You are on page 1of 2

A TEORIA DO AGENDAMENTO ± AGENDA SETTING

A Teoriado agendamento é um estudo que propõe dimensiornar a importância que os temas abordados nos meios de comunicação têm na sociedade,isto é, busca compreender como estes meios trabalham na formação da opinião pública e na própria dinâmica da interação social dos indivíduos. A hipótese do agenda setting (denominação inicial) nasceu nos Estados Unidos na década de 20 porposta por Walter Lippmann, na obra Public Opinion, mas se consolidou e se tornou uma corrente teórica com vasta bibliografia, a partir das décadas de 60 e 70 através dos trabalhos de, Cohen, Mccombs e Shaw, os quais dedicaram seus estudos a entender com maior clareza o papel da mídia na formação social: ³A capacidade dos mídia em influenciar a projeção dos acontecimentos na opinião pública, confirma o seu importante papelna figuração da nossa realidade social, isto é, de um pseudo-ambiente, fabricado e montado quase completamente a partir dos mass mídia´(MCCOMBS & SHAW, 1977:7)

Nesse contexto é avaliado também o poder que o jornalismo tem na formação da opinião pública e no seu determinismo sobre os temas que a população falará e discutirá. Oconceito é de que o público tende a atribuir maior preocupação à aquilo que os jornais e telejornais abordam com maior ênfase e da mesma forma, tende a excluir ou negligenciar de seus interesses fatos ou elementos que estão ausentes nos noticiários. A teoria do agendamento clarifica também que o poder da mídia se encerra na proposição dos temas e não é fator determinante na formação das opiniões ou pontos de vista, como propunham os teóricos de até então, coma teoria hipodérmica.

³O conceito de agenda ± setting, introduzido pelos comunicólogos norteamericanos, Maxwell McCombs e Donald Lewis Shaw (1972), avança a hipótese de que a influência ± efeito ± que os media têm sobre a opinião pública consiste em impor os assuntos de preocupação, os temas de importância da atualidade, e não a maneira de como pensar sobre esses assuntos (a visão mais tradicional do

2001. diz que: ³Os mídia podem não nos dizer sobre o que pensar. A teoria do Agendameno apesar de tratar especificamente sobre o poder de a mídia selecionar os temas que serão abordados na agenda social da população. perpassa também pelos efeitos da midiatização a que estão inseridos os indivíduos. 1999). traz como reflexões o papel do jornalismo e seu poder de inserção social do indivíduo. mas um agente socializador. mas são incrivelmente bem sucedidos ao dizer-nos em que pensar´ Cabe ressaltar que tudo aquilo que ajuda o indivíduo a se integrar plenamente na cultura e na sociedade em que vive ou se desenvolve. Portanto a mídia não é um ator isolado na esfera social. Portanto identificar a sociedade em que vive e seu papel dentro dela. . na medida em que possibilita a inserção do indivíduo no todo social. diz que as pessoaschegam a conhecer o mundo exterior e sua própria existência. Lippmann 1922.poder dos media. são agentes de socialização. Os meios de difusão (meios de comunicação) modelamessas imagens ao selecionar e organizar símbolos de um mundo real (Barros Filho. 174). No capítulo inicial do livro Public Opinion. p. A clássica definição do agendamento por Bernard Coehn. 1963. dominante nos anos 40 através da teoria hipodérmica´ (TRAQUINA. através das imagens que formam em suas mentes.