You are on page 1of 3

Nunca se falou tanto sobre a importância do trabalho em equipe como agora.

No setor empresarial, a procura por indivíduos que tenham habilidade para


trabalhar em conjunto é cada vez maior e os próprios profissionais apontam
esta característica como uma competência essencial. Somam-se numa equipe
variadas experiências e comportamentos que, se bem aproveitados, trazem
resultados superiores nas mais diversas situações.
Mas engana-se quem ainda pensa que equipe é somente o conjunto de
pessoas que atuam juntas num determinado projeto, cada qual na sua função.
O significado mudou e agora é bem mais amplo: a idéia é que haja um
“espírito” de equipe: cada integrante deve saber qual é a sua atuação no grupo,
mas considerando o todo e colaborando com idéias e sugestões para soluções
eficazes e criativas.

Manter uma equipe coesa não é tarefa das mais fáceis. Somos seres humanos
e temos nossas diferenças, mas um grande passo para a união é sabermos
conciliá-las. É bom lembrar que uma equipe perfeita é aquela com maior
diversidade de características e experiências entre os seus membros. Porém, o
grupo deve ter predisposição para discutir diferentes assuntos, flexibilidade,
capacidade de tratar as informações racionalmente – e não emocionalmente –
aceitar críticas honestas e opiniões conflitantes. Equipes que encorajam esse
tipo de prática vão aproveitar ao máximo as habilidades individuais dos
integrantes.

Toda equipe tem um líder natural e deve ter também seus tripulantes (onde
cada um tem a sua função) e não só passageiros. A diferença pode ser sutil,
mas é significativa: os passageiros ficam encostados à janela do avião,
esperando a magnífica aterrisagem, dirigida pelo comandante, mas os
tripulantes colaboram com o comandante e com o sucesso da aterrisagem.
Por isso, é preciso saber que o resultado de um trabalho em equipe, além de
contar com todos os integrantes está também condicionado a alguns fatores,
que resumidamente são: estabelecer meta (antes de iniciar qualquer trabalho,
a equipe precisa estabelecer um objetivo claro a ser cumprido), comunicação
( transparente e franca) e cooperação e execução. Se algum desses fatores
tiver alguma falha e não for corrigida a tempo ela aparecerá no resultado final,
e aí, adeus a todo o trabalho.

para que isso não venha a acontecer, e a equipe cumpra seus objetivos, cada
integrante deve se preparar para ser o melhor. Muitos confrontos vão surgir no
caminho, mas devem ser resolvidos, pois nada é impossível quando existe um
“espírito de equipe”.

http://www.youtube.com/watch?v=FkPQ3jScJds&feature=related video
Espírito De Equipe
Não sei onde você está agora, se no exército, no açougue, no
escritório, na polícia, em casa, na loja de pneus, numa pequena, média ou
grande empresa, não importa. Na verdade, de uma forma ou de outra, você
está se relacionando com um ou mais grupos de pessoas. Raras vezes não
há objetivos comuns entre vocês que tenham que, realmente ser
compartilhados!

E compartilhar é algo que transcende o senso comum da cultura de muitos


povos na atualidade, e o Brasil não é a exceção. Então precisamos de
instruções, de reeducação e coordenação contínua, para que todos
compreendam essa necessidade invisível e vital entre todos e para com
todos. Por exemplo, imagine se numa Equipe de policiais, não há confiança
mútua entre eles? Como é que contarei com o melhor desempenho
(envolvimento, comprometimento) de meu "parceiro", na hora que mais
posso precisar dele? Aí a criminalidade faz a festa...

Quando se trata de fundir objetivos comuns, trata-se de saber


interpretar a importância do consenso sincero numa Equipe, seja entre
duas, três, dez ou mil pessoas. O importante é que todos falem "a mesma
língua".

E isso não é tão simples como muitos pensam, o tipo: eu mando


e pronto! Numa empresa, por exemplo, a cultura interna, quando não segue
uma coordenação competente, o que a Diretoria pensa e tem por objetivo,
raramente chegará até a outra extremidade da hierarquia. Isso é um
péssimo sinal no ambiente, isso cria incoerência entre o que se fala e o que
se faz . Cria-se facilmente especulações (fofocas) e não fatos a serem
considerados e trabalhados em comum.

E por que se chama Espírito de Equipe?

Porque se trata do invisível, podemos chamar de "detalhe


espiritual" que, poucas pessoas conseguem perceber e aplicar em dia-a-dia
com a devida relevância. É o caráter subjetivo da realidade, ele tem tudo a
ver com o que se passa no interior das pessoas que compartilham a mesma
realidade, os mesmos objetivos, metas, contextos, etc.

A racionalidade, a imposição do Espírito de Equipe, é mera


conversa furada, conversa para boi dormir. Não existe o fato de se obrigar
alguém a interagir produtivamente com as outras pessoas. O que existe é
reeducação perceptiva, ensiná-la a enxergar, se convencer livremente que
isso traz benefícios para ela mesma, para toda a Equipe, que isso trará
harmonia e produtividade nos resultados...

Agora, se esta pessoa não quiser se tornar capaz, não se der ao


"luxo" de assumir-se com mais humildade, sinceridade e transparência
frente a realidade que compartilha com os seus pares e semelhantes, é
melhor dispensá-la. Exatamente isso: retirá-la do grupo o mais rápido
possível!

Pessoas arrogantes, cheias de prepotência, são "isoladas"


interiormente das demais pessoas. E o pior é que elas ensinam,
indiretamente, isso para as demais! Gera-se, facilmente, um clima de
desagregação silencioso, de falsidade e hipocrisia, onde as aparências, as
fachadas, se dão melhor do que a sinceridade e a própria realidade em
comum. Gera-se individualismo e desconfiança entre as pessoas, que é o
oposto do necessário: o objetivo comum!

Espírito de Equipe não é só vestir a mesma camisa, é também


calçar o mesmo sapato! É ter empatia um com o outro, para saber,
simplesmente, onde pode e deve ajudar, sem precisar de solicitações ou até
implorações... Há ambientes corporativos que, se não houver requisições,
ninguém ajuda ninguém!

Espírito de Equipe envolve sinergia, espontaneidade, sincronia


interior entre os envolvidos. Exige sinceridade, compaixão, lealdade, ou
seja, realmente se trata de algo espiritual que deve ser formalizado do
interior para o exterior de cada participante da Equipe para o contexto que
juntos interagem.

Um ambiente deve ser participativo, deve ser acolhedor para


idéias, discordâncias e diálogos honestos. O Espírito de Equipe não é um fim
em si mesmo, mas um meio de se buscar a excelência nos resultados, nos
objetivos em comum. Um desafio proclamado por muitos e ainda, realizado
por poucos.