EPR 573 – Projeto de Unidades Produtivas – ii/2010

ITENS BÁSICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ESPAÇOS CONSTRUÍDOS
Quadro–resumo de procedimentos para o planejamento sistemático do leiaute.
Procedimentos Especificação Instrumentos - produto, material ou serviço, isto é, o que se quer produzir Pesquisa direta no - quantidade ou volume, ou seja, quanto produzir local do trabalho - roteiro, ou seqüência de operações, isto é, como o produto será produzido em um tempo ótimo (1) determinação da melhor seqüência de movimentação dos semi-elaborados, alimentos, maquinário e Carta de processos funcionários ao longo das diversas etapas exigidas pelo ou fluxos processo de produção de suco e estimativa da intensidade ou magnitude desses movimentos (2) busca de relacionamento das atividades de serviços, Carta de umas às outras, e integração dos serviços de suporte ao interligações fluxo de materiais preferenciais esboço de localização, segundo o qual, posteriormente, Diagrama de interas atividades serão rearranjadas, de acordo com os relações requisitos de espaço condições que estimulam o ajuste do diagrama de interConsulta direta aos relações, resultantes da vontade e da experiência dos profissionais profissionais envolvidos Consulta direta aos restrições ao planejamento, podendo ser físicas, profissionais e à financeiras, legais, ambientais, etc. legislação balanceamento das vantagens e desvantagens, análise de Consulta direta aos fatores, comparação e justificação de custos profissionais

Dados de Entrada

Fluxo de materiais

Inter-relações de atividades Diagrama de Interrelações Considerações de mudança Limitações práticas Avaliação

Fonte: MUTHER, 1978 Notas: (1) Quando se estuda o arranjo físico de empreendimentos que produzem poucas variedades de produtos, em
grandes quantidades, a análise produto-quantidade fornece subsídios para a criação de um arranjo físico do tipo linear ou por produto, automatizado, que possibilite operações cíclicas e repetitivas.
(2)

Por intermédio da análise de fluxo, é possível visualizar se a movimentação ocorre de forma progressiva durante o processo, ou seja, sem retornos, desvios, cruzamentos, etc.

Fundamentos que regem o arranjo físico: a) produto (material ou serviço que é produzido ou processado pela empresa, instalação ou área em questão); b) quantidade (volume do produto ou material produzido, fornecido ou utilizado); c) roteiro (processo segundo o qual o produto será fabricado levando-se em consideração a operação de transformação e de movimentação de materiais através das áreas); d) serviços de suporte (recursos, atividades ou funções auxiliares que devem suprir a área em questão e que lhe darão condições de funcionamento); e) tempo (tempo de operação para as funções produtivas determinando quantos equipamentos e máquinas são necessários, o que levará ao dimensionamento de espaços, de mão-de-obra e ao balanceamento das operações). Fatores que influem na definição do arranjo físico: a) fator produto: tamanho, peso, quantidade, condições especiais que afetam o produto (luz, poeira, bactérias etc.); b) fator matérias-primas: variedade, quantidade, peso, tamanho, características físicas (líquido, gás etc.), características químicas (veneno, corrosivo, oxidável etc.), uniformidade de suprimento, rapidez nas entregas, entregas ocasionais, descontínuas, imprevisíveis, a chamado etc., necessidade de manutenção de estoques ao lado da linha ou da máquina, estoques no almoxarifado, tempo de armazenamento previsto e possível sem deterioração, área ocupada pelo estoque mínimo e máximo e seu relacionamento com a carga máxima permissível por unidade de área do piso; c) fator maquinaria: quantidade, qualidade e produtividade, balanço da capacidade das máquinas, facilidade e 1

Prof. A.C.G. Tibiriçá

Assunto: Arranjo Físico

vapor etc. áreas para servir de volante em caso de parada de máquina ou linha. por satélite. exigências especiais (esgotos.. acessibilidade das linhas de distribuição de vapor. remoção de cavacos e rebarbas. canos. necessidade de colocação ou previsão de trilhos para monovias. elevadores. janelas (iluminação. linhas de comunicação telefônica. cálculos de alternativas pelo sistema de custos de métodos para compras de máquinas. tratamento de água. ventilação. relógios de ponto. fator processo: roteiro de processo (seqüência exigida). almoxarifado próprio para serviços noturnos de emergência. pintura de paredes. Tibiriçá Assunto: Arranjo Físico 2 . dimensionamento dos corredores. de treinamento. sarilhos. localização de depósitos de combustível. fundações. modificações de leiaute e investimentos em geral. calor etc. pé-direito exigido pelas máquinas ou por necessidade de pontes-rolantes. ventilação de sanitários. escadas. áreas para estocar produtos de acondicionamento e possivelmente prepará-los para uso (abrir as caixas de papelão. áreas de estacionamento de carros próprios e de terceiros. fator edifício: escolha do tipo mais adequado (térreo ou em andares). periculosidade dos resíduos. facilidade de acompanhamento da produção. fator controle: pontos de controle de qualidade. monta-cargas. exaustores etc.). ar comprimido. ao posto de vendas (cooperativa) e à biblioteca. largura entre colunas.ex.. caso o edifício ainda não esteja construído. condições especiais de higiene e limpeza. higiene do trabalho (mau cheiro. fator pátio: desvios ferroviários. fator armazenamento: áreas para produtos em processo. vias de acesso rodoviários. instalações de proteção contra roubo. etc. fogo e perdas por intempéries. p. b) conhecimento do processo de fabricação escolhido. fatores sociais e administração do pessoal: refeitório. fator expansão e facilidade de mudança: espaço para expansão. carga admissível sobre lajes. fator serviços: distribuição da energia elétrica. d) e) f) g) h) i) j) k) l) m) n) o) p) Pressupostos básicos: a) conhecimento do edifício (se construído) ou do local (se edifício a construir). métodos de trabalho. sistemas pneumáticos de remoção de detritos.C. radiofônica. caldeiras). cozinhas e laboratórios. fator comando: espaço para a administração central. chuveiros e instalações sanitárias. com a especificação das máquinas e. esfriamento eventual da água por lago ou torre. acessos aos serviços internos social. áreas para recuperação de peças defeituosas. facilidade de troca de fusíveis e motores.G. pé-direito. quadros de avisos. por linhas lógicas. água etc. instalações de comunicação vertical. capacidade das portas para permitir entrada e saída das máquinas. facilidade para eventual remoção de máquinas. pontes-rolantes. segurança (saídas de emergência. fator manuseio e movimentos: possibilidade de transporte e acesso a seções pelos meios e equipamentos de transporte mais indicados. portões. flexibilidade em caso de mudança do produto. pisos (material). uso de operário para controlar várias máquinas. dentista). sistemas de remoção de máquinas leves e pesadas. necessidade de descargas e cargas verticais. energia elétrica. de recursos humanos. proximidade da localização do supervisor.EPR 573 – Projeto de Unidades Produtivas – ii/2010 ITENS BÁSICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ESPAÇOS CONSTRUÍDOS proximidade do suprimento de dispositivos. por circuito interno de TV. regulagem de velocidade de máquinas). iluminação natural e artificial. planos inclinados. anteparos térmicos. áreas para acumulação de produtos acabados e semi-acabados. remoção de resíduos e purificação e separação de seus constituintes. guindastes etc. torres de água ou depósitos subterrâneos. remoções de máquinas. linhas de comunicação com o controle da produção e o planejamento. uso de corrente contínua (eletrólise. aquecimento ou refrigeração do ambiente. por subestações de alta e de média tensão. freqüência do controle e área destinada à inspeção.). sinalização. segurança das instalações. c) conhecimento das quantidades a produzir e das especificações de controle. tipo de iluminação indicado. fator homem e supervisão: comodidade para alcançar áreas de descanso e sanitários.). fator manutenção: acesso e localização central. restrições municipais eventuais à construção. ruídos).. perigo de quebras com estilhaços). matrizes. da estimativa da área necessária. fator limpeza: facilidade de acesso para máquina e para o encarregado da limpeza. estampos ferramentas. acondicionamento do produto para transporte externo ou interno. A. área para remoção de peças imprestáveis. freqüência da limpeza prevista. instalações de ar comprimido e vácuo (locais ou centrais). alternativas de mudança do sistema de vácuo. vestiários. de saúde (médico. pontos de controle quantitativo. uso de vapor (instalações centrais. Prof. rampas..

ligadas diretamente ao equipamento ou à bancada de trabalho. d) fazer o estudo de tempo teórico pelos métodos de tempos predeterminados ou por semelhança com operações conhecidas. No caso de uma plaina de mesa ou de uma fresadora. carpintaria.1) colocar nesse esboço. e) a área necessária às instalações elétricas. incêndios. conforto e segurança. g) procurar permitir a ampliação ou a redução sem interferir na produção e com economia de serviços. cavacos. ruídos. toda a área coberta para deslocamento da mesa deverá ser considerada como área própria do equipamento. em sua condição mais desfavorável. A. considerando-se suas necessidades mínimas de acesso. tendo-se o fluxo do material como base. c) a área necessária ao operador ou operadores. a.2) caso o edifício ainda não exista. Tibiriçá Assunto: Arranjo Físico 3 . todo o processo. sistemas de evitar transmissão de vibrações. térmicas. depósitos de combustíveis. semi-acabados.G. como manutenção. grosso modo. lógicas etc. por caixas. c) fazer plantas de variantes por meio de recortes ou modelos. hidráulicas. projetar o fluxo ideal do material e esboçar o edifício ao redor dele. Prof. b) adaptar o fluxo ao edifício e vice-versa e fazer o cálculo econômico. d) a área necessária à alimentação e à remoção de material de um equipamento. ao redor do equipamento ou do posto de trabalho. para cada variante. por exemplo. f) colocar fatores de higiene e segurança. depósitos de ferramentas. área essa diretamente vinculada ao posto de trabalho ou equipamento em estudo. b) a área ocupada ao redor do posto de trabalho ou do equipamento. caldeiras.EPR 573 – Projeto de Unidades Produtivas – ii/2010 ITENS BÁSICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ESPAÇOS CONSTRUÍDOS Elementos auxiliares (dados) visando ao processamento do arranjo físico: a) fazer um esboço do espaço disponível: a.C. rebarbas e peças acabadas. e) localizar seções de serviço. com as máquinas e as áreas de armazenamento. fardos ou pilhas de matériaprima. Considerações para definição das áreas mínimas: a) a área ocupada pelo equipamento propriamente dito. e escolher a mais adequada.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful