You are on page 1of 7

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

HISTÓRIA

CLAUDIA REGINA CONDELLO CANDIDO DE OLIVEIRA KLUCK

É PRECISO PLANEJAR

Curitiba
2010
CLAUDIA REGINA CONDELLO CANDIDO DE OLIVEIRA KLUCK

É PRECISO PLANEJAR

Trabalho apresentado ao Curso de História da


UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a
disciplina de Didática.

Orientador: Profª Edilaine Vagula

Curitiba
2010
i

i
1

É preciso Planejar

Na busca em estabelecer a importância e necessidade do


planejamento de ensino como elemento organizador do trabalho
pedagógico foram realizadas leituras e entrevistados dois professores
sobre a temática. O primeiro leciona História junto às quintas e sextas
séries de uma escola pública da periferia de Curitiba e o outro se dedica
às oitavas e ao ensino médio na mesma região.

De acordo com os professores entrevistados planejar é


antever, é antecipar a ação tendo em vista a aprendizagem. Para o
primeiro professor o foco principal está nos conteúdos que devem ser
alcançados pela pela maioria da turma, para o outro o planejamento se
inicia no diagnóstico de onde a turma está e esse plano o leva a
estimular a aprendizagem até que todos tenham tido acesso a um
ensino com qualidade, ainda que as condições de tempo e materiais
para isso não sejam favoráveis, o que representa a “atitude crítica do
educador diante de seu trabalho docente” apresentado por FUSARI
(1998, p. 45)

O primeiro professor relata que sem planejamento não há


como avaliar o trabalho desenvolvido, nem em quais pontos os seus
alunos estão ao longo do percurso. No momento de planejar repassa os
deficits de sua turma que precisam ser equilibrados e por isso diz ser
importantíssimo planejar, pois orienta sua prática. Também diz que
ajuda a combater a improvisação e o esvasiamento de sentido em seu
trabalho.

O segundo professor diz se servir do planejamento como


ferramenta que vai além da promoção da aprendizagem do aluno.
Utiliza os momentos de planejar como um espelho no qual vê seu fazer
pedagógico, cujo reflexo aprimora a aprendizagem e aguça o sentido de
ensinar, destarte consegue se perceber como um facilitador da
educação.

Por conta de lecionar mais de 40 horas semanais o professor


2

de quintas e sextas séries relata que se serve dos momentos de


planejamento de forma solitária – até por conta de ser único
responsável por essas séries nas unidades de ensino em que atua. O
segundo professor busca a participação da equipe pedagógica para o
seu momento de planejamento, as vezes compartilhando expectativas
não atendidas, e entende que o trabalho conjunto enriquece a prática já
que outros olhares o ajudam a mudar de posição.

Está clara a importância e necessidade do planejamento de


ensino como elemento organizador do trabalho pedagógico. Partindo do
pressuposto que o plano de aula vai além de ser uma questão
burocrática, ele é sim bússola que deve nortear o fazer pedagógico
tendo em vista a busca em atingir objetivos estabelecidos e resolver
situações que impeçam de dar conta de alcançá-los, além do
movimento cíclico de aprimoramento dos professores quando se
servem do planejamento para avaliar seu fazer diário.

O planejamento contribui de diversas maneiras: por propiciar


respeito a especificidades de grupos diferentes; na conquista de um
ambiente democrático onde o professor saia da posição de detentor do
poder e crie vias de acesso e comunicação, para correção inclusive das
próprias deficiencias.

Fase importante e necessária do processo de ensino-


aprendizagem pois é durante o planejamento, refletindo com clareza os
objetivos que pretende atingir, o docente pode escolher formas
diferentes de abordar conteúdos, de acordo com o diagnóstico das
necessidades específicas encontradas.

Através do planejamento os vícios e ranços de uma prática


arcaica podem ser corrigidos, e a participação ativa e criativa (SANTOS
at al, 2009, p. 87) conquistada em sala, num ambiente de flexibilidade e
interesse que pode resultar na transformação da sociedade de forma
democrática e participativa.

O processo de planejar foi brilhantemente apresentado por


Fusari (1998, p. 52) como sendo o “próprio espaço da prática
3

pedagógica do educador” sendo possível comparar esse momento com


um engenheiro debruçado na prancheta esquadrinhando fundamentos
e colunas de uma construção: quando as plantas estão sendo
executadas é por que o momento primeiro de reflexão deve ter dado
conta da obra que está por surgir, com o senão de que na formação de
pessoas os pilares e fundamentos devem ser tratados com mais
responsabilidade, ainda que as escolhas formativas possam, e devam,
ser reavaliadas e as raízes de dificuldades enfrentadas – e assim o
planejar se torne oportunidade de crescimento para todos envolvidos no
processo educativo.
4

BIBLIOGRAFIA

SANTOS, Adriana Regina de Jesus; VAGULA, Edilaine;


RAMPAZZO, Sandra Regina dos Reis. Didática: história – Unidade
3 – O processo de ensino: planejamento, organização e avaliação do
trabalho pedagógico. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.
pgs 77 - 107.

FUSARI, José Cerchi. O Planejamento do trabalho


pedagógico: algumas indagações e tentativas de respostas . Série
Idéias n. 8. São Paulo: FDE, 1998. p.44-53.

ALVES, Rosimar Pires; ARAÚJO, Doracina Aparecida de


Castro. Planejamento: organização, reflexão e ação da prática
docente. Disponível em http://www.fortium.com.br/faculdadefortium
.com.br /marco_guilherme/ material/4794.doc. Acesso em 07.mar.2010