INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO IFPE - Campus Recife PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENAÇÃO DE PESQUISA

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA – PIBIC RELATÓRIO FINAL

TÍTULO DO PROJETO UMA AÇÃO INTERDISCIPLINAR PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE MERCADOS PÚBLICOS - ESTUDO DE CASO: MERCADO DAS MANGUEIRAS, JABOATÃO DOS GUARARAPES-PE.

PLANO DE TRABALHO ANÁLISE DE RISCOS AMBIENTAIS

ORIENTADOR: RÓBSON SILVA PASSOS BOLSISTA: VICTOR THOMAS SILVA PESSOA

Recife, 20 de Agosto de 2010
1

dentro da área de Segurança do Trabalho.RESUMO Este trabalho foi desenvolvido no âmbito do projeto “Uma ação interdisciplinar para o desenvolvimento sustentável de mercados públicos . A pesquisa desenvolveuse através de uma parceria entre o IFPE (Instituto Federal de Educação. o uso das leis normativas e de métodos específicos relacionados à Higiene e Segurança do Trabalho.PE”. Palavras-chave: interdisciplinaridade. mercado público. segurança do trabalho. foi realizada a etapa de reconhecimento dos riscos ambientais e na segunda etapa uma avaliação quantitativa. Ciência e Tecnologia de Pernambuco) e a Prefeitura de Jaboatão. sua contribuição na investigação da sustentabilidade do mercado. Objetivou-se.Estudo de caso: Mercado das Mangueiras. identificar e avaliar os riscos ambientais e consequentemente verificar o cumprimento das normas e leis em matéria de Higiene Ocupacional no Mercado Público das Mangueiras. respaldada pelo método e saber técnico de cada área de conhecimento envolvida. Na primeira fase. higiene ocupacional. riscos ambientais. 2 . Jaboatão dos Guararapes. A metodologia adotada para a identificação e avaliação dos riscos ambientais envolveu visitas de campo. A proposta metodológica do projeto foi fundamentada numa abordagem interdisciplinar na qual cada área de conhecimento deu uma contribuição na compreensão do problema em estudo. Os resultados mostraram a existência de riscos gerais em todos os setores e também riscos específicos em alguns setores do Mercado. além da falta de percepção desses riscos pelos feirantes. trazendo assim.

ÍNDICE Resumo Índice Introdução Revisão de Literatura Objetivo Geral Objetivos Específicos Metodologia Resultados e Discussão Conclusões Referências Bibliográficas Dificuldades Encontradas Sugestões para Melhoria do PIBIC 2 3 4 5 9 9 9 12 16 17 18 19 3 .

Nesse contexto. diante dos problemas enfrentados em relação ao estado de degradação dos Mercados Públicos deste município. 2006).Introdução A pesquisa desenvolveu-se através de uma parceria entre o IFPE (Instituto Federal de Educação. muitas vezes acompanhados de crianças. propiciando uma interrelação entre ensino. relativas à segurança e medicina do trabalho. na busca da compreensão. as Normas Regulamentadoras – NR. são de observância obrigatória. ao mesmo tempo. políticos e intelectuais (PINTAUDI. os locais chamados de Mercados Públicos constituem patrimônios imateriais e culturais de uma cidade porque oferecem diversos produtos e serviços em um único lugar e são palco para diversos acontecimentos artísticos. através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e de Turismo da Prefeitura Municipal de Jaboatão de Guararapes-PE. pois os agentes ambientais podem ser minimizados quando as medidas corretivas são tomadas. A observância destas normas em mercados públicos é de alta relevância devido à elevada quantidade de feirantes e ao fluxo intenso de pessoas entre clientes. De uma maneira geral. explicação e intervenção em uma realidade. Ciência e Tecnologia de Pernambuco) e a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes. uma delas é a análise de riscos ambientais. que possibilita uma melhor produtividade do trabalhador eliminando os fatores que prejudicam o exercício de sua função em todos os seus aspectos. pretendeu-se inovar na forma de fazer pesquisa. A Segurança do Trabalho é um campo bastante amplo que envolve várias áreas. envolvendo diferentes áreas do conhecimento objetivando estabelecer um diálogo e uma construção coletiva. Como em todo estabelecimento. 4 . o IFPE se propôs a desenvolver uma metodologia interdisciplinar no Mercado Público das Mangueiras. pesquisa e extensão. administradores e feirantes.

2006). do deslocamento possível nos diferentes momentos históricos e da importância que o local representava para o abastecimento da cidade e da sua região de abrangência (PINTAUDI.Revisão de Literatura A sociedade a cada dia vem se complexificando e os problemas não podem ser evidenciados do ponto de vista de uma única percepção. foram se reproduzindo e se transformando em construções sólidas. aplicar seu método em Mercados Públicos. Os mercados. “é o fato de que as pessoas que se presume serem especialistas em vários campos já não estarem capacitadas a lidar com problemas urgentes que surgem em suas respectivas áreas e especializações. sendo a mesma considerada como uma inovação na busca de soluções para os problemas enfrentados no cotidiano.. Os ganhos produzidos pelas especializações também produzem prejuízos pela falta de visão global da realidade. pois para a população que vivia em cidades nas quais as feiras não seriam constantes. Todas as culturas adotaram esta forma de troca de produtos e o fato de se realizar esporadicamente. era necessário um contínuo abastecimento de insumos para a sua sobrevivência (PINTAUDI.”. que se criaram a partir da informalidade das feiras livres. Segundo Luck (2004). busca de modo interdisciplinar. A interdisciplinaridade se apresenta hoje como uma proposta para resolver problemas complexos que exigem a cooperação de diferentes disciplinas. Os usuários do Mercado conservam hábitos tradicionais que passam de geração para geração e se perpetuam até os dias de hoje. a interdisciplinaridade é uma idéia força que se manifesta a partir do enriquecimento conceitual e da consciência da fragmentação criada e enfrentada pelo homem. o reconhecimento e a avaliação dos riscos ambientais. a Higiene Ocupacional visa a antecipação. O Mercado Público é uma forma de intercâmbio de produtos encontrada em cidades da antiguidade e se hoje tem continuidade no espaço. são os ritos que dão vida 5 .. 2006). Luck (2004) também afirma que. isto certamente se deve ao fato de poderem dialogar com outras formas comerciais mais modernas. dependia das mercadorias que ali se trocavam e da necessidade de se realizar a troca com certa freqüência. periodicamente ou de maneira perene e com local apropriado para esse fim. Neste projeto. Neste contexto.

avaliar e controlar os riscos de acidentes (GONÇALVES. São normas com a finalidade de proteger. relativas à segurança e medicina do trabalho. que vai permitir a origem. Uma avaliação de riscos é um exame sistemático de todos os aspectos do trabalho. a Gestão de Riscos constitui o aspecto essencial a ter em conta na política de prevenção integrada definida. com o investimento de capital (proteção ao patrimônio). Se por um lado a produtividade aumenta com o comércio. Ela é um processo imprescindível para estimar a amplitude dos riscos que não podem ser evitados. são de observância obrigatória. por outro. Dessa forma. (BRASIL. com vista a apurar o que poderá provocar danos. a segurança é primordial aos programas de qualidade e produtividade. com a capacidade de produção (fazer o necessário no momento certo) e com as exigências do mercado (produtos produzidos com a qualidade certa. obtendo-se deste modo a informação necessária para se tomarem as medidas preventivas apropriadas. física e mentalmente. o trabalhador e outras medidas que visam ao perfeito funcionamento e eficaz proteção das máquinas e ferramentas de trabalho (SOUNIS. se é ou não possível eliminar os perigos e. as Normas Regulamentadoras – NR. etc). que medidas preventivas ou de proteção devem ser tomadas para controlar o risco (FRUHAUF. Na implementação de Sistemas de Gestão de Segurança no Trabalho. A Gestão de riscos pode ser definida como a aplicação sistemática de estratégias. Portanto. expondo os feirantes a riscos de acidentes de trabalho e suas conseqüências. faz com que apareçam riscos ambientais. (STERNADT. 2005). procedimentos e práticas com o objetivo de identificar. Como em todo estabelecimento em que possua trabalhadores e ocorre a existência de riscos ambientais. 1998). quando estão relacionadas com valores humanos (prestígio. 1983) A Segurança do Trabalho pode ser definida como: a ciência que objetiva a prevenção de acidentes do trabalho através das análises dos riscos do local e dos riscos de operação. 2004). a natureza e os efeitos dos riscos em presença. 1991). (CASTILHOS E CAVEDON. 2000). em caso negativo.ao cotidiano do Mercado Público. orgulho. No centro desta abordagem está a avaliação de risco. dentro do prazo especificado pelo cliente. a Segurança do Trabalho tem como objetivo minimizar as perdas. bemestar. A análise de risco deve incluir as seguintes etapas: identificação de perigos e 6 .

fadiga. métodos ou processos de trabalho. Riscos Biológicos: vírus. ergonômicos e de acidentes que possam trazer ou ocasionar danos à saúde do trabalhador nos ambientes de trabalho. frio. vapores e produtos químicos diversos. em função de sua natureza. intensidade e tempo de exposição ao agente. posturas incorretas. 2005). ou de modificação dos já existentes. Tais agentes são: Riscos Físicos: ruídos. biológico. fungos e bacilos. eletricidade. vibrações. parasitas. verificação da necessidade de tomar novas medidas para prevenir ou reduzir o risco. concentração. que é a base da legislação vigente em Segurança do Trabalho. A análise inicial de riscos deverá efetuar-se em todos os postos de trabalho do mercado. químico. no caso de não ser possível eliminá-lo (PONZETTO. fumos metálicos. armazenamento inadequado. A identificação é o primeiro passo para a análise dos riscos ambientais. estimativa qualitativa e quantitativa do risco. dependendo de uma série de variáveis técnicas e administrativas. 2002). calor. ferramentas inadequadas ou defeituosas. tendo em conta: as condições de trabalho existentes ou previstas e as características ou estado do feirante (FRUHAUF. Na concepção de AYRES e CORREA (2001) são considerados riscos ambientais os agentes físicos. gases. de afetar a saúde do trabalhador (RIBEIRO. névoas. iluminação inadequada. quer físico. 1989).de feirantes potencialmente expostos a riscos resultantes desses perigos. animais peçonhentos e ausência de sinalização. biológicos. Riscos Ergonômicos: monotonia. Riscos de Acidentes: arranjo físico inadequado. máquinas e equipamentos sem proteção. estudo da possibilidade de eliminar o risco. trabalhos físicos pesados e repetitivos. Riscos Químicos: poeiras. visando a identificar os riscos potenciais e introduzir medidas de proteção para sua redução ou eliminação 7 . A identificação dos riscos ambientais envolve dois aspectos: a antecipação. ergonômico ou de acidente. previsto na Higiene do Trabalho. pressões anormais e umidade. bactérias. químicos. probabilidade de incêndio ou explosão. Todo e qualquer agente. que deverá envolver a análise de projetos de novas instalações. campo da Engenharia da Segurança e da Medicina do Trabalho está presente em qualquer ambiente de trabalho e tem um potencial. radiações.

Após a avaliação. No entanto. 1994). Após a identificação. De acordo com as leis brasileiras. na independentemente modalidade consiste identificação e avaliação dos riscos para a segurança e saúde nos locais de trabalho. desenvolvidos e aperfeiçoados inúmeros métodos com capacidade para identificar os perigos existentes no local de trabalho e efetuar a avaliação dos riscos associados. A identificação dos riscos deve ser feita através de inspeções técnicas e processos dedutivos (BRASIL. Estas ações devem ser realizadas sempre que forem verificadas uma ou mais das seguintes situações: identificação. o que significa que compete ao técnico de segurança do trabalho a escolha do método que considere adequado face à realidade que pretende avaliar. 1994) e o reconhecimento. bem como as possíveis reduções dos danos. 1994). quando os resultados das avaliações quantitativas da exposição dos feirantes excederem os valores dos limites previstos na NR 15 (BRASIL.(BRASIL. sobre aspectos relacionados à procedimentos de análise de riscos ambientais no trabalho. talvez exista a possibilidade de se adotar medidas necessárias e suficientes para a eliminação. na fase de antecipação. no trabalho. 2006). a minimização ou o controle dos riscos ambientais. logo em seguida vem a avaliação do risco ambiental. 8 . 1994). na fase de reconhecimento de risco evidente à saúde. de risco potencial à saúde. foram sendo criados. uma das atividades principais dos serviços da de segurança. Ao longo do tempo. os potenciais de riscos a eles associados e qual a prioridade de avaliação ou controle existe neste ambiente. A avaliação deverá ser realizada sempre que necessária para: comprovar o controle da exposição ou a inexistência riscos identificados na etapa de reconhecimento e dimensionar a exposição dos feirantes (BRASIL. de higiene organização e saúde adotada. as leis não indicam a metodologia a ser adotada nesta identificação e avaliação. mediante a adoção de diferentes medidas de controle (PEDRO. constatação. que envolve a análise e observação do ambiente de trabalho a fim de identificar os agentes existentes.

No 2° andar localiza-se o setor de confecções e vestuário. temperos e carnes. Está localizado na Avenida Barreto de Menezes. Objetivos Específicos  Identificar riscos ambientais existentes no local.000 m². A figura 1 mostra uma visão frontal do Mercado.  Avaliar riscos ambientais de modo qualitativo e quantitativo. O local possui dois andares. Foram determinadas várias visitas de 9 . com capacidade de abrigar 1.Objetivo Geral  Aplicar o método da Higiene Ocupacional no Mercado das Mangueiras com vistas a melhoria as condições ambientais do local. no 1° andar localizam-se os setores de: Artigos gerais.310 feirantes. lanches. através de um planejamento inicial das atividades a serem realizadas e uma reunião semanal para direcionamento das ações e discussão dos resultados obtidos. Metodologia Caracterização da Área de Estudo Erguido numa área de 14. quando possível. no centro comercial Prazeres.000 o ocupando. o Mercado das Mangueiras reordenou o comércio informal da cidade de Jaboatão. sendo que atualmente possui 1. Figura 1 – Visão Frontal do Mercado (Foto: Marcelo Ferreira) Esta pesquisa foi conduzida. frutas e verduras.

físicos e biológicos. Um modelo da planilha está a seguir: Tabela 1 – Planilha para Reconhecimento dos Riscos Ambientais. LOCAL: DATA: SETOR: RISCO AMBIENTAIS FÍSICOS RUÍDO VIBRAÇÔES INFRA-SOM ULTRA-SOM CALOR FRIO RADIAÇÕES IONIZANTES RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES PRESSÕES ANORMAIS UMIDADE AMBIENTAIS QUÍMICOS POEIRAS FUMOS NEVOAS NEBLINAS GASES/VAPORES SUBSTÂNCIAS COMPOSTAS OU PRODUTOS QUÍMICOS EM GERAL AMBIENTAIS BIOLÓGICOS FUNGOS BACTÉRIAS VÍRUS PARASITAS BACILOS 10 SIM/NÃO OBSERVAÇÃO .campo ao Mercado para identificar os riscos ergonômicos e de acidente e foi elaborada uma planilha de identificação para riscos químicos. Em cada setor do Mercado foi realizado a inspeção ou a aplicação da planilha.

Perda financeira significativa (reparável com recursos existentes. Interrupção da atividade. Provável que ocorra algumas vezes. 11 2. Uma vez confirmada a presença de riscos no Mercado. mas com impacto na gestão financeira). Improvável.Baixa 3.Como dito anteriormente. o que significa que compete ao técnico de segurança do trabalho a escolha do método que considere adequado face à realidade que pretende avaliar. Requer remoção complexa e demorada e/ou tratamento hospitalar prolongado (internação). na revisão de literatura. Sem lesões. Segundo essa técnica. Grande perda financeira (reparável através de recursos não disponíveis na empresa ou seguro). torna-se necessário a avaliação para mensurar os prejuízos e lesões potenciais. Requer remoção e breve tratamento hospitalar. a condição para a existência de riscos é a existência de um perigo que causa o risco. devemos analisar o risco através de um perigo existente O risco possui dois elementos para a sua classificação: a probabilidade de que ele produza um evento perigoso e a gravidade das possíveis conseqüências prejudiciais. A avaliação será realizada pelo método da APR (análise de riscos preliminares).Moderada 4. porém é possível que ocorra. Requer primeiros socorros no local. Comprometimento da continuação da atividade. Provável que ocorra muitas vezes Tabela 2 – Probabilidade do Evento Consequência (C) 1. Muito improvável que ocorra. Sem perda financeira significante. mas não requer remoção. a lei não indica a metodologia a ser adotada na avaliação. ou o resultado de um evento perigoso. Então. A seguir uma tabela para a classificação dos dois elementos: 12345- Muito Remota Remota Improvável Provável Frequente Probabilidade (P) Quase inconcebível que o evento ocorra.Insignificante Não requer tratamento e nem remoção.Alta . Pequena perda financeira (sem impacto na gestão financeira da empresa).

estes riscos são comuns em Mercados Públicos. má 12 Nível Aceitável Tolerável Intolerável . que podem levar a ocorrência de acidentes. lanches e frutas e verduras. a lista separada por tipo de riscos: Riscos Químicos – Foram identificados gases combustíveis em função da presença de água estagnada na área de artigos gerais. ocupação (saturação) do tempo. Os resultados mostraram a existência dos riscos gerais em todos os setores e também riscos específicos em alguns setores. fazemos a combinação de probabilidade e consequência. Eles devem ser avaliados quantitativamente através do uso de equipamentos de medição para verificar se há necessidade de medidas de correção. Perda financeira irreparável. exceto ruído para o setor de confecções. Existe risco de incêndio em todos os setores devido a fatores como: Falta de Extintores. Análise de Risco (AR) = Probabilidade (P) x Consequência (C). Risco Ergonômico – Foi identificada uma leve atuação desse agente devido ao stress. posições incômodas. Riscos Físicos – Foram identificados no mercado desconforto acústico (ruído) e desconforto térmico (calor) em todos os setores do Mercado. cansaço físico. Avaliação do Risco AR ≤ 6 8 < AR < 12 AR ≥ 15 Grau Baixo Moderado Crítico Tabela 4 – Nível de Risco Resultados e Discussão Identificação dos Riscos Ambientais Foi realizada a identificação dos riscos ambientais com a planilha e com as inspeções em todos os setores do Mercado. Existe risco de choque elétrico devido à falta de procedimentos de Segurança no setor de Artigos Gerais e Lanches. Segue abaixo. Riscos de Acidente – Foram identificadas condições inseguras. Entretanto. monotonia. ritmos excessivos. ansiedade e responsabilidade.5. Tabela 3 – Consequência do Evento Para analisar o risco.Catastrófica Morte.

Devem-se aplicar medidas corretivas nos riscos acima citados para que se possa evitar acidentes. Ocorre também a falta de materiais equipados e pessoas aptas a realizar os primeiros socorros. devido a rachaduras. É necessária uma coleta seletiva e uma educação ambiental aos feirantes. nenhum tipo de treinamento de combate a incêndio pelos feirantes e a inexistência de brigada de incêndio. (Foto: Róbson Passos) 13 . além da falta de guarda corpo em corrimãos de escadas. Existe risco de queda. Torna-se necessário a limpeza e higiene destes locais a fim de evitar doenças. Figura 2 – Risco Biológico – Lixo pelo Mercado. exceto em confecções. Riscos Biológicos – Foram identificados agentes biológicos.localização. sinalização e manutenção dos hidrantes e extintores. Existe uma grande quantidade de lixo mal gerenciado na área de frutas verduras. lixo e chão molhado devido a chuva. Existem furos nas canaletas para tratamento de esgoto que podem causar doenças como filariose. devido às precárias condições de higiene e de limpeza dos locais onde se encontram as instalações sanitárias. os resíduos ficam pelo chão acumulando sujeiras e microorganismos. pois as frutas a serem vendidas estão em contato com lugares proliferadores de microorganismos nocivos. tal situação não pode ocorrer devido ao intenso fluxo de pessoas e os riscos dentro do Mercado. tal situação pode acarretar doenças a pessoas que trafegam pelo Mercado ou compram alimentos. contribuindo para o surgimento de doenças e pragas.

(Foto: Róbson Passos) Figura 4 – Furos em Caneletas: Ambiente propício ao desenvolvimento de doenças como Filariose. o método utilizado para a avaliação dos riscos ambientais do mercado será a APR (análise preliminar de riscos). 14 .Figura 3 – Risco Biológico – Frutas a serem vendidas em contato com lugares proliferadores de microorganismos nocivos. Segue abaixo as tabelas das avaliações dos riscos do Mercado das Mangueiras através desse método. (Foto: Róbson Passos) Avaliação dos Riscos Ambientais Como dito anteriormente.

4 Consequência do Risco Baixa .Perigo: Instalações Elétricas Inadequadas. maior será a urgência. Risco: Incêndio / Choque Elétrico Probabilidade do Risco Improvável .4 Consequência do Risco Índice de Risco Aceitabilidade do Risco Tolerável Moderada .3 Consequência do Risco Alta – 4 Índice de Risco Aceitabilidade do Risco Tolerável 3 x 4 = 12 Tabela 5 – Avaliação de Risco de Incêndio e Choque Elétrico Perigos: Lixo e Água da Chuva pelo Chão.2 Índice de Risco Aceitabilidade do Risco Tolerável 4x2=8 Tabela 6 – Avaliação de Risco de Queda Perigos: Lixo e Resíduos pelo Chão. Risco: Doenças causadas por Parasitas Probabilidade do Risco Provável . O nível de risco pode ser diminuído reduzindo a gravidade das possíveis 15 . é necessário introduzir ações mitigadoras. Quando se considera que o risco é intolerável ou tolerável. Quanto mais elevado o risco. Aberturas nas Canaletas para Tratamento de Esgoto. Risco: Queda Probabilidade do Risco Provável . Os riscos têm que ser mantidos no nível mais baixo possível. não existe uma segurança operacional absoluta. Precárias Condições de Higiene nos Banheiros.3 4 x 3 = 12 Tabela 7 – Avaliação do Risco de Doenças causadas por parasitas No que diz respeito aos riscos. Falta de guarda-corpo em Escadas.

Entretanto. o conhecimento e a participação dos feirantes. levantando causas e efeitos de cada risco. política e cultural. Isto significa que esforços devem ser feitos para reduzir os riscos. A aplicação da norma é a própria avaliação e o gerenciamento dos riscos ambientais. apresentam-se as normas e as estratégias de segurança como ferramentas de grande importância para o reconhecimento e antecipação dos riscos. Portanto. Na medida em que fornece condições para a eliminação ou atenuação em limites toleráveis de exposição ao risco por partes dos feirantes. Está confirmada a ausência de práticas de segurança e a existência de riscos ambientais no Mercado das Mangueiras. eliminação e controle de riscos. visando garantir segurança e conforto aos feirantes. sem necessidade de interromper as atividades. A partir da identificação e da avaliação qualitativa dos riscos ambientais. possuem um papel fundamental na identificação. as medidas de prevenção devem ser implementadas dentro de um período de tempo definido. Portanto. Entretanto. os riscos principais foram classificados como toleráveis. é de suma importância seguir essas recomendações. as relações de poder e convívio na sociedade possuem forte influência junto ao mundo restrito da ciência e da técnica. a probabilidade de que ocorra e a exposição a esse risco. medidas de prevenção ou correção e classificação dos riscos para priorização de ações. já que eles realizam o trabalho cotidiano e sofrem seus efeitos e. Conclusões A análise dos riscos no Mercado deve necessariamente incorporar a vivência. No mercado. logo. Dentro deste contexto. portanto. são também de natureza ética. trata-se de uma revisão geral de aspectos de segurança por meio de um procedimento padrão. os riscos presentes não são um problema somente técnico. 16 . Isto demonstra a importância da avaliação desses riscos e da tomada de ações corretivas.conseqüências. os resultados obtidos foram analisados e ficou evidente a existência de riscos no Mercado das Mangueiras.

2005. 63ª Edição. Paraná: UEPG.  FRUHAULF. CAVEDON. HUPPES. 2006. Vozes. Escola Técnica Estadual de Santa Cruz.  PEDRO.  MENEZES. 2002. Porto. E. 2006. Técnicas de segurança do trabalho. Métodos de Avaliação e Identificação de Riscos nos Locais de Trabalho. 2004. RJ. José Aldo Peixoto. 1994. Rio de Janeiro. Gilberto. 1994. São Paulo: Atlas. Estudo de caso: Indústria frigorífica de frangos. Hélio. Emílio. Mauro Nestor. CORRÊA. 2000. 2001. Dílson Valério. Ed. Pedagogia Interdisciplinar: Fundamentos teóricos metodológicos. São Paulo: ATLAS. 2001. Norma Regulamentadora – 1.200 Perguntas e Respostas. 1991. São Paulo. 3ª Ed. Mapa de Riscos Ambientais: Manual Prático. 17 . Editora LTR. v 10.  RIBEIRO. Aplicação da ferramenta análise preliminar de riscos. Os Mercados Públicos: Metamorfoses de um Espaço na História Urbana. Norma Regulamentadora – 9. N R. CASTILHOS. R B. Edwar Abreu. São Paulo: Atlas.  LUCK. Manual de higiene e medicina do trabalho. Manual de Prevenção de Acidentes do Trabalho.    BRASIL. BRASIL. L. Apostila do Componente Curricular de Segurança do Trabalho I. São Paulo: Ícone.Referências Bibliográficas  AYRES. CAMPOS. F. Douglas Tadeu Ansolin.  PONZETTO. Petrópolis. 1989. Segurança e Medicina do Trabalho em 1. REAd Revista eletrônica de administração. Porto Alegre. Editora LTR.  GONÇALVEZ. Dennis de Oliveira. p 1-15. Mercado Público de Porto Alegre: um espaço organizacional dividido entre o sagrado e o profano. Scripta Nova Revista electrónica de geografia y ciencias sociales. Ricardo.  SOUNIS. 63ª Edição. v 10. Silvana M.  PINTAUDI. São Paulo. São Bernardo do Campo: Cultura. 1983. Barcelona.

prevenção e controle total de perdas. Apostila da disciplina Gerência de Riscos. E. Gerência de Riscos. STERNADT. 1998. Dificuldades Encontradas A maior dificuldade foi a inexistência de normas e leis específicas de Higiene e Segurança do Trabalho em Mercados Públicos. Curitiba. Engenharia de segurança de sistemas. 18 . do curso de especialização em engenharia de segurança do trabalho.