Daniel Neves Pinto

Língua Brasileira de Sinais - Libras

Jouberto Uchôa de Mendonça Reitor Amélia Maria Cerqueira Uchôa Vice-Reitora Jouberto Uchôa de Mendonça Junior Pró-Reitoria Administrativa - PROAD Ihanmark Damasceno dos Santos Pró-Reitoria Acadêmica - PROAC Domingos Sávio Alcântara Machado Pró-Reitoria Adjunta de Graduação - PAGR Temisson José dos Santos Pró-Reitoria Adjunta de Pós-Graduação e Pesquisa - PAPGP Gilton Kennedy Sousa Fraga Pró-Reitoria Adjunta de Assuntos Comunitários e Extensão - PAACE Jane Luci Ornelas Freire Gerente do Núcleo de Educação a Distância - Nead Andrea Karla Ferreira Nunes Coordenadora Pedagógica de Projetos - Nead Lucas Cerqueira do Vale Coordenador de Tecnologias Educacionais - Nead

Equipe de Elaboração e Produção de Conteúdos Midiáticos:
Alexandre Meneses Chagas - Supervisor Adelson Tavares de Santana - Ilustrador Ancéjo Santana Resende - Corretor Claudivan da Silva Santana - Diagramador Edivan Santos Guimarães - Diagramador Geová da Silva Borges Junior - Ilustrador Márcia Maria da Silva Santos - Corretora Monique Lara Farias Alves - Webdesign Pedro Antonio Dantas P Nou - Webdesign . Rebecca Wanderley N. Agra Silva - Design Rodrigo Sangiovanni Lima - Assessor Walmir Oliveira Santos Júnior - Ilustrador

Redação: Núcleo de Educação a Distância - Nead Av. Murilo Dantas, 300 - Farolândia Prédio da Reitoria - Sala 40 CEP: 49.032-490 - Aracaju / SE Tel.: (79) 3218-2186 E-mail: infonead@unit.br Site: www.ead.unit.br Impressão: Gráfica Gutemberg Telefone: (79) 3218-2154 E-mail: grafica@unit.br Site: www.unit.br

P659l

Pinto, Daniel Neves. Língua brasileira de sinais-libras. / Daniel Neves Pinto. – Aracaju : UNIT, 2010. 168 p. : il. Inclui bibliografia

1. Linguagens de gestos dos surdos e dos surdosmudos. 2. Língua brasileira de sinais. 3. Língua de sinais. 4. Comunicação gestual. I. Universidade Tiradentes (UNIT). Pró-Reitoria Adjunta de Ensino a Distância. II. Título. CDU: 81’221.24 Copyright © Universidade Tiradentes

que possibilitam a você estudar com o maior conforto e comodidade possível. Desejo a você bom aprendizado e muito sucesso! Professor Jouberto Uchôa de Mendonça Reitor da Universidade Tiradentes . chats. podcasts. prática e eficiente. Por meio do nosso programa de disciplinas on-line você pode ter acesso ao conhecimento de forma rápida. como deve ser a sua forma de comunicação e interação com o mundo na modernidade. a Universidade Tiradentes optou por criar a coleção de livros Série Biblioibliográfica Unit como mais uma opção de acesso ao conheonhecimento. MSN. tudo é válido para o seu aprendizado. a nossa preocupação em garantir o seu acesso ao conhecimento.Apresentação Prezado(a) estudante. Prova disso são as nossas disciplinas on-line. A modernidade anda cada vez mais atrelada ao tempo. e a educação não pode ficar para trás. Fóruns on-line. sem perder a qualidade do conteúdo. Escrita por nossos professores. vídeos. sobretudo. onde quer que você esteja. Mesmo com tantas opções. a obra contém ntém todo o conteúdo da disciplina que você está cursando ando na modalidade EAD e representa. livespace.

.

.......... Conceituais e Sociais .........3 Interação através da língua de sinais .......1 Aspectos comunicativos corporais e classificadores ....................................... Cultura e Linguística da Libras .. 103 3..... 21 1.......... 72 2.............................................4 Surdez........ 55 2....... 89 3................................................................................. 13 1.............1 Nomenclaturas e conceitos sobre língua e linguagem ...1 Léxico..................................................... 55 2........................................................Sumário Parte I: História..............3 Aspectos biológicos e suas definições . 97 3.............. vocabulários icônicos e arbitrários .......4 Diferenças Básicas em LIBRAS ... 14 1...2........ 87 Tema 3: Surdez e Interação ................2 Interação argumentativa com estrutura da surdez e família .....................................4 Iniciação à língua .................... 111 ...........89 3........... 43 Tema 2: Estudos Linguísticos ............................. 61 2..2 Estruturas sub-lexicais e suas expressões não manuais............ 31 1.. 78 Parte II: Surdez: Interação e Implicações .. 11 Tema 1: Aspectos Históricos............................. sociedade em seu processo de inclusão ....3 Morfologia e seus estudos internos .............................. Fundamentos históricos e culturais da língua brasileira de sinais ................................ ........

..........4 Frases em expressões da libras.......................... 149 Referências .............2 Possibilidades de trabalho ............................. 159 ......................Tema 4: Língua de Sinais: Saberes e Fazeres .......3 Conduta e legislação ......................... 138 4....................... 119 4................................ 132 4....... 119 4.................................1 Aspectos pedagógicos em suas possibilidades no contexto de ensino-aprendizagem .........................

Desenvolver noções práticas de verbalização e Sinalização da Língua de Sinais junto a sua estrutura lexical. possibilitando uma reflexão sobre o preconceito vivido no contexto dos surdos.Concepção da Disciplina Ementa Fundamentos históricos. prático.Conhecer os aspectos patológicos da surdez. Entendimentos dos conhecimentos necessários para a inclusão dos surdos quanto aos aspectos Biológicos. . auxiliando no processo das ações inclusivas. Pedagógicos e Psicossociais. utilizando-as de forma coesa. semântica e pragmática. . . Objetivos . acrescentando tais embasamentos em suas práticas interpretativas. sintaxe. Legislação e conceitos sobre língua e linguagem. .Conhecer noções legislativas. socioculturais e definições referentes à Língua Brasileira de Sinais. . morfológica. colocando em prática a Língua Brasileira de Sinais. teórico. nomenclaturas e seus conceitos.Compreender os fundamentos históricos. culturais e psicossociais da Língua de Sinais.Estimular embasamento cênico. técnico e pedagógico.

facilitando a inclusão social.Compreender os conhecimentos básicos e domínios necessários para a comunicação com pessoas surdas. . • Utilize-se dos recursos técnicos e humanos que estão ao seu dispor para buscar esclarecimentos e para aprofundar as suas reflexões. no aluno. o rigor metodológico e espírito crítico necessários ao estudo. Tendo em vista que a experiência de estudar a distância é algo novo. • Esforce-se para alcançar os objetivos propostos na disciplina. .Utilizar Libras com coesão e coerência para que haja entendimento. é importante que você observe algumas orientações: •Cuide do seu tempo de estudo! Defina um horário regular para acessar todo o conteúdo da sua disciplina disponível neste material impresso e no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). Orientações para Estudo A disciplina propõe orientá-lo em seus procedimentos de estudo e na produção de trabalhos científicos. possibilitando que você desenvolva em seus trabalhos pesquisas. Estamos nos referindo ao contato permanente .Despertar. o interesses em trabalhar com os surdos. Organize-se de tal forma para que você possa dedicar tempo suficiente para leitura e reflexão. possibilitando a relação interpessoal através do uso da Libras..

você contará com o apoio das equipes pedagógica e técnica envolvidas na operacionalização do curso. cooperação e colaboração por parte dos envolvidos.com o professor e com os colegas a partir dos fóruns. . responsabilidade. além de acessar o AVA. além dos recursos tecnológicos que contribuirão na mediação entre você e o professor. Por isso. Para que sua trajetória no curso ocorra de forma tranquila. chats e encontros presencias. o que requer uma nova postura do aluno e uma nova forma de concepção de educação. você deve realizar as atividades propostas e estar sempre em contato com o professor. Para se estudar num curso a distância deve-se ter a clareza que a área da Educação a Distância pauta-se na autonomia. Além dos recursos disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem – AVA.

.

HISTÓRIA. CULTURA E LINGUÍSTICA DA LIBRAS Parte I .

.

de 22 de dezembro de 2005. regulamentada pelo Decreto nº 5626. . Tal Decreto apoia a educação da Língua de Sinais como disciplina.1 Aspectos Históricos. assegurando aos Surdos o atendimento especializado. iremos conhecer conceitos culturais e históricos da língua de sinais e dos surdos com seus aspectos biológicos e linguísticos. Dentro deste contexto. Neste tema. alicerça-se uma proposta inovadora sempre com o objetivo de consolidar a comunicação e a efetiva integração na vida em sociedade.436. de 24 de abril de 2002. que dispõem sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras. O Poder Público instituiu a Lei nº 10. Conceituais e Sociais A Língua Brasileira de Sinais (Libras) surge com a perspectiva de apoiar a implementação da Educação Especial tão enfocada na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

etc. assim como a American Sign Language (LSA). p. Com a grafia “Libras”.1 NOMENCLATURAS LINGUAGEM E CONCEITOS SOBRE LÍNGUA E Para você. explicava-se esta sigla da seguinte forma: LI de Língua. sigla que segue padrões internacionais de denominação das línguas de sinais. BRA de Brasileira. ou seja. funcioÉ importante estar na como se as três palavras (língua. temos que atentar para seu significado. pois. Língua de Sinais Americana.14 Língua Brasileira de Sinais . primeira língua (L1) dos surdos e é usada pela maioria deles no Brasil. ele pensa e se comunica apenas por este meio. Quando foi divulgado o uso da sigla “LIBRAS”. filosoficamente falando. o que é Libras ou LSB? Libras é a sigla pronunciada nacionalmente para Língua Brasileira de Sinais difundida pela Federação Nacional de Educação e Integração de Surdos (FENEIS). materna. Língua de Sinais Mexicana (LSM).Libras 1. o correto é “Língua de Sinais Brasileira”. Língua Brasileira não existe. o termo “língua de sinais” constitui DICA: uma unidade vocabular. “Língua de Sinais é o verdadeiro equipamento da vida mental do Surdo. A Língua de Sinais é a língua natural. ou seja. Língua Brasileira (em sinais ou falada).1479). Além das formas de escrever ou pronunciar a Língua Brasileira de Sinais. Conforme Capovilla (2006. A correta é “Libras” e não “LIBRAS”. através das mãos e dos olhos e não oroarticulatória-auditiva. Não existe uma suas reflexões. Para você entender melhor. bem como a Língua de Sinais Francesa (LSF).” O surdo utiliza a modalidade linguística quiroarticulatória-visual. a . ou seja. A Libras é também conhecida como LSB (Língua de Sinais Brasileira). e S de Sinais. que se dá através da oralização (boca) e ouvido. de sempre anotando e sinais) fossem uma só.

Língua Brasileira de Sinais - Libras

15

sigla significa: Li de Língua de Sinais, e bras de Brasileira, assim, deixa claro que Libras não é simplesmente gestos, é uma língua com estruturas linguísticas que compreende e comunica e que ainda cabe na palma das mãos. A Língua de Sinais é a língua natural, materna, primeira língua (L1) dos surdos e é usada pela maioria dos surdos no Brasil. Conforme Capovilla (2006, p.1479), “Língua de Sinais é o verdadeiro equipamento da vida mental do Surdo; ele pensa e se comunica apenas por este meio”. O surdo utiliza a modalidade linguística quiroarticulatória-visual e não oroarticulatória-auditiva. Ao contrário do que muitos imaginam, a Língua de Sinais não se constitui simplesmente de mímicas e gestos soltos, utilizados pelos surdos para facilitar a comunicação. É uma língua com estruturas gramaticais próprias. Atribui-se às Línguas de Sinais o status de línguas porque elas também são compostas pelos níveis linguísticos: o fonológico, o morfológico, o sintático e o semântico. O que é denominado palavra ou item lexical nas línguas oral-auditivas é denominado sinal nas línguas de sinais. O que diferencia a Língua de Sinais das demais línguas é a sua modalidade visual-espacial. Assim, uma pessoa que entra em contato com uma Língua de Sinais irá aprender outra língua, como o Inglês, Espanhol, etc. A Língua Brasileira de Sinais e a Língua Portuguesa têm uma vasta diferença desde a língua pronunciada até a escrita. Veja algumas diferenças entre a Língua Brasileira de Sinais e a língua portuguesa: - a primeira diferença você já sabe: através da Língua de Sinais se fala com as mãos e a Língua Portuguesa fala-se com a boca;

16

Língua Brasileira de Sinais - Libras

Muitas diferenças são claras tais como as descritas acima, e outras são percebíveis quanto a sua gramática. Vamos conferir algumas delas apresentadas por Quadros (2003, p. 84): - a Língua de Sinais é visual-espacial e a Língua Portuguesa é oral-auditiva; - a Língua de Sinais é baseada nas experiências das comunidades surdas mediante as interações culturais surdas, enquanto a Língua Portuguesa constitui-se baseada nos sons; - a Língua de Sinais apresenta uma sintaxe espacial incluindo os chamados classificadores1. A Língua Portuguesa usa uma sintaxe linear utilizando a descrição para captar o uso de classificadores;

1 É um recurso visual da Libras que utilizamos para deixar a sinalização com mais vida, ou seja, ela é feita de forma que fique clara a mensagem.

- a Língua de Sinais utiliza a estrutura tópico-comentário, enquanto a Língua Portuguesa evita este tipo de construção; - a Língua de Sinais utiliza a estrutura de foco através de repetições sistemáticas. Este processo não é comum na Língua Portuguesa; - a Língua de Sinais utiliza referências anafóricas através de pontos estabelecidos no espaço que exclui ambigüidades que são possíveis na língua portuguesa; - a Língua de Sinais não tem marcação de gênero, enquanto que na Língua Portuguesa o gênero é marcado a ponto de ser redundante que envolve na última letra como “a” para feminino e “o” para masculino;

Língua Brasileira de Sinais - Libras

17

- a Língua de Sinais atribui um valor gramatical às expressões faciais. Esse fator não é considerado como relevante na Língua Portuguesa, apesar de poder ser substituído pela prosódia; - coisas que são ditas na Língua de Sinais não são ditas usando o mesmo tipo de construção gramatical na língua Portuguesa. Assim, encontramos diversos contextos que em Português consideraríamos grande enquanto que em Libras poderá ser feito com apenas um sinal; - a escrita da Língua de Sinais não é alfabética. INTÉRPRETE Pessoa que interpreta de uma língua fonte para uma língua alvo2. INTÉRPRETE DE LÍNGUA DE SINAIS Pessoa que interpreta de uma língua qualquer para a Língua de Sinais ou Língua de Sinais para outra determinada língua.
2 Língua Fonte: é a língua que o Intérprete ouve ou vê para, a partir dela, fazer a interpretação para a língua alvo. Língua alvo: é a língua para a qual será feita a interpretação.

LÍNGUA É um sistema de signos compartilhado por uma comunidade linguística comum. Há uma raiz, tem seus fundamentos e pesquisas sobre ela. A fala ou os sinais são expressões de diferentes línguas. A língua é um fato social, ou seja, um sistema coletivo de uma determinada comunidade linguística. A língua é a expressão linguística que é tecida em meio a trocas sociais, culturais e políticas. As línguas naturais apresentam propriedades específicas da espécie humana: são recursivas (a partir de um número reduzido de regras, produz-se um número infinito de frases possíveis, são criativas, dispõem de uma multiplicida-

. .18 Língua Brasileira de Sinais . constituídas. p. LÍNGUA VISUAL. logo. outras mais complexas. podendo ser percebida pelos diversos órgãos dos sentidos.) e apresentam formas e significados. a quantidade de sinais está em aberto. assim como no desenho do sinal representado ao lado. e motiva etc.ESPACIAL Refere-se à língua sinalizada. poética. LINGUAGEM São diversas formas de transmissão como sistema de símbolos e serve como meio de comunicação. podendo ser acrescentados novos sinais. persuasiva. informativa. Portanto. tátil.Libras de de funções (argumentativa. 2003. auditiva. é uma língua e não linguagem. 7). ou. conotativa. de elementos diversos. falada com as mãos.. ideias ou sentimentos através de sigFonte: http://www.elapsus. sonoros.it nos convencionais. utiliza a visão e o espaço para compreender e produzir os sinais e assim formam a estrutura da língua. (QUADROS. “Nome”. gráficos. o que leva a distinguirem-se várias espécies de linguagem: visual. LÍNGUA ORAL-AUDITIVA É a língua falada com a boca. etc. o correto é “Língua de Sinais” porque se trata de uma língua viva e. ainda. utiliza a audição e o vocal para compreender e produzir os sons que formam as palavras. gestuais etc. ao mesmo tempo.

outros profissionais etc. o profissional poderá pesquisar livros. o tradutor que irá fazer a ponte. ao mesmo tempo. logo após. significados e pensamentos. Mas. o enunciador entra novamente com sua oração e assim sucessivamente. p.Interpretação Simultânea Acontece simultaneamente. terá tempo hábil para concluir a tradução. sons. faz a interpretação e. o enunciador passa sua ciência em trechos enquanto o Intérprete processa a informação. símbolos ou palavras. faz a passagem para a outra língua (língua alvo). TRADUÇÃO É a atividade que envolve um texto de uma língua fonte transplantando-a para uma língua alvo da forma mais exata possível. ou seja. assim sendo.Libras 19 Quadros (2003.Língua Brasileira de Sinais . ou seja. O Intérprete ouve/vê a informação da língua fonte. intermitente ou consecutivamente: . sinais. 7) afirma que linguagem são gestos.Interpretação Intermitente É o processo de interpretação feita sentença por sentença. . ideias. usados para representar conceitos de comunicação. posteriormente. .Interpretação Consecutiva É a forma interpretativa de uma língua para outra onde o Intérprete ouve/vê o enunciado em uma língua fonte. dicionários. INTERPRETAÇÃO Ação que consiste em estabelecer o processo transitório da comunicação verbal para sinalização ou da comunicação sinalizada para verbalização simultâneamente. internet. processa a . processa a informação e.

Muitas fazem a leitura labial. 3 Perda auditiva devido ao SURDO OU MUDO? idade. Já as que têm surdez severa. É muito importante considerar que o surdo difere do ouvinte. é a mais antiga e incorreta designação atribuída aos surdos. o surdo é visto como portador de uma enfermidade localizada que precisa ser tratada. mas porque desenvolve potencialidades psico . No plano pessoal. Surdo-mudo. pessoas com surdez leve. Todas as investigações atuais têm chamado a atenção para a adequação do emprego do termo “Surdo”. profunda ou anacusia3 preferem ser consideradas surdas. Nela.culturais próprias.20 Língua Brasileira de Sinais . o enunciador apresenta todos os seus contextos e após sua conclusão o Intérprete entra com sua interpretação. não apenas porque não ouve. a decisão quanto a usar o termo “pessoa com deficiência auditiva” ou os termos “pessoa surda” e ”surda”. para que seus efeitos sejam debelados. provavelmente.Libras informação e faz a passagem para a língua alvo após a conclusão do enunciador. Esta expressão é optada pelos próprios surdos e comunidades surdas do Brasil. ou seja. fica por conta de cada pessoa. O fato de uma pessoa ser surda não significa que ela seja muda. afinal. Geralmente. fator . Pessoas surdas não falam porque não aprenderam a falar. O uso da expressão deficiente auditivo já foi muito criticado refletindo uma visão. moderada ou acentuada referem-se a si mesmas com tendo uma deficiência auditiva. os surdos não são mudos. e podem fazer muitos sons com a garganta como rir. SURDOS OU DEFICIENTES? Profissionais ligados à educação dos surdos e médicos especialistas ligados à área têm utilizado largamente o termo Deficiente Auditivo (DA).

ela também possui expressões que diferem de região para região (os regionalismos).Libras 21 Para Refletir Quanto à pessoa surda: Como a chamaremos? Como nos referiremos a ela? • De Surdo. como grupo que possui uma língua.2. Deficiente auditivo ou Mudo? • E os termos: Quais são os corretos? • Linguagem de Sinais ou Língua de Sinais? 1. de sua comunidade. até alcançarem o reconhecimento que têm hoje. o que a legitima ainda mais como língua. FUNDAMENTOS BRASILEIRA DE SINAIS HISTÓRICOS E CULTURAIS DA LÍNGUA A Libras (Língua Brasileira de Sinais) é de origem francesa. que sofre as influências da cultura nacional.Língua Brasileira de Sinais . uma identidade e uma cultura. os Surdos travaram grandes batalhas pela afirmação da sua identidade. FUNDAMENTOS HISTÓRICOS A história dos Surdos registra os acontecimentos históricos. da sua língua e da sua cultura. Como qualquer outra língua. na era moderna. . A Língua de Sinais não é universal e cada país possui a sua própria língua. Ao longo das eras.

sem direito a pertencer à sociedade. . Os Romanos Influenciados pelo povo grego. tinham ideias semelhantes acerca dos Surdos.wikipedia. mas aparece muitas vezes como um Deus da fertilidade e abundância. por não possuírem linguagem. Grécia Os Surdos eram encarados como seres incompetentes. sendo temidos e respeitados pela população. Esparta Os surdos eram lançados do alto dos rochedos para não terem como sobreviver. China Os chineses lançavam os surdos ao mar para não deixar marcas ou chances de se reproduzirem. após a morte. Gália Os gauleses sacrificavam os surdos para o deus Teutates4 a fim de receber bens. vendo-os como seres imperfeitos. Era considerado o Rei do Mundo.22 Língua Brasileira de Sinais . ensinava que os que nasciam surdos. “deus tribo”. serviam de mediadores entre os deuses e os Faraós. No Egito Os Surdos eram adorados.org/wiki/ Teutates. os surdos eram entregues às águias e aos leões. como se fossem deuses.Libras Até a Idade Média 4 “pai do povo”. Historiadores dizem que. http://pt. Teutates está associado às guerras. Era comum lançar as crianças surdas (especialmente as pobres) ao rio Tibre. Aristóteles. não eram capazes de raciocinar.

Acreditava que os Surdos podiam comunicar por meio de gestos. Por essa razão. de entretenimento do sultão. ou como bobos. . em equivalência à fala. ele foi considerado por muitos como o primeiro educador de surdos. em 700 d. em que a deficiência passa a ser analisada sob a ótica médica e científica. Idade Moderna Distinguiu.. eram aceitos quanto à salvação da alma. Igreja Católica Santo Agostinho defendia a ideia de que os pais de filhos Surdos estavam a pagar por algum pecado que haviam cometido. A expressão surdo-mudo deixou de ser a cognome do Surdo. que. os Surdos realizavam algumas tarefas. Curiosidade John Beverley. tais como o serviço de corte. A Igreja cria que os Surdos. não possuíam uma alma imortal. ensinou um Surdo a falar. pela primeira vez (em que há registro). pela primeira vez. surdez de mudez. diferentemente dos ouvintes. Fim da Idade Média e início do Renascimento Época em que saiu da perspectiva religiosa para a perspectiva da razão. como pajens das mulheres. uma vez que eram incapazes de proferir os sacramentos.C.Língua Brasileira de Sinais .Libras 23 Turquia Em Constantinopla (hoje Istambul).

Ele usou. O Surdo foi reconhecido como ser humano e a partir deste momento viram que ensinar ao surdo a falar seria perda de tempo. o inglês escrito e o alfabeto manual. em Paris. Em 1880 nasce Hellen Keller. também. Hellen ficou cega e surda aos 19 meses de idade. Em 1830.flickr.Libras França Em 1712. Alemanha Em 1880 nasce Hellen Keller. na Alemanha. na Alemanha. abriu uma escola para surdos em Abril de 1817.static. Aos 7 anos Hellen havia criado cerca de 60 gestos (sinais) para se comunicar com os familiares. Fonte: http://www.com . foi criada a primeira escola de Surdos do mundo: o Instituto Nacional de Surdos-Mudos. farm1. a Escola de Hartford. por causa de uma doença. Jean Massieu foi um dos primeiros professores surdos do mundo. Gallaudet instituiu nessa escola a Língua Gestual Americana. que o ensino principal deveria ser a língua gestual. Hellen descreveu que a surdez é o mais infortune dos sentidos humanos.24 Língua Brasileira de Sinais . americano. educador ouvinte. Idade Contemporânea até os dias de Hoje Estados Unidos Thomas Hopkins Gallaudet. já existiam nos Estados Unidos cerca de 30 escolas para surdos.

a educação era precária. organizado pela FENEIS. Somente em 24 de abril de 2002 foi reconhecida a Língua Brasileira de Sinais como língua oficial das comunidades surdas no Brasil. realizou-se o I Encontro Nacional de Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais. da tiam muitos surdos aqui no Brasil. outros meios que se em 1855 Hernest Huet. língua oral acompanha- . Em consequência disso. Este foi o primeiro e grande passo para o reconhecimento e formação do profissional Intérprete de Libras. e o oralismo espalhava-se para outros continentes. Desde o século XIX. até que. Em 1988. Foi a primeira vez que houve um intercâmbio entre Intérpretes do Brasil e a avaliação sobre ética do profissional Intérprete. professor francês considerem importantes para o seu desenvolvide surdos veio ao Brasil a convite de D. a Imperial Instituto de Surdos – Mudos. Pedro II para fundar a primeira escola de meninos surdos. substituindo-a pelo oralismo.Libras 25 Itália Em 1880 aconteceu o Congresso de Milão. o oralismo foi a técnica preferida na educação dos surdos durante fins do século XIX e grande parte do século XX. boa parte delas vêm adotando a comunicação total5. já exisda Língua de Sinais. atualmente Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) no Rio de Janeiro. Uma década depois do Congresso de Milão. Um grupo de ouvintes tomou a decisão de excluir a língua gestual do ensino de surdos. Nessa escrita e de quaisquer época. que deixou obscura a História dos surdos. mento. até hoje. 5 Expõe a criança à Brasil da simultaneamente da No período de 1500 a 1855. acreditava-se que o ensino da língua gestual quase tinha desaparecido das escolas em toda a Europa.Língua Brasileira de Sinais . as escolas tradicionais existentes no método oral mudaram de filosofia e.

Em 1970 aparecem as primeiras tentativas de implantação coclear.br criança uma vida social com som. são utilizadores de uma comunicação espaço-visual. encontraremos em quase todos os grandes polos associações de surdos. Os argumentos a favor do implante resumem-se ao acesso à língua oral.org. que a cirurgia é simples e segura e com a possibilidade de proporcionar à implantação coclear Fonte: http://www.samaritano. e não com deficiência. no Brasil. CULTURA SURDA E SUA IDENTIDADE Ao longo dos séculos os surdos foram formando uma cultura própria centrada principalmente em sua forma de comunicação. onde eles se reúnem e convivem socialmente. na idade crítica de aquisição. ou seja.Libras APARELHOS AUDITIVOS Em 1898. Hoje. comunica-se através da visão e de sinais explorados no espaço. os aparelhos usados eram cornetas ou tubos acústicos e somente em 1948 surgiram aparelhos com pilhas incorporadas e em 1953 começou a ser usado o transistor em próteses. . Os surdos têm uma cultura de característica própria. Esse tipo de implante sempre gerou muita controvérsia nas comunidades surdas em todo o mundo.26 Língua Brasileira de Sinais .

pode-se dar umas batidinhas no chão ou fazer piscar a luz. acenar se a pessoa estiver perto ou. se estiver distante. Como chamar a atenção de um surdo? Em vez de chamar ou usar o nome da pessoa é melhor dar um leve toque no ombro ou no braço dela. ou inferior. De fato. à língua falada. alguns surdos se sintam oprimidos e incompreendidos. Em contraste. Outros encaram a Língua de Sinais como primitiva. Muitas pessoas não deficientes ficam confusas quando encontram uma pessoa surda. muitos surdos consideram-se “capacitados”. pois. Dependendo da situação. Esses e outros métodos apropriados de captar a atenção dão reconhecimento à experiência dos Surdos e fazem parte da cultura surda. quando duas pessoas conversam em Língua de Sinais é considerado rude desviar o olhar e interromper o contato visual. muitos têm avaliado mal o conhecimento pessoal dos surdos.Língua Brasileira de Sinais . Não é de admirar que. fazer um sinal com a mão para outra pessoa chamar a atenção dela. Há pais que superprotezem seus filhos surdos ou temem integrá-los no mundo dos ouvintes. porque não ouvem nada. desenvolvem autoestima e têm bom desempenho acadêmico. social e espiritual. Isso é natural. os maus-tratos que muitos surdos sofrem levam alguns deles a suspeitar dos ouvintes.Libras 27 O processo de busca por uma identidade de uma pessoa com surdez pode ser afetado desde o seu processo de aprendizagem. é o período em que os pais descobrem a surdez. Por anos. Todos podem se sentir desconfortável diante do “diferente”. da distância e do local físico. Alguns acham que os surdos não sabem praticamente nada. Mas esse desconforto diminui e pode até mesmo desaparecer quando existem muitas oportunidades de convivência entre surdos e ouvintes . Comunicam-se fluentemente entre si. Aparentes inaptidões podem ofuscar as verdadeiras habilidades e criatividades do surdo. com tal ignorância. Uma boa comunicação com uma pessoa surda é feita exclusivamente por contato visual. Todos sentem a necessidade de ser entendidos. Infelizmente.

Mas por outro lado. os surdos são pessoas que têm os mesmos direitos. nunca use os termos: Deficiente Auditivo. Surdinho e Mudinho. Como as pessoas surdas não podem ouvir mudanças sutis de tom de voz.A. não estaríamos nos relacionando com ele. o correto seria dirigir-se diretamente a ela. Surdo-mudo. Por causa da surdez. Quando alguém deseja alguma informação de uma pessoa surda. e não a seus acompanhantes ou intérpretes. Em suma. A maioria das pessoas com surdez não se importa de responder perguntas a respeito da sua característica ou sobre como realiza algumas tarefas. D. são excelentes indicações do que se quer dizer. uma boa dose de delicadeza. é evidente que o surdo venha a ter dificuldades para desempenhar algumas atividades. os mesmos sentimentos.. tristeza. podem e querem tomar suas próprias decisões e assumir a responsabilidade por suas escolhas. as expressões faciais e corporais. sinceridade e bom humor nunca falham. Por exemplo: os surdos conseguirão promover diversas prestezas que o ouvinte não conseguirá desenvolver. que não é real.28 Língua Brasileira de Sinais . que indicam sentimentos de alegria. os mesmos sonhos. poderá ter uma extraordinária habilidade para fazer outras coisas como os ouvintes. mas com outra pessoa. assim como todos. sarcasmo ou seriedade. Dessa forma. . Se ocorrer alguma situação embaraçosa. DICA: Quando dirigir-se ao Surdo. estes NÃO são termos corretos. os mesmos receios. estaríamos ignorando uma característica muito importante dele. As pessoas com surdez têm o direito.Libras Ao tratar um surdo como se ele não tivesse uma deficiência.

o país possui cerca de 5. Curiosidade Hoje. a não ser que peçam para falar mais alto. Usar um tom normal de voz. SURDOS ORALIZADOS São os Surdos que comunicam apenas pela oralização. evitando também fiindependente do car contra a luz (de uma janela. fletor.7 milhões de surdos.Libras 29 Dentro da comunidade surda.Língua Brasileira de Sinais . não de lado ou atrás dela. não ao intérprete. Segundo o censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2000. a pessoa deverá ficar em comunicar. existem três tipos de surdos: surdos sinalizadores. pois isso dificulta a visão das mãos. através de bilhetes. Fazer com que a boca esteja bem visível. usando a velocidade normal. Falar diretamente com a pessoa. no Brasil. dirigir-se sempre a ele. sem exageros. O Quando da comunicação com este tipo importante é de surdo. pela leitura labial e fala. Com os surdos. ou seja. DICA: SURDOS SINALIZADORES São os surdos que utilizam seu Caso necessário. por exemplo). (IBGE. existem aproximadamente 5. Quando o surdo não oralizado estiver acompanhado de um intérprete. Gesticular ou segurar algo . devemos falar de maneira clara. ou remétodo. pronunciando bem as palavras. a não ser que ela peça para falar mais devagar. Estes surdos desenvolveram sua técnica vocal através da ajuda de profissionais que abordam a saúde vocal. surdos oralizadores e surdos bimodais. meio de comunicação única e exclusicomunique com o surdo vamente através da Língua de Sinais. lugar iluminado. 2005).7 milhões de deficientes auditivos.

SURDOS BIMODAIS São os surdos que utilizam dos dois modos anteriores ao mesmo tempo.30 Língua Brasileira de Sinais . é o uso de duas línguas distintas ao mesmo tempo. sarcasmo ou seriedade. no fim de uma conversa com um surdo você terá um feedback positivo ou negativo que é o retorno visual se ele compreendeu ou não. Como as pessoas surdas não DICA: podem ouvir mudanças sutis de tom Não necessita gritar com de voz. os gestos ou não lhe ouvir.Libras em frente à boca torna impossível a leitura labial. O uso de bigode atrapalha a configuração dos lábios. ou seja. consequentemente. ele vai ler os lábios e as expressões faciais. Se a pessoa surda tiver dificuldade em entender. sinais e o movimento do corpo são excelentes indicações do que se quer dizer. Para Refletir • A língua de sinais teve um desenvolvimento muito grande até os dias de hoje. tristeza. • Como os surdos têm sido vistos e. a prática é a melhor maneira de aprender a Língua Sinalizada. Conluíndo. Ser expressivo ao falar. que é o conhecimento e o domínio de duas línguas distintas. E é diferente do Bilinguismo. que indicam sentimentos de um surdo oralizado. trabalho ou bairro há surdos? Tente conversar com eles. avisará. ele sinaliza e oraliza no mesmo instante. alegria. tratados na sociedade brasileira? . Como você tem discernido a Língua de Sinais para seu crescimento pessoal? • Em sua comunidade.

6 Patologia é o estudo das doenças. LOCALIZAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO Estabelece de onde vem a direção e a fonte sonora. Para saber melhor. Exemplo: O chamado de uma pessoa. passando pelo ouvido externo. nervo auditivo e seguindo até o cérebro. é importante buscar e compreender as funções básicas da audição. revise o tema I no livro de Fundamentos Antropológicos e Sociológicos.Libras 31 1. COMUNICAÇÃO Visto que a fala é um dos instrumentos de comunicação mais utilizados no mundo. sua compreensão depende de um nível de audição.Língua Brasileira de Sinais . por exemplo. INTELECTUAL As principais informações são transmitidas e captadas por mídias através do meio oral. SOCIALIZAÇÃO Função que nos estimula a entrar em contato com outras pessoas. interno. uma moto em nossa direção.3 ASPECTOS BIOLÓGICOS E SUAS DEFINIÇÕES Antes de conhecer as verdadeiras patologias6 da surdez. sentido esse que controla a linguagem e a fala. Os sons percorrem um caminho que compreende desde o meio ambiente. ALERTA Esta possibilita atentar os estímulos de curiosidade e periculosidade que nos rodeia como. médio. .

Do ouvido interno.OUVIDO INTERNO Possui formato de caracol e compreende a cóclea e os canais semicirculares. por meio da contração de um músculo chamado estapédio. .org. que transforma a energia mecânica em impulso nervoso. pelo conduto auditivo externo e pela membrana timpânica. . bigorna e estribo.Libras Com base no site de medicina da USP (otorrinousp.OUVIDO MÉDIO Nela encontramos os ossículos. no livro de Sobotta (1995) e Pedroso (2006) apresenta-se a parte biológica do ouvido humano. encontram-se as estruturas responsáveis pelo equilíbrio e na cóclea há o órgão de Corti. ou seja. e pela proteção da orelha interna de sons muito intensos. Nestes canais.br). os três menores ossos do corpo humano: martelo. .32 Língua Brasileira de Sinais . Estas estruturas são responsáveis pela captação e condução dos sons. A orelha média é responsável pela transformação da energia sonora em energia mecânica.OUVIDO EXTERNO É constituído pelo pavilhão auricular. . o som é conduzido pelo nervo auditivo e demais estruturas da via auditiva até chegar ao córtex cerebral.

onde é interpretado. e estribo 7. O estribo provoca a movimentação da membrana da janela oval(8). o som passa por diversas estruturas. passa pelo conduto auditivo(3) e é transmitido à membrana timpânica(4). Essa vibração é transmitida aos ossículos (martelo 5. bigorna 6. com isso. que liga o ouvido médio ao ouvido interno. Esta movimentação provocada pelo estribo faz com que ocorra um deslocamento nos líquidos que se encontram dentro da cóclea(9). vamos unir estas informações. O som(1) é captado pelo pavilhão auricular(2). quais sejam: . A surdez consiste em um impedimento para detectar a energia sonora e. estimulando o órgão de Corti. fazendo-a vibrar.Libras 33 Para ter uma compreensão mais clara do funcionamento destes três ouvidos.Língua Brasileira de Sinais . A partir desta transmissão. Se vier a acontecer alguma lesão em algumas dessas estruturas. ocorrendo a transmissão do impulso nervoso para o nervo auditivo(10). até o cortex cerebral. poderá haver danos na sensibilidade auditiva. (11) Canais semicirculares (12) Trompa de Eustáquio. há graus de perdas auditivas.

leitura da fala e estimulação da linguagem.34 Língua Brasileira de Sinais .Perda Moderada (41 a 70 dB) Só consegue ouvir a palavra.Perda Leve ou Ligeira (26 a 40 dB) A palavra é ouvida. Necessitam de ensino de leitura da fala e de estimulação da linguagem. dificuldade em compreender uma conversa a uma distância superior a 3 metros. Neste caso. ou seja.sxc. CRIANÇA DISTRAÍDA .Libras .Perda Severa (71 a 90 dB) O Indivíduo não consegue perceber a palavra normal.hu ções da articulação da palavra. por exemplo. Verificam-se algumas dificuldades na aquisição da linguagem e algumas perturbaFonte: www.hu (são pessoas tidas como muito distraídas). HEIN. do caminhão. Estas pessoas têm algumas dificuldades na aquisição da linguagem. etc. mas certos elementos fonéticos ficam complicados de entender.sxc. Escutam somente sons fortes como: barulho da moto. Pergunta-se muito “hein. o quê”? Troca palavras foneticamente semelhantes como (linha/pinha. serra elétrica. e da linguagem. alta. pode é ter defeitos de articulação e dificuldades em ouvir a voz em tom natural Fonte: www. o processo compensador é a leitura labial. mão/não. . Deve-se observar também uma posição adequada para conversar. Há também necessidade de treino auditivo e estimulação da linguagem. Tem. Necessitam já de cuidados especiais no treino auditivo. O QUÊ? BARULHO ALTO . quando esta é de intensidade forte. Neste grau a surdez não provoca atraso na aquisição da linguagem. pão/cão). frente a frente. É necessário gritar para que exista uma sensação auditiva verbal.

com. foguetes. . provocando sérias complicações. particularmente quando existem casos de surdez na família. escuta somente sons graves que transmitam vibrações. teremos como auxílio os sites (abcdasaude. esta bactéria pode causar várias consequências ao bebê.hereditariedade: é transmitido geneticamente de geração em geração.rubéola: vírus que é transmitido por via respiratória infectada por mulheres grávidas.br) e (otorrinousp. retardo mental e visão subnormal.br).org. como cachorro. . pois.Língua Brasileira de Sinais . A gestante contamina o feto através da placenta.Perda profunda (superior a 90 dB) ESTRONDO Nenhuma sensação auditiva verbal pode ser captada espontaneamente. principalmente nos três primeiros meses de gestação e pode acontecer de o bebê nascer com deficiência múltipla como surdez.sífilis: adquirida na relação sexual. Para conhecer as causas da surdez. adquiridas pela mãe durante a gestação: . gato etc. Não é capaz de reagir de forma adequada aos sons ambientais. As perdas auditivas podem ter diversas origens: congênitas. etc. aviões. É a principal causa congênita. CAUSAS PRÉ .Libras 35 . quando o problema ocorreu antes do nascimento ou adquiridas quando aconteceu no Peri (durante) ou pós-natal. como trovão.toxoplasmose: parasita presente em animais domésticos.PARTO . .

durante e pós parto: . .hipóxia: diminuição da oferta de oxigênio para o feto durante o momento do nascimento. . .herpes: doença sexualmente transmissível mais comum. . sendo diferente do sangue da mãe (Rh -). Antibióticos.36 Língua Brasileira de Sinais . A transmissão acontece durante o nascimento e pode até levar o bebê à morte.citomegalovírus: vírus herpes que predomina principalmente em regiões mais pobres. pode ocasionar. .Libras . Além destas medicações. algumas outras substâncias são perigosas e estão presentes nas fórmulas de produtos domésticos como: monóxido de carbono. mercúrio.exposição aos Raios X.medicamentos Oto tóxicos: a ingestão de drogas por mulheres grávidas leva à lesão do ouvido do bebê.incompatibilidade sanguínea: o sangue do bebê (Rh+). diuréticos e anti-hipertensivos. . tabaco.anomalias craniofaciais: anormalidades morfológicas do pavilhão auricular e do canal auditivo.ruído ocupacional. problemas na saúde da criança. futuramente. . Dá-se por contágio principalmente por falta de cuidados higiênicos.desnutrição materna. . álcool. Sua contaminação pode acontecer ainda na gravidez ou durante sua passagem através do canal do parto. arsênio e chumbo.

5 quilos.excesso de cera no ouvido. .ventilação mecânica: o bebê fica exposto por cinco dias ou mais.infecção por vírus ou bactérias: além da meningite. .peso no nascimento inferior a 1. . . caxumba e a otite média recorrente ou persistente por mais de três meses. .Língua Brasileira de Sinais .medicamentos Oto tóxicos: quando utilizados em múltiplas doses ou em combinação com diuréticos.infecções agudas do ouvido (Otite Média Aguda). .Libras 37 . . ocorrência mais comum em pessoas com mais de 65 anos.permanência em incubadora por mais de sete dias.distúrbios metabólicos. . há outros como sarampo. . . que é o maior causador da surdez em bebês.traumas acústicos.presbiacusia: perda auditiva gradual devido ao fator idade. . Surdez por condução: .secreção na orelha média (Otite Secretora ou Otite Serosa).lesões traumáticas: mais comum em traumatismos crânio-encefálicos.

Após o nascimento de um bebê. . Além disso. . contudo. essa proporção aumenta para uma criança em cinquenta. de preferência em sua primeira semana de vida. Northern e Downs (1996 apud PEDROSO. Hoje. 2006. erosões dos ossículos.tumores na orelha média. há vários diagnósticos e avaliações para um atendimento mais eficaz. a qual deve manter seus cuidados até mesmo antes da gravidez. a prevenção e a detecção precoce são de fundamental importância para minimizar suas consequências. são muitas as doenças que podem induzir a surdez em crianças e adultos. Todas as mães e pais podem e devem cobrar dos gestores municipais que disponibilizem .perfuração timpânica. deve ser feito. o Teste do Pezinho.38 Língua Brasileira de Sinais .Libras .infecções Crônicas do Ouvido (Otite média Crônica). . duas em mil adquirem a surdez na infância. Como vimos. 48) Uma em cada mil crianças nasce com surdez. que é um exame de prevenção realizado no recém-nascido com a finalidade de prevenir o desenvolvimento de doenças e permite identificar doenças graves que podem causar na criança. p.otosclerose ou aderências: Imobilização de um ou mais ossos do ouvido. No caso de as crianças possuirem fatores de risco para a surdez. Percebe-se que a maior incidência é através da mãe.

Língua Brasileira de Sinais - Libras

39

o exame grátis nos postos de saúde, mas, este teste não é um exame que diagnóstica uma surdez. Vários municípios do Brasil disponibilizam gratuitamente o Teste da Orelhinha (triagem auditiva neonatal). É um programa de avaliação da audição em recém nascidos, indicada por instituições do mundo todo para diagnóstico precoce de perda auditiva. Já as Emissões Oto acústicas Evocadas (EOAs) são indolores, com a colocação de um pequeno fone na parte externa do ouvido, com a duração médica de 3 a 5 minutos. Este sim é o primeiro exame a ser feito que pode diagnosticar a surdez ou um futuro problema de audição. Precocemente diagnosticado, a criança terá maiores condições no desenvolvimento da língua escrita e falada. Além destes exames, vamos conhecer outros que poderão ser indicados: - audiometria de tronco cerebral (BERA): avalia a audição periférica e a condução nervosa até o colículo inferior. É uma técnica não invasiva e objetiva, que pode ser aplicada em adultos e crianças de qualquer idade. O BERA é realizado dentro de uma cabine acústica, e utiliza 3 eletrodos de superfície, colocados Fonte: www.otorrinos24horas.com.br na fronte e mastóides. O resultado é expresso em um audiograma, que é um gráfico que revela as capacidades auditivas do paciente; - imitanciometria: neste exame, uma pequena sonda é posicionada, de forma indolor, na entrada do conduto auditivo externo do paciente. Neste exame, consegue-se obter dois tipos de testes:

40

Língua Brasileira de Sinais - Libras

• timpanometria, que avalia a complacência da orelha média, ou seja, a condutância sonora das estruturas das orelhas externa e média • reflexo estapédico, que avalia a integridade do arco reflexo estapediano e, por consequência, de forma indireta, as estruturas das orelhas média e interna, nervo auditivo e tronco cerebral. É de extrema utilidade para o diagnóstico das otites catarrais crônicas em crianças. As classificações da surdez dependem da lesão no ouvido e de acordo com seu período ou época em que ocorreu a perda da audição. TIPOS DE SURDEZ Surdez Pré Verbal São os surdos que nasceram ou perderam a audição antes de terem desenvolvimento da fala e da linguagem. Surdez Pós Verbal São aqueles que perderam a audição após o desenvolvimento da linguagem. Se você perceber alguém que troca de letras na fala e na escrita, com dificuldade de aprendizado, desatento, sem amizades e sempre isolados, isto pode ser um indicativo de um problema na audição. Encaminhe-o para um especialista em otorrinolaringologia. Surdo Cegueira É uma deficiência que apresenta a perda da audição e da visão simultaneamente, impossibilitando o uso dos sentidos criando necessidades especiais de comunicação e causa extrema dificuldade na conquista de metas educacionais, vocacionais e sociais.

Língua Brasileira de Sinais - Libras

41

Alguns portadores de surdo cegueira são retraídos e isolados, pois, se deparam com a dificuldade de se comunicar, não apresentam curiosidade, normalmente apresentam problemas de saúde que acarretam sérios atrasos no desenvolvimento, não gostam do toque das pessoas, não conseguem se relacionar com as pessoas se encontram dificuldade na habilidade com a alimentação e com a rotina do sono, têm problemas de disciplina, atrasos no desenvolvimento social, emocional e cognitivo e o mais importante, desenvolvem estilo único de aprendizagem. (HONORA, s/d, p. 122). Durante este capítulo, podemos conhecer a classificação da surdez e o tipo de surdo. Pois bem, para todo esse retrospecto, há motivos para que essas reduções ou perdas auditivas aconteçam e para cada uma questionamos: Quando? HONORA (s/d, 25-35), em diversos momentos apresenta algumas informações quanto a: CLASSIFICAÇÃO: • surdo cegueira total; • surdez profunda com resíduo visual; • surdez moderada ou leve com cegueira; • surdez moderada com resíduo visual; • perdas leves, tanto auditivas quanto visuais. TIPOS: • cegueira congênita e surdez adquirida; • cegueira e surdez adquirida; • surdez congênita e cegueira adquirida; • baixa visão com surdez congênita ou adquirida; • cegueira e surdez congênita.

42

Língua Brasileira de Sinais - Libras

CAUSAS: Alguns problemas e doenças podem causar surdo cegueira, como: • icterícia; • prematuridade; • sífilis congênita; • meningite; • síndrome de West; • anóxia; • fator RH negativo; • glaucoma; • síndrome de Usher; • toxoplasmose; • consanguinidade. FATORES DE RISCO: • epidemias de doenças como rubéola, sarampo, meningite; • doenças venéreas; • infecções hospitalares; • gravidez de risco; • Falta de saneamento básico.

Para Refletir
• Discuta com seus colegas: como podemos contribuir para a prevenção da surdez?

Língua Brasileira de Sinais - Libras

43

1.4 INICIAÇÃO

À LÍNGUA

Neste conteúdo, vamos iniciar os conhecimentos da língua propriamente dita, necessitando de sua intensa leitura e prática sobre os conhecimentos passados. ALFABETO MANUAL O alfabeto manual é produzido por diferentes formatos das mãos, que representam as letras do alfabeto escrito. Assim também, tem uma função específica para apresentação pessoal, “escrever” ou fazer a DATILOLOGIA no ar, o nome de pessoas e lugares ou elementos que ainda não têm sinal. Em geral, é um erro comparar o alfabeto manual com a Língua de Sinais. Quando houver necessidade de fazer a datilologia de palavras compostas ou de duas ou mais palavras seguidas, entre uma palavra e outra, dê uma pequena pausa (conte mentalmente até dois) e faça a palavra seguinte. Você conhecerá Intérpretes e até mesmo Surdos que usarão o “empurro das palavras” (um tapinha no ar) para separar palavras, mas este método não se usa mais, hoje ele é comparado ao braço da máquina de escrever, onde se deve dar um empurrão para dar início à linha de baixo.

44

Língua Brasileira de Sinais - Libras

A B C D E F G H I JK L m N OP Q R S T U V XY W Z
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V X Y W Z

Língua Brasileira de Sinais .Libras 45 Quem é quem? 01 – Chico 02 – Carlos 03 – Joyce 04 – Renan 05 – Marilene 06 – Maria 07 – Joyene 08 – Carol 09 – Regis 10 – Denis 11 – Juninho 12 – Juliano 13 – Marcio 14 – Priscila 15 – Patricia 16 – Marisa 17 – José 18 – Lourdes 04 ( ) 15 ( ) Renan patricia 05 ( ) marilene 16 ( ) Marisa 17 ( ) Jose 11 ( ) juninho 14 ( )priscila 3 ( ) joyce 9 ( ) reg is 7 ( ) joyene 2 ( ) carlos 13 ( ) marcio 6 ( ) maria 8 ( ) carol 12 ( ) julian o 10 ( ) Denis 1 ( )Ch ico 18 ( ) lourd es .

Prato: Prata: Pato: Mata: Carro: Amiga: Viajar: Longe: Homem: Sa boroso: .46 Língua Brasileira de Sinais .Libras Praticando a datilologia (alfabeto manual) Escreva o nome das palavras que se encontram no alfabeto manual.

você faz os número de roupas e calçados. Rapidez nas mãos não é prova de conhecimento. horas. dinheiro. ordem de chegada.Libras 47 Puxar: Caçar: Tele fonar: DICA: Para desenvolver com mais agilidade o alfabeto manual. Para fazer os números serão descritos em contextos como: com mais de uma casa número de casa. número números na ordem da sala de aula.Língua Brasileira de Sinais . Você deverá fazer a datilologia de todas as palavras. etc. decimal. pegue um livro e acompanhe o texto com as mãos. Temos os números cardinais DICA: representativos de códigos. explicativos. há uma especificidade entre as formas de fazer. NÚMEROS Em números. dores. idade. Faça de forma clara e sem pressa. Fique atento às duas formas. . ou seja. As configurações bem feitas em suas mãos valem mais que a velocidade. classificarepedindo-os em sinais. elas são importantes e farão diferenças em seu aprendizado.

48 Língua Brasileira de Sinais .Libras Veja como são eles: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 Agora vamos trabalhar com os números: Sem pesquisar a folha anterior. efetue as operações. 1 2 + 35 = 987 + 1 248 = .

4 51 66574 21 21524 .254 = 65 X 31 = 9x7= 585 x 641= 8 975146 : 2 = 465164 : 7 = 2196 : 2196= Acrescente o antecessor e sucessor dos números.5421 = 14257 .Libras 49 1000 + 6547= 9987 .Língua Brasileira de Sinais .

etc. . por exemplo: 2 lápis. 1 casa. 5 livros.50 Língua Brasileira de Sinais .Libras 37 219 654 999 6477 87 11 247 8 531841 3000 6187708 Outra forma de expressar os números é através dos numerais que usamos exclusivamente em contextos relacionados a quantidades como.. 3 amigos.

Após conhecer os números e suas estruturas. escreva (V) verdadeira ou (F) falsa nas estruturas com números cardinais e numerais. ) Brinquei com crianças de ) Tenho ) Comprei DICA: Assistir aos vídeos relacionados aos conteúdos é de grande importância para o aprendizado diário. 2 celulares.Libras 51 Veja a seguir com é feita a datilologia dos números: ABAIXO DAS MÃOS.Língua Brasileira de Sinais . . 1 2 anos. portanto. 7 anos e 2 meses. ESCREVER OS NÚMEROS CORRESPONDENTES. não deixe de fazer suas observações quantas forem necessárias. Não fique em dúvida. você tem várias ferramentas que possam lhe auxiliar. ( ) Moro na rua ( ( ( ( ) Tenho 21 de Abril número 118 . 32 livros.

. Para Refletir • Você acha que com apenas o alfabeto manual nas mãos é o suficiente para atingirmos a comunicação ideal para com os surdos? • Reflita. 2 amigas e 1 amigo da faculdade UNIT. para lhe atender. ) Este carro custou R$ ) Encontrei com ) Compre 10 quilos de carne para o churrasco. ) Estaremos de 290 mil exemplares ( ( ( ( 8 h. opine e discuta no Fórum do AVA suas ponderações sobre a reflexão. às 22 h. 65 mil.52 Língua Brasileira de Sinais .Libras ( ) Nas bibliotecas da UNIT há mais de de livros.

É importante que esta iniciação seja plena para podermos prosseguir nos estudos linguísticos da Língua Brasileira de Sinais. e é através do alfabeto manual e os números que se pode inicialmente estimular um contato inicial. já obtendo suas nomenclaturas atualizadas a favor de conceitos e de uma nova ideologia voltada aos surdos.Língua Brasileira de Sinais . assim. comunicação e atendimento às pessoas com surdez. podemos perceber que a Língua Brasileira de Sinais vem. . ganhando seu espaço junto à comunidade brasileira. A anatomia do ouvido e suas patologias é algo inegavelmente necessário para nosso conhecimento. trazem respostas importantes para o desenvolvimento e aprendizado das pessoas com surdez. pois. historicamente.Libras 53 Resumo Diante das tantas informações e curiosidades buscadas para atender o processo de aquisição de conhecimento. Observa-se que estamos iniciando a prática para nos comunicar com os surdos.

.

a Língua Brasileira de Sinais é constituída a partir de elementos de uma gramática formada das palavras ou itens lexicais e de um léxico que se estruturam a partir de mecanismos morfológicos. Essas estruturas. sintáticos e semânticos que apresentam características próprias e elementos básicos gerais. além de auxiliá-lo no encaixe dos parâmetros com os devidos movimentos dos sinais que encontraremos. VOCABULÁRIOS ICÔNICOS E ARBITRÁRIOS Segundo Brito (1995). .2 Estudos Linguísticos O objetivo temático presente é conhecer as estruturas gramaticais da língua de sinais dando embasamento para a criação do contexto. ditados populares e sentidos metafóricos. nos permitem fazer ironias.1 LÉXICO. 2.

Podemos compa- rar a soletração manual com as palavras que pegamos emprestadas do inglês como. “e-mail”.Libras Léxico Muitos pensam que a Língua Brasileira de Sinais (Libras) é apenas a comunicação através do alfabeto manual. Isso não é Libras.. por exemplo. Frango (isto é Libras) . mas. este é o sinal em libras. No entanto. AMIGO A – M – I – G – O (não é Libras) (em Libras) AMIGO TELEVISÃO T–E–L–E–V–I–S–ÖO Soletrar em alfabeto manual não é Libras FRANGO.. Podemos ser mais claros. sabem apenas o alfabeto manual e acham que soletrar letra por letra (datilologia) em Libras já é a própria língua. Como por exemplo: M-E-U N-O-M-E É . Libras não é a escrita através do alfabeto manual de uma palavra em PortuSinal de televisão (isto é Libras) guês. E faz toda esta frase através do alfabeto. na verdade. Em escolas infantis virou moda e brincadeira falar com as mãos e Libras é muito mais do que isso. Várias pessoas falam que sabem se comunicar através da Libras.56 Língua Brasileira de Sinais .

são o léxico ou itens lexicais. O alfabeto manual é um recurso usual e é oportunizado nos momentos de expressar nomes próprios. lugares. Os sinais em si. São sinais visualmente característicos com o que estamos acostumados a ver pela rua. então.Língua Brasileira de Sinais . mas transmitem o real. Sinais Icônicos e Arbitrários Icônicos: Qualquer leigo conseguiria entender este tipo de sinal.Libras 57 Acima podemos perceber que o empréstimo da palavra em Português está soletrado. mesmo antes de terminar este livro. um meio de conferir a ortografia em Português. palavras desconhecidas ou. Posso falar com toda certeza que ao menos 100 palavras em sinais você já conhece. Eles não são universais. Quero que você imagine e reflita qual sinal que poderia ser encaixado neste desenho: .

Libras Nas palavras abaixo. agora verá alguns sinais para você pensar qual é a palavra.58 Língua Brasileira de Sinais . Garfo Beber Sorvete . reflita como poderiam ser os sinais: Tchau Quantas horas Correr Depois Louco Macaco Mau cheiro Andar Coceira Escovar dente Forte Carona Ladrão Pescar Tonto Chapéu Mais ou menos Telefone Fotografar To nem aí Chorar Dormir Dinheiro Beijar Corpão Bebê Calor Varrer Revólver Cigarro Noivo Não Como você já viu as palavras e fez os sinais.

mas. Na verdade. idade. assim. tio. Além destas.Língua Brasileira de Sinais . queijo. Arbitrários: Os Sinais Arbitrários não parecem com a realidade. amante. Você pode ter imaginado vários movimentos. há muitas outras que certamente você saberia fazer. Para você entender melhor o que são Sinais arbitrários. sinais estranhos e cômicos. mas nunca pararam para pensar como são. verá alguns sinais e. não conseguirá se aproximar do correto. um leigo verá o sinal e não entenderá nada do que está sendo dito. necessitará um pouco mais de conhecimento da Língua de Sinais para conhecê-los e desenvolvê-los. solteiro e conhecer. suas tentativas serão mais difíceis do que ganhar na loteria porque estes sinais não se parecem em nada com sua realidade.Libras 59 Acredito que não encontrou dificuldade para idealizar os sinais e nem para acertar as palavras dos sinais acima. Tente imaginar como seriam os sinais das palavras: água. São sinais sem regras e não possuem formas convencionais. tente descobrir qual é a palavra: Professor Ônibus Barata .

léxico é comparado a que na língua de sinais? • Reflita de forma ampla sinais icônico presentes em sua vida. vou lhe ajudar. Leão Coco Juros Para Refletir • De forma simples.60 Língua Brasileira de Sinais . Você pode observar que estes sinais não são semelhantes com o real. são sinais arbitrários. Ficou fácil não é? “barata”. vou dar uma dica: é um inseto. .Libras Conseguiu decifrar os sinais? Vamos lá. Na primeira figura. Os dedos estão relacionados às antenas do inseto. Na segunda e terceira imagens relacionam-se os sinais de “professor” e “ônibus”... portanto.

2 ESTRUTURAS MANUAIS. às vezes. As estruturas sub-lexicais.1). Podemos comparar os fonemas e. “o sinal é formado a partir da combinação do movimento das mãos com um determinado formato em um determinado lugar. O sinal de “TV” tem a configuração de mão em “L”. Iremos identificar a mão predominante como sendo aquela com a qual que temos mais facilidade de movimentação: mão direita para os destros e mão esquerda para os canhotos. manual. p. os desenhos que as mãos tomam na realização do sinal. SUB-LEXICAIS E SUAS EXPRESSÕES NÃO Segundo Felipe (apud QUITES. No quadro a seguir você verá diversas configurações apresentadas em Libras. s/d. os morfemas as articulações das mãos as quais são chamadas de PARÂMETROS. Sinal de televisão . CONFIGURAÇÃO DAS MÃOS (CM) São as formas. Esta estrutura compõe-se de 5 parâmetros.Libras 61 2.Língua Brasileira de Sinais . Podem ser oriundas7 do alfabeto manual e dos números ou em outras configurações não oriundas feitas pela mão 7 Configuração originada do alfabeto predominante do emissor. podendo este lugar ser uma parte do corpo ou um espaço em frente ao corpo”. fazem parte da gramática da Língua de Sinais. as configurações.

62 Língua Brasileira de Sinais .Libras .

boca.Mão: palma da mão. olhos. as especificações seguintes aos pontos são apenas uma referência para você se localizar mais precisamente. tronco. Admirar .Cabeça: queixo. ombro. (Acostumar) . anelar e mínimo). dedos (polegar. Ter .Espaço Neutro: A frente do tronco ou acima da cabeça. barriga. Exemplo: Eu não posso falar que o Ponto de Articulação de uma tal palavra é testa e sim cabeça. dorso da mão.Tronco: cintura. braço. bochechas. . indicador. maçã da face. Podemos incidir a mão configurada nos seguintes pontos: . mão e espaço neutro. (Roubar) (Trabalhar) Os Pontos de Articulação são cabeça. pois. braço. antebraço. cotovelo. orelhas. nariz. médio.Braço: pulso. testa. pescoço. a mão configurada em “4” está no ponto de articulação “cabeça”. busto.Libras 63 PONTOS DE ARTICULAÇÃO (PA) São os lugares de onde a mão predominante configurada se aproxima ou incide. .Língua Brasileira de Sinais .

é preciso haver um Objeto e um Espaço. contorno e movimento das mãos. . as mãos do sinalizador representam o objeto. Portanto.Libras MOVIMENTO (MV): Na Língua de Sinais. enquanto o espaço é a área onde se realiza o movimento. Analisa-se o movimento por: tipo.Tipos: Busca o contato. Contato Exemplos Deslizamento Tocar Agarrar Riscar Pincelar Escovar Ligação Quente Experiência Músculo Coitado Varrer Lavar roupa Unir Interação Alternado Cruzado Inserção Aproximação Separação Exemplos Discutir Fugir Dentro Combinar (acordo) Longe . interação. para a realização do movimento. maneira e frequência das mãos configuradas. direção.64 Língua Brasileira de Sinais .

O direcionamento auxilia a quem estamos apontando.Direção: Os movimentos podem ser analisados de quatro formas quanto aos seus direcionais. EU TE AJUDO faz o sinal direcionando a quem irá ajudar enquanto VOCÊ ME AJUDA a direção do sinal é de quem vai ajudar para quem está fazendo o sinal.Língua Brasileira de Sinais . por exemplo. são paralisados junto ao corpo.Libras 65 Contorno Exemplos Circular Semicircular Helicoidal Solteiro Antes Todo dia Sinuoso Sempre Movimentos das mãos Exemplos Desdobramento simultâneo dos dedos Dobramento simultâneo dos dedos Abertura simultânea dos dedos Fechamento simultâneo dos dedos Abertura gradativa dos dedos Fechamento gradativo dos dedos Demitir Saber Bruto Cheirar Madrugada Roubar . como: . • Não direcionais é sem movimento.

movimentam apenas para uma direção. político Sanfona. não . com licença Pequeno Amplo • Bidirecionais. Para frente e para trás Comparar Para cima e para baixo Para direita e para esquerda Nunca.66 Língua Brasileira de Sinais . movimentam em direções diferentes e simetricamente com uma ou duas mãos.Libras • Sentimento Admirar Culpado Rei • Unidirecionais. Para direita Para esquerda Para baixo Morrer Camarão Deficiente Para cima Para frente Para trás Para o centro Para as laterais Deus Ir Por favor.

acessobrasil. Ex.Libras 67 • Multidirecionais. Ex. • Velocidade e tensão positiva – Um sinal feito com uma velocidade mais intensa e tensão do início ao fim. Ex. responder.: Calmo . como os sinais a seguir: Incomodar Chato Amolar DICA: Acesse o dicionário virtual: http://www.Frequência: Destaca a repetição do movimento.org. Este site será seu grande amigo.Maneira: Refere-se à velocidade e tensão do movimento. • Simples – Sinais com apenas um movimento ou que não necessita de várias movimentações com a mesma mão configurada para originar o sinal. sinais que se utilizam em várias direções e exploram vários itens lexicais.: Rápido • Velocidade e tensão negativa – Sinal mais vagaroso e frouxo.br/libras e veja os sinais das palavras em exemplo. .: Sentar.Língua Brasileira de Sinais . .

conseguimos chegar à totalidade das informações desejadas com as mãos.: Combinar (programar). Os quatro parâmetros. com auxílio deste quinto. discutir. formam-se os sinais. Quando um sinal tem sua direção e há uma inversão. ou seja.68 Língua Brasileira de Sinais . contrário ou concordância. rir.Libras • Repetido – Necessita de uma série de repetições para que o sinal tenha originalidade. Palavra Ter Triste Cinza Aeroporto Avião CM L Y C Y Y PA Tronco Cabeça Mão Braço Espaço neutro MV OR Peito EFC Tristeza Soprar Soprar • Queixo Dorso da mão Braço A frente do tronco . namorar. No conjunto destes elementos. chorar com as mãos. ORIENTAÇÃO (OR) Tende a nos facilitar para melhor compreender. Ex. é possível falar. EXPRESSÃO FACIAL E /OU CORPORAL (EFC) As expressões facio/corporais são componentes extremamente importantes para qualquer transmissão em Língua de Sinais. significa a oposição.

Pense a cara que você fez ou faria. do corpo e da face na mesma tonalidade do orador. mas primordialmente melhorar a comunicação com o receptor. a face é a que melhor detalha a expressão em um contexto.Língua Brasileira de Sinais . É nela que há diversas modificações que permitem conduzir uma comunicação eficaz. ao ambiente e ao tom da voz transmitida. .uma criança vem correndo para os seus braços. a expressão não manual tem como finalidade não só de incluir aos meios gramaticais. Qual seria sua reação? A reação e a ação é um modo de expressão. funciona como meio visual de reforçar uma ideia que está sendo transmitida e. é preciso saber adequar as expressões ao contexto. Que cara heim! . . Vamos lembrar algumas situações que possivelmente você já percebeu ou passou por elas: . Assim. Dentre todas as partes do corpo.Quando na TV a repórter retrata um assassinato cruel e ainda mostra as imagens. você olha para o alto e vê que o tempo fechou e que em poucos minutos vai ‘descer água’ e você está sem guarda-chuva. terá que transmitir através das mãos. e este é um dos pontos que merecem uma atenção constante.Libras 69 EXPRESSÕES NÃO MANUAIS Também chamadas de Expressão Corporal e Facial. caso não seja feito similar a palavra desejada.Na rua. caro aluno. Assim. de nada valeria uma sinalização bem feita com as mãos se acompanhada por uma expressão facial e/ou corporal inconveniente ou apática. em outras ocasiões. a um metro de chegar ela tropeça. pois você. chega até mesmo a confundir-se com o próprio argumento. uma vez que é a região do corpo mais observada pelos surdos. Para sinalizar com eficiência.

in.Libras Para as expressões não Quando seus amigos manuais. a única maneira de absorver o conhecimento da Libras é treinando-a frequentemente. . dor. alegria.Nossa. A expressão facial deve sempre guardar relação com a mensagem que se deseja transmitir. arrogância. como já disse. fecha as mãos. tristes bém a movimentação dos bra. . timidez e utilizar na comunicação com o Surdo vários outros sentimentos. pois.ou alegres. algo que somente torna-se possível através do exercício e da prática. ela emana tam. pernas e tronco simultane. caminha ‘de lá pra cá’. soprando. e isto se dá pelo fato de que o semblante funciona como um indicador da sinceridade daquilo que é falado. ringe os dentes. devendo procurar uma você já capta e comenta: sincronização do corpo por in. e a melhor maneira de se conseguir falar com convicção e segurança consiste em conhecer tais expressões e saber utilizá-las adequadamente. treme a cabeça.estão chateados. .inconformidade. fecha um pouco os olhos.mesmo sem falarem algo amente. Vamos conhecer alguns métodos: . Deve atuar como um reforço daquilo que está sendo dito. frio. abaixa a cabeça e salienta a expressão negativa (não).. paz. Com o corpo e a face você você está triste?” É com a mesma consegue transmitir: insegurança. você repara e ços.70 Língua Brasileira de Sinais ..produção que você deve veja. não apenas a cabeça é fundamental. tristeza.agressividade. “Como você está alegre hoje!” ou “Por que teiro.impaciência.

. Sua face e seu corpo em uma ação ou reação ocasiona uma expressão não manual espontânea e é nela que você deve espelhar.Libras 71 Qual é a expressão? .testa franzida e boca torta para o lado. .sobrancelhas levantadas.postura rígida.Língua Brasileira de Sinais . tronco bem ereto. . olhar de espanto.sobrancelhas abaixadas e dentes cerrados. .balançando para um lado e outro com os braços colados ao corpo.boca em O.sobrancelhas levantadas e boca aberta.olhos cerrados. . boca aberta. . .puxar o tronco para trás ou para frente. . . olhos arregalados e lábios cerrados.

não há necessidade de serem seguidos pelo sinal de homem. assim como das regras que determinam a formação das palavras. mas a intensidade e a expressão são necessárias para distinguir a proximidade do presente. Uma particularidade envolve quando referimos ao modo masculino. na maioria das vezes terá o sinal próprio.Libras Para Refletir • Perceba as expressões que faz parte de nosso cotidiano e veja qual a que mais se encaixa ao seu perfil. Já no presente. Morfologia é o estudo da estrutura interna das palavras ou dos sinais. O passado é feito com movimento sobre o ombro atingindo atrás da orelha e quanto mais distante for este passado. que significa forma. indicamos o sexo a partir do sinal de homem e mulher. A palavra morfema significa morfhé. frio e sim com passado e futuro. Mulher Tempo: O tempo. p. caracterizando quanto ao: Gênero: Em sinais. mais distancia e intensidade você coloca no sinal. Homem . sempre que você sinalizar no gênero masculino. não correlaciona com o estado do tempo como chuva. A Língua de Sinais possui também um sistema de estrutura e formação de palavras como nas línguas orais.72 Língua Brasileira de Sinais . 2. calor. 65).3 MORFOLOGIA E SEUS ESTUDOS INTERNOS Segundo Quadros (2004. Independente de serem pessoas ou animais. Os morfemas são as unidades mínimas de significado.

com o dedo ou com a cabeça. curto). ACREDITAR mais o movimento negativo com a cabeça. LEXICAL Amigo Possibilidade Chorar Fofocar GRAMATICAL (s) plural (im) negação aos prantos fofocar sem parar Você utiliza os sinais várias vezes para impor a gramática fazendo a diferença entre o normal e o aumentativo ou negativo.Com a cabeça: sinal “não precisa” PRECISA.Libras 73 Grau: Diferencia-se pela intensidade. terá os morfemas em LIBRAS. . A partir de suas unidades mínimas de significação. MORFEMAS LEXICAIS E GRAMATICAIS Os morfemas lexicais ou gramaticais nem sempre formam palavras equivalentes ao Português. bonitinho). veja exemplos: . lindo.Com o dedo: “não pode” (definitivamente) PODE mais o sinal o não com o dedo. Na Língua de Sinais. . E outros pela intensidade da expressão como: (bonito. temos mais um que é com o sinal próprio e cada um deles usará em situações específicas. movimento e velocidade como: (cheio. está acostumado em seu dia-a-dia de fazer “NÃO” de várias maneiras. Negação: Você aluno. .Sinal próprio: “não pode” (por enquanto) NÃO sinal próprio. além destes dois recursos.Língua Brasileira de Sinais . PODE. seja.

é nesta modalidade que exploramos o que está em volta do corpo. ANO QUE VEM). presente e futuro com os sinais de “ontem”. não haverá perigo de ambiguidade. “hoje”. mais distante é o tempo (MUITOS ANO ATRÁS). “agora”. “ano passado”. Quando necessitar marcar o tempo. ELE CHORAR. TENTAR VÁRIAS VEZES FALAR AMIGO (Eu tentei por diversas vezes falar com meu amigo) refere a uma ação que tem uma continuidade o “TENTAR” sofreu alteração.74 Língua Brasileira de Sinais . A utilização da expressão corporal neste momento é importante para expressar o passado e futuro. não tem os tempos verbais (conjugação dos verbos) Tentar como no Português. assim. os itens lexicais ou os advérbios que irão referir-se o passado. Isso nos faz considerar que realmente a Libras é uma língua que depende do visual-espacial. utilizou apenas uma vez. Quanto mais você joga o corpo. enquanto o Aspecto Verbal Continuativo dá a continuidade e se dá uma outra palavra. as palavras vem todas no verbo infinitivo (EU BRINCAR. .Libras ASPECTO VERBAL PONTUAL E ASPECTO VERBAL CONTINUATIVO O Aspecto Verbal Pontual distingue-se por se trazer a uma ação ou evento ocorrido e finalizado em algum ponto bem definido. ITENS LEXICAIS PARA TEMPO E MARCA DE TEMPO Na Língua Brasileira de Sinais. “semana que vem”. jogando levemente o corpo para trás quando passado e para frente quando futuro (ANO PASSADO. etc). ELE TENTAR FALAR AMIGO ONTEM (Ele tentou falar com o amigo ontem). Se você utilizar o sinal “tentar até conseguir” ou “tentar sem parar” EU TENTAR. concluiu o “tentar”.

de um papel e de uma pessoa são totalmente diferentes na realidade. bater. repetições sucessivas. utilizaríamos a mesma entonação. em uma apreciação poderemos falar “a moto caiu no asfalto”. . isso porque o cair de uma moto. os sinais são feitos de forma mais acelerada e força. O “caiu”. pois.Libras 75 INTENSIDADE E QUANTIFICAÇÃO A intensidade ocorre quando o sinal conduz movimentos longos em ritmo ligeiro. INCORPORAÇÃO DE ARGUMENTO O método de incorporação de argumento é muito frequente e visível na Língua Brasileira de Sinais devido às características espaciais. Exemplo: CHUVA (feito de forma branda). várias vezes. porém. torna-se muito variável na Língua de Sinais. e na LIBRAS corresponderá a um sinal diferenciado. podemos escrever ou falar a palavra “CAIU”. necessita haver transformação em suas frases de acordo com cada contexto. “a criança caiu em casa”.bater até que quebre). Em nossa Língua Portuguesa. a mesma escrita mas logo já sabemos a qual sentido e como seria na prática. • BATER ATÉ QUEBRAR (sinal de bater. com mais intensidade e expressão.Língua Brasileira de Sinais . “o papel caiu do chão”. • Já a quantificação é obtida com o uso de quantificadores como MUITO. TEMPESTADE (feito com intensidade. O complemento da frase do verbo “cair”. trás informação da ação de alguém ou alguma coisa. rápido) • Usará o mesmo sinal. seria mais obvio ir direto ao real do que interpretar a palavra e depois explicar o significado dela. bater. Exemplo: em Português. ou seja.

e iremos observar que as primeiras palavras são constituídas . como seria uma ação do corte? Poderia ser com caco de vidro. mas a ação não será da mesma forma dos cortes acima e para cada corte há uma série de feitio diferenciada e isso terá que ser passado ao surdo de forma clara e eficaz. gilete de barbear.76 Língua Brasileira de Sinais . “vou cortar um papel”. “vou cortar uma árvore” ou “vou cortar o dedo”. E o dedo. suas palavras por derivação são formadas através dos sinais e não pela escrita. uma faca e até mesmo com uma folha de papel.Como você cortaria um papel? Com tesoura ou com um estilete? . precisará de bons anos para conseguir derrubá-la. . mas.Libras Vamos ver como ficaria em outro exemplo: Usando a palavra “CORTAR”.Vamos cortar uma árvore juntos? Com que você gostaria de cortar? Certamente você não cortaria da mesma forma que o papel. FORMAÇÕES DE PALAVRAS POR DERIVAÇÃO E POR COMPOSIÇÃO Lembrando que estamos falando da Língua de Sinais. preciso que você após esta leitura vá aos recursos do vídeo. estas frases contêm variantes de incorporação e argumentos. mas se você pensou em cortar um tronco desta espessura com um estilete ou uma tesoura. Vou lhe ajudar a ir mais longe. vem em nossa mente várias frases que poderia encaixar esta palavra.

“NÃO QUERER” é derivado do “QUERER” pelo meio de afixo negativo. traga para dentro da Libras situações que provocariam diversas formas de expressar com as mãos. vejamos como ficaria a ilustração. transforme sinais que você já conhece de forma que a derivação e composição se altere. • Sem usar palavras verbais no diminutivo ou aumentativo. O processo de composição pode ser também a união de dois sinais simples para formar um sinal composto. “FEIOSO” é derivado do “FEIO” através da expressão facial. Por este método. “TENTAR ATÉ CONSEGUIR” explora o aspecto continuativo e é derivação de “TENTAR”. “PAPEL HIGIÊNICO” (PAPEL + BANHEIRO) “ALUNO”: (PESSOA + ESTUDAR) Para Refletir • Revendo a Incorporação de Argumento. O sinal de: “ESCOLA” necessita de uma adjunção (CASA + ESTUDAR).Língua Brasileira de Sinais .Libras 77 a partir de seus radicais aos quais se ligam aos afixos ou morfemas gramaticais. assim como “FEINHO” grau diminutivo utilizado pela adjunção da expressão facial. .

4 DIFERENÇAS BÁSICAS PALAVRAS EM LIBRAS Sinais que utilizam a configuração das mãos oriundos do alfabeto ou números. SILÊNCIOetc. “5”etc. DOMINGO. Exemplo: configuração em “D” – TODO DIA. “Y”.78 Língua Brasileira de Sinais . Configuração de mão em “5” (QUINTA-FEIRA) Configuração de mão em “L” (ONTEM) As “palavras” deverão ser feitos com a sua mão predominante e que não tenha o Ponto de Articulação braço e mão. EU. não há necessidade da Configuração da Mão ser oriundo do alfabeto ou dos números. PALAVRAS SIMPLES Para as Palavras Simples. DEUS. ou seja. “P”.Libras 2. deverão ser feitos também com a sua mão predominante e não ter Ponto de Articulação braço e mão. . sinais com configuração em “B”. mas. “2”.

Língua Brasileira de Sinais . CAVALO PESSOA PINGA CACHAÇA SAL .Libras 79 As configurações poderão ser as seguintes: Exemplos: Perceba que a mão não tem uma configuração igual às letras do alfabeto ou dos números.

Vejamos os exemplos: COMER + NOITE (jantar) CASA + REMÉDIO (Farmácia) VENDER + CARNE (Açougueiro) TENDA + PALHAÇO (Circo) . uma palavra simples em Português pode formar uma palavra composta em Língua de Sinais.80 Língua Brasileira de Sinais . as Palavras Compostas são combinações de dois ou mais sinais onde irão formar a palavra. então não há uma regra que relacione a Língua de Sinais com a Língua Portuguesa.Libras PALAVRAS COMPOSTAS Como já vimos anteriormente no processo de formação de palavras por composição. Não podemos esquecer que a palavra composta na Língua Portuguesa não interfere a Palavra composta da Língua de Sinais. assim como. havendo mais de um sinal para uma palavra ela é uma Palavra Composta. temos que levar em conta a movimentação dos sinais. uma palavra composta no Português é uma palavra simples na Língua de Sinais.

(Férias) A mão predominante se movimenta de cima para baixo tendo como base o ante-braço.Libras 81 CAIXA + GUARDAR + GARFO + COISAS (Faqueiro) PALAVRAS DE DUAS CONFIGURAÇÔES DIFERENTES São palavras realizadas com dois movimentos diferentes. Utilizaremos movimentos com as duas mãos e configurações diferentes ou a mão predominante configurada sobre o braço como ponto de articulação.Língua Brasileira de Sinais . ou seja. será feito com as duas mãos simultaneamente e com a mesma Configuração de Mão independente do movimento ou da orientação. Podemos falar que são sinais fáceis de sinalizar e de visualizar. temos que lembrar que a mão predominante deverá estar igual a outra mão . Para você entender melhor. ou seja. (banheiro) PALAVRAS DE MOVIMENTOS IGUAIS Palavras com movimentos iguais são as palavras a quais podem ter dois ou mais movimentos iguais. veja os exemplos: Mão predominante em “F” sobre a outra mão com outra configuração. uma mão configurada não pode ter a mesma configuração da outra mão.

82 Língua Brasileira de Sinais . Diante dos exemplos abaixo Podemos ver a Diferença: COVA ESCOVA (dente) ESCO ESCOVA (cabelo) . “B” mão direita e “B” mão esquerda podemos formar o sinal de (CASA). são Homônimos Homógrafos. palavras que têm grafia igual e significado diferente e haverá também sinais díspares. Temos outros exemplos que poderão ser úteis para o seu aprendizado. CANTAR (música) e CANTAR (paquerar). isto é. NASCER QUERER PROIBIR PALAVRAS DE SENTIDOS E SINAIS DISTINTOS Estas palavras mantêm a mesma escrita no Português.Libras que fará o Ponto de Articulação. como por exemplo: MANGA (fruta) e MANGA (camisa). CAIR do skate (verbo) e CAIR na gandaia (festa). Então se sua Mão predominante está configurada em “B”. o Ponto de apoio deverá também estar em “B”.

MEDO. DICA: Sempre que você encontrar dificuldade em achar o sinal de uma palavra. DESGOSTOetc. JURURU. faça você mesmo o sinal. TRANQUILO. RECEIO. Além de apenas visualizar o sinal. Vejamos mais alguns exemplos: CALMO. Para o sinal de TRISTE conforme o sinal na figura ao lado pode-se expressar também como: INFELIZ. MAGOADO. ABATIDO. SERENO.Língua Brasileira de Sinais . PLÁCIDO. repita seus sinônimos juntamente com sinal por diversas vezes. teremos o mesmo sinal para as palavras sinônimas.Libras 83 BANCO (assento) BANCO (agência bancária) PALAVRAS DESSEMELHANTES NA GRAFIA E COM O MESMO SINAL Estas palavras poderão conter o mesmo sentido. DEPRIMIDO. SOSSEGADO. AMENDRONTADO. Resumindo. em Libras terá o mesmo efeito. TEMOR. mas sua escrita no Português será diferente e terá o mesmo sinal na Língua de Sinais. ASCO. . procure o sinônimo dela.

As anotações de suas dúvidas poderão ser úteis em sua monografia. Temos como exemplo várias frases interrogativas: . Para Refletir • Juntando todas estas diferenças em palavras.Qual é o seu nome? Sinal de NOME + expressão [?] . . monte uma frase sua contendo pelo menos 3 tipos de palavras e destina ao AVA para discutirmos com os demais colegas.Libras FRASES COM APENAS UM SINAL São frases que poderemos fazer com apenas um sinal.Onde você mora? Sinal de CASA + expressão [?] .84 Língua Brasileira de Sinais . Este sinal será relevante ao que o contexto condiz e será acompanhada da expressão facial e ou corporal. lá você verá diversos exemplos que poderá lhe ajudar a aprender melhor.Qual é o seu sinal? Sinal de SINAL + expressão [?] DICA: Não deixe de assistir os vídeos e reveja quantas vezes for necessário.Quantos anos você tem? Sinal de IDADE + expressão interrogativa [?] (levante as sobrancelhas e o queixo) .

A morfologia e seus estudos internos determinam a estruturação das palavras quanto ao seu gênero. um auxílio a toda estrutura contextual da Libras. grau e negação determinando suas incorporações que conduz aos movimentos ideais. . tempo. Observado as diferenças básicas em Libras. conhecemos os diversos tipos de palavras dentro da Língua Brasileira de Sinais. a expressão corpo facial. facilitando assim a compreensão da língua. e compreendemos as estruturas dos sinais “populares” como os sinais icônicos e dos sinais arbitrários que deverão ter seus fundamentos estudados.Libras 85 Resumo Os estudos lingüísticos da Língua Brasileira de Sinais projetam o conhecimento para diferenciar a Língua de Sinais do Português. As estruturas sub-lexicais e suas expressões trata a primeira parte teórica da Língua de Sinais obtendo 5 parâmetros importantes na compreensão dos sinais. tendo como quinto elemento.Língua Brasileira de Sinais .

.

SURDEZ: INTERAÇÃO E IMPLICAÇÕES Parte II .

.

gostosa de aprender e comunicar. dicas de como superá-la e aprendê-la. seus auxílios. Esta modalidade espaço-visual é. pois uma não se faz sem a outra. iremos interagir conectando estas duas partes. sentimentos. emoções e ideias. história de vida e cultura. valores. . 3. tivemos o embasamento da língua de sinais. reagirão a partir de suas crenças. além de gratificante. A partir de agora. por sua vez.3 Surdez e Interação Na unidade anterior. podendo influenciar o comportamento das pessoas que.1 ASPECTOS COMUNICATIVOS CORPORAIS E CLASSIFICADORES A Comunicação Corporal é um artifício de interação com o qual compartilhamos mensagens.

ao momento e à mensagem. ASPECTOS COMUNICATIVOS CORPORAIS A linguagem corporal. colaborador ou intermediador. Falar com o corpo é expressar sentimentos. cujos significados são influenciados pelo .90 Língua Brasileira de Sinais . terá que entender e valorizar a forma de interação dos surdos. A voz do corpo (linguagem corporal) proporciona um suprimento eficaz. ganhamos indiretamenou negativo do especte um incentivo para continuarmos nos cotador sobre o desemmunicando com as mãos e com o corpo.Libras A comunicação servirá para seu dia-a-dia desempenhando diversas atividades. tornando-a real. exigindo uma habilidade que tende a facilitar o alcance dos objetivos que é passar a informação. repassando qualquer sentimento e emoção positiva ou negativa. a sua função como educador. penho da pessoa que Para você manter um padrão de excepassou a informação. emoções e transmitir mensagens. Dentre elas. tem um grande valor para a comunicação espaço-visual e sempre deverá ser inserida aos sinais destacando realidades e expressões diversas a fim de potencializar e auxiliar na clareza da contextualização dos sinais. Ao recebermos um feedback 8 FEEDBACK: É o positivo do surdo. conseguimos nos autoretorno visual positivo analisar. a linguagem não-verbal será um meio de interação que possibilitará ao surdo compreender seus efeitos e suas inúmeras mensagens manifestadas corporalmente. porém. através da Língua de Sinais. com isso. lência em linguagem ou expressão corporal. Este tipo de linguagem aproxima o comunicador da Libras ao surdo. objetivo. Por considerarmos afirmativas essenciais para o aprimoramento profissional. O anseio positivo e o impacto facial e corporal são fundamentais em um contexto e poderão ser utilizados a todo momento em uma interpretação. deverão ser adequados ao ambiente. assertivo e contribui para a clareza da mensagem.

Libras 91 contexto. tristes. mutuamente.Língua Brasileira de Sinais . O conhecimento deste recurso é um meio de ampliar a percepção de quem realmente precisa e é mais um instrumento para melhorar a qualidade da conversação da Língua de Sinais. sentimentos. vocês deverão se lembrar das diferentes crenças. “É preciso valorizá-la. IMPORTÂNCIA DA LINGUAGEM CORPORAL Você já deve estar cansado(a) de saber da importância da expressão facio/corporal. A busca de uma solução reflexiva é que resgata e valoriza a Interpretação e a construção de seu conhecimento. Somente com este tipo de comunicação ele pode perceber as mensagens implícitas. ou explícitas. Assim. . reações de forma que os surdos consigam assimilar o sinal com a expressão. cansadas ou oprimidas. através da linguagem corporal. Além disso. a comunicação visual é o instrumento mais importante do ser surdo. de falar e promover atitudes diferenciadas saberemos se estão ou são alegres. valores e culturas que permeiam estas relações e estar conscientes da influência que sofremos e exercemos. A trajetória da expressão corporal pode transformar as interações em situações de “troca”.” Como profissionais que estarão em constante interação com outras pessoas. de andar. a função da linguagem corporal é expressar. é importante que você também tenha conhecimento da sua influência e da maneira como empregá-la corretamente. através do corpo. desempenhando um papel de suma importância no contexto da comunicação. Ao observarmos o simples modo de se vestir das pessoas. observá-la e utilizá-la. emoções. que venham a ser enriquecedoras para os envolvidos no processo de comunicação. FUNÇÃO DA LINGUAGEM CORPORAL Como já disse no início do capítulo.

Coçar a testa. pensamento. agressividade Superioridade. Expressões não verbais Roer unhas. . Falta de olhando para baixo desmotivado. a mensagem verbal é contrária ao que é expresso pela comunicação corporal. mas se bem utilizada será muito mais fácil o entendimento de seu aluno. emoções e exterioriza conteúdos. as expressões no quadro a seguir são apenas indícios. esfregar as unhas Parar com as mãos na cintura Levantar o nariz e virar o rosto Possíveis Interpretações Ansiedade.92 Língua Brasileira de Sinais . aborrecimento tronco Braços cruzados no peito Defensiva Dedo indicador na fronte ou Avaliação. vontades. olhos fechados Andar de um lado para o outro Desviar o olhar Avaliação negativa Impaciência. Mãos fechadas. interação e de manifesta sentimentos. curvar o Cansaço. rugir os dentes Frustração.” (CORRAZE. paciente. ódio. cliente. coçar o queixo Andar com as mãos nos bolsos. EXPRESSÃO E MOVIMENTO As expressões e movimentos do corpo são formas complexas de comunicação. amigo. Leitor. 37). 1982. e a linguagem corporal deve ser sempre interpretada dentro do contexto comunicativo. p. Orgulhoso Coçar sobrancelhas. ou seja. a comunicação não-verbal modifica o significado da fala. “O movimento corporal se faz palavras para aqueles que estão atentos e envolvidos na comunicação.Libras Muitas vezes. insegurança Incompreensão. Desconfiança entusiasmo.

37) adverte que “quando se mostra a existência de formas universais nas mensagens não-verbais.Língua Brasileira de Sinais . COMUNICAÇÃO E SURDEZ A pessoa com surdez adquire sua linguagem corporal naturalmente. no processo de comunicação não-verbal. o espaço utilizado. A partir do momento em que uma pessoa com surdez percebe que suas expressões tomam um progresso e se torna necessidade para a comunicação diária. o toque e os fatores do ambiente inseridos 9 Cinésica: falar em um determinado contexto. Situações espontâneas de relacionamento entre pais. sua atenção e ajudando-os a se expressar por atitudes corporais e.” Isto é. mas Corraze (1982. . mantendo. sequencialmente. além de adquiri-la também se ao relacionar com outras pessoas. Para Piaget. passando a explorar cada vez mais estes recursos. p. É ela que torna possível a comunicação entre as pessoas. professores podem realizar estimulação e interação através da linguagem corporal. O signifisem ser exclusivamente cado atribuído vai depender de todos estes pela palavra oral. amigos. não se pode deixar de pensar que a cinésica9 só estuda uma parte delas. É uma característica própria dos surdos.Libras 93 A literatura em geral não conceitua especificamente a linguagem corporal. a linguagem é um sistema para representar a realidade. transforma-las em auxílio para os próprios sinais. a transmissão de informação e a troca de experiência. passa a espelhar involuntariamente todo seu estigma através de sua face. assim. é necessário muito mais do que apenas a linguagem do corpo. Há que se considerar o tom da voz. elementos interrelacionados. seus gestos e seu corpo.

tornando mais intensos e perceptíveis os significados do emitir. uma vez que as expressões faciais e corporais são recursos mais difíceis na comunicação da Libras CLASSIFICADORES Com este recurso sim podemos falar que conseguiremos atingir a língua de forma que os surdos de qualquer lugar do mundo compreendam a língua. sendo chamados verbos de movimento ou de localização. atores. etc. a descrição. gestos e pantomima. A pantomima na verdade é um teatro gestual que utiliza o mínimo possível de palavras oralizadas e faz um maior uso de gestos.94 Língua Brasileira de Sinais . Esta modalidade não está ligada à Língua de Sinais. já sabe que para a Língua de Sinais a reprodução. É uma representação praticamente universal entendida facilmente por todos. animal e objetos e funcionam como marcadores de concordância. É uma artifício de narrar com o corpo em modalidade cênica. costuma ser exagerada e chama muito a atenção de quem vê. Você. dizendo que tudo faz parte da Língua de Sinais. pois. . pode ser um bom suporte para ajudar o surdo a se desprender da timidez e começar a fazer expressões de forma mais natural. excelente para comediantes. indicando o objeto que se move ou é localizado. o movimento e sua relação espacial são essenciais. BRITO (1995. 103) diz que os classificadores funcionam como parte dos verbos em uma sentença.Libras PANTOMIMA Muitos confundem expressões corporais. O classificador é um feitio que estabelece um tipo de concordância em que suas configurações de mãos se referem à pessoa. expressões faciais. mas. cômicos. p. sinais. a forma. aluno(a).

.Língua Brasileira de Sinais . . a qual atribui quanto ao seu tamanho. nada têm em comum com mímicas. Esta forma é o classificador de PEGAR DADO PEQUENO). Os classificadores tornam mais vivo e compreensível o significado do que se quer proferir representando por uma adjetivação descritiva. representam características físicas do referente como o nosso próprio comportamento ou movimento.PEGUEI UM PEQUENO DADO (você terá que lembrar que o DADO é pequeno e que você pegaria com apenas dois dedos. marcado por duas ou mais pessoas ou animais simultaneamente com as duas mãos ou com dois dedos (DOIS LEÕES ANDANDO).Libras 95 Os classificadores são representados por configurações específicos de mãos ligadas às expressões corpo/faciais. sequencialmente relacionando a forma de andar do animal. forma e espessura.MARIA EDUARDA passou por PEDRO (representação de um dedo passando pelo outro dedo da outra mão). Para classificadores de animal e pessoa poderá haver singular sinalizando com apenas uma mão ou um dedo fazendo o movimento (UMA PESSOA CAMINHANDO) e no plural. Os classificadores. Imagine você pegando um dado. na maioria das vezes. o que confere grande flexibilidade denotativa e conotativa aos sinais. Veja algumas frases que devem ser feitas de forma diferenciada devido a sua ação: . logo.

mas esta descrição não é um classificador. e sim um adjetivo que. na frase: “O casaco da minha mãe ‘Lisa’ é de bolinhas ou listrado”? Estas expressões serão desenhadas no peito do sinalizador. de chamar a atenção. Como seria isso no real? Não se deve confundir os classificadores com movimentos que representam iconicamente qualidades de objetos. Imagine o andar em uma onça e o andar de um elefante. . Para Refletir • Cada animal tem seu jeito de andar. o classificador do andar destes animais deverá ter suas características e isso você terá que passar ao surdo de forma visual.Libras Agora imagine que você irá pegar uma CAIXA GRANDE E PESADA. embora classifique.96 Língua Brasileira de Sinais . constitui apenas uma relação de qualidade do objeto e não relação de concordância de gênero. portanto. São animais de estilos diferentes. Por exemplo.

A partir daí. pois é nela que se inicia a formação social de um ser humano. a Libras. tem-se uma renovação em torno da interação social considerando o surdo não só como mero receptor passivo. a família aparece como grande responsável. interação é um elemento constituinte no processo de desenvolvimento cognitivo e aprendizagem. É necessário que os pais saibam como lidar com esse fato e compartilhem suas inquietações com outras famílias ou até mesmo que busquem uma associação de surdos. Para isso acontecer.2 INTERAÇÃO E FAMÍLIA ARGUMENTATIVA COM ESTRUTURA DA SURDEZ Este tema possui duas palavras-chave: interação e família.Libras 97 3. é necessário o estabelecimento de um canal de linguagem comum.Língua Brasileira de Sinais . que a criança vai acabar superando. O maior problema da interação entre a família e o surdo é a comunicação. acrescenta-se a isto a função da aprendizagem de outra língua. Em família com membro surdo. há pais que tendem a negar a existência da surdez de seu filho. por isso. É por meio da interação que o ser humano se integra. participa. Pensam que se trata de uma situação transitória. a novos diagnósticos e a diferentes especialistas. Conscienciosos ou inconscientemente. e surge interesse em torno da interação social que é a “descoberta. Nesse processo. mas também como alguém com um papel mais ativo com sua língua.” Com isso. começa a se expandir a visão de que o surdo é capaz. A família é o principal núcleo social. promover a saúde. é nela que a primeira educação acontece. o bem estar e dar proteção. convive e se socializa. pois é através dela que conseguimos nos adapta ao meio em que vivemos. com a . sendo agente construtivo independente de seus mediadores. Por outro lado. A família desempenha a responsabilidade de cuidar. pois lá encontrarão outras pessoas que passam pela mesma situação. Recorrem.

A inclusão da criança surda na escola visa favorecer oportunidades para que ela possa se desenvolver. Apresentam-se fragilizados nos primeiros tempos.98 Língua Brasileira de Sinais . alteram seus planos de vida em função desta nova situação. dando início à aquisição de uma língua. encontram inúmeras dificuldades à sua frente e. não é necessário pensar que sua linguagem ou educação vão ser diferentes das de seus irmãos ou das outras de crianças de sua idade.Libras finalidade de conseguirem uma informação positiva ou garantias de cura para um futuro próximo. seus pais ou responsáveis sentem-se impossibilitados de agir normalmente com ela. novas concepções de mundo. então. Lá ela busca a segunda educação. fazendo suas perguntas e respondendo o que for solicitado e também cantando e contando historinhas infantis. Simultaneamente. Quando uma criança surda nasce. deverá agir normalmente com a criança comunicando o tempo todo como se fosse um filho ouvinte antes de aprender a falar. p. carinho e comunicação com a criança surda. quase sempre. A criança e a família terão que se adaptar novanebte. Os encargos e as responsabilidades normais de uma família ficam modificados e exagerados com a chegada de uma criança diferente. trocando ideias. (STELLING. no mundo da escolarização. Esta nova adptação se dará agora. Já que a criança não vai ser surda. gestual e até por meio das palavras. sentimentos. O INÍCIO DA ESCOLARIZAÇÃO E O PAPEL DA FAMÍLIA Após a família passar por este processo de impacto. compreendendo o que se passa em seu meio e adquirindo. terá recursos para sua inserção no processo linguístico. compete aos pais possibilitar segurança. Este posicionamento evita também ter que adotar um estilo comunicativo e interativo diferente. adquirindo meios culturais e entrosamento na sociedade construindo sua própria subjetividade. 1996. A família deverá saber que precisará também desenvolver a língua de seu filho pelo meio corporal. . Nesta etapa. começa a questionar o que a escola pode oferecer ao filho. 34). formulada através de regras imposta para que possa ser incluída na sociedade.

p. a direção que deverá ser tomada desde o princípio escolar que é mantê-los em escola regular e na alfabetização em Libras. estimam “soluções” de desenvolvimento intelectual e social ao filho através de terapias fonológicas. Os pais devem se render e optar por apenas uma direção. o surdo deve ter uma vida social como a dos ouvintes. escolas e tarefas. A continuidade da escolarização visa a oferecer à criança surda as mesmas chances que são oferecidas às outras crianças no que diz respeito ao exercício efetivo de sua cidadania. a partir deste momento. p. seu filho não conseguiu aprimorar nenhum dos objetivos traçados e. Os pais que descobrem a surdez de seu filho tardiamente não conseguem oferecer ou não sabem onde procurar auxílios benéficos.Língua Brasileira de Sinais . psicológicas. a criança certamente será incluída em todos os aspectos tendo o direito comum de participar de todos os processos educacionais. 1999. o resultado se consegue em menos tempo. Assim. 128). “Quanto mais confortáveis todos os membros da família estejam com a surdez. reconhecem que tudo não passou de um ‘tiro no escuro’. assim. por vários anos essas famílias se viram sem voz aguardando que outros determinassem sobre o futuro educacional de seus filhos sem saber qual seriam a melhoria e a qualidade. Os pais devem dar liberdade de autoescolha.Libras 99 Como início ao atendimento educacional e a integração da família. (BRASIL. PERSPECTIVAS DA FAMÍLIA As famílias vêm compreendendo mudanças que acarretam na exigência de serviços de qualidade na educação para seus filhos surdos. pois. passa a buscar apoio com profissionais capacitados e associações. cursos de apoio. 1994. 134). . tudo simultaneamente. melhor” (LUALDI apud HOFFMEISTER. adquirir meios culturais para se posicionar na comunidade e para adquirir habilidades para o seu entrosamento eficiente e produtivo na sociedade. para que possa se desenvolver como pessoa. Ao perceberem resultados insatisfatórios.

O prazer a ser incluído em todos os espaços sociais. e. para um bom desenvolvimento e atendimento. a escola deve deixar a par seus professores e todo corpo institucional para que possam ter um atendimento especializado. METODOLOGIA DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL AO SURDO Como já visto. a família deve participar do processo educacional do seu filho surdo. 10 Estimulação precoce: é um conjunto de atividades voltadas para capacitar crianças de 0 a 3 anos de idade. na escola. REZENDE (2007) .100 Língua Brasileira de Sinais . que facilitem a aprendizagem de todos esses alunos. E este atendimento especializado não mais pode ser visto como um sistema paralelo à educação geral mas que dela faça parte como um conjunto de recursos pedagógicos e de serviço de apoio. desde a fase inicial. posteriormente. onde irá realizar atividades com objetivos de alcançar a ludicidade. a afetividade. ENVOLVIMENTO PRECOCE O envolvimento precoce10 deve acontecer inicialmente em casa com os pais e. Um dos direitos adquiridos pelas pessoas surdas é o direito a inclusão e não há mais força de lei que obrigue a família a optar pelo que não deseje é apenas isso: “um direito”. a naturalidade e o cotidiano.Libras A construção no ambiente escolar permeia perspectivas boas às famílias dos surdos de tal modo que geral as decisões estão sendo cada vez mais cedo e acabam contribuindo diretamente em bons frutos a seus filhos. O atendimento educacional deverá seguir alguns programas para incentivar e capacitar o aluno surdo para a obtenção melhores resultados.

com atividades que levam à ampliação dos campos da surdez afetando e constituindo uma prática para evitar que ela acarrete outros problemas. obtendo percepções motoras e capacidades de atuar e agir consigo mesmo toda informação que explora o ambiente físico e humano e passa assim a conhecer e explorar o caminho que visa equilíbrio e controle motor. que é fundamental para o êxito do trabalho construindo vínculo e tomando estratégias que motivem a realizar tarefas. DISPOSIÇÃO PSICOMOTORA Este acondicionamento proporciona a capacidade motriz. .Língua Brasileira de Sinais . decisões e respeito. acarreta: Estimulação para aquisição da Língua de Sinais. expressiva e criativa de um surdo a partir do movimento corporal. ESTIMULAÇÃO ESPECÍFICA Visa ao desenvolvimento da língua. fazendo com que o surdo participe do social com uma linguagem formal e oficial pressupondo atitudes de reciprocidade e evolução no processo de inclusão dando-lhes condições de uma vida diária com argumentos. Estimulação da leitura orofacial. ENVOLTURA LINGUÍSTICA Consiste em aplicar métodos e técnicas para a aquisição e o uso da Língua de Sinais como elemento principal para a comunicação. Em conjectura.Libras 101 Atuar com benevolência e naturalidade por meio de brincadeiras que possam levar à interação. Estimulação e treinamento auditivos e vocacionais.

que propicia a descoberta da textualidade em produções com os sinais e não com a escrita. a comunicação não pode ser diferente. além de mergulhar nessa linguagem. (STELLING. existem diversas possibilidades de crescimento e informações para as famílias tratarem a situação da surdez com mais naturalidade e um dos ganhos é a regulamentação da lei 10436. delegando poderes a outras pessoas. Na aquisição da leitura e da escrita. . escrevendo e arquitetando hipóteses de significação que parecem ser reais. e depositam suas expectativas de sucesso na escola e/ou na clínica. 1996. desligam-se. a comunicação entre a família ouvinte e o surdo deve se processar levando-se em consideração a Libras e. 67). A Língua de Sinais diferencia-se das outras línguas por utilizar a modalidade visual-espacial. Entretanto. os profissionais que estão entrando nas universidades terão maiores capacidades no atendimento e educação dos surdos. Desta forma. p. acomodam-se e transferem suas responsabilidades para terceiros. não cumprem o seu papel. É comum constatarmos pais que fingem ver a surdez do filho.Libras Não podendo “consertar” a surdez.102 Língua Brasileira de Sinais . Atualmente. não definem sua função. Deste modo. Em uma família que recebe uma pessoa surda. que dão sentido à escrita. também devem fazer das suas casas um ponto de encontro e aprendizagem da Libras. Reconhecemos que a participação da família ouvinte/surda na educação dos sujeitos surdos é fundamental para o crescimento cognitivo e psicossocial da criança surda. as crianças surdas passam por diferentes níveis de aprendizado. Com essa lei. os surdos estabelecem primeiramente noções visuais. numa língua também diferente. até porque a surdez não é visível fisicamente. de uma maneira diferente. Deve haver discussões e diálogos para que os envolvidos possam crescer e compreender o mundo. principalmente par aos profissionais. pois se consideram incapazes para o grande desafio de educar um filho diferente.

Os países que antes ignoravam a língua de sinais estão avançando rapidamente na sua pesquisa e documentação e na criação de legislação que garante o uso desta língua nativa. . 2008. bem como ao relacionar o que está sendo falado pelo outro com suas próprias experiências e também ao comunicar seus pensamentos de forma oral. educação de boa qualidade e educação contínua durante a vida toda. p. seja na educação. O seu uso está espalhado pela nossa nação.Língua Brasileira de Sinais . paciente e até mesmo um(a) filho(a) surdo(a)? 3. Interagir ou comunicar é importante e indispensável para qualquer ser humano.).Libras 103 Para Refletir • Que estratégicas devem ser usadas para estimular um surdo precocemente nas atividades sociais? • Você está preparado(a) para receber um aluno. escrita ou com sinais. Todos tem a oportunidade para o desenvolvimento lingüístico natural.3 INTERAÇÃO ATRAVÉS DA LÍNGUA DE SINAIS As Línguas de Sinais têm sido pesquisadas e abrigadas na maioria dos países. O surdo adquire sua linguagem ao ligar a experiência que está vivendo com a verbalização e ou sinais que ela observa em outra pessoa (pai. colega. etc. A difusão de informações e a troca de experiências tornam possível a comunicação entre duas ou mais pessoas. 115). cliente. professores. Tanto os homens quanto. mãe. (MOURA. serviços ou interação social. os animais usam a comunicação para interagirem.

ouvindo e de outros momentos que nos leva ao prazer de conversar. na hora acontece naturalmente sem ao menos que estiver interagindo percebermos.acredite e nunca desconfie das condições de plena compreensão da mensagem. mas. fofocar. E para que isso não aconteça. devemos tratar estes com um surdo. não desconfortos para desenvolvermos uma mencione surdo-mudo. . deve-se tomar os seguintes cuidados: .Libras Quando alguém como você tem alguma experiência de vida e até mesmo as crianças. . Com a Língua de Sinais. podemos realizar essas comunicações com os mesmo detalhes de uma língua oralizada.deposite sua própria confiança que irá conseguir interagir com o surdo. brincar e contar piadas. mas. pessoa que convivem com surdos têm algumas atitudes impróprias em DICA: relação a como interagir com eles. satisfatória interação. A interação junto à Língua de Sinais se faz indispensável à criança ou a qualquer outra pessoa surda e devemos de alguma forma motivar sempre a aprendizagem e a interação com essa língua. Isso Lembre-se. do som da voz que devemos excluir. omitir ou deixar de repassar ou receber estes tipos de informações. bater papo. do que estão vendo. há sempre excelentes ocasiões para conversar das coisas que estão acontecendo.104 Língua Brasileira de Sinais . não é pela falta de uma língua oralizada. .aja com naturalidade em todos os aspectos de interação e informação. Em diversas circunstâncias.

.não se utilize de frases “Pergunta pra ele se.Língua Brasileira de Sinais . Sempre que estiver interagindo com o surdo fale diretamente para ele. Neste exemplo. Elas são pessoas capazes e sabem “se virar” para interagir. eles também se comunicam olhando para os olhos ou utilizam a leitura labial. na verdade. ..quando estiver conversando com um surdo oralizado. muita gente acaba fazendo a expressão de sim com a cabeça como se estivesse entendendo e. mesmo que ele tenha intérprete.ao interagir com os surdos.”.Libras 105 . não vire o rosto.não superproteja os surdos. SEUGNDO AS PESQIUASS. pronuncie bem as palavras sem exageros. . podemos verificar que é possível ler sem problemas o texto.não deixe passar ‘batido’ frases que você não entendeu. Esta é 11 Imagem Mnemônica: é uma imagem contida na memória por uma recordação. Se houve dúvida ou não entendeu diga para repetir até entender o contexto. NÃO IPMOTRA A ODREM DAS LERTAS DE UMA PALARVA DSEDE QUE A PIRMIERA E A ÚTLIMA LERTA ESTAJEM NO LGUAR COERRTO. não compreendeu nada.. pois estamos associando a imagem da palavra (imagem mnemônica 11) e não a associação da fonética. dirigindo-se ao Intérprete. ITSO SE DVEE AO FTAO DE QUE A MNETE HUAMNA NÃO LÊ CDAA LERTA SEPRADAMEANTE E SIM A PAVALRA CMOO UM TDOO. . .

acesso pleno à comunicação. Até que a visão de Moura seja alcançada.. .].. bem como outros grupos vulneráveis terão avançado significativamente. quais sejam: . .educação de qualidade. Você poderá interagir na hora e no momento que desejar com qualquer surdo.Libras uma pequena demonstração de que a interação às vezes não depende sempre de processos cheios de regras. Comunicar e interagir faz parte da natureza humana e é sucessível ao passar dos anos.106 Língua Brasileira de Sinais . acesso ao ensino superior e programas de educação para adultos ao longo da vida.reconhecimento da língua de sinais e dos direitos linguísticos em pleno vigor.]. . Seu nervosismo de achar que não irá conseguir deverá ser deixado de lado e partir ‘pro abraço’. . ..interação livre graças à disponibilidade de intérpretes e tecnologias da informática.. . Moura (2008) apresenta uma visão cujo desejo é que seja alcançada até 2020.“Nada sobre nós sem nós” será a norma. língua e informação. . .diversidade nos atendimentos públicos [. temos que interagir com qualquer pessoa independente da forma de comunicação.os surdos em países em desenvolvimento. . as mulheres e os jovens.direitos humanos completos [. com educadores surdos fluentes na língua de sinais.respeito total e amplo uso da língua de sinais por pessoas não-surdas. atingido a igualdade e a qualidade de vida.

(LENNEBERG apud HONORA. Direciona o olhar para o local de onde desponta o som. Começa a desenvolver um vocabulário. faz muitas perguntas e suas sentenças ficam complexas. Começa a distinguir diferentes sons de fala. as expressões comuns representam choro por desconforto e fome. Começa a imitar sons feitos por outras pessoas. Resposta à voz humana. emissão de sons de prazer e choro para conseguir ajuda. usando padrões que se assemelham às entonações dos adultos. s/d. Começa a transmitir significado pela entonação.Língua Brasileira de Sinais . faz sentenças simples. Veja a evolução da interação de uma criança quanto às funções básicas da linguagem. Um bebê com 12 meses de idade possui vocabulário de 5 a 10 palavras que irá dobrar nos próximos 6 meses. emite respostas vocais à fala de outros e começa a balbuciar ou controlar sons silábicos com ritmo.Libras 107 Para uma criança obter uma interação. Começa a variar o tom das vocalizações e imita sons. Compreende de 20 mil a 24 mil palavras. Possui um vocabulário de mais de 1500 palavras. O vocabulário pode chegar entre 900 e 1000 palavras. 4 meses 6 meses 9 meses 12 meses 36 meses 4 anos 6 anos . Idade aproximada Nascimento 6 semanas 2 meses 3 meses Funções sociais e linguísticas básicas Conforto pelo som da voz humana. 37-38) descreve um gradual desenvolvimento onde as crianças alcançam funções sociais importantes tendo uma sequência fixa e em idades cronológicas relativamente constantes. p.

Os surdos utilizam o celular para enviar e receber mensagens. perceptível e vibratório. usam como despertador. ou seja. os celulares são de baterias com vibra call. o celular vibra e com isso o portador sabe o momento que o telefone está em chamada. TDD (telecommunications device for the deaf) Telefone para surdos. Deve-se lembrar sempre que a utilização de métodos visuais como fotos. Mas. Internet A internet tem sido um dos meios mais utilizados não só pelos ouvintes. sites de relacionamento. palavras com sinais e o incentivo são essenciais ao surdo para assegurar sua atenção. agenda.Libras As situações vistas no quadro se referem a uma criança ouvinte num ambiente familiar. é conveniente impor precocemente situações lúdicas que produzam ruídos e vibrações com cores e movimentos. denominado como TTS (Terminal Telefônico para Surdos). conheçam: Telefone Celular Muita gente pensa: O que um surdo vai fazer com um celular? Hoje.108 Língua Brasileira de Sinais . figuras de jornais. chats. pesquisa e estudos. entre outros. msn. com a falta de audição. há diversos instrumentos de entretenimento no mundo visual. é um equipamento de comunicação telefônica . Os surdos têm se especializado cada vez mais para buscar seu aprimoramento e assim se utilizam todas as ferramentas nela existentes para a comunicação como: e-mail. Envolver a interação da pessoa surda no mundo da comunicação e da tecnologia não é impossível.

ele liga para a central da operadora e a atendente faz a intermediação entre o surdo e o ouvinte e viceversa. Quando um surdo quer falar com algum ouvinte que não possui o TTD. e tem como objetivo permitir que os surdos possam acompanhar os programas transmitidos. Essas legendas podem ser reproduzidas por um televisor que possua função para tal. O produto usa tecnologia brasileira com o objetivo de quebrar as barreiras de comunicação. A janela de Intérprete é uma janela que fica ao canto inferior do televisor em que um profissional faz toda a interpretação do programa ou parte dele. Janela de Intérprete A janela não acontece em todos os programas e nem em todas as emissoras. A legenda oculta descreve além das falas dos atores ou apresentadores qualquer outro som presente na cena: palmas. As legendas ficam ocultas até que o usuário do aparelho acione a função na televisão através de um menu ou de uma tecla específica. música. risos. passos. etc.Língua Brasileira de Sinais . você verá como funciona o TDD e onde encontrá-los.Libras 109 através do qual os surdos se comunicam com outras pessoas escrevendo suas mensagens em um teclado e visualizando em um display as mensagens que lhes são enviadas. . trovões. Na vídeo-aula. É um método simples e funcional. Closed Caption ou legenda oculta É um sistema de transmissão de legendas via sinal de televisão.

dá-se início à participação na comunidade surda. utilizam-se de desenhos e formas para se comunicar e entender a pessoa com quem gostaria de manter o acesso e a informação. O sinal próprio serve para que. inclusive no banheiro.110 Língua Brasileira de Sinais . Assim. Geralmente a campainha pisca uma luz branca e o telefone pisca uma luz amarela por um determinado tempo.Libras Escrita A escrita é considerada um eficiente recurso. O sinal do “nome” se trata de uma marca. São usados nos telefones e campainha. um batismo que nos representa. Sinal Próprio Quando conhecemos alguém. Quando o dispositivo da campainha é acionado. já as luzes do telefone ficam piscando até que ele seja atendido. ele faz com que as luzes pisquem e apaguem. Outro método se dá pelo uso das cores das luzes. utilizada na interação entre um surdo e um ouvinte tendo aproveitamento manuscrito e visual. logo falamos seu nome ou se não conhecemos. . os fios da campainha e do telefone são ligados diretos nas lâmpadas de todos os cômodos da casa. Sua instalação depende de um profissional qualificado e experiente. perguntamos como se chama. Dispositivo luminoso É um dispositivo utilizado em residências de pessoas surdas. Podemos dizer que a escrita envolve também o desenho. O nome que estamos falando é o que na Língua Brasileira de Sinais denominamos de sinal pessoal. todas as vezes que quisermos nos referir àquela pessoa. pois. após obter o sinal próprio. Muitos surdos que não são alfabetizados e não são sinalizadores. um traço ou personalidade da pessoa. tenhamos um signo.

dignidade e cidadania e também pela inauguração da primeira escola para Surdos no país em 1857. A inclusão social tem oferecido aos surdos oportunidades de participarem de todos os sistemas governamentais.Língua Brasileira de Sinais .Libras 111 Dia do Surdo Em 26 de setembro é comemorado o Dia Nacional do Surdo. educação. alguns fatores primordiais favorecem o surdo e um deles é a valorização de sua cultura e comunicação espaço/visual que os elevam no sentido de compreender o universo em seu entorno. sua situação depende da realidade de cada centro. Na inclusão. saúde. Para analisar cada fato é preciso conhecer o surdo e sua vida cotidiana dentro das práticas de uma questão sociocultural. . estado ou região. cultura. data em que são relembradas as lutas históricas por melhores condições de vida. SOCIEDADE EM SEU PROCESSO DE INCLUSÃO Os processos psicossociais enfatizando a inclusão de surdos é um assunto muito complexo. e estas oportunidades possibilitam a descoberta de situações fascinantes e geram também a desconfiança e incertezas de normas constantes. Para Refletir • São diversas as formas de comunicação e interação com o surdo. Há uma distinção de fatores e conhecimentos quando se fala de inclusão de surdos. trabalho. além de sua diversidade (língua. tradições etc. Enquanto isso. Com a inclusão estampada por todos os lugares e obrigatória em todas as empresas de atendimento ao público.4 SURDEZ. será que estamos preparados para receber e interagir com os surdos? 3. a Federação Mundial dos Surdos celebra o “Dia do Surdo” no dia 30 de setembro. construindo uma experiência visual.).

Temos vistos. pois. Com isso pode-se citar o livro “O vôo da gaivota” da autora surda Emmanuelle Laborit (1996. O surdo. a inclusão é um tremendo benefício para inverter papéis e trocar experiências aprendendo e cultivando novas línguas. pode ampliar o interesse pelo aprendizado da língua oral portuguesa. assim. que nada deve ser recusado aos Surdos. está sendo um desafio.Libras A Língua de Sinais não deve ser encarada como instrumento de inclusão. hoje. aceitando sua língua oficial.112 Língua Brasileira de Sinais . em diversas escolas regulares surdos que chegam até a escola e até mesmo às séries finais sem saber ao menos sua língua materna enquadrando-se aos verdadeiros excluídos. mas sim de valorização da cultura surda. que todas as linguagens podem ser utilizadas. ao se ver valorizado e respeitado em sua característica. no Brasil. a fim de se ter acesso à vida. minha segunda língua. Essa troca pode levar a uma maior integração e inclusão social. para expressar minha certeza absoluta de que a Língua de Sinais é nossa primeira Língua. A sociedade não é composta somente de pessoas que ouvem e. 61): Utilizo a língua dos ouvintes. Favorecer o aprendizado do indivíduo surdo utilizando a Língua de Sinais é ter certeza de que ele adquirirá o conhecimento. não é uma obrigação legal para pessoas surdas. também. ”As frases nas mãos” não apenas substituem a forma gráfica da língua portuguesa. a qual. INCLUSÃO DOS SURDOS NA ESCOLA Atualmente. a inclusão dos surdos nas escolas. os surdos eram obrigados a aprender a oralização para se incluirem na sociedade. aquela que nos permite ser seres humanos comunicadores. Para dizer. p. Talvez fosse mesmo o melhor meio para enriquecer as relações entre os pais e família. não entendem a oralização dos professores . Há tempos. elas também repassam sentimentos.

a origem de um problema. no aluno. fala-se em interpretação e expressão dentro da sala de aula independente de os surdos saberem ou não Língua de Sinais. Em cursos de capacitação em Libras oferecidos pelos governos. Essas são as chamadas necessidades educacionais especiais. e seus professores. em vez de pressupor que o aluno deva ajustar-se a padrões de ‘normalidade’ para aprender. bem como as formas e as condições de aprendizagem. Muitos acham que incluir é apenas colocar o aluno surdo na sala de aula.Libras 113 e pouco também entendem sua própria língua. 31): Todos alunos. O trabalho é longo. em vez de procurar. Mas. realidade de grandes centros referenciais em Libras estão adaptados e acostumados em a receberem alunos de níveis elevados de entendimento interpretativo. em geral.. 2001 apud GLAT. e que não têm apoio desde a infância? Inclusão escolar dos surdos requer uma boa elaboração tanto para o aluno quanto para a escola. conhecem diferentes estratégias para dar respostas a elas. p. existem necessidades educacionais que requerem da escola uma série de cursos e apoios de caráter mais especializado. que proporcionem ao aluno meio para acesso ao currículo. podem apresentar necessidades educacionais. Daí surge muitas aflições e questionamentos. Assim.. enfatiza o ensino e a escola. Tudo bem. em determinado momento de sua vida escolar. constante e necessita da participação de todos do ambiente para garantir a inclusão. independente do estado. o que fazer com os alunos de interior. .Língua Brasileira de Sinais . No entanto. aponta para a escola o desafio de ajustar-se para atender à diversidade de seus alunos. 2007. As Diretrizes Nacionais para Educação Especial na Educação Básica (BRASIL. definiu-se pelo tipo de resposta educativa e de recursos e apoios que a escola deve proporcionar-lhe para que obtenha sucesso escolar. ambos se sentirão aptos a participarem deste processo.]. [. trata-se de um conceito amplo: em vez de focalizar a deficiência da pessoa. por fim.

mostram interesse em adquirir conhecimento e preferem a sua língua natural como referencial. Os mais novos aprendem. . O primeiro passo está dado. este desconforto e esta insegurança. e agora? Qual a capacidade de aprendizado dos surdos? Estas crianças têm entrado na escola achando que sabem Libras porque já conhecem o alfabeto e pensam que sabem oralização porque sabem se comunicar em casa. assim como. atropelando algumas etapas. Alunos surdos com idades mais avançadas têm um aprendizado inferior tanto na Libras quanto no português. vem também testar o potencial dos profissionais.” “Não tenho obrigação de trabalhar com os surdos porque o governo não dispõe de meios para atendimento”. O apoio que deveria ser inclusivo e eficiente passa a ser uma tentativa de aquisição lenta. acontecem e acontecerão em vários lugares e com diversos profissionais e. já adquiriram anteriormente o ensino através da oralização sem conhecer o português ou a Língua de sinais e acabam utilizando o bimodalismo. querendo ou não. esquece que a escola tem o Intérprete e que a ela disponibilizou sim de “um meio” para intermediar os professores. Ensinar a alfabetização de Libras e Português ao mesmo tempo é uma prática confusa e desastrosa. A realidade é essa e não sei falar se está havendo a inclusão ou se estão querendo fazer a inclusão. pois. tentar ensinar para diversos surdos com níveis diferentes.114 Língua Brasileira de Sinais . Estes comentários não são isolados. É preciso apaziguar esta amargura. aonde eles podem chegar. É preciso que os professores se incluam no ensino aprendizado da Libras e incluam os surdos em suas salas de aula. pois.Libras Ouve-se muito: “Nem eu e nem a escola estamos preparados para receber os surdos aqui. a inclusão depende dos professores e. Já os que intercalam as idades estão na fase mais confusa. mas têm maior interesse em aprender. quem fala.

portanto. no sentido de promover a melhoria de vida de toda a coletividade de forma igualitária e democrática. sugerindo preparação e aprendizagem. A realidade social necessita dos esforços da família. Grande parcela da população de pessoas surdas vive ainda no contexto limitado.Língua Brasileira de Sinais .] Quando eu aceito a Língua de Sinais. A ideia é que as escolas devem adequar-se ao social. eu aceito o Surdo. A inclusão representa. sugerindo a formação de um profissional cujo perfil de atuação seja compatível com a necessidade apontada. O princípio fundamental da escola inclusiva é o de que os alunos.Libras 115 Laborrit (2006. ajustada no princípio da inclusão.. As discussões hoje existentes sobre pessoas com necessidades educacionais especiais pautam-se no desenvolvimento de ações educativas assentadas nos pressupostos de uma educação inclusiva. ao emocional e ao linguística. sempre que possível. Diversas são as dificuldades e problemas encontrados por todos no processo de inclusão. tentar facilitar a inclusão dos surdos no social é dever de todos nós. 23) deixa claro o que é uma inclusão de surdo. As barreiras sociais lhes impõem restrições ao exercício da cidadania plena. p. A frase dele foi muito feliz: Quando eu aceito a língua de outra pessoa eu aceitei a pessoa [. dos governos.. um grande desafio para as escolas adotando um modelo com ênfase na aprendizagem e não apenas no ensino. mas.. devem aprender juntos independentemente de suas dificuldades ou diferenças.] Quando eu rejeito a língua. e é importante ter sempre em mente que o Surdo tem o direito de ser Surdo. de uma vida digna. eu rejeitei a pessoa porque a língua é parte de nós mesmos [. participativa. A garantia do conhecimento da Libras na formação de profissionais aprova a construção de uma sociedade para todos. da sociedade em geral. . atentas às diversidades linguísticas que encontraremos..

e o papel do profissional é também fazer com que o surdo se inclua. Apesar de toda discriminação. Você irá incluí-lo e estará se incluindo ao mundo do silêncio. compartilhando com diversos seguimentos da sociedade nos inúmeros serviços na área da saúde e educação.116 Língua Brasileira de Sinais . alguém que lhe oriente como lidar com um ser tão “excludente”. hoje. Muitas das vezes os próprios surdos são preconceituosos. vários autores e até mesmo por várias outras vezes neste livro. que dará auxílio para sobrevivência e desenvolvimento dos surdos. Os colaboradores surdos deverão ser percebidos como sujeitos que têm diferença e não deficiência. O fato de não ouvir não significa que não pode ou não consegue. tanto lido aqui como escutado no dia-a-dia. no desempenho e no que os surdos são capazes de fazer. Inclusão e o Papel do Profissional Este termo “inclusão”. irá permutar por. deve ser tratado com a visão de garantir acesso e a participação ativa. cobrando normalmente suas tarefas e deveres em cima das possibilidades de empenho e produtividade. seus professores. passe a aceitar seus familiares. Mas esta palavra e sua ação estarão ligadas diretamente a você. você está se capacitando para que no futuro não tenhamos mais surdos com dificuldade de aprendizado e comunicação. o surdo está incluído em uma sociedade cheio de pesares. ou seja. suas possibilidades e suas capacidades. seus amigos. está em meio a uma nação alegre. . mas. É preciso considerar sua cultura. Uma pessoa quando abarcada no programa de inclusão não deve ser classificado como “coitado”.Libras As dificuldades se darão em função do despreparo dos educadores atuantes no ensino inicial. Os profissionais comprometidos com a proposta da inclusão devem acreditar no potencial. Por isso.

envolvendo a compreensão e aceitação. .Libras 117 Para este processo seguir conforme esperamos. assim. Diante destas concepções. De acordo com as concepções do “Projeto Incluir”.compartilhar conhecimentos específicos para desenvolver processos distintos e interdependentes. inovando diálogos e tolerando erros. aprendendo e proporcionando diversidade. experiência e motivação. busco sugerir possibilidades de acesso e permanência dos surdos em ambientes distintos. . O processo de inclusão consiste em crescer envolvendo quem inclui e quem é incluído. .Língua Brasileira de Sinais .planejar os passos do surdo através de reforços negativos ou positivos. você deve refletir acerca da importância do papel do profissional como agente intercessor na inclusão do surdo no mercado de trabalho. sem que sejam exclusas adotando como fator importante o papel do profissional. . Conheça o que pode inserir os surdos na sociedade com a colaboração de um profissional: . permita o avanço na perspectiva do acolhimento e da diferença.facilitar o aprendizado fundamentando na imaturidade. propiciando o alargamento nas trocas de conhecimentos e na formação humana.possibilitar diálogos nas duas línguas (português e Libras). desenvolvendo do mais simples para o mais difícil com métodos repetitivos criando experiência e baseando-se em resultados apresentados.

A barreira existente na comunicação pode atrasar todo o processo de escolarização e desenvolvimento linguístico neste novo membro e. pois.118 Língua Brasileira de Sinais . Esta comunicação é uma das mais importantes dentro da Libras. possibilita facilidades para entrar no mundo do aprendizado de forma total e incondicional. assim como os classificadores. nesse sentido. novas perspectivas vêm sendo criadas para combater o paradigma da exclusão até atingir a aceitação e interação perfeitas. nos trás o real. principalmente no lar que acaba de receber um surdo. A inclusão é um fato muito comentado nos dias de hoje e vem favorecer os surdos dentro da sociedade. prepara artifícios para comunicação corporal. . pois. todas as características da inclusão aqui expostas são levadas em consideração? • É possível desenvolver potencialidades das pessoas com surdez no contexto social? Resumo A surdez em seus aspectos comunicativos e interação. que são marcadores de concordância. A estrutura e apoio familiares são essenciais à vida de qualquer pessoa. facilita a compreensão e assessora os sinais em um contexto.Libras Para Refletir • Na prática cotidiana.

4 Língua de Sinais: Saberes e Fazeres Neste tema você verá de forma prática como se comunicar e trabalhar com um surdo. 4. . prepare sua criatividade e faça parte destes saberes e fazeres. Para o aprendiz surdo o processo é o mesmo da alfabetização em português. o que se alteram são as ênfases dadas aos modelos e figuras. Para o surdo. Portanto. a Língua de Sinais é primordial. por isso encontrará em algumas bibliografias a referência de L1 (primeira língua) que é a LS (Língua de Sinais) que é totalmente visual-espacial e L2 que é a Língua oral-auditiva.1 ASPECTOS PEDAGÓGICOS EM SUAS POSSIBILIDADES NO CONTEXTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM O surdo se utiliza principalmente da visão em sua interação com o meio comunicativo e de aprendizagem.

rj. A comunicação visual específica mantém por mais tempo a atenção do surdo. é de grande importância que eles participem de associações. Para o aprendizado de uma criança surda. além da parte visual. fazendo que a visão e a percepção vibratória supram e organizem as informações recebidas na falta da audição.br). poderá ter um ambiente diversificado que de tal modo irá desenvolver suas diversas práticas de aprendizado. Assim. Um “prejuízo” dos surdos. grupos ou espaços onde se permite a socialização entre pessoas de diferentes níveis educacionais e idades. pois. conhecer e proteger. a função auditiva está sempre em desenvolvimento. Conforme o site da 3ª Policlínica do CBMERJ (www. O surdo possui determinadas características que podem comprometer ou inibir o aprendizado. Uma rica imagem permanece mais tempo viva na memória do que uma extensa explicação. mas. tanto na representação abstrata quanto na figurativa tem o potencial de ser aplicado como recurso na transmissão de conhecimento e no desenvolvimento do raciocínio.3apoliclinica. conforme os estímulos que esta criança recebe.120 Língua Brasileira de Sinais . na falta da audição. cbmerj. As habilidades auditivas vão se aprimorando conforme o desenvolvimento da criança. envolve a perda de informações existentes no meio ambiente em que vivemos.Libras O indivíduo surdo possui algumas características que podem afetar ou dificultar a aprendizagem. a vibração e a visão acabam suprindo as informações recebidas. O visual. . Imagens ilustradas ou reais são de grande importância para o aprendizado e no desenvolvimento de práticas tendo a função de instrumentar o crescimento dos alunos surdos. devido a seu déficit auditivo.gov. há elementos sonoros que nos permitem sonhar. frisando que a Libras é a primeira língua dos surdos e a L1 deverá fazer parte da vida do surdo antes mesmo da L2 (português).

localização sonora: capacidade da criança em reconhecer de onde a fonte sonora partiu. .consciência auditiva: capacidade da criança de perceber a presença e a ausência do som.memória auditiva: capacidade de perceber o que ficou retido e que pode ser evocado do som apresentado.atenção auditiva: capacidade da criança de apresentar uma resposta voluntária a um estímulo sonoro. . .seleção figura/fundo: habilidade de selecionar um estímulo sonoro significativo dentro de outros sons apresentados simultaneamente.reconhecimento auditivo: capacidade de saber qual foi o evento que causou o som.Libras 121 Você poderá conhecer algumas das habilidades auditivas abaixo: . . .discriminação de sons: capacidade de detectar diferenças e semelhanças dos sons.Língua Brasileira de Sinais .compreensão auditiva: compreender por que razão o evento sonoro ocorreu. . . .detecção sonora: capacidade de perceber se existiu ou não o som. .sensação sonora: habilidade de saber como era o som. .

Recorte. Se você insistir exclusivamente neste contexto poderá causar defasagem no aprendizado de um surdo. pois. O início de um trabalho de ensino-aprendizado da escrita e da leitura é de grande importância. pela leitura. conhecer a função auditiva pode levar ao sucesso da informação. . integrando a informação em modelos auditivos. sequencialmente. dividirei em sub-tópicos explicando passo a passo. entender melhor como funciona o contexto de aprendizado dos surdos. colagem. busca o caminho necessário. Não se inclua totalmente no mundo das figuras e das imagens. seja criança ou adulto. ensino e aprendizado. pois as ilustrações trazem também distrações. iniciará um meio de identificação e os fazem sentir atração por livros e. sendo uma das primeiras atividades. que é o visual e somente com o recurso do visual possibilita a compreensão e ansiedade de aprender mais. ocasionando dificuldades em absorver a atenção de forma mais ininterrupta. aluno(a). Portanto.Libras As habilidades auditivas fazem parte do processamento auditivo e envolvem uma análise complexa do sinal acústico. A utilização de figuras com o manuseio do lápis chegando à escrita é uma ótima estratégia de aprendizagem. montagem de frases através de figuras corresponderão à memorização dos objetos relacionando às palavras com a realidade. Somente assim eles (os surdos) saberão o que estão lendo e o que estão sinalizando. E isso é um processo adaptável e influenciado pelas experiências e aprendizagem de cada criança.122 Língua Brasileira de Sinais . Para você. A escrita.

Desenvolve a coordenação Motora fina Matemática: Pinte os cachos que tem 8 uvas.Língua Brasileira de Sinais . Com um lápis.Libras 123 Veja a seguir algumas dicas e aproveite essa ideia. Faça conforme o modelo. (Golfinhos pulando no mar) Coordenação Motora . faça o caminho que o pato deverá fazer até chegar a lagoa.

Libras Pinte os cactos que tem 4 folhas.124 Língua Brasileira de Sinais . Desenvolve a matemática Faça um X onde estão as figuras separadas e depois pinte. Desenvolve a noção de espaço Pinte somente os patinhos que estão em direção a sua mãe: (Desenvolve discriminação visual e lateralidade) .

(Desenvolve a noção de números através da contagem e quantidade).Língua Brasileira de Sinais . Ligue os pontos em ordem alfabética (Trabalha a alfabetização em Libras). Caça-palavras em Libras (Trabalha a atenção e concentração) P A T o 2 H Y w C O N V I T E z 0 L O P U 7 R ç s s V Q Ta 4 J 5 A K E E K X O a p r l s G i v 6 a t A T H Y e 8 t u E U o P M 9 o Ç s d C B V u j C F A F I A R S W B 8 O Ç i 2 .Libras 125 Separe as borboletas de 5 em 5.

atenção e concentração). universitário e futuro profissional. (trabalha a descoberta dos números. seja homem ou mulher. deverá estar atento. n F V 8 A 4 s i a 5 S F T 6 G 7 e 9 8 x n Ç P L f l h l 6 j 1 m g l 2 3 h l S w 7 h Q Z J K b m c 1 2 t 1 h 0 h l m z l m y z 9 y h c 6 y 9 c l m 5 y m 5 h c 3 Você. favorecendo a . n F V 8 A 4 s i a 5 S F T 6 G 7 e 9 8 x n Ç P L f l h l 6 j 1 m g l 2 3 h l S w 7 h Q Z J K b m c 1 2 t 1 h 0 h l m z l m y z 9 y h c 6 y 9 c l m 5 y m 5 h c 3 Faça um X nas mãos que representam números pares. pois assumirá a responsabilidade de desvelar meios que assegurem a construção do conhecimento.Libras Circule as mãos que correspondem a números.126 Língua Brasileira de Sinais . ao receber ou atender uma pessoa com surdez.

paciente ou freguês. Glat (2007) propõe didáticas importantes a profissionais que trabalham no processo de ensino para surdos: .proferir frases completas não exagerando nas articulações e nem na velocidade. .utilizar sempre a Língua de Sinais. o desenvolvimento e a aprendizagem do seu cliente. Será necessário que você procure adaptações e estratégias a fim de facilitar a participação.Libras 127 comunicação. .empregar palavras que não estão incluídas no vocabulário diário e anexá-los em um mural. slides. seja ele aluno. . ludicidade. autonomia. memorização. desenhos para os surdos escreverem a palavra chave. da escola. . A comunicação visual é fundamental.Língua Brasileira de Sinais .utilizar sempre a escrita no quadro de giz. dos pais.organizar espaços que permitem ao surdo desenvolver e estimular a criatividade. o entendimento e o atendimento aos surdos. . uma mudança de posição. É preciso. independente se o surdo sabe ou não LIBRAS. pois sabemos que o preconceito e a falta de informação contribuem para o fracasso dos surdos nos seus processos de socialização e aprendizagem. tanto para o aprendizado da língua portuguesa oral quanto para a aquisição da língua de sinais. raciocínio lógico e sociabilização. é sempre necessário que a Libras seja oferecida como meio de comunicação e expressão no desenvolvimento do processo de aprendizado. por parte dos profissionais. Fazendo um breve apanhado do que foi apresentado.

mas eles não citam se é por falta da verdadeira inclusão. a qual o aluno se desmotiva a ir à escola.]é necessário enfatizar que as condições de aprendizagem no processo de escolarização do aluno surdo dependem. Problemas como falta de atenção. 2007. p. (SILVA. caro aluno passará por cima destas dificuldades. distúrbios e problemas. ou se é por abandono sugerido ou apoiado pelos pais. . embora a natureza das disfunções na aprendizagem leva a uma relação direta entre dificuldade de aprendizagem e fracasso escolar. não realiza nenhuma das funções sociais da Educação e ficam visíveis as dificuldades no ensino e aprendizado.. De fato.Libras Espero que você. compreensão e desinteresse pode manifestar como primeiro obstáculo. reflita e se auto-avalie sobre as questões apresentadas.128 Língua Brasileira de Sinais .. transtornos. por via de regra. 2001 apud GLAT.107). foram organizados. o seu propósito e sua estimulação de despertar será o ensejo de aprendizagem e construção de auto-estima de uma criança ou de um adulto surdo. todos estão sujeitos a obter. projetos de educação compensatória com surdos e ouvintes na mesma sala de aula e este tipo de educação tem servido para avançar e somar com a inclusão. existe um numeroso grupo de crianças brasileiras de diferentes camadas sociais que abandonam precocemente a escola por ser surdo. dificuldade de memorização. Para compensar esta falha na carência cultural. mas tenho certeza de que você. SURDEZ E AS DIFICULDADES NO CONTEXTO DE ENSINO APRENDIZADO A dificuldade escolar traz índices de evasão e reprovação não só em ouvintes. dificuldades. discente.. [.].. do modo pelo qual são encaradas suas dificuldades e as diferenças ocorridas no processo educacional [. De acordo com vários autores. Qualquer aluno que não aprende. no Brasil.

Esta língua ostenta outro conjunto de estruturação gramatical altamente complexa que permite ao seu usuário um tipo diferente de pensamento. devemos sempre permitir ao surdo o direito de acesso à sua Língua Natural.atividades de rotina em sinais. . ATIVIDADES PEDAGÓGICAS Para alcançar a aquisição da linguagem. devem ser exploradas funções da língua que auxilie a forma prática e educativa nos seguintes aspectos: .atividades diversas com surdos locais. reconhecer que a grande dificuldade enfrentada pelos surdos e professores de alunos surdos é a cicatriz quase que alheia à comunicação: a dúvida entre falar oralmente ou usar Língua de Sinais. . Aí está uma dica para você que se interessou por Língua de Sinais.passeios.hora do conto em sinais. . baseado nas possibilidades inteiramente visuais. inicialmente.Libras 129 É preciso.Língua Brasileira de Sinais . Independente do que vier a nós. que é a língua de sinais. Quem sabe não é o tema-chave para seu estudo de conclusão de curso.mini cursos ou aulas ministradas por outras pessoas surdas. os educadores deverão seguir alguns objetivos considerados específicos e importantes na organização da Libras. .realização de experiências em sinais. QUADROS (2004) propõe sugestões de algumas atividades: . . Você faz a diferença e o futuro do ensino e aprendizado do surdo dependerá exclusivamente de você.brincadeiras e jogos em sinais. Junto às aparências formais da Libras. .

. forma e tamanho. . . . As funções diversas e o uso da linguagem: .produzir estórias sobre pessoas ouvintes. .poesias.acesso a aulas em vídeo e jornais televisivos. tempo. .figuras de linguagem. .configuração das mãos.130 Língua Brasileira de Sinais .exploração de jogos dramáticos.exploração dos pontos de articulação dentro do espaço de sinalização.exploração de relato de estórias. .produzir estórias sobre pessoas surdas. .intensidade.sentenças. . . .produzir estórias com pessoas surdas no mundo dos ouvintes. . Explorando a arte da língua de sinais: .Libras .conversação com diferentes pessoas da comunidade com níveis diferenciados de formação. .alfabeto manual.incorporação de negação.produzir estórias usando o alfabeto manual.emprego das relações de significado lexical. . . modo. .momentos de conversa sobre fatos históricos da comunidade surda e da sociedade brasileira. .produzir estórias usando os números. .uso de ambas as mãos com configurações iguais e diferentes.produzir estórias usando configurações de mãos específicas.uso de uma mão. .

de expressar. (QUADROS. sentir. a pedagogia visual. de ver o outro.Libras 131 .relatar estórias. ler. p. nos redimensiona e nos provoca no sentido de busca e de encontro. Pensar em diferentes formas de ensinar e aprender. 63). perceber o mundo. As sugestões de atividades propostas por Ronice tende a desenvolver interação com a escrita e a língua de sinais. considerando diferentes formas de pensar. aprender. Para Refletir • Por que muitos surdos atrasam ou não concluem o ensino regular? • Será que é por falta de estímulos auditivos? • Por que não dominam uma língua oral? • Por não conseguirem desenvolver uma língua? • Por apresentarem atrasos na comunicação? • Desestímulo para iniciar a estudar? • Por falta de auxílio no desenvolvimento do pensamento? • Por que têm dificuldades na escrita e má compreensão do que está lendo? • Pelo isolamento social da comunidade ouvinte? • Por acharem que seu atraso escolar irá atrapalhá-los? • Ou será é pelas dificuldades de aprendizagem? . ensinar através do visual que organiza todos os olhares de forma não auditiva.Língua Brasileira de Sinais . contos e fábulas explorando os jogos de posições do corpo e direção dos olhos para estabelecimento de personagens. 2004. Os efeitos da modalidade provocam novos olhares sobre a pedagogia. apresentam diferentes faces de uma possível pedagogia. Podemos brincar. As línguas de sinais. nos contextos em que são usadas pelas pessoas surdas.

em seu artigo 7º. esta parte da população não tem acesso. Os países têm enfrentado. além de proporcionar aos surdos aprendizagem. . desde que não envolvam a necessidade de ouvir. à falta de conhecimento da população. Este tema é de suma importância. Como vimos. uma grande crise social e econômica em que. hoje. para que estejam preparadas a disputar dentro do mercado de trabalho. É importante lembrar que surdez não é sinônimo de inaptidão. deixando bem claro que as pessoas portadoras de deficiência não podem ser vítimas de preconceitos e discriminações nas oportunidades de trabalho. concentração e avaliação visual. tal fato deve-se. sequer. tanto quanto qualquer outra pessoa tem capacidade de estar exercendo atividades profissionais variadas. existe um número bem significativo de pessoas surdas no Brasil. Paralelamente. pois existem pessoas que apesar de sua limitação sensorial têm capacidade para ingressar no concorrido mercado de trabalho. aos meios de informação. aprimoramento e principalmente recebimento de salário decorrente da prestação dos serviços que. principalmente. Normalmente. pois o trabalho fornece auto-estima e confiança. A própria Constituição Federal de 1988. inciso XXXI.Libras 4. infelizmente. para muitos. uma parte considerável da população se destaca pela falta de oportunidades. de que o surdo. de uma forma geral. explicita a proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência.132 Língua Brasileira de Sinais . encontramos pessoas que não dispõem de meios para conseguir uma boa colocação em termos de emprego. constitui melhoria das condições de vida. os surdos se destacam dos ouvintes. Em algumas atividades. que englobam percepção.2 POSSIBILIDADES DE TRABALHO Todos nós sabemos que a dificuldade em conseguir emprego é realidade no Brasil e até mesmo no mundo.

assim. O trabalho. produção e ocupação.Língua Brasileira de Sinais . basicamente. pelo menos.Libras 133 IMPORTÂNCIA DO TRABALHO AOS SURDOS O trabalho na vida do surdo é tão importante quanto na vida dos ouvintes. O trabalho. a diferença entre pessoas com surdez implica. A impostura dos que não enxergam e titulam a surdez como incapacidade se dá por que eles não conhecem as potencialidades dos surdos. não tem unicamente como meta riquezas ou bens. serve também como meio de construção de amizades e relações interpessoais. seja o meio mais comum de conseguir tranquilidade. inegavelmente. referência nacional em qualificação e encaminhamento ao emprego nesta área. A lei federal que institui cotas para contratação de pessoas com deficiência tem levado empresas brasileiras a buscarem profissionais qualificados para suprir as vagas oferecidas. O Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência (IBDD). Embora. implica criação. Será que a falta de produtividade é uma deficiência? A importância do trabalho não pode ou. num caráter de sentido “diferente”. muitas das vezes na condição particular do surdo. Um componente que poucos assimilam é que não apenas a falha ou a falta sensorial marca como deficiência. Isto é claro: são pessoas com potencial produtivo dentro das limitações que são intrínsecas à sua condição. ainda que intelectual. montou um banco de currículos para promover a articulação entre a demanda das empresas e a oferta de mão-de-obra. No recinto de trabalho desenvolvem-se os anseios profissionais do indivíduo surdo e é o campo perfeito para a aplicação daquilo que foi aprendido na vida e na instituição de ensino pela qual passou. . não deve ser encarada exclusivamente como a satisfação de uma necessidade de sobrevivência.

. o brasileiro está cercado de empresas que valorizam a excelência. Nos concursos públicos os surdos tem a garantia da Lei de Reserva de Mercado (10%) em todas as instâncias. Atualmente. uma vez que suas reais potencialidades ainda não são reconhecidas pela classe empresarial por falta de informações e pelo preconceito relativo aos portadores de necessidades especiais em geral. O surdo adulto ainda encontra dificuldades em ser aceito no mercado de trabalho. É de extrema importância que os pais participam efetivamente no processo de inclusão de seu filho surdo no mercado de trabalho desde criança.134 Língua Brasileira de Sinais . a produtividade e a qualidade total dos serviços prestados. da realidade político-econômico-social em que o país vive. a serviços bancários e administrativos. Tanto ouvintes quanto os surdos necessitam correr atrás disso ou melhorar sua qualidade profissional a fim de se inserirem no mercado de trabalho. . às funções docentes (Instrutores). entre outras. Lutar pela extinção das listas de profissão para surdos que acabam atribuindo incapacidade para certos cargos e limitando oportunidades de emprego.cursos de Língua Brasileira de Sinais. à digitação (na informática).Libras POSSIBILIDADES DE TRABALHO DOS SURDOS A capacitação profissional de uma pessoa surda deve ser refletida a partir de uma contextualização do mundo do trabalho. Temos enxergado grandes capacitações dos surdos desempenhado funções relacionadas a serviços gráficos. Na função de Instrutores.atividades de Estimulação Precoce (para possibilitar a aquisição de LIBRAS pelas crianças surdas). atuam em: . procurando respeitar proporcionalidade entre as deficiências.

hoje. A maioria dos surdos que conseguem atingir os níveis mais elevados de ensino. Fonte: idt (2007). para inclusão de conteúdos curriculares.auxílios da Pré-Escola. são professores. fazendo a colocação de 1. do Ensino Fundamental. CURIOSIDADE .Língua Brasileira de Sinais . o que ajudou o Brasil a ter recorde mundial. em Escolas Especiais. Porém.543 trabalhadores. do Médio e até do Superior (para viabilizar a aquisição/aprendizado de Libras pelos alunos surdos.Libras 135 . dizem que enfrentam grandes dificuldades para encontrar portadores de necessidades especiais com qualificação para certos tipos de trabalho e mesmo assim considera alto o número de contratações. em classes ou escolas especiais e em salas de recursos). Assim. atuam em Programas de Estimulação Precoce.90% dos funcionários de uma empresa de cosméticos de Fortaleza-CE são surdos. que garante vaga de emprego para portadores de necessidades especiais em empresas com mais de cem funcionários.O Nordeste é o campeão de empregadores de deficientes no Brasil. ministrando aulas de Língua Brasileira de Sinais.213/90. QUALIFICAÇÃO A inclusão dos surdos no mercado de trabalho está relacionada à lei federal 8. . analistas de recursos humanos de diversas empresas brasileiras. em Salas de Recursos para apoiarem as atividades curriculares dos alunos surdos que se encontram em processo de integração em classe comum do Ensino Regular. .

SURDOS: EXEMPLOS DE SUPERAÇÃO . Miss Ceará e 2ª colocada do Miss Brasil 2008. grande inventor da lâmpada elétrica. pois muitos empresários ainda não sabem lidar com a deficiência e acreditam que o convívio social destas pessoas é difícil. a coordenadora aponta duas barreiras difíceis de superar a inserção dos deficientes no mercado de trabalho. . elemento da transição entre o Classismo Romantismo com formas clássicas herdadas de Mozart. o mercado vem crescendo e dando sinal de que a sociedade desperta para a inclusão. na prática.Helen Keller. professora surda e cega que revolucionou o ensino dos surdos e cegos. Na mesma oportunidade.Libras Uma coordenadora de recrutamento e seleção de uma grande empresa brasileira diz que tem a cumprir uma cota estipulada por lei. mas o que acontece. e ela fala que já fizeram diversas campanhas. POSSIBILIDADES DE TRABALHO DOS INTÉRPRETES A profissão de Intérprete de Libras é reconhecida por lei.Ludwig Van Beethoven. é exatamente o contrário.136 Língua Brasileira de Sinais . primeira atriz surda que ganhou Oscar de melhor atriz.Marlee Martlin. o equivalente a 60 funcionários de sua empresa. . A primeira delas é a ignorância e o preconceito.Vanessa Vidal.Thomaz Alva Edson. Independente disso. mas ainda não é regulamentada. inclusive ofereceram cursos de qualificação. O segundo problema é a falta de interesse profissional dos próprios surdos. mas que ninguém apareceu. . grande músico. . .

deverá ter um Intérprete acompanhando o aluno. deverá haver um Intérprete como em rodoviárias. A inclusão de surdos no mercado de trabalho passa por algumas dificuldades que ultrapassam os próprios limites impostos pela condição física. As possibilidades de trabalho estão abertas. aeroportos. pessoas com surdez frequentam o ambiente escolar. embora não existam vagas do ponto de vista formal. traz fortes reflexos para sua vida.Libras 137 A Língua Brasileira de Sinais está se expandindo. fazendo seu mercado como campo promissor. . O preconceito para com os surdos é um problema grave. mas também a sua vida social. pois. onde estiver um aluno surdo dentro de uma sala de aula. é de extrema importância que a cultura surda faça parte de sua vida. Uma pessoa surda é tão capaz ou mais que uma pessoa ouvinte em determinados afazeres. É necessário haver adequação. PRECONCEITO O preconceito é um dos grandes obstáculos que dificultam a inclusão social e profissional dos surdos no Brasil. Tornar-se um intérprete de Libras já pode ser garantia de um futuro promissor.Língua Brasileira de Sinais . todos ambientes públicos ou privados com grande circulação de pessoas. Para atuar como intérprete não basta ter o domínio da Língua de Sinais. pois. Além de Intérpretes educacionais. shoppings entre outros. É a área educacional que vem necessitando de mais profissionais para atuar como Intérprete de Libras. Fazendo que cada vez mais aumente os números de vagas para Intérpretes. Há Leis que asseguram a acessibilidade e direitos de comunicação dos surdos na sociedade em relação à educação inclusiva. dificultando não só o acesso ao mercado de trabalho. desde que possua condições ideais de trabalho. prevendo que cada vez mais. Mas elas serão criadas.

3 CONDUTA E LEGISLAÇÃO Toda profissão necessita haver uma conduta acercada de responsabilidades e deveres. exercida de forma honrosa. aceite-o e serás surpreendido. O profissional que utiliza a Língua de Sinais tem como função primordial estabelecer a intermediação comunicativa entre os . aluno (a). existe preconceito no mercado de trabalho com relação aos profissionais surdos? 4. Você. criando atitudes comuns como dedicação. quando diz respeito à Língua de Sinais. honestidade. independente da sua área e profissão. Em seu dia-a-dia. responsabilidade e cooperação. alunos surdos. humildade. Para Refletir • Se você tivesse ou administrasse uma empresa. A conduta. pacientes surdos e a quem mais utilizar esta língua a fim de padronizar seu comportamento e sua comunicação de forma digna e correta. clientes surdos. tem como objetivo proteger vocês profissionais ou futuros profissionais que utilizam ou utilizarão essa língua.138 Língua Brasileira de Sinais . deverá ter com a Língua de Sinais uma qualidade constante para que o surdo tenha condições de lhe entender. respeito. você empregaria um surdo ou um Intérprete? • O que você acha da admissão de profissionais surdos pelas empresas ter sido imposta por lei? • Em sua opinião.Libras Não tenha preconceito. deverá ser consciente do trabalho prestado e agir adequadamente sob princípios e valores.

estimulando a relação direta entre o surdo e o ouvinte ou entre você e o surdo. 2007.Libras 139 usuários da Língua de Sinais e os de Língua Oral. É Antes de você interpretar. considera12 LAG TIME: temções ou opiniões pessoais. p. zelando por po aguardado entre imparcialidade e neutralidade. 03). Sempre deverão lembrar que os surdos precisam de tempo para olhar no ouvinte e Intérprete. que o profissional intermediador ou Intérprete de Libras é apenas um elemento para que se garanta a acessibilidade. para a língua fonte. de ensinar. deverá utilizado para não coouvir e compreender a mensagem. Quando você for intermediar uma conversa. (CAS. também.Língua Brasileira de Sinais . Outro aspecto importante é a garantia da participação do surdo através de perguntas e respostas que exigem tempo para pensar. É fundamental que se considere. como comunicador ou Intérprete de Libras. Você. não omitindo e nem acrescentando nenhuma informação do diálogo estabelecido entre o usuário da Língua de Sinais e o de Língua Oral. revelar os diálogos particulares envolvidos. tendo consciência que estará levando apenas a acessibilidade à informação. você não poderá assumir nenhuma responsabilidade de interferir. deve meter erros e leva de 4 a 30 segundos. nem mesmo sobre pressão ou ameaça. caso houver. de negociar ou outra atividade que não seja de sua delegação. para as anotações e materiais. não podendo em nenhuma hipótese. Ser confidencial. manter um lag-time12 para evitar erros e. . Deverá ser fiel à interpretação. posteriormente é só transmitir os dados recebidos. um estudo ou um negócio entre o surdo e o ouvinte. não interferirá com conselhos. para que a interação se dê efetivamente. não perguna captação da língua tando e nem respondendo em lugar do fonte e a transmissão intermediado.

Libras LEGISLAÇÃO A legislação garante uma sociedade segura e pacífica. .assegurar a toda criança surda o direito de aprender prioritariamente línguas de sinais e após. nos municípios. . Com isso. Sem ela. . jornal) não veiculem posturas que gerem atitudes discriminatórias contra o uso da língua de sinais e direitos dos surdos defendendo posturas ouvicêntricas. cada pessoa agiria de forma preconceituosa e com seus próprios conceitos e idéias. não haveria o respeito às particularidades. . as leis nos propõem: . ou seja. propor e punir. rádio. . adolescentes.oficialização e a regulamentação da Língua Brasileira de Sinais – Libras. educação em todos os níveis. .levar ao conhecimento das escolas os direitos dos surdos. levando-se em conta a Língua de Sinais aos surdos.140 Língua Brasileira de Sinais . Mesmo em uma sociedade organizada há desentendimentos e conflitos. a “língua do povo surdo”.reconhecimento da língua de sinais como língua da educação do Surdo. estados e federação. em todas as escolas e classes especiais de surdos.recomendar que programas da mídia (TV. também. na qual os direitos coletivos e individuais são respeitados. adultos e idosos surdos. .assegurar às crianças.promover a conscientização sobre questões referentes aos surdos. como pressuposto a uma capacitação profissional. e as leis devem proporcionar uma maneira de resolver. português e outras línguas.

universidades .liberação do trabalho para os pais que têm filhos surdos para fazerem cursos de língua de sinais.: escolas. Em concursos públicos. com aprovação posterior em banca constituída pela comunidade surda e intérpretes. nos quais o surdo concorre com outros deficientes. respeitando sua cultura. .levar em conta o conhecimento da língua de sinais para a escolha dos professores de surdos. a comunidade surda luta por outros direitos como: . . seja entregue à comunidade surda. Entende-se como prova de conhecimento em língua de sinais: certificado específico de curso reconhecido pelas Associações e Federações de Surdos. associações. conselho tutelar.direcionar os patrimônios dos surdos. assim como o patrimônio das escolas de surdos quando deixar de existir e que o patrimônio da cultura surda.formular políticas públicas para levantamento e atendimento educacional de crianças de rua surdas. cursos. .iniciativas legais visando impedir preconceitos contra surdos.Libras 141 . FEBEM.Língua Brasileira de Sinais .regularizar ou implementar o ensino para os surdos onde quer que eles ex. . adquirida ao longo dos anos. sua prova de português também precisa ser analisada com critérios específicos e inclusive na presença de intérpretes. Além das propostas já constituídas em leis.

que regulamentou as leis de acessibilidade (10. construções. sob a lei nº 10. Apesar disso.098) e de atendimento prioritário (10. todas as agências bancárias terão que seguir os padrões do Desenho Universal. como também aos vendedores de panfletos.048). o Ministério Público Federal e a Federação Brasileira dos Bancos (FEBRABAN) assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). O decreto federal 5296. . Os surdos têm direito a: . que prevê a acessibilidade nas instituições financeiras de todo país. De acordo com o TAC. Para que você possa se basear de forma mais extensa. sem ônus.Intérprete de Libras no ambiente de júri. visual. auditiva e mental. muitas agências bancárias ainda não estão acessíveis. internos em instituições e/ou casas de detenção.142 Língua Brasileira de Sinais .436. excluídos do mercado formal de trabalho. Oferecer condições de acessibilidade e de atendimento prioritário às pessoas com deficiência física. Este foi o primeiro e largo passo da comunidade surda. mulheres surdas.criar programas de apoio aos surdos idosos. . meninos surdos de rua. prédios públicos e edifícios de uso coletivo mantidos pela iniciativa privada. portadores de HIV. drogados. Reforçando a necessidade de fazer valer os diretos da pessoa com deficiência.Libras . forneceu elementos técnicos que estipulou prazos para que vias públicas. Em 2002.Intérprete em momentos do interrogatório e prisões. estacionamentos. no fim deste capítulo verá algumas indicações de sites que possam lhe apoiar nas pesquisas. de 24 de Abril. de dezembro de 2004. foi homologada a lei federal que reconhece a Língua Brasileira de Sinais como meio de comunicação objetiva e de utilização das comunidades surdas no Brasil.

O termo também prevê aplicação de multas para os bancos que não cumprirem a legislação. A partir de agora. A inclusão e o aprendizado também estão assegurados por lei pelos documentos legais: Lei federal 7. Resolução CEE 451/03.Libras 143 Entre as mudanças previstas pelo acordo.853/89. Em 2005 foi promulgado o decreto 5. O decreto já está valendo e os órgãos da administração pública deverão incluir em seus orçamentos anuais e plurianuais os recursos para formação.Língua Brasileira de Sinais . os surdos irão ter melhor atendimento dentro de empresas públicas de todo país. De acordo com o TAC as instituições financeiras . todos os órgãos precisam ter uma pessoa de plantão que utilize Libras para atender o surdo e quem irá avaliar se as instituições se adequaram corretamente ao decreto e aplicar possíveis penalidades que devem ser decididas de acordo com cada reclamação é o Ministério Público. Orientação . Também através deste decreto (5626). pelo menos. caixas eletrônicos e postos de atendimentos terão prazos específicos para se adequarem ao Desenho Universal.626. servidores e empregados para o uso e interpretação de Libras. as agências bancárias de todo o país terão que disponibilizar pessoal e equipamentos capazes de manter comunicação com pessoas com surdez. de 22 de dezembro.298/99. Nos aeroportos. que tornou obrigatória a inserção da inclusão da Língua Brasileira de Sinais como disciplina curricular nos cursos de formação de professores para o exercício do magistério em nível médio e superior. Parecer CEE 424/03. capacitação e qualificação de professores. todas as empresas públicas federais. Decreto Federal 3. rodoviárias. 5% dos empregados para o uso e interpretação da Língua Brasileira de Sinais (Libras). em delegacias de polícia. ou seja. estaduais e municipais são obrigadas a capacitar.distribuídas em agências bancárias.

].144 Língua Brasileira de Sinais .. em que [. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais . há outras leis que facilitam o acesso e a comunicação dos surdos dando também apoios aos Intérpretes de Libras. Além destes destaques.Libras e outros recursos de expressão a ela associados. constituem um sistema linguístico de transmissão de ideias e fatos. Art. 1o É reconhecida como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais . por parte do poder público em geral e empresas concessionárias de serviços públicos.. Parágrafo único.Libras SEE/SD 01/2005.. DE 24 DE ABRIL DE 2002. você terá uma lei e um decreto através da qual você deverá adquirir conhecimento. [. DICA: É importante você estar por dentro das Leis. [. ... 3o [. Art. 2o Deve ser garantido.] Art.436..]. elas sempre caem em concursos e sempre há alguém que irá lhe perguntar sobre leis afins.Libras e dá outras providências. de acordo com as normas legais em vigor. Entende-se como Língua Brasileira de Sinais . oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil.] meio de comunicação objetivo e de utilização corrente das comunidades surdas do Brasil.Libras a forma de comunicação e expressão... Em seguida. LEI Nº 10. garantir atendimento e tratamento adequado aos portadores de deficiência auditiva.

4o O sistema educacional federal e os sistemas educacionais estaduais.PCNs.Libras. 24 de abril de 2002. Regulamenta a Lei 10.Libras.. municipais e do Distrito Federal devem garantir a inclusão nos cursos de formação de Educação Especial. 18 da Lei nº 10. considera-se pessoa surda aquela que. Art. do ensino da Língua Brasileira de Sinais . 18 da Lei nº 10. compreende e interage com o mundo por meio de experiências visuais. [. que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais . de Fonoaudiologia e de Magistério. por ter perda auditiva. [.626.098.098/00.] .Libras não poderá substituir a modalidade escrita da Língua Portuguesa. manifestando sua cultura principalmente pelo uso da Língua Brasileira de Sinais . DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005.Libras 145 Art. FERNANDO HENRIQUE CARDOSO DECRETO Nº 5. como parte integrante dos Parâmetros Curriculares Nacionais .. conforme legislação vigente. 2o Para os fins deste Decreto.. e o art. de 24 de abril de 2002. de 19 de dezembro de 2000. Parágrafo único. A Língua Brasileira de Sinais . em seus níveis médio e superior.436. DECRETA: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.Libras.Língua Brasileira de Sinais ..436/02. 1o Este Decreto regulamenta a Lei nº 10.] Brasília. e o art.

3o A Libras deve ser inserida como disciplina curricular obrigatória nos cursos de formação de professores para o exercício do magistério. § 1o Todos os cursos de licenciatura. Fonoaudiologia. [. nas diferentes áreas do conhecimento. o curso de Pedagogia e o curso de Educação Especial são considerados cursos de formação de professores e profissionais da educação para o exercício do magistério.Libras CAPÍTULO II DA INCLUSÃO DA LIBRAS COMO DISCIPLINA CURRICULAR Art. . em nível médio e superior.] Art. Pedagogia e Letras. ampliando-se progressivamente para as demais licenciaturas.. 9o A partir da publicação deste Decreto.. do Distrito Federal e dos Municípios. CAPÍTULO III [. a partir de um ano da publicação deste Decreto.146 Língua Brasileira de Sinais . 5º § 2o As pessoas surdas terão prioridade nos cursos de formação previstos no caput. de instituições de ensino. as instituições de ensino médio que oferecem cursos de formação para o magistério na modalidade normal e as instituições de educação superior que oferecem cursos de Fonoaudiologia ou de formação de professores devem incluir Libras como disciplina curricular[.] Art. O processo de inclusão da Libras como disciplina curricular deve iniciar-se nos cursos de Educação Especial.. o curso normal superior. § 2o A Libras constituir-se-á em disciplina curricular optativa nos demais cursos de educação superior e na educação profissional. públicas e privadas. o curso normal de nível médio.. do sistema federal de ensino e dos sistemas de ensino dos Estados.] Parágrafo único.. e nos cursos de Fonoaudiologia..

000 empregados: 4% • de 1.. pesquisa e extensão nos cursos de formação de professores para a educação básica. deve dispor de sistemas de acesso à informação como janela com tradutor e intérprete de Libras . A programação visual dos cursos de nível médio e superior..Libras 147 Art..001 em diante: 5% . preferencialmente os de formação de professores.] Art. [. nos cursos de Fonoaudiologia e nos cursos de Tradução e Interpretação de Libras . 24. [. 22 de dezembro de 2005. 31. Brasília..Língua Portuguesa e subtitulação por meio do sistema de legenda oculta.Língua Portuguesa. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. na seguinte proporção: • de 100 a 200 empregados: 2% • de 201 a 500 empregados: 3% • de 501 a 1..Língua Brasileira de Sinais .] CAPÍTULO IX DAS DISPOSIÇÕES FINAIS [.] Art.296. habilitadas. de modo a reproduzir as mensagens veiculadas às pessoas surdas. na modalidade de educação a distância. de 2 de dezembro de 2004. conforme prevê o Decreto no 5.. LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA O QUE DIZ A LEI A empresa com cem ou mais empregados está obrigada a preencher de 2% a 5% dos seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas portadoras de deficiências. As instituições de educação superior devem incluir a Libras como objeto de ensino. 10.

Libras Apesar de ter espaço no mercado de trabalho. Incentivar pessoas com surdez é algo muito rico no processo de inclusão.gov.mec.mg. É preciso oportunizar aos surdos o seu verdadeiro “poder”. eles precisam se expressar. estamos dispostos a ajudá-los nessa busca? • Crie um projeto que beneficia as pessoas com surdez e o proponha no fórum do AVA. Para Refletir • Os Surdos. DICA: Existem diversos outros materiais e informações nos sites: www. não basta só contratar.148 Língua Brasileira de Sinais . . que ficamos ao seu redor. conseguem.br Hoje.gov.br e www. Mostrar que têm direito de levar uma vida “normal”.educacao. quando se propõem a buscar seus objetivos. é preciso sensibilizar toda sociedade e conhecer as capacidades e habilidades de cada uma dessas pessoas dando oportunidade de crescimento e convocando-os para vagas em aberto. Mas quanto a nós.

Em Português “Eu irei à igreja!” EU VER CAMELO BLUSA BARATO. Com isso. O. AS. e raramente um texto completo recheado de palavras.” ADVOGAD@ LEI CONHECER TUDO.Libras 149 4. pois ela tem gramática diferenciada. “Eu vi no camelô uma blusa barata. “O advogado conhece todas as leis. muitos acharão que nas frases as palavras estarão fora do lugar. mas. Para leigos. independente da língua oral.Língua Brasileira de Sinais . os surdos são falhos na escrita. OS e verbos são escritos no infinitivo. Sua escrita em português não há artigos A. Os surdos aprendem palavra por palavra.4 FRASES EM EXPRESSÕES DA LIBRAS Em Libras. a Língua de Sinais não pode ser estudada tendo como base a Língua Portuguesa. Veja alguns exemplos que demonstram exatamente essa independência sintática do português: EU IR IGREJA! (verbo direcional).” AMIG@ FAZENDA PRECISAR MÉDICO CACHORRO CUIDAR ANIMAIS.” . na percepção visual-espacial. mas isso já é uma natureza e uma estrutura que deixa de lado o português. A ordem dos sinais na construção de um enunciado corresponde a normas próprias que refletem a forma de o surdo processar suas ideias. para eles passa a ser natural. “Um amigo da fazenda precisa de um veterinário para cuidar dos animais.

150 Língua Brasileira de Sinais . é preciso ficar muito atento às expressões faciais e corporais. pois nessas situações se utilizam sinais e expressões simultaneamente. conjunções. “Qual é o seu nome?” NOME! (direcional com expressão exclamativa). “Tenho 28 anos!” . não são usados artigos. NOME? (direcional com expressão interrogativa). preposições. esta expressão necessita que você levante as sobrancelhas e faça uma ligeira inclinação com o queixo [?]. “Quantos anos você tem?” IDADE 28! (direcional com expressão exclamativa).Sempre que encontrar uma frase com “@” significa que pode estar no masculino ou feminino. porque esses conectivos estão incorporados ao sinal. Expressões Interrogativas e Exclamativas Para as frases exclamativas e interrogativas. “Meu nome é João Victor!” IDADE? (direcional com expressão interrogativa). DICA: Na estruturação em Libras observa-se que há regras próprias. em Libras. sobrancelhas levantadas e um movimento da cabeça inclinando-a para cima e para baixo.Libras . • Interrogativa. • Exclamativa.

pois há sinais próprios que já implicarão no contexto. .Libras 151 TRISTE PORQUE? (é uma pergunta) “Por que você está triste hoje? VOCÊ TRISTE! “Hoje você está triste!” (afirmação que você está triste) LIBRAS APRENDER FÁCIL? (quer saber se aprender Libras é fácil?) “Aprender Língua Brasileira de Sinais é fácil?” LIBRAS APRENDER FÁCIL! (afirmou que é fácil) “Aprender Língua Brasileira de Sinais é fácil! MACEIÓ LONGE^MUITO? (dúvida se Maceió é longe. pergunta) Maceió é muito longe? MACEIÓ LONGE^MUITO! (expressão afirmando que é longe) BOM^MUITO VIAJAR ARACAJU? É muito bom viajar para Aracaju? (Pergunta-se se viajar para Aracaju é bom) VOCÊ GOSTAR IR FESTA? Você gosta de ir a festas? Expressões positivas e negativas Nas frases positivas e negativas nem sempre terá que fazer o sinal e a expressão simultaneamente.Língua Brasileira de Sinais .

Libras Afirmativa: Expressão facial é indiferente. b) Movimento negativo com a cabeça. NÃO PERDOO / NÃO DESCULPO .152 Língua Brasileira de Sinais . CORAJOSO BONDOSO Negativa: Pode ser feita através de três artifícios: a) Sinal de negação diferente do afirmativo: OUVIR NÃO OUVIR Devemos relacionar o sinal negativo em seu contexto e ver se o correto para o momento é o antônimo da palavra mais o sinal de negação ou o sinal próprio em negação. simultaneamente à ação que está sendo negada.

se o tom for mais agressivo. FAZENDA DONO ESTÚPIDO E IGNORANTE BARATA MEDO . o sinal com a expressão deverá ter a mesma intensidade da palavra como. “cara fechada + expressão de NÃO” além do sinal de “DESCULPAR”. Após o sinal de “QUEBRAR”.Libras 153 Neste caso acima. c) Sinal NÃO (com o dedo indicador) à frase afirmativa. utiliza-se o sinal de “NÃO” com o dedo indicador.Língua Brasileira de Sinais . você já implicará a tonalidade da palavra na expressão. QUEBRAR Expressões Imperativas Nestas frases. são feitas duas expressões ao mesmo tempo. aquele sinal popularmente conhecido em nossa sociedade. por exemplo: Cale a boca! Ou então: SEU IDIOTA VOCÊ É UM GROSSO / BRUTO Vamos ver se você entendeu este capítulo: Passe a frase para o Português e descreva qual o tipo de frase das orações em Libras conforme sua expressão.

” Passado (Ontem / Há muito tempo / Passou) ONTEM EU^IR ESCOLA JUNTO PRIMO “Ontem. eu fui à escola com meu primo.Libras QUEM ALI ESTÁ CARRO 15 MIL DINHEIRO AMIGO TRABALHAR FACULDADE Expressões temporais Nas noções temporais. “Hoje vou à escola com meu primo” AGORA EMBORA “Estou indo embora agora. Presente (já / hoje / agora) JÁ PESQUISAR ACABAR “Você já acabou a pesquisa?” HOJE ESCOLA EU^IR PRIMO.” SEMANA PASSADO EU VIAJAR “Semana passada eu viajei. adicionamos sinais que informam o tempo presente.154 Língua Brasileira de Sinais . passado ou futuro.” ANOS^PASSADO EU BICICLETA^CAIR “Anos atrás cai de bicicleta.” Futuro (amanhã / futuro / depois / próximo) EU BRINCAR AMANHÃ REPETIR “Amanhã irei brincar de novo” .

É importante que você tenha um contato com surdos para obter um melhor aproveitamento.Libras 155 FUTURO EU COMPRAR APARTAMENTO AQUELE BONITO^MUITO “Um dia comprarei aquele apartamento lindo” DEPOIS EU^IR PESCAR “Depois irei pescar” PRÓXIMO SÁBADO EU FUTEBOL “Jogarei futebol no sábado. Caso isso não seja possível. pois elas poderão ser úteis para você e demais colegas e por que não também para nós? Para Refletir • Com a interação direta com um surdo. • Você já parou para pensar como um surdo e não como ouvinte? .” DICA: Procure estar sempre buscando estas palavras no dicionário digital do site já indicado e tente fazer todas as frases para você entender melhor sua estrutura. você conseguirá assimilar melhor estas informações com mais facilidade.Língua Brasileira de Sinais . tire suas dúvidas conosco.

As condutas ligadas aos surdos e aos Intérpretes garantem uma sociedade mais inclusiva e os textos abordam todas estas particularidades. a importância. Indicação de filmes e sites FILMES A cor do paraíso Além do silêncio Filhos do silêncio Lágrimas do silêncio Nell O milagre de Anne Sullivan Seu nome é Jonas Testemunha muda Tortura perigosa Adorável professor Depois do silêncio Gestos de amor Minha amada imortal No silêncio do amor O piano Som e fúria Tiro na escuridão Tudo em família . tornando real a inserção no mercado de trabalho. foi reconhecida da língua materna dos surdos. todo este conjunto se fecha nas expressões (frases). Em 2002. Apesar de tardia. determinantes para a comunicação entre o surdo e o ouvinte.Libras Resumo Conhecer a melhor forma de ensino aprendizado é um aspecto importante na alfabetização de uma criança surda. a qualificação e a vontade devem superar o medo e o preconceito tanto para o surdo quanto para os intérpretes. Em possibilidades de trabalho. através da lei 10436. Além de aprofundar e assimilar a independência do Português com a Libras.156 Língua Brasileira de Sinais . é a principal lei voltada aos surdos e a partir desta lei foram criados outros decretos regulamentares. faremos que estas crianças iniciam-se suas atividades educacionais precocemente sem comprometer seu desenvolvimento pedagógico. assim.

Língua Brasileira de Sinais - Libras

157

SITES www.acessobrasil.org.br/libras www.atividadeseducativas.com.br www.dicionariolibras.com.br www.feneis.com.br www.ines.gov.br www.libras.net.com www.libras.org.br www.libraselegal.com.br www.vezdavoz.com.br GABARITO
Página 45 04 15 05 16 17 11 14 03 09 07 02 13 06 08 12 10 01 18 Página 46 Prato Prata Pato Mato Carro Amiga Viajar Longe Homem Saboroso Puxar Caçar Telefonar Página 48 12 + 35 987 + 1248 1000 + 6547 9987 - 5421 14257 - 254 65 x 31 9x7 585 x 641 8975146 : 2 465164 : 7 2196 : 2196 Página 49 451 66574 2121524 37 219 654 999 647787 112478 531841 3000 6187708 Página 51 V F V V F F V V F F Página 58 Beber Sorvete Garfo

158

Língua Brasileira de Sinais - Libras

PÁGINA 125

P A T o 2 H Y w

C O N V I T E

0 s L O P U R s V Q T J

A K E E K O

p r l s G i v

a t A T H Y e

t u E U o P M

o j Ç s d C B V u F F A S B O i

C A I R W 8 Ç 2

7 4 X

z ç 5
PÁGINA 126

a 6 8 9

n F V 8 A s i

a S F T G 7

e 8 x n

f l h 6

g l 2 h S w

7 h Q

c 1 t h h

l m

y h c y 9 c l

m 5 y m 5 h c 3

5 9

2 z m y 9

l 3 Z K b m

l 6

J 1

4 6 Ç j l P 1 L m

0 z

Língua Brasileira de Sinais - Libras

159

PÁGINA 126

n F V 8 A 4 s i

a 5 S F T 6 G 7

e 9 8 x n Ç P L

f l h l 6 j 1 m

g l 2 3 h l S w

7 h Q Z J K b m

c 1 2 t 1 h 0 h

l m z l m y z 9

y h c 6 y 9 c l

m 5 y m 5 h c 3

.

que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais. 2009.Libras. 9 nov.048. Linguagem e letramento na educação dos surdos: ideologias e práticas pedagógicas. Brasília.org. Decreto nº 5. ______. Acesso em: 21 jun. Decreto nº 5. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Aracaju: Gráf. 2009. ______. 22 dez. 2000.436. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. de 22 de dezembro de 2005. BOTELHO. Brasília. Paula. Prioridade de atendimento às pessoas com deficiências.br>.Libras. Disponível em: <http://www. de 24 de abril de 2002.br>. 24 abr. 2005. de 24 de abril de 2002. em: <http://www. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil.Libras 161 Referências BARRETO. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. UNIT.gov. Disponível em: < http://www. Dispõe sobre Língua Brasileira de Sinais. planalto. 2005. DF. Lei nº 10. ______. Acesso em: 22 jun. DF. Fundamentos antropológicos e sociológicos. . Belo Horizonte: Autêntica. DF 3 dez.626.436. de 2 de dezembro de 2004. Brasília.296.Língua Brasileira de Sinais . 2002. Disponível . Brasília. Regulamenta a Lei no 10. 2009. BRASIL. DF. Disponível em: <http://www. de 8 de novembro de 2000. Lei nº 10. Atendimento Prioritário. 2004.org. Acesso em: 21 jun. Raylane Andreza Dias Navarro. 2009.br>.

Lucinda Ferreira. BRITO.162 Língua Brasileira de Sinais . 2000.gov. Por uma gramática da língua de sinais.098. CORRAZE. Brasília. de 19 de dezembro de 2000. 2009. Belo Horizonte: SEE-Esp. Acesso em: 21 jun. 1997. Acessibilidade. . Walkiria Duarte. 2009. Rio de Janeiro: Zahar. Aurélio Buarque de Holanda.br >. As comunicações não-verbais. Brasília. 2009. [online] Disponível em: <HTTP://abcdasaude. 4. Dicionário enciclopédico iustrado trilingue: e língua brasileira de sinais português/inglês/libras. Doenças do ouvido.Libras planalto. Lei nº 10. Secretaria de Educação Especial. .br>. Fernando Cesar. ed. Disponível em: <http://www. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. 1982. 3.org. DEFICIÊNCIA AUDITIVA.Libras. 2007. 1995. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. CAPOVILLA. Organizado por Giuseppe Rinaldi et al. FERREIRA. ______. Código de ética dos Tradutores-Intérpretes de LIBRAS-PORTUGUÊS. ______. Acesso em: 2 jul. São Paulo: EDUSP 2006.com. Acesso em: 22 jun.br>. Mini aurélio século XXI escolar: o mini dicionário da língua portuguesa. CAS – Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez. 20 dez. 2001. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. RAPHAEL. DF. J. ed.

A.). Acesso em: 14 jul. Fundamentos da educação Especial.Língua Brasileira de Sinais . LABORRIT.. Disponível em: <HTTP://otorrinousp. Márcia. DIAS. Batatais: CUC. São Paulo: Ciranda Cultura. Comunicação. Valéria de A. org. Alvaro. Patrícia. L. 1996. Maria Cecília de.br>. 1995. s/d. Porto Alegre: Artes Médicas. . Mary Lopes Esteves. FRIZANCO. Carlos (Org. Vera Lucia. Esclarecendo as deficiências. MOURA. Rio de Janeiro: 7letras. o mundo dos surdos e os profissionais da audiologia. SILVA. 1999. In: SKILIAR. CAMPOS. Araújo et al. linguagem e pensamento das crianças surdas. Famílias. BRAUN. São Paulo: Santos. 2006. Cristina C. Porto Alegre: Mediação. São Paulo: Best Seller. de.. HOFFMEISTER.Libras 163 GLAT. HONORA. O voo da gaivota. VERGAMINI. MARCHESI. Sabine A. Sandra R. Educação para surdos: práticas e perspectivas. MEDICINA USP O ouvido. Rosana. In: Desenvolvimento psicológico e educação: necessidades educativas especiais e aprendizagem escolar. 2008. . Emmanuelle. 2007. Atualidade da educação bilíngue para surdos: interfaces entre pedagogia e linguística. PEDROSO. Roberto J. Educação inclusiva: cultura e cotidiano escolar. crianças surdas. 2009.

Conceição de Vilhena et al. Ronice Muller de. 2004. QUADROS. Alfabetização de criança surda. RJ: Vozes. Secretaria de Educação Especial. D. Jorge.VHS. QUITES. Porto Alegre: Artmed. Petrópolis. SEESP 2003. Petrópolis. 2002. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. 1 videocassete (30 min). Língua . Ronice Muller de. Caxambu. RJ: Vozes. São Paulo: CERAVI. KARNOPP Lodenir Becker. . PLANK. Belo Horizonte 2007. brasileira de Sinais: estudos linguísticos. REZENDE. Perigos do uso de tóxicos.164 Língua Brasileira de Sinais . Programa Nacional de Apoio à Educação de Surdos – Brasília: MEC. 1983.Libras PLANK. RAMOS. Desenvolvendo competências para atendimentos às necessidades educacionais de alunos surdos. 2007. D. QUADROS. Tatiana P Pimenta. Desenvolvendo competências para atendimento às necessidades educacionais de alunos surdos. libras: centro de capacitação de profissionais e de educação às pessoas com surdez. som. Estudo básico da gramática da .. (folheto) . 2002. color.

Libras 165 SACKS. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Rick. São Paulo: Editora vida.cbmerj. Função do ouvido. Oliver. In: Repensando a educação da criança surda. WARREN. pescoço e extremidade superior. Acesso em: 14 Dez. 2009.Língua Brasileira de Sinais . SOUZA. O aluno surdo e sua família. Tradução James Monteiro dos Reis.rj. Núria. Vendo vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. [online] Disponível em: <HTTP://3apoliclinica. 1995. Uma vida com propósitos: você não está aqui por acaso. James. 2003. Rio de janeiro: Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES. STELLING. SOBOTTA. Regina Maria. SILVESTRE. .). Tradução Laura Teixeira Motta. 1996. Educação de surdos: pontos e contra pontos. São Paulo: Summus. São Paulo: Companhia das Letras. Atlas de anatomia humana: cabeça.gov. Esmeralda (Org.br>. 2007. Terceira Policlínica do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro. 1998.

Libras A notações .166 Língua Brasileira de Sinais .

Língua Brasileira de Sinais .Libras 167 A notações .

168 Língua Brasileira de Sinais .Libras A notações .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful