You are on page 1of 66

SERVIÇO DE FARMÁCIA

GUIA FÁRMACO-NUTRIENTE

INTRODUÇÃO

O alimento, independentemente da cultura do indivíduo e da época vivida, é um


fator essencial e indispensável à manutenção e à ordem da saúde. Sua
importância está associada à sua capacidade de fornecer ao corpo humano
nutrientes necessários ao seu sustento. Para o equilíbrio harmônico desta
tarefa é fundamental a sua ingestão em quantidade e qualidade adequadas, de
modo que funções específicas como a plástica, a reguladora e a energética
sejam satisfeitas, mantendo assim a integridade estrutural e funcional do
organismo. No entanto, esta integridade pode ser alterada, em casos de falta
de um ou mais nutrientes, com conseqüente deficiência no estado nutricional e
necessidade de suplementação (regime dietoterápico). Por outro lado, os
nutrientes são também capazes de interagir com fármacos, sendo um problema
de grande relevância na prática clínica, devido às alterações na relação
risco/benefício do uso do medicamento.

Estas interações são facilitadas, pois os medicamentos, na sua maioria, são


administrados por via oral. Os nutrientes podem modificar os efeitos dos
fármacos por interferirem em processos farmacocinéticos, como absorção,
distribuição, biotransformação e excreção, acarretando em prejuízo terapêutico.
A absorção dos nutrientes e de alguns fármacos ocorre por mecanismos
semelhantes e freqüentemente competitivos e, portanto, apresentam como
principal sítio de interação o trato gastrintestinal.

Desde a década de 80, a Joint Commission on Accreditation of Hospitals vem


incentivando profissionais, como farmacêuticos e nutricionistas, a monitorar as
interações fármaco-nutriente que ocorrem com pacientes internados, bem
como orientá-los a este respeito quando eles deixam o hospital. Portanto, na
equipe de saúde, estes profissionais desempenham um papel importante na

1
identificação destas interações, bem como na educação de pacientes em
programas de aconselhamento.
Um maior conhecimento em relação a este processo conduz a um controle
mais efetivo da administração do medicamento e da ingestão de alimentos,
favorecendo, assim, a adoção de terapias mais eficazes.

Efeitos dos alimentos/nutrientes na cinética dos medicamentos:

1. Absorção do fármaco:
A – A presença de um alimento no estômago pode diminuir a taxa ou extensão
da absorção do fármaco.
B – Pode ocorrer quelação entre certos fármacos e cátions divalentes, como
cálcio, magnésio, alumínio, ferro e zinco.
C – A presença de alimento no estômago pode aumentar a absorção de um
mesmo fármaco.

2. Distribuição do fármaco:
A – Uma diminuição significativa na albumina sérica pode aumentar a fração
livre de fármacos altamente ligados à proteína.

3. Metabolismo do fármaco:
A – O alimento pode alterar o metabolismo hepático de alguns fármacos.

4. Excreção do fármaco:
A – Os alimentos podem alterar a excreção renal de alguns fármacos.

2
Efeitos dos medicamentos na cinética dos alimentos/nutrientes:

1. Absorção do nutriente:
A - Complexos de fármacos com nutrientes podem impedir a absorção do
medicamento, nutriente ou de ambos.
B - Os fármacos podem alterar a acidez gástrica.
C – Os fármacos podem danificar a superfície da mucosa gastrointestinal.

2. Distribuição do nutriente:
A – Os fármacos podem aumentar o metabolismo de nutrientes, resultando no
aumento das necessidades e risco de deficiência.
B – Os fármacos podem causar antagonismo com vitaminas.

3. Excreção do nutriente:
A – Os fármacos podem aumentar a excreção urinária de nutrientes.
B – Os fármacos podem diminuir a excreção de nutrientes.

3
Modificação da ação dos medicamentos:

1. Aumento da ação do fármaco:


A – Os alimentos ou aditivos (exemplo: cafeína, tiramina) podem ter efeitos
similares aos do fármaco, aumentando os efeitos ou toxicidade.

2. Antagonismo na ação do fármaco:


A – Os nutrientes ou ingredientes dos alimentos podem opor-se à ação
desejada do fármaco.
B – A dieta (exemplo: rica em gordura) pode impedir os efeitos do fármaco.

4
Efeitos dos medicamentos na ingestão alimentar e estado nutricional:

1. Efeitos orais e no paladar/olfato:


A – Os fármacos podem tornar o fluxo salivar deficiente, causando boca seca e
aumento de cáries, estomatite e glossite.
B – Os fármacos podem ser secretados para a saliva.
C – Os fármacos podem destruir bactérias orais naturais, podendo resultar em
crescimento excessivo de fungos orais (exemplo: candidíase).
D – Os fármacos podem causar disgeusia (alteração no paladar).
E – Os fármacos podem danificar células de proliferação rápida, causando
estomatite, glossite, esofagite, entre outros.

2. Efeitos gastrintestinais:
A – Os fármacos podem irritar a mucosa gástrica, causando desconforto,
náuseas, vômitos, sangramentos e ulcerações.
B – Os fármacos podem acelerar ou retardar a peristalse intestinal.
C – Os fármacos podem destruir bactérias intestinais.

3. Mudanças no apetite:
A – Os fármacos podem suprimir o apetite, resultando em anorexia e perda de
peso.
B – Os fármacos podem aumentar o apetite, resultando em ganho de peso.

5
OBJETIVOS

2.1 Objetivo geral:


Informar quanto aos diversos aspectos envolvidos na interação fármaco-
nutriente.

2.2 Objetivos específicos:


Filtrar conhecimentos específicos e práticos através de uma revisão
bibliográfica sobre o assunto.
Conscientizar quanto à importância destas interações.
Elaboração de um material de consulta prático e seguro para promover
uma excelência nos serviços prestados pelos profissionais da saúde.

6
METODOLOGIA

Para a execução deste guia, fez-se uma revisão bibliográfica em livros e artigos
científicos.

7
RESULTADOS

INTERAÇÕES FÁRMACO/NUTRIENTE:

• Ácido acetilsalicílico (AINE, analgésico, antitérmico, anti-reumático e


profilaxia de AVC-oral): Tomar com um copo de água ou leite, após as
refeições ou com alimento para diminuir a irritação gastrointestinal.
Diminui a absorção de alimentos. Engolir inteiro o comprimido com
revestimento entérico. Dieta: Assegurar ingestão hídrica adequada e
aumentar a ingestão de alimentos rico em vitamina C e ácido fólico em
altas doses com uso em longo prazo. Não usar em pacientes propensos
à deficiência de vitamina K. Precauções: Lactação, Diabetes e
deficientes de G6PD (risco de anemia hemolítica). Reações adversas:
Irritação gastrointestinal (risco para quem possui gastrite, por ter efeito
ulcerogênico). Alterações: Sangue: pode diminuir o T4 e K. Aumentar ou
diminuir o ácido úrico (dose dependente), pode aumentar TGO, TGP e
fosfatase alcalina. Altas doses: pode aumentar ou diminuir a glicose,
aumentar TP, diminuir ácido fólico, possível diminuição da Vitamina C.
Urina: Pode aumentar a vitamina C e K, falso aumento ou diminuição da
glicose (método dependente). Monitorar hematócrito e a função renal em
uso em longo prazo ou em altas doses.

• Acetazolamida (Diurético, antiglaucomatoso, anticonvulsivante, inibidor


da anidrase carbônica – oral): Tomar com alimento para diminuir a
irritação gástrica. Dieta: Assegurar ingestão hídrica adequada. Pode ser
necessário repor potássio. Não usar na lactação. Precaução em
diabetes, deficiência de G6PD: risco de anemia hemolítica. Alterações:
Sangue: diminui o bicarbonato, sódio, potássio, aumenta o cloro,
bilirrubina, ácido úrico, glicose (em diabetes). Anemias, incluindo anemia
aplástica fetal rara, discrasias. Urina: aumenta o bicarbonato, pH, sódio,
potássio, diminui o cloro, ácido úrico e aumenta a glicose (em
diabetes).Aumenta a tiamina, piridoxina e magnésio. Falso positivo para
proteína. Monitorar: Hemograma, eletrólitos, hiperglicemia em diabetes.

8
• Aciclovir (antiviral (Herpes) – oral e parenteral IV): Pode ser tomado
com alimentos. Tomar com um copo de água. Dieta: Assegurar ingestão
hídrica adequada. 2-3 litros por dia, a menos que orientado de outra
forma. Precaução na lactação. Alterações: Sangue: Transitório em IV:
aumenta a uréia, creatinina, TGO e TGP. Urina: Cristalúria rara,
hematúria.

• Alopurinol (Anti-hiperuricêmico, inibidor da xantino-oxidase – oral):


Tomar após as refeições para diminuir os efeitos gastrointestinais. Dieta:
Tomar 2,5-3 litros de líquidos/dia para produzir 2 litros de urina em 24
horas. Evitar doses altas de vitamina C para diminuir o potencial de
cálculos renais. Para diminuir o risco de cálculos de xantina, deve-se
manter a urina alcalina. Reações adversas: Náuseas e vômitos, gastrite,
dor abdominal, diarréia, sonolência, cefaléia, erupções cutâneas. Limitar
o álcool e precaução em gravidez. Alterações: Sangue: Diminuição do
ácido úrico, aumento da fosfatase alcalina, TGO, TGP, bilirrubina, uréia
e creatinina. Urina: Diminui o ácido úrico. Monitorar: hemograma, ácido
úrico, função renal e hepática.

• Alprazolam (Ansiolítico, Benzodiazepínico - oral): Pode ser tomado com


alimento ou água para diminuir o desconforto gastrointestinal. Evitar o
álcool e não usar na lactação. Reações adversas: Aumento do apetite,
ganho ou perda de peso, anorexia, boca seca, aumento da salivação,
obstipação, sonolência, fadiga, ataxia, confusão. Pode levar a
dependência em uso em longo prazo. Hipoalbuminemia (< 3 g/dl ) pode
aumentar os efeitos do fármaco. Alterações: Sangue: Altas doses:
aumenta o TGO e a bilirrubina. Monitorar: Função hepática e
hemograma.

• Alumínio (Hidróxido) (Antiácido, quelante de fosfato – oral): Tomar 1-3


horas após as refeições. Mastigar bem os comprimidos. Dieta: Terapia
quelante de fosfato: tomar com refeições e com um copo de água o
outro líquido. Tomar suplemento de ferro e de ácido fólico em separado

9
e em intervalos de 2 horas. Ingerir sucos e frutas cítricas em separado e
em intervalos de 3 horas: sucos aumentam a absorção de alumínio.
Reações adversas: Paladar característico, obstipação, náuseas e
vômitos, cólicas e diarréia. Uso em longo prazo em diálise pode causar
encefalopatia, neurotoxicidade e osteomalácia. A forma líquida aumenta
a viscosidade da nutrição por sonda. Alterações: Sangue: Diminui o
potássio e aumenta o alumínio em uso em longo prazo em Insuficiência
Renal Crônica.

• Amicacina (Antibiótico, Aminoglicosídico, parenteral (IV e IM)):


Fisicamente compatível em nutrição parenteral e com atividade mantida
por 24 horas a 21°C, em concentração máxima de 150mg/l. Dieta:
Assegurar ingestão hídrica adequada. Aumenta a sede. Não usar na
lactação. Reações adversas: Neurotoxicidade, nefrotoxicidade,
ototoxicidade, sonolência, tontura, perda da audição, dormência.
Alterações: Sangue: Aumenta a uréia e creatinina. Urina: Proteínas
diminuem gravidade específica. Monitorar: Função renal.

• Amilorida e hidroclorotiazida (Anti-hipertensivo, diurético – oral):


Tomar com refeições ou leite para prevenir o desconforto
gastrointestinal, de preferência pela manhã. Dieta: Reduzir o sódio pode
ser necessário diminuir o cálcio. Precaução com suplementação de
cálcio. A hidroclorotiazida diminui a excreção de cálcio: pode causar o
aumento do cálcio sérico com suplementação de cálcio. Reações
adversas: Diminuição da PA com possível hipotensão, tontura, cefaléia,
erupções cutâneas, fraqueza, fadiga, tosse, boca seca, náuseas e
vômitos, dispepsia, diarréia e dor gastrointestinal. Evitar álcool e não
usar na lactação. Não usar com potássio maior que 5,5. Alterações:
Sangue: anemia, diminuição do sódio, cloro, fósforo e bicarbonato,
aumento do ácido úrico, uréia, cálcio, colesterol, triglicerideos e glicose,
aumento ou diminuição de potássio e magnésio. Urina: Aumento do
sódio, cloro, ácido úrico, magnésio e bicarbonato e diminuição do cálcio,
aumento ou diminuição do potássio. Monitorar: Eletrólitos e uréia.
Possível hiperglicemia em diabéticos.

10
• Amiodarona (Antiarrítmico – oral e parenteral IV): Tomar com estômago
cheio ou vazio. Reações adversas: Náuseas, vômitos, obstipação,
paladar, olfato e salivações anormais, dor abdominal, ataxia, toxicidade
pulmonar (pode ser fatal), hepatotoxicidade, tontura, tremor, fadiga,
distúrbios visuais, fotossensibilidade, tosse, arritmia (pode ser fatal),
insônia, cefaléia, febre intermitente, edema, ICC, hipo e hipertireoidismo.
Hipotensão com IV. Não usar na lactação e em hipocalemia ou
hipomagnesemia. 96% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue:
Aumento da fosfatase alcalina, TGO, TGP, T4, TSH, e creatinina,
diminuição do T3, discrasias. Monitorar a função hepática, pulmonar e
da tireóide.

• Amitriptilina (Antidepressivo Tricíclico - oral): Pode ser ingerido após a


refeição para diminuir o desconforto gastrointestinal. Dieta: O aumento
de fibras pode diminuir o efeito do fármaco. Limitar cafeína, álcool e não
usar na lactação. 95% ligado às proteínas séricas. Reações adversas:
Aumenta o risco de problemas dentários, aumento do peso, aumento do
apetite especialmente para doces, aumento da necessidade de
riboflavina, boca seca, obstipação, alterações no paladar, náuseas e
vômitos, diarréia, flatulência, sedação, sonolência, distúrbios visuais,
delírio, tontura, tremor, cefaléia, franqueza, confusão mental,
hipotensão, arritmia, palpitações, galactorréia, edema, erupções
cutâneas. Reações adversas: Pequeno risco de causar hipotensão
ortostática. Risco para quem tem distúrbio gastrintestinal: por causar
paralisia do ílio. Risco de arritmia e de insuficiência cardíaca. Alterações:
Sangue: discrasias, aumento da prolactina e aumento ou diminuição da
glicose. Urina: Retenção.

• Amoxicilina (Antibiótico, Penicilina - oral): Alimentos não afetam a


absorção. Pode ser tomado com alimentos para diminuir o desconforto
gastrointestinal. Reações adversas: Diarréia, náuseas e vômitos,
erupções cutâneas, glossite, candidíase oral, colite pseudomembranosa.
Precaução na lactação. Alterações: Sangue: anemias, discrasias,

11
aumento do TGO e TGP. Monitorar em uso em longo prazo a função
renal e hepática e hemograma.

• Ampicilina (Antibiótico, Penicilina – oral e parenteral IM e IV): Tomar


com um copo de água com o estômago vazio 1 hora antes ou 2 horas
depois após as refeições. Alimentos diminuem a absorção do fármaco. É
incompatível com nutrição parenteral. Reações adversas: Diarréia,
alterações no paladar, glossite, estomatite, erupções cutâneas,
candidíase oral em uso em longo prazo, náuseas e vômitos, colite
pseudomembranosa. Não usar na lactação. Alterações: Sangue:
anemias, discrasias, aumento do TGO, TGP, LD e fosfatase alcalina.
Urina: Falso positivo para glicose. Monitorar em uso em longo prazo:
hemograma, função renal e hepática.

• Ampicilina e sulbactam (Antibiótico, Penicilina – parenteral IM e IV):


Reações adversas: Diarréia, glossite, estomatite, erupções cutâneas,
candidíase oral em uso em longo prazo, náuseas e vômitos, colite
pseudomembranosa. Não usar na lactação. Alterações: Sangue:
anemias, discrasias, aumento do TGO, TGP, fosfatase alcalina, LD,
uréia e creatinina, diminuição da albumina e triglicérides. Urina: Falso
positivo para glicose. Monitorar em uso em longo prazo: hemograma,
função renal e hepática.

• Anfotericina B (Antimicótico, antiprotozoário – parenteral IV):


Incompatível em nutrição parenteral. Dieta: Assegurar ingestão hídrica
adequada. Aumento de potássio e magnésio. Reações adversas:
Anorexia, diminuição de peso, náuseas e vômitos, dor gástrica,
dispepsia, diarréia, febre, nefrotoxicidade, calafrios, cefaléia, distúrbios
visuais, dor muscular, hipotensão, neuropatia periférica, arritmias,
aumento da PA. Não usar na lactação. Mais de 90% de ligação a
proteínas séricas. Alterações: Sangue: anemias, aumento de uréia,
creatinina, fosfatase alcalina, bilirrubina, TGO, TGP, GGT, diminuição de
potássio, magnésio sódio. Urina: Aumento de potássio, ácido úrico,
proteína e hematúria. Monitorar os eletrólitos, magnésio, função renal e

12
hepática, hemograma e plaquetas.

• Anlodipino (Anti-hipertensivo, antianginoso – oral): Tomar sem


considerar alimentação. Dieta: Diminuir de sódio pode ser recomendado
a diminuição de cálcio. Reações adversas: Disfagia, náusea, cólicas,
diminuição da PA com possível hipotensão, edema, tontura, febre
intermitente, sonolência, palpitações, dor muscular e erupções cutâneas.
Não usar na lactação. 93% ligado a proteínas séricas.

• Atenolol (Anti-hipertensivo, antianginoso, -bloqueador cardio-seletivo -


oral): Tomar sem considerar a alimentação. Dieta: Diminuição de sódio
pode ser recomendado a diminuição de cálcio. Tomar separadamente
de suplementos de cálcio e antiácidos. Sais de cálcio pode diminuir a
absorção. Reações adversas: Taquicardia, broncoespasmo, náusea,
diarréia, diminuição da PA na lactação, em ICC (causa depressão da
contratilidade miocárdica) e em diabetes (pode mascarar sintomas e
prolongar hipoglicemia). Pode inibir a liberação da insulina na
hiperglicemia. Alterações: Sangue: Aumento do triglicérides,
lipoproteínas, potássio, ácido úrico e uréia e diminuição HDL. Monitorar
a PA, função cardíaca, glicose em diabetes. Possivelmente função renal
e hemograma.

• Azatioprina (Imunossupressor, anti-reumático - oral): Pode ser tomado


com alimento para diminuir o desconforto gastrointestinal. Reações
adversas: Anorexia, náuseas e vômitos, estomatite, esofagite, diarréia,
esteatorréia, supressão da medula óssea, erupções cutâneas, aumenta
a infecção. Não usar na lactação e realizar cuidados odontológicos
cautelosamente. Alterações: Sangue: Diminuição de leucócitos, anemia,
aumenta o TGO, TGP, fosfatase alcalina, bilirrubina, diminuição do ácido
úrico, amilase e albumina. Urina: Diminuição do ácido úrico. Monitorar o
hemograma semanalmente por 1 mês, e então 2x/mês e função
hepática.

• Azitromicina (Antibiótico, Macrolídeo – oral): Tomar a cápsula ou

13
suspensão 1 hora antes ou 2 horas após as refeições. Pode tomar o
comprimido sem considerar a alimentação. Tomar o comprimido com
alimentos, se houver desconforto gastrointestinal. Reações adversas:
Náuseas e vômitos, diarréia, dor abdominal. Precaução na lactação.
Alterações: Sangue: Aumenta o CPK, TGO, TGP, GGT e potássio.

• Baclofeno (Miorrelaxante, antiespástico - oral): Reações adversas:


Náuseas e vômitos, obstipação, boca seca, alterações no paladar,
sonolência, tontura, fraqueza, confusão, cefaléia, depressão, insônia,
diminuição da PA e edema. Evitar álcool e não usar na lactação.
Precaução em diabetes: pode aumentar a glicemia e em epilepsia.
Alterações: Sangue: Aumento do TGO, TGP, fosfatase alcalina e
glicose. Urina: Aumento da frequência.

• Beclometasona (dipropionato) (Antiasmático, adrenocorticóide –


aerossol nasal ou inalante): Reações adversas: Garganta inflamada,
náuseas e vômitos, diminuição da acuidade gustativa, irritação
nasofaríngea, sangramento nasal, tontura e cefaléia. Precaução na
lactação.

• Bicarbonato de sódio (Antiácido, agente alcalinizante – oral e


parenteral IV): Como antiácido: tomar após as refeições com um copo
de água. Fisicamente é compatível com nutrição parenteral, com 10% ou
menos de perda de CO2 e sem alteração no pH por 7 dias a 25°C,
protegido da luz, em concentração máxima de 150 mEq/l. Dieta:
considerar o conteúdo de sódio com dieta reduzida de sódio. Tomar
suplemento de ferro separadamente, uma hora antes ou 2 horas após o
fármaco. Precaução com suplemento de cálcio ou ingestão elevada de
leite com uso em longo prazo e em IRC, ICC, HA. Reações adversas:
Aumenta a sede, peso (edema), eructação, distensão gástrica, cólicas,
flatulência, edema periférico. Alterações: Sangue: com IV: aumento de
sódio e diminuição de potássio e cálcio. Urina: Aumento do pH.

• Bisacodil (Laxante, estimulante intestinal, Difenilmetano – oral e retal):

14
Tomar a tarde com estômago vazio, com 1 copo de água ou suco.
Engolir a drágea inteira. Não triturar. Observar intervalo de 1 hora entre
a ingestão do fármaco e de leite, suplemento de cálcio ou magnésio.
Dieta: Rica em fibras, com 1,5-2 l de líquido/dia para prevenir
obstipação. Diminui a absorção intestinal de aminoácidos e glicose.
Reações adversas: Diminuição do peso, náusea, eructação, cólicas
abdominais, diarréia. Uso em longo prazo: dependência laxativa, má
absorção, esteatorréia. Precaução na lactação e diabetes. Alterações:
Sangue: uso em longo prazo: diminuição do potássio e do cálcio.

• Bromocriptina (Antiparkinsoniano, supressor do hormônio do


crescimento e da prolactina, Dopaminérgico - oral): Tomar com alimento
ou leite para diminuir a irritação gastrointestinal. Tomar antes de deitar
para diminuir náusea. Reações adversas: Anorexia, náuseas e vômitos,
obstipação, boca seca, paladar metálico, disfagia, dispepsia, cólicas
abdominais, diarréia, sangramento gastrointestinal, sonolência, tontura,
fadiga, cefaléia, desmaios, diminuição da PA com possível hipotensão,
alucinações, confusão. Evitar álcool. Inibe lactação. Mais de 90% ligado
à albumina sérica. Alterações: Sangue: Diminuição da prolactina e do
hormônio de crescimento. Transitório: Aumento da uréia, TGO, TGP,
fosfatase alcalina, creatino-fosfoquinase e ácido úrico. Monitorar a PA e
o hemograma. Em uso em longo prazo: função hepática, renal e
cardiovascular.

• Cálcio (acetato) (Quelante de fosfato) ver também cálcio (carbonato):


Tomar com as refeições. Dieta: evitar suplemento de cálcio. Diminui a
absorção de ferro. Contém 25% de cálcio. Não promove absorção de
alumínio. Reações adversas: Obstipação, anorexia, cálculos renais,
náuseas e vômitos. Alterações: Sangue: Aumento de cálcio e diminuição
de fósforo na Insuficiência Renal Crônica. Monitorar o cálcio e fósforo
séricos.

• Cálcio (carbonato) (Antiácido, suplemento de cálcio, quelante de


fosfato – oral): Tomar com as refeições como suplemento e quelante de

15
fósforo. Tomar 1-3 horas após as refeições como antiácido. Mastigar
bem os comprimidos. Dieta: assegurar ingestão hídrica adequada.
Tomar separadamente de grandes quantidades de alimentos ricos em
fibras, em oxalatos ou em fitatos. Tomar ferro separadamente em
intervalos de 1-2 horas (pode diminuir a absorção). Contém 40% de
cálcio. Limitar o álcool e cafeína (grandes quantidades: mais de 8
xícaras de café/dia, pode diminuir a absorção. Reações adversas:
Anorexia, hipercalemia com alcalose infreqüente, boca seca. Dose
excessiva: náuseas e vômitos, dor abdominal, obstipação, cálculos
renais. Alterações: Sangue: Aumento de cálcio e diminuição de fósforo
em Insuficiência Renal Crônica. Urina: Aumento de cálcio. Monitorar o
cálcio e fósforo séricos.

• Cálcio (Gluconato) (Antiácido, suplemento de cálcio) ver cálcio


(carbonato): Fisicamente compatível em nutrição parenteral,
dependendo das concentrações dos outros nutrientes da solução (ex:
fosfato, aminoácidos). Contém 9% de cálcio.

• Captopril (Anti-hipertensivo, antinefropatia diabética, inibidor da ECA –


oral): Tomar com estômago vazio uma hora antes ou duas horas depois
das refeições (o alimento diminui a absorção em 30-40%). Dieta:
Assegurar ingestão hídrica adequada. Diminuição de sódio pode ser
recomendado a diminuição de cálcio. Evitar substitutos do sal.
Precaução com suplemento de potássio. Tomar suplemento de
magnésio separadamente em intervalos de duas horas. Reações
adversas: Paladar metálico ou salgado, náuseas e vômitos, úlcera
péptica, dor abdominal, obstipação, diarréia, diminuição da PA com
possível hipotensão, tosse, erupções cutâneas, febre, tontura, cefaléia,
fadiga, insônia, angioedema (raro, pode ser fatal). Limitar o álcool, não
usar na lactação e precaução em diabetes: diminui a glicemia.
Alterações: Sangue: Discrasias, aumento do potássio, TGO, TGP,
fosfatase alcalina, bilirrubina, prolactina, ácido úrico, diminuição do sódio
e glicose em diabéticos. Transitório: Aumento de uréia e creatinina.
Urina: Proteína, falso positivo para acetona. Monitorar a PA, eletrólitos,

16
função renal, leucograma e diabéticos para prevenir a diminuição da
glicose.

• Carbamazepina (Anticonvulsivante, antimaníaco, antipsicótico,


Dibenzazepina - oral): Tomar com alimento ou leite para diminuir o
desconforto gastrointestinal. Não mastigar ou esmagar o comprimido de
liberação prolongada. Para nutrição por sonda: misturar a suspensão
com quantidade igual de diluente. Reações adversas: Anorexia, náuseas
e vômitos, boca seca, estomatite, glossite, dor abdominal, obstipação,
diarréia, tontura, ataxia, sonolência, distúrbios visuais, erupções
cutâneas, síndrome de secreção inadequada de hormônio antidiurético e
edema. Evitar o álcool e não usar na lactação. Aumento os riscos de
problemas dentários. Alterações: Sangue: Diminuição de leucócitos,
discrasias, T3, T4 e sódio, aumento de uréia, TGO, TGP, fosfatase
alcalina, bile, colesterol, HDL e triglicerídeos. Anemia aplásica (rara, mas
pode ser fatal). Urina: Aumento da freqüência, proteinúria, glicose em
diabéticos. Monitorar o hemograma, função renal e hepática, ferro e
sódio séricos e urinálise.

• Cefalexina (Antibiótico, Cefalosporina de 1º geração - oral): Tomar sem


considerar a alimentação. Reações adversas: Diarréia, candidíase oral e
inflamação da mucosa bucal e língua em uso em longo prazo, dispepsia,
gastrite, colite pseudomembranosa, tontura, cefaléia, fadiga e erupções
cutâneas. Precaução na lactação. Alterações: Sangue: Aumento do
TGO, TGP, eosinofilia e diminuição de leucócitos. Urina: Falso positivo
para glicose.

• Cefazolina (Antibiótico, Cefalosporina – parenteral IM e IV. Todas


contêm sódio: 35-83 mg/g): Considerar conteúdo de sódio, com dieta
reduzida de sódio. Pode necessitar aumentar a vitamina K ou
suplemento, especialmente com cefoperazona, para prevenir
sangramento devido a hipoprotrombinemia. Reações adversas:
Anorexia, candidíase oral, inflamação da mucosa bucal e língua em uso
em longo prazo, náuseas e vômitos, diarréia, colite pseudomembranosa

17
e erupções cutâneas. Não usar álcool com cefoperazona: reação
semelhante ao dissulfiram e precaução na lactação. Uso em longo prazo
em desnutridos: diminui a síntese de vitamina K. Cefazolina,
cefoperazona e ceftriaxona são mais de 85% ligadas a proteínas
séricas. Alterações: Sangue: discrasias, eosinofilia. Transitório: aumento
do TGO, TGP, fosfatase alcalina, desidrogenase láctica, uréia e
creatinina. Urina: Falso positivo para glicose. Monitorar o tempo de
protrombina, hemograma, se usado mais de dez dias.

• Cefalotina (Antibiótico, Cefalosporina de 1º geração – Parenteral IM e


IV) ver cefalosporinas: Fisicamente compatível com nutrição parenteral,
com atividade mantida por 12 horas a 22°C, em concentração máxima
de 2g/l.

• Cefazolina (Antibiótico, Cefalosporina de 1º geração – Parenteral IM e


IV) ver cefalosporinas: Fisicamente compatível com nutrição parenteral,
com atividade mantida por 24 horas a 22°C, em concentração máxima
de 10 g/l.

• Cefepima (Antibiótico, Cefalosporina de 4º geração – Parenteral IM e IV)


ver cefalosporinas: Nutrição parenteral: perda de 5% a 6% em 8 graus a
22°C, três dias à 5°C em concentração máxima de 4g/l.

• Ceftazidima (Antibiótico, Cefalosporina de 3º geração – Parenteral IM e


IV) ver cefalosporinas: Fisicamente compatível com nutrição parenteral,
com perda de 6% da atividade em 12 horas e 11-13% em 24 horas a
22°C, e 7-9% em 3 dias a 4°C, em concentração máxima de 6g/l.

• Ceftriaxona (Antibiótico, Cefalosporina de 3º geração – Parenteral IM e


IV) ver cefalosporinas: Fisicamente compatível com nutrição parenteral,
com atividade mantida por 24 horas a 21°C, em concentração máxima
de 1g/l.

• Cetoconazol (Antimicótico, anticandidíase - oral): Tomar com alimentos

18
para aumentar a absorção. pH ácido menor que 5,0 é necessário para
ser absorvido. Dieta: Tomar suplemento de cálcio ou magnésio
separadamente em 2 horas. Reações adversas: Náuseas e vômitos, dor
abdominal, cefaléia, tontura, sonolência, prurido e insuficiência adrenal
em altas doses. Evitar álcool: possível reação semelhante ao
dissulfiram. Não usar na lactação. 99% ligado à proteínas séricas.
Precaução com aclorídria (deve ser tomado com líquido ácido).
Alterações: Sangue: Aumento do TGO, TGP, fosfatase alcalina,
bilirrubina e potássio, diminuição do colesterol, LDL, sódio e cortisol.
Monitorar a função hepática.

• Ciprofloxacino (Antibiótico, Fluorquinolona – oral e parenteral IV): Pode


ser tomado com refeições para diminuir o desconforto gastrointestinal.
Evitar leite e iogurte. Dieta: assegurar ingestão hídrica adequada. Evitar
ou limitar cafeína/xantina: o fármaco causa o aumento do efeito da
cafeína. Tomar antiácidos, suplementos de magnésio, cálcio, ferro, zinco
ou polivitamínico com minerais separadamente, em intervalos de 2 a 4
horas. Leite ou iogurte diminui a absorção e biodisponibilidade. Reações
adversas: Náuseas e vômitos, dor abdominal, diarréia, cefaléia, tontura,
agitação, erupções cutâneas e fotossensibilidade. Não usar na lactação.
Alterações: Sangue: Aumento de creatinina, TGO, TGP e fosfatase
alcalina, uréia, triglicerídeos e ácido úrico. Monitorar a função renal,
hepática e hemograma.

• Claritromicina (Antibiótico,Macrolídico - oral): Deve-se tomar com


estômago cheio ou leite. Alimento retarda, mas não diminui a absorção.
Reações adversas: Paladar anormal, dispepsia, náuseas e vômitos, dor
abdominal, diarréia, cefaléia e erupções cutâneas. Precaução com uso
de álcool: aumenta o efeito sedativo. Precaução na lactação. Alterações:
Sangue: Aumento da uréia e tempo de protrombina.

• Clindamicina (Antibiótico, Lincosamida – oral e parenteral IM e IV):


Pode tomar com alimento ou 1 copo de água para diminuir a irritação
esofágica. Fisicamente compatível em nutrição parenteral, com atividade

19
mantida por 24 horas a 4-22°C, em concentração máxima de 3g/l.
Reações adversas: Anorexia, diminuição do peso, aumento da sede,
diarréia, colite pseudomembranosa severa, cólicas, náuseas e vômitos,
paladar metálico (com IV), esofagite, flatulência, distenção abdominal,
erupções cutâneas, hipotensão com IV rápido. Não usar na lactação.
93% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue: Discrasias
transitórias, aumento do TGO, TGP e fosfatase alcalina. Monitorar a
função hepática e renal e hemograma em uso em longo prazo.

• Clonazepam (Anticonvulsivante, Benzodiazepínico (antipânico) - oral):


Pode ser tomado com alimento para diminuir o desconforto
gastrointestinal. Reações adversas: Anorexia, aumento ou diminuição do
peso, aumento da sede, salivação, boca seca/ inflamada, cólicas
abdominais, náuseas, diarréia, obstipação, sonolência, tontura, ataxia,
distúrbios de comportamento, hiperatividade (em crianças), sedação,
insônia, cefaléia, distúrbios visuais, confusão, tremores, taquicardia,
congestão, edema e erupções cutâneas. Evitar álcool e não usar na
lactação. Pode causar dependência em uso em longo prazo. Alterações:
Sangue: Discrasias. Transitório: aumento do TGO, TGP e fosfatase
alcalina. Urina: retenção, enurese. Monitorar o hemograma e a função
hepática em uso em longo prazo.

• Clonidina (Anti-hipertensivo, Agonista 2 de ação central - oral): Tomar


a última dose antes de deitar com estômago cheio ou vazio. Dieta: pode
ser recomendada a diminuição de sódio e cálcio. Reações adversas:
Aumento do peso devido a edema, anorexia, boca seca, náuseas e
vômitos, obstipação, diminuição da PA com possível hipotensão,
sonolência, tontura, sedação, fraqueza, fadiga, depressão, agitação,
cefaléia, edema e erupções cutâneas. Evitar álcool e precaução na
lactação. Aumenta o risco de problemas dentários. Alterações: Sangue:
Transitório leve: aumento do TGO e TGP. Transitório: aumento da
glicose com dose única elevada. Urina: diminuição de sódio e água.
Monitorar a PA.

20
• Clordiazepóxido (Ansiolítico, Benzodiazepínico – oral e parenteral IM e
IV): Tomar com alimento para diminuir o desconforto gastrintestinal.
Dieta: Suplemento de cálcio ou magnésio pode diminuir a taxa, mas não
a absorção. Reações adversas: Aumento do apetite, peso, sede,
salivação, diminuição do peso, boca seca, paladar amargo, náuseas,
desconforto gastrointestinal, obstipação, sonolência, ataxia, tontura,
confusão, distúrbios visuais, edema, erupções cutâneas e sintomas
extrapiramidais. Evitar álcool e não usar na lactação. 96% ligado à
proteínas séricas. Hipoalbuminemia (< 3g/dl) pode aumentar os efeitos
do fármaco. Pode levar à dependência com uso em longo prazo.
Alterações: Sangue: discrasias, anemia, aumento da fosfatase alcalina,
bilirrubina, desidrogenase lática, TGO, TGP, glicose e creatino-
fosfoquinase com IM. Monitorar o hemograma e a função hepática com
uso em longo prazo.

• Clorpromazina (Antipsicótico, antiemético, Fenotiazínico – oral e


parenteral IM e IV): Pode ser tomado com alimento ou um copo de água
ou leite para diminuir o desconforto gastrointestinal. Engolir o
comprimido inteiro. Diluir a solução oral em meio copo de refrigerante ou
outra bebida. Dieta: Tomar suplementação de magnésio separadamente
em intervalos de duas horas. Reações adversas: Aumento do apetite,
peso e necessidade para riboflavina, boca seca, náuseas e vômitos,
obstipação, sedação, distúrbios visuais, agitação, sonolência, tontura,
taquicardia, cefaléia, fotossensibilidade, edema, icterícia, hipotensão e
discinesia tardia em uso em longo prazo. Pode haver diminuição de
vitamina B12. Evitar álcool e não usar na lactação. Solução oral precipita
em nutrição por sonda. Aumenta o risco de problemas dentários. 90% de
ligação a proteínas séricas. Alterações: Sangue: Discrasias, diminuição
de leucócitos e HDL, aumento de bilirrubina, prolactina e triglicérides,
aumento ou diminuição de glicose. Urina: Retenção, aumento de glicose
e riboflavina. Monitorar função hepática, hemograma e PA.

• Clorpropamida (Hipoglicemiante oral, Sulfoniluréia): Usualmente


tomado no café da manhã. Dieta: importante aderência à dieta prescrita.

21
Suplementação de magnésio pode aumentar a taxa de absorção.
Reações adversas: Aumento do apetite, peso, anorexia, dispepsia,
náuseas e vômitos, diarréia, tontura, sonolência, edema, icterícia,
erupções cutâneas e síndrome de secreção inadequada do hormônio
antidiurético (aumento o risco em idosos). Alterações: Sangue:
Diminuição de glicose, discrasias, aumento do TGO, fosfatase alcalina,
desidrogenase láctica e diminuição de sódio. Urina: Diminuição de
glicose e sódio e aumento de bilirrubina. Monitorar glicose,
possivelmente hemoglobina glicosilada e sódio.

• Clortalidona (Anti-hipertensivo, diurético) ver hidroclorotiazida, pois a


clortalidona é estruturalmente e farmacologicamente similar a tiazida:
Tomar com alimento pela manhã. Ação com duração mais longa que as
tiazidas.

• Colchicina (Anti-hiperuricêmico - oral): Diminuição de purinas na dieta


durante crise aguda, e diminuição de cálcio se necessário diminuição do
peso. Reações adversas: Anorexia, diminuição do peso, náuseas e
vômitos, dor gástrica, diarréia, garganta inflamada, neurite periférica,
aumento da PA, fraqueza, erupções cutâneas e supressão da medula
óssea com uso em longo prazo. Pode diminuir a absorção de vitamina
B12, ferro, cálcio, potássio, sódio, gordura e nitrogênio. Precaução na
lactação e evitar álcool. Alterações: Sangue: discrasias, diminuição de
vitamina B12 e colesterol, aumento da fosfatase alcalina, TGO e
creatino-fosfoquinase. Urina: Falso positivo para hemoglobina. Monitorar
hemograma em uso em longo prazo.

• Colestiramina (Anti-lipêmico, antidiarréico (quelante de ácidos biliares) -


oral): Tomar antes das refeições. Misturar o pó com meio a um copo de
água, bebida não carbonatada, líquido de sopa ou purê de frutas. Nunca
tomar o pó seco. Dieta: Diminuição de gordura, colesterol e cálcio se
necessário, aumento de líquidos e fibras. Em uso em longo prazo, é
recomendada a suplementação de vitaminas lipossolúveis na forma
miscível em água e ácido fólico. Tomar suplementação uma hora antes

22
ou 4 horas após o fármaco. Pode diminuir a absorção de gordura, cálcio,
ferro, zinco, magnésio, vitamina A, D, E K, triglicéride de cadeia média,
ácido fólico. Reações adversas: Anorexia, aumento ou diminuição do
peso, eructação, obstipação, náuseas e vômitos, dispepsia, dor,
flatulência, diarréia, diminuição da absorção de vitaminas (pode diminuir
conteúdo de vitaminas do leite materno), tontura, sonolência, cefaléia,
osteomalácia/osteoporose em uso prolongado e aumento da
degradação do hormônio da tireóide. Alterações: Sangue: Diminuição do
colesterol, LDL, cálcio, potássio, sódio, ácido fólico, e T4, aumento do
HDL, triglicérides, fósforo, cloro e tempo de protrombina. Transitório:
Aumento de TGP, TGO e fosfatase alcalina. Urina: Aumento de cálcio e
magnésio. Monitorar o colesterol, triglicérides, tempo de protrombina,
cálcio e eletrólitos.

• Corticosteróide (Antiinflamatório, imunossupressor, hormônio – oral e


parenteral IM, IV, SC, intralesional, intra-articular, intrabursal e
intrasinovial): Cortisona, dexametasona, hidrocortisona (cortisol),
metilprednisolona, prednisolona: Tomar com alimentos para diminuir
os efeitos gastrointestinais. Dieta: Diminuição de sódio, e aumento de
proteínas. Pode necessitar de aumentar o potássio, vitamina A, C, D,
cálcio e fósforo (suplementação). Reações adversas: Esofagite, náuseas
e vômitos, dispepsia, úlcera péptica, flatulência, sangramento e
perfuração gastrointestinal, aumento do apetite e peso, anorexia,
edema, aumento da PA, insônia, hematomas, cicatrização lenta,
fraqueza, tontura, cefaléia, mascara infecções, convulsões, distúrbios
psicológicos, acne e erupções cutâneas. Uso em longo prazo: catarata,
pancreatite, síndrome de Cushing, osteoporose e diminuição do
crescimento de crianças. Balanço N negativo e miopatia devido ao
catabolismo de proteínas. Perda de cálcio: osteoporose/necrose em uso
em longo prazo. Aumento do requerimento de folato. Evitar o álcool e
não usar na lactação. Precaução em diabetes: aumento de glicemia.
Altamente ligado à proteína. Hipoalbuminemia (< 3g/dl) pode aumentar
os efeitos do fármaco. Alterações: Sangue: Aumento de sódio, glicose,
triglicérides, colesterol, hemoglobina e eritrócitos, discrasias, diminuição

23
de potássio, cálcio, zinco, ácido úrico, vitaminas A e C, T3, T4 e TSH.
Urina: diminuição de sódio, aumento de potássio, cálcio, ácido úrico,
glicose, nitrogênio, zinco e vitamina C. Monitorar em uso em longo
prazo: eletrólitos, glicemia, PA, peso e crescimento em crianças.

• Desmopressina (acetato) (Antidiurético, Hormônio, antihemorrágico,


antienurese – aerossol nasal): Ajustar a ingestão hídrica para evitar
hiperhidratação. Reações adversas: Náuseas e vômitos, dor abdominal,
cólicas, cefaléia, febre intermitente, tontura, calafrios, fraqueza,
diminuição ou aumento da PA, intoxicação hídrica. Precaução com o
álcool (pode diminuir o efeito antidiurético) e na lactação. Alterações:
Sangue: Diminuição de sódio. Urina: Diminuição da excreção e aumento
da osmolalidade. Monitorar a excreção e osmolalidade urinárias e
eletrólitos com uso maior que 7 dias.

• Dexclorfeniramina (Anti-histamínico): Reações adversas: Sonolência


leve ou moderada durante o uso, perda do apetite, fraqueza, palpitação
e choque anafilático. Efeito aditivo com o álcool e outros depressores do
sistema nervoso central, como sedativos, hipnóticos e tranqüilizantes.

• Diazepam (Ansiolítico, miorrelaxante, Benzodiazepínico – oral e


parenteral IV): Pode ser tomado com alimento. É incompatível em
nutrição parenteral. Dieta: limitar cafeína para menos de 400 mg/dia.
Reações adversas: Depressão mental, confusão, ansiedade,
taquicardia, palpitação, boca seca, aumento da salivação, náusea,
obstipação, sonolência, tontura, ataxia, fadiga, cefaléia e distúrbios
visuais. Evitar álcool e não usar na lactação. Podem causar
dependência em uso em longo prazo, mais de 4 semanas. 98% ligado a
proteínas séricas. Hipoalbuminemia (<3 g/dl) pode aumentar os efeitos
do fármaco. Alterações: Sangue: Diminuição de T4, aumento de TGO,
TGP, desidrogenase lática e bilirrubina. Urina: Falso negativo para
glicose com algumas fitas indicadoras. Monitorar o hemograma, função
renal e hepática com uso por mais de 4 semanas.

24
• Diclofenaco (AINE, analgésico, antitérmico, anti-reumático – oral, retal e
parenteral): Tomar com alimento, leite ou 1 copo cheio de água para
diminuir a irritação gastrointestinal. O alimento retarda, mas não diminui
a absorção. Engolir inteiro. Não mastigar e nem triturar. Dieta:
Precaução com irritantes gastrointestinais, ex: suplementos de potássio.
Reações adversas: Náusea, dispepsia, dor abdominal, obstipação,
diarréia, flatulência, cefaléia, edema, tontura, erupções cutâneas,
arritmia, úlcera e sangramento gastrointestinal (pode ser agudo e grave).
Evitar álcool e não usar na lactação. 99% ligado a proteínas séricas.
Alterações: Sangue: Aumento do TGO e TGP. Monitorar função hepática
e renal em uso em longo prazo.

• Digoxina (Cardiotônico, antiarrítmico, Agente inotrópico – oral e


parenteral IV): Tomar separadamente de alimentos ricos em fibras. As
fibras diminuem a absorção do fármaco em 25%. Dieta: Manter dieta rica
em potássio, reduzida de sódio, e adequada em magnésio e cálcio.
Suplemento de magnésio diminui a absorção do fármaco. Precaução
com suplemento de cálcio e/ou vitamina D: aumenta o risco de arritmias.
Hipercalemia induzida por cálcio e vitamina D pode diminuir os efeitos
do fármaco. Reações adversas: Dor de cabeça, diarréia, visão borrada,
confusão, anorexia, diminuição do peso, náuseas e vômitos, diarréia,
sonolência, arritmias, distúrbios visuais, confusão, depressão, fraqueza,
cefaléia, psicose. Precaução na lactação e com alguns produtos de
ervas. Precaução: hipocalemia, hipomagnesemia e hipercalcemia
aumentam a toxicidade do fármaco. Hipocalcemia diminui os efeitos do
fármaco. A digitoxina é 97% ligada a proteínas séricas. Hipoalbuminemia
(<3 g/dl) pode aumentar os efeitos da digitoxina. Risco de disfunção
diastólica associada ao ICC. Alterações: Sangue: Diminuição ou
aumento do potássio, diminuição do zinco e magnésio. Urina: Aumento
de zinco. Monitorar eletrólitos especialmente potássio, cálcio e magnésio
e função renal.

• Diltiazem (Antianginoso, anti-hipertensivo, Agonista de cálcio - oral):


Tomar o comprimido antes das refeições. Engolir inteiro o comprimido

25
de ação prolongada. Não triturar, quebrar ou mastigar. Dieta: Reduzida
de sódio e pode ser necessário redução do cálcio também. Reações
adversas: Anorexia, boca seca, dispepsia, náuseas e vômitos,
obstipação, diarréia, diminuição da PA com possível hipotensão, edema,
tontura, sonolência, cefaléia, fraqueza, febre intermitente, insônia e
erupções cutâneas. Não usar na lactação. Monitora a PA.

• Dimenidrinato (Antivertiginoso, antiemético – oral e parenteral IM e IV):


Tomar com alimento ou água para diminuir o desconforto
gastrointestinal. Como antivertiginoso, tomar pelo menos 30 minutos e,
de preferência, 1-2 horas antes da viagem. Reações adversas: Anorexia,
boca seca, náusea, desconforto epigástrico, sonolência, sedação,
tontura, ataxia, confusão (especialmente em idosos), distúrbios visuais,
estímulo paradoxal (especialmente em crianças), cefaléia, palpitações e
diminuição da PA com possível hipotensão. Evitar álcool e não usar na
lactação. Alterações: Urina: Retenção.

• Dimeticona (Antiflatulência): Tomar após as refeições e/ou ao deitar.


Mastigar bem o comprimido mastigável. Dieta: Evitar bebidas
carbonatadas e alimentos formadores de gases para prevenir flatulência.
Reações adversas: Eructação. Não é absorvido no trato gastrointestinal.

• Diosmina (Protetor capilar, antivaricoso sistêmico e vasoprotetor):


Deve-se administrar após as refeições. Se o paciente tiver problemas
hepáticos e/ou renais, deve-se avaliar o risco-benefício.

• Dipiridamol (Anti-agregante plaquetário – oral e parenteral IV): Tomar


com um copo de água com estômago vazio, 1 hora antes ou 2 horas
após alimentação para acelerar a absorção. Pode ser tomado com
alimento ou leite para diminuir desconforto gastrointestinal. Evitar álcool
e precaução na lactação. 90% ligado a proteínas séricas. Reações
adversas: Desconforto gastrointestinal, náuseas e vômitos, cólicas,
diarréia, tontura, cefaléia, fraqueza, febre intermitente, erupções
cutâneas, diminuição da PA com possível hipotensão.

26
• Dipirona (Analgésico, antitérmico): Pode ser tomada após as refeições
para reduzir a irritação gastrointestinal. Reações adversas: Reações
alérgicas na pele ou mucosas.

• Dissulfiram (Antialcoolismo - oral): O comprimido pode ser triturado e


misturado com líquidos. Dieta: limitar cafeína: o fármaco pode aumentar
os efeitos da cafeína. Não usar produtos contendo álcool. Não usar na
lactação e evitar qualquer álcool, xaropes para tosse e elixires durante o
tratamento com o fármaco, e por 14 dias após descontinuação.
Precaução em diabetes. Reações adversas: Transitório: paladar
metálico ou de alho, dispepsia, neuropatia periférica, sonolência,
cefaléia e fadiga. Alterações: Sangue: Aumento do colesterol (dose
relacionada). Monitorar: TGO, TGP, novamente em 10-14 dias.
Hemograma a cada 6 meses.

• Domperidona (Antiemético): 15-30 minutos antes de comer e quando


for dormir.

• Enalapril (maleato) (Anti-hipertensivo, Inibidor da ECA – oral e


parenteral IV): Tomar sem considerar a alimentação. Dieta: Diminuição
de sódio, de cálcio pode ser recomendada. Evitar substitutos do sal.
Precaução com suplementos de potássio. Reações adversas:
Estomatite, náuseas e vômitos, dor abdominal, diarréia, diminuição da
PA com possível hipotensão, tosse, tontura, cefaléia, fraqueza, erupções
cutâneas e síncope. Limitar o álcool e não usar na lactação. Precaução
em diabetes: diminui a glicose. Precaução com a deficiência da G6PD:
risco de anemia hemolítica. Alterações: Sangue: Aumento do potássio,
uréia e creatinina transitórios, diminuição de sódio, hemoglobina e
hematócrito. Monitorar a PA, potássio e função renal.

• Espironolactona (Anti-hipertensivo, Diurético - oral): Tomar com


alimentos para diminuir a irritação gastrointestinal e aumentar a
absorção. Dieta: Evitar ingestão excessiva de potássio, suplementos de

27
potássio e substitutos do sal. Diminuir a ingestão de sódio e cálcio pode
ser também recomendado. Reações adversas: Anorexia, aumento da
sede, diminuição da PA com possível hipotensão, cefaléia, tontura,
sonolência, ataxia, confusão, desidratação, náuseas e vômitos, boca
seca, gastrite, cólicas, diarréia. Precaução com álcool e não usar na
lactação. Precaução em ICR. Mais de 90% ligado a proteínas séricas.
Alterações: Sangue: Aumento de potássio, uréia, creatinina e magnésio,
diminuição de sódio e cloro. Urina: Aumento de sódio, cloro, água e
cálcio, diminuição de potássio. Monitorar PA, eletrólitos e função renal.

• Fenitoína (Anticonvulsivante, Hidantoína – oral e parenteral IM e IV):


Tomar com alimento ou leite para diminuir a irritação gastrointestinal.
Mastigar bem o comprimido mastigável. Não triturar ou mastigar se não
for mastigável. Dieta: Iniciar com 1 mg de folato diariamente com
fenitoína. Pode necessitar de suplemento de vitamina D. Suplementos
de cálcio, magnésio e antiácidos podem diminuir a absorção: tomar
separadamente por 2 horas. Ingestão alta de folato (> 5 mg/semana)
diminuição da biodisponibilidade do fármaco. Reações adversas:
Aumento do metabolismo da vitamina D e K, especialmente em
crianças, pode causar raquitismo ou osteomalácia, hiperplasia de
gengiva, alterações do paladar, disfagia, náuseas e vômitos, obstipação,
ataxia, erupções cutâneas, sonolência, tontura, confusão, insônia,
cefaléia, alterações visuais, edema e polineuropatia periférica com uso
em longo prazo. Evitar o álcool, não usar na lactação e precaução em
diabetes: aumenta a glicemia. Realizar cuidados odontológicos
cautelosamente. Nutrição por sonda diminui a biodisponibilidade do
fármaco: suspender nutrição por sonda por mais de 2 horas antes e
após o fármaco (monitorar cuidadosamente o nível da droga). Mais de
90% ligado a proteínas séricas. Hipoalbuminemia (menor que 3g/l) pode
aumentar os efeitos do fármaco. Alterações: Sangue: Diminuição do
folato, vitamina D, cálcio, fósforo, T4 e colesterol, aumento da glicose,
fosfatase alcalina e GGT. Urina: Diminuição da riboflavina. Monitorar o
nível do fármaco, hemograma, função hepática, cálcio, função da
tireóide. Possivelmente folato e albumina.

28
• Fenobarbital (Sedativo, hipnótico, anticonvulsivante, Barbitúrico – oral e
parenteral IM e IV): Estômago cheio ou vazio. Dieta: Aumento da
ingestão de vitamina D e cálcio. Limitar xantina/cafeína. 80-400 mg de
suplementação de piridoxina pode diminuir os efeitos do fármaco. Pode
necessitar de suplementação de vitamina D, vitamina B12 e folato com
uso em longo prazo. Aumento da necessidade de vitamina C. Reações
adversas: Aumento da taxa de metabolismo de vitamina D e vitamina K,
náuseas e vômitos, obstipação, tontura, cefaléia, sonolência, ataxia,
depressão mental, hiperatividade (especialmente em crianças e idosos),
confusão, erupções cutâneas, osteomalácia, depressão respiratória leve
e hipotensão com IV. Não usar na lactação e evitar álcool. Pode causar
dependência em uso em longo prazo. Alterações: Sangue: Diminuição
de bilirrubina, folato, cálcio e magnésio, aumento do colesterol e amônia.
Monitorar em uso em longo prazo: folato, vitamina B12, hemograma,
função hepática, função renal e níveis do fármaco.

• Ferroso (sulfato, fumarato, gluconato, ferriprotinato) (Antianêmico,


suplemento mineral, ferro – oral e parenteral IV e IM): Tomar com um
copo de água ou suco com estômago vazio. Pode ser tomado com
alimentos para diminuir o desconforto gastrointestinal, porém os
alimentos diminuem em 50% a absorção. Beber a forma líquida com
canudo para diminuir as manchas dentárias. Tomar uma hora antes ou 2
horas após alimentos ricos em fibras e/ou em fitatos, suplementos de
fibras, chá, café, produtos de laticínios ou ovos. Dieta: 200mg de
vitamina com 30mg de ferro aumenta a absorção do fármaco. Carne
também pode aumentar a absorção. Tomar com suplemento de cálcio,
zinco ou cobre separadamente em mais de 2 horas. Reações adversas:
Anorexia, altas doses de ferro diminui a absorção de zinco: pode
necessitar de suplementação de zinco, mancha dentária com as formas
líquidas, náuseas e vômitos, dispepsia, flatulência, obstipação, fezes
escuras e diarréias. Limitar o álcool. 90% ligado a proteínas séricas.
Xarope de sulfato ferroso precipita em nutrição por sonda. Não usar em
hemocromatose, anemia hemolítica ou talassemia. 60-250mg de ferro

29
elementar/Kg de peso em dose única pode ser fatal. Uma dose pequena
como 30mg/kg pode ser tóxica para alguns indivíduos. Sobrecarga de
ferro (hemosiderose) e toxicidade pode resultar do uso em longo prazo
de doses altas. Alterações: Sangue: Aumento de hemoglobina,
hematócrito, ferritina, ferro e porcentagem de saturação do transferrina e
falsa diminuição de cálcio. Urina: cor escura. Monitorar hemoglobina,
hematócrito, ferritina e ferro.

• Fluconazol (Antimicótico, anti-candidíase – oral e parenteral IV): Tomar


sem considerar alimentação. Reações adversas: Alterações do paladar,
náuseas e vômitos, boca seca, dor abdominal, diarréia, cefaléia,
erupções cutâneas, tremor, aumento da sudorese e hepatoxicidade. Não
usar na lactação e precaução em diabetes com sufoniluréia:
hipoglicemia. Alterações: Sangue: Aumento do TGO, TGP, fosfatase
alcalina, bilirrubina e gama glutamil transpeptidase. Monitorar a função
hepática.

• Fluoxetina (Antidepressivo, antidistúrbio obsessivo compulsivo,


antibulimia - oral): Tomar pela manhã sem considerar refeições. Não
tomar com suplementação de triptofano: aumenta os efeitos colaterais.
Reações adversas: Anorexia, diminuição do peso, boca seca, dispepsia,
náuseas e vômitos, diarréia, obstipação, alterações no paladar, tremor,
cefaléia, sonolência, tontura, insônia, fraqueza, ansiedade, distúrbios
visuais, fotossensibilidade e erupções cutâneas. Evitar álcool e não usar
na lactação. Precaução em diabetes: hipoglicemia. Precaução em
idosos: aumento da incidência de anorexia. 94% ligado a proteínas
séricas. Alterações: Sangue: Aumento ou diminuição da glicose e
diminuição de sódio. Urina: aumenta a freqüência.

• Fólico (ácido) (Vitamina do complexo B, antianêmico – oral e parenteral


IM, IV e SC): Dose terapêutica usual: 1mg/dia para anemia
megaloblástica/macrocítica. Fisicamente compatível em nutrição
parenteral por 24 horas a 22°C, em concentração máxima de 10mg/l.
Dieta: balanceada. Tomar suplemento de zinco separadamente em duas

30
horas. Não usar com anemia perniciosa não tratada. Metabolismo do
folato pode ser inibido por deficiência de piridoxina, vitamina B12, C e/ou
E. Ingestão adequada ou suplementação antes da concepção e no início
da gestação é recomendada para diminuir os defeitos de tubo neural em
crianças. Reações adversas: Aumento no alcoolismo, hemodiálise,
doença celíaca, diarréia crônica, espru, HIV (diminuição na absorção de
folato). Tabaco aumenta o requerimento de folato. Alterações: Sangue:
Diminuição de B12 com altas doses em longo prazo, homocisteína,
hemoglobina globular média e volume globular médio quando usado
para tratar anemia, aumento de eritrócitos, leucócitos, plaquetas,
hemoglobina e hematócrito. Monitorar o hemograma e vitamina B12 com
altas doses em longo prazo.

• Fosfato de potássio e fosfato de sódio (Acidificante urinário (para


diminuir cálculos renais ou tratar infecção do trato urinário), suplemento
de fósforo – oral e parenteral IV): Tomar junto com uma refeição e ao
deitar para diminuir a irritação gastrointestinal e ação laxativa.
Fisicamente compatível com nutrição por sonda por 24 horas a 22°C, em
concentração máxima de 100 mEq/L. Observar concentração de
magnésio e cálcio. Dieta: Deve-se evitar suplementos de cálcio e
vitamina D ou substitutos do sal. Precaução com suplemento de
potássio. Tomar suplemento de ferro, magnésio ou zinco
separadamente por 2 horas. Não tomar com alimentos ricos em oxalato
ou fitato: pode diminuir a absorção. Assegurar ingestão hídrica
adequada. Reações adversas: Aumento da sede, peso, náuseas e
vômitos, dor gástrica, diarréia, edema, tontura, cefaléia, confusão,
fadiga, câimbras musculares e osteomalácia com uso em longo prazo.
Precaução na lactação e considerar conteúdo de sódio e/ou potássio
com dieta reduzida de potássio ou sódio. Alterações: Sangue:
Diminuição de cálcio e aumento de fósforo, potássio e sódio. Urina:
Diminui a excreção. Monitorar eletrólitos, cálcio, fósforo e função renal.

• Furosemida (Anti-hipertensivo, Diurético de alça – oral e parenteral IM e


IV): Pode ser tomado com alimento ou leite para diminuir a irritação

31
gastrointestinal. Fisicamente compatível em nutrição por sonda por 24
horas a 4°C, em concentração máxima de 40mg/l. Dieta: Aumento da
ingestão de potássio, magnésio (ou suplementação de potássio e
magnésio), diminuição de cálcio e sódio pode ser recomendado.
Reações adversas: Dor de estômago, visão borrada, anorexia, aumento
da sede, irritação orais, cólicas estomacais, náuseas e vômitos, diarréia,
obstipação, diminuição da PA com possível hipotensão, tontura,
distúrbios visuais, cefaléia, erupções cutâneas, fraqueza,
fotossensibilidade e desidratação com IV. Pode causar tolerância a
glicose para Diabetes Mellitus. Limitar o álcool e precaução na lactação
e diabetes: pode ocorrer aumento da glicose. 91-97% ligado a proteínas
séricas. Alterações: Sangue: Diminuição de potássio, magnésio, sódio,
cloreto e cálcio, aumento de glicose, uréia, ácido úrico, colesterol, LDL,
VLDL e triglicérides discrasias e anemia. Urina: Aumento do potássio,
sódio, cloreto, magnésio, cálcio, água e glicose. Monitorar a PA,
eletrólitos, magnésio, cálcio, glicose, ácido úrico, dióxido de carbono e
função renal.

• Gentamicina (Antibiótico, Aminoglicosídico – parenteral IM e IV): Dieta:


assegurar ingestão hídrica adequada. Fisicamente compatível em
nutrição por sonda, com atividade mantida por 24 horas a 22°C, em
concentração máxima de 800 mg/l. Reações adversas: Anorexia,
diminuição de peso, estomatite, aumento da salivação, náuseas e
vômitos, nefrotoxicidade, perda de audição, tontura, ataxia, cefaléia,
confusão, depressão, neuropatia periférica, aumento ou diminuição da
PA, erupções cutâneas e depressão/paralisia respiratória. Não usar na
lactação. Alterações: Sangue: Aumento da uréia, creatinina, TGO, TGP,
fosfatase alcalina, bilirrubina e desidrogenase lática, diminuição de
magnésio, potássio, sódio e cálcio. Urina: Proteína e oligúria. Monitorar
a função renal, eletrólitos, cálcio, magnésio e urinálise.

• Glibenclamida (Hipoglicemiante oral): Deve ser tomado com um copo


de água por via oral de estômago cheio. Dieta: Prescrita para diabetes.
Precaução com doses altas de ácido nicotínico: pode diminuir a

32
glicemia. Reações adversas: Aumento ou diminuição da do apetite,
aumento do peso, náuseas e vômitos, dor abdominal, plenitude gástrica,
diarréia, alterações visuais e de fala, prurido, hipersensibilidade a luz e
parestesia. Evitar álcool e não usar na lactação e gestação. Alterações:
Sangue: Diminuição de glicose, sódio, leucócitos e eritrócitos, aumento
de TGO, TGP, bilirrubina e amilase. Urina: diminuição da glicose.
Monitorar a glicemia, hemoglobina glicosilada e função hepática.

• Glimepirida (Hipoglicemiante oral, Sulfoniluréia de 2º geração): Tomar


com a primeira refeição do dia. Dieta: Prescrita para diabetes. Reações
adversas: Náuseas, tontura e hipoalbuminemia (menor que 3 g/dl): pode
diminuir os efeitos do fármaco. Evitar álcool e não usar na lactação. Mais
de 99,5% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue: Diminuição da
glicose. Urina: Diminuição da glicose. Monitorar a glicemia, hemoglobina
glicosilada a cada 3-6 meses.

• Glipizida (Hipoglicemiante oral, Sulfoniluréia de 2º geração): Tomar com


o estômago vazio 30 minutos antes da primeira refeição do dia (o
alimento retarda a absorção). Dieta: Prescrita para diabetes. Precaução
com altas doses de ácido nicotínico: aumenta a glicemia. Limitar o álcool
e não usar na lactação. Mais de 98% ligado a proteínas séricas.
Reações adversas: Aumenta ou diminui o apetite, aumenta o peso,
dispepsia, náusea, diarréia, obstipação, tontura, cefaléia, sonolência e
reações de pele. Hipoalbuminemia (menor que 3 g/dl): pode aumentar
os efeitos do fármaco. Alterações: Sangue: Diminuição da glicose e
sódio, aumento do TGO, fosfatase alcalina, desidrogenase lática, uréia e
creatina. Urina: Diminuição da glicose. Monitorar a glicemia e
hemoglobina glicosilada.

• Haloperidol (Antipsicótico, Butirofenona – oral e parenteral IM): Tomar


com alimento ou leite para diminuir o desconforto gastrointestinal. Não
misturar a solução oral com café ou chá: o fármaco pode precipitar.
Diluir a solução oral com mais de 60 ml de bebida ácida ou água.
Reações adversas: Aumento do apetite e do peso, anorexia, boca seca,

33
aumento da salivação, dispepsia, náuseas e vômitos, obstipação,
diarréia, sintomas extrapiramidais, sonolência, tontura, inquietação,
distúrbios visuais, hiper e hipotensão, lactação, cefaléia,
fotossensibilidade, taquicardia, arritmias e discinesia tardia em uso em
longo prazo. Evitar álcool e não usar na lactação. Aumenta o risco de
problemas dentários. 92% ligado a proteínas séricas. Alterações:
Sangue: Aumento de prolactina, aumento ou diminuição de leucocitos e
glicose, anemia e diminuição de sódio. Urina: retenção. Monitorar
possível hemograma e função hepática com uso em longo prazo.

• Heparina (Anticoagulante – parenteral IV e SC): Fisicamente compatível


em nutrição por sonda por 24 horas a 4°C, em concentração máxima de
35.000 U/l. Reações adversas: Dor abdominal, sangramento
gastrointestinal, obstipação, fezes escuras, náuseas e vômitos,
hemorragia, tontura, cefaléia, osteoporose, dor óssea e muscular em
uso a longo prazo (mais de 3 meses). Limitar álcool, precaução em
diabetes e IRC: hipercalemia. Realizar cuidados odontológicos
cautelosamente: aumenta o sangramento. Alterações: Sangue:
Diminuição de plaquetas, triglicérides, colesterol e T4, aumento de TGO,
TGP, tempo de protrombina e ácidos graxos livres. Monitorar tempo de
tromboplastina parcial, contagem de plaquetas, hematócrito e sangue
oculto.

• Hidralazina (Anti-hipertensivo, Vasodilatador - oral): Tomar sem


considerar a alimentação. Dieta: Pode ser recomendado diminuição de
cálcio e sódio. Suplemento de piridoxina (100-200 mg): pode corrigir
neuropatia periférica induzida pelo fármaco. Reações adversas:
Anorexia, aumento ou diminuição do peso, aumento da sede, boca seca,
paladar desagradável, náuseas e vômitos, desconforto gastrointestinal,
diarréia, obstipação, diminuição da PA com possível hipotensão, edema,
cefaléia, taquicardia, palpitações, angina, tontura, tremor e erupções
cutâneas. Limitar o álcool e precaução na lactação. Pode causar
síndrome reumatóide semelhante ao Lupus. 90% ligado a proteínas
séricas. Alterações: Sangue: discrasias. Urina: aumento de manganês,

34
piridoxina e dificuldade de micção. Monitorar a PA.

• Hidroclorotiazida (Anti-hipertensivo, diurético Tiazida – oral): Tomar


pela manhã com alimento ou leite. Dieta: Pode necessitar de diminuição
do sódio, cálcio, potássio e magnésio (ou suplementação de potássio ou
magnésio). Precaução com suplemento de cálcio e/ou vitamina D: risco
de hipercalemia. Reações adversas: Anorexia, aumento da sede, boca
seca, náuseas e vômitos, irritação gastrointestinal, diarréia, obstipação,
diminuição da PA com possível hipotensão, tontura, fraqueza e
fotossensibilidade. Limitar o álcool, não usar na lactação e precaução
em diabetes: aumento da glicemia. Alterações: Sangue: Aumento da
glicose, cálcio, ácido úrico, bilirrubina, colesterol, LDL, triglicérides, uréia
e creatinina, diminuição sódio, cloro, potássio, magnésio, zinco,
bicarbonato e glicose. Monitorar eletrólitos, magnésio, cálcio, função
renal, ácido úrico, PA e glicemia.

• Hidroxicloroquina (Antimalárico, anti-reumático, anti-lúpus): Tomar com


refeições ou leite para diminuir desconforto gastrointestinal. Pode triturar
e misturar com 1 colher de chá de geléia ou gelatina. Reações adversas:
Anorexia, diminuição do peso, pigmentação azulada do palato, náuseas
e vômitos, cólicas abdominais, diarréia, cefaléia, prurido, tontura,
alterações visuais, fadiga, fraqueza muscular, ataxia, alterações
emocionais, erupções cutâneas, pele e unhas azuladas. Precaução na
lactação e na obesidade: dose de acordo com o peso ideal. Precaução
em deficiência da glicose 6-fosfato desidrogenase: risco de anemia
hemolítica. Não usar em longo prazo em crianças. Alterações: Sangue:
discrasias. Monitorar o hemograma, plaquetas e exames oftalmológicos.

• Imipenem e cilastatina (Antibiótico, -lactâmico – parenteral IM e IV):


Incompatível em nutrição parenteral. Reações adversas: Náuseas e
vômitos, cólicas, diarréias e convulsões. Precaução na lactação.
Alterações: Sangue: Aumento do TGO, TGP, fosfatase alcalina, uréia,
creatinina, potássio, cloro, e tempo de protrombina, diminuição de sódio
e eosinofilia. Urina: proteínas, eritrócitos, leucócitos e aumento da

35
freqüência. Monitorar o hemograma, função hepática e renal.

• Imipramina (Antidepressivo, Tricíclico – oral e parenteral IM): Pode ser


tomado com alimento para diminuir o desconforto gastrointestinal. Dieta:
Limitar cafeína. A redução de fibras pode diminuir os efeitos do fármaco.
Reações adversas: Aumento da necessidade de riboflavina, aumento do
apetite principalmente para doces, aumento do peso, boca seca, paladar
desagradável, náuseas e vômitos, desconforto epigástrico, obstipação,
diarréia, sonolência, tontura, distúrbios visuais, fraqueza, hipotensão
ortostática, tremor, cefaléia, hipertensão, ataxia, fadiga, confusão,
taquicardia, palpitações e fotossensibilidade. Evitar álcool e não usar na
lactação. Aumento dos ricos de problemas dentários. Mais de 89%
ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue: Aumento do TGO, TGP,
fosfatase alcalina, eosinofilia, aumento ou diminuição de glicose. Urina:
retenção e aumento de riboflavina. Monitorar o hemograma e função
hepática em uso em longo prazo.

• Imunoglobulina (Imunossupressor – oral e parenteral IV): Antitimócitos


humanos. Reações adversas: Estomatite, náuseas e vômitos, diarréia,
febre, calafrios e eritema. Alterações: Sangue: Diminuição das células T
circulantes. Monitorar o leucograma.

• Indometacina (AINE, anti-reumático – oral e retal): Tomar com alimento


para diminuir a irritação gastrointestinal. Engolir inteira a cápsula de
liberação controlada. Dieta: Precauções com irritantes gastrointestinais,
exemplo: suplementos de potássio. Reações adversas: Náuseas e
vômitos, cefaléia severa, tontura, edema, sonolência, depressão, fadiga,
dispepsia, dor abdominal, diarréia, obstipação, úlcera e sangramento
gastrointestinal (pode ser agudo e grave). Evitar álcool, não usar na
lactação e precauções em diabetes: pode aumentar a glicemia. 99%
ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue: Aumento do TGO e
TGP. Monitorar o hemograma, função hepática e renal em uso em longo
prazo.

36
• Insulina (Hipoglicemiante parenteral SC): Fisicamente compatível em
nutrição parenteral por 24 horas a 4°C, em concentração máxima de
100U/l. Dieta: plano de refeições para equilibrar alimentos com insulina.
Reações adversas: Aumento do peso, hipoglicemia, edema e alterações
visuais transitórias. Limitar álcool (aumenta o efeito hipoglicemiante) e
precaução na lactação. Exercício, enfermidade, gravidez, excesso de
fumo ou ganho de peso severo aumentam a necessidade de insulina.
Alterações: Sangue: Diminuição de glicose, potássio e magnésio,
aumento de fósforo e T4. Urina: diminuição de glicose. Monitorar a
glicose e hemoglobina glicosilada.

• Ipratrópio (brometo) (Broncodilatador, Anticolinérgico – inalação oral):


Reações adversas: Boca/garganta seca, paladar metálico/amargo,
náusea, dispepsia, tosse, cefaléia, dispnéia, tontura, distúrbios visuais,
palpitações, dor nas costas ou peito e irritação. Precaução na lactação.

• Isossorbida (Antianginoso, Vasodilatador – oral, sublingual e


parenteral): Tomar com estômago vazio com um copo de água. Engolir
inteiro o comprimido de liberação controlada. Não engolir a forma
sublingual: aumenta o risco de aspiração. Mastigar bem o comprimido
mastigável. Precaução com álcool, na lactação e com a boca seca (a
forma sublingual pode não ser totalmente absorvida). Reações
adversas: Cefaléia, febre intermitente, tontura, hipotensão ortostática,
fraqueza, taquicardia e agitação. Alterações: Sangue: Aumento do TGO,
TGP e ácido úrico e diminuição de potássio. Monitorar a PA, taxa
cardíaca e possivelmente o potássio.

• Lactulose (Laxante, anti-hiperamonemia, Dissacarídeo sintético): Tomar


com suco, leite, água ou misturar com alimentos doces. Acompanhar
com um copo de água. Dieta: rica em fibras com 1,5-2 l de líquido/dia
para prevenir obstipação. Não usar com dieta restrita em lactose ou
galactose. Reações adversas: Eructação, cólicas, náuseas e vômitos,
diarréia e flatulência. Precaução na lactação e em diabetes. Diluir antes

37
de usar na nutrição por sonda. Alterações: Sangue: Diminuição de
amônio. Monitorar eletrólitos em idosos ou debilitados em uso em longo
prazo (mais de 6 meses).

• Levodopa e carbidopa (Antiparkinsoniano - oral): Carbidopa com


levodopa aumenta a disponibilidade de levodopa para o cérebro por
diminuição da descarboxilação de levodopa para dopamina. Doses
baixas de levodopa são necessárias. Doses muitos baixas diminui a
incidência de náuseas e vômitos (15%), anorexia e obstipação.
Carbidopa previne efeitos negativos da piridoxina. Não triturar ou
mastigar o comprimido. Pode ser tomado com alimento pobre em
proteínas ou suco para diminuir o desconforto gastrointestinal. Não
tomar com alimento rico em proteínas. Dieta: Não há necessidade de
limitar piridoxina. Não usar com aminoácidos ou hidrolisados protéicos.
Tomar suplemento de ferro separadamente (diminuição da absorção do
fármaco). Reações adversas: Anorexia, diminuição do peso, boca seca,
perda do paladar, aumento da salivação, paladar amargo, disfagia,
náuseas e vômitos (80%), desconforto epigástrico, obstipação, diarréia,
flatulência, discinesia tardia em uso em longo prazo, febre intermitente,
hipotensão ortostática, tontura, ataxia, cefaléia, fraqueza, insônia, fadiga,
alterações psicológicas, erupções cutâneas, distúrbios visuais,
palpitações, tremor de mãos. Não usar na lactação. Alterações: Sangue:
infreqüente: diminuição de hemoglobina e hematócrito. Transitório:
aumento de uréia, TGO, TGP, fosfatase alcalina, bilirrubina e
desidrogenase láctica, diminuição de potássio e leucócitos. Urina:
retenção. Cor escura, falso positivo ou negativo para glicose. Monitorar
hemograma, função hepática, renal e cardiovascular.

• Levotiroxina (Hormônio da tireóide - oral): Tomar com estômago vazio


de 30-60 minutos antes do café da manhã para aumentar a absorção.
Dieta: tomar suplemento de ferro separadamente em 4 horas (pode
diminuir a absorção). Reações adversas: Alterações no apetite e
diminuição do peso. Precaução na lactação e em diabetes com insulina
ou sulfoniluréia: pode aumentar a glicemia. 99% ligado a proteínas

38
séricas. Alterações: Sangue: Aumento de T4, T3, TSH e glicose,
diminuição de TSH e colesterol total. Monitorar a função da tireóide.

• Lítio (carbonato) (Antimaníaco - oral): Tomar com refeições para


diminuir o desconforto gastrointestinal. Dieta: beber 2-3 litros de
líquidos/dia. Ingestão de sódio afeta o clearance renal do fármaco em
30-50%. Ingestão regular de sódio estabiliza os níveis do fármaco.
Limitar xantina/cafeína. Evitar suplemento de iodo: aumenta o risco de
hipotireoidismo. Reações adversas: Aumento da sede e peso, anorexia
e diminuição do peso, boca seca, paladar metálico, náuseas e vômitos,
flatulência, diarréia, fadiga, sonolência, tontura, fraqueza, confusão,
tremor de mãos, cefaléia, edema, aumento da irritabilidade muscular,
ataxia, acne e hipotireoidismo. Limitar o álcool e não usar na lactação.
Alterações: Sangue: Aumento de leucócitos, plaquetas, TSH, cálcio,
fósforo, hormônio da paratireóide e magnésio, diminuição de T4 e T3.
Urina: poliúria, incontinência e proteína. Monitorar EGC antes do uso,
níveis de lítio, cálcio, fósforo, função da tireóide e renal, leucograma,
plaquetas e sódio antes e durante o uso.

• Loperamida (Antidiarréico): Dieta: diarréia pode aumentar a


necessidade de líquido e eletrólitos. Reações adversas: Boca seca,
náuseas e vômitos, dores abdominais, flatulência, obstipação,
sonolência, tontura, erupções cutâneas e fadiga. Precaução na lactação,
não usar em colite pseudomembranosa e precaução em crianças: pode
mascarar desidratação ou distúrbio eletrolítico. 97% ligado a proteínas
séricas. Monitorar líquidos e eletrólitos.

• Lorazepam (Ansiolítico, Benzodiazepínico - oral): Pode ser tomado com


alimento para diminuir o desconforto gastrointestinal. Dieta: Limitar
cafeína para menos de 500 mg/dia. Reações adversas: Boca seca,
náusea, obstipação, sedação, tontura, fraqueza, ataxia, confusão,
distúrbios visuais, depressão e deficiência de memória. Evitar álcool e
não usar na lactação. Pode causar dependência em uso em longo
prazo. Alterações: Sangue: Aumento de desidrogenase lática e

39
leucócitos. Monitorar hemograma e função hepática em uso em longo
prazo.

• Losartano (Anti-hipertensivo, Antagonista do receptor da angiotensina


II): Tomar sem considerar a alimentação. Dieta: reduzida em sódio e
cálcio pode ser recomendado. Não usar na lactação. Mais de 98% ligado
a proteínas séricas. Reações adversas: Diminuição da PA com possível
hipotensão, tontura, dor nas pernas e na cabeça e infecção respiratória
superior. Precaução em problema renal hepático. Alterações: Sangue:
levemente: redução de hemoglobinas, hematócrito e ácido úrico e
aumento de potássio. Urina: Aumento de ácido úrico. Monitorar a PA.

• Magnésio (hidróxido) (Antiácido, suplemento mineral, laxante): Como


antiácido: tomar antes das refeições e ao deitar. Como suplemento de
magnésio: recomendado 5 mg/Kg/dia. Dieta: tomar suplemento de folato
ou ferro separadamente por 2 horas. Não tomar com alimentos ricos em
fitato. Diminui a calcificação óssea com uso excessivo. Reações
adversas: Alterações de paladar, náuseas e vômitos, cólicas e diarréia.
Não usar em Insuficiência renal crônica. Ingestão elevada de álcool,
aumenta a necessidade de magnésio (aumenta a excreção). Não usar
em hipocalemia. Alterações: Sangue: Aumento de magnésio e
diminuição de cálcio. Monitorar nível de magnésio em uso como
suplemento.

• Meperidina ou petidina (Analgésico, Narcótico – parenteral IM e IV):


Fisicamente compatível em nutrição parenteral por 36 horas a 22°C, em
concentração máxima de 100mg/l. Reações adversas: Anorexia, boca
seca, náuseas e vômitos, dor gastrointestinal, obstipação, depressão
respiratória, sonolência, tontura, sedação, fraqueza, hipotensão,
sudorese, cefaléia, alterações visuais, síncope e taquicardia. Evitar o
álcool e não usar na lactação. Pode causar dependência em uso em
longo prazo. Alterações: Sangue: Aumento de amilase e lípase. Urina:
retenção.

40
• Meropenem (Antibiótico – parenteral IV e IM): Reações adversas:
Candidíase oral, glossite, náuseas e vômitos, diarréia, obstipação,
cefaléia, erupções cutâneas e apnéia. Precaução na lactação. Monitorar
o hemograma, função hepática e renal em uso em longo prazo.

• Mesalazina (Antiinflamatório em colite ulcerativa – oral e retal): Engolir o


comprimido inteiro com um copo de água. Não quebrar ou triturar.
Reações adversas: Anorexia, náuseas e vômitos, dispnéia, cólicas
abdominais, diarréia, flatulência, cefaléia, fraqueza, erupções cutâneas e
febre. Não usar na lactação. Alterações: Sangue: Aumento do TGO,
TGP, fosfatase alcalina, uréia, creatinina, amilase e lipase.

• Metformina (Hipoglicemiante oral, Biguanida): Tomar com refeições da


manhã ou da tarde para diminuir o desconforto gastrointestinal. Dieta:
prescrita para diabetes. Reações adversas: Anorexia, diminuição do
peso e da absorção de vitamina B12, anemia, hipoglicemia, dor no
estômago, náuseas e vômitos, flatulência, diarréia e paladar metálico.
Evitar álcool: aumenta o risco de acidose lática e não usar na lactação.
Precaução com insuficiência cardíaca congestiva, pode causar
hipoxemia. Alterações: Sangue: Diminuição da glicose, hemoglobina
glicosilada, colesterol, LDL, triglicérides e vitamina B12 e aumento de
HDL. Monitorar glicemia, hemoglobina glicosilada, possivelmente
vitamina B12 e função renal.

• Metildopa (Anti-hipertensivo - oral): Dieta: reduzida de sódio e cálcio


pode ser recomendado. Tomar suplemento de ferro separadamente por
2 horas, pois pode diminuir a absorção do fármaco. Em altas doses:
aumenta a necessidade de vitamina B12 e folato. Evitar álcool e
precaução na lactação e com deficiência de glicose 6-fosfato
desidrogenase: aumenta o risco de anemia hemolítica. Reações
adversas: Aumenta o risco de problemas dentários, sedação,
sonolência, cefaléia, edema periférico, febre, diminuição da PA,
distúrbios visuais, fraqueza, erupções cutâneas, diminuição da acuidade

41
mental e síndrome semelhante ao Lúpus. Alterações: Sangue: Aumento
do TGO, TGP, fosfatase alcalina, bilirrubina, ácido úrico, uréia, amilase,
potássio, sódio, prolactina e tempo de protrombina e anemia hemolítica.
Urina: Aumento do ácido úrico. Monitorar função hepática e hemograma.

• Metilprednisolona (Corticosteróide) ver corticosteróide: Fisicamente


compatível em nutrição parenteral, com atividade mantida por 24 horas a
4°C, em concentração máxima de 250 mg/l.

• Metoclopramida (Antiemético, antidoença do refluxo gastroesofágico,


antagonista de dopamina – oral e parenteral IM e IV): Tomar meia hora
antes das refeições e ao deitar. Fisicamente compatível em nutrição
parenteral por 72 horas a 25°C, em concentrações máximas de 20 mg/l.
Reações adversas: Boca seca, aumento do esvaziamento gástrico,
inquietação, tontura, fadiga, insônia, cefaléia, depressão mental,
alterações visuais, galactorréia, náuseas, diarréia, obstipação e edema
transitório. Evitar o álcool e precaução na lactação na lactação e
diabetes: pode alterar os requerimentos de insulina. A forma de xarope é
incompatível com algumas nutrições por sonda. Alterações: Sangue:
Aumento de prolactina e aldosterona transitório.

• Metoprolol (Anti-hipertensivo, antianginoso, -bloqueador cardio


seletivo – oral e parenteral IV): Tomar com alimentos para aumentar a
biodisponibilidade do fármaco. Dieta: Reduzida em sódio e cálcio pode
ser recomendado. Reações adversas: Boca seca, náusea, dispepsia,
flatulência, diarréia, obstipação, diminuição da PA com possível
hipotensão, confusão, fadiga, tontura, insônia, depressão, erupções
cutâneas, edema periférico, bradicardia, palpitações e cefaléia.
Precaução na lactação e diabetes: pode mascarar sinais de
hipoglicemia. Alterações: Sangue: Aumento de TGO, TGP, fosfatase
alcalina, desidrogenase lática, potássio, triglicérides e ácido úrico.
Monitorar a PA.

• Metronidazol (Antibiótico, amebicida, antitricomonas – oral e parenteral

42
IV): Pode ser tomado com refeições para diminuir o desconforto
gastrointestinal. Incompatível em nutrição parenteral. Dieta: considerar
conteúdo de sódio, dieta reduzida de sódio. Reações adversas:
Anorexia, tontura, cefaléia, ataxia, confusão, erupções cutâneas, paladar
metálico, náuseas e vômitos, desconforto epigástrico, boca seca,
estomatite, diarréia e obstipação. Evitar qualquer tipo de álcool: reação
semelhante ao dissulfiram. Não usar na lactação e aumenta os riscos
dentários.

• Minoxidil (Anti-hipertensivo, Vasodilatador arterial - oral): Dieta:


diminuição de sódio e cálcio podem ser recomendados. Reações
adversas: Náuseas e vômitos, flatulência, taquicardia, edema,
diminuição da PA, cefaléia, fadiga e parestesia com uso em longo prazo.
Não usar na lactação e precaução em diabetes: pode aumentar a
glicemia. Alterações: Sangue: Aumento de sódio e fosfatase alcalina.
Transitório: diminuição de hematócrito, hemoglobina e eritrócitos,
aumento de uréia e creatinina. Monitorar o balanço hidroeletrolítico, PA e
peso diário.

• Morfina (Sulfato) (Analgésico, Narcótico – oral e parenteral): Pode ser


tomado com refeições para diminuir o desconforto gastrointestinal.
Fisicamente compatível com nutrição parenteral, por 36 horas a 22°C,
em concentração máxima de 100 mg/l. Dieta: assegurar ingestão hídrica
adequada. Reações adversas: Anorexia, boca seca, diminuição da
motilidade gástrica, náuseas e vômitos, obstipação, depressão
respiratória, hipotensão, sonolência, sedação, fraqueza, distúrbios
visuais, cefaléia, confusão, erupções cutâneas, edema e sudorese.
Evitar álcool e não usar na lactação. Aumento do risco de problemas
dentários. Pode causar dependência em uso em longo prazo.
Alterações: Sangue: aumento da amilase e lipase. Urina: retenção.

• Polivitamínicos (Vitamina – oral e parenteral): Dissolver o comprimido


efervescente em 1 copo de água. Pode misturar com alimento ou suco.
IV: instável em nutrição parenteral com perda aproximada de 96% de

43
tiamina em 24 horas a 23°C. Dieta: evitar a ingestão excessiva de
vitamina A e D. Com ferro ou nicotinamida: intolerância gastrointestinal
(náuseas e vômitos, diarréia e obstipação). Com flúor: pode provocar
manchas dentárias. Não usar em insuficiência renal crônica. Vitamina
B12 em longo prazo: sensibilização alérgica. Ácido fólico pode ocultar
anemia perniciosa. Evitar álcool. Alterações: Urina: cor amarelada. Com
vitamina C: falso positivo para glicose (método dependente). Monitorar o
hemograma, ferro, ferritina e função hepática.

• Nifedipino (Antianginoso, anti-hipertensivo, Antagonista dos canais de


cálcio – oral): Deve ser tomado com líquidos, com estômago cheio ou
vazio. Engolir inteiro o comprimido de liberação prolongada. Alimentos
podem diminuir a taxa, mas não a extensão da absorção da forma de
liberação prolongada. Dieta: reduzida de sódio e cálcio pode ser
recomendado. Reações adversas: Artrite, garganta inflamada, náusea,
dispepsia, obstipação, flatulência, diminuição da PA com possível
hipotensão, febre intermitente, edema periférico, tosse, tontura, cefaléia,
fraqueza, tremor, palpitações, fadiga, distúrbios visuais e irritação. Evitar
álcool e não usar na lactação. Monitorar a PA.

• Nistatina (Anti-candidíase, Antimicótico - oral): Reter o fármaco na boca


o máximo possível. Dissolver lentamente as pastilhas: não mastigar.
Reações adversas: Desconforto gastrointestinal, náuseas e vômitos, dor
gástrica e diarréia. Não tem absorção gastrointestinal. Realizar cuidados
odontológicos cautelosamente.

• Nitrofurantoína (Antibiótico urinário - oral): Tomar com alimentos ou


leite para diminuir o desconforto gastrointestinal e aumentar a
biodisponibilidade. Engolir inteira a cápsula de liberação prolongada.
Dieta: adequada em cálcio, proteínas e vitaminas do complexo B.
Suplemento de magnésio pode diminuir a absorção: tomar
separadamente em duas horas. Reações adversas: Anorexia, náuseas e
vômitos, dispepsia, dor abdominal, diarréia, obstipação, flatulência,
cefaléia e pneumonia. Não usar na lactação e precaução com

44
deficiência de glicose 6-fosfato desidrogenase: risco de anemia
hemolítica. Não usar em insuficiência renal crônica. Alterações: Sangue:
Aumento de TGO, TGP e fósforo. Urina: falso positivo para glicose
(CuSO4) e cor escura. Monitorar a função pulmonar e hepática em uso
em longo prazo.

• Nitroglicerina (Antianginoso, Adesivo transdérmico): Reações


adversas: Náuseas e vômitos, dor abdominal, cefaléia, tontura,
hipotensão, fraqueza, síncope, distúrbios visuais, febre intermitente e
taquicardia. Evitar álcool e não usar na lactação. Monitora a PA e taxa
cardíaca.

• Nortriptilina (Antidepressivo): Utilizar com alimento para amenizar dor


gástrica. Reações adversas: Pequeno risco de causar hipotensão
ortostática. Risco para quem tem distúrbio gastrintestinal: por causar
paralisia do ílio. Risco de arritmia e de Insuficiência Cardíaca.

• Octreotida (acetato) (Antidiarréico, supressor do hormônio de


crescimento – parenteral SC e IV): Injetar entre as refeições e ao deitar
para diminuir os desconfortos gastrointestinais. Fisicamente compatível
em nutrição parenteral por 48 horas a 22°C, em concentração máxima
de 1,5 mg/l. Dieta: Diminuição de gordura pode diminuir os efeitos
colaterais gastrointestinais. Pode causar má absorção de gordura e
vitaminas lipossolúveis, e retardar o esvaziamento da vesícula biliar.
Reações adversas: Altera os níveis de insulina, hormônio do
crescimento, hormônio da tireóide e glucagon, náuseas e vômitos, dor
abdominal, flatulência, diarréia, esteatorréia, obstipação, anormalidades
de vesícula biliar, bradicardia, arritmias, hipotireoidismo, cefaléia,
tontura, edema, fadiga, febre intermitente e fraqueza. Não usar na
lactação e precaução em diabetes: aumenta ou diminui a glicemia.
Alterações: Sangue: diminuição de T4 e vitamina B12, hiperglicemia e
hipoglicemia. Monitorar a glicemia, em uso em longo prazo: vesícula
biliar com ultra-som, gordura fecal de 72 horas e caroteno, função da

45
tireóide e vitamina B12.

• Óleo mineral (Laxante, lubrificante): Tomar com estômago vazio duas


horas antes ou após as refeições. Não tomar ao deitar: pode causar
pneumonite lipídica devido à aspiração do óleo. Dieta: rica em fibras
com 1,5-2 L de líquidos/dia para prevenir obstipação. Pode diminuir a
absorção de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K) e de cálcio, fósforo e
potássio (clinicamente significativo somente em uso em longo prazo).
Reações adversas: Anorexia, diminuição do peso, eructação, náusea,
dispepsia, cólicas, flatulência e diarréia. Não usar em disfagia. Evitar uso
contínuo em longo prazo.

• Omeprazol (Antiúlcera, anti-secretório, antidoença do refluxo


gastroesofágico, Inibidor da bomba protônica): Tomar imediatamente
antes das refeições, preferencialmente pela manhã. Engolir inteiro. Não
abrir, mastigar ou triturar. Dieta: pode diminuir a absorção de ferro e
vitamina B12. Reações adversas: Diminui a secreção de ácido gástrico,
aumenta o pH gástrico, dor abdominal, obstipação, diarréia, cefaléia,
tontura, tosse, erupções cutâneas e dor nas costas. Não usar na
lactação. 95% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue: possível
diminuição de vitamina B12.

• Ondansetrona (Antiemético, Anti-serotoninérgico – oral e parenteral IV):


Fisicamente compatível em nutrição parenteral por 48 horas a 24°C, em
concentração máxima de 0,30g/l. Reações adversas: Boca seca, dor
abdominal, obstipação, diarréia, cefaléia, fadiga, fraqueza,
febre/calafrios, erupções cutâneas e sonolência. Precaução na lactação.
Alterações: Sangue: Transitórios: aumento do TGO, TGP e bilirrubina.
Urina: retenção.

• Oxacilina (Antibiótico, Penicilina (penicilinase resistente) – oral e


parenteral IM e IV): Fisicamente compatível em nutrição parenteral, com
atividade mantida por 24 horas a 4°C, em concentração máxima de 1g/l.
Reações adversas: Náuseas e vômitos, diarréia, erupções cutâneas Não

46
usar na lactação, nefrite, fraqueza e cefaléia. Alterações: Sangue:
discrasias, eosinofilia, aumento de uréia e creatinina. Monitorar
hemograma, urinálise, função hepática e renal.

• Paracetamol (Analgésico, antitérmico - oral): Pode ser tomado sem


considerar alimentação. Reações adversas: Hepatotoxicidade rara,
anemia hemolítica, diminuição de leucócitos, aumento de bilirrubina,
desidrogenase lática, TGO, TGP e tempo de protrombina. Falsa
diminuição da glicemia com o método da glicose oxidase/peroxidase.
Evitar álcool. Em alcoólicos crônicos: aumenta o risco de
hepatotoxicidade. Alterações: Urina: Falsa diminuição da glicose com
glicofitas.

• Penicilina fenoximetilpenicilina potássica e benzilpenicilina


benzatina (Antibiótico, Penicilina – oral e parenteral): Pen-V K: tomar
sem considerar alimentação. Pen-G K: fisicamente compatível em
nutrição parenteral, com atividade mantida por 24 horas a 4°C e 22°C,
em concentração máxima de 2 g/l. Dieta: precaução com suplementos
de potássio com pen-V K. Reações adversas: Anorexia, candidíase oral,
náuseas e vômitos, desconforto epigástrico, diarréia, língua escura, boca
seca, alterações no paladar, reação alérgica, erupções cutâneas,
choque anafilático, neuropatia, nefropatia em alta dose parenteral e
flatulência. Precaução na lactação. Alterações: Sangue: discrasias,
aumento de potássio (especialmente com pen-G K) e sódio (pen-G Na).
Urina: positivo para glicose (CuSO4) ou falso aumento de esteróides
(método dependente) com pen-G. Monitorar em uso em longo prazo ou
altas doses IV: hemograma, função renal, eletrólitos e potássio ou sódio
especialmente com pen-G.

• Pentoxifilina (Antidoença vascular periférica – oral e parenteral IV, IM e


intra-arterial): tomar com refeições para diminuir a irritação
gastrointestinal. Engolir inteiro. Não triturar, quebrar ou mastigar. Dieta:
diminuição de cálcio e colesterol pode ser recomendado. Limitar

47
xantina/cafeína. Reações adversas: Náuseas e vômitos, dispepsia,
tontura e cefaléia. Não usar na lactação e evitar tabaco. Alterações:
Sangue: Diminuição da viscosidade e fibrinogênio e melhora o fluxo
capilar.

• Piridoxina (Vitamina B6 – oral e parenteral IM e IV): 2,5-10 mg/dia para


tratar deficiência de piridoxina. Aumenta a necessidade de piridoxina
com aumento da ingestão protéica. Reações adversas: Dose maior que
200 mg/dia por mais de 30 dias pode criar dependência à piridoxina
(aumenta em pacientes com HIV), náuseas e inibição da lactação em
doses elevadas (mais de 200 mg/dia), cefaléia, sonolência, febre
intermitente e parestesia. Uso em longo prazo de megadoses (mais de
2g/dia) causa toxicidade crônica com neuropatia sensorial e ataxias
severas. A forma ativa, piridoxal fosfato, é 100% ligada a proteínas
séricas. Alterações: Sangue: doses elevadas: aumento de TGO e
diminuição de folato e prolactina.

• Poliestireno (sulfonato de sódio) (Anti-hipercalemia, Resina de troca


catiônica): Misturar o pó com 20-100 ml de água fria. Pode misturar o pó
com alimento frio. Não aquecer. Dieta: reduzida em potássio. Evitar
suplementos de potássio. Tomar suplementos de cálcio, magnésio ou
antiácidos separadamente por várias horas. Considerar conteúdo de
sódio com dieta reduzida em sódio. Reações adversas: Anorexia,
náuseas e vômitos, obstipação, impactação fecal especialmente em
idosos, diarréia, edema, retenção de sódio, hipocalemia, hipocalcemia,
confusão, fraqueza, irritabilidade e batimentos cardíacos irregulares. 33
mg de Na/g do fármaco; 500 mg de Na/dose. Precaução na lactação e
com ICC. Alterações: Sangue: diminuição de potássio, magnésio e
cálcio. Monitorar eletrólitos, magnésio e cálcio.

• Potássio (cloreto) (Eletrólito, Suplemento mineral – oral e parenteral


IV): Tomar com as refeições e com um copo de líquido. Misturar a forma
líquida do medicamento em meio copo de água ou outro líquido. Engolir
inteira a forma de liberação prolongada. Não triturar ou mastigar. Dieta:

48
não usar substitutos do sal. Reações adversas: Irritação gastrointestinal,
náuseas e vômitos, dor abdominal, diarréia e flatulência. Não usar na
insuficiência renal crônica. A forma líquida/xarope precipita em nutrição
por sonda. Alterações: Sangue: Aumento de potássio e cloro. Urina:
Aumento de potássio e diminuição de magnésio. Monitorar o potássio,
cloro e magnésio séricos.

• Pravastatina (Anti-lipêmico, Inibidor da HMG-CoA redutase): Pode


tomar sem considerar a alimentação. Tomar dose única ao deitar. Dieta:
reduzida de gordura, colesterol, cálcio, se necessário. Não usar doses
altas de niacina: possível miopatia. Reações adversas: Náuseas e
vômitos, dispepsia, diarréia, cefaléia, dor muscular e erupções cutâneas.
Limitar álcool e não usar na gestação ou lactação. Alterações: Sangue:
diminuição de colesterol, desidrogenase lática, VLDL e triglicerídeos,
aumento de HDL. Transitório: aumento de TGO, TGP e creatino-
fosfoquinase. Monitorar o colesterol, perfil de risco cardiovascular,
creatino-fosfoquinase e função hepática.

• Prazosina (Anti-hipertensivo, Bloqueador 1 – adrenérgico - oral):


Engolir inteira a forma de liberação prolongada. Dieta: reduzida de sódio
e cálcio pode ser necessário. Reações adversas: Boca seca, náuseas e
vômitos, diarréia, obstipação, diminuição da PA com possível
hipotensão, tontura, sonolência, fadiga, fraqueza, cefaléia, dispnéia,
síncope, edema, distúrbios visuais, depressão, irritação, parestesia e
erupções cutâneas. Precaução com álcool e na lactação. 97% ligado a
proteínas séricas. Alterações: Sangue: transitório: diminuição de
leucócitos, aumento de ácido úrico e uréia. Urina: aumento da
freqüência, incontinência e ácido vanilmandélico. Monitorar a PA.

• Procainamida (Anti-reumático – oral e parenteral IM e IV): Tomar com


um copo de água com estômago vazio para aumentar a absorção, mas
pode ser tomado com alimento ou leite para diminuir a irritação
gastrointestinal. Incompatível em nutrição parenteral. Reações adversas:
Anorexia, paladar amargo, náuseas e vômitos, dor abdominal, diarréia,

49
síndrome semelhante ao Lúpus, hipotensão, taquicardia e pró-arritmia.
Precaução com álcool e não usar na lactação. Alterações: Sangue:
aumento do TGO,TGP, fosfatase alcalina, bilirrubina e desidrogenase
lática. Monitorar o hemograma e plaquetas semanalmente por 3 meses,
e então periodicamente. PA e ECG.

• Prometazina (Anti-histamínico H1, antivertiginoso, antiemético, sedativo,


Derivado fenotiazínico – oral e parenteral IM e IV): Tomar com as
refeições ou ao deitar com um copo de água ou leite para diminuir a
irritação gastrointestinal. Reações adversas: Aumento da necessidade
para riboflavina, boca seca, alterações no paladar, náuseas e vômitos,
obstipação, sonolência, tontura, confusão, sedação, distúrbios visuais,
aumento ou diminuição da PA, fotossensibilidade, erupções cutâneas e
aumenta o risco de problemas dentários. Evitar álcool e não usar na
lactação. 76-93% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue:
aumento da glicose. Urina: aumento de riboflavina.

• Propranolol (Antiarrítmico, antianginoso, anti-hipertensivo, -bloqueador


não seletivo – oral e parenteral IV): Tomar com alimentos para aumentar
a biodisponibilidade. Dieta: reduzida de sódio e cálcio pode ser
recomendado. Suplemento de cálcio pode diminuir a absorção. Não usar
com altas doses de vitamina C. Altas doses (exemplo: 2g) de vitamina C
diminui a absorção e metabolismo do fármaco. Reações adversas:
Taquicardia, broncoespasmo, boca seca, náuseas e vômitos,
desconforto epigástrico, diarréia, obstipação, flatulência, diminuição da
PA com possível hipotensão, tontura, sonolência, fadiga, insônia,
fraqueza, depressão, bradicardia, ataxia e confusão. Evitar álcool e
precaução na lactação, em ICC (causa depressão da contratilidade
miocárdica) e em diabetes (pode mascarar sintomas e prolongar
hipoglicemia). Pode inibir a resposta da insulina à hiperglicemia. 93%
ligado a proteínas séricas. Hipoalbuminemia (menor que 3 g/l) pode
aumentar os efeitos fármaco. Tabaco diminui o efeito do fármaco.
Alterações: Sangue: Aumento do TGO, TGP, fosfatase alcalina,
desidrogenase lática, potássio e uréia em doença cardíaca severa,

50
diminuição de T3 e T4. Monitorar PA, função hepática e renal.

• Psyllium Husk (Laxante - oral): Dissolver o metamucil em um copo de


água, leite ou suco. Não engolir ou inalar o pó seco. Dieta: reduzida em
sódio. Diminui a absorção de riboflavina. Dieta rica em fibra com 1,5-2 l
de líquidos/dia para prevenir obstipação. Reações adversas: Diminuição
do apetite, náuseas e vômitos, cólicas abdominais, flatulência, e diarréia.
Não usar em disfagia e precaução em diabetes: algumas formas contém
açúcar. Alterações: Sangue: Diminui o colesterol e LDL.

• Quinidina (sulfato) (Antiarrítmico - oral): Estômago vazio aumenta a


absorção do fármaco, mas pode ser tomado com alimento ou leite para
diminuir a irritação gastrointestinal. Manter pH urinário 6-7. Dieta:
assegurar ingestão hídrica adequada. Precaução com suplementos de
potássio. Evitar dose elevada de suplemento de cálcio (aumenta pH
urinário). Reações adversas: Anorexia, aumento de potássio pode
aumentar os efeitos do fármaco. Paladar amargo, esofagite, náuseas e
vômitos, dor abdominal, diarréia, cardiotoxicidade, cefaléia, tontura,
fraqueza, fadiga, erupções cutâneas, febre intermitente, hipotensão,
síncope, confusão, febre e distúrbios visuais. Não usar na lactação e
precaução com hipocalemia: diminui os efeitos do fármaco. 70-90%
ligado a proteínas séricas. Hipoalbuminemia (menor que 3 g/dl) pode
aumentar os efeitos do fármaco. Alterações: Sangue: Aumento de TGO
e creatino-fosfoquinase. Monitorar a PA, hemograma, função hepática e
renal.

• Ranitidina (Anti-secretor, antiúlcera, antidoença do refluxo


gastroesofágico, Anti-histamínico H2 – oral e parenteral IM e IV): Tomar
com as refeições e ao deitar. Fisicamente compatível em nutrição
parenteral, com 10% de perda em 24 horas a 24°C, em concentração
máxima de 250 mg/l. Dieta: dieta branda pode ser recomendada. Limitar
cafeína/xantina. Reações adversas: Diminuição na absorção de vitamina
B12, náuseas e vômitos, dor abdominal, insônia, diarréia, obstipação,
cefaléia (severa com IV), sonolência, tontura e erupções cutâneas.

51
Precaução com álcool e na lactação. Evitar tabaco. Alterações: Sangue:
Aumento de TGO, TGP, gama glutamil traspeptidase e creatinina.
Possível diminuição de vitamina B12 em uso em longo prazo.
Alterações: Urina: Falso positivo para proteína (método dependente).
Monitorar a função hepática e vitamina B12.

• Rifampicina (Antibiótico, tuberculostático - oral): Tomar com um copo


de água, uma hora antes ou duas horas após as refeições para
aumentar a absorção. Pode misturar o conteúdo da cápsula com geléia.
Reações adversas: Anorexia, pode afetar o metabolismo da vitamina D,
candidíase oral, dispepsia, náuseas e vômitos, cólicas, diarréia,
flatulência, líquidos corporais vermelho/alaranjados, erupções cutâneas,
síndrome semelhante à gripe, febre/calafrios, reação alérgica, tontura,
sonolência, confusão, alterações visuais, cefaléia, ataxia, febre
intermitente, prurido, edema facial e periférico. Evitar álcool e não usar
na lactação. Precaução em diabetes com sulfoniluréias: aumenta a
glicemia. 84-91% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue:
aumento de TGO, TGP, fosfatase alcalina, bilirrubina, hormônio da
paratireóide, uréia, creatinina e ácido úrico e diminuição de vitamina D.
Urina: cor vermelha/alaranjada. Monitorar o hemograma e a função
hepática.

• Risperidona (Antipsicótico - oral): Tomar sem considerar a alimentação.


Reações adversas: Aumento do apetite e peso, aumento ou diminuição
da salivação, náuseas e vômitos, dispepsia, dor abdominal, obstipação,
diarréia, sonolência, tontura, insônia, ansiedade, fraqueza, sintomas
extrapiramidais em doses elevadas, erupções cutâneas, dor muscular e
taquicardia. Evitar álcool e não usar na lactação. 90% ligado a proteínas
séricas. Alterações: Sangue: Aumento de prolactina.

• Salbutamol (Broncodilatador, Agonista – adrenérgico – oral,


parenteral IV e inalação): Tomar com alimentos para diminuir a irritação
gastrointestinal. Dieta: limitar cafeína/xantina. Reações adversas:
Anorexia, aumento do apetite, garganta inflamada/seca, náuseas e

52
vômitos, paladar característico, dispepsia, diarréia, tremor, irritabilidade,
palpitações, cefaléia, tontura, broncoespasmo, câimbras musculares,
edema, sangramento nasal, insônia e hiperatividade (em crianças). Não
usar na lactação e precaução na hipertensão arterial. Precaução em
diabetes: aumenta a glicemia. Alterações: Sangue: diminuição de
potássio e aumento de glicose.

• Salmeterol (xinafoato) (Antiasmático (não indicado para sintomas


agudos) – aerossol para inalação): Reações adversas: Dor dental,
náuseas e vômitos, dor gástrica, diarréia, cefaléia, taquicardia,
palpitações, tremor, nervosismo, erupções cutâneas, tosse, rinite, dor
muscular/costas e broncoespasmo paradoxal. Não usar na lactação.

• Sertralina (Antidepressivo, antidistúrbio obsessivo compulsivo,


antipânico, Inibidor da recaptação de serotonina - oral): Tomar sem
considerar a alimentação (o alimento aumenta a absorção do fármaco).
Reações adversas: Anorexia, diminuição do peso, boca seca, náuseas e
vômitos, dispepsia, diarréia, obstipação, insônia, tontura, sonolência,
aumento da sudorese, tremor, espasmos, cefaléia, palpitações,
agitação, ansiedade e distúrbios visuais. Evitar o álcool e precaução na
lactação e em idosos: diminui o clearance plasmático do fármaco em
40%. 98% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue: levemente:
aumento de colesterol e triglicerídeos e diminuição de ácido úrico.

• Sotalol (Antiarrítmico, –bloqueador não seletivo - oral): Alimento


diminui a absorção do fármaco em 20%. Tomar regularmente sem
considerar a alimentação. Reações adversas: Alterações do peso,
náuseas e vômitos, dispepsia, dor abdominal, diarréia, flatulência,
sonolência, fadiga, fraqueza, cefaléia, edema, diminuição da PA e
erupções cutâneas. Evitar álcool, não usar na lactação e precaução em
diabetes: pode mascarar sintomas e prolongar hipoglicemia. Pode inibir
a resposta da insulina à hiperglicemia. Não usar em hipoglicemia ou
hipomagnesemia. Monitorar a PA, o hemograma e a função hepática e
renal.

53
• Sulfasalazina (Antiinflamatório, Sulfonamida para colite ulcerativa,
Crohn): Tomar com um copo de água após as refeições ou com alimento
para diminuir a irritação gastrointestinal. Tomar ferro ou folato
separadamente do fármaco. Dieta: assegurar ingestão hídrica adequada
(mais de 1,5 l/dia) para aumentar a excreção. É recomendado a
suplementação de folato (1 mg/dia). Aumento da ingestão de folato.
Reações adversas: Anorexia, diminuição da absorção e do metabolismo
de folato, quelante de ferro, náuseas e vômitos, desconforto
gastrointestinal, diarréia, cefaléia, tontura, erupções cutâneas,
fotossensibilidade e pele amarela/alaranjada. Não usar na lactação e
precaução na deficiência de glicose 6-fosfato desidrogenase: risco de
anemia hemolítica e diabetes com sufoniluréias: diminuição da glicose.
99% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue: Diminuição de
folato e discrasias. Urina: cor amarelo/alaranjado. Monitorar o
hemograma e urinálise.

• Tenoxicam: Estômago cheio e no mesmo horário todos os dias com um


copo de água cheio.

• Teofilina (Broncodilatador, Metilxantina - oral): Alimentos alteram a


absorção de algumas formas de liberação prolongada. Engolir inteira a
forma de revestimento entérico e de liberação prolongada. Não mastigar
ou triturar. Dieta: manter a ingestão de proteínas e carboidratos
equilibrada para manter estáveis os níveis do fármaco. Evitar variações
drásticas na ingestão de cafeína. Reações adversas: Anorexia, aumento
de proteína, diminuição de carboidratos: aumento do metabolismo e
diminuição do nível sanguíneo do fármaco, sabor residual amargo,
refluxo gastroesofágico, náuseas e vômitos, dor epigástrica, nervosismo,
insônia, tontura, cefaléia, taquicardia, palpitações, tremor, hipotensão,
erupções cutâneas, convulsões e síndrome de secreção inadequada do
hormônio antidiurético. Precaução com álcool, não usar na lactação e
precaução em diabetes: aumenta a glicemia em doses elevadas. Dose
única elevada diminui o clearance do fármaco. Fumo e exposição

54
passiva ao fumo aumenta o metabolismo do fármaco e reduz a meia
vida e os níveis sanguíneos do fármaco. Alterações: Sangue: aumento
da glicose, TGO e ácido úrico. Urina: proteína e aumento de sódio, da
excreção e freqüência. Monitorar o nível sérico de teofilina.

• Terazosina (Anti-hipertensivo, antiprostático (Hiperplasia prostática


benigna), Bloqueador 1- adrenérgico - oral): Tomar ao deitar. Dieta:
reduzida de sódio e cálcio pode ser recomendado. Reações adversas:
Anorexia, aumento da sede, boca seca, náusea, diminuição da PA com
possível hipotensão, tontura, fraqueza, distúrbios visuais, sonolência,
edema periférico, palpitações, parestesia e dor nas costas ou
articulações. Precaução com álcool e na lactação. 90-94% ligado a
proteínas séricas. Alterações: Sangue: Diminuição hematócritos,
hemoglobina, leucócitos, albumina, tempo de protrombina, colesterol,
LDL e VLDL. Monitorar a PA.

• Terbutalina (sulfato) (Broncodilatador, Agonista -adrenérgico – oral,


parenteral SC e inalação): Tomar a forma oral com estômago vazio. Os
alimentos diminuem a absorção em 33%. Dieta: limitar cafeína/xantina.
Reações adversas: boca e garganta secas, paladar desagradável
(inalante), náuseas e vômitos, dispepsia, tremor, nervosismo, cefaléia,
palpitações, taquicardia, aumento da PA, tontura, sonolência, insônia,
sudorese, câimbras musculares, fraqueza e febre intermitente.
Precaução na lactação, hipertensão arterial e em diabetes: aumenta a
glicemia. Alterações: Sangue: aumento da glicose e diminuição do
potássio em doses elevadas.

• Tiamina (Vitamina do complexo B, anti-beriberi – oral e parenteral IV e


IM): A dose anti-beriberi é 5-10 mg 3x/dia. O aumento da ingestão de
cálcio e/ou carboidratos, aumenta a necessidade de tiamina. É
recomendado 0,5 mg/1000 de cálcio. Reações adversas: Náusea,
diarréia, sangramento gastrointestinal, em IV: calor, fraqueza,
angioedema, reação alérgica e erupções cutâneas. A deficiência de
folato ou proteína diminui a absorção de tiamina. O álcool inibe a

55
absorção. Utilização deficiente em idosos: possível aumento das
necessidades.

• Tioridazina (Antipsicótico, Fenotiazina - oral): Tomar com alimentos, um


copo de água ou leite. Reações adversas: Aumento da necessidade
para riboflavina, aumento do apetite e do peso, boca seca, náuseas e
vômitos, obstipação, tontura, sonolência, hipotensão, distúrbios visuais,
fraqueza, erupções cutâneas, edema periférico, taquicardia, tremor de
mãos, sintomas extrapiramidais e discinesia tardia com uso em longo
prazo. Evitar álcool e não usar na lactação. Aumenta os riscos de
problemas dentários. As formas líquidas precipitam em nutrição por
sonda. Mais de 90% ligado a proteínas séricas. Alterações: Sangue:
aumento do TGO, TGP, fosfatase alcalina, bilirrubina, prolactina,
colesterol e glicose. Urina: retenção, aumento de riboflavina, positivo
para glicose e falso positivo para bilirrubina. Monitorar hemograma e
função hepática.

• Tramadol (Analgésico – oral, retal ou parenteral IM e IV): Tomar sem


considerar a alimentação. Reações adversas: Anorexia, boca seca,
dispepsia, náuseas e vômitos, dor abdominal, obstipação, diarréia,
flatulência, tontura, cefaléia, prurido, sonolência, fraqueza, sudorese,
erupções cutâneas, alterações visuais, ansiedade, confusão, ataxia e
vasodilatação. Evitar álcool e não usar na lactação. Alterações: Urina:
proteína, retenção e aumento da freqüência.

• Trimetoprima e sulfametoxazol (Antibiótico, Sulfonamida – oral e


parenteral IV): Tomar com alimentos e um copo de água. Dieta:
Assegurar ingestão hídrica adequada para aumentar a excreção, mais
de 1,5 L/dia. Pode necessitar de suplementos de folato. Reações
adversas: Anorexia, interfere no metabolismo do folato, estomatite,
glossite, náuseas e vômitos, diarréia, reações alérgicas, erupções
cutâneas, fotossensibilidade, fadiga, tontura, cefaléia, ataxia, depressão,
edema, insônia e neurite periférica. Não usar na lactação e precaução
em diabetes com sulfoniluréias: diminui a glicemia. Precaução em

56
deficiência de glicose-6-fosfato desidrogenase: risco de anemia
hemolítica. Alterações: Sangue: Aumento do TGO, TGP, bilirrubina,
uréia, creatinina e potássio, diminuição de folato e sódio e discrasias.
Urina: cristalúria e cálculos. Monitorar o hemograma, urinálise e função
renal em uso em longo prazo.

• Valpróico (ácido) (Anticonvulsivante - oral): Tomar com refeições para


diminuir a irritação gastrointestinal. Engolir inteira a cápsula ou
comprimido com água. Não tomar o xarope com bebidas carbonatadas:
a liberação do fármaco causa irritação da boca e garganta ou paladar
desagradável. Pode-se misturar o conteúdo da cápsula com 5 ml (uma
colher de chá) de alimentos semi-sólidos (não mastigar). Reações
adversas: Anorexia, diminuição do peso, aumento do apetite e peso,
abscesso peridontal, náuseas e vômitos, indigestão, cólicas,
gastroenterite, diarréia, obstipação, incontinência fecal, flatulência,
diminuição da densidade óssea, tremor de mãos, fraqueza, sedação,
erupções cutâneas, tontura, edema periférico, febre/calafrios, dor no
peito, no pescoço ou muscular, ataxia, confusão, hipo ou hipertensão,
alucinações, discinesia, parestesia, alterações na visão ou audição e
dispnéia. Evitar álcool e extrema precaução na lactação. Não usar em
doença hepática. 82-90% ligado a proteínas séricas. Hipoalbuminemia
(menor que 3 g/dl) pode aumentar os efeitos do fármaco. Aumenta o
risco de osteoporose em uso em longo prazo. Alterações: Sangue:
Aumento de TGO, TGP, fosfatase alcalina, bilirrubina, desidrogenase
lática, amônia, colesterol, HDL e tempo de protrombina, diminuição de
leucócitos, neutrófilos, T3, T4 e plaquetas. Urina: Falso positivo para
cetonas e incontinência. Monitorar a função hepática, hemograma,
plaquetas, amônia, tempo de coagulação, nível do fármaco e
possivelmente amilase.

• Vancomicina (Antibiótico – parenteral IV): Fisicamente compatível em


nutrição parenteral, com atividade mantida por 4 horas à 22ºC, em
concentração máxima de 6 g/l. Reações adversas: Paladar amargo,
náusea, pouca absorção gastrointestinal, reação alérgica, erupções

57
cutâneas, nefrotoxicidade e ototoxicidade. Não usar na lactação e
precaução em IRC. Alterações: Sangue: diminuição de leucócitos,
aumento de uréia e creatinina e eosinofilia. Monitorar a função renal,
urinálise, nível do fármaco e leucócitos em uso em longo prazo.

• Varfarina (Anticoagulante - oral): Dieta: essencial a ingestão constante


de vitamina K. O Aumento da vitamina K, diminui os efeitos do fármaco e
a redução de vitamina K, aumenta os efeitos do fármaco. Precaução
com a vitamina K ou suplemento polivitamínico: alterações na ingestão,
aumenta ou diminui o tempo de protrombina. Evitar doses elevadas de
vitamina A, E (mais de 400 UI/dia): altera o tempo de protrombina.
Precaução com vitamina C (mais de 5,0 g/dia): pode diminuir a absorção
do fármaco. Precaução com mais de 60 g de cebola crua, frita ou cozida:
aumenta a atividade fibrinolítica. Evitar ou limitar algumas ervas e chás
de ervas. Evitar abacate. Reações adversas: Náuseas e vômitos,
cólicas, diarréia, hemorragia, necrose de pele, febre e erupções
cutâneas. Precaução com álcool: abuso crônico de álcool aumenta o
metabolismo do fármaco e reduz o tempo de protrombina. Intoxicação
aguda reduz o metabolismo do fármaco e tempo de protrombina.
Precaução na lactação. Realizar cuidados odontológicos
cautelosamente, aumento do risco de sangramento. 99% ligado a
proteínas séricas. Hipoalbuminemia (menos de 3 g/dl): pode aumentar
os efeitos do fármaco. Alterações: Sangue: aumento do tempo de
protrombina e redução dos fatores de coagulação. Monitorar o tempo de
protrombina freqüentemente, hemograma e função hepática.

• Verapamil (Antiarrítmico, antianginoso, anti-hipertensivo, Antagonista


dos canais de cálcio – oral e parenteral IV): Administrar com estômago
cheio. Engolir inteira a forma de liberação prolongada com alimento ou
leite. Tomar outras formas sem considerar a alimentação. Dieta:
Redução de sódio e cálcio pode ser recomendado. Limitar a cafeína.
Precaução com suplemento de cálcio e/ou vitamina D: hipercalcemia
reduz os efeitos do fármaco. Reações adversas: Hipotensão, depressão
mental, flushing, dispepsia, náusea, obstipação, redução da PA com

58
possível hipotensão, cefaléia, tontura, fadiga, fraqueza, erupções
cutâneas, edema periférico e/ou pulmonar, bradicardia e taquicardia.
Evitar ou limitar álcool. Não usar na lactação e precaução em ICC
(diminui a atividade do nodo atrioventricular). 90% ligado a proteínas
séricas. Alterações: Sangue: Aumento do TGO e TGP. Monitorar a PA e
função hepática em uso em longo prazo.

• Vitamina B12, cianocobalamina (Vitamina, antianêmico – oral e


parenteral IV, IM e SC): A via parenteral é a preferida para tratar a
anemia perniciosa. Fisicamente compatível em nutrição parenteral por
24 horas à 22ºC, em concentração máxima de 1 mg/L. Dieta: tomar
doses elevadas de vitamina C separadamente em uma hora. Precaução
com suplemento de folato: pode mascarar anemia perniciosa e resultar
em progressão do dano neurológico. É necessário fator intrínseco e
cálcio suficiente para absorção adequada de vitamina B12 oral. Reações
adversas: diarréia transitória leve, hipocalemia nas primeiras 48 horas
de tratamento parenteral (pode ser fatal) e prurido. Evitar álcool.
Redução da absorção da vitamina B12 com acloridria gástrica (comum
em idosos), gastrectomia, HIV e fármacos antiúlcera. Sintomas de
deficiência: parestesia, instabilidade postural, ataxia, alterações do
humor, confusão, perda da memória, depressão, alterações visuais,
alucinações, psicose, paranóia, demência, aumento de volume globular
médio, hemoglobina globular média, redução de hemoglobina e
hematócrito, anemia perniciosa (macrocítica, megaloblástica). Dano
neuropsiquiátrico devido à deficiência leve, não é acompanhado por
anemia em 30% dos casos. Alterações: Sangue: Aumento de vitamina
B12 e redução de potássio. Monitorar leucócitos, vitamina B12, folato e
potássio (nas primeiras 48 horas de tratamento parenteral).

• Vitamina C, ácido ascórbico (Vitamina, antiescorbuto, hidrossolúvel,


Antioxidante, Acidificante urinário – oral e parenteral IV e IM): 100-250
mg/dia para tratar escorbuto. Não cessar doses elevadas abruptamente:
reduzir lentamente. Pode-se misturar a solução oral com alimento ou
suco de frutas. Dieta: tomar suplemento de vitamina B12 separadamente

59
por uma hora. Tomar com suplemento de ferro para aumentar a
absorção de ferro. Redução na absorção de cobre com mais de 1,5 g de
vitamina C/dia. Condicionamento sistêmico com doses elevadas em
longo prazo causa dependência e escorbuto de rebote se reduzir
abruptamente. Reações adversas: Náuseas e vômitos, cólicas gástricas,
diarréia com mais de 1 g/dia. Uso excessivo de comprimidos
mastigáveis rompe o esmalte dentário e aumenta as cáries. Fumar e
mascar tabaco aumentas as necessidades. Precaução com deficiência
de glicose-6-fosfato desidrogenase: risco de anemia hemolítica.
Sintomas de deficiência (escorbuto): sangramento/inflamação gengival,
cicatrização lenta, dor nas articulações, hiperqueratose, petéquia e
outros efeitos hemorrágicos, fraqueza, fadiga, depressão, histeria,
fadiga, febre intermitente, cefaléia e insônia. Alterações: Sangue:
redução de bilirrubina. Urina: redução de pH com doses elevadas (4-12
g), aumento de oxalato e cálcio, redução de sódio e aumento ou
diminuição de ácido úrico (dose dependente). Falso negativo para
hemoglobina (método dependente), falso positivo para glicose (CuSO4),
falso negativo para glicose (glicose oxidase).

• Vitamina K, fitomenadiona K1 (Vitamina, anti-hipoprotrombinemia,


Lipossolúvel – oral e parenteral IM e SC preferível): Fisicamente
compatível em nutrição parenteral por 24 horas à 22ºC, em
concentração máxima de 10 mg/L. Dieta: precaução com doses
elevadas de vitamina A, D ou suplementos de E: deficiência relativa de
vitamina K. Precaução na lactação. Reações adversas: parenteral: rara
reação anafilática (especialmente em IV), febre intermitente, tontura e
erupções cutâneas. Alterações: Sangue: redução do tempo de
protrombina e aumento de fatores de coagulação. Monitorar o tempo de
protrombina.

• Zinco, gluconato de zinco (Suplemento mineral): Tomar uma hora


antes ou duas horas após as refeições. Dieta: tomar suplemento de
cobre, ferro, fósforo, cálcio e folato separadamente em 2 horas. Tomar
separadamente por duas horas de alimentos ricos em cálcio, fósforo,

60
fibra de farelo ou fitato, para evitar complexos não absorvíveis. Aumenta
a biodisponibilidade de fontes de proteína animal. Ingestão excessiva
pode causar deficiência de cobre e/ou ferro. Sulfato de zinco precipita
em nutrição por sonda. Aumento da necessidade em HIV. Reações
adversas: Ingestão maior de 25 mg/dia: paladar metálico, náuseas e
vômitos e dor abdominal. Ingestão em longo prazo de 100-300 mg/dia
causa toxicidade crônica: deficiência de cobre e/ou ferro, redução da
resposta imune, cefaléia, calafrios, febre e fadiga. Toxicidade aguda
ocorre com dose única maior de 2g. Sintomas de deficiência:
crescimento inadequado, cicatrização lenta, diminuição da acuidade
gustativa, anorexia, hipogonadismo, erupções cutâneas, lesões de
pele/olhos, cegueira noturna, alopecia e distrofia das unhas. Alterações:
Sangue: aumento de zinco e fosfatase alcalina, redução de cobre e HDL
com ingestão excessiva.

61
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Observou-se na elaboração deste guia que podemos desfrutar de uma vasta


literatura demonstrando como os constituintes dos alimentos podem influenciar
na biodisponibilidade de fármacos e vice-versa. Entretanto, depara-se com a
falta de informações de ordem prática, em programas hospitalares, os quais
ajudariam muito a equipe de saúde e, principalmente, os usuários de
medicamentos de uso contínuo, portadores de doenças crônicas
degenerativas, idosos e aqueles com estado nutricional insatisfatório.

Muitos dos efeitos adversos observados ao longo da vida de um indivíduo não


são documentados ou, então, são simplesmente entendidos como
conseqüências do medicamento, não se considerando o processo de interação
fármaco-nutriente.

O estado nutricional do paciente deve ser considerado juntamente com a


prescrição de medicamentos e, se necessário, instituir medidas preventivas ou
reabilitadoras com o fornecimento de alimentos adicionais ou suplementos
vitamínicos e minerais.

“O conhecimento prévio das características do paciente (necessidades, idade,


funções fisiológicas, estado nutricional, hábitos de alimentação), da doença
(crônica, aguda ou ambas) e do medicamento (eficácia, margem de segurança,
posologia, modo e tempo de utilização) constitui conduta ética que, com
certeza, cerceia os riscos advindos das interações entre fármacos e alimentos”.
(Basile, 1994).

62
REFERÊNCIAS

USP DI 2007. Drug Information for the Health Care Professional. Rockville:
United States Pharmacopeial 2007.

Trissel, L. A. Handbook on Injectable Drug. 9. ed. Bethesda: Am. Soc. Health-


Sys. Pharm, 1996.

Cardoso, S. P., Martins, C. “Interações Droga-Nutriente”, Curitiba, Nutroclínica,


p. 14-151.

Basile, A. C. “Medicamentos e suas interações - Fármacos e alimentos”, São


Paulo, Atheneu, 1994, p.157-188.

Moura, M. R. L., Reyes, F. G., Revista de nutrição “Interação fármaco-nutriente:


uma revisão”, Campinas, 2002.

Martindale, The Extra Pharmacopeia. 30 ed. London: Pharmaceutical Press,


1993.

63
ANEXO

ANEXO A: INFLUÊNCIA DOS ALIMENTOS/NUTRIENTES NO PROCESSO


DE ABSORÇÃO E DE BIOTRANSFORMAÇÃO DE FÁRMACOS.

Fármacos Alimentos/Nutrientes Mecanismos/Efeitos Recomendações


Antibióticos: Refeição regular. Retarda o Administrar 2h antes
Rifampicina esvaziamento gástrico, ou 3h após as
a liberação e a refeições.
dissolução; diminui a
absorção.
Eritromicina -base e Refeição regular; dieta Retarda o Administrar 2h antes
estearato hiperlipídica. esvaziamento ou 3h após as
gástrico, a liberação e refeições ou usar
a dissolução; diminui a preparações que não
absorção. são afetadas pelos
alimentos.
Ampicilina Refeição regular. Retarda o Administrar 1h antes
esvaziamento gástrico; ou 2h após as
reduz a absorção. refeições.

Ciprofloxacina Leite, iogurte, Reduz a absorção por Administrar 2h antes


alimentos complexação com ou 3h após as
ricos em Fe, Mg, Zn, cátions divalentes. refeições.
Ca.
Tetraciclina Refeição regular. Retarda o Administrar 2h antes
esvaziamento gástrico, ou 3h após as
a liberação e a refeições.
dissolução; cria
barreira física; reduz a
absorção.
Tetraciclina Leite, iogurte, Reduz a absorção por Administrar 2h antes
alimentos complexação com ou 3h após as
ricos em Fe, Mg, Ca. cátions divalentes. refeições.
Griseofulvina Dieta hiperlipídica. Aumenta a excreção Administrar com as
de sais biliares; refeições.
aumenta a
solubilidade; aumenta
a absorção.
Isoniazida Refeição regular. Retarda o Administrar com
esvaziamento estômago vazio, se

64
gástrico; aumenta o pH tolerado.
gástrico; diminui a
solubilidade e a
absorção.
Cefalosporinas Refeição regular. Altera a motilidade e o Administrar 2h antes
tempo de trânsito no ou 3h após as
trato GI, reduzindo e refeições.
retardando o nível
sérico
do antibiótico.
Cardiovasculares/diuréticos: Refeição regular. Altera o tempo de Administrar 2h antes
Digoxina trânsito gastrintestinal ou 3h após as
e a motilidade; reduz a refeições reduz os
velocidade de efeitos colaterais
absorção. (náuseas, vômitos).
Captopril Refeição regular. Reduz a absorção; Administrar 2h ou 3h
reduz o efeito após as refeições.
terapêutico.
Nifedipina Dieta hiperlipídica. Aumenta a velocidade Administrar fora das
e a extensão da refeições reduz a
absorção; Aumenta a incidência dos efeitos
incidência de efeitos colaterais.
colaterais (dor de
cabeça, tonteira, etc).
Propranolol Dieta hiperprotéica Reduz a fase I da Administrar 2h ou 3h
biotransformação após as refeições
hepática; aumenta o
fluxo sangüineo
esplâncnico; aumenta
a absorção.
Hidralazina Refeição regular Reduz o primeiro Administrar 2h ou 3h
passo do metabolismo; após as refeições.
bloqueia a
biotransformação
enzimática no trato GI;
aumenta a absorção.
Broncodilatadores: Dietas hiperprotéicas e aumento da atividade Ingerir dieta
Teofilina Hipoglicídicas. do citocromo P450; equilibrada
redução da meia-vida
plasmática do
medicamento; redução
do tempo de efeito.
Teofilina Café, chá, outras Parte da cafeína é Ingestão moderada de
bebidas contendo convertida em teofilina cafeína.

65
cafeína com aumento da sua
concentração,
ocorrendo saturação
enzimática e
prejudicando etapas de
biotransformação e
eliminação.
Antiparkinsonianos: Dieta hiperprotéica Há competição entre o Monitorar a resposta
Levodopa fármaco e aminoácidos clínica e evitar dietas
pela absorção através hiperprotéicas se
da mucosa intestinal e oportuno.
do cérebro.
Antipiréticos,analgésicos e Refeição regular; leite; Modifica pH gástrico; Apesar da diminuição
anti-inflamatórios: Vegetais reduz a solubilidade; da absorção, a
Ácido acetilsalicílico reduz a velocidade e a recomendação clínica
extensão da absorção. é de administrar com
alimentos para reduzir
a irritação gástrica.
Ibuprofeno Refeição regular Retarda a absorção. Administrar com
alimentos para reduzir
a irritação gástrica.
Paracetamol Dietas hiperlipídicas Reduz a liberação e a Administrar 2h antes
dissolução; reduz a ou 3h após as
velocidade e a refeições.
extensão da absorção.
Anticonvulsivantes: Refeição regular e Retarda o Administrar com as
Fenitoína dieta esvaziamento gástrico; refeições ou com leite
Hiperlipídica aumenta a produção para prevenir irritação
de bile, favorecendo a gastrintestinal.
dissolução, e aumenta
a absorção.
Imunossupressores: Desjejum Reduz a velocidade e a Administrar com
Metotrexato (MTX) extensão da absorção. estômago vazio.
Fonte: Revista de nutrição “Interação fármaco-nutriente: uma revisão”, Campinas, 2002.

66