração de imagens. o livro é prejudicado por tratar os assuntos de forma fantasiosa. quando Jerônimo fez a tradução da Vulgata. exatamente para apoiar suas heresias doutrinárias. Baruque: Vem logo depois do livro de Jeremias. A Igreja Protestante. veja apêndice no final da apostila). O livro conta a história da nação de Judá entre os anos 175 e 161 antes de Cristo. misteriosos e ocultos.27. O autor é Baruqe e tem três divisões: 1) Confissão de pecador e oração pedindo perdão a Deus. No entanto.38. entre Malaquias e Mateus.INTRODUÇÃO BÍBLICA LIVROS APÓCRIFOS oração pelos mortos. tornou-se o oitavo marido de uma viúiva-virgem. A. Recomendação esta rejeitada pela Igreja Romana. no ano 405 d. É conhecido também como “Sabedoria de Jesus. 3) Não foram aceitos por Jesus e seus apóstolos. D. considerou-os como canônicos. queimando o fígado de um peixe. Eclesiástico: Aparece logo após o livro de Sabedoria. curou o seu pai que era cego. ocorrida cerca de dois séculos antes de Cristo. O autor do livro parece ter-se baseado nas histórias de Jael e Sísera. 4) Nunca foram reconhecidos e aceitos pela Igreja Primitiva. referia-se a livros sobre assuntos secretos. foi obrigado a incluir os apócrifos. O livro relata os acontecimentos políticos. Quando retornou a sua casa. Os escritos apócrifos foram escritos no período interbíblico. mas com uma ressalva. durante a guerra de independência da nação de Israel. O livro possui 51 capítulos e o tema principal é a sabedoria. Trata-se de um conto moral e não de uma história verídica. que só encontravam apoio nos livros apócrifos. Tobias: Está logo depois do livro de Esdras. a tradução não foi feita direta do texto hebraico. eles apareceram pela primeira vez na Septuaginta. 2) Os próprios autores não reconheciam seus escritos como divinamente inspirados. tradução feita do hebraico para o grego. afugentando o mau espírito. escritos não-canônicos. da salvação pelas obras. Mais tarde. Sabedoria de Salomão Está logo após o livro de Cantares. Não foi a Igreja Romana que fez os acréscimos. 9. Os livros que a Igreja Protestante chama de apócrifos a Igreja Católica Romana chama de deuterocanônicos. Conta a história de Tobias. No entanto. por isso foram incluídos os livros apócrifos que estavam na Septuaginta. I Macabeus: Está colocado logo após o livro de Malaquias.17-22. A Igreja Protestante rejeitou-os como divinamente inspirados. ou seja. esfregando o fel do peixe nos olhos dele. e II Macabeus 2. quando foi feita a tradução do Antigo Testamento para o Latim. mas do texto grego. o Católico e o Protestante. Seu autor foi um homem chamado Jesus. por Jason de sirene. H. história narrada no livro de Juízes 4. Razão suficiente para não considerá-los de inspiração divina. uma mulher valente e valorosa que venceu sozinha o exército assírio. Trata-se da história de Judite. Apesar de conter grandes verdades sobre a história judaica. E. C. C. 3) Ânimo e promessa de livramento. G. Conteúdo dos livros Apócrifos: Os livros apócrifos são os seguintes: B. Nele o autor recomenda a sabedoria e4 a retidão através de conselhos relacionados à ética. O livro é conhecido também como Sabedoria. A Igreja Ortodoxa Grega aceitou todos os 14. cortando a cabeça do seu comandante. 15. 2) Exortação para que Israel volte às fonte de sabedoria. militares e os atos de heroísmo de uma família de levitas chamada Macabeus. Tobias escapa da morte. dái a necessidade de reconhecê-los como canônicos.

c) “A História de Bel e o Dragão”. incluídos no capítulo 3. acrescentado o capítulo 14. .24.4 ao 16.INTRODUÇÃO BÍBLICA LIVROS APÓCRIFOS Os acréscimos foram os seguintes: 1. b) “A História de Susana”. 2.24 a 99. No livro de Daniel foram feitos três acréscimos: a) “O Cântico dos três hebreus”. acrescentado o capítulo 13 e. Ao livro de Ester foi acrescentado “o repouso de Ester” trecho que aparece do capítulo 10.

36.46. Juízes 8. 30. Provérbios 21. “e transportaram suas pedras a um lugar conveniente sobre a montanha do templo. Sabedoria de Salomão 8. BIBLIOGRAFIA 1. 1972. I Reis 12. 32. Tobias 6. 37. George. O Testemunho dos doze Patriarcas. Josué 7. I Crônicas 14. 22. 4. 34.PSEUDO-EPIGRÁFICOS PARA OS PROTESTANTES E APÓCRIFOS PARA OS CATÓLICOS: 1. Números 5. 2. II Macabeus 3.38. ITB. Apendice 2 1.23. 3. Levítico 4.APÓCRIFOS PARA OS PROTESTANTES E DEUTOROCANÔNICOS PARA OS CATÓLICOS. “eis o que Jasão de Cirene narra em cinco livros que vamos tentar resumir em um só”. 5. Assunção de Moisés 9. Êxodo 3. 33. II Samuel 11. “A opressão que caiu sobre Israel foi tal.LIVROS CANÔNICOS DO ANTIGO TESTAMENTO (PARA PROTESTANTES E CATÓLICOS): 1. 38. 27. I e II Esdras Oração de Manassés Salmos de Salomão III e IV Macabeus O Livro do Jubileu 6. 3. Apocalipse de Baruque 10. aguardando a decisão de algum profeta a esse respeito” 2.27. Gênesis 2. Oráculos Sibilinos 7. Acréscimo ao Livro de Daniel (Três) 4. é que não pude fazer melhor”. Acréscimo ao livro de Ester (Um) 5. Jó 19. 4. Introdução à Bíblia. Ecleiastes Cânticos dos Cânticos Isaías Jeremias Lamentações Ezequiel Daniel Oséias Joel Amós Obadias Jonas Miquéias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias II . Judite 7. I Macabeus 2. II Crônicas 15. 25. I Macabeus 9. “Finalizarei aqui a minha narração. era este o meu desejo: se ela está imperfeita e medíocre. 28.INTRODUÇÃO BÍBLICA APÊNDICE Apêndice 1 I . Salmos 20. . que não houve igual desde o dia em que tinhamm desaparecido os profetas”. Se ela está felizmente concebida e ordenada. Baruque III . Deuteronômio 6. 35. 24. Esdras 16. I Samuel 10. 37b.HANSEN. 23. Sào Paulo. 31. Neemias 17. II Macabeus 2. I Macabeus 4. II Reis 13. EM CUJA BÍBLIA SE ENCONTRAM: 1. Enoque 8. 29. II Macabeus 15. 26. Rute 9. Ester 18. Eclesiástico 9. 39.

Nazarena. Vida Nova. 1986. Paul T.1963 . São Paulo Ed. H Orton & CULBERTSON. Wilwy. CPAD. SP. 1966 SHEDD. Russel P. BINNEY. 4. A Bíblia Através dos Séculos. John. JUERP. (Ed). CHAFER. Dalton. SP. SP. O Novo Dicionário da Bíblia. Ed. Ed. Publicaciones Españolas. Russel P. Teologia Sistemática. Ed. DAVIS. Antonio Gilberto. (Ed). Compêndio de Teologia. 1990. 7. Georgia. 6. Vida Nova. 1990 SILVA. SP. 1974.INTRODUÇÃO BÍBLICA APÊNDICE 2. O Novo Comentário da Bíblia. 3. SHEDD. Nazarena. Lewis Sperry. 8. 5. Amos. Introdução à Teologia Cristã. RJ. Dicionário da Bíblia.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful