You are on page 1of 2

HISTÓRICO DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA A idéia de criar cursos de formação arquivística no Brasil foi do diretor do Arquivo Nacional, Alcides Bezerra

, em 1922, quando propôs a criação de um curso técnico para habilitar os funcionários do Arquivo Nacional. Em 1959 veio ao Rio de Janeiro o eminente estudioso e arquivista francês Henry Boullier de Branche, onde ministrou cursos. No ano seguinte, 1960, começou a funcionar o Curso Permanente de Arquivo, no Arquivo Nacional, com a duração de dois anos, sendo exigido o ensino médio completo para o ingresso no curso. Em 1973, através do acordo firmado entre o Arquivo Nacional e a Universidade do Rio de Janeiro (UNIRIO), o Curso Permanente de Arquivo passou a funcionar com mandato universitário. Em 1974 o Conselho Federal de Educação – (CFE) fixou o currículo mínimo para os cursos de graduação em Arquivologia. Professores do Departamento de História da UFSM, conscientes da desorganização de acervos arquivísticos na região e da carência de pessoal habilitado para exercer funções de arquivista, tiveram um contato inicial com o arquivista e historiador José Pedro Pinto Esposel, professor da Universidade Federal Fluminense, que aplaudiu a iniciativa da criação de um curso de graduação em Arquivologia no sul do país. O Curso de Arquivologia foi criado pelo Parecer nº 179/76 do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão da UFSM, em 10 de agosto de 1976. Sua instalação deu-se em março de 1977 com oferecimento de 25 vagas anuais e quatro habilitações: Arquivos Empresariais, Arquivos Escolares, Arquivos Históricos e Arquivos Médicos. A criação do Curso de Arquivologia da UFSM foi anunciada através de comunicação feita pela Profa. Darcila de La Canal Castelan durante o 3º Congresso Brasileiro de Arquivologia realizado na cidade do Rio de Janeiro no período de 17 a 22 de outubro de 1976. A Universidade propôs-se a criar para 1977 o Curso de Arquivologia em nível de graduação. Curso esse, compreendendo 2.165 horas e estágio de 200 horas a serem desenvolvidas num mínimo de três anos letivos, ou seja seis semestres. A regulamentação da profissão aconteceu um ano após a criação do Curso na UFSM, através da Lei n.º 6.546 de 04 de julho de 1978 e do Decreto 82.590 de 06 de novembro de 1978. O Reconhecimento do Curso de Arquivologia da UFSM deu-se pelo Ministério da Educação e Cultura, em 1981, através da Portaria n. 076/81/MEC. Quando da criação do Curso de Arquivologia, professores de vários departamentos da UFSM e professores convidados de outras instituições contribuíram para o seu funcionamento inicial, pois naquele momento não havia sido criado um departamento, onde estariam lotados os professores para lecionar as disciplinas técnicas profissionalizantes no referido Curso de Arquivologia. Em 1978, foi criado o Departamento de Documentação através da Resolução 001/78/UFSM, com o objetivo de alocar as disciplinas técnicas profissionalizantes para atender especialmente o Curso de Arquivologia. O curso de Arquivologia já formou até a presente data, mais de 600 arquivistas, bacharéis de alto nível para contribuir com a sociedade.

CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

CCSH
UFSM

http://twitter.com/ArquivologiaSMA

Arquivologia UFSM (Curso de Arquivologia)

http://facebook.com/cursodearquivologia.ufsm

A marca, criada pelo designer gráfico Carlo Giovani Ribas Rossato, foi desenvolvida para o Curso de Arquivologia, bem como a identidade visual, com o propósito de representar graficamente os valores e conceitos que caracterizam e constituem o curso, como também a atividade profissional da Arquivologia. Os elementos institucionais foram desenvolvidos a partir de pesquisa de forma e cor, dando origem a marca, assinatura gráfica institucional do curso, bem como todo o sistema de identidade visual. A forma triangular e a presença dos três elementos interno ao triângulo tem em sua simbologia a representação da ordem, ou ainda, o aspecto de produção, conservação, e transformação/transmissão. Esse aspecto triplo provém de simbologias universais presente tanto no caráter intelectual quanto no espiritual de diversas culturas. Desta simbologia universal provém ainda a ideia de tempo cronológico, presente, passado e futuro, atribuído ao número três e ao triângulo. O aspecto de tempo foi então, reafirmado pelo uso do movimento da figura cíclica que, proveniente da figura do círculo, está habilitada a representá-lo. O movimento cíclico refere-se a busca da informação no passado e sua transmissão no presente ou futuro.

FOTOS: CARLOS BLAYA

OBJETIVOS DO CURSO O Curso de Graduação em Arquivologia destina-se a formar profissionais da informação, bacharéis em Arquivologia, capazes de implementar sistemas de gestão da informação arquivística no universo de atuação que a lei e a praxe lhe concedem. O Arquivista possui uma formação generalista, numa construção interdisciplinar com a História, Direito, Informática, Administração, Comunicação e Paleografia, visando preparar um arquivista cidadão, apto para exercer atividades técnicas e científicas, produzir e difundir conhecimentos, refletir criticamente sobre a realidade que o envolve, buscar aprimoramento contínuo e observar padrões éticos de conduta, disposto a estabelecer uma inter-relação atual com a sociedade onde está inserido. A formação prepara o profissional da informação arquivística para enfrentar com proficiência e criatividade os problemas de sua prática profissional, não se restringindo à perspectiva de profissionalização estrita e especializada, em princípios de cooperação e democracia.
ÁREAS DE ATUAÇÃO

Nível de ensino: Graduação Grau acadêmico: Arquivista Turno: Diurno Área de conhecimento: Arquivologia Ato de autorização: Criado pelo Parecer CEPE nº 179, de 10.08.76. Ato de reconhecimento: Reconhecido pela Portaria Ministerial n. 076/81, publicada no DOU, de 20/01/81 e Portaria n. 250/2006/MEC, publicada no DOU, de 19/06/2006. CORPO DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE DOCUMENTAÇÃO/CCSH/UFSM.
Nome André Zanki Cordenonsi Carlos Blaya Perez Daniel Flores Denise Molon Castanho Eneida Izabel Schirmer Richter Fernanda Kieling Pedrazzi Glaucia Vieira Ramos Konrad Olga Maria Corrêa Garcia Rosanara Urbanetto Rosani Beatriz Pivetta da Silva Sônia Elisabete Constante Titulação Doutorado Doutorado Doutorado Mestrado Mestrado, Doutoranda Mestrado Doutorado Mestrado Mestrado, Doutoranda Mestrado Mestrado

PRINCIPAIS DISCIPLINAS COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO
Código
INT1000 ELC104 PSI600 DCT1024 DCT1025 DCT1026 DCT1027 DCT1028 DCT1029 DCT1030 JUR1072 DCT1031 DCT1032 DCT1033 DCT1035 DCT1036 DCG1036 DCG1012 CAD1007 CAD1019 CAD1015 LTV1030

Nome da Disciplina
INTERCÂMBIO CULTURAL FUNDAMENTOS DE INFORMATICA PSICOLOGIA DAS RELACOES HUMANAS ARQUIVOS MÉDICOS DOCUMENTAÇÃO ÁUDIO VISUAL GENEALOGIA E HERÁLDICA REDAÇÃO DE DOCUMENTOS OFICIAIS E COMERCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA A ARQUIVOLOGIA NOÇÕES DE BIBLIOTECONOMIA NORMALIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA NOTARIADO PROCESSAMENTO ESTRUTURADO DE DOCUMENTOS INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS DO ARQUIVISTA PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET ENCADERNAÇÃO DE DOCUMENTOS TÓPICOS DE COMUNICAÇÃO TÓPICOS DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS MARKETING A GERÊNCIA DE PROCESSOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS TÓPICOS DE HISTÓRIA TÓPICOS DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TÓPICOS DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS TÓPICOS DE LÍNGUA ESTRANGEIRA SEMINÁRIO DE PESQUISA TÓPICOS DE CIÊNCIAS SOCIAIS MÉTODOS COMPUTACIONAIS APLICADOS À EDUCAÇÃO BASES DA GED E SUAS LINHAS DE PESQUISA TÓPICOS AVANÇADOS EM BD'S PARA A ARQUIVÍSTICA FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TÓPICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA ARQUIVOS JUDICIAIS

Os profissionais arquivistas atuam em instituições públicas e privadas. Na área pública, podem exercer funções nas esferas governamentais Municipal, Estadual e Federal, e nos órgãos dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. Na área pública ou privada podem atuar em arquivos, centros de documentação, centros de informação, centros culturais e órgãos de gestão do patrimônio cultural, na esfera empresarial, em hospitais, em instituições financeiras, em sociedades, em estabelecimentos de ensino superior ou técnico, em cooperativas, em arquivos particulares, prestar consultorias e auditorias, entre outras. Este profissional tem sob sua responsabilidade proporcionar o acesso das informações aos diferentes usuários e para tanto sua ação implica na intervenção junto aos arquivos de modo a promover a gestão da informação arquivística. Assim, na atual conjuntura social, política, econômica, científica e tecnológica brasileira, o tratamento da informação tornou-se estratégico à gestão organizacional nas mais diferentes áreas de atuação, o que torna o campo de ação arquivístico tão diversificado quanto o do conhecimento humano. COORDENAÇÃO DO CURSO – GESTÃO 2010-2012 Coordenador: Prof. Dr. Daniel Flores. Coordenadora Substituta: Profa. Ma. Fernanda Kieling Pedrazzi. Secretária Técnica Administrativa: Mara Beatriz C. Camargo. CONTATOS Av. Roraima, nº 1000 Centro de Ciências Sociais e Humanas - CCSH, Prédio 74, Sala 2147 Bairro Camobi Santa Maria - Rio Grande do Sul Brasil CEP: 97105-900 Telefone: (55) 3220.9256 Fax: (55) 3220.9255 E-mail: cursodearquivologiadaufsm@gmail.com

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS
Código
CAD101 DCT1001 DCT1000 JUR1003 HST139 COM122 CTB1015 DCT1002 HST238 DCT1004 DCT1003 DCT1006 DCT1005 STC1001 DCT1007 DCT1009 DCT1008 DCT1010 DCT1011 DCT1013 DCT1012 DCT1019 DCT1016 DCT1015 DCT1017 DCT1020 DCT1014 DCT1018 DCT1021 DCT1022 DCT1023

DCG1045 DCG1005 DCG1013

Sem.
1º 1º 1º 1º 1º 2º 2º 2º 2º 3º 3º 3º 3º 3º 4º 4º 4º 4º 4º 5º 5º 5º 5º 5º 5º 6º 6º 6º 6º 7º 7º

CH
60 60 60 60 60 60 30 90 60 60 60 60 60 60 60 60 60 60 60 60 60 30 60 30 30 45 45 165 60 225 120

Nome da Disciplina
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO I INFORMAÇÃO E LINGUAGENS DOCUMENTÁRIAS INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ARQUIVOLOGIA DIREITO ADMINISTRATIVO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA INTRODUÇÃO À COMUNICAÇÃO NOÇÕES DE CONTABILIDADE FUNDAMENTOS DA ARQUIVÍSTICA HISTÓRIA SOCIAL DO BRASIL ARQUIVÍSTICA APLICADA AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS BANCOS DE DADOS APLICADOS À ARQUIVÍSTICA GERÊNCIA DE ARQUIVOS I ESTATÍSTICA PARA ARQUIVOLOGIA ARRANJO E DESCRIÇÃO DE DOCUMENTOS I CONSERVAÇÃO PREVENTIVA DE ARQUIVOS GERÊNCIA DE ARQUIVOS II METODOLOGIA DA PESQUISA PROCESSAMENTO DA INFORMAÇÃO DIGITAL ARRANJO E DESCRIÇÃO DE DOCUMENTOS II PALEOGRAFIA ÉTICA E LEGISLAÇÃO ARQUIVÍSTICA REPROGRAFIA RESTAURAÇÃO DE DOCUMENTOS SEMINÁRIO DE PESQUISA I DIPLOMÁTICA REFERÊNCIA E DIFUSÃO EM ARQUIVOS PROJETO DE ARQUIVO SEMINÁRIO DE PESQUISA II ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ARQUIVOLOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Pré-req
– – – – – – – DCT1000/1001 – – DCT1002 – CAD101 – DCT1003 – DCT1005 – DCT1006 DCT1007 – – – DCT1009 DCT1010 – – DCT1015/1013 DCT1017 – DCT1021

DCG1001 DCT1037 DCG1008 DCT1050 DCT1051 DCT1052 DCT1054 DCG1064 DCT1059

LABORATÓRIOS
?

? ? ? ?

Laboratório de Arranjo, descrição e memória; Laboratório de Documentos digitais; Laboratório de Fotografia; Laboratório de Reprografia e microfilmagem; Laboratório de Restauração de documentos.

CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO/UFSM
?

Especialização: Gestão em Arquivos EAD/UAB/UFSM. www.ufsm.br/ead Mestrado Profissional em Patrimônio Cultural – UFSM. www.ufsm.br/ppgppc

?