You are on page 1of 10

FICHA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

DOCENTE DOS 1º, 2º E 3º CICLOS E DO ENSINO SECUNDÁRIO


AUTO-AVALIAÇÃO

1 – Como avalia o cumprimento do serviço lectivo e dos seus objectivos


individuais estabelecidos neste âmbito?
No início do ano lectivo, a nível da componente lectiva foram-me
atribuídas X turmas, num total de X alunos. A nível da componente não
lectiva/horas supervenientes, foram-me atribuídas X horas na
Biblioteca/Ludoteca/Apoio Pedagógico Acrescido/Desporto Escolar/...
Fui assíduo/a, tendo cumprido integralmente o serviço que me foi
distribuído.

2 – Como avalia o seu trabalho no âmbito da preparação e organização das actividades


lectivas? Identifique sumariamente os recursos e instrumentos utilizados e os
respectivos objectivos.
Preparei e organizei as actividades lectivas, elaborando as planificações,
quer com o meu grupo disciplinar, em Departamento, quer
individualmente, de acordo com a realidade sócio-cultural das minhas
turmas.
Recursos: quadro, manual, retroprojector, quadro interactivo, materiais
autênticos (no caso das Línguas), pesquisa informática, de enciclopédias,
de dicionários, leitor de CD...
Instrumentos: Fichas diagnóstico, fichas informativas e formativas..., todo
o tipo de materiais facilitadores e potenciadores da aprendizagem para os
alunos e que me foram permitindo uma melhor adequação da minha
prática lectiva, no tratamento e explicitação dos conteúdos.

3 – Como avalia a concretização das actividades lectivas e o cumprimento dos


objectivos de aprendizagem dos seus alunos? Identifique as principais dificuldades e as
estratégias que usou para as superar.
As estratégias levadas a cabo, a fim de que eu cumprisse os meus objectivos
e que se prenderam com o desenvolvimento das competências necessárias
dos meus alunos, foram diversificadas, ao longo do ano lectivo. Estas
centraram-se na promoção do papel activo dos alunos, a fim de que eles
sentissem a sua co-responsabilidade na construção do seu processo de
aprendizagem, tendo valorizado muito a organização e método de
trabalho. Como já referi no ponto 2, fui atento/a às necessidades dos meus
alunos, tendo utilizado diferentes recursos e instrumentos facilitadores e
motivadores da aprendizagem. Também solicitei aulas de Apoio
Pedagógico Acrescido (os serviços SPO...), para os alunos que
apresentaram mais dificuldades e tentei que os alunos se mobilizassem
para a participação nas actividades levadas a cabo pela escola.

4 – Como avalia a relação pedagógica que estabeleceu com os seus alunos e o


conhecimento que tem de cada um deles?
Tentei sempre estabelecer uma relação pedagógica baseada no princípio de
aprender a aprender, na reciprocidade de responsabilidades, a fim de que
os alunos gostassem de estar na escola a trabalhar. Fui, também,
estabelecendo sempre uma articulação estreita com as regras a cumprir, a
fim de que os alunos as interiorizassem e as aplicassem, exercendo, desta
forma, a cidadania, utilizando o princípio de aprender a viver com os
outros.

5 – Como avalia o apoio que prestou à aprendizagem dos seus alunos?


O apoio prestado aos alunos foi muito positivo, tendo em conta que todos
os recursos e instrumentos utilizados permitiram a diversificação de
estratégias que visavam o sucesso. Também prestei um apoio mais
individualizado sempre que necessário. A nível da relação escola/família,
tentei envolver os Encarregados de Educação, informando-os ou
solicitando o seu apoio, através da caderneta escolar, sempre que as
atitudes dos alunos o justificavam.

6 – Como avalia o trabalho que realizou no âmbito da avaliação das aprendizagens dos
alunos? Identifique sumariamente os instrumentos que utilizou para essa avaliação e os
respectivos objectivos.
Tive como referência quer os Critérios Gerais de Avaliação do
Agrupamento, quer os Critérios de Avaliação definidos pelo meu
Departamento. Assim, procedi à avaliação diagnóstica, formativa e
contínua, à medida que ia trabalhando os diferentes conteúdos e à
avaliação sumativa, no final de cada período. Os instrumentos utilizados
foram os referidos no ponto 2, tendo valorizado a organização e métodos
de trabalho, com especial relevo para o caderno diário.

7 – Identifique a evolução dos resultados escolares dos seus alunos. Avalie o seu
contributo para a sua melhoria e o cumprimento dos objectivos individuais
estabelecidos neste âmbito.
No início do ano lectivo, a turma X apresentava X Planos de
Acompanhamento e X alunos com dificuldades na minha disciplina.
Através das estratégias levadas a cabo, X alunos conseguiram recuperar e
desenvolver as competências necessárias para o seu nível de ensino.
Contudo, X alunos não conseguiram desenvolver as competências
necessárias, apesar de todos os esforços que desenvolvi e que se
encontram registados em actas de Conselho de Turma e de Departamento,
ao longo do ano lectivo.
- Provas de Aferição
- Exames Nacionais
Os resultados obtidos pelos alunos na avaliação externa foram ao encontro
da interna que realizei ao longo do ano lectivo... ou não.

8 – Como avalia a sua participação e o seu contributo para a definição e concretização


de estratégias para a prevenção e redução do abandono escolar e o cumprimento dos
seus objectivos individuais estabelecidos neste âmbito? Na sua apreciação identifique
sumariamente as acções e iniciativas que desenvolveu.
Para a prevenção e redução do abandono escolar, por um lado, informei de
imediato as ausências sistemáticas de determinado(s) aluno(s) às
entidades competentes. A saber: Director/a de Turma e Encarregados de
Educação, através da caderneta escolar do aluno. Por outro lado, tentei
dialogar com os alunos, sempre que surgia a oportunidade, sobre a
importância da escola nas suas vidas, a fim de que eles desenvolvam as
suas expectativas face à mesma.

9 – Como avalia o seu contributo para a vida da escola e em particular a sua


participação nos projectos e actividades previstos ao nível da escola/agrupamento e da
turma (designadamente, no 1º ciclo, na supervisão das actividades de enriquecimento
curricular)? Identifique as actividades que dinamizou e/ou em que participou.
A nível das actividades levadas a cabo nesta escola, trabalhei com os meus
alunos, levando-os a participarem nelas activamente. Também colaborei
com os meus colegas espontaneamente e/ou quando solicitado/a, quer na
planificação quer na sua realização.
Dinamizei...
Participei...

10 – Como avalia a sua participação nas estruturas de orientação educativa e nos


órgãos de gestão e o contributo que deu para o seu funcionamento?
Estruturas de orientação educativa: Conselhos de Turma
Órgãos de Gestão (intermédia): Departamentos
Em Departamento, participo sempre na discussão inerente às nossas
práticas lectivas (planificações, Critérios de Avaliação, definição de
estratégias...), bem como na planificação de actividades.
Nos Conselhos de Turma, informo-me e partilho o conhecimento que
detenho dos alunos, colaboro na definição de estratégias conjuntas que
consigam ajudar os alunos a colmatar as suas dificuldades e a atingirem o
sucesso.
Em suma, colaboro com os demais professores, procurando que a escola
seja uma instituição viva e actuante, que permita aos alunos o exercício
pleno da cidadania, visto a escola ser também um tempo de vida.
Director/a de Turma: recolha de informação detalhada sobre o meio socio-
económico dos alunos e partilha da mesma com os professores da turma;
acompanhamento dos alunos quer quanto à sua evolução na
aprendizagem, quer quanto ao comportamento; uma relação de
proximidade com os Encarregados de Educação, procurando um
envolvimento cada vez maior por parte destes; disponibilidade para a
resolução de problemas inerentes ao dia-a-dia escolar dos alunos.

11 – Como avalia o estado de actualização dos seus conhecimentos científicos e


pedagógicos e a sua capacidade de utilização das Tecnologias de Informação e
Comunicação?
No que respeita aos meus conhecimentos científicos e pedagógicos,
procuro manter-me em permanente actualização, que julgo ser
conseguida, uma vez que, por um lado, a discussão existente com os nossos
pares, como já foi referido em parâmetros anteriores, nos permite essa
constante actualização. Por outro lado, a formação contínua que vou
frequentando, sempre que a mesma é possível e as pesquisas através da
Internet (uma ferramenta indispensável a qualquer profissional),
permitem-me estar sempre actualizado/a.
Quanto às Tecnologias de Informação e Comunicação, procuro manter-me
também actualizado/a.

Nota: Neste parâmetro poderão ser referidas outra licenciatura, outras


habilitações…, uma vez que no parâmetro a seguir, apenas se refere à formação
contínua creditada.

12 – Refira as acções de formação contínua realizadas e a classificação nelas obtida e


avalie o contributo de cada uma delas para o seu desempenho profissional.
Desde 2005, realizei X acções de formação: _____, _____, ______... com
a classificação, respectivamente, de ___, ___, ___... Estas acções
contribuíram para o meu desempenho profissional porque estavam
directamente ligadas com a minha área específica ...
Ou
Nestes últimos anos, não frequentei nenhuma acção de formação porque
não esteve nenhuma disponível nos Centros de Formação mais próximos
ou o centro estava desactivado...

Nota: a formação contínua conta para valorizar, desde que assegurada e gratuita.
Mas não penaliza a quem não tiver frequentado. E só transita 1 crédito, de 2005 a
2007, para quem progride (Decreto Regulamentar n.º 2/2008, de 10 de Janeiro,
artigo 33º, ponto 5).

13 – Identifique sumariamente as suas necessidades de formação e de desenvolvimento


profissional.
As minhas necessidades de formação estão nas seguintes áreas:
- TIC (power-point; moodle; Quadros Interactivos; excell…)
- Identificação de Dificuldades de Aprendizagem
- Identificação de Necessidades Educativas Especiais
- Indisciplina e violência na sala de aula
- Avaliação do rendimento escolar
[...]

14 – Como avalia a relação que estabeleceu com a comunidade e o cumprimento dos


seus objectivos individuais definidos neste âmbito?
Ao longo do ano lectivo, estabeleci uma relação de respeito com todos os
elementos da comunidade, participando de forma activa e empenhada na
vida da escola.
Nota:
Os instrumentos de avaliação (de registo) não foram definidos em Conselho Pedagógico e os
objectivos, para a elaboração dos objectivos individuais, constam do Projecto Educativo, que
ainda está em revisão, dado que o processo de avaliação do desempenho docente não foi
despoletado, como pressupõe o Decreto Regulamentar n.º 2/2008.
Assim, o/a docente só se refere aos objectivos (específicos e gerais) que norteiam o seu
desempenho profissional, no que respeita ao desenvolvimento das competências necessárias dos
seus alunos, como fazia até ao passado ano lectivo, no Relatório Crítico.
Este “modelo de simplificação” decorre do “Entendimento” entre a Plataforma Sindical e o ME e
a legislação que lhe está agora subjacente é o Decreto Regulamentar n.º 11/2008, de 23 de Maio.

______________________________________________________________________

Nome do avaliado – PROFESSOR …


Categoria - Titular do seu nariz

Categoria - Titular do seu nariz

Departamento Curricular - Língua Portuguesa e Literaturas

1. Como avalia o cumprimento do serviço lectivo e dos seus


objectivos individuais estabelecidos neste âmbito?

Avalio com um EXCELENTE. Cá vou vindo todos os dias, como faço há quatro
décadas… com a pasta recheada de manuais, livros, dicionários, prontuários,
gramáticas, fichas, cadernos, lápis e canetas, uma pen de 4 GB e caneta
felpuda para o quadro branco que há nos contentores. Trago a lancheira, uns
maços de tabaco, PROZAC e, às vezes, o PC portátil. E trago uns óculos para
ver perto (para longe não uso, apesar das cataratas, sou vaidosa…), trago
sempre a cabeça entre as orelhas, mãos, braços, pernas e tudo o mais que
me faz falta neste domínio. Excelente. Excelente.

Cá vou vindo todos os dias, como faço há quatro décadas… com a pasta recheada de
manuais, livros, dicionários, prontuários, gramáticas, fichas, cadernos, lápis e canetas,
uma pen de 4 GB e caneta felpuda para o quadro branco que há nos contentores.
Trago a lancheira, uns maços de tabaco, PROZAC e, às vezes, o PC portátil. E trago
uns óculos para ver perto (para longe não uso, apesar das cataratas, sou
vaidosa…), trago sempre a cabeça entre as orelhas, mãos, braços, pernas e
tudo o mais que me faz falta neste domínio. Excelente. Excelente.
2. Como avalia o seu trabalho no âmbito da preparação e
organização das actividades lectivas? Identifique sumariamente os
recursos e instrumentos utilizados e os respectivos objectivos.

Avalio com um excelente. Utilizo todos os recursos supracitados com


grande mestria, inclusive as TIC, PPS, PPT, PDFs, Scribd, Word, Excel,
Moodle, blogues, data-show, Dvds, Cds de todos os tamanhos e Bics de
todas as cores. Só me falta usar mais o quadro interactivo e comprar um
Migalhões para guardar o lanche que trago de casa, pois ainda não sou de
ferro e na minha idade preciso alimentar-me de forma mais saudável do que
engolir cafés em todos os intervalos.

3. Como avalia a concretização das actividades lectivas e o


cumprimento dos objectivos de aprendizagem dos seus alunos?
Identifique as principais dificuldades e as estratégias que usou para
as superar.

As actividades lectivas concretizam-se de modo excelente. Entramos e


saímos vivos e contentes, apesar da falta de espaço, das obras, da poeira,
das salas de aula em contentores, da falta de ar circulante, do amianto em
cima das cabeças. E segue o baile. Dos objectivos de aprendizagem dos
meus alunos, pois eles que falem! Às vezes doem-me as "cruzes" pois já me
custa carregar com a tralha toda já referida, mas os alunos, por enquanto,
vão ajudando. Excelente.

Dos objectivos de aprendizagem dos meus alunos, pois eles que falem! Às vezes doem-
me as "cruzes" pois já me custa carregar com a tralha toda já referida, mas os alunos,
por enquanto, vão ajudando. Excelente.

4. Como avalia a relação pedagógica que estabeleceu com os seus


alunos e o conhecimento que tem de cada um deles?

Excelente. Apesar de me terem trocado as voltas, de me terem tirado


turmas e alunos de continuidade e de me terem dado sessenta e dois novos
(ôps… será que foi uma homenagem à minha idade?), para lá dos que já
tinha, conhecemo-nos excelentemente. E, quanto à nossa relação, os
meus alunos riem-se, muito mais do que choram, à minha beira. E estou
certa de que aprendem comigo - ainda há dias, no intervalo, a fumar
fora de portas os meus cigarros, uma aluna de doze anos correu para o
meu lado e puxou ela também de um cigarro para me acompanhar no
gesto. Até esta aprendizagem definida pela ASAE é integralmente
cumprida. para lá dos que já tinha, conhecemo-nos excelentemente. E,
quanto à nossa relação, os meus alunos riem-se, muito mais do que choram, à
minha beira. E estou certa de que aprendem comigo - ainda há dias, no
intervalo, a fumar fora de portas os meus cigarros, uma aluna de doze anos
correu para o meu lado e puxou ela também de um cigarro para me
acompanhar no gesto. Até esta aprendizagem definida pela ASAE é
integralmente cumprida.

(ôps… será que foi uma homenagem à minha idade?), para lá dos que já
tinha, conhecemo-nos excelentemente. E, quanto à nossa relação, os
meus alunos riem-se, muito mais do que choram, à minha beira. E estou
certa de que aprendem comigo - ainda há dias, no intervalo, a fumar
fora de portas os meus cigarros, uma aluna de doze anos correu para o
meu lado e puxou ela também de um cigarro para me acompanhar no
gesto. Até esta aprendizagem definida pela ASAE é integralmente
cumprida. para lá dos que já tinha, conhecemo-nos excelentemente. E, quanto à nossa
relação, os meus alunos riem-se, muito mais do que choram, à minha beira. E estou
certa de que aprendem comigo - ainda há dias, no intervalo, a fumar fora de portas os
meus cigarros, uma aluna de doze anos correu para o meu lado e puxou ela também de
um cigarro para me acompanhar no gesto. Até esta aprendizagem definida pela ASAE é
integralmente cumprida.

5. Como avalia o apoio que prestou à aprendizagem dos seus alunos?

Excelente, também. E vou tendo sempre clientes nas aulas de reforço,


apoio, substituições, salas de estudo... até no jardim em frente à escola a
avaliar com os alunos os galhos das árvores que podem aguentar que se
trepe, apoiando-os no exercício, ou a tentar apoiar e compreender a
linguagem utilizada pelos jovens casais de alunos, sob as mesmas árvores, a
exercitar experiências de natureza físico-química aprendidas nas aulas
práticas …

6. Como avalia o trabalho que realizou no âmbito da avaliação das


aprendizagens dos alunos? Identifique sumariamente os
instrumentos que utilizou para essa avaliação e os respectivos
objectivos.

Excelente. Estou sempre de olho neles e de ouvido alerta, memória de


elefante e caderno mágico para anotações. Consegui preencher todas as
grelhas das turmas do ensino regular e recorrente, conforme a legislação
específica que muda a cada semana e que já tenho decorada, preenchi
cuidadosamente o PIAV das oito turmas com todas as cruzes e
percentagens, os cronogramas e as configurações da avaliação de todas
as turmas, produzi planificações, relatórios disto e daquilo, consegui fazer
todos os diagnósticos, reflexões e análises do APA, dos NEE, dos AOPES,
do PEE, do PAA, de todos os PCP (planos curriculares de turma), do PQP
(isto não sei bem o que é, mas preenchi…) conforme descrito nas actas de
todos os Conselhos de Turma e reuniões de Departamento, Grupos,
Minigrupos, etc. E, mais difícil ainda, consegui distribuí-los por níveis, só
quatros e cincos no básico, assim como nas turmas do secundário, dezoitos e
dezanoves pois o vinte é pra mim, que o mereço por ter contribuído com
eficácia para as estatísticas ministeriais referentes ao sucesso educativo.
Excelente.

PIAV das oito turmas com todas as cruzes e percentagens, os


cronogramas e as configurações da avaliação de todas as turmas,
produzi planificações, relatórios disto e daquilo, consegui fazer todos os
diagnósticos, reflexões e análises do APA, dos NEE, dos AOPES, do PEE, do
PAA, de todos os PCP (planos curriculares de turma), do PQP (isto não sei
bem o que é, mas preenchi…) conforme descrito nas actas de todos os
Conselhos de Turma e reuniões de Departamento, Grupos, Minigrupos, etc.
E, mais difícil ainda, consegui distribuí-los por níveis, só quatros e cincos no
básico, assim como nas turmas do secundário, dezoitos e dezanoves pois o
vinte é pra mim, que o mereço por ter contribuído com eficácia para as
estatísticas ministeriais referentes ao sucesso educativo. Excelente.

7. Identifique a evolução dos resultados escolares dos seus alunos.


Avalie o seu contributo para a sua melhoria e o cumprimento dos
objectivos individuais estabelecidos neste âmbito.

Excelente. Este ponto descreverei detalhadamente apenas no final do


ano, mas atendendo a que esta escola não costuma ficar bem colocada
nos rankings, posso contribuir para essa melhoria e ir dizendo
antecipadamente, com alguma alegria, que a maior parte dos alunos do
11º e 12º anos já consegue ler, e quase todos já escrevem frases
utilizando a letra maiúscula no início, apesar das enormes dificuldades
com a pontuação e a troca dos B pelo V e bice-bersa.

Apesar de nunca lerem as obras obrigatórias, é notável a ampliação


vocabular que revelam devido aos hábitos de aprendizagem adquiridos
através dos "Morangos com Açúcar", obra-prima que pode servir como
exemplo de prática inovadora e motivadora, ao invés da leitura de "Os
Lusíadas" ou do "Memorial do Convento", obras impostas pelo M.E. e
que são a verdadeira causa dos maus resultados desta escola nos
exames. Caso esse factor seja objecto de alteração pelo M.E., posso
afirmar desde já que os resultados serão excelentes, assim como eu.
Excelente.
Apesar de nunca lerem as obras obrigatórias, é notável a ampliação
vocabular que revelam devido aos hábitos de aprendizagem
adquiridos através dos "Morangos com Açúcar", obra-prima que
pode servir como exemplo de prática inovadora e motivadora, ao
invés da leitura de "Os Lusíadas" ou do "Memorial do Convento",
obras impostas pelo M.E. e que são a verdadeira causa dos maus
resultados desta escola nos exames. Caso esse factor seja objecto de
alteração pelo M.E., posso afirmar desde já que os resultados serão
excelentes, assim como eu. Excelente.

Excelente. Este ponto descreverei detalhadamente apenas no final do


ano, mas atendendo a que esta escola não costuma ficar bem colocada
nos rankings, posso contribuir para essa melhoria e ir dizendo
antecipadamente, com alguma alegria, que a maior parte dos alunos do
11º e 12º anos já consegue ler, e quase todos já escrevem frases
utilizando a letra maiúscula no início, apesar das enormes dificuldades
com a pontuação e a troca dos B pelo V e bice-bersa.

Apesar de nunca lerem as obras obrigatórias, é notável a ampliação


vocabular que revelam devido aos hábitos de aprendizagem adquiridos
através dos "Morangos com Açúcar", obra-prima que pode servir como
exemplo de prática inovadora e motivadora, ao invés da leitura de "Os
Lusíadas" ou do "Memorial do Convento", obras impostas pelo M.E. e
que são a verdadeira causa dos maus resultados desta escola nos
exames. Caso esse factor seja objecto de alteração pelo M.E., posso
afirmar desde já que os resultados serão excelentes, assim como eu.
Excelente.

Apesar de nunca lerem as obras obrigatórias, é notável a ampliação


vocabular que revelam devido aos hábitos de aprendizagem
adquiridos através dos "Morangos com Açúcar", obra-prima que
pode servir como exemplo de prática inovadora e motivadora, ao
invés da leitura de "Os Lusíadas" ou do "Memorial do Convento",
obras impostas pelo M.E. e que são a verdadeira causa dos maus
resultados desta escola nos exames. Caso esse factor seja objecto de
alteração pelo M.E., posso afirmar desde já que os resultados serão
excelentes, assim como eu. Excelente.