CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE SERVIÇOS TÉCNICOS Nº DO PROTOCOLO

MEMORIAL DE CÁLCULO: DIMENSIONAMENTO DO SISTEMA DE HIDRANTES 1. IDENTIFICAÇÃO DA OBRA

Visto do Oficial Analista Página 01

1.1 Estabelecimento: BERTIN S.A. 1.2 Endereço: Rod. PA 150 – Km 8,1 Bairro: Setor Industrial 1.3 Proprietário: BERTIN S.A. 1.4 Responsável Técnico: Júlio Pansera Junior 1.5 Área total construída (m ): 10.125,61 1.6 Altura da edificação (do piso de acesso ao piso mais elevado) (m): 0,00 1.7 Classificação de edificação quanto à sua ocupação (NBR 13714): Industrial
2

Ocupação: Industrial - Curtume Fone: Município: Marabá

CREA RN 260427335-7

ART 200354D SP/23

Nº de pavimentos: 01 Divisão (NBR 13714): I-2

1.8 Desnível entre o hidrante mais desfavorável hidraulicamente e ponto de tomada de água do reservatório (m): 1,30

2. DADOS EM FUNÇÃO DO TIPO DE SISTEMA ADOTADO
2.1 Tipo do sistema preventivo:  com mangotinho X com mangueira X sem mangotinho  sem mangueira 2.5 Tipo do esguicho:  Regulável X Jato compacto com diâmetro (mm): 19 2.6 Comprimento das mangueiras (m): 30 ou 2 X 15 por hidr. 2.7 Comprimento dos mangotinhos (m): -

2.2 Vazão referente ao tipo de sistema l/min (NBR 13714-Tab. 1) 300 2.3 Diâmetro das mangueiras (mm): 40 2.4 Diâmetro dos mangotinhos (mm): -

2.8 Quantidade de hidrantes existentes: 11 2.9 Quantos hidrantes, os mais desfavoráveis hidraulicamente, foram considerados em uso simultâneo, para o cálculo:  01 (um)  02 (dois)  03 (três) (X) 04 (quatro)

3. RESERVA TÉCNICA DE INCÊNDIO
3.1 Tipo de reservatório:  Elevado  Subterrâneo (X) Nível do piso 3.2 Material do qual é feito o reservatório: lagoa 3.4 Capacidade total do reservatório: 10.000 m³ 3.3 Capacidade da reserva técnica de incêndio: 37,85 m³

4. DADOS DE SUCÇÃO
4.1 Diâmetro tubulação (polegada): 5” 4.2 Vazão utilizada na cálculo da perda de carga (l/min): 1.260 4.3 Comprimento equivalente a perda de cargas localizadas das conexões (m): 36,30 4.4 Comprimento real da tubulação (m): 4,60 4.5 Perda de carga unitária (m/m): 0,030 4.6 Perda de carga total (mca): 1,22

5. DADOS DO RECALQUE
5.1 Primeiro hidrante mais desfavorável hidraulicamente: H1 Trecho H1-A
Diâmetro tubulação (polegada): 3” Vazão utilizada no cálculo da perda de carga (l/min): 300 Comp. Equivante a perda de cargas localizadas das conexões (m): 20,20 Comprimento real da tubulação: 35,20 m Perda de carga unitária (m/m): 0,024 Perda de carga total (mca): 1,31

5.2 Segundo hidrante mais desfavorável hidraulicamente: H2 Trecho H2-A
Diâmetro tubulação (polegada): 3” Vazão utilizada no cálculo da perda de carga (l/min): 306 Comp. Equivante a perda de cargas localizadas das conexões (m): 20,20 Comprimento real da tubulação: 19,70 m Perda de carga unitária (m/m): 0,024 Perda de carga total (mca): 0,97

PH1 = 16,50 mca Perda de carga na mangueira: 12,17 mca Altura geométrica no trecho: 2,50 m Pressão no ponto A: PH1-A = 16,50 + 12,17 + 1,31 + 2,50 = 32,48 mca PH1-A = 32,48 mca

PH2 = 16,90 mca Perda de carga na mangueira: 12,44 mca Altura geometrica no trecho: 2,50 m Pressão no ponto A: PH2-A = 16,90 + 12,44 + 0,97 + 2,50 = 32,81 mca PH2-A = 32,81 mca

Equilibrio de pressões no ponto A: PH1-A = PH2-A considerar como igual uma diferença de +- 0,50 mca Trecho A-B Diametro da tubulação: 3” Compr. Equiv. no trecho: 1,60 m Vazão utilizada no trecho (l/min): 300+306 = 606 l/min Compr. Real no trecho: 32,10 m Altura geometrica no trecho: 0,00 Perda de carga unit. (m/m): 0,086 mca Perda de carga total no trecho: 2,91 mca Pressão no Ponto B: PB = 32,81 + 2,91 + 0,00 => PB = 35,72 mca 5.3 Terceiro hidrante mais desfavorável hidraulicamente: H3 Diâmetro tubulação (polegada): 3” Vazão utilizada no cálculo da perda de carga (l/min): 324 Comp. Equivante a perda de cargas localizadas das conexões (m): 20,20 Comprimento real da tubulação: 7,90 m Perda de carga unitária (m/m): 0,027 Perda de carga total (mca): 0,76 PH3 = 19,00 mca Perda de carga na mangueira: 13,87 mca Altura geométrica no trecho: 2,50 m Pressão no ponto B: PH3-B = 19,00 + 13,87 + 0,76 + 2,50 = 36,12 mca PH3-B = 36,12 mca Trecho B-C Diametro da tubulação: 4” Vazão utilizada no trecho (l/min): 606+324 = 930 l/min Altura geometrica no trecho: 0,00 Compr. Equiv. no trecho: 2,10 m Compr. Real no trecho: 38,30 m Perda de carga unit. (m/m): 0,050 mca Perda de carga total no trecho: 2,02 mca Pressão no Ponto C: PC = 36,12 + 2,02 + 0,00 => PC = 38,14 mca 5.4 Quarto hidrante mais desfavorável hidraulicamente: H4 Verificar na planilha de cálculo em anexo.

2 Dispositivo: Visual Sonoro locados conforme projeto.1 (Hm) Altura manométrica (m): Hm = 54.2 Vazão (l/min): 20 (X) Sim 13......................00 mca e H4 = 20.................. CASO REPROVADO 1.. H4=15...3 Perda de carga no esguicho (mca): Verificar na planilha de cálculo em anexo 9.... H3 = 19................44 mca...............4 Vazão (m3/h): 76 12.. E AS DEMAIS INFORMAÇÕES FORAM BASEADAS NO MANUAL DE HIDRAULICA (AZEVEDO NETTO) E DO LIVRO DE INSTALAÇÕES HIDRAULICAS PARA COMBATE A INCENDIO (TELMO BRENTANO ) 13........... PRESSÃO DISPONÍVEL 7.......................... H2 = 16............... DEMAIS PERDAS E CARGAS 8......... 18....... POTÊNCIA DA BOMBA PRINCIPAL 10....... ___________ de _________________ de ________ ____________________________________ Oficial Examinador / Chefe do CAT II...... TERMO DE RESPONSABILIDADE Responsabilizamo-nos.70 mca 8............ ALIMENTAÇÃO DA BOMBA DE INCÊNDIO (ELÉTRICA OU À COMBUSTÃO) ACIONAMENTO COM CIRCUITO INDEPENDENTE DA REDE ELÉTRICA PRINCIPAL 15....1 Pressão disponível na ponta do esguicho (mca): H1 = 16.......1 Dispositivo: uso de pressostato 17......... ........... ALARME DO FUNCIONAMENTO DO SISTEMA PREVENTIVO 17...... 19....Nº DO PROTOCOLO DIRETORIA DE SERVIÇOS TÉCNICOS Visto Do Oficial Analista 6...................1 Potência (cv): 25 11............1 Desnível entre o hidrante mais favorável hidraulicamente e o ponto de tomada de água do reservatório (m): 1............. .1 Tipo: Automatico – ligado ao acionamento da Bomba Principal...3 Potência (cv): 3 13.. ALTURA MANOMÉTRICA 10. ACIONAMENTO E O DESLIGAMENTO DA BOMBA PRINCIPAL 15........... que as informações constantes neste Memorial de Cálculo......... BOMBA AUXILIAR (JOCKEY) 13...01 mca 9.... TABELAS E OUTROS RECURSOS UTILIZADOS OS CÁLCULOS DAS PERDAS DE CARGA FORAM REALIZADOS UTILIZANDO A FÓRMULA DE HAZEN-WILLIAMS........................... ___________ de _________________ de ________ Belém......... estão em conformidade com as Legislações e Normas Técnicas vigentes..1 – Manual (local): acionamento por botoeiras – Automático (dispositivo): acionamento através de pressostato (bomba jockey) – Desligamento manual (local): somente no painel da bomba 16................... ACIONAMENTO E O DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO DA BOMBA AUXILIAR (JOCKEY) 16...1 Perda de carga na mangueira (mca): H1=12.........3 Diâmetro do Rotor: 207 mm 11.. sob as penas da lei..... .. DADOS COMERCIAIS DA BOMBA ADOTADA 11....17 mca...30 Página 02 7.....2 Tamanho/Modelo: Bomba SCHNEIDER BC-23 R/F 2 11.90 mca. H2=12...... de .1 Localização: Casa da Bomba......................87 mca. MEMORIAL DE CÁLCULO APROVADO B Belém....... PAINEL DE SINALIZAÇÃO 18..................... INFORMAÇÕES ADICIONAIS SOBRE ÁBACOS........ de .1 Potência calculada (cv): 21........................... Providenciar as retificações dos seguintes itens: ..... ___________ de _________________ de ________ __________________________________ Oficial Examinador __________________________________ Chefe do CAT B ....50 mca..................55 mca 8.......................4 Modelo: SCHNEIDER M1630 14... ALTURA GEOMÉTRICA 6........................... Belém....1 Existe bomba jockey no sistema? ( ) Não 13. para proteção da referida edificação em sua totalidade... 17..... Assinatura do responsável técnico ______________________________________________________ Assinatura do proprietário _______________________________________________________ USO EXCLUSIVO DO CBMPA I.. H3=13....................................... Belém / PA.85 cv 11....................2 Perda de carga no mangotinho (mca): 8...

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful