Ministério da Saúde Hospital Américo Boavida SIDIP

Autora: Teresa Candeeiro Médica Interna de especialidade , rotação do SIDIP

quando ocorre um aumento dos casos de doenças transmitidas por gotículas expiradas. surtos limitados a instituições ou comunidades e grandes epidemias.Introdução A doença meningocócica tem distribuição mundial sob a forma de casos esporádicos. O número de casos aumenta nos meses de cacimbo. O cinturão africano da meningite (África subsariana) continua a apresentar níveis altos de doença esporádica e surtos significativos. escolas.) constituem um ambiente propício à transmissão da doença. como consequência directa da maior incidência de infecções respiratórias. As comunidades fechadas (creches. A maioria dos casos de infecção meningocócica ocorre como incidente isolado e esporádico. . lares. etc. Actualmente nota ² se um número consideravel de meningite em doentes com infecções viricas .

No seu estado mais avançado pode causar septicémia. Meningite Tuberculosa . alguns agentes químicos e mesmo células tumorais podem provocar meningite. Meningite Asséptica ou Viral ² agentes virais . TIPOS DE MENINGITE Existem varios tipos de meningites as mais importantes são: . vírus ou fungos).Definição A meningite é uma inflamação das meninges. Pode ocorrer em consequência de infec ção por qualquer agente patogénico. Patogenia Os meningococos que colonizam o tracto respiratorio superior sao interiorizados pelas celulas mucosas nao ciliadas podendo atravessa-las e chegar à camada submucosa. mas é predominantemente devido a doença invasiva causada por bactérias ou vírus. Meningite Bacteriana ou piogénica meningococos ( bactérias formadoras de pûs ) bacilos influenza pneumococos .bacilos da tuberculose . O agente etiologico mais frequente é a Neisseria meningitidis (meningococos). Etiologia Apesar da causa mais comum ser infecciosa (através de bactérias. diplococo aeróbio Gram-negativo com cápsula polissacarídica que se transmite nos seres humanos (seu único habitat conhecido) pelas secreções respiratórias. a partir da qual têm acesso à corrente sanguínea e posteriormente atravessam a barreira hemato -encefálica. membranas que recobrem o encéfalo e a e a medula espinal.

‡ Aparecimento de petéquias (geralmente nas pernas). ombro ou das costas. proteinas e glicose normal ou pouco alteradas . febre alta e vômitos. Rigidez da nuca. Irritabilidade.R.MENINGITE BACTERIANA :É uma inflamação das membranas que cobrem o cérebro e a medula espinal . glicorraquia diminuída e hipercitose á custa de leucócitos polimorfonucleare s alterados. laboratorialmente encontramos predominio de linfomonucleares . fotofobia. causada por microorganismos piogenicos e caracterizada por L. Meningite viral :É : quadro clínico arrastado. causada por vírus . Meningite tuberculosa Manifestações clínicas: Inicialmente os sintomas resultam da infecção e a seguir do aumento na pressão intracraniana. uma inflamação das membranas que cobrem o cérebro e a medula espinal . podendo evoluir até grandes lesões equimóticas ou purpúricas. proteínas elevadas e glicose diminuída ou normal . ‡ Resistencia à flexão do pescoço . com predomínio de linfomononucleares. ou seja. podendo cursar com: ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ dor de cabeça (cefaléia). com alterações liquóricas compatíveis.C. turvo. com proteinorraquia aumentada. delírio e convulsões. baixa celularidade (geralmente até 500).

TERAPÊUTICA A conduta terapêutica inicial compreende : . DIAGNÓSTICO .isolamento. Mal-estar. recusa de alimentos. as culturas de material colhido no nariz e garganta. picadas na pele. Febre alta.correcção de anemia.controle de temperatura. juntam-se para formar Articulações dolorosas. Retracção do pescoço com costas arqueadas.MENINGITE Bebés Febre com mãos e pés frios. .começa com Cefaleias intensas. MENINGITE SEPTICEMIA Crianças e adultos Mal-estar. Fotofobia. .P. Sonolência. vastas áreas púrpuras Paroxismos.manutenção de ventilação.controle de convulsões. de tecido lesionado descorado.(diag. podem oferecer informações valiosas.instituição de antibioterapia. . Letargia.manutenção de Hidratação. Choro e irritabilidade. . Estado febril. . Rash. .exame físico . Expressão vazia.L. Mãos e pés frios. Respiração ofegante. . Pele pálida e manchada. Definitivo) Em alguns casos. aglomerado de Rigidez da nuca. Sonolência e letargia. Múltiplas equimoses Falta de energia.

pneumoniae: Penicilina G 24 milhões de unidades ou ampicilina 12g. o tratamento empírico deve ser feito com uma cefalosporina de terceira geração mais vancomicina. Na impossibilidade de se conhecer o agente etiológico. No caso de meningites virais não há tratamento específico. o tratamento deve ser específico para o agente etiológico envolvido.Tratamento O tratamento inicial é com glicorticóides em altas doses . o tratamento mais usado é o seguinte: ‡ S. ‡ H. influenzae: Ampicilina 12 g ‡ Estafilococos: ceftriaxona 4 g ou cloranfenicol ‡ L. Para uma maior eficiência. . pois a doença pode levar a morte ou a seqüelas neurológicas graves. erupcao purpurica ou equimotica. contagem normal ou baixa de leucocitos. Nos casos de resistência bacteriana recomenda-se o uso de cefalosporina ou vancomicina. monocytogenes: Ampicilina 12 g Prognóstico Durante a avliacao inicial dos pacientes. as manifestacoes clinicas mais associadas a evolucao fatal sao: choque. idade suparior ou igual a 60 anos e coma. ‡ Meningococos: Penicilina G 24 milhões de unidades ou ampicilina 12g. mas essas tendem a ser infecções menos graves e auto-limitadas. Para as infecções bacterianas o tratamento deve ser o mais rápido possível. Para bactérias conhecidas.

o tratamento empírico deve ser feito com uma cefalosporina de terceira geração mais vancomicina. Inicialmente os sintomas resultam da infecção e a seguir do aume nto na pressão intracraniana.. mas essas tendem a ser infecções menos graves e auto-limitadas. Para uma maior eficiência. Na impossibilidade de se conhecer o agente etiológico. membranas que recobrem o encéfalo e a espinal medula. a partir da qual têm acesso à corrente sanguínea e posteriormente atravessam a barreira hemato -encefálica. delírio e convulsões. podendo cursar com. O agente etiologico mais (meningococos). . Aparecimento de petéquias (geralmente nas pernas). fotofobia. podendo evoluir até grandes lesões equimóticas ou purpúricas. Diagnóstico consiste na realização de exames de sangue e cohleita de LCR. No caso de meningites virais não há tratamento específico.cefaléia). o tratamento deve ser específico para o agente etiológico envolvido. pois a doença pode levar a morte ou a seqüelas neurológicas graves. Rigidez da nuca. sendo este de maior importância. febre alta e vômitos. Irritabilidade..Prevenção y y y y Vacinas polissacarídicas meningocócias Quimioprofilaxia antimicrobiana Precauções de isolamento Control de surto Conclusões: A meningite é uma inflamação das meninges. Para as infecções bacterianas o tratamento deve ser o mais rápido possível. frequente é a Neisseria meningitidis Os meningococos que colonizam o tracto respiratorio superior sao interiorizados pelas celulas mucosas nao ciliadas podendo atravessa-las e chegar à camada submucosa.