You are on page 1of 4

24/02/2011

Introdução à Estatística

Profº Diego dos Santos

PANORAMA HISTÓRICO
 Egito antigo – coleta de dados da administração
estatal.

 Conta-nos a Bíblia, era realizado o levantamento do
povo judaico .

 Roma – levantavam-se registros numéricos para fins
tributários, no tempo de Otávio Augusto se realizou
um censo.

 Destacam-se os árabes, no ano 721, com a coleta
numérica das cidades dominadas, cômputo de suas
populações, fábricas e de cada espécie de seus
produtos, para controle das conquistas territoriais.

 Idade Média → Encontra-se estatísticas
sistemáticas. O clero se dedicou a coletar e
ordenar dados tipo demográficos.

 1545 – 1563 → Estabelece a inscrição de
nascimentos, matrimônios e óbitos.

 Até o século XVI realizarem-se Censos e
Cadastros.

1

partindo da observação de partes dessa população (amostra)”. funerais. a estatística indutiva.  Século XVII. tabelas.  Século XVI . análise e interpretação de dados e para a utilização dos mesmos na tomada de decisões.  Século XIX-XX → estudo de grandes massas de dados. Definição  A estatística é uma parte da matemática aplicada que fornece métodos para a coleta. casamentos.  No século XVIII Godolfredo Achenwall aglutinou todos estes elementos e batizou a nova ciência (ou método) com o nome de Estatística.  A estatística deixa de ser uma simples tabulação de dados numéricos para se tornar: “O estudo de como se chegar a conclusão sobre uma população. 2 . 24/02/2011  A partir do século XVI começaram a surgir as primeiras análises sistemáticas de fatos sociais.  Século XX → Nasceu a estatística moderna. na qual busca métodos que fazem possível obter conclusões gerais a partir de amostras e estudos parciais. originando as primeiras tábuas. como batizados. organização.início do desenvolvimento da probabilidade e estatística.XVIII realizarem-se estudo de descrição da População. a estatística Inferência. Desenvolvimento da estatística e do calculo de probabilidade. descrição.  Galton (1822-1911) : idéias sobre regressão  Fisher (1890-1962) : Pai da Estatística Moderna. Estudo de grandes epidemias que assolaram ao mundo dando impulso ao estudo da demografia.

cujo objetivo é o de produzir uma impressão mais rápida e viva do fenômeno em estudo.  A tabela é um quadro que resume um conjunto de observações. o resumo e. isoladamente. permitindo dessa forma que se tenha uma visão global da variação desses valores. é necessário expressar tais tendências através de números ou estatísticas como medidas de posição e medidas de dispersão. em geral. análise e interpretação de dados amostrais. 24/02/2011 O que é Estatística? A Estatística basicamente se divide em:  Estatística Descritiva: Essa parte da Estatística utiliza números para descrever fatos. organiza e descreve os dados de três maneiras: por meio de tabelas. fundamentada na teoria das probabilidades (analisar situações que envolvem o acaso). A estatística inferencial. Compreende a coleta. de gráficos e de medidas descritivas. a organização. a partir do que. cujo objetivo básico é o de sintetizar uma série de valores de mesma natureza. ao final. Estatística Descritiva  A estatística descritiva. tira-se conclusões sobre a população na qual os dados (amostra) foram obtidos. se preocupa com a análise destes dados e sua interpretação. ou em comparação com outras. 3 . enquanto os gráficos são formas de apresentação dos dados. enganosos. redução.  Andrew Lang: “algumas pessoas usam a estatística como os bêbados usam os postes – para apoio mais do que para iluminação”.  Estatística Inferêncial: Diz respeito a coleta. a simplificação de informações que podem ser muito complexas.  Para ressaltar as tendências características observadas nas tabelas. Essas afirmativas se referem a exemplos em que métodos de estatística foram mal usados. tornando-se.  Esar’s Comic Dictionary encontramos a definição: “estatístico: um especialista que coleta números e depois os desvirtua”.

 Distorções deliberadas.  Ordem das questões. 24/02/2011 Maus usos da estatística  Amostra de resposta voluntária (ou amostra auto selecionada).  Como é uma estimativa é melhor afirmar que o número de famílias é de cerca de 103 milhões.  Pequenas amostras.  Dados ausentes.  Questões direcionadas.  Você diria que o tráfego contribui mais ou menos do que a indústria para poluição do ar?  Você diria que a indústria contribui mais ou menos do que o tráfego para poluição do ar?  Não-resposta.215.  Correlação não implica causalidade. 4 .  Estudo de interesse próprio.  Números precisos:  Há agora 103.027 famílias no Brasil.  Gráficos enganosos.  Cenários parciais.