You are on page 1of 47

Ministério da Educação Departamento do Ensino Secundário

PROGRAMA

da disciplina de

PRÁTICAS DE CONSTRUÇÃO

do

CURSO TECNOLÓGICO DE CONSTRUÇÃO CIVIL E EDIFICAÇÕES 11.º Ano
Autores:
Apolinária Afonso Jerónimo Monteiro Manuel Vieira Nuno Melo Osvaldo Marques

Coordenadora:
Homologação 11/03/2004 Apolinária Afonso

ÍNDICE 3ª. Parte – Desenvolvimento do programa – 11º. Ano..............................................................................3 Temas/conteúdos: 4 – TÉCNICAS CONSTRUTIVAS II............................................................................................4 4.1 Higiene, Segurança, Saúde e Prevenção de Acidentes de Trabalho 4.2 Argamassas tradicionais e pré-confeccionadas 4.3 Alvenarias e materiais alternativos 4.4 Isolamento térmico e acústico 4.5 Rebocos, betonilhas e revestimentos cerâmicos 5 – INSTALAÇÕES TÉCNICAS..................................................................................................15 5.1 Normas de Higiene, Segurança e Saúde no sector das instalações técnicas 5.2 Abastecimento de águas 5.3 Drenagem de águas residuais 5.4 Drenagem de águas pluviais 5.5 Ensaios de aptidão e eficiência das redes 5.6 Canalizações de gás natural 5.7 Instalações eléctricas 6 – TÉCNICAS DE CARPINTARIA E MATERIAIS ALTERNATIVOS..................................26 6.1 A madeira como material de construção 6.2 Transformação da madeira 6.3 Normas de segurança, higiene e prevenção de acidentes de trabalho 6.4 Colas, pregos e parafusos 6.5 Ferragens 6.6 Nomenclatura das ferramentas e das máquinas-ferramenta 6.7 Utilização de ferramentas e de máquinas-ferramenta 6.8 Carpintaria de limpos 6.9 Materiais alternativos às carpintarias 6.10 Ensaios laboratoriais para controlo de qualidade de madeira 7 – ACABAMENTOS...................................................................................................................37 7.1 Impermeabilizações 7.2 Pinturas e envernizamentos

4ª. Parte – BIBLIOGRAFIA.....................................................................................................................43 4 – Técnicas Construtivas II..........................................................................................................44 5 – Instalações Técnicas................................................................................................................45 6 – Técnicas de Carpintaria e Materiais Alternativos....................................................................46 7 – Acabamentos............................................................................................................................47

2

3.ª PARTE – DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA – 11.º ANO

3

TEMAS/CONTEÚDOS

OBJECTIVOS (de aprendizagem)

SUGESTÕES METODOLÓGICAS

GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) Para este tema prevêse 38 aulas, incluindo avaliação formativa e sumativa.

TEMA 4:

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS II

4.1. Higiene, Segurança, Saúde e Prevenção de Acidentes de Trabalho

Considerando que se pretende com este tema promover o desenvolvimento de, entre outras, capacidades de raciocínio e de investigação, preconiza-se uma abordagem ao trabalho prático a executar, recorrendo à metodologia de trabalho de projecto.

4.1.1. Legislação regulamentar sobre Conhecer legislação sobre higiene e segurança no trabalho higiene e segurança no trabalho da construção civil. - Enuncia conceitos básicos sobre higiene e segurança no trabalho da construção em geral; -... 4.1.2. Organização dos serviços de Aplicar disposições normativas sobre higiene, segurança e prevenção e protecção nas empresas saúde tendo por meta a prevenção de acidentes de trabalho. - Enumera disposições e procedimentos relativos à segurança e saúde, visando a prevenção do acidente; -... 4.1.3. Planos de segurança e saúde Analisar o conteúdo de um plano de segurança e saúde de uma obra. - Identifica e descreve as etapas constituintes do manual de segurança e saúde de uma obra; -...

Para este sub-tema, prevê-se 4 aulas, incluindo a elaboração Propõe-se a apresentação sumária dos de relatórios e visita domínios fundamentais da legislação técnica. regulamentar sobre higiene, segurança e saúde no trabalho da construção. Devem ser abordados ainda procedimentos básicos a serem cumpridos no âmbito do trabalho na construção, visando a prevenção dos acidentes. Sugere-se a análise do conteúdo de um plano de segurança e saúde, tendo por objectivo a sensibilização para a sua função no contexto da obra, assim como, a visualização de vídeos sobre primeiros socorros e apresentação do equipamento e utensílios elementares de uma caixa de primeiros socorros. Atendendo à especificidade deste módulo no contexto do Programa, sugere-se que a sua leccionação assente na legislação regulamentar

4

1.Calcula de forma expedita massas volúmicas de argamassas. .Enumera diferentes tipos de argamassas pré-confeccionadas. . Argamassas tradicionais e pré. Primeiros Socorros Conhecer técnicas elementares de Primeiros Socorros. etc. . . posterior. na norma NP-ENV 206 relativos às exigências de durabilidade. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica. massa .Relaciona diferentes composições de argamassas. Recomenda-se como espaço escolar para apresentação destas matérias um anfiteatro ou laboratório. bem como com planos de segurança e saúde que se encontram no mercado com fins pedagógico 4.Realiza ensaios de retracção de argamassas tradicionais e pré. adequados (permeabilidade.Fabrica diferentes tipos de argamassas tradicionais.Realiza ensaios de permeabilidade de argamassas tradicionais descrição dos respectivos métodos de verificação. protecção e auxílio aos acidentes de trabalho. e pré-confeccionadas.Confecciona diferentes tipos de argamassas pré-fabricadas. confeccionadas de parâmetros que estão estabelecidos .Identifica causas do acidente.propriedades físicas fundamentais das argamassas no estado fresco e a confeccionadas. através de ensaios . . complementando-a com as normas e procedimentos específicos entretanto publicados para cada actividade. Sugere-se a enumeração do conjunto tradicionais e pré-confeccionadas.). . -.Selecciona formas de actuação.. 5 . . volúmica.4. confirmando à posteriori. A apresentação deste tema poderá ser complementada e enriquecida com a divulgação de manuais de primeiros socorros e de prevenção de acidentes de trabalho. Propõe-se que o professor sumarie as .Enumera matérias-primas constituintes das argamassas procedendo à sua comprovação física tradicionais e pré-confeccionadas. 4.. prevê-se 6 aulas.2. Para este sub-tema.Aplicar conhecimentos na preparação de argamassas didácticos. .TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) em vigor.Identifica o equipamento indispensável à prática de primeiros Socorros.Enumera diferentes tipos de argamassas tradicionais. onde possam estar expostos diferentes meios e equipamentos de prevenção.

da forma e princípios que devem obedecer à verificação dos ensaios de conformidade (massa volúmica. -. as suas propriedades e processos de verificação. ..Reúne informação no âmbito do tema/visita. partindo para a execução desta operação com o necessário suporte de composições previamente estabelecido ou estudado em peso.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) . Os trabalhos a desenvolver no domínio deste tema deverão ocupar. com os observados “in situ”. quantidade de ar na argamassa fresca) e de preparação de provetes para posteriores ensaios (compressão. Sugere-se a apresentação e exemplificação dos princípios que devem ser observados nos processos de fabrico manual e mecânico das argamassas e a sua consequente aplicação em obra. flexão e início de presa).. .Elabora um relatório síntese. uma oficina/estaleiro para preparação e confecção em prática simulada dos materiais e do laboratório para concretização e verificação dos ensaios necessários à caracterização destes materiais.Identifica factos aprendidos. com a transcrição dos factos observados. 6 . após fabrico. em períodos previamente definidos e calendarizados. após fabrico. Propõe-se a demonstração e consequente execução. procedendo aos exemplos de cálculo necessários para a sua conversão em volume.

TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) Deverão estar disponíveis no espaço oficinal os equipamentos manuais e mecânicos necessários ao fabrico destes materiais. Deverão ainda estar disponíveis para consulta o RBLH (Regulamento de Betões e Ligantes Hidráulicos). sejam elaboradas fichas-síntese com 7 . exemplificando os seus métodos e processos de fabrico. quer tradicionais quer pré-confeccionadas. bem como os equipamentos de laboratório necessários à verificação de conformidade durante o seu fabrico e a recolha de provetes para posterior ensaio. Os alunos deverão usar fato de trabalho. a NPENV 206 e documentos de homologação de argamassas préconfeccionadas. Saúde e Segurança no trabalho. Tanto o espaço oficinal como o laboratório deverão dispor dos materiais e equipamentos necessários para aplicação das Normas de Higiene. Sugere-se apresentação de uma breve exposição sobre tipos e constituição das diferentes argamassas. Nota: Sugere-se que para todas as actividades/ensaios laboratoriais.

Interpreta projectos (escalas 1/100 e 1/50).. . complementando esta . -. Vidro. . alternativos (Pladur. complementadas com grelhas para registo e análise de dados...Descreve materiais alternativos. das Conhecer a função construtiva das alvenarias nas Sugere-se uma breve exposição sobre 1 aula a função e tipos de alvenaria construções. os quais constituem formas de recolha de elementos de avaliação.Interpreta caderno de encargos. alvenarias.Identifica materiais alternativos. etc. Técnicas ou Documentos de .). alvenarias alvenaria resistente.Descreve tipos de alvenaria.. Tipos de alvenarias e materiais Conhecer diferentes tipos de alvenaria.3. bem como outros materiais -.1. -.4.3. execução 4..3 Alvenarias alternativos e materiais Para este sub-tema. .3. informação com Especificações . Homologação dos produtos.3. utilizados na construção tradicional.Identifica tipos de alvenaria. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica. . Classificação estrutural das Compreender a diferença entre alvenaria de enchimento e físicos e meios documentais e audiovisuais. prevê-se 10 aulas.Distingue alvenaria resistente e alvenaria de enchimento.3. Função alvenarias construtiva 8 . Sugere-se a apresentação das características físicas e formatos comerciais dos diferentes tipos de 1 aula 4. Sugere-se a demonstração de técnicas e processos de execução de alvenaria 4.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) o seu desenvolvimento.2.Define alvenaria..Descreve técnicas e processos de execução dos diferentes e outros materiais. materiais para a execução de alternativos . . recorrendo ao apoio de modelos 4. Técnicas e processos de Compreender técnicas e processos de execução. 4.

mecânicas das alvenarias alvenarias..3. .6.5.3.. Propõe-se que os professores 1 aula demonstrem os processos e técnicas de demolição pelos grupos de trabalho..Aplica regras e métodos de medição em alvenarias. .TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) Propõe-se ainda a consulta e interpretação de folhetos técnicos dos fabricantes dos diferentes tipos de alvenaria e materiais alternativos 4..7. Propriedades físicas e Identificar características físicas e mecânicas das (características físicas. concretas. regras de higiene e segurança durante -Selecciona normas de higiene e segurança em situações a execução do trabalho. mecânicas e técnicas de aplicação). 4. -.3.Monta painéis de materiais alternativos.Relaciona características físicas e mecânicas das alvenarias. alvenaria. lineares e duplas em grupos de 2 alunos. . sem esquecer a aplicação de 4. .3. Regras alvenarias de medição em Aplicar regras de medição. prevendo-se a reutilização dos materiais utilizados.. . possibilitando a observação .Executa alvenaria dupla. .Utiliza ferramentas e equipamentos adequados à execução dos diferentes tipos de alvenaria. -.Aplica técnicas e processos de demolição.9. -.. Normas de higiene e segurança Aplicar normas de higiene e segurança. e duplas das técnicas utilizadas.. -. Execução de alvenarias simples Executar alvenarias cerâmicas simples e duplas. 9 .8. 4.. Sugere-se ainda a medição materiais e de mão-de-obra trabalho realizado...Executa alvenaria simples... Considera-se importante a realização -. de 1 aula no tipos de alvenaria.3. Abordagem a métodos de demolição técnicas e Conhecer métodos e processos de demolição. de uma visita de estudo a uma obra em fase de levantamento de 6 aulas 4. Sugere-se a execução de alvenarias -.

deverão dispor dos materiais e equipamentos necessários à normal aplicação das Normas de Higiene. Saúde e Segurança no Trabalho. Quer o espaço oficinal/estaleiro.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) Os trabalhos a desenvolver no domínio deste tema ocuparão. em períodos previamente definidos e calendarizados. assim como o laboratório deverá possuir os equipamentos e meios básicos necessários ao trabalho de avaliação e caracterização dos materiais empregues. quer o laboratório. Recomenda-se como bibliografia auxiliar de apoio à execução do ensaio de prática oficinal em referência a publicação do LNEC – 10 . O espaço oficinal deverá estar apetrechado com os equipamentos manuais e mecânicos necessários ao normal desenvolvimento do trabalho. uma oficina/estaleiro para execução da Prática Simulada das diferentes etapas do ensaio e do laboratório como meio complementar de caracterização e avaliação das propriedades de alguns dos materiais e matérias-primas empregues.

ilustrando com painéis didácticos diferentes materiais com função de isolamento. Recomenda-se que estejam disponíveis. Função construtiva dos Compreender a função do isolamento térmico e acústico. prevê-se 4 aulas.Descreve a função do isolamento térmico. isolamentos térmicos e acústicos.. Propõe-se a realização de uma breve 2 aulas exposição sobre a função dos isolamentos térmico e acústico. para consulta. 11 .4.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) Construção Anti .1..Sumaria a utilidade e função do isolamento térmico.Descreve a função do isolamento acústico. Fichas Técnicas de Produtos e Catálogos com técnicas de aplicação de cada um dos diferentes tipos de isolamento. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica. no espaço oficinal. 4. . isolamentos térmicos e acústicos .. -. 4.Interpreta desenhos de pormenor sobre execução de técnica dos processos de aplicação destes materiais de isolamento.. . 4. complementando-os com fichas técnicas do produto e respectivos documentos de homologação.4. neste domínio.4. Sugere-se ainda uma demonstração .sísmica de Edifícios de Pequeno Porte em Alvenaria Confinada com Betão. construção .2. Isolamento térmico e acústico Para este sub-tema.Interpreta Caderno de Encargos. Função dos isolamentos na Compreender as funções dos isolamentos. -.

12 .Distingue as características físicas básicas dos materiais de isolamento térmico e de isolamento acústico.5. deste tema estarão inter-relacionados -. Propõe-se a aplicação de isolamentos térmico e acústico. prevê-se 14 aulas. . 4.. com o desenvolvimento do módulo de alvenaria.. Rebocos. aplicando regras de higiene e segurança a cumprir na sua execução.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) 4.Aplica regras e métodos de medição em trabalhos de Os trabalhos a desenvolver no âmbito isolamento. Regras isolamentos de medição em Aplicar regras de medição.4. .4.5. betonilhas revestimentos cerâmicos e O espaço físico para a caracterização e realização destes trabalhos é o referido para o módulo de alvenaria.Descreve a função dos rebocos.4. .1. Para este sub-tema.. integrada na execução da alvenaria dupla. Deverá articular-se a visita de estudo 1 aula prevista no ponto 4.5. Aptidão térmica e acústica dos Compreender as características e aptidões dos materiais materiais de isolamento para isolamento térmico e acústico. .. .3.Aplica isolamentos térmicos. 1 aula 4..Selecciona materiais e ferramentas utilizado na sua execução.Aplica isolamentos acústicos. -. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica.4.4 Técnicas e processos execução de isolamentos de Aplicar isolamentos térmicos e acústicos. Sugere-se a realização de uma 2 aulas exposição sumária sobre as 4.. -. Funções construção dos rebocos na Conhecer a função dos rebocos.3. devendo a sua execução ser integrada nas fases da prática oficinal compatíveis com a sua normal aplicação em obra. . 4. com simultaneidade da aplicação de isolamento térmico em paredes duplas Sugere-se a medição de materiais e de mão-de-obra no trabalho realizado.

..5.7.. 4.Prepara e executa rebocos hidráulicos. Técnicas execução e processos de Aplicar betonilhas em regularização de pavimentos.Interpreta Cadernos de Encargos. processos de Aplicar diferentes tipos de rebocos sobre paramentos de alvenaria. .Enumera as técnicas e processos inerentes à sua fabrico de betonilhas preparação/fabrico. .... -. -. Requisitos a observar no Conhecer técnicas e requisitos do fabrico de betonilhas. .5.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) -.3. 13 .. finalidades e funções dos rebocos na construção. com apoio de modelos físicos reais e fichas técnicas revestimento. Técnicas aplicação e 2 aulas Sugere-se que se faça a descrição das técnicas e processos de preparação e aplicação dos diferentes tipos de rebocos exemplificando a sua aplicação. .Identifica diferentes tipos de rebocos pré–confeccionados.. e outros de Conhecer os diferentes tipos de materiais cerâmicos de materiais alternativos.5..5.4. aéreos e préconfeccionados sobre superfícies de alvenaria. aéreos e pré – confeccionados. Tipos de rebocos Compreender a diferença entre rebocos hidráulicos. Propõe-se a realização de preparação e aplicação de betonilhas no modelo de alvenaria executado.6.2. . .Prepara e executa betonilhas de regularização de pavimentos. . -. 4. 4. -. 4. 4 aulas 4. construção -..5.5.Descreve a função das betonilhas. Materiais cerâmicos revestimento de superfície Sugere-se que o professor faça a apresentação de diferentes materiais cerâmicos de revestimento. referindo os tipos de utilização comum e a sua respectiva constituição física. .Enumera diferentes tipos de materiais cerâmicos de físicas e mecânicas..Diferencia a constituição dos rebocos hidráulicos e aéreos. 4.5. Funções das betonilhas na Conhecer a função das betonilhas. referenciando as suas principais características revestimento..

materiais cerâmicos de revestimento. Os trabalhos a desenvolver no de aplicação de materiais cerâmicos. Considera-se necessário.8..9. para a sua execução. à ... Sugere-se aplicação de revestimentos -.Selecciona ferramentas e equipamentos adequados a cada tipo e segurança na sua execução. Sugere-se ainda a demonstração dos Compreender as características físicas e mecânicas dos processos de aplicação de diferentes materiais cerâmicos de revestimento. em lambris e pavimentos. alvenarias. relacionados.5. deverão estar inter.Aplica revestimentos cerâmicos. que o espaço oficinal esteja apetrechado com os equipamentos. cumprindo os procedimentos e regras de higiene 4 aulas Aplicar materiais cerâmicos em lambris e pavimentos. produtos cerâmicos de revestimento. quer manuais quer mecânicos. . para além de todos os meios manuais e mecânicos necessários à realização dos trabalhos anteriores como os equipamentos complementares -. traduzem em operações complementares.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) 4. domínio deste sub-tema.Compara as características físicas e mecânicas dos vários incluindo preparação de superfície de suporte. necessários à boa execução dos trabalhos. atendendo a que se -. Técnicas e processos de aplicação de diferentes materiais cerâmicos de produtos. 14 . Os trabalhos deverão ser realizados em oficina/estaleiro.. onde é de salientar nomeadamente máquinas de corte de materiais cerâmicos.. . Propriedades físicas e mecânicas básicas dos produtos cerâmicos de revestimento 4.5.Prepara superfícies para aplicação de diferentes tipos de semelhança dos isolamentos e revestimento. de acordo com uma sequência cronológica devidamente calendarizada..

Saúde e Segurança no trabalho. cerâmicos A título informativo e de apoio à -. Sugere-se a medição de materiais e 2 aulas 4. preconiza-se uma abordagem ao trabalho prático a executar. execução. TEMA 5: INSTALAÇÕES TÉCNICAS Considerando que se pretende com este tema promover o desenvolvimento de. incluindo a avaliação formativa e sumativa.10. capacidades de raciocínio e de investigação. betonilhas e revestimentos . rebocos. prevêse 27 aulas. betonilhas e de mão-de-obra no trabalho realizado.. Como nas unidades didácticas anteriores. incluindo a elaboração de relatórios e visita 15 . elaboração de relatórios e visita técnica. Segurança e Saúde no Trabalho no sector das instalações técnicas Para este tema. a oficina/estaleiro deverá dispor dos meios e equipamentos de protecção necessários à correcta aplicação das Normas de Higiene. recorrendo à metodologia de trabalho de projecto.Aplica regras e métodos de medição em rebocos. Para este sub-tema..5. prevê-se 1 aula.1. 5. deverão estar disponíveis no espaço oficinal fichas de produto e prontuários com técnicas de aplicação de diferentes revestimentos cerâmicos. Regras de medição em Aplicar regras de medição. revestimentos cerâmicos.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) indispensáveis à execução deste tipo de revestimentos. entre outras. Normas de Higiene.

Plano de segurança a aplicar na Compreender a importância do plano de segurança na Recursos: Os trabalhos a desenvolver neste sub-tema ocupam. 5. higiene e saúde no trabalho a realizar. 5.1. específica sobre instalações técnicas .Utiliza vestuário e equipamentos de protecção individual adequados às tarefas a desempenhar.. . filmes de vídeo. . soterramento.Protecção colectiva e individual. .Identifica os diversos equipamentos de protecção individual. Abastecimento de águas prevê-se 8 aulas. 5. em períodos montagem de instalações técnicas montagem de instalações técnicas.Avalia a necessidade da vigilância da saúde no trabalho.3. de segurança e de vigilância da saúde. Sugere-se a realização de uma breve exposição sobre a legislação em vigor de Segurança. Propõe-se a apresentação de legislação sobre a vigilância sanitária dos trabalhadores. N. . nomeadamente: . etc. -..Enumera os equipamentos de protecção colectiva e colectiva e individual individual.1.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) técnica. Legislação regulamentar e Aplicar normas regulamentares e específicas.Decreto-lei. anexa.Riscos de queda em altura. electrocussão. vídeo.º 155/95.. Para este sub-tema. televisor. Higiene e Saúde no Trabalho. regulamentação de segurança.. uma sala teórica trabalho.Acidentes de trabalho.Apresentação de um plano de segurança de diferentes fases de uma obra. etc. incluindo a elaboração de relatórios e visita 16 .Conhece planos de segurança e prevenção de acidentes no previamente calendarizados.1.2.1.Conhece as partes do corpo humano a proteger com equipamentos de protecção individual. Equipamentos de protecção Conhecer equipamentos de protecção colectiva e individual. 1 aula 5.. . -.Conhece regras de segurança. .2. . com biblioteca de grupo com . definidos e .. planos -. ..

Sistemas públicos e prediais Interpretar projectos de distribuição pública e de sua constituição e simbologias aplicadas em projectos de de distribuição e abastecimento de abastecimento predial de água. sistemas de distribuição e -.Refere disposições regulamentares aplicáveis aos sistemas de O professor deverá realizar uma breve exposição sobre os diferentes distribuição de água..2. Técnicas.Referir os aspectos importantes da regulamentação e normas técnicas (habitabilidade e conforto na habitação)..Identifica diferentes tipos de sistemas de distribuição e deste tema. complexidade do projecto das diversas especialidades.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) técnica.1/5).2.2. no domínio das especialidade.4. sistemas/redes de distribuição e distribuição e abastecimento e respectivas simbologias e memórias descritivas.Lê e interpreta projectos de especialidade. diferentes redes de Instalações -.2.. projecto na execução da obra.1/10. 5.Ler e interpretar as diversas peças escritas e desenhadas.Demonstrar a importância do distribuição e abastecimento.2..Resume a constituição básica de cada sistema/rede de O aluno deverá ser sensibilizado para: . . 5.Explorar a simplicidade ou -. Constituição básica dos Conhecer a constituição básica dos sistemas/redes de diversas escalas (1/50. . o professor deverá adquirir um projecto de execução das abastecimento.. realçando a 5. .1/20. abastecimento e distribuição de água . água redes públicas e prediais de distribuição e abastecimento.. Disposições regulamentares Conhecer disposições regulamentares aplicáveis aos aplicáveis aos sistemas de sistemas de distribuição de água. com peças desenhadas em 5.1. abastecimento de águas regulamentares. . Tipos de sistemas distribuição/abastecimento 17 . 1 aula de Conhecer diferentes sistemas /redes de distribuição e Para a consecução dos objectivos abastecimento.3.Identifica as simbologias utilizadas em cada sistema. . . abastecimento de água. .

Aplica materiais e equipamentos seleccionados na execução esquematizações em planta e isometria. .. distribuição e abastecimento. disposições regulamentares básicas 4 aulas Executar em prática oficinal simulada.. Hidronyl) e respectivos acessórios distribuição e abastecimento. Sugere-se a apresentação das -. Execução em prática simulada. água. aplicação de procedimentos de regras -. -. de higiene e segurança adequadas.. Multicapa. -Identifica as partes constituintes de cada sistema/rede de (vantagens e inconvenientes). pequenos ramais de aplicáveis a cada sistema.7. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica. aço cobre. .Interpreta cadernos de encargos. PEX. .6.Selecciona materiais. de redes prediais de abastecimento. de mão-de-obra no trabalho realizado. equipamentos e ferramentas adequadas Propõe-se a demonstração do trabalho a realizar de acordo com as à execução da operação. 2 aulas Propõe-se a realização de uma visita de estudo a uma obra em fase de execução da rede de abastecimento de Para este sub-tema.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) 5. e e 5. Drenagem de águas residuais Deverá realizar ainda uma breve apresentação dos diversos tipos de tubagem (Inox. em escala adequada.5. 1 aula Aplicar regras de medição.. Regras de medição em redes de distribuição e abastecimento de água 5. Constituição das redes sistemas de distribuição abastecimento. redes de abastecimento predial. Conhecer as partes constituintes dos sistemas/redes de galvanizado. 5. prevê-se 6 aulas.3.2..Aplica regras e métodos de medição em redes de distribuição Propõe-se ainda a execução de modelo de acordo com desenhos de e abastecimento de água. com de ramais.2.. ..2. pormenor e a medição de materiais e -.. Polietileno. 18 .

.. -.Diferencia rede de drenagem de águas pluviais predial e rede de drenagem de esgotos. .3. Constituição das redes públicas Conhecer as partes constituintes das redes públicas e aplicação de procedimentos de regras 19 .Distingue as tubagens e os acessórios dos diferentes sistemas de drenagem.. isometria.. . . . com 5. . esquematizações em planta e -.Identifica as simbologias utilizadas em cada sistema. básicas Sugere-se a constituição de uma pasta com as disposições regulamentares básicas aplicáveis a cada sistema de drenagem e ainda a elaboração de 5.Interpreta cadernos de encargos.Interpreta disposições regulamentares. em escala adequada. . drenagem de águas residuais águas residuais. GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) 1 aula Sugere-se a realização de uma breve exposição sobre os diferentes sistemas de drenagem de águas residuais.3.3.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS 5. -. .1. Sistemas públicos e prediais de Interpretar projectos de redes públicas de drenagem de painéis expositores com os acessórios de cada sistema. -. 5..Descreve diferentes tipos de sistemas de drenagem de águas. 5.3.Interpreta cadernos de encargos.Lê e interpreta projectos de especialidade. realçando a sua constituição e simbologias aplicadas em projectos de especialidade. . a realizar de acordo com as .4.. Disposições aplicáveis regulamentares Compreender as disposições regulamentares inerentes a cada sistema de drenagem..Refere as diferenças entre sistemas públicos e prediais de drenagem de águas residuais.2.3.3.5. Tipos drenagem de sistemas de Conhecer diferentes sistemas de drenagem de águas...Resume a constituição básica das redes de drenagem residual doméstica e pluvial. no domínio das Sugere-se a demonstração do trabalho redes públicas e prediais de drenagem de águas residuais. Constituição básica dos Conhecer a constituição básica das redes prediais de sistemas e redes de drenagem de drenagem de águas residuais e respectivas simbologias águas residuais regulamentares.

. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica.6. 5. Constituição das redes de Conhecer as partes constituintes das redes de drenagem de drenagem de águas pluviais águas pluviais. prevê-se 2 aulas. Execução em prática simulada. . 5. pequenos ramais de de redes prediais de drenagem redes de drenagem de águas residuais.. .3.Selecciona materiais.Aplica materiais e equipamentos seleccionados na execução de ramais. -.. .Aplica regras e métodos de medição em redes prediais de prediais de drenagem drenagem. prediais de drenagem de águas residuais. .. Executar em prática oficinal simulada.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) e prediais de drenagem de higiene e segurança adequados.4.. .1.Identifica as partes constituintes de cada sistema/rede de águas pluviais. assim como a medição de materiais e de mão-de-obra no trabalho realizado. -. realçando a sua constituição 20 . Regras de medição em redes Aplicar regras de medição. . Sugere-se que se inicie por uma breve exposição sobre os diferentes sistemas de drenagem de águas pluviais.Identifica os diferentes acessórios pelo seu calibre (diâmetro).Selecciona os acessórios necessários à execução de um pequeno ramal. 4 aulas Propõe-se a execução de modelo de acordo com desenhos de pormenor. . 5.Interpreta cadernos de encargos. equipamentos e ferramentas adequadas à execução da operação. 5.4 Drenagem de águas pluviais 1 aula Para este sub-tema... .Identifica as partes constituintes de cada sistema/rede de distribuição e abastecimento. .7.3.

-. o Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e Drenagem de Águas Residuais.2.5. A oficina deverá dispor neste -.. prevê-se 4 aulas.4....5. 5. Ensaios de aptidão e eficiência das redes Para este sub-tema. Saúde e Segurança no Trabalho.1. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica. Disposições aplicáveis e simbologias aplicadas em projectos de especialidade. regulamentares Compreender disposições regulamentares básicas inerentes a cada sistema de drenagem.Interpreta disposições regulamentares. no espaço oficinal. .Enumera disposições regulamentares e normas aplicáveis.2. Deverão estar disponíveis para consulta.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) -. 5.5. normas normativas aplicáveis procedimentos aplicáveis a realização dos ensaios.. . e 4 aulas 5.Exigências funcionais das redes Conhecer as exigências funcionais relativas a cada utilização dos materiais e técnicas 21 . Disposições regulamentares e Compreender disposições regulamentares. O espaço oficinal deverá ter disponível para a realização destes ensaios os necessários equipamentos manuais e mecânicos adequados à 5.. domínio dos meios e equipamentos de protecção necessários aos cumprimentos das Normas de Higiene. Tabelas e Manuais de Aplicação dos diferentes produtos utilizados nestas instalações técnicas. bem como Documentos de Homologação.

realização de ensaios de estanquidade . Técnicas e processos de Aplicar técnicas e processos a cada tipo de rede. constituindo assim a sua complementaridade. para este efeito.3. .TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) sistema/rede. Deverá iniciar-se este estudo pela observação de normas e procedimentos aplicáveis à realização dos ensaios de estanquidade e eficiência. . -. mais inovadoras que estão hoje em dia implantadas na indústria da construção na execução destas instalações. onde foram executados os ensaios de simulação das redes. . o 22 . Propõe-se a execução de técnicas e processos de ensaios aos modelos executados... Propõe-se que o professor sumarie as exigências funcionais relativas à operacionalidade de cada sistema.5.Aplicar ensaios de carga e aptidão funcional aos diferentes tipos de redes. -. A realização dos mesmos deverá ser efectuada na oficina/estaleiro.Utiliza técnicas e processos de ensaio adequados à verificação da aptidão regulamentar da rede.. Os trabalhos a desenvolver no domínio deste sub-tema/unidade didáctica. 5. estão inter-relacionados com as redes prediais de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais e pluviais..Refere as exigências funcionais relativas a cada sistema/rede. de acordo com as disposições regulamentares em vigor.Enumera as técnicas e processos de realização de ensaios de estanquidade. Deverá.

-. nas Conhecer os materiais utilizados nas canalizações. 2 aulas. 5.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) espaço oficinal estar apetrechado com bombas de pressão com manómetro para os ensaios de estanquidade das águas residuais domésticas.6. Canalizações de gás natural Para este sub-tema. . .Interpreta legislação aplicável à instalação das redes de distribuição de gás natural. prevê-se 2 aulas. Sugere-se que se faça a apresentação da legislação técnica e específica sobre a instalação de redes de distribuição de gás natural.2. Materiais utilizados canalizações Recomenda-se a realização de uma breve exposição sobre as vantagens e inconvenientes da utilização da 23 . .Descreve vantagens e inconvenientes da utilização da energia gás..6. de acordo com a regulamentação em vigor. Deverá estar disponível no espaço oficinal para consulta e verificação da conformidade da aptidão das redes em estudo o regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e de Drenagem de Águas Residuais. Compreender a regulamentação técnica e específica sobre canalizações de gás natural.1. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica.Identifica os materiais utilizados nas canalizações. 5.6. nomeadamente na parte respeitante aos artigos 110º. . Disposições regulamentares 5.Dá exemplos de gases combustíveis. 111º. 268º e 269º..

. energia do gás..7.Cita os diferentes tipos de tubagens e acessórios. prevê-se 4 aulas.3.. projectos de redes de gases .. Leitura e interpretação de Compreender projectos de redes de gases combustíveis. equipamentos e ferramentas de canalizações. 1 aula Sugere-se a realização de breve exposição sobre os diferentes sistemas de distribuição de energia eléctrica. acessórios.loteamentos e redes internas . Instalações eléctricas Para este sub-tema. Sugere-se a apresentação de projectos de redes de distribuição (redes externas . incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica. Recursos: Os trabalhos a desenvolver neste tema ocupam. 5. uma sala específica equipada com materiais.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) .Refere a nomenclatura atribuída à aparelhagem eléctrica.habitações). Tipos de sistemas distribuição de energia eléctrica 24 .Descreve os diferentes tipos de sistemas de distribuição. ..7. -.Identifica a simbologia dos materiais e equipamentos. . . 5.1.. Propõe-se a apresentação de catálogos e amostras de tubagem homologada para redes de gases combustíveis e a descrição sumária dos ensaios de estanquidade das canalizações.. -.6..Interpreta cadernos de encargos. 5.Interpreta peças escritas e desenhadas. de Conhecer os diferentes tipos de sistemas de distribuição. em períodos previamente definidos e calendarizados. combustíveis -. .Descreve técnicas de controlo de estanquidade das canalizações.

Disposições aplicáveis regulamentares Compreender disposições regulamentares relativas à energia eléctrica. distribuição/circuitos eléctricos. 5.Selecciona materiais. Concepção/constituição básica Compreender a constituição básica das redes prediais de das redes de distribuição de energia energia eléctrica e respectivas simbologias regulamentares...Aplica regras e métodos de medição em redes de Propõe-se a medição de materiais e distribuição de energia eléctrica.5.Interpreta projectos da especialidade de redes prediais de eléctrica distribuição de energia eléctrica.Utiliza materiais e equipamentos na execução de pequenos trabalhos de circuitos eléctricos.7. . . O professor deverá realçar a constituição básica das redes prediais.4. -. de mão-de-obra no trabalho realizado. Recomenda-se a observação das disposições regulamentares na execução dos circuitos eléctricos. equipamentos e ferramentas adequadas distribuição de energia eléctrica à execução de cada circuito. ..Interpreta cadernos de encargos.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) 5. 5.. Deverá o espaço oficinal ter 25 . -. uma sala de desenho para consulta e análise de projectos de redes prediais de abastecimento de energia eléctrica e uma oficina/estaleiro para execução de prática oficinal simulada dos modelos de ensaio previamente concebidos... com base em projectos de especialidade. . a realizar de acordo com a representação esquemática. Execução de redes prediais de Executar diferentes circuitos de uma rede predial. -..Interpreta disposições regulamentares aplicadas às redes prediais de distribuição de energia eléctrica. Regras de medição em redes de Aplicar regras de medição. realçando as simbologias regulamentares aplicáveis.7. . 3 aulas Os trabalhos a desenvolver no domínio deste tema ocuparão.7. em períodos previamente definidos e calendarizados. 5. .2.7. -..3.

o Regulamento de Segurança de Instalações Eléctricas de Edifícios e Entradas. Saúde e Segurança no Trabalho. Para este tema. prevêse 39 aulas. A oficina deverá dispor neste domínio dos meios e equipamentos de protecção necessários aos cumprimentos das Normas de Higiene.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) disponível para a realização destes ensaios os necessários equipamentos manuais e mecânicos adequados à utilização dos materiais e técnicas mais inovadoras que estão hoje em dia implantadas na indústria da construção na execução destas instalações eléctricas. incluindo a avaliação formativa e sumativa. entre outras. Deverão estar disponíveis para consulta. bem como Documentos de Homologação. Tabelas e Manuais de Aplicação dos diferentes produtos utilizados nestas instalações técnicas. TEMA 6: TÉCNICAS DE CARPINTARIA E MATERIAIS ALTERNATIVOS Considerando pretender-se com este tema promover o desenvolvimento. preconiza-se uma abordagem ao trabalho prático a executar. elaboração de relatórios e visita técnica. das capacidades de raciocínio e de investigação. 26 . no espaço oficinal.

Defeitos da madeira .Refere as espécies nacionais e estrangeiras mais utilizadas na individual sucinto sobre os aspectos TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS 27 .2. utilizar na preparação e dinamização da aula. -. apresentação de um relatório estrangeiras .Identifica as espécies sob o ponto de vista do seu emprego. -.Enuncia as propriedades físicas e mecânicas da madeira. Estas visitas serão de extrema importância e deverão ser avaliadas com a 6. A madeira como material de de projecto. um carácter teórico-prático na Conhecer características da madeira.Distingue propriedades da madeira. Deverá ser programada e planificada . . utilizado na construção civil e na .1. Composição e estrutura . Tipos de madeiras nacionais e Conhecer as espécies nacionais e estrangeiras mais utilizadas na construção civil e na indústria do mobiliário. 6..GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) recorrendo à metodologia do trabalho Para este sub-tema.. Alumínio e PVC.. deve ser tida em conta a sua planificação. construção incluindo a elaboração A leccionação deste tema deverá ter de relatório. como material nobre . 6.Descreve a madeira como material de construção. 6. pelos alunos na catalogação e 6. Como referencial de metodologia a -.Identifica as camadas estruturais de uma secção transversal de indústria do mobiliário. Propriedades físicas e Conhecer as propriedades físicas e mecânicas da madeira. Classificação e categorias . É de realçar o trabalho de projecto a desenvolver Conhecer os principais defeitos da madeira.1.Descreve os vários defeitos da madeira como material de construção. Conhecer a classificação das madeiras.. prevê-se 2 aulas. visita técnica a oficina de carpintaria. Dever-se-á recorrer a livros técnicos. catálogos / especificações técnicas e mostruário. vídeos.5. . Alumínio e Ferro..1. tais como: -.3. mecânicas da madeira .1. PVC.. abordagem das características da 6.Identifica os principais defeitos.. serralharia. bem como um tronco de árvore. etc.1. revistas. organização de painéis didácticos.4.1..1. madeira.Enumera as várias classes de madeiras. dos materiais alternativos.Descreve a estrutura e composição da madeira.

prevê-se 2 aulas.2. incluindo a elaboração de relatórios e visita técnica.. de acidentes de trabalho.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) construção civil e na indústria do mobiliário.Distingue espécies nacionais de espécies exóticas.2.Enumera as aplicações em carpintaria e na indústria do a observar na segurança e prevenção mobiliário. para se evitar distracções e acidentes.1. 6.Identifica as vantagens da sua utilização. 6.Descreve processos e técnicas de fabrico de derivados.Justifica a múltipla aplicação de madeira em ambas as indústrias. deverá aproveitar-se essa madeira em carpintaria e na indústria madeira. higiene e Conhecer as normas de segurança e prevenção de acidentes Para este sub-tema. 6. -. se concentrações de alunos próximo das máquinas em funcionamento. Aplicação na construção civil e Conhecer a aplicação da madeira na construção civil e na indústria do mobiliário. na indústria do mobiliário . observados.Cita as suas principais características.3.1. -.2. . 28 . Normas de segurança. Transformação da madeira 6. . Aplicação de derivados da Compreender as vantagens da aplicação de derivados da Sempre que ocorram inadvertências... . Para este sub-tema. risco de decepamentos.Descreve a madeira como material nobre a empregar na construção civil e na indústria do mobiliário. .Identifica os diversos tipos de derivados.. .. deverá evitarmadeira. Derivados da madeira Conhecer processos e técnicas de transformação da Durante as operações. -...Selecciona produtos a aplicar em diversas situações. .2.. oportunidade para referir os cuidados do mobiliário .6. etc. 6. . -.

Utiliza processos manuais e mecânicos de pregar e de didácticos.4. Cuidados a ter nas colagens .Relaciona com as respectivas aplicações. Processos manuais e mecânicos Aplicar processos manuais e mecânicos de pregar e aparafusar.. mostruário e organização de painéis .Selecciona colas. deverá ser abordado de uma forma -. -. Colas. Técnicas de aplicação 29 . O estudo dos pregos e parafusos .4. -. de pregos e de parafusos.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS prevenção de acidentes de trabalho com ferramentas manuais e máquinas – ferramenta. prevê-se 1 aula.4.4. Tipos e características. para em laboratório analisar .Observa as instruções de manuseamento de ferramentas manuais e máquinas-ferramenta. 6.1.Descreve técnicas de aplicação. .Identifica os riscos de acidente em cada operação a realizar. os diversos tipos de e marcenaria... .4.. características e comportamentos. colas. .Enumera os cuidados a ter na preparação das superfícies. incluindo a elaboração de relatório. 6. 6. Sugere-se também a catalogação de de pregar e aparafusar . .3.Identifica defeitos nas superfícies a colar..Cita tipos de colas. GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) prevê-se 1 aula. relativamente às finalidades e funções. especialmente de aderência e resistência à humidade.. .4. os quais servirão . pregos e parafusos 6. utilizados nos trabalhos de carpintaria . -. Compreender a importância do seu emprego. de colas..2.Refere características dos materiais de ligação. pregos e parafusos mais técnica. 6. Para este sub-tema. incluindo a elaboração Conhecer tipos de colas. pregos e parafusos em função do tipo de Propõe-se a execução de diferentes colagem ou de ligação.. Conhecer cuidados a observar nas colagens.Explica a função dos materiais de ligação. pregos e parafusos. sucinta e objectiva. pregos e parafusos para madeira e Descrição sumária dos diversos tipos de relatórios e visita derivados.Cita os processos e ferramentas a utilizar. tipos de colagens.

. incluindo a elaboração de relatórios.5.Identifica os diversos tipos de ferragens. -. .2.. .. Classificação Conhecer os diversos tipos de ferragens. . -. Máquinas – ferramenta Conhecer ferramentas manuais para trabalhar madeira.. através do diverso equipamento existente na Escola. 6.. Ferragens 6. Conhecer máquinas-ferramenta para trabalhar madeira.Refere a nomenclatura das máquinas-ferramenta.Identifica as ferramentas manuais pela sua função.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) aparafusar. para auxiliar a exposição oral e para organizar um placar didáctico. incluindo a elaboração de relatórios. -. Função 6. Ferramentas manuais: • Medir. deverão ser feitas algumas ligações pregadas e aparafusadas.5. 6. Propõe-se uma breve exposição sobre as características.6. seguida de uma descrição sobre a constituição e função específica.Manipula correctamente máquinas e ferramentas. . Nomenclatura das ferramentas e das máquinas – ferramenta 6.Lista as operações de cada máquina-ferramenta. Compreender a função das ferragens. prevê-se 1 aula. . traçar e verificar. • Auxiliares. Sugere-se a aquisição de catálogos. .2.1. Para exemplificação. -. funções e classificação das ferragens..Define ferragens de união e ferragens de movimento. .Classifica as máquinas-ferramenta.. • Produção. Sugere-se que se faça a descrição pormenorizada das máquinasferramenta relativamente a operações 6.Refere a nomenclatura das ferramentas manuais. 30 .1.Selecciona as ferragens relativamente à sua função. . especialmente um mostruário de ferragens de união e de movimento.Classifica as ferramentas quanto à sua função.6. Para este sub-tema.6. Para este sub-tema..5.Refere características e funções. . . de acordo com a sua classificação. As ferramentas deverão ser apresentadas por grupos. prevê-se 2 aulas. .

utilizando .. .Manipula com destreza e cuidado as ferramentas manuais.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) - . incluindo duas aulas para realizar visitas Aplicar processos e técnicas de afiação e preparação de Sugere-se a exemplificação da técnicas. -. 6.7.utilizar correctamente as ferramentas manuais e máquinas-ferramenta. Pretende-se que os alunos aprendam a Aplicar processos e técnicas de utilização das máquinas. ferramentas manuais e máquinas-. . os alunos .Executa a afiação e preparação de ferramentas de corte e de O aluno deverá fazer as mesmas serragem.3. . Adaptação às máquinas.Descreve os processos de afiação e preparação de ferramentas afiação.1. deverão fazer serragens e .Executa serragens e aparelhamentos mecânicos..7.. preparação e manutenção de ferramentas manuais ferramentas manuais. Para este sub-tema prevê-se 4 aulas.. Manuseamento de ferramentas ferramentas. Aplicar processos e técnicas de manuseamento das O manuseamento das ferramentas. Afiação e preparação de ferramentas.Prepara ferramentas de aplainamento e de serragem.Utiliza com precaução as ferramentas manuais. ergonómica das posições corporais. 6. unidade.Opera com rigor e precaução as máquinas-ferramenta. manuais. por parte dos alunos. ferramenta apropriadas a essas 6.. aparelhamentos. ferramenta Para concretização prática.7. foram distribuídas no início da -. deverá ser ..ferramenta.7.Executa as operações adequadas a cada máquina. manuais acompanhado de correcção .2.Utiliza correctamente as máquinas-ferramenta. 6. a realizar. emprego de acessórios de protecção. . operações às ferramentas que lhe ... Utilização de ferramentas e de máquinas – ferramenta 31 .Executa serragens e aparelhamentos manuais. cuidados e normas de segurança a observar.

. em tamanho natural. Demonstração da importância das samblagens na execução de peças de carpintaria e de marcenaria.Executa.. .Selecciona a samblagem adequada a cada tipo de ligação.Interpreta os desenhos dos trabalhos a executar.. por parte de todos os alunos. incluindo uma aula para realizar visitas técnicas a fábricas de carpintaria e de transformação de madeira. . carpintaria. . 6.. .. • Malhetes.. correr / basculantes /.8. complementa a almofadadas /. .. aprendizagem. -. 6.2. os trabalhos de carpintaria Nesta unidade sugere-se a divisão da turma em pequenos grupos de projectados (planteamento): • Executa aros para caixilhos de janela de abrir / trabalho. aros e caixilhos de portas engradadas / observação..1. .Medição. Para este sub-tema prevê-se 14 aulas. Execução de aro e caixilho de janela/porta engradada Sugere-se ainda que o professor exemplifique as operações Aplicar conhecimentos na execução de trabalhos de necessárias à execução dos trabalhos: 8 aulas . • Executa. Sugere-se a seguinte listagem de estratégias/actividades a fim de permitir aos alunos atingir os objectivos propostos: Apresentação de desenhos para as samblagens a executar. • Furos e respigas.Interpreta os desenhos das samblagens a executar. .Traçagem. Pretende-se que cada grupo execute apenas um modelo de janela ou de porta com os respectivos aros.Selecciona madeiras e materiais a empregar nos trabalhos.Corte. Samblagens: • Entalhes.8. 8. visto que a abrir/correr/basculantes/. Os grupos podem ser constituídos por dois a três alunos.. Carpintaria de limpos 6... os espaços e os equipamentos.. A diversidade dos trabalhos deverá 32 .Selecciona as ferramentas e máquinas-ferramentas para as várias operações a executar. . • Executa caixilhos de janela de para rentabilizar as aulas.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) operações. Compreender a importância das samblagens nos trabalhos de carpintaria. ..

8. a partir dos quais os alunos farão a planificação e o planteamento.3. 6. Técnicas de acabamento (raspar e lixar) Para esta unidade sugere-se a aplicação de um tipo de acabamento para cada trabalho realizado pelos 33 . • Rodízios. a uma escada conveniente. -. Todas as operações mecânicas deverão ser organizadas sob o ponto de vista de trabalho em série. • Ferragem Nadir. • Enceramento.Identifica as ferragens a aplicar.Prepara os trabalhos para receberem embelezamento: • Envernizamento.Aplica ferragens de movimento e união: • Dobradiças. mesmo grau Deverão ser fornecidos desenhos dos pormenores dos trabalhos a executar.4. . Aplicar processos e técnicas de acabamento.Conhece técnicas de acabamento. Na utilização das máquinas deverá haver um maior acompanhamento por 2 aulas parte dos professores. e sensibilização para o uso dos equipamentos individuais e colectivos de segurança.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) de possibilitar o dificuldade. • Fechos. . . 6. Aplicação de ferragens Aplicar ferragens de movimento e de união.8. Cada grupo de alunos deverá aplicar as ferragens adequadas ao trabalho 3 aulas executado na unidade anterior.Executa acabamentos nos trabalhos realizados. . de modo a rentabilizar o equipamento. .. Para cada tipo de ferragem. sugere-se a exemplificação da sua aplicação e demonstração do seu funcionamento. • Fechaduras..

.. Para este sub-tema prevê-se 10 aulas. trabalho a executar. . preenchimento de vãos. seja executado: raspagem. utilizados nos trabalhos e tempos de mão-de-obra gastos na sua execução.. -.Calcula quantidades de materiais e tempos de mão-de-obra Sugere-se a apresentação de mapas de necessários à execução de um trabalho a executar.Identifica perfis em PVC.8. Sugere-se uma breve exposição sobre 2 aulas as características. janelas e portas. envernizamentos e 1 aula enceramentos. vantagens/ Conhecer os diversos tipos de materiais alternativos para desvantagens e classificação dos materiais. . e de mão-de-obra . 6.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) • SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) alunos.. velaturas.9. Em cada tipo de acabamento.. Pintura.1. . pinturas. diversos materiais. aparafusamento e soldadura).Descreve processos e técnicas de fabrico de PVC. -. Regras de medição de materiais Aplicar regras de medição de materiais e de mão-de-obra. • • • PVC Alumínio Ferro 34 .. medições para registo de materiais -. lixagem.Descreve as principais características de cada um dos exemplificadas as técnicas de seccionamento e posterior ligação ( materiais. deverão 6. catálogos técnicos e mostruário dos Compreender processos e técnicas de transformação dos diversos materiais a estudar. incluindo relatório. Alumínio e Ferro.5.9. no conjunto da turma. deverão ser Ferro. Materiais carpintarias Alternativos às 6. funções. betumagens. . de forma que. Alumínio e Em cada tipo de material.. Sugere-se a apresentação de -.Aplica regras de medição de materiais e de mão-de-obra a um ser exemplificadas as técnicas de execução e aplicação de materiais..

2. Recursos: Os trabalhos a desenvolver . placares. mostruário. com biblioteca de grupo. e ligação por meio de parafusos e .Interpreta os desenhos dos trabalhos a executar. . corte . vídeo.Refere a nomenclatura das ferramentas manuais e máquinasferramenta. soldadura (a mais adequada ao . ..9. projector de diapositivos..Identifica as ferramentas e máquinas-ferramenta. 35 . basculantes /. filmes de vídeo. etc. actividade deverá compreender o . Deverá possuir sala teórica anexa.Selecciona os materiais e acessórios a empregar. televisor.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) 6. os alunos Aplicar conhecimentos na execução de pequenos trabalhos deverão.. .Executa. em tamanho natural.Classifica as ferramentas e máquinas-ferramenta quanto à sua função. períodos previamente definidos e calendarizados. traçagem. carpintaria realizados.Executa aro e caixilho em ferro. a oficina de carpintaria... em -. exercício de medição. PVC e Ferro. executar um aro e respectivo caixilho nos materiais de em Alumínio.Identifica tipos de ligação... Alumínio e Ferro. PVC. nestes sub-temas ocupam. também. os trabalhos projectados.Executa aros para caixilhos de janela de abrir / correr / material utilizado)... equipada com vários conjuntos de ferramentas manuais e máquinas-ferramentas adequadas às tarefas a realizar.. Na sequência dos trabalhos de 8 aulas -.Executa caixilhos de janela de abrir / correr / basculantes/. .. Esta . Execução de aro e caixilho de janela/porta Conhecer ferramentas e máquinas-ferramenta para trabalhar os perfis. modelos didácticos.

madeira . Na abordagem destes ensaios. . Realizar ensaios para determinação do peso específico 6.10.Analisa os resultados obtidos.Realiza o ensaio para a determinação do teor de humidade de humidade uma amostra de madeira. 6.. específico aparente de uma peça de . textura e cheiro. .. sugerese uma especial referência à humidade da madeira como forma de controlar a sua secagem e a importância desse controlo na qualidade dos produtos acabados.. os alunos deverão elaborar individualmente relatórios sucintos. .2.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) Para este sub-tema prevê-se 2 aulas.10. Determinação do peso aparente de uma amostra de madeira. ... 6.Determina o peso específico aparente da madeira.Descreve factores a observar na análise sensitiva.1. .10. incluindo relatório. os quais serão orientados durante o trabalho. identificar espécies de madeira através da cor. Determinação do teor de .Identifica espécies de madeira através da cor. 6. -. textura e cheiro. Ensaios laboratoriais para controlo de qualidade de madeira Conhecer o equipamento utilizado no laboratório.3.Conclui da importância dos ensaios no conhecimento das características da madeira. .10. ..Executa relatório descritivo do processo. 36 . Deverá ser fornecida documentação específica sobre os ensaios a realizar.Descreve o funcionamento do equipamento. Para a realização dos ensaios deverão ser formados pequenos grupos de alunos. Após a sua realização. -.Descreve a realização do ensaio. Análise sensitiva Pretende-se que os alunos aprendam a Conhecer factores de identificação das espécies de madeira.

. disponíveis... Para este tema. elaboração de relatórios e visita técnica.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) TEMA 7: ACABAMENTOS Considerando que se pretende com este tema promover o desenvolvimento de.1.1. a capacidade de raciocinar e investigar. Sistema de impermeabilização 7. aspectos relacionados com Compreender a importância do suporte na aplicação do impermeabilizações. Impermeabilizações Para este sub-tema. Suporte 37 . Propõe-se a descrição sumária do conceito de impermeabilização em construção civil. ainda.1. o recurso à Metodologia do Trabalho de Projecto. encargos onde seja possível analisar -.Refere a importância de impermeabilizar superfícies. memórias descritivas e caderno de .Identifica os materiais a aplicar nas impermeabilizações. CD-ROM. situações patológicas ao nível de -.Selecciona materiais.Descreve as características dos materiais. . Sugere-se a análise de . prevê-se 8 aulas. Propõe-se a análise de catálogos de sistema de impermeabilização. prevêse 16 aulas. recorrer a projectos. 2 aulas 7.1. Sugere-se. preconiza-se. entre outras. vídeos. 7. urgente.. . DVD ou por outros meios superfícies. incluindo a avaliação formativa e sumativa. na abordagem ao trabalho prático a executar. acompanhada da Conhecer a importância da impermeabilização de apresentação de diapositivos.2. incluindo a elaboração de relatório. superfícies (horizontais ou verticais) Conhecer materiais e produtos a aplicar nas em mau estado de conservação onde o recurso à impermeabilização seja impermeabilizações.

Calculo de superfícies Compreender as técnicas e regras de medição de superfícies a impermeabilizar. Deverão ser seleccionados os produtos a aplicar nas superfícies referidas anteriormente. observando as Normas de Higiene e Segurança no Trabalho. -. -... assim como estimar quantidades de materiais e de mão-de-obra a empregar numa unidade de superfície para os diferentes materiais e 2 aulas produtos de impermeabilização. respectivas especificações técnicas e DOCUMENTOS DE HOMOLOGAÇÃO. De igual modo.Aplica técnicas de medição de superfícies a impermeabilizar quer a partir de um projecto quer a partir de superfícies em obra. terraços e paredes: • Telas em PVC e sfálticas.1..3.4.1.. • Barramentos asfálticos..Aplica sistemas de impermeabilização com prática simulada a fundações. • Barramentos em resinas sintácticas.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) . produtos para impermeabilização. Rendimento e cálculo de nomeadamente do seu rendimento.. 38 . -.1.1. • Barramentos de borracha líquida. deverão ser seleccionados equipamentos adequados à aplicação dos produtos a usar.1.Refere os vários tipos de suporte. . por forma a obter-se uma adequada e eficaz solução de impermeabilização de acordo com os padrões de QUALIDADE NA CONSTRUÇÃO. -. Aplicar sistemas de impermeabilização. prevendo a aplicação de 4 aulas produtos para a impermeabilização.2.. .Interpreta desenhos de pormenor de impermeabilizações. Sugere-se a aplicação de produtos de impermeabilização de acordo com as técnicas específicas. Conhecer as características dos produtos a aplicar 7. Sugere-se que o professor faça a e selecção de superfícies e analise o seu estado geral.4. Medições e custos 7. Técnicas de aplicação Analisar desenhos de pormenor de isolamentos impermeabilizações. quer a partir de um projecto quer a partir de superfícies em obra.. 7.4. . .Analisa cadernos de encargos. 7.

.1.Realiza orçamentos de trabalhos a realizar. -.. produtos aplicar 7.Descreve as características dos nomeadamente do seu rendimento..Aplica métodos e técnicas na estimativa de equipamentos e materiais e mão-de-obra a um caso concreto. . -. Estimativa materiais e humanos dos recursos.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) produtos de impermeabilização nomeadamente do seu rendimento. 39 .. -. . Aplicar conhecimentos na elaboração de orçamentos. .3..4. Aplicar métodos e técnicas na estimativa de recursos materiais equipamentos e mão-de-obra..

-. Sugere-se a descrição sumária do conceito de acabamento. Conhecer os diferentes tipos de tinta. -.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) 7. Constituição das tintas e processos de formação da película Conhecer genericamente a constituição e processos de formação da película de uma tinta.2. assim como seleccionar os produtos a aplicar nas superfícies referidas anteriormente por forma a obter-se uma adequada e eficaz base para a pintura.Descreve processos de preparação/reparação das superfícies. Pinturas e envernizamentos 7. Superfícies Conhecer técnicas e processos de preparação de superfícies.. O professor deverá seleccionar superfícies.. 7. acompanhada da Para este sub-tema. . memórias descritivas e caderno de encargos ou mapas de acabamentos onde seja possível verificar esquemas de acabamentos relativos a pinturas.2. .Identifica superfícies... 2. Propõe-se ainda recorrer a projectos.Descreve a constituição e processos de formação da película de uma tinta. analisar o seu estado geral prevendo um esquema de pintura. borracha clorada acrílicas e aquosas) 7. celulósicas. Tintas de reacção química Compreender as diferenças entre os vários tipos de tinta e (alquídicas. Sugere-se a análise de catálogos de tintas e respectivas especificações técnicas e DOCUMENTOS DE HOMOLOGAÇÃO. . 2 componentes e 1 componente) ... 40 . Tintas de secagem física (betuminosas. em situação de acabamento final onde 2 aulas o recurso à pintura é fundamental.. poliuretano – de verniz.1. epoxídicas.2. de acordo com os padrões de QUALIDADE NA CONSTRUÇÃO. numa perspectiva de acabamento em superfícies. 7.2. -.Enumera os diferentes tipos de tintas.2. . apresentação de diapositivos.3.Selecciona tintas e vernizes em função do tipo de superfície a revestir.. a CD-ROM.4. -. DVD ou por outros meios incluindo de disponíveis e também a análise de elaboração superfícies (horizontais ou verticais) relatório. vídeos. prevê-se 8 aulas.

ferramentas e utensílios para aplicação de tintas e vernizes.. Executar pinturas e envernizamentos em superfícies considera-se necessário proceder à demonstração sobre a utilização e diferenciadas.. .5. -. planificada a uma unidade de -. A visita de estudo deverá prever uma envernizamentos..2. ferramentas e leccionação do tema.. Higiene e Segurança no Trabalho. produção de tintas e a uma obra.6. No período de tempo previsto para a ....Descreve o manuseamento de equipamentos.. Recomenda-se a aplicação de tintas e esquemas de pintura pintar.2.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) Propõe-se a selecção de equipamentos adequados à aplicação dos produtos a usar. ferramentas e utensílios para pintar. específicas. 7. 7. -. -. sobre os aspectos observados.Define esquema de pintura.2. deverá efectuarse uma visita técnica devidamente utensílios para aplicar com tintas e/ou vernizes. Preparação de superfícies Elaborar esquemas de pintura. devidamente acompanhados pelo professor.. 41 . realizado por envernizamento de superfícies. vernizes de acordo com as técnicas . No início de cada sessão prática.Processa esquema de pintura.Descreve equipamento. . seguindo-se o trabalho prático. através da apresentação individual de um relatório sucinto envernizamentos.7.Interpreta normas de higiene e segurança em pinturas e avaliação.Aplica normas de higiene e segurança na pintura e esquemas de pintura. . Aplicação de tintas e vernizes Conhecer as técnicas de manusear equipamentos. Análise e construção de Conhecer equipamento.. observando as Normas de -. Compreender normas de higiene e segurança em pinturas e localizada nas imediações da escola. ferramentas e utensílios para superfície. Deverá estimar quantidades de materiais e de mão-de-obra a empregar numa unidade de 4 aulas 7. pequenos grupos de alunos. . Aplica os conhecimentos adquiridos na manuseamento dos utensílios e ferramentas a aplicar nos diferentes pintura/envernizamento de pequenos trabalhos.

42 . ..Aplica conhecimentos na realização de orçamentos de o Laboratório de Ensaio de Material e produto e mão-de-obra o Estaleiro. Rendimento de produtos de Conhecer as características dos produtos a aplicar pintura nomeadamente o seu rendimento.1.2. . Medições e custos 7. equipamentos adequados para a -.8. poderão estar a pintar paredes ou a envernizar superfícies em madeira ou a impermeabilizar superfícies. realização dos trabalhos propostos.. -. Por exemplo. sugere-se também uma rotatividade dos trabalhos pelos 2 aulas diferentes grupos. Cálculo de superfícies Compreender as técnicas e regras de medição de superfícies a pintar quer a partir de um projecto quer a partir de superfícies em obra. da ocupação dos espaços e utilização dos equipamentos. Numa perspectiva de rentabilização do tempo disponível.Aplica técnicas de medição de superfícies a pintar quer a partir de um projecto quer a partir de superfícies em obra.. com o outro professor. os outros.. .2. apetrechados com os trabalhos a realizar.2.2.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS (de aprendizagem) SUGESTÕES METODOLÓGICAS GESTÃO DA CARGA HORÁRIA (tempos lectivos de 90 minutos) 7. enquanto uns grupos estão a tratar de superfícies metálicas. Cálculo da quantidade de Aplicar conhecimentos na elaboração de orçamentos. -. são: 7..8.Descreve as características dos produtos aplicar nomeadamente o seu rendimento. bem como equipamentos individuais de higiene e segurança.. 7.2.3.8.8. Os recursos necessários para a leccionação deste sub-tema.

ª PARTE – BIBLIOGRAFIA 43 .4.

Informação sobre Custos/Fichas de Rendimentos de Mão-deObra e Equipamentos.C.). e Fonseca. e Roriz. Capítulo 15 – Revestimentos de Paredes. Destinatário: Professor.ª ed. Branco.E. Destinatários: Professor e Aluno. S.E. P. .Curso prático. com introdução teórica às matérias e com exemplificação de técnicas de execução. Queluz: Editora Cooptécnica/EPGE. Capítulo 20 – Instalações de Canalizações. Branco. Silva. L. Capítulo III – Comportamento de Edifícios: Exigências Regulamentares.).). I. Queluz: Editora Cooptécnica/EPGE. Alfragide. Lisboa: L. Capítulo II – Caracterização do Comportamento Térmico dos Edifícios. M. M. Regulamento de Segurança no Trabalho de Construção Civil.Manual Técnico-Prático com uma introdução às matérias e com exemplificação de técnicas de preparação e execução dos trabalhos de revestimentos cerâmicos. Esgotos e Drenagens. Fonseca.Manual Técnico – Prático.Paredes e Tabiques.). corrigida e ampliada). Capítulo I – Conforto Térmico e Acções Climáticas em Edifícios.). em 2 volumes.ª ed. G.4 – TÉCNICAS CONSTRUTIVAS II Baud.M. (1996).E. C. F. P.ª ed.C. Capítulo 21 – Instalações Eléctricas. ( 1997). Brasil: Dinalivro. Destinatários: Professor e Aluno.ª ed. Destinatário: Aluno.. (1989). Capítulo 14 – Isolamentos e Impermeabilizações.ª ed. J.N. A. (1993). P.Manual Técnico-Prático com uma breve introdução teórica às matérias em estudo e com exemplificação de técnicas de preparação e execução dos trabalhos. M. Manso.C. Capítulo VI – Argamassas.Acústica dos Edifícios (3. com ilustrações sobre processos e técnicas de isolamento 44 .N. (1997). Capítulo 7 – Aplicação de Azulejos e Mosaicos. Revestimentos e Protecções Horizontais e Verticais em Edifícios (2.N. Pisos e Tectos. Climatização em Edifícios . Capítulo VII – Alvenaria. (1980). Destinatário: Professor.Envolvente e Comportamento Térmico (1. Rodrigues. A. J. (1993). Capítulo VII . ITE8 . Estruturas e Alvenaria em Edifícios (2. Destinatários: Professor e Aluno. (2000). S. C.N. nos quais se incluem os trabalhos relacionados com as operações referidas nas matérias a leccionar. Capítulo VIII . Piedade. M. . Capítulo 8 – Operações de Assentamento. Amadora: Edições Orion. Lisboa: L. S. Destinatários: Professor e Aluno. Manual de Construção (2.ª ed. A. Capítulo 6 – Assentamento de Ladrilhos (Azulejos e mosaicos). com regras de medição nos domínios das matérias referidas. grandezas acústicas e elementos de acústica arquitectural. Infra-estruturas.Canalizações. . Lisboa: L.C. Curso sobre Regras de Medição na Construção (2. Esta publicação contém um conjunto de fichas de informação sobre custos e rendimentos. Paulo. . Informação técnica sobre condições acústicas a observar em edifícios. Capítulo 9 – Alvenaria.

Capítulo 8 – Rebocos Exterior.Sistemas de Alimentação. V. 10 – Sistemas de Produção e Distribuição de Água Quente. com abordagem aos modernos métodos de construção civil e aos materiais eléctricos para edifícios de habitação.M. (1990). iluminação. 6 – Acessórios.. Manual dos Sistemas Prediais de Distribuição e Drenagem de Águas. Destinatários: Professor e Aluno. CPP 518 (1988). Destinatário: Aluno. M. Pedroso. Instalações Eléctricas em Edifícios de Habitação. Destinatário: Professor. 45 . 5 – Tubagens: Materiais constituintes e instalação. 5 – Níveis de Conforto e Qualidade dos Sistemas. que trata dos sistemas prediais de abastecimento de água. Lisboa: INCM. higiene e segurança na construção civil.sonoro de elementos de construção. J. Capítulo 5 – Técnicas de Isolamento Acústico e de Impermeabilização contra Humidades. Lisboa: Litoral. 3 – Consumos de Água nos Edifícios.C.C. intercomunicação.N. Capítulo I – Objecto e Âmbito de Aplicação.C. ventilação mecânica. drenagem de águas residuais e do tratamento e destino final das águas residuais domésticas em edifícios isolados. B. com as disposições regulamentares em vigor. Destinatário: Professor. 4 – Concepção dos Sistemas de Distribuição de Água. Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e Drenagem de Águas Residuais. 5 – INSTALAÇÕES TÉCNICAS Conceição. Capítulo 3 – Acabamentos de Interior.. 7 – Dispositivos de Utilização. 6 – Tubagens: Materiais constituintes e instalação. Lisboa: L. (2000).E. Curso de Promoção Profissional com informação sobre a concepção básica de projectos de electricidade para habitação. I. aquecimento. Lisboa: L. R.). (1996). complementada com elementos informativos de aplicação prática sobre a Regulamentação em vigor. Professor. Mem Martins: Edições Cetop.N. M. Lisboa: L.E. Capítulo V – Sistemas de Drenagem Predial de Águas Residuais.C. Conteúdos: Normas e regras de prevenção. Destinatário: Professor. Higiene e Segurança na Construção Civil e Obras Públicas. Rebocos e Acabamentos. Curso de Promoção Profissional. 3 – Concepção dos Sistemas de Drenagem. Capítulo III – Sistemas de Distribuição Predial de Água. telefones e ascensores. Capítulo 11 – Técnicas Mecânicas de Rebocar.E.N. Capítulo III: Sistemas Prediais de Drenagem de Águas Residuais Domésticas 1 – Sistemas de Drenagem. (1986). Prevenção. Capítulo I: Sistemas Prediais de Distribuição de Água 1 . CPP 508 (1992). Taylor.N. Instalações de Águas e Esgotos em Edifícios (2 vols.

Professor e alunos. Maurício. (1981).. Consertos e trabalhos. A. Práticas de Madeira (trad. Manual Técnico do Carpinteiro e do Marceneiro. M. Plátano Editora. Professor. e Maravilhas. S. Selecções do Reader’s Digest. Professor. Madeiras e materiais.. Faça Você Mesmo (vol. Destinatário: Professor. Acabamento das madeiras. M. Técnicas de transformação. Desenhos de móveis. F. J. Técnicas de acabamento.. e Supico. Conteúdos: O estojo de ferramentas.). Sérgio. Professor e alunos. Costa. Folhear. Destinatários: Professor e Aluno. A. Professor e alunos. Construção. A. D. Lisboa: Plátano Editora.. Guia Prático de Marcenaria. Conteúdos: A madeira.. Professor. L. Como Construir Móveis Modernos. Técnicas de transformação. Como conservar e usar as ferramentas. L. A. Conteúdo: Instruções gerais.7º e 8º Anos. Correia. A. Professor. Lisboa: Edições Cetop. Porto Editora. Conteúdos: Trabalhos práticos de carpintaria. A mão-de-obra. et al. (1977). A compra da madeira. Derivados da madeira. Ferramentas. A carpintaria na construção de casas pré-fabricadas desmontáveis. Editorial Presença. Ferramentas eléctricas. Madeiras. Conteúdos: Ferramentas manuais de carpinteiro. Do Olhar ao Objecto. M.7 – Aparelhos Sanitários. Nomenclatura e manutenção. Manual de Higiene e Segurança no Trabalho. Hayward. Conjunto básico de ferramentas. Manutenção e afiação de ferramentas. Conteúdos: As ferramentas. Carpintaria e sua aplicação directa à construção de edifícios. Samblagens. Ferragens. Conteúdos: A árvore e os seus derivados. 1 – Sistemas Prediais de Drenagem de Águas Pluviais Anexo II: Exigências Regulamentares. Porto: Porto Editora. Genette. Marques. Entalhar em madeira.da. Professor. Conteúdos: Madeiras e ferramentas. Propostas de trabalho. Barros. máquinas ligeiras para marcenaria. O Mundo da Madeira . Tabelas auxiliares do carpinteiro e do marceneiro. Colas. Manual Prático do Carpinteiro e Marceneiro. (1972).. P. Professor. Capítulo IV: Sistemas Prediais de Drenagem de Águas Residuais Pluviais. Porto: Porto Editora. M. Hemus. Máquinas-ferramenta. e adapt. Torneamento. L. Regulamento de Segurança de Instalações Eléctricas de Edifícios e Entradas (1998). Lisboa: Editora Portuguesa de Livros Técnicos e Científicos. Fabbro. Higiene e segurança no trabalho. 6 – TÉCNICAS DE CARPINTARIA E MATERIAIS ALTERNATIVOS Andrade. Conteúdos: Regulamentação sobre higiene e segurança no trabalho. 46 . Livraria Editora. F. Mobiliário. (1986). J.. Modelos. I).

devendo fazer parte da biblioteca da sala específica. I.ACABAMENTOS Almeida. Tintas e vernizes. normalmente oferecidos. AS. terminologia. o seu conteúdo é extremamente importante. Lisboa: LNEC. Normas ISQ NP . Estes documentos constituem informação técnica que. Estas documentações. J.guias práticos. Guia Prático . Ensaio de resistência à riscagem. são documentos acessíveis. E359 (1985). Portas e caixilhos. J. Lisboa: LNEC. estas especificações são documentos que os professores e os alunos deverão consultar e referir após a sua análise nos relatórios e trabalhos escritos referentes ao tema. Este manual recomenda-se essencialmente para professores e eventual consulta para alunos. Recomenda-se a sua solicitação junto das empresas produtoras destes produtos ou serlhes-ão oferecidos (caso mais comum). M. Revestimentos por pintura para a construção civil. (2000). ITMC 18. Construções ligeiras de madeira. Marques. Trabalhos de Carpinteiro Civil (6ª ed. Máquinas-ferramenta. na recepção de produtos de acabamentos. Assim. Preparação de ferramentas. devendo existir na biblioteca da sala específica. Assim. sendo bem aceites pelos alunos. páginas respectivamente 159 a 169 e 215 a 225.para pintura de sua casa. produtos de isolamento e de acabamento. pois as suas ilustrações assim o indicam. pelo que a sua leitura e consulta. Conteúdos: Ferramentas de carpinteiro. Tintas Robbialac. neste caso algumas propriedades e características das tintas. contribuirão para o controlo de qualidade da construção e assim permitem conhecer os produtos. quando efectuarem as visitas técnicas referidas no programa. A árvore. (1991). e Real. Lisboa: LNEC. 7 . Conteúdos: A floresta. Especificações LNEC E358 (1985). 47 . Valente. O projecto de trabalho. Biblioteca de Instrução Profissional. Curso sobre Regras de Medição na Construção (2000). E323 (1979). Lisboa: LNEC. Informação Técnica Materiais De Construção. E. Guias Práticos. nomeadamente pintura. Classificações. de leitura fácil e interpretação imediata. isolamentos e impermeabilizações e ainda pinturas. Ferragens para madeira. Este documento tem como principal objectivo conhecer os cuidados e regras a seguir para a preparação dos diferentes substratos. (1988). S. e Rodrigues. Tintas. Tintas e vernizes. Processo expedito. tintas para a construção civil. (2000). Preparação de superfícies. Professor e alunos.). Tintas. NP . Lisboa: LNEC. Recomendam –se portanto para professores e consulta e análise pelos alunos. Professor.Segurado. Tintas e vernizes.41. Tintas HEMPEL. deverão existir na biblioteca da sala específica para consulta de professores e de alunos. devendo fazer parte da bibliografia da sala específica. Avaliação do grau de fissuração. Fonseca. pela sua aplicação. informações técnicas . S. Porto: Porto Editora. Técnicas e ferramentas. Tal como as normas. Avaliação do grau de pulverulência. Tintas. de fabricantes de tintas. Madeiras . E360 (1985). Avaliação do grau de empolamento. L. M. Lisboa: LNEC. Manual de referência para medições.A. Informações Técnicas. recomenda-se quer para os professores quer para os alunos. P. pelo que se recomenda a sua consulta quer pelos professores quer pelos alunos no decorrer das aulas. Lisboa: LNEC. Robbialac. E. Definições. Samblagens. pelo que se recomenda a leitura e análise dos números: 14 e 18. S. Higiene e segurança. A madeira.7º e 8º Anos.42. Estas normas caracterizam tintas e vernizes. V. actualmente quando se pretende qualidade na construção. devendo existir na biblioteca da sala específica. onde se vai aplicar produtos de acabamento.