You are on page 1of 2

ESCOLA SECUNDÁRIA

ÉPOCA CLÁSSICA
Século XVI - “ Período do Renascimento”

Género Lírico

LUÍS VAZ DE CAMÕES

1. A influência tradicional:

1.1. Nas formas:
• versos de sete e cinco sílabas (redondilha maior e menor);
• vilancete e cantiga ( composições constituídas por um mote, que introduz o tema, e uma glosa ou volta,
que o desenvolve).

Vilancete:

MOTE
Dois ou ________________ (O vilancete é perfeito quando: o mote tem dois ou três
três versos ________________ versos e o último se repete no fim de cada estrofe da
________________ glosa; cada estrofe da glosa tem sete versos; a glosa se
divide em duas partes: cabeça de quatro versos e cauda
GLOSA OU VOLTA de três, rimando o último verso da cabeça com o primei-
________________ ro da cauda.)
Uma ou mais ________________
estrofes de ________________ CABEÇA
sete versos ________________
________________ Rima emparelhada
________________
________________ CAUDA

Cantiga:

MOTE
_________________
_________________
Quatro ou _________________
cinco versos _________________
_________________

GLOSA OU VOLTA
_________________
_________________
_________________ O último verso do mote repete-se no último
Uma ou mais _________________ verso de cada estrofe da glosa, com ou sem
estrofes de _________________ alterações.
oito, nove ou _________________
dez versos _________________
_________________
_________________
_________________

1.2. Nos temas:
• o encanto das Pastorelas;
• o ritmo das Barcarolas ( a presença do mar pela invocação às ondas);
• o desabafo, a confidência da donzela das Cantigas de Amigo (a fonte).

1.3. Influência da poesia palaciana do “Cancioneiro Geral de Garcia de Resende”:
• o queixume de carácter petrarquista;
• temas fúteis ou banais e humorísticos;
• o requinte, o amaneirado e o jogo de espírito.

Português 1

• A invocação da natureza. confirmação (1º terceto) e conclusão . • O elogio da vida rústica. e dividida em três partes: introdução. parte mais longa. as referências à vida pessoal. Foram as regras do Classicismo que conseguiram abafar as grandes revoltas que Camões sentia e que só de longe a longe nos revelava. ESCOLA SECUNDÁRIA A superioridade do seu sentimento artístico e a magia do seu génio. pela adopção de tipos de composição como o soneto e a canção. cabelos louros. distinguindo-se os grupos seguintes: • O galanteio ou o esclarecimento amoroso. o soneto chega a desenvolver-se em quatro momentos: apresentação do tema ( 1ª quadra).2. e uma grande autenticidade. 8ª e 10ª sílabas) e o esquema rimático mais frequente é ABBA / ABBA / CDC / DCD (com a variante CDE / CDE nos tercetos). finda. A influência petrarquista: 2. Nos temas: • A brevidade da vida. dão-lhe um colorido mais vivo e atraente. Os versos são decassílabos heróicos (acentuados nas 6ª. remate ou cabo. o pessimismo e a revolta contra o destino. mais ou menos circunstancial. desenvolvimento. tez nívea.1. em que se desenvolve o pensamento dominante (normalmente amoroso. • Os temas filosóficos. triste se ela se ausentou ou a relação amorosa se rompeu. 2. A inspiração pessoal: Na lírica camoniana revela-se o mundo do eu do poeta. constituída por uma estrofe com menor número de versos. • A mudança. de tema normalmente amoroso. além de renovarem o conteúdo desta poesia. por vezes hipertrofiado com todo o seu saudosismo. a brandura de um gesto (rosto) sossegado. o que dá à sua produção poética uma grande dimensão humana. Nas formas: A influência do poeta italiano Francesco Petrarca (1304-1374) em Camões é muito profunda e concretiza-se não só a nível temático.a “chave de ouro” .1. 3. Soneto: Composição poética fixa de assunto fundamentalmente lírico ou amoroso. • Os efeitos contraditórios do amor. mas também ao nível das formas. em que há uma invocação da própria canção (personificada) e se sintetiza o conteúdo da composição. A lírica camoniana oferece uma riqueza considerável de temas. tais como o desajustamento entre o Merecimento e a Fortuna. ora como reflexo ora como contraste do estado de alma do sujeito: alegre se amada está presente. É esta faceta pessoal que atravessa praticamente toda a lírica camoniana. os seus amores e desenganos. a frustração pessoal. Português 2 . Nos temas: • Retrato idealizado da amada que se concretiza sobretudo em retratos em que o aspecto físico atinge a impessoalidade do convencional (olhos sempre claros. entre a justiça aparente e a justiça transcendente (o desconcerto). 2. em estrofes longas e regulares. 4. desenvolvimento (2ª quadra). de versos decassílabos combinados com hexassílabos. Camões canta o amor só que de uma maneira mais bela e num tom confessional sem grandes arrebatamentos. Esta visão da mulher traduz também a concepção platónica do amor ideal e inacessível. entre o direito à felicidade e o gozo dela.(2º terceto). constituída por catorze versos distribuídos por duas quadras e dois tercetos. a doçura do riso. as agruras do desconcerto do mundo. A influência clássica (greco-latina): 3. de carácter geográfico. Quanto ao conteúdo. • Os temas psicológicos quase sempre em torno da paixão amorosa. Canção: Composição poética de maior fôlego. faces rosadas) e o aspecto espiritual se caracteriza pela serenidade. intemporal e universalista.

Related Interests