O IMPACTO DA GLOBALIZAÇÃO E DA TECNOLOGIA NO CONSUMO DE MÚSICA

RESUMO: Este artigo visa demonstrar que o processo de globalização alterou a forma como consumimos música, não no aspecto mercadológico e comercial, mas no sentido de apreciação da música.

PALAVRAS-CHAVE: globalização, música, consumo, tecnologia.

1. INTRODUÇÃO

A globalização, associada à tecnologia e ao advento das novas mídias, possibilitou que os produtos artísticos fossem acessados por um maior número de pessoas. Assim, tendo como certo que a globalização permitiu a expansão de bens culturais é possível dizer que uma das consequências foi a alteração da forma como consumimos música? Para responder a esta pergunta, foi usada a referência teórica do escritor Chris Anderson e sua obra “A Cauda Longa”. O autor reflete, entre outros assuntos, sobre como as pessoas ouvem música, tendo uma infinidade de opções de estilos musicais e artistas das mais variadas regiões do mundo; além de existir várias formas de consumir música, como a distribuição gratuita e compra por sites e a pirataria. Também usamos os conceitos de Frederic Jameson e Néstor Garcia Canclini para tratar sobre a globalização e seus aspectos. Ressalto que o sentido de consumo tratado neste artigo é enquanto apreciação da música. Ou seja, o consumo está relacionado a ter acesso e a ouvir a música e não o consumo comercial ou de venda. Dessa maneira, o artigo aborda itens que tratam da evolução dos suportes de áudio e da atuação da indústria fonográfica, explicando como a evolução das mídias e a globalização modificaram o consumo da obra musical pelo fã.

Carlos Valério Santos Estudante de Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV, da Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM)

Sob a lógica da globalização. prevalecendo a rapidez e a redução da distância. Não se forma nem se consolida apenas na relação a um território.) (JAMESON. são afetados por influências políticas e econômicas internacionais. Uma era onde os mercados do mundo se integram formando uma "aldeia global". por exemplo. Contudo. popularidade: as identificações étnicas e nacionais.. rock e pop multilíngues. 2001) Uma das premissas da globalização é o fim das barreiras geográficas a fim de expandir o livre comércio entre as nações. o desenvolvimento dos transportes. Pop. Entretanto.. a informatização acelerada e.. 2008) 2 . sem desaparecerem por completo. sempre existiu e basta folhear um livro como Europe and the People Without Hsitory de Eric Wolf (1982). de diversos países do mundo.) a globalização não é um fenômeno recente. Não consiste naquilo que lhe é mais acessível ou mobiliza sua afetividade. (CANCLINI. o popular não é sinônimo de local. visto que em períodos antigos da história da civilização já havia a troca de características socioculturais entre as nações. uma política neoliberalista que prega o livre comércio. músicas africanas e latinas. para perceber que desde o período neolítico as rotas de comércio tiveram alcance global (. Assim. popular. principalmente. juntamente com o avanço tecnológico. GLOBALIZAÇÃO A globalização pode ser definida como um processo pelo qual os setores sociais e culturais. Ela já existia antes mesmo da criação do conceito de indústria cultural. (. o avanço dos meios de comunicação. Esse fenômeno só é possível em decorrência do advento tecnológico. Os intercâmbios mundializados misturam roupas indianas. transbordam suas localizações em linguagens e espetáculos transnacionais.. a globalização permite que sua arte seja enviada até o outro continente e consumida. possibilitou que os produtos culturais fossem disseminados em lugares que antes eram considerados inalcançáveis.2. Um artista latino americano dificilmente conseguiria levar a sua arte ao Japão. a globalização não é algo tão atual quanto pensamos.

havia toda uma expectativa para este evento. havia três ou quatro estações de rádio que impunham boa parte das músicas escutadas por todos.A internet acentua ainda mais a característica transnacional da globalização. O adolescente típico tinha acesso à meia dúzia de canais de TV e praticamente todos viam os mesmos programas. a internet serve como ferramenta para a disseminação de produtos culturais. do cantor marroquino que acabamos de descobrir ou com os clipes da MTV. (CANCLINI. (JAMESON. Por meio da rede. Um dia comemos o mesmo que nossos avós. a tendência é que os avanços nas tecnologias de comunicação venham reduzir a dependência sobre estar em um lugar específico em uma hora específica. não há a necessidade de ir até a uma loja comprar um cd e nem ir até ao cinema para assistir a um filme. as superestradas da informação vão substituir as rodovias de concreto como fundamento da forma de viver e transacionar. 2001) 3. na medida em que “ir ao trabalho” pode significar apenas ligar um modem. A internet representa “a morte da geografia”. milhões de pessoas podem ouvir uma música e assistir a um filme sem precisar sair de suas casas. Dessa maneira. quando um artista lançava um álbum. no dia seguinte almoçamos às pressas num McDonald’s enquanto escutamos Ricky Martin ou Gloria Estefan misturando inglês e espanhol na mesma canção. fazendo com que a qualquer momento possa-se ouvir música. Em qualquer cidade. e à noite pedimos um sushi delivery porque não temos vontade de cozinhar. Estes veículos determinavam a programação que consideravam interessante para elevar o índice de audiência. Já o avanço tecnológico trouxe diversos suportes para o áudio. 2006) 3 . O CONSUMO DE MÚSICA A globalização permite que a música chegue a lugares distantes e que se conheçam artistas de várias nacionalidades. Para Negroponte (1996). Assim. (ANDERSON. e enquanto esperamos o entregador decidimos se acompanharemos o jantar com um disco brasileiro. 2008) Até a década de 1990. Os fãs daquele artista tinham acesso a uma quantidade limitada de canais de TV e emissoras de rádio. que podem ser de qualquer lugar.

(ANDERSON. além de não permitir misturar os gêneros musicais. as emissoras de rádio juntamente com as gravadoras. poderia haver mais de vinte músicas com alta qualidade de áudio e o seu uso era fácil. servem como suporte à expansão de áudio. Em um único álbum. 2006) Contudo. 3. o que restringia a compra a uma pequena parcela da sociedade. ficávamos restritos a consumir as músicas das programações da rádio. Entretanto. A chegada do cd fez com que ficasse mais fácil o consumo da música.Dessa maneira. ipod e celular. o disco de vinil também não permitia que escolhêssemos quais faixas gostaríamos de ter. além de ser difícil o manuseio e o transporte. as vendas de álbuns dobraram a taxa de crescimento mais acelerada da história do setor. restringindo ao ouvinte uma pequena parcela do álbum para veiculação. Começamos a ter mais opções de escolhas e os novos meios digitais. Mesmo assim. como mp3. conseguíamos montar nosso próprio álbum de música. se comparado ao disco de vinil e fita cassete. Ou seja. Quase metade dos 100 maiores campeões de vendas da história havia sido vendida nesse período. O acesso à obra completa ficava restrito a quem podia comprar um disco e um aparelho que o reproduzisse. o cd tinha um custo elevado. 4 . O negócio de música só ficava atrás de Hollywood nas fileiras da indústria de entretenimento. delimitavam quais eram as faixas do artista que seriam veiculadas. A INTERNET E OS NOVOS MEIOS DIGITAIS A internet surgiu como algo revolucionário em relação à maneira como transportamos e consumimos música. Entre 1990 e 2000. Os fãs corriam como manadas para as lojas de discos. As gravadoras tinham boas razões para se sentirem confiantes. podendo gravar as músicas da rádio.1. A partir do surgimento da fita cassete passamos a ter a opção de selecionar quais músicas gostaríamos de ouvir. Esse suporte trouxe uma nova era na indústria fonográfica.

telas. (ANDERSON. um artista local só seria conhecido na sua cidade. fomos muito seletivos em nossas triagens e só deixávamos passar o que tinha condições de se transformar em campeão de venda. agora é veiculado na internet. canais e atenção. onde pessoas de todas as localidades podem ouvir e compartilhar músicas. Durante um século. sua música era considerada regional. podendo ser ouvido em qualquer lugar do mundo por meio da rede de computadores. transmutando-se em loja. fita cassete e cd). 2006) O que antes era restrito aos canais de comunicação tradicionais (rádio e TV) e as formas convencionais de distribuição (até certa época. por uma fração mínima do custo tradicional. Entretanto. sendo consumida somente pelas pessoas daquela região. a economia da distribuição está mudando de forma radical. A internet transformou sua rede em um campo onde se pode consumir uma infinita variedade de músicas. Entretanto. tem a possibilidades de escolhas e de consumir vários estilos de musicais. A música também pode ser ouvida de suportes em que não é necessário o uso da internet. o vinil. o consumo de música mudou. 4. Assim. Já o fã. como mp3 e ipod. se tornando global. celulares. smartphones. a partir do momento em que um artista regional passou a ser conhecido e ouvido em lugares distantes de sua localidade. a forma como consumimos música. o artista veicula sua obra de maneira rápida e mais abrangente. à medida que a Internet absorve quase tudo.Antes. O músico tem sua obra distribuída na internet que pode ser acessada de computadores. Antes desse fenômeno. grande parte do consumo de música era limitada aos artistas que tinham seus trabalhos veiculados no rádio e na TV. para utilizar da maneira mais eficiente possível as dispendiosas prateleiras. a internet abriu a possibilidade desse artista ser conhecido em outras áreas. 5 . na qual tudo é digital. Agora. teatro e difusora. CONSIDERAÇÕES FINAIS A globalização alterou sim. por exemplo. numa nova era de consumidores em rede.

por exemplo. em junção com a tecnologia e os novos meios digitais. permitindo ao ouvinte ter variedades de música e estilos musicais. Pois. modificou a relação entre a obra musical e o fã. como Warner e Sony. como o soundcloud. Hoje.Assim como a globalização exerceu um papel importante na alteração do consumo musical. e de artistas independentes. A internet serviu como uma eficaz plataforma de produção e veiculação de músicas. como as Biscoito Fino e DeckDisc. a internet e as novas mídias digitais foram fundamentais nesse processo. ouvimos músicas produzidas por grandes gravadoras. Por fim. 6 . a globalização. muitos artistas não precisam de mais de um computador e alguns equipamentos digitais para produzir uma música em sua própria casa e depois divulgar em sites de áudio.

Petrópolis: Vozes. 2008. 2006. A cultura do dinheiro: ensaios sobre a globalização. Latino-americanos à procura de um lugar neste século. São Paulo: Campus.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANDERSON. A cauda longa: o mercado de massa para o mercado de nicho. São Paulo: Iluminuras. CANCLINI. Néstor Garcia. 7 . Chris. 2001. FREDERIC Jameson.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful