You are on page 1of 2

ABORTO

TIPOS PENAIS:
Art.124, CP - Aborto provocado pela gestante ou com seu consentimento;
Art.125, CP - Aborto provocado por terceiro, sem o consentimento da gestante;
Art.126, CP - Aborto provocado por terceiro com o consentimento da gestante;
Art. 127, CP - Forma qualificada (quando a gestante sofre lesão corporal de natureza grave ou morte);
Art. 128, CP - Aborto necessário e sentimental.

OBJETO JURÍDICO:
A vida do feto (em segundo plano a vida e a incolumidade física e psíquica da gestante, no caso de aborto praticado por
terceiro). Protege a vida humana em formação.

CONCEITO:
É a interrupção da gravidez com a consequente morte do feto (produto da concepção). No sentido etimológico, aborto quer
dizer “privação de nascimento”. Advém de “ab”, que significa privação e, “ortus”, que significa nascimento. O sujeito
passivo é o feto vivo. É portanto, um crime contra a vida. Protege o direito à vida.

ELEMENTO SUBJETIVO:
É o dolo, admitindo-se o dolo eventual.

FORMAS:
O aborto pode ser natural, acidental, criminoso e legal ou permitido.

DIFERENÇA ENTRE ABORTO E INFANTICÍDIO:


É início o parto. Antes do início do parto trata-se de aborto; após o início do parto, trata-se de infanticídio.

CRIME IMPOSSÍVEL:
Para que haja o aborto, é necessário que o feto esteja vivo. No caso de feto morto configura-se a hipótese de crime
impossível. Pode haver também o crime impossível pela impropriedade absoluta do meio, se os meio empregado for
inteiramente eficaz.

CONSUMAÇÃO E TENTATIVA:
Consuma-se com a destruição do produto da concepção. Admite-se a tentativa.

ABORTO NATURAL E ACIDENTAL:


No aborto natural, onde há interrupção espontânea da gravidez e no aborto acidental, que geralmente ocorre em sequência
de traumatismo (como por exemplo queda da gestante), não há crime. Trata o Código então, do aborto criminoso e legal ou
permitido.

ABORTO CRIMINOSO:
Estão previstos nos artigos 124 a 127 do Código Penal:

AUTO ABORTO

TIPO PENAL:
Art.124, primeira parte do Código Penal.

SUJEITOS:
ATIVO: A gestante.
PASSIVO: o produto da concepção.
Existe entendimento, todavia, de que o sujeito passivo do aborto é o Estado ou a Comunidade Nacional, por não ser o feto
o titular de bem jurídico ofendido (Fragoso, Mirabete, entre outros).

PENA:
A pena prevista para tal delito é de 01 (um) a 03 (três) anos de detenção. Note-se que esta pena é para a gestante e não
para a pessoa que participou.

ABORTO PROVOCADO POR TERCEIRO

TIPOS PENAIS:
Artigos 125 (sem o consentimento da gestante) e 126 (com o consentimento da gestante).
ABORTO PROVOCADO POR TERCEIROS SEM O CONSENTIMENTO DA GESTANTE:
Neste caso a gestante não quer seja praticado o aborto.

SUJEITOS:
ATIVO: qualquer pessoa.
PASSIVO: o produto da concepção e a mãe.
Existe entendimento, todavia....

PENA:
Neste caso a pena será de 03 (três) a 10 (dez) anos de reclusão.

ABORTO PROVOCADO POR TERCEIRO COM O CONSENTIMENTO DA GESTANTE:


Existe o consentimento da gestante.

SUJEITOS:
ATIVO: qualquer pessoa em concurso com a gestante.
PASSIVO: o produto da concepção.
Existe entendimento, todavia....

PENA:
Neste caso, a pena é de 01 (um) a 04 (quatro) anos de reclusão.

ART. 126, PARÁGRAFO ÚNICO:

DISSENTIMENTO PRESUMIDO.
Trata do caso da gestante menor de 14 anos ou alienada ou débil mental, bem como, se o consentimento foi obtido
mediante fraude, grave ameaça ou violência. Nestas situações, aplica-se a pena prevista no caso anterior (Art. 125).

FORMA QUALIFICADA DO ABORTO

TIPO PENAL:
Art.127 do Código Penal.

LESÕES CORPORAIS DE NATUREZA GRAVE OU MORTE DA GESTANTE:


É o aumento de pena previsto para os casos em que, do aborto ou dos meios empregados para provocá-lo, sofrer a
gestante lesão corporal de natureza grave (aumento de um terço) ou ainda, se lhe sobrevem a morte (neste caso a pena é
duplicada).

ABORTO LEGAL OU PERMITIDO

TIPO PENAL:
Art.128 do Código Penal.

CONCEITO:
Trata-se efetivamente de aborto com relação à adequação típica, porém tal fato não é punido, por determinação legal.
Existe uma norma que isenta o autor de pena.

FORMAS:
1. ABORTO NECESSÁRIO ou TERAPÊUTICO: (Artigo 128, inciso I, do Código Penal). É o aborto praticado para salvar a
vida da gestante, ou seja, se não existir outro meio, permite-se o aborto para que a gestante não morra.
Somente pode ser praticado por médico. Se uma enfermeira praticar o aborto nestas condições e comprovar que assim
agiu para salvar a vida da gestante, poderá ser favorecida pela figura do “estado de necessidade” (artigo 24, do Código
Penal) e não pela determinação do artigo 128 do CP.
2. ABORTO NO CASO DE GRAVIDEZ RESULTANTE DE ESTUPRO: (Art. 128, inciso II, do Código Penal). É também
conhecido como aborto sentimental ou humanitário. Deve haver o consentimento da gestante ou de seu representante
legal, se for o caso.

ABORTO EUGÊNICO OU EUGENÉSICO: Não está previsto no Código Penal, porém, amplamente aceito pela
Jurisprudência. Trata-se de aborto quando o produto da concepção, comprovadamente, não terá capacidade de sobrevida
após o nascimento.