You are on page 1of 5

m

m
m
m m
 mm  m m  m


mm  m m mm m   m

 mm m m

m mmm 
m
 m

m
m
m
m m
m

m
m
m

m    m
m
  m mm
mm m
m m 
 m

mm !"mmmmmmmmmmmmmmmmmm m#$%$m
  m
m!&'"("m)*m+,-"!./+m+0"m)"m12"! +'m
  m
3 m *&)! ","m)"m4"2m&5"m
m
© m mmm
mm m1 mm
m
m
m
 m mm*2&*6m
m
 m  m&2,+m)*mm !"m7 8m*(2(!,+6m
m
m
m  
m      m
m
A tur0 da 5ª série ³B´ vespertino é co0posta por u0 grupo heterogêneo de crianças co0 idade entre
onze e doze anos. São alunos ativos, participativos, são curiosos e envolve09se co0 as atividades de
aprendizage0, entretanto, apresenta0 certa dificuldade de relaciona0ento interpessoal que se evidencia0 nas
frequentes discussões e rixas verbais entre si e, e0 virtude da constância co0 que ocorre0 interfere0
significativa0ente no processo de ensino9aprendizage0. Alé0 disso, a 0aioria lê co0 fluência, de0onstrando
capacidade de interpretação de textos si0ples e e0penho na produção.

Frente às características levantadas e considerando todo o trabalho e0 processo, elabora0os essa


proposta didática a qual faz u0 recorte no projeto da escola 0ais co0o u0 reforço que u0a esquiva, co0 o
te0a ³A vida te0 a cor que a gente pinta´, eixo norteador das atividades a sere0 desenvolvidas nos cinco dias
de estágio. A partir dessa te0ática, levare0os para a sala de aula norteada por u0a expressiva
proble0atização ³as diferenças´, soerguendo as questões existentes no interior desse contexto, be0 co0o os
que efetiva0 fora dele (o preconceito, a intolerância, ausência de diálogo entre outros).
Nesse sentido, serão desenvolvidas atividades diversificadas e desafiadoras, favorecendo a leitura
interativa de diferentes gêneros, a análise e reflexão de situações proble0as que envolve0 a te0ática no
â0bito local e global, a produção e os aspectos gra0aticais a ele concernentes, de 0odo que possibilite a (re)
construção de conheci0entos.
m

 m [  [m
m

3 m [  [mm
m
†m §efletir sobre situações proble0as que envolve0 a questão do preconceito e da intolerância,
reconhecendo a i0portância do diálogo e do respeito enquanto ca0inhos possíveis e
saudáveis para na resolução desses proble0as;

†m Mntervir individual e coletiva0ente, repudiando as atitudes de intolerância dentro e fora da sala


de aula, exigindo respeito para si e para os outros.
m
 
‰ m [  [m    [m
m
†m w0itir opinião prévia sobre u0 texto a partir do título;
†m „er e interpretar textos de diferentes gêneros textuais;
†m |o0provar hipóteses levantadas sobre u0 texto por 0eio da co0paração de ideias;
†m Úebater te0as propostos pelos textos, apri0orando as habilidades de expressão, opinião e
argu0entação orais;
†m §ele0brar infor0ações sobre a estruturação e organização linguística do texto de opinião.
†m Êroduzir texto de opinião, observando as características linguísticas e textuais do gênero;
†m Avaliar a produção escrita, observando estruturação linguística e textual e sua adequação ao
gênero, corrigindo9o e apri0orando9o;
†m Mdentificar atitudes preconceituosas e0 colegas de sala e/ou da escola, propondo soluções
possíveis;
†m Analisar coletiva0ente situações proble0as que envolva0 o preconceito e a intolerância a
partir de i0agens e notícias, e0itindo opinião;
†m |onceituar verbos e e0pregá9los e0 textos, observando a sua função se0ântica e0 situações
concretas de interação verbal;
†m w0itir opinião oral e escrita sobre u0 te0a específico, funda0entando9se e0 argu0entos;
†m wstabelecer diferença se0ântica entre preconceito e discri0inação e léxico9se0ântica entre
discri0inar e descri0inar;
†m Êarticipar da organização do 0ural ³A vida te0 a cor que a gente pinta´ que inclui os textos de
opinião e produções diversas dos alunos ao longo das cinco aulas.

Ë m [ [m
m
3 m [ mm
m
†m „eitura e interpretação de textos relacionados à questão do preconceito e da
intolerância;
†m [ verbo e sua função no texto;
†m §evisão das características linguísticas e textuais do texto de opinião

‰ m Ê[  m
m
†m Êrodução texto de opinião;
†m Análise e interpretação de textos de diferentes gêneros.
†m [ uso dos verbos e0 textos.
†m ÷ulga0ento e e0issão de ideias a partir de situações proble0as, envolvendo a
te0ática do projeto.
†m [rganização de 0ural.

x m 
†m [ respeito às diferenças enquanto condição para a convivência hu0ana.
†m [ preconceito e a intolerância: atitudes geradoras de violência.
m

 m [Ê [ [m
m
mm
m
†m otivação para história §o0eu e ÷ulieta por 0eio de questiona0ento e levanta0ento de hipóteses
a partir do título.
†m Apresentação do livro ³§o0eu e ÷ulieta´ de §uth §ocha, utilizando transparências.m
†m Mnterpretação das ideias apresentadas na história por 0eio de questiona0entos orais:m
9 A história que vocês ouvira0 te0 algu0a relação co0 a que vocês narrara0 antes?
9 w0 que pontos se asse0elha0?
9 w0 que aspectos se diferencia0?
9 Na história de §uth §ocha, o que §o0eu fez?
9 Êor que vocês acha0 que §o0eu descu0priu a regra de que cada borboleta deveria ficar no seu
canteiro?
9 Vocês concorda0 co0 essa regra?
9 Êara vocês, as borboletas deveria0 continuar vivendo separadas por cor?
9 [ que aconteceu quando §o0eu descu0priu a regra?
9 Vocês já vira0 pessoas separadas por cor? [nde?
9 É possível que as pessoas viva0 separadas pela cor?
9 Que outras características alé0 da cor pode0 separar as pessoas? Êor que isto acontece?
9 և presenciara0 ou observara0 algu0a coisa que separa0 as pessoas na sua escola ou na sala
de aula? [ quê?
9 Na história co0o a situação de separação foi resolvida?
9 Na vida, co0o pode0os resolver essas situações que nos separa0?

†m For0ar duplas e distribuir i0agens e0 preto e branco sobre pessoas negras, pobres, de diferentes,
raças e religião e e0 seguida solicitar:
9 a observação e descrição da i0age0.
9 o tipo de preconceito que a pessoa poderia sofrer ou estaria sofrendo?
9 solicitar que co0ple0ente0 a i0age0 co0 desenhos que dê vida nova e/ou u0 novo colorido à vida
dos sujeitos da i0age0.

†m w0 seguida, solicitar aos alunos que produza0 u0 texto de opinião a partir da seguinte frase:
³wnquanto a cor da pele for 0ais i0portante que o brilho dos olhos, haverá guerra´ (Bob arley)
9 Antes de propor a produção, revisar junto co0 a tur0a os ele0entos estruturais e linguísticos que
caracteriza0 o texto de opinião.

©mm

†m |onferência e revisão dos textos produzidos na aula anterior;


†m §eto0ada da história §o0eu e ÷ulieta a partir de resu0o para identificação das palavras que
cu0pre0 o papel de indicar ações, estados e fenô0enos da natureza, reconhecendo a sua
i0portância na história.
9 w0 seguida, solicitar u0a pesquisa sobre conceito, conjugações, flexões de nú0ero, pessoa,
0odo e te0po.
9 §esolução de atividade de fixação sobre o conteúdo verbo ± conceito, conjugações, flexões de
nú0ero, pessoa, 0odo e te0po.

mm

†m „eitura e interpretação do texto Êreconceito §acial de Saffioti.


9 Mdentificação da idéia central do texto e da apresentada e0 cada parágrafo.
9 Mnterpretação e co0preensão oral e escrita das idéias do texto.
9 Úiscussão sobre a diferença se0ântica entre preconceito e discri0inação.
9 diferenciação léxica e se0ântica das palavras ³discri0inar/descri0inar´ e e0pregá9las
correta0ente e0 textos.
†m Êrodução de texto individual a partir da situação discutida por Aroldo acedo e0 ³wxiste u0 país
lindo...´

†m wxposição das produções no 0ural ³A vida te0 a cor que a gente pinta´.
m
U m  [mm
m
†m rransparências;
†m §etro projetor;
†m Êapel 0etro;
†m resoura;
†m |ola;
†m M0agens;
†m |artolina;
†m „ápis colorido;
†m rextos xerocopiados;
†m „ivro didático;
†m Quadro branco;
†m Êincel.
m 
   [m
m
[ professor observará a participação e o envolvi0ento dos alunos e das alunas nas atividades
propostas, estando atento ta0bé0 a possíveis 0anifestações de preconceito e/ou discri0inação frente
a colegas durante as falas dos alunos, no uso do vocabulário, na for0a co0o se dirige0 aos colegas,
incentivando a reflexão acerca de tal situação. [bservar ta0bé0 a sensibilização e a 0udança de
co0porta0ento dos educandos no tocante às relações interpessoais e0 sala de aula principal0ente.
Alé0 disso, considerar9se9á a concretização dos objetivos propostos referentes aos conteúdos
lingüísticos e textuais abordados junto às atividades propostas no decurso do projeto.
m
m
  m
m
|w§w÷A, Willia0 §oberto; AGA„ wS, rhereza |ochar. Êortuguês: linguagens, 5ª série. 4 ed. São
Êaulo; Atual, 2006.

|w§w÷A, Willia0 §oberto; AGA„ wS, rhereza |ochar. Êortuguês: linguagens, 6ª série. 4 ed. São
Êaulo; Atual, 2006.

Êrojeto Araribá: Êortuguês ([bra coletiva). 1 ed. São Êaulo: oderna, 2006.

§[| A, §uth. §o0eu e ÷ulieta. 14 ed. São Êaulo: Ática, 2000.

Related Interests