You are on page 1of 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL

DA COMARCA DE CAMPINAS

Carlos(qualificação) vem respeitosamente diante da vossa excelência, através


do seu advogado procurador propor contra Pierre (qualificação). Contra Pierre,
artista plástico de renome internacional, pessoa jurídica de direito privado.
AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA,
pelas razões a seguir dispostas:

I - DOS FATOS:

O requerente entusiasmado com a beleza de sua nova mansão


campestre pactuou com o requerido, um artista plástico de renome
internacional, contrato de prestação de serviços em que o requerido
se comprometia a pintar pessoalmente, ressaltando pintar
pessoalmente 2(duas telas) em referencia a nova mansão do
requerente.

Na expectativa de uma “obra prima”, adiantou ao requerido a quantia de


R$ 100.000,00 (cem mil reais) e estipularam de comum acordo o prazo
de um ano para a entrega de do trabalho.
Respeitado o prazo, o requerido entregou ao requerente as 2 (duas)
telas, no entanto, um detalhe chamou a atenção do requerente, até por
já conhecer o trabalho do requerido.

As obras 2 (duas) telas foram pintadas por Jaques o aprendiz do


requerido. Na sua espontaneidade o requerente negou-se a receber as
obras, já que de comum acordo com a parte requerida determinou ao
requerido a autoria de tais trabalhos.

II - DO DIREITO:

O direito do requerente nasceu do contrato firmado com o requerido,


quando este aceitou servir ao requerente com a prestação de serviço,
lembrando que o contrato faz lei entre as partes.

Ao buscar os serviços do requerido, o requerente levou em consideração


as condições pessoais do requerido (artista plástico de renome
internacional). No entanto só ele poderia cumprir a prestação do serviço.
Que seja apreciado o fato de o requerido ter ferido legislação
competente e certa do código civil brasileiro.
“Art. 247 do Código Civil - Incorre na obrigação
de indenizar perdas e danos o devedor que
recusar a prestação a ele só imposta, ou só por
ele exeqüível.”

III - DO PEDIDO:
Requer-se a procedência dos pedido com:

a) a citação do requerido,

b) a condenação do requerido ao pagamento de R$ 100.000,00.

c) Que esta Ação seja julgada procedente, para condenar o requerido a


arcar com o ressarcimento ao requerente do valor a que se apropriou
sem cumprir com o combinado(pintura pelas próprias mãos) , acrescido
de juros e correção monetária.

d) Condenação do Requerida nas custas do processo, e também os


honorários advocatícios.

e) protesto aprovado e alegado por todos os meios de provas em direito


admitidos,

f) dá-se a causa o valor de R$ 100.000,00.

Pede e espera deferimento.

Assis, 16 de fevereiro de 2.011

Sérgio Rodrigo Paes Merlin


OAB/SP XX.XXX