RNHF - Referencial Nacional de Honorários Fisioterapêuticos

Orientações Gerais I- Do Referencial I.1 - Este REFERENCIAL DE HONORÁRIOS FISIOTERAPÊUTICOS é o instrumento básico para remuneração do trabalho do FISIOTERAPEUTA junto aos Planos de Saúde, Seguros Saúde e Auto Gestão e nos diversos tipos de convênios, assegurando sua aplicação em Ambulatórios, Clínicas,Consultórios , Hospitais, Empresas e atendimento Domiciliar. I.2 - É o resultado de um trabalho que foi desenvolvido ao longo de mais de 2 anos , com a participação de todas as Entidades Representativas da Categoria. Suas ações se baseiam em estudos que atenderam a critérios técnicos sob o ponto de vista econômico, foram considerados os custos necessários para a apresentação da assistência Fisioterapeutica nas várias situações, sem desconsiderar a realidade remuneratória dos serviços de saúde no país. I.3 - Este Referencial resgata a identidade do FISIOTERAPEUTA e o coloca adequadamente no contexto das relações da saúde , invocando uma postura ética e profissional comprometida com a melhoria da qualidade assistencial , sem perder de vista que o binômio autonomia e dignidade se completam com justa remuneração e responsabilidade social. I.4 - Este referencial contém 12 capítulos compreendendo os Procedimentos Profissionais. Os capítulos divididos em níveis de complexidade que é o grau de comprometimento da disfunção apresentada pelo paciente. Quanto maior o comprometimento, maior a dedicação técnicocientífica e demanda de tempo exigida do Profissional com conseqüente aumento dos custos operacionais. I.5 - Os valores do referencial de remuneraçâo dos atos fisioterapêuticos estão expressos em reais - moeda vigente no país. I.6 - A Assistência Fisioterapêutica com a utilização de métodos ou técnicas de aquisição em estudos de pós graduação, aprimoramento ou especialização, reconhecidos pelo COFFITO Será alvo de negociação entre os interessados.

II - Das Comissões Nacionais e Regionais II.1 - A negociação para aplicação deste Referencial junto as Empresas de Seguro Saúde, Auto Gestão, serão realizadas pela Comissão Nacional de Honorários Fisioterapêuticos. II.2 - Serão constituídas Comissões regionais de Honorários Fisioterapêuticos sob a coordenação do representante regional na Comissão Nacional . II.3 - Poderão ser criadas Comissões Sub Regionais constituída por um ou mais Municípios , sob orientação das Comissões Regionais . II.4 - À Comissão Nacional de Honorários Fisioterapêuticos poderá proceder alterações cabíveis neste REFERENCIAL, sempre que necessário, submetendo-as a análise e aprovação das instituições nacionais, COFFITO/ABF/FENAFITO.

R$ 50.Consulta .Construir o diagnóstico e o prognóstico cinético-funcional.61 . análise do equilíbrio biomecânico das estruturas cinético-funcionais.01. Capítulo II Código 71. análise de padrões locomotores agregados à mecânica do movimento.02. responsabilidade e resolutividade.Referencial Nacional de Honorários Fisioterapêuticos Capítulo I Código 71. estabelecer os procedimentos fisioterapêuticos indicados e.02.61 R$ 84. incluindo ventilometria. identificar a necessidade ou não da indicação de ações fisioterapêuticas em cada caso apresentado. sua precisão.77 Objetivos .001-0 71. capacidade aeróbia. sinergismo e capacitação ventilatória funcional.002-2 71. analisar a qualidade do movimento.02. identificação de distúrbios sensório-motores e/ou viso-motores.Exames e Testes CÓDIGO 71. Componentes . manovacuometria e estudo dos fluxos aéreos pulmonares REFERENCIAL R$ 84.Anamnese.02. os graus de repercussões funcionais e sistêmicas e as estruturas anatômicas envolvidas com fins de possibilitar ao profissional.000-8 .92 R$ 84.000-7 .por segmento ou membro Dinamometria computadorizada Biofeedback com EMG Ergometria para determinação da capacidade funcional prévia a programa de condicionamento cardiopulmonar Exame funcional respiratório.02.02.003-4 71. avaliação e quantificação da potencialidade das cadeias musculares concorrentes aos desequilíbrios cinético-funcionais. análise antropométrica. etapas terapêuticas à serem superadas pelo paciente.005-9 DESCRIÇÃO Análise Eletroneuromiográfica para verificação da potencialidade contrátil das fibras musculares. com segurança.92 R$ 126.004-6 71. cronaximetria e curva I/T . sua amplitude.61 R$ 126. de acordo com a demanda de saúde funcional apresentada e ainda.

03.03. pós redução de fratura óssea ou com distúrbio sensitivo motor.Paciente com distúrbio neurocinético-funcional.000-0 .003-5 DESCRIÇÃO NÍVEL DE COMPLEXIDADE I .001-1 71.15 R$ 28. síndromes pediátricas.04.08 71. associado ou não a distúrbios da cinesia funcional.77 71. intercorrente em até 2 (duas) articulações ou segmentos funcionais. Traumática. lesões do sistema nervoso central.03.04. requerendo assistência fisioterapêutica NÍVEL DE COMPLEXIDADE III . intercorrente em mais de 2 (duas) articulações ou REFERENCIAL R$ 21. requerendo assistência fisioterapêutica NÍVEL DE COMPLEXIDADE IV . enfermidades degenerativas. requerendo assistência fisioterapêutica NÍVEL DE COMPLEXIDADE II .Paciente portador de lesão segmentar.03.Processos distróficos.04.000-9 . ataxias.03.004-7 R$ 50.002-4 R$ 28. alterações sensitivas ou motoras.77 R$ 38.Paciente com distúrbio neurocinético-funcional associado a alteração do nível de consciência e/ou débito respiratório REFERENCIAL R$ 21. associado a quadro de discinesia locomotora e alterações circulatórias Nível de Complexidade V .23 Componentes .002-3 71.Paciente com distúrbio neurocinético.77 71. intercorrente em até 2 (duas) articulações.Paciente com distúrbio neuro-cinético funcional.04.005-0 R$ 59. associada ou não a distúrbios da cinesia funcional.15 71.Assistência Fisioterapêutica ao Paciente com Disfunção Decorrente de Alterações do Sistema Músculo-Esquelético (Origem Ortopédica.77 .Paciente com distúrbio neuro-cinético-funcional. CAPÍTULO IV Código 7l. CÓDIGO 71. paresias. Congênita e/ou Reumática) Compreende 04 (quatro) níveis de complexidade CÓDIGO 71.Paciente com lesão segmentar.Paciente com lesão segmentar.Assistência Fisioterapêutica ao Paciente com Disfunção Decorrente de Lesão do Sistema Nervoso Central e/ou Periférico Compreende cinco níveis de complexidade. lesões do sistema nervoso periférico.funcional NÍVEL DE COMPLEXIDADE II .03.004-7 R$ 50. intercorrente em mais de 2 (duas) articulações ou segmentos funcionais.08 71. plegias. associado a alterações circulatórias NÍVEL DE COMPLEXIDADE III .Paciente com lesão segmentar.Capítulo III Código 71.04. retardo no desenvolvimento neuro-motor. miopatias.003-6 R$ 38. associado a quadro de discinesia locomotora Nível de Complexidade IV .001-2 DESCRIÇÃO NÍVEL DE COMPLEXIDADE I .

CÓDIGO 71. fibromialgias.71. lesões ligamentares. Tendinite. pneumopatias restritivas. Capítulo VI .000-1 Assistência Fisioterapêutica ao Paciente com Disfunção Decorrente de Alterações no Sistema Respiratório Compreende 04 (quatro) níveis de complexidade.segmentos funcionais. com distúrbio da cinesia funcional. Capítulo V Código . Bursite. requerendo reexpansibilidade pulmonar e reeducação da cinesia respiratória NÍVEL DE COMPLEXIDADE II: Paciente portador de disfunção pulmonar clínica ou cirúrgica. pneumopatias ocupacionais. com discinesia muscular respiratória. transplante de órgãos. requerendo assistência fisioterapêutica ventilatória NÍVEL DE COMPLEXIDADE III: Paciente portador de disfunção pulmonar.05. disfunções ventilatórias associadas à desordem neural.15 71. doença ocupacional relativa ao trabalho . requerendo assistência fisioterapêutica Componentes . síndromes miofasciais.77 Componentes . requerendo assistência fisioterapêutica REFERENCIAL R$ 21. Luxação. Contusão. disfunções tendinosas ou musculares.05. disfunções da articulação têmporo-mandibular. Sinovite. em ventilação mecânica. com discinesia muscular e insuficiência respiratória.001-3 DESCRIÇÃO NÍVEL DE COMPLEXIDADE I: Paciente portador de afecções clínicas respiratórias.05.77 7l.05. Sinusite. recuperação funcional pós cirúrgica ou pós imobilização. politraumatismos.004-9 R$ 50. Entorse. Processos Inflamatórios Pélvicos. Cervicalgias.05.Distúrbios funcionais de origem reumática degenerativa ou inflamatória compreendendo Membros ou coluna vertebral. requerendo assistência fisioterapêutica para recondicionamento aeróbio NÍVEL DE COMPLEXIDADE IV: Paciente portador de disfunção pulmonar. repotencialização miocinética e/ou protetização funcional do coto.DORT.DBPOC. pós redução de fratura óssea associada a quadro de alteração circulatória e/ou sensitivo-motora. alterações do eixo da coluna vertebral.002-5 R$ 28.08 71.003-7 R$ 38. distúrbios ventilatórios do sono.

requerendo assistência fisioterapêutica para recondicionamento cardiovascular NÍVEL DE COMPLEXIDADE II: Paciente ambulatorial com cardiopatia de natureza clínica ou cirúrgica.06. doenças isquêmicas do coração.07.Pacientes assintomáticos com doenças coronarianas latentes.77 71. disfunção ventricular. pós cirurgia de revascularização. com cardiopatia grave. com menos de 50% da área corporal atingida por queimadura.004-1 R$ 50. sem alterações importantes de ordem sistêmica e/ou metabólica. necessitando de assistência fisioterapêutica preventiva e/ou terapêutica a complicações teciduais .001-4 DESCRIÇÃO NÍVEL DE COMPLEXIDADE I: Paciente ambulatorial com cardiopatia de natureza clínica.15 71.71.15 71.001-5 R$ 21. necessitando de assistência fisioterapêutica preventiva e/ou terapêutica à aderências.77 Componentes .06.000-3 .07.07. em ventilação mecânica. requerendo assistência fisioterapêutica pulmonar e/ou cinética-vascular preventiva aos efeitos da imobilidade prolongada REFERENCIAL R$ 21.77 71.Código . arritmias cardíacas.Assistência Fisioterapêutica ao Paciente com Disfunção Decorrente de Queimaduras Compreende 04 (quatro) níveis de complexidade CÓDIGO DESCRIÇÃO NÍVEL DE COMPLEXIDADE I: Paciente ambulatorial. com menos de 50% da área corporal atingida por queimadura. hipertensão arterial.08 71.06.71. necessitando de assistência fisioterapêutica preventiva e/ou terapêutica à aderências. valvopatias. cinética funcional e/ou ventilatória NÍVEL DE COMPLEXIDADE IV: Paciente internado. doenças coronarianas.004-0 R$ 50.06.002-6 R$ 28.003-8 R$ 38.08 71. transplante de órgãos. com mais de 50% da área corporal atingida por queimadura. CÓDIGO 71. hipertrofias e retrações teciduais e bridas NÍVEL DE COMPLEXIDADE II: Paciente ambulatorial. baixa capacidade funcional. necessitando de monitorização cardíaca e/ou ventilo-respiratória NÍVEL DE COMPLEXIDADE III: Paciente internado com cardiopatia de natureza clínica ou cirúrgica. hipertrofias e retrações teciduais e bridas NÍVEL DE COMPLEXIDADE III: Paciente internado.Assistência Fisioterapêutica ao Paciente com Disfunção Decorrente de Alteração do Sistema Cardiovascular Compreende 04 (quatro) níveis de complexidade. edema agudo de pulmão.07. insuficiência cardíaca. Capítulo VII Código . angina pectoris. requerendo condicionamento cardiovascular e/ou assistência preventiva cinética-vascular aos efeitos da imobilidade prolongada NÍVEL DE COMPLEXIDADE IV: Paciente internado.003-9 R$ 38.000-2.77 .07.002-6 R$ 28. cardiopatias congênitas.06. requerendo condicionamento cardiovascular. com mais REFERENCIAL 71. pós enxertia.

08. insuficiência arterial crônica.002-9 . diabetes Mellitus. cinética funcional e/ou ventilatória Componentes .77 segmentos NÍVEL DE COMPLEXIDADE III: Paciente portador de alteração vascular periférica e/ou linfática.09.de 50% da área corporal atingida por queimadura. necessitando de assistência fisioterapêutica preventiva e/ou terapêutica a complicações teciduais. com distúrbio funcional em um R$ 21.000-5 . com distúrbio funcional em dois R$ 28. CAPÍTULO IX Código . linfoedema.09.001-7 DESCRIÇÃO REFERENCIAL NÍVEL DE COMPLEXIDADE I: Paciente portador de alterações R$ 21.08. requerendo R$ 28. trauma vascular.003-0 71.08. associado a ulcerações.Assistência Fisioterapêutica ao Paciente com Disfunção Decorrente de Alteraçôes Endócrino-Metabólicas Compreende 04 (quatro) níveis de complexidade CÓDIGO 71.08.08 mais de dois segmentos NÍVEL DE COMPLEXIDADE IV: Paciente portador de alteração vascular periférica e/ou linfática com distúrbio funcional em mais R$ 50. 71.002-8 71. Capítulo VIII Código . com alterações importantes de ordem sistêmica e/ou metabólica.004-2 Componentes .15 endócrino-metabólicas. pré e pós-operatórios.09.71. linfangite e neoplasias. com distúrbio funcional em R$ 38.08.71.queimados de qualquer etiologia.77 de dois segmentos.Trombose venosa profunda.001-6 DESCRIÇÃO REFERENCIAL NÍVEL DE COMPLEXIDADE I: Paciente portador de alteração vascular periférica e/ou linfática.77 assistência fisioterapêutica preventiva e/ou terapêutica a discinesia locomotora e/ou ventilatória 71.Assistência Fisioterapêutica ao Paciente com Disfunção Decorrente de Alteração do Sistema Linfático e/ou Vascular Periférico Compreende 04 (quatro) níveis de complexidade CÓDIGO 71. tromboangeites. insuficiência venosa crônica.15 segmento NÍVEL DE COMPLEXIDADE II: Paciente portador de alteração vascular periférica e/ou linfática.000-4 . requerendo condicionamento aeróbio NÍVEL DE COMPLEXIDADE II: Paciente portador de alterações endócrino-metabólicas importantes.

preventiva e/ou contributiva a boa recuperação cinética funcional no pós operatório NÍVEL DE COMPLEXIDADE III: Paciente em pós operatório cirúrgico.08 71. requerendo assistência fisioterapêutica preventiva e/ou terapêutica a distúrbios ventilatórios.003-4 R$ 38. pan-hipopituitarismo. feocromocitoma. requerendo assistência fisioterapêutica para recuperação funcional R$ 38.09.10.77 71.09. requerendo assistência fisioterapêutica.Diabetes.71. doença de Cushing.001-0 R$ 21.71. Capítulo X Código . decorrida uma semana NÍVEL DE COMPLEXIDADE IV: Paciente em pós cirurgia imediata.004-3 NÍVEL DE COMPLEXIDADE III: Paciente portador de alterações endócrino-metabólicas associadas a desordens neuro vasculares. requerendo assistência fisioterapêutica para repotencialização muscular e ventilatória.08 R$ 50. doença de Adison.002-2 R$ 28. distúrbio gastrointestinal. alterações do hormônio de crescimento. de baixo risco cirúrgico.15 71.77 Componentes .000-8 . aderências e retrações teciduais. aos bloqueios articulares e/ou incapacitações da cinesia funcional decorrentes de longa permanência no leito REFERENCIAL 71. dislipidemia. acamados de longa permanência.004-6 R$ 50. requerendo assistência fisioterapêutica para repotencialização muscular e/ou ventilatória.10.Assistência Fisioterapêutica no Pré e Pós-Cirúrgico e em Recuperação de Tecidos Compreende 04 (quatro) níveis de complexidade CÓDIGO DESCRIÇÃO NÍVEL DE COMPLEXIDADE I: Paciente em pré operatório. incontinência esfincteriana.10.77 Componentes . requerendo assistência fisioterapêutica preventiva e/ou terapêutica a distúrbios cinéticos funcionais e/ou ventilatórios NÍVEL DE COMPLEXIDADE IV: Paciente portador de alterações endócrino-metabólicas e neuro vasculares associadas à discinesia locomotora. distúrbio da tieróide e paratireóide.10.Pré e pós-operatório em cirurgia geral.003-1 71. hiperaldesteronismo. preventiva e/ou contributiva a boa recuperação cinética funcional e/ou clínica no pós operatório NÍVEL DE COMPLEXIDADE II: Paciente em pré operatório. obesidade.10. constipação. de médio risco cirúrgico. hidroeletrólica ou metabólica. Capítulo XI . associado a quadro de instabilidade hemodinâmica. osteoporose.

ambientais e instrumentais determinantes de distúrbios da cinesia funcional REFERENCIAL R$ 101.54 Capítulo XII CÓDIGO 71.000-9 DESCRIÇÃO Assistência Fisioterapêutuca Domiciliar REFERENCIAL R$ 101.12.54 .CÓDIGO 71.000-0 DESCRIÇÃO Consultoria e assessoria para análise dos fatores ergonômicos.11.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful