Anatomia macroscópica do telencéfalo

INTRODUÇÃO:Cérebro. O cérebro é a grande estrutura arredondada que
ocupa a maior parte da cavidade craniana. Um sulco sagital mediano, a fissura cerebral longitudinal, divide-o em hemisférios cerebrais direito e esquerdo. No fundo desta fissura os hemisférios estão ligados uns ao outra grande comissura branca. Central. O corpo caloso. As estruturas internas dos hemisférios fundem-se com as do diencéfalo e além disso é estabelecida ulterior continuidade como o tronco cerebral através dos pedúnculos cerebrais.

HEMISFÉRIOS CEREBRAIS: Possuem quatro componentes maiores:
o córtex cerebral, formação hipocampal, amídala e os núcleos da base. Juntas, estas estruturas participam do que há de mais sofisticado no comportamento humano. O córtex cerebral, localizado na superfície hemisférica, é repleto de dobras. As circunvoluções representam uma adaptação evolutiva que serve para ajustar uma grande área superficial dentro do espaço restrito da cavidade craniana. Na verdade, somente ¼ ou 1/3 do córtex cerebral está exposto na superfície hemisférica. As circunvoluções, também denominadas giros, são separadas por depressões chamadas fissuras ou sulcos. As fissuras são depressões muito pronunciadas que sistematicamente podem ser encontradas em todos os encéfalos. Os hemisférios cerebrais são separados, por exemplo, em duas metades pela fissura sagital ou inter-hemisférica. Já os sulcos não são tão profundos como as fissuras e suas formas e localizações não são tão constantes. A existência dos sulcos permite considerável aumento de superfície sem grande aumento do volume cerebral e sabe-se que 2/3 da área ocupada pelo córtex cerebral estão “escondidos” nos sulcos. Muitos sulcos são inconstantes e não recebem qualquer denominação; outros, constantes, recebem denominações especiais e ajudam a delimitar os lobos e as áreas

cerebrais. De qualquer modo, o padrão de sulcos e giros do cérebro varia em cada cérebro, podendo ser diferente nos dois hemisférios do mesmo indivíduo. Em cada hemisfério cerebral, os dois sulcos
mais importantes são os sulco lateral e o sulco central, que serão descritos a seguir:

SULCO LATERAL: é o sulco bem marcado da face lateral, separando as
grandes massas superiores, das regiões frontal e parietal, da região temporal do hemisfério.É uma fissura completa, isolando muito do lobo temporal, e na profundidade de sua porção posterior está escondida a insula. Na extremidade do pólo temporal, ele se abre na fossa lateral, uma curta porção anterior do sulco é denominada tronco, e o trecho longo (cerca de 7cm) situado atrás é chamado ramo posterior. Na junção do tronco e ramo posterior dois ramos curtos (cerca de 2cm) forma no lobo central uma extensão em forma de V os ramos horizontal anterior e ascendente anterior.

SULCO CENTRAL: começa na face medial do hemisfério,
aproximadamente no meio da margem superior, e corre para baixo e para frente na face lateral até quase encontrar o sulco cerebral lateral (cerca de 2,5cm) posteriormente ao ramo ascendente anterior. No seu trajeto efetua duas curvas sinuosas: um joelho superior, com convexidade posterior, e um joelho inferior, com convexidade anterior.

LOBOS DOS HEMIFÉRIOS: O córtex cerebral está dividido nos
seguintes lobos: frontal, occipital, temporal, parietal.

LOBO FRONTAL: É o maior, ocupando parte das faces lateral, medial e
inferior. Estende-se posteriormente ao sulco central, e inferiormente à fissura lateral. Na face lateral estão três sulcos: o sulco pré-central e os sulcos frontais superior e inferior. É essencial para comportamento motor, não apenas para regular as ações mecânicas simples dos movimentos, tais como a força, mas também na decisão de quais movimentos serão executados para alcançar um determinado objetivo. Estás funções serão realizadas pelo córtex motor que está localizado no giro pré-central e pelas áreas pré-motoras com localização adjacente ao córtex motor. Nas superfícies laterais, restantes da maior parte do lobo frontal, é importante em funções cognitivas e nas emoções. Estas regiões, que coletivamente são denominadas córtex associativo pré-frontal, são constituídas pelos giros frontais superior, médio e inferior. O corpo caloso também pode ser visto na superfície medial do hemisfério. Para integrar as funções dos dois hemisférios, axônios dessa estrutura atravessam-na em cada uma de suas partes fundamentais: rosto, joelho, corpo e esplênio. O órgão sensorial do olfato, o bulbo

LOBO OCCIPITAL: Ocupa uma porção piramidal comparativamente
pequena, pólo occipital com faces medial, lateral e inferior. A face medial está limitada anteriormente pelo sulco parietoccipetal e uma linha que o prolonga até um raso recorte da margem lateral denominada chanfradura pré-occipital. O sulco calcarino posterior divide a face medial do lobo numa área em forma de cunha, o cúneo, e no giro lingual. Um sulco occipital lateralmente divide a face lateral num giro occipital superior e num giro occipital inferior. é responsável pelo processamento da informação visual. Danos nesta área podem provocar cegueira parcial ou total.

LOBO TEMPORAL: Está separado do lobo frontal pelo sulco lateral, do
lobo occipital por uma linha da chanfradura occipital até o sulco parietoccipetal e do lobo parietal por uma linha que vai da extremidade posterior do sulco lateral até o pólo occipital. A face do lobo está subdividida em três giros paralelos: giros temporais superior, médio e inferior; está subdivisão acorre através dos dois sulcos: sulcos temporais superior (paralelo) e médio. é relacionado primariamente com o sentido da audição, possibilitando o reconhecimento de tons específicos e intensidade de som. O aparecimento de tumores ou a ocorrência de acidentes nesta região pode provocar deficiência de audição ou mesmo surdez. Esta área é igualmente importante no processamento da memória e da emoção;

LOBO PARIETAL: Não desempenha apenas um papel excepcional na percepção do tato, dor e posição dos membros, mas também integra nossas experiências sensoriais provenientes da pele, músculos e articulações, permitindo-nos perceber o tamanho e a forma de objetos manuseados. Essas funções são desempenhadas pelo córtex sensorial somático, que está localizado no giro póscentral. A região restante do lobo parietal, localizada na superfície lateral do hemisfério, consiste dos lóbulos superior e inferior, que são separados pelo sulco intraparietal. O lóbulo parietal superior é fundamental para auto-imagem completa e serve de intermédio para interações comportamentais com o mundo que nos cerca. O lobo parietal inferior está envolvido na integração de diversas informações sensoriais relacionadas a fala e a percepção.

Ínsula
Afastando-se os lábios do sulco lateral, evidencia-se ampla fossa no fundo da qual está situada a ínsula, lobo cerebral que durante o desenvolvimento cresce menos que o demais, razão pela qual é pouco a pouco recoberto pelos lobos vizinhos, frontal, temporal e parietal. A ínsula tem forma cônica e seu ápice, voltado para baixo e para frente, é denominado límen da ínsula. A ínsula apresenta alguns sulcos e giros**.