You are on page 1of 7

2

1. INTRODUÇÃO

A descoberta de meios para utilização de fontes de energia diferentes da que os animais


forneciam foi o que determinou a possibilidade da revolução industrial. A energia pode
se apresentar na natureza sob diversas formas, mas, exceto no caso da energia hidráulica
e dos ventos, deve ser transformada em trabalho mecânico por meio de máquinas, para
ser utilizada pelo homem. A termodinâmica nasceu justamente dessa necessidade, e foi
o estudo de máquinas térmicas que desenvolveu seus princípios básicos.

Termodinâmica é o ramo da física que estuda as relações entre calor, temperatura,


trabalho e energia. Abrange o comportamento geral dos sistemas físicos em condições
de equilíbrio ou próximas dele.

As máquinas térmicas ou equipamentos termodinâmicos tem seu funcionamento


baseado no princípio de que o calor é uma fonte de energia e, portanto pode ser
utilizado para produzir trabalho, e seu funcionamento obedece às leis da termodinâmica.
3

2. USINA TERMELÉTRICA OU CENTRAL TERMELÉTRICA

As Usinas termelétricas são instalações que produzem energia elétrica através da


queima de combustíveis fósseis ou urânio. Quando o urânio é utilizado como
combustível as usinas são chamadas de usinas nucleares.

O funcionamento de todas as centrais termelétricas é semelhante, independentemente do


combustível utilizado. O combustível é armazenado em parques ou depósitos
adjacentes, de onde é enviado para a usina, onde será queimado na caldeira. Esta gera
vapor a partir da água que circula por uma extensa rede de tubos que revestem suas
paredes. A função do vapor é movimentar as pás de uma turbina, cujo rotor gira
juntamente com o eixo de um gerador que produz a energia elétrica. Essa energia é
transportada por linhas de alta tensão aos centros de consumo. O vapor é resfriado em
um condensador e convertido outra vez em água, que volta aos tubos da caldeira, dando
início a um novo ciclo.

A água em circulação que esfria o condensador expulsa o calor extraído da atmosfera


pelas torres de refrigeração, grandes estruturas que identificam essas centrais. Parte do
calor extraído passa para um rio próximo ou para o mar. As torres de refrigeração são
enormes cilindros mais estreitos na metade de sua altura (hiperbolóides), que emitem
constantemente vapor de água, não-contaminante, para a atmosfera. Para minimizar os
efeitos contaminantes da combustão sobre as redondezas, a central dispõe de uma
chaminé de grande altura (algumas chegam a 300 m) e de alguns precipitadores que
retêm as cinzas e outros resíduos voláteis da combustão. As cinzas são recuperadas para
aproveitamento em processos de metalurgia e no campo da construção, onde são
misturadas com o cimento.

Algumas usinas são chamadas de usinas de ciclo combinado, pois utilizam turbinas a
gás e a vapor associadas.
4

3. TURBINA A GÁS

Turbina, motor rotativo que converte em energia mecânica a energia de uma corrente de
gás. O elemento básico da turbina é a roda ou rotor, que conta com paletas, hélices,
lâminas ou cubos colocados ao redor de sua circunferência, de forma que o fluido em
movimento produza uma força tangencial que impulsiona a roda, fazendo-a girar. Essa
energia mecânica é transferida através de um eixo para movimentar uma máquina, um
compressor, um gerador elétrico ou uma hélice. Atualmente, a maior parte da energia
elétrica mundial é produzida com o uso de geradores movidos por turbinas.

O funcionamento da turbina a vapor baseia-se no seguinte princípio termodinâmico:


quando o vapor se expande, diminui sua temperatura e reduz sua energia interna. Essa
redução da energia interna se transforma em energia mecânica pela aceleração das
partículas de vapor, o que possibilita dispor diretamente de uma grande quantidade de
energia.
5

4. CALDEIRA DE RECUPERAÇÃO DE CALOR

As usinas de ciclo combinado têm como um dos seus principais elementos um gerador
de vapor capaz de recuperar parte do calor dos gases de exaustão das turbinas a gás
(Heat Recovery Steam Generator - HRSG). Com isto, a eficiência térmica eleva-se
substancialmente, pois o vapor assim produzido aciona uma turbina, sem necessidade de
queima de combustível adicional.
6

5. MOTOR A VAPOR

Nas máquinas a vapor, o vapor de água em ebulição é retido numa caldeira até que sua
pressão ultrapasse a pressão atmosférica e a seguir transferida para uma câmara de
distribuição na cabeça dos motores para ser injetado nos cilindros gerando assim uma
reação suficiente para mover a árvore de manivelas e produzir movimentos
7

6. MOTOR DE COMBUSTÃO INTERNA

Motor de combustão interna, qualquer tipo de máquina cuja energia mecânica é obtida
diretamente da energia química produzida por um combustível dentro de uma câmara de
combustão (a parte principal de um motor). São três os tipos de motores de combustão
interna: o motor de explosão, o diesel e o Wankel. O motor de explosão, inventado pelo
técnico alemão Nikolaus August Otto, é o motor convencional à gasolina, utilizado em
automobilismo e aeronáutica. O motor a diesel, chamado assim em homenagem ao
engenheiro alemão, nascido na França, Rudolf Christian Karl Diesel, funciona com base
em um princípio diferente e consome óleo diesel. É utilizado em instalações geradoras
de eletricidade, em sistemas de propulsão naval, em caminhões, ônibus e alguns
automóveis.

Os motores de explosão e os diesel apresentam os mesmos elementos principais. A


câmara de combustão é um cilindro, dentro do qual desliza um pistão unido por uma
biela ao eixo de manivelas. Este converte em movimento de rotação o movimento linear
do pistão. A alimentação do combustível num motor de explosão é feita pelo
carburador, dispositivo que mistura ar ao combustível. Cada cilindro aspira o
combustível e expulsa os gases através de válvulas, que se abrem e se fecham de acordo
com o movimento do eixo de manivelas.

Para a ignição, os motores de explosão dispõem da bobina, ou transformador, que


transforma a corrente de baixa em alta tensão; do distribuidor, que faz saltar a faísca da
vela no momento apropriado; e das velas.

O motor convencional de explosão é de quatro tempos: aspiração do combustível e ar,


compressão, explosão e descarga.

Nos motores diesel, somente ar é absorvido na primeira fase. Na segunda, o ar se


comprime e esquenta devido à compressão. Na terceira, a mistura de combustível e ar é
injetada dentro da câmara de compressão e queima imediatamente.

O princípio geral do motor de dois tempos é a redução dos períodos de aspiração do


combustível e de expulsão dos gases a uma parte mínima de um dos outros tempos.

Na década de 1950, o engenheiro alemão Felix Wankel desenvolveu um motor de


combustão interna que utilizava, ao invés do pistão, um rotor triangular. Esse rotor gira
dentro de uma câmara ovalada, produzindo três fases de potência em cada volta. O
motor de Wankel é compacto e leve em comparação com os motores de pistão.
8

7. RFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

TÉRMELÉTRICA. Disponível na Internet via:


<http://www.gasnet.com.br/novotermeletricas/ciclo.asp>. Acessado em 26 de Março de
2011.

BRAIN, MARSHALL. Como funcionam os motores a vapor. Tradução


HowStuffWorks Brasil. Disponível na Internet via:<
http://ciencia.hsw.uol.com.br/motor-a-vapor.htm>. Acessado em 26 de Março de 2011.

FUNDAMENTOS do funcionamento do motor de combustão interna. Disponível na


internet via: <http://146.164.33.61/termo/Motores/Aulas%2009/Aula_01.pdf>.
Acessado em 26 de Março de 2011.

BRAIN, MARSHALL. Como funcionam as turbinas a gás. Tradução


HowStuffWorks Brasil. Disponível na Internet via:<
http://ciencia.hsw.uol.com.br/turbina-a-gas.htm>. Acessado em 26 de Março de 2011