INTRODUÇÃO À GRAMÁTICA

(FUVEST 2011) Ao reproduzir um diálogo, o texto (usado para elaborar a questão) incorpora marcas de oralidade, tanto de ordem léxica, caso da palavra “garra”, quanto de ordem gramatical, como, por exemplo, A) “lanço à queima-roupa”. B) “Agora você me pegou”. C) “deixa eu ver”. D) “Bogotá é muito feiosa”. E) “é algo que me toca”.

2. (FUVEST 2011)A linguagem de cunho popular que está presente tanto na fala das personagens quanto no discurso do narrador do romance de Manuel Antônio de Almeida, está mais bem exemplificada em: A) “quando tem pouco que fazer”; “cumpria sabê-lo aproveitar”. B) “Foi a sua salvação”; “a que o marujo pertencia”. C) “saber fazer render a nova posição”; “Chegaram com feliz viagem ao seu destino”. D) “puxar conversa”; “entendedor do riscado”. E) “adoeceram dois marinheiros”; “sólida reputação”. 3. (UnB 2011/1) “O que torna a tortura atraente é o fato de ela funcionar. O preso não quer falar, apanha e fala.”(Elio Gaspari. A ditadura escancarada.) No segundo período, não está estabelecida relação de causa e efeito no nível sintático, mas se depreende tal relação no nível semântico, na ordenação temporal das orações. 4. (UnB 2011/1) Há ambiguidade no trecho “a combinação da ação mecânica do ar, da temperatura e da água”, visto que a estrutura sintática permite duas interpretações: a combinação da temperatura, da água e da ação mecânica do ar; a combinação das ações mecânicas do ar, da temperatura e da água. 5. (UNEMAT 2011/1) AS MARIPOSA As mariposa quando chega o frio Fica dando vorta em vorta da lâmpida pra si isquentá Elas roda, roda, roda, dispois se senta Em cima do prato da lâmpida pra descansá [...] (BARBOSA, 2008). Levando em conta o processo da variação linguística, assinale a alternativa correta.

C) o texto explora uma variedade da língua diferente da padrão ou culta. requer do professor conhecimento tanto da modalidade oral quanto da escrita para que ele cumpra seu papel de mediador no processo da aprendizagem. D) o ensino da gramática constitui indispensável oportunidade para desenvolver no aluno a faculdade do raciocínio que permite ao homem abstrair e generalizar.’ Eu diria. como também evidencia a seguinte questão de ensino da língua: A) o conhecimento da natureza discursiva da comunicação verbal impõe que o ensino da língua não se limite mais ao universo da frase. Por que (não) ensinar gramática) Nesse excerto.A) os “erros de concordância” nos permitem dizer que o narrador faz uso de uma variedade errada da língua.. B) a troca das vogais “e” por “i” em casos como isquentá. quando levam a pessoas a reagir assim. E) do ponto de vista da norma padrão ou culta. o linguista Sírio Possenti não só discorda de um professor cursinho.) Meu último exemplo é baseado em um trecho de uma redação de aluno que um professor de cursinho criticou em um jornal. (UNAMA) “(.. 7.. que o problema desse trecho.. a seguinte sequência: ‘. se é que se pode falar de problema é que ele tem características tipicamente orais. não deve ser considerada na avaliação da produção escrita. si e discansá ocorrem porque as pessoas falam sempre de forma errada..)” (Sírio Possenti. D) o vocábulo vorta é um exemplo grosseiro de erro de ortografia. B) o ensino da língua. incluída a produção textual. de tal forma. 6. outras coisas. C) a redundância.que acabavam fazendo críticas destrutivas que não são construtivas. não há erro de concordância no título do texto. (Unicamp 2009) Calvin é personagem de uma conhecida . simulando estar numa sala de aula em que se discutem textos produzidos por alunos. provocada pela repetição – uma das características da fala.. Nós falamos assim (. O aluno escreveu entre.

. consequentemente. usos linguísticos que não se inserem na variedade padrão são considerados erros gramaticais. até ontem isso aqui era um farol. (UnB) Assinale a opção incorreta acerca dos conceitos de gramática. assinale a opção incorreta. (UnB) Tendo em vista os conceitos de gramática e de erro gramatical. Dê um exemplo de uma diferença sintática entre a tradução do português europeu e a do português brasileiro. A) gramáticas normativas caracterizam-se por apresentar um conjunto sistemático de normas que determinam o falar e o escrever corretamente. a inadequação à variedade padrão e a ocorrência assistemática de um fato linguístico devem ser considerados erros gramaticais. Taqui.Como? . 10.Peraí.tirinha americana traduzida para várias línguas. . B) o conceito de gramática internalizada pressupõe o saber linguístico que o falante de uma língua desenvolve. . NO FAROL . (UFG) Texto de Ricardo Freire para a questão. A primeira tira é uma tradução portuguesa e a segunda. . todo emprego da língua em desacordo com o estabelecido em suas regras é considerado erro linguístico. 8. ó.Bem-vindo ao Esmola’s Drive Thru.Bem-vindo ao Esmola’s Drive Thru. uma tradução brasileira. A) de acordo com a gramática internalizada. Descreva essa diferença. D) de acordo com a gramática descritiva. Com concessão da prefeitura e tudo. Parte da renda é revertida para a Associação Municipal dos Bi-rodais. mas agora é mais uma franquia do Esmola’s Drive Thru. C) gramáticas normativas e descritivas valem-se de critérios estéticos ao estabelecer a estrutura de uma língua. B) de acordo com a gramática normativa. 9.Era. D) gramáticas descritivas estabelecem as estruturas e as regras de uso de uma língua. C) a gramática normativa homogeneíza a língua. todo uso da língua que não tenha ocorrência sistemática em uma de suas variedades é considerado erro.

Era uma guerra de silêncio. trocando entre si aquelas lambadas de coriscos.. Agora. (UFG) Leia o texto: Prinspiava a seca. – É a seca. Observando os recursos linguísticos usados no texto “No sinal”. responda: Por que o emprego de expressões do tipo “Cuma” e “parte da renda é revertida para a Associação Municipal do Birodais” caracteriza o texto como heterogêneo quanto aos níveis de linguagem? 11.. . dorreal para carro nacional do ano. sacumé. abordagem seca.pronto. Grátis. sem estrondo nenhum de ribombo de trovoada. voltei.Pessoal que anda em cadeira de rodas. Por favor.Bi. rápida.Número 3.Número 2. Mas esse não dá mais porque o senhor ficou aí embaçando.Hã? . Bem-vindo ao Esmola’s Drive Thru. Decidiu? .. abordagem infantil com caixa de Mentex à mão – trerreal para carro importado.Peça pelo número. objetiva e fim de papo – 1 real.. Não tá vendo o menu ali no painel ao lado do semáforo? . Visa e Mastercard. [. .. . três Mentex. ou então tudo sortido.. Sei . os bezerros berravam vez por outra e algumas vacas mugiam a-mó-que engasgadas. .. E aí? .rodais? .Vale esmola.. naquele final de março. aguarde que logo será atendido.. abordagem piedosa com criança no colo e uso das palavras “tio” e “tia” – 50 centavos. . O senhor também pode comprar um carnê com 20 números 1.] Nos currais..Eu ajudo. [.Aceita tíquete? . . deixa eu começar a atender o cliente aqui do lado.Enquanto o senhor pensa.Ah.. . 1 real para “outros”. Fica pra próxima.] Ao sair da lua havia tão-só algumas raras nuvens arredondadas na barra do nascente. Número 1.Abriu o sinal.. peça pelo número. com uns trovões assim como que disparados ali pelas três horas da tarde reboando nas bocainas. Politicamente correto.. por favor. Sua parada é muito importante para nós.Sei. Ticket-Farol.

Ignoram que as palavras têm sentido preciso e. Um dia. Eles não sabem que ‘quinhentos’ é palavra masculina. É ler os jornais e ver a TV para perceber. caçando seu jeito de sentar ali na calçada da frente da fazenda.] Eu nasci num lugar chamado São José da Coroa Grande. ali tinha mais gente. [. ao ser perguntado: “Você começou estudando gramática. A animação.. Para isso é preciso ter lido algo”. Me esqueci de tudo e saí andando atrás daquela claridade. É preciso isso para escrever bem?”.’. Confundem ‘este’ com ‘esse’.. quais se combinam. Foi um alvoroço! Todo mundo queria. ‘Esse programa que estão vendo. foi aquela beleza atravessando o céu. antes de ver... naquela sonoite inda com os relâmpagos retremendo o céu rabiscado do vôo cambaleante dos morceguinhos. (LÍNGUA PORTUGUESA..) Considerando-se o trecho transcrito da entrevista de Ferreira Gullar. ano 1. Considere essa afirmativa para responder: Na estruturação de a-mó-que.). Para eles é tudo a mesma coisa. Quando vi. (UFG) Em uma entrevista. as relações entre elas.... de Bernardo Élis. Eu tinha uns oito anos.] .esse menino – dizia pra ninguém e para todos o Zecavaqueiro. n. a gente ouviu dizer que o Zepelim ia passar por lá. saber mais do que outro como era o Zepelim. explique a regra que os falantes utilizam quando dizem “as quinhentas milhões de pessoas”. Gilberto Mendonça (Org. E nem é preciso saber português. São Paulo: Segmento. 13. 12. (PUC-GO -2010/2) LELÉU – Quando eu era pequeno[. (TELES. como convivem. Hoje. [. Tinha lá uma porção de povo e a noite estava tão bonita. sem descontar os bezerros. é preciso saber o significado. como era de conforme se reunir quando o patrão aportava. Ferreira Gullar.] Devia ser no verão. para escrever bem. 2006. 5. que características da oralidade pretende-se representar? Justifique. Os melhores contos de Bernardo Élis) Temática e gênero discursivo são fatores relacionados ao uso de recursos da linguagem oral no conto João Boi. Outro dia ouvi ‘as quinhentas milhões de pessoas’. responde: “Não (com ironia). ao tempo que em derredor se postavam os demais trabalhadores. amóque ensurdecia o gemer do gado por perto.

desqualificam o texto literário. C) constitui-se como um texto não-verbal. (UEPA – 2007) Esta é uma mensagem que se lê. marque a única alternativa correta: A) esse texto não apresenta elementos de gramaticidade. de Curso de linguística geral. p.) Segundo as teorias linguísticas. São Paulo: Planeta. suficiente e bom. pela definição de gramática acima. Lisbela e o Prisioneiro. para o processo interacional. em vidros de pára-brisa de automóveis. De acordo com essa teoria e com o texto acima. . F. aí. caracterizados pelo uso de uma variedade linguística oposta ao uso da norma culta. escrito. sua organização na frase e suas complicações de significação no enunciado. as palavras. o texto se torna inadequado à expressão da cultura brasileira. é pertinente dizer que a gramática está presente como suporte de construção textual. que se manifesta através de números e palavras. porque são representações abstratas desarticulando a proposta enunciativa. Assinale a alternativa correta. Mais stritamente. “Gramática é o estudo de uma língua como sistema de meios de expressão” (SAUSSURE. mas sem qualquer aceitação. da frase e do texto. A) ela não se constitui como texto. Dessa forma. o estudo de traços fônicos e de questões de escrita abarcando a gramática do texto. 14. provocam estranheza. Acrescenta-se. B) observando-se as dimensões da análise linguística na gramática da palavra. B) trata-se de um texto verbal coerente. devido à ambiguidade de sentido. verbos etc. na escrita. 2003. D) não se constitui como texto. pois o jogo arbitrário de números e palavras a transforma num código sem acesso interpretativo. cumprem sua função comunicativa. D) os enunciados. os quais. com frequência.(LINS. C) contextualmente. Osman. é o estudo das palavras. lidos. pois nada significa: há números ao lado de expressões da língua portuguesa sem qualquer relação. A Gramática e suas subdivisões). sem gramática. mas. 57.). com signos lexicais e numéricos. adjetivos. suas formas e conteúdos não resistem a um sistema de classificação (substantivos. pois os enunciados são despretensiosos e o objetivo do autor é comunicar.

altas provas e talz. essa fotin eh um pokito antigs. tarde sussa.. porém agramatical. Lunch entre amigonasss. DE BELCHIOR Se você vier me perguntar por onde andei No tempo em que você sonhava. mas como eu xonei nelaaa to postandu. tu acredita.. (UFG) Leia o texto abaixo: Uma mensagem comum em fotologs. A supressão do pronome “você”. fla seriu!! Ahuahuaha.. PASSEI O DIA E SOH COMI UMA MAÇA E UMA BANAA. ai a gente foi comer arrumadinho (q programão ir pro PP n beber).... 15. Essa semana foi xuper cansativa. pois privilegia uma escrita silábica.. eu me desesperava. =) dps preciso de ajuda nakele post special das p... “Oiieee. B) forma de comunicação grafolinguística que aproxima os interlocutores e apresenta características próprias da dinamicidade da língua.. não acarretaria prejuízo sintático nem semântico no texto..i... retirado do ORKUT.. escrito.. (UnB 2010) FRAGMENTO DE A PALO SECO. que empobrece o uso da língua escrita.. huhu.. C) uso inaceitável de registro que apresenta uma forma ininteligível. Fosse ontem?? bjux!!! O “Scrap” acima. pra qm naum conhece. pois não usa veiculadores de ligação para estabelecer coesão e coerência. td bemmm galera!?! espero q sim. nos dois primeiros versos. revela um(a) A) registro equivocado da norma culta.. esse eh meu cafofo.. lhe direi: — Amigo. tendo em vista o efeito causado à elaboração da sintaxe.’s* . De olhos abertos.. 17. E) ameaça ao uso da língua escrita em virtude do excesso das marcas de oralidade e da presença de registro formal... 16. sem poder nem comer. com sentido. moh lindu..... FUI PRO PP e passei mal de fome... (UEPA-2007) Fala n laminha.. D) indução ao erro.E) trata-se de um texto verbal. nd + a declarar. ontem eu tava em offf geral..

de repente começou a chorar. (UNIFAP) A leitura do texto permite afirmar que: A) o uso incorreto da pontuação acarreta o não entendimento do texto. esperava que lhes servissem o desjejum. D) formas linguísticas que atestam a velocidade das mudanças sofridas pela língua escrita padrão.. apesar de gramatical.. Pode-se dizer a respeito da constituição textual em “Uma mensagem comum em fotologs” que se trata de A) um vocabulário restrito aos jovens.dessa semana gnt!! Hauhauha.’s: piadas internas FOLHA DE S. Pássaros cantavam pulando de galho em galho. E) o texto não apresenta aspectos morfossintáticos fundamentais para a compreensão. Era meia-noite. absorta em seus pensamentos.. São Paulo. é agramatical. cuja composição remete a um único campo semântico. Esta. C) a agramaticalidade do texto implica na sua aceitabilidade. B) texto.. Aguardem!! grd bjooo. C6. D) o texto. Severino Cavalcante) .”. p. “amigonasss” e “gnt”. passava a mão na faca sobre a mesa como se a acariciasse tendo idéias. Enquanto esperava. como se pode observar em expressões do tipo “xonei nelaaa to postandu. E) um padrão de organização segundo normas da língua falada e recursos da escrita. enquanto olhava fixamente a esposa sentada à sua frente.i. Texto para a questão 18. como a segmentação das palavras em “moh lindu. 19. (Ex-dep. como em “galera”. C) um tipo discursivo cuja estruturação recruta elementos de textos mais formais. sentado à mesa de roupão. PAULO. apesar de inteligível. O homem cego. 2005.” * p.. que lia o jornal. é incoerente. (UNIFAP) Eu me fiz por si mesmo.. fla seriu!!”. [.] 18.. pois o telegrama trazia a notícia de que o irmão se enforcara num pé de alface. O sol brilhava. B) sequências de orações sem valor referencial. como se vê na afirmação “nd + a declarar”.. 24 abr. como no caso do diminutivo “fotin”.

além de denotar familiaridade. tem-se uma referência à gramática natural dos falantes da língua. uma língua verbal nova. associada ao que se sabe sobre língua. os publicitários utilizam recursos gramaticais diferentes para possibilitar. referente ao/à: A) morfologia B) sintaxe C) ortografia D) fonética E) léxico A questão 20 refere-se às propagandas abaixo. . Ag. a fim de agilizar a digitação. E) os textos mantêm-se no plano semântico. B) os dois textos usam recursos morfológicos para a construção dos sentidos. ao menos duas leituras. 21. (ITA) Nos anúncios. (Agência Norton) II – Bi Bi – General Motors: duas vezes bicampeã do carro do ano. pode-se dizer que: A) os dois textos recorrem a aspectos sintáticos da língua.C/C076095-1. I – Aproveite o Dia mundial da AIDS e faça um cheque ao portador. Bradesco. Leia o texto abaixo para responder à questão 21. advinda das técnicas de abreviação no internetês. permite a afirmação de que A) há. linguagem e o padrão ditado pela gramática normativa. D) o vocativo “tiu”. na tira. uma vez que. B) no primeiro quadrinho. C) o texto I recorre a domínios fonéticos e semânticos. C) na fala do garoto. Observando os textos e os sentidos pretendidos pelos elaboradores. quando o senhor diz “nosso maravilhoso idioma”. vê-se que o internetês propõe. o senhor não perceberia a afronta à variedade padrão da língua. sem fazer uso de outros recursos linguísticos. (Agência Colucci e Associados) 20. o autor cometeu uma transgressão à variedade padrão da língua. nas falas do garoto. E como se trata de uma conversa no plano da oralidade. A interação verbal presente na tira. D) o texto II faz uso de recurso da fonética e da morfologia. E) existe uma falha conceitual na formulação do humor da tira. se nota que o internetês ocorre no nível gráfico da língua. denota respeito pelo senhor com o qual o garoto conversa. . 093-0.Na construção do texto. soluções linguísticas que atingem também o nível sintático de nossa língua.

ano VIII) O texto destaca a diferença entre o português do Brasil e o de Portugal quanto: A) ao léxico. D) à morfologia. GABARITO 1.B 19. Os falantes fazem a concordância de gênero entre a palavra quinhentas e o termo pessoas e não com milhões. D 3. 11. típico da língua falada. informal (cuma). bem! A vírgula colocada em II tem o seguinte valor.B 15. c 9. em que predomina a naturalidade.E 18. Em classe 8. ao ser comparada com: A) apenas fonológico. O dinamismo e a rapidez da língua falada são revelados na redução da expressão “de modo que”.B. a redução. Porque é construído ora com recurso de linguagem não padrão. B 14. B) à gênero. Por exemplo.E 16. Observe os enunciados: I. Observa-se a supressão. Paletó é casaco. (Não é uma delícia?) (Ruy Castro. Você trabalhou muito bem! II. Esse uso está correlacionado a características sociais (baixa escolaridade). pois. E) à sintaxe 24.a 10. Suéter é camisola – mas não se assuste. homem e linguagem se fundem para compor o universo rural. 13. normativa. C 2. D . C 6. “Cuma” é uma expressão característica da linguagem coloquial. C) à fonologia. Meias são peúgas. D) apenas morfológico B) apenas sintático E) apenas lexical C) semântico e sintático. ora com recursos de linguagem padrão. porque calcinhas femininas são cuecas. 7. no texto.B 20. o apagamento de sílabas e a não-segmentação de palavras.B 17. C 5.(Enem) Leia com atenção o texto: [Em Portugal]. Viaje Bem. enquanto “parte da renda revertida para a Associação Municipal dos Bi-Rodais” é característica da linguagem culta. a espontaneidade da linguagem oral. E 4.23. você poderá ter alguns probleminhas se entrar numa loja de roupa desconhecendo certas sutilezas na língua. Você trabalhou muito. não adianta pedir para ver os ternos – peça pra ver os fatos. 12. formal (“parte da renda revertida para a Associação Municipal dos Bi-Rodais”).

Transformação de fonema vocálico oral em outro fonema vocálico oral: 7.bum! 2. Deslocamento de acento tônico: 5. chiando/ chiando. Todos os pares deverão ser transcritos. 1. bobas. Supressão de fonema: 3. haverá mais de um par. apresentam a mesma relação entre grafia e som que possuem. em alguns itens. D 23. chuvinhas. Identifique o efeito que o autor buscou obter em cada caso e aponte o(s) fonema(s) que mais contribui(em) para criá-lo. João?/ Foguetes. Deslocamento de fonema: 4. D) examinar . A) “Bomba atômica que aterra!/ Pomba atônita da paz! / Pomba tonta.” B) vamos ver que é que sabe/ soltar fogos de S. bomba atômica./ chios. o emprego de certos fonemas cria efeitos sonoros que realçam a expressividade. Acréscimo de fonema: 2. portanto.crises. chuveiros. presentes nas duas palavras.presente. acredita ë credita assim ë ansim haverá ë havéra pântanos ë pantanos rastro ë rasto alemão ë alamão brava ë braba metade ë ametade precisão ë percisão sedutor ë sudutor Transcreva os pares de palavras no espaço em que se descrevem as alterações sonoras ocorridas entre a forma culta e a variante dialetal. respectivamente. Nos trechos de textos a seguir. E 22. chovendo/ chuvas de fogo!/ Chá . C FONOLOGIA 1. Transformação de fonema oral em nasal: 6. A 24. Transformação de fonema consonantal em outro fonema consonantal: 3. . vocábulos do texto? A) exercício . Em qual opção as letras x e s.21. (Ufc) A lista a seguir apresenta pares de palavras nos quais as alterações gráficas indicam as alterações sonoras das respectivas variantes dialetais. em exemplo e universo.

a palavra cálice expressa o sentido de um verbo pronominal. passou a ser olfativo ou auditivo. publicadas no Jornal do Sint-UFG. ( ) Há referência à leitura imprecisa do “código de barras”. Marque a alternativa correta. é possível afirmar que: A) ( ) com a definição “ordem para ficar calado”. (UFG) Leia abaixo as seguintes “definições”. muitas vezes. Karma – expressão mineira para evitar o pânico. letras diferentes podem representar o mesmo som. A) F V V V B) V V F V C) V F V V D) F V F V E) V V V F 5. 4. 6. C) ( ) na língua portuguesa.. Tendo em vista as observações anteriores. muito comum no uso da linguagem coloquial.B) existência . Analise as proposições e coloque V para as verdadeiras e F para as falsas. B) ( ) as definições das palavras esfera e exótico indicam.. como c e s em cálice e cale-se ou s e x em esfera e ex-fera. ( ) A expressão “HMMM.considerados. C) luxo . foi usada no sentido de nomear um objeto estranho para a personagem. da quebra de expectativa do interlocutor com relação a quaisquer elementos e/ou níveis de linguagem. Cálice – ordem para ficar calado. a idéia de um estado anterior. Sabe-se que o humor deriva. .sapo. E) sexuais . utilizado na forma imperativa. nesse contexto. Explique o que se procura sugerir com a divisão silábica das palavras em cada item a seguir. Exótico – algo que deixou de ser ótico. provocando um efeito de humor.brasileiro. generalizando a troca do l pelo r. (UEPB 2011/1) Na charge acima: ( ) A palavra “bicha”. ( ) Apresenta-se uma interação verbal conflituosa em consequência da ausência de envolvimento com as múltiplas práticas de leituras. D) ( ) a definição de karma demonstra estigmatização quanto ao falar do povo mineiro. Esfera – animal feroz amansado.” é um recurso de linguagem utilizado para repetir um mesmo som consonantal.

A repetição das palavras e da pontuação busca representar a intensificação do grito. O CASO “Recebi do Klube de Ortografia Fonétika uma cartinha . Assinale se: A) todas estiverem corretas. B) apenas I e III estiverem corretas. A repetição de uma letra sugere o modo como a palavra é pronunciada. Conto a vocês uma conversa que tive com um índio muito inteligente – o cacique Juruna. por dentro pão bolorento” com a seguinte mensagem publicitária de um empreendimento imobiliário: Por fora as mais belas árvores. Eu quis explicar como é que se fabrica papel com madeira esmagada. 9‘. III. (FUVEST) Compare o provérbio “Por fora bela viola. (Mackenzie-SP adaptada) Considere as seguintes afirmações sobre as formas Gooool! Gooool! Para responder à questão abaixo. D) redução de um ditongo aberto a uma vogal aberta. (Uepa-SP) “. B) supressão de uma vogal final.. {papéw] e [papé] respectivamente. O alongamento da vogal constitui uma tentativa de representar a entoação descendente do grito. Ele me perguntou um dia quem inventou o “papé”.. D) apenas I e II estiverem corretas. C) supressão de uma consoante final. Por dentro a melhor planta Os recursos sonoros utilizados no provérbio mantêm-se na mensagem publicitária? Justifique sua resposta. E) redução de um ditongo aberto a uma vogal fechada Leia o texto abaixo para responder à questão 10. 8. I. II. C) apenas II e III estiverem corretas. observa-se que a variante fonológica caracteriza-se pela: A) substituição de um fonema consonantal por um fonema vocálico. E) nenhuma estiver correta. Esse que levado na mão de um homem o torna dono de terras que nunca viu e onde um povo viveu há séculos” (Darcy Ribeiro) Comparando a pronúncia predominante da palavra papel com a do cacique Juruna. Juruna reclamou que queria saber é do ‘papé’ verdadeiro.A) B) 7.

As kriansas estão aprendendo kon muito mais fasilidade e dá gosto ver komo elas eskrevem bem komo gente grande. O certo seria: pepino. Gostaria de saber a opinião de meus leitores a respeito desta proposta. pois tenho algumas dúvidas: 1º ) Será que o brasileiro escreve mal por culpa das atuais regras de ortografia? 2º ) Será que a ortografia fonética realmente facilitaria o ensino da Língua Portuguesa? 3º ) Será que o alto índice de analfabetismo é consequência das regras gramaticais da Língua Portuguesa? 4º ) Se a regra é ‘escrever como se fala’ como ficariam as vogais? 5º ) Um desafio especial para os defensores da ortografia fonética. Isto. fasilita bastante a aprendizajen. 10. e) pépinu. Assinale a única alternativa ERRADA acerca das idéias explícitas e implícitas do texto acima. B) Sérgio Nogueira Duarte faz uma crítica ao sistema ortográfico baseado na fonética e propõe um desafio aos defensores da ortografia fonétika: a grafia da palavra “pepino”. DUARTE. d) pipinu. Modernamente pasou-se a eskrever tal komo se fala e vise-versa. numa verdadeira polítika de boa vizinhansa. Aguardo respostas”. cuja regra básica é kada letra só tem um son. com a Proposta de Ortografia Fonêmika. transcrevo a seguir um trecho da Krônica: vantajens da ortografia fonétika: A gente agora não konfunde o ‘G’(ge) kon o ‘J’ (jê). Língua viva III – Uma análise simples e bemhumorada da linguagem do brasileiro.. pois no Brasil se devem a fatores socioeconômicos. A) apontar as regras gramaticais da língua portuguesa como a causa do alto índice de analfabetismo no país não é pertinente. percebe-se que os idealizadores do sistema da Ortografia Fonétika não levam em consideração as . [. Sérgio Nogueira. os índises de analfabetistmo tem kaído verticalmente. Para análise de meus leitores. sem ezajero. não invadindo umas o terreno das outras. C) ao ler o texto. b) pepinu.] A agora maior respeito entre as letras.muito interessante. A konsekuência natural disto.. e vise-versa. c) pipino.

percisão. b 4. b) Reproduz a maneira carinhosa. B) a inconsistência da explicação da professora.: alemão . 7. b) Barulhos de fogos de artifício. /é/ e /a/. ocorre a repetição do fonema consonantal / ℓ / e dos fonemas vocálicos / o / e / e /. 6.rasto.variantes de pronúncia das vogais (abertas. aproximação rímica. sedutor . /ã/. No provérbio. /i/. Sérgio Nogueira mostra que diferenças socioculturais e geográficas interferem na língua falada. b 9. a quem vai começar a aprender a bordar. GABARITO 1. . 3.credita. b 5. portanto. /e/. E) a importância da dúvida e do questionamento na aprendizagem. pântanos . Esses recursos sonoros não aparecem no texto publicitário.: brava braba.: haverá .ametade.ansim. O que propõem é “escrever como se fala” apenas os fonemas consonantais. afetiva. 4. 3: precisão . 5. D) o grau limitado da inteligência dos dois alunos. um acento pode mudar o sentido de uma palavra e alterar a compreensão de . a) O barulho da explosão de uma bomba. fechadas ou nasais). dadas as diferenças de pronúncia que ela pode ter. a ACENTUAÇÃO GRÁFICA 1. /ŭ / 2.havéra. Criam esse efeito sonoro a aliteração /p/b/t/ e a assonância (alternância entre o som fechado/nasal /õ/ e os abertos /i/. aos poucos. C C C C 6. Se usado inadequadamente. por etapas. e que se destina. E) nota-se que Sérgio Nogueira aprova o alfabeto fonético e concorda com ele. em que mais de uma letra pode representar um único som. /ě/. 8.alamão.sudutor. Não. d 10.pantanos. 2: acredita . C) os limites do método utilizado pela professora.: assim . 1: metade . 7. rastro . e 11. (UFGD 2011)O uso da acentuação é um recurso linguístico normalizado por regras. 11. (UEG) A leitura da tira permite perceber: A) a complexidade do processo de alfabetização. a) Sugere que o aprendizado se fará vagarosamente. além da simetria rítmica das duas partes. D) Aao apresentar cinco possibilidades de se escrever a palavra “pepino”. que às vezes os adultos usam para falar com crianças pequenas. Criam o efeito o fonema /x/ e alternância dos fonemas vocálicos /õ/./u/.

B) própria de origem indígena. C) a palavra Etiópia é acentuada porque é paroxítona terminada em ditongo. tônico. Leia para a questão 2 SÓ OS CAGADOS TÊM NOÇÃO EXATA DE COMO É IMPORTANTE ACENTUAR AS PALAVRAS CORRETAMENTE. uma admite duas formas de justificar o acento gráfico: A) combustível B) está C) três D) países E) veículo 7. A) a palavra miopia deveria ser acentuada porque é derivada de míope. E) oxítona terminada em ditongo aú. D) paroxítona terminada em ditongo. 2. B) os europeus estão engajados na luta contra a miopia dos famintos da Etiópia. D) a Europa está cega para o problema da fome na Etiópia. 5. C) oxítona terminada em hiato u. A presença do acento na palavra ANHANGABAÚ demonstra que é uma palavra: A) oxítona terminada em u. C) a fome na Etiópia e a miopia na Europa são os dois problemas do mundo. a discussão girou em torno . A) os etíopes que morrem de fome não enxergam a Europa. Qual dentre as palavras abaixo deve ser necessariamente acentuada: A) ai B) pais C) doida D) sauva E) saia Leia a charge para as questões 4 e 5. 6. A acentuação é o recurso da escrita que permite reconhecer o tom humorístico da frase. B) a palavra Etiópia é acentuada porque tem um hiato. um jovem deparou com a dúvida: Como pronunciar a palavra PAPALIA? Levado o problema à sala de aula. é correto afirmar que texto. Explique. tônico. Das palavras abaixo. (Enem) Diante da visão de um prédio com uma placa indicando SAPATARIA PAPALIA.uma informação no texto. (IFRN) Sobre a grafia das palavras Etiópia e miopia. 3. D) a palavra miopia não é acentuada porque é paroxítona terminada em ditongo. 4. (IFRN) Assinale a opção que melhor expressa a idéia contida no texto.

Em uma das alternativas. o acento deve permanecer em pelo menos um dos vocábulos. C) para não te perderes. no entanto. D) europeia e hebreia B) apoio e espermatozoide. três alunos apresentaram as seguintes conclusões a respeito da palavra PAPALIA I. II. regras de acentuação e escrita. E) heroico e herois. B) ao vir para Curitiba. os acentos de todas as palavras. D) I e II estão corretas B) II está correta. III. pois a palavra seria paroxítona terminada em ditongo crescente. qual das construções abaixo poderá a partir da utilização do Acordo Ortográfico gerar ambiguidade pela ausência do acento diferencial? A) esse jovem não para de falar. D) manchete de jornal: “Mais um congestionamento para Curitiba”. Para efeito deste exercício foram retirados. somente: A) I está correta. deixei para trás bons e velhos amigos. tórax B) hífen.da utilidade de conhecer as regras de acentuação e. Em razão disso. do auxílio que elas podem dar à correta pronúncia de palavras. E) para agradar-nos. pois não haveria razão para o uso de acento gráfico. 9. Após discutirem pronúncia. a escrita deveria ser PAPALIA. C) joia e jiboia. inverossímil. A) alguém. ela não para de elogiar-nos. Das três conclusões apresentadas. Se a sílaba tônica for LI. para o carro no posto e pede ao frentista para ajudar-te. Se a sílaba tônica for o segundo PA. Se a sílaba tônica for LI. E) I e III estão corretas C) III está correta. a escrita deveria ser PAPALÍA. especialmente. A) panaceia e Coreia. O Acordo Ortográfico (Decreto 6583/2008) fez desaparecer o acento gráfico nos ditongos de timbre EI e OI da sílaba tônica de palavras paroxítonas. Assinale essa alternativa. incrível e caráter. ninguém. 10. a escrita deveria ser PAPÁLIA. propositadamente. O Acordo Ortográfico – Decreto nº 6583/2008 – aboliu o acento que distinguia a forma verbal “pára” (presente do indicativo e imperativo afirmativo) da preposição “para”. pois “i” e “a” estariam formando hiato. possível . 8. Assinale o item em que todas as palavras são acentuadas pela mesma regra de: também.

tranquila 14. éter D) há. Itaguaí. magnólias. análises D) porém. bisavo. Itaguaí. anéis. Das alternativas abaixo.ágeis . São acentuadas graficamente pela mesma razão as palavras da opção: A) há .apólogo . tranqüila E) pôr. álcool B) já. Assinale a alternativa correta A) não se deve colocar acento circunflexo em palavra como avo. Itaguaí. aquela em que as demais não se acentuam com base na mesma regra da palavra entre aspas é: .C) têm. só C) também. crítico E) pólen. detêm. tranquila B) por. cocaína 13. impossível. tranqila C) por.você C) está . Itaguai. Assinale a opção em que as palavras. A) problemáticos. estejam agrupadas pelo mesmo motivo gramatical. linguiça.até . B) não se deve colocar trema em palavras como tranquilo. Marque item em que necessariamente o vocábulo deve receber acento gráfico: A) historia B) ciume C) amem D) numero E) ate 15. último. E) emprega-se hífen apenas em palavras estrangeiras.até . porque há palavras homógrafas com pronúncia aberta. fácil. tranquila D) pôr.você D) ordinário . vovozinho D) o emprego do trema é facultativo.insuportável E) mágoa . "À luz de seu magnífico ______ -de-sol ______ parece uma cidade ______ . 12. sequência C) deve-se colocar acento em palavras derivadas como avozinho. nós 11. Itaguai. quanto à acentuação gráfica. experiência E) país. A) por.ícone – número 16.atrás B) história . até. atribuíram.

e 10.d 14. por isso. 3. acentuada.b 15. e 8. e 12. c 16. E evidentemente nenhum cágado quer ser chamado de cagado.súbito / álcool D) "matéria" . d 6. d .glória / papéis E) "daí" . a 11. de sentido desagradável. e 13. Esquecer o acento gera outra palavra da língua.anunciá-lo / paletós B) "desejável" . e 7. CÁGADO é uma proparoxítona e.viúva / sanduíche GABARITO 1.c 2. d 9.A) "holandês" . d 4. por isso o acento é fundamental.açúcar / hífen C) "público" . c 5.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful