You are on page 1of 9

A importância da Respiração.

Em uma série de artigos, vamos abordar um assunto muito importante para qualquer pessoa, e de extrema importância para quem canta ou toca um instrumento musical de sopro.

Para uma boa realização no canto, no instrumento de sopro e na fala é preciso ter controle da respiração. A respiração e a postura estão intimamente interligados. Para realizar uma respiração correta é preciso estar numa postura adequada. A respiração é uma função vital que, no canto e no insrumento de sopro devemos aprender a controlá-la. A grande maioria das pessoas atualmente respira mal: "Hoje, principalmente nas grandes cidades, somos obrigados, já na idade de seis anos, a ficar horas sentados no colégio, freqüentemente em salas super-ocupadas e abafadas. Mais tarde, continuando os estudos, exercendo uma profissão, a nossa vida não muda muito. Desta maneira, não tendo uma compensação, os nossos pulmões vão deixando de inspirar profundamente, e o movimento diafragmático é quase nulo, assim é que usamos mais a respiração toráxica e clavicular." (Manual Prático de Técnica Vocal. Charlotte KAHLE. Porto Alegre, Livraria Sulina Editora.1966)
O principal músculo da respiração é o diagrágma, situado na base dos pulmões: quando inspiramos o diafrágma é estendido e quando expiramos ele sobe. A respiração, sempre que possível deve ser nasal, pois assim o ar é filtrado e aquecido pelas narinas. A respiração usada para o canto e para tocar instrumentos de sopro recebe as vezes nomes diferentes, dependendo do autor. Alguns a chamam costo-diafragmática, outros abdominal-intercostal. O fato é que devemos encher desde a base do pulmão, suas laterais até às costas, sem levantar os ombros. " Quando se pede aos alunos, no início das aulas de fala ou de canto, para inspirarem profundamente, 80% inspiram com uma elevação forçada das costelas e das clavículas, mantendo os músculos abdominais contraídos, erguendo os ombros, ficando vermelhos no rosto e pescoço... Esta respiração forçada tem conseqüencias desastrosas, em primeiro lugar para a voz. A laringe fica sob alta pressão, e pior ainda se a pessoa não articula bem, trancando os maxilares (embocadura tensa, nos instrumentos de sopro). Assim, a pressão é dupla e as nossas cordas vocais não podem vibrar livremente." (Manual Prático de Técnica Vocal. Charlotte KAHLE. Porto Alegre, Livraria Sulina Editora.1966) Não se pode ser um bom cantor ou instrumentista de sopro sem possuir um perfeito controle de sua respiração. A boa respiração é um dos grandes "segredos" nessas artes. Na inspiração, que deverá ser sempre nasal, se procura dilatar em todas as direções as costelas inferiores. Ao mesmo tempo, as paredes do abdomen se enchem de ar. Pode se controlar o movimento colocando uma mão no abdomen e outra nas costelas. É importante que a clavícula e os ombros não se movam. Utilizar o espelho é útil para vigiar e impedir movimentos desnecessários de tensão. Deve-se exercitar a inspiração nasal ainda que seja de boca aberta. Deve-se também praticar a inspiração rápida, quer dizer, inspirar a maior quantidade de ar em menor tempo possível, após ter dominado esses movimentos corretamente. Apoio Vocal

Paro o cantor assim como para o instrumentista de sopro é necessário saber administrar a entrada e a saída do ar que respira. A esse controle dá-se o nome de apoio. " Apoio, portanto, é o controle elástico e consciente da força retrátil passiva e espontãnea do movimento de elevação do diafrágma ao promover a expiração, e é conseguido pelo domínio de seus antagônicos - os músculos abdominais e intercostais - com a finalidade de manter o equilíbrio da coluna de ar e aplicá-la à fonação e ao instrumento de sopro." (Técnica Vocal para Coros. Helena Wöhl COELHO. Editora Sinodal, São Leopoldo, 1994). Para mais informações leia o texto do livro: Estética da Voz - Uma voz para o Ator. Eudósia Acuña Quinteiro. Exercícios de Respiração: Exercício para percepção da inspiração involuntária: Muitas pessoas fazem muito barulho ou forçam a inspiração numa tentativa de encher mais o pulmão de ar. Muitas vezes a musculatura está muito tensa e impede uma livre circulação de ar. Solte todo o ar murchando a barriga. Fique alguns instantes sem ar. Relaxe a musculatura deixando então o ar entrar, mas sem forçar sua entrada. Faça isso algumas vezes e você vai perceber que não há necessidade de fazer esforço para que o ar entre. Ele entrará sozinho, pois a entrada do ar é algo que acontece naturalmente quando sentimos necessidade de inspirar. Esse exercício serve também para exercitarmos a elasticidade da musculatura abdominal para dentro e para fora. Exercício para a ativação e expansão da musculatura diafragmática e intercostal: Inspirar enchendo primeiramente a região abdominal e depois as costelas, lateralmente. Expirar primeiramente o ar do abdomen e depois na parte lateral das costelas. Fazer isso num movimento contínuo: Inspiração: parte baixa depois lateral; expiração: parte baixa e lateral. Exercício para treinar a saída do ar com controle (apoio): Precisamos dominar o tempo da entrada e da saída do ar. Precisamos dosar a saída do ar conforme o tamanho de uma frase musical e a inspiração também deve estar de acordo com o tempo hábil para fazê-lo entre uma frase e outra. Inspirar abrindo as costelas e na expiração soltar o ar firmando o abdomen tentando não fechar as costelas. À medida em que o ar vai acabando, aumentar a pressão da musculatura abdominal. (esse exercício pode ser feito contando o tempo da saída do ar para ir aos poucos dominando maior tempo na saída. Ex: soltar o ar em dez tempos depois em quinze, vinte, etc). Podemos também acrescentar a este exercício o controle do tempo da entrada do ar, que muitas vezes deve ser rápda, dependendo da frase musical. Então, além de contar a entrada do ar, fazemos uma contagem para a inspiração e vamos a cada vez diminuindo o tempo para a inspiração. Exercício para treinar a pressão da saída do ar. Quando temos uma nota mais aguda de repente, ou precisamos fazer um som com uma intensidade mais forte, precisamos utilizar mais o apoio respiratório para não sobrecarregar as cordas vocais. Tomando como base o exercício anterior, vamos, na saída do ar, fazendo movimento abdominais com pressão alternada. Na saída do ar com um "sssss" prolongado, vamos fazer ora uma pressão no abdomen e ora diminuindo essa pressão. Isso num mesmo sopro, sem interrupção. Você vai observar que quando aumenta a pressão do abdomen aumenta a pressão do ar. Não esqueça de manter as costelas abertas. Exercício para treinar a abertura das costelas: Uma das formas para sentir a abertura lateral das costelas é da seguinte maneira: Vá inspirando lentamente e ao mesmo tempo levantando os braços na lateral até que ele chegue à altura dos ombros. Mantenha alguns segundos a inspiração e observe que suas costelas estarão mais abertas na lateral. Solte o ar e tente manter as costelas abertas.

Faça uma vez a expiração com os braços ainda na lateral e depois tente fazê-la soltando os braços mas mantendo as costelas abertas. OBS.: Cuidado para não tensionar os ombros enquanto faz o exercício e também cuidado para não direcionar o ar para a parte alta do pulmão. Outro exercícios para sentir a abertura das costelas, mas na sua região costal faça o seguinte: sente na ponta de uma cadeira, deixe seu corpo cair todo para frente, inclusive sua cabeça. Inspire nesta posição e vai perceber que o ar se direciona para a lateral e para as costas. Exercício para treinar a respiração na parte baixa do abdomen: Muitas pessoas quando tentam fazer a respiração intercostal a fazem de forma muito "alta", ou seja, utilizando pouco os músculos abdominais. Existem diversas técnica de respiração. Acredito que deve-se inspirar desde a base do abdmem abrindo em seguida as costelas. Em alguns momento ou para algumas pessoas torna-se dificíl fazer a respiração mais baixa, principalmente para indivíduos com tendência a ansiedade e vida muito agitada. Aprendi através da yoga e outras técnicas corporais, que quando a respiração "não desce" e mantém muito no torax, a melhor maneira de fazê-la "abaixar" é através da contração e relaxamento dos músculos glúteos. Experimente expirar o ar lentamente e, ao mesmo tempo, fazer uma contração anal. Quando se encontrar sem ar relaxe o abdómem e vai perceber como a respiração se torna plena. Repita o exercício algumas vezes. Referências Bibliográficas: Expressão Vocal e Expressão Corporal. Glorinha Beuttenmüller e Nelly Laport. Editora ENELIVROS, Rio Janeiro,1992. Manual Prático de Técnica Vocal. Charlotte KAHLE. Porto Alegre, Livraria Sulina Editora.1966 RESPIRAÇÕES. Philippe Campignion. Summus Editorial, São Paulo, 1996

Exercícios respiratórios
Treino da Utilização Muscular 1. Respiração Diafragmática Pessoa deitada com um livro no abdome. A intenção é elevar o livro.

2. Diafragma e Intercostais Em pé, fazendo a respiração diafragmática, e expandindo as laterais do tórax.

Treino do Aumento da Capacidade Pulmonar

1. Soluço Inspiratório Inspirar aos poucos pelo nariz até encher o pulmão: inspirar - pausa - inspirar pausa - inspirar o máximo - soltar o ar de vez pela boca. 2. Expiração Abreviada Inspirar fundo normalmente (nariz) e soltar um pouquinho; inspirar fundo outra vez e soltar um pouquinho; inspirar mais uma vez, até sentir o pulmão o mais cheio possível, e soltar de vez pela boca. Treino do Controle Diafragmático 1. Inspiração Profunda Inspirar profundamente pelo nariz, e soltar pela boca, em "SSS", demorando o maior tempo possível. 2. Exercício da vela Soprar a vela a uma pequena distância (cerca de 1 palmo) sem apagar a chama, e mantendo-a em equilíbrio na posição oblíqua.

exercicios de fonoaudiologia

1. Motorzinho: inspirar e soltar o ar produzindo um som gutural, como um motor, retraindo o abdômen, abrindo bem a boca, até o ar acabar. 3 vezes. 2. Baforada: inspirar e soltar o ar como uma baforada, lentamente, como um "A" susurrado, até o ar acabar. Retrair o abdômen devagar e relaxar a garganta. 3 vezes. 3. Língua: inspirar e produzir uma vibração com os lábios, em "TR", soltando o ar e sentindo a vibração da língua no céu da boca, sempre retraindo o abdômen devagar, controlando o ar. 3 vezes. 4. Lábios: inspirar e produzir uma vibração com os lábios, em "BR", até o ar acabar, trabalhando abdômen.3 vezes. 5. Ressonância: inspirar e produzir som de "DZ", com a ponta da língua encostada nos dentes frontais da arcada superior, até o ar acabar,

trabalhando o abdômen. 3 vezes. 6. Glissando: inspirar e produzir som com "TR" ou "BR", começando do som mais grave e subindo gradativamente até o mais agudo da voz, voltando ao grave da mesma forma, como uma escala.3 vezes. Obs: Todos os exercícios devem ser executados com muita atenção à respiração e o uso do diafragma, controlando o ar expirado, sem forçar a garganta. Além desses exercícios, o aquecimento com vocalizes, trabalhando vogais e consoantes com boa articulação, em escalas, tríades ou tétrades, também devem ser feitos ao menos uma hora antes de cantar, por vinte minutos no mínimo. Dicção e Exercícios para o Controle do Ar Alguns exercícios ajudam a termos a percepção de como podemos controlar o ar na hora do canto, pois muitas vezes jogamos muito ar fora logo na primeira palavra, aí não conseguimos acabar a frase ou desafinamos. Confira alguns abaixo: Bexiga de ar: Inspirar enchendo todo o pulmão, sem estufar o peito, encher de uma vez só uma bexiga de ar e vedar a saída com o indicador e o polegar. Inspirar de mesma maneira e soltar o ar devagar, em sopro, controlando a saída, ao mesmo tempo em que solta o da bexiga com os dedos. Devem acabar juntos, o seu ar e o da bexiga. No começo é difícil, mas é um ótimo exercício de percepção. Depois tente controlar o ar com as frases longas das canções. Vela: Acender uma vela, posicioná-la a um palmo da boca; inspirar como acima e soltar o ar, como em sopro, controlando a saída retraindo o abdômen devagar, sobre a chama da vela, sem apagá-la. Procurar manter

a chama sempre dançando da mesma maneira, se ela diminuir muito ou apagar, você soprou muito forte, se ela ficou ereta, seu ar falhou. Freqüência dos exercícios: três vezes cada, três vezes na semana. Dicção: A boa dicção é muito importante para o canto, pois se você não articula bem as palavras, fica difícil de se entender o que você está dizendo, e se não abre a boca o suficiente, a voz sai anasalada. Um exercício fácil é cantar exagerando na articulação, ou ler textos exagerando, abrindo mais a boca do que necessário, pra que ganhe mais abertura. Você pode também cantar os vocalizes articulando bem as vogais e consoantes, usando sílabas como: - TRA, TRE, TRI, TRO, TRU - BLA, BLE, BLI... - LARA, LERA... - VINE...VIVIU - AU...AI...AÊ...ÓI - NAU...NOIM... enfim, invente e articule! Um bom exercício para "amaciar" e relaxar a boca é fazer uma mastigação de boca fechada e depois aberta, fazendo muita careta, com som de "humm". Dicas para uma boa voz Aqui estão selecionadas algumas pequenas dicas, a serem colocadas em prática, antes, durante e após a apresentação vocal. Talvez algumas delas, não retratem o ponto de vista de outros colegas, e podem também, divergirem de pessoa para pessoa, de acordo com o organismo de cada um. Entretanto, procurei adaptar aquilo que mais se enquadra no

"cantar" bem, norteado por amigos profissionais experientes e também, claro, por mim mesmo. Muito bem, vamos a elas... Procure cantar sempre em pé, com postura ereta. Evite roupas apertadas. Postura ereta, neste caso, não significa rigidez, mas sim, prontidão. Prontidão à respostas imediatas do organismo, exigidas para uma boa vocalização. Relaxe a musculatura do corpo, principalmente a do tronco. Através de exercícios técnicos, um aquecimento vocal é sempre fundamental antes de cada apresentação. Após a apresentação, faça repouso vocal. No canto, a hidratação da mucosa é de fundamental importância. Procure tomar pelo menos dois litros de água por dia. Procure ter ciência do que vai cantar. Isso evitará frustrações por medo, timidez, ansiedade, etc.. No caso de uma melodia nova, procure estudar o texto em "off ", (sem acompanhamento), isso lhe trará maior segurança posterior. Com o microfone, é muito importante ouvir sua própria voz. Se sentir que o acompanhamento está lhe incomodando, não hesite em pedir para aumentar o volume, ou pedir para abaixar a "cozinha" (acompanhamento). Aprenda a reconhecer sua voz, novos timbres, tessituras ( tons graves, médios e agudos), partes ressonantes da máscara facial. É importante você monitorar sua voz, constantemente. Procure não comer em excesso momentos antes das aulas, e beba água sem gelo durante o aprendizado. Atenção às comidas super-condimentadas e gordurosas. Não fazem bem para a mucosa e prejudicam o sistema respiratório. É relevante o hábito de exercícios de relaxamento, procurando evitar

uma apresentação sob tensão e esforço. Não é bem vista a auto-medicação via nasal. Procure antes um especialista. Abomine o uso de bebidas alcoólicas, drogas e fumo, dando ênfase especial à maconha, cuja aspiração provoca super-aquecimento no complexo vocal, tornando a voz mais grave. Não exagere na ingestão de bebidas quentes em excesso, (chá, café, chocolate, etc..). Cuidado com mudanças bruscas de temperatura, seja por ingestão de líquidos ou fatores climáticos. Fuja do contato próximo a arescondicionados e ventiladores. Se não for possível, aumente a ingestão de água à temperatura ambiente. Nada de esforços vocais desnecessários, como gritar e falar alto. Evite falar demais ao telefone. Ao falar, não force sua tessitura vocal (tons agudos ou graves). Fale no seu tom normal de voz. Por falar nisso, exija de seu professor para acompanhar no seu tom de voz mais adequado. Ele que se vire se cair em bemóis ou sustenidos, (teclas pretas). Mantenha a concentração durante as aulas. Lembre-se de que sua voz é um instrumento que toca através do seu metabolismo, do seu espírito, da sua alma. Esqueça os problemas extra-aula. Certifique-se de que você necessita de total relaxamento e concentração durante esse período. Procure, pelo menos uma vez ao ano, visitar um otorrino para uma avaliação médica. Alimentos pesados antes de dormir irritam as pregas vocais. Dormir bem é de fundamental importância. Não cante estressado. É extremamente prejudicial cantar exaustivamente em ambientes de

muito barulho, ou sem tratamento acústico adequado. Evite cantar se não estiver bem de saúde. Até hoje, não ficou cientificamente provado o uso de sprays, gengibre, conhaque, pastilhas, alho na manteiga, cebola crua, limão com mel, rapadura do Egito, e outras misturas milagrosas, como prevenção aos distúrbios vocais. Respeito a opinião de colegas, mas na minha ótica, é tudo uma questão de auto-sugestão, ou seja, se você por na cabeça que essas poções lhe farão bem, vá em frente, mas deixe seu clínico geral de sobreaviso. Adquira seu próprio microfone. Uma questão de higiene e identificação. Gostaria de deixar claro, que não sou terapeuta em distúrbios vocais, ou áreas abrangentes. Apenas enfoco colocações a título de informação, como profissional da voz. Caso necessite de orientação mais aprofundada, submeta-se à consulta de um especialista.