Epé Layé Terra Viva

Maria Stella de Azevedo Santos, Mãe Stella de Oxóssi

Epé Laié é uma estória Que todos nós devemos ver! (Leonardo Gonçalves Santos .10 anos Morador da comunidade do Ilê Axé Opô Afonjá) .

Dos outros ele recebia a seguinte resposta: Nada! Você não pode fazer nada! Ninguém pode fazer nada! Resposta simples. Porque tanta gente passando fome? Porque tantas crianças jogadas na rua? Porque com tanto serviço a ser feito e as mães preferem usar seus filhos para pedir esmolas?. A pergunta de Nando era outra: O que eu posso fazer para diminuir os problemas do mundo? Nando fazia essa pergunta a si e aos outros. . para uma pergunta tão complexa. um privilégio. mas é um pouco que é muito!” Ouvir o coração é uma arte e ser artista.(Epé Layé conta a história de Fernando.. do mundo dos adultos. extremamente preocupado com os problemas do mundo. Dez anos apenas era a sua idade. Nando obtinha outra resposta: “Você pode! Você pode muito! Um muito que pode parecer pouco. um menino de 10 anos.) (A preocupação de Nando) Nando. na verdade Fernando.. se não lhe pertenciam. Do seu coração. mas a sua cabeça era povoada por problemas que. sentia-se um nada diante da imensidão dos problemas do mundo. muito simples. pelo menos deveriam pertencer ao mundo dos adultos.

mas podia sonhar.. posso fazer? E resolveu: Vou plantar uma árvore! É o mínimo que posso fazer. então.(Nando escuta o coração e planta uma árvore) Nando escutou. . “O que. pensou sentiu: Ouvir o coração é uma arte.. cresceu e herdou de Nando as mesmas preocupações : O que eu posso fazer para ajudar a diminuir os problemas do mundo? Laiê tinha raízes. E sonhava com um mundo muito mais harmonioso. Nando plantou Epê Laiê (Epé Layé – palavra yorubá. Não podia agir. que significa Terra Viva). estava preso. Epê Laiê nasceu.

tentou as mais velhas. devemos buscar o apoio dos deuses. A idéia foi bem recebida. conhecedor dos poderes das folhas – ouviu os pensamentos e sentimentos de Epê Laiê. agora você já pode ocupar-se com os assuntos que tanto lhe preocupam”. uma grande vitoria. então. um pó mágico e soprou em Epê Laiê. nada conseguiu. Exu. deu a resposta: “Na natureza. Buscou parceiros entre as arvores da sua idade. nem por onde começar.” .(Ossãe (Osanyin) dá o dom da locomoção a Epê Laiê) Ossãe (Osanyin) – o orixá (òrìsà) feiticeiro. de uma de suas cabaças. que não precisa que os homens falem para que ele os entenda. Ele não sabia nem como. Ossãe nada falou. Ossãe não fala! Mas o seu inseparável companheiro Aroni disse: “Epê Laiê. Mas onde encontrar esses deuses – se perguntou a esperta arvorezinha. (Exu aconselha Epê Laiê a procurar ajuda dos deuses) Foi uma vitória. Já estava ficando desanimado quando Exu (Èsù) – Senhor do movimento e da ação – veio em seu socorro e disse-lhe que quando os nossos semelhantes não nos ajudam. Retirou. Mas Epê Laiê sentia que sozinho seria muito difícil fazer alguma coisa. e nada. dando-lhe o dom da locomoção. o poder da ação. Procure os deuses na natureza.

quando da linda cachoeira de que tanto ouviu falar só restava um fino fio d’água. cobre de dengo os seus protegidos. fraca. A charmosa e faceira Oxum que. dengosa. emocionado. aquele deveria um lugar escolhido para morada divina. seduz a todos. amiga que agrada. Logo imaginou. mas a deusa não deu o ar de Sua graça. agora estava tão suja. Epê Laiê esperou. esperou. coberta de ouro e com voz doce como mel. Qual não foi a sua surpresa. Epê Laiê. Esperançoso. Ele ficou sem entender o estava acontecendo: Porque a deusa das águas doces não atendia ao seu chamado? E porque a cachoeira que ele tinha conhecimento que era tão linda. A arvorezinha não estava errada: nas cachoeiras e nos rios mora oxum (Ọṣun). evocou oxum dizendo: Oxum.(Epê Laiê encontra Oxum) Epê Laiê sabia que na floresta onde nasceu e cresceu existia uma linda cachoeira. Como tinha aprendido com Exu. esperou. que faz todas as vontades. sem vida? Sentou desolado e implorou: Íbá àjé ò Ìbá Íbá àjé ò Ìbá Òsun . a fazer as saudações necessárias para entrar em contato com os deuses. a divindade responsável pela comunicação. Epê Laiê correu para a cachoeira. Ere iêiê ô! (Òsun Ore Yèyé) – Oxum. a linda deusa que.

Buscaria apoio em Yemanjá (Yemanjá). ela não lhe negará apoio’. Condoída. sempre se pode fazer algo. alimente-a.. o que poderia ela fazer? Mas Exu surgiu. e argumentou: “Epê Laiê. Sentiu o mistério da vida vibrar dentro de si e encantado saudou: Odôia! (Odò Iyá) . E as lágrimas da deusa se uniram às de Epê Laiê. Que surpresa teve Epê Laiê ao ver o mar. A forte e frágil arvorezinha pensou em desistir. (Epê Laiê encontra Yemanjá. Epê Laiê ofertou à deusa Sua comida predileta: feijão fradinho com ovos – um omoluku-olelé. Se até os deuses estavam desistindo.(Saudações a você. (Epê Laiê e a oferenda para Oxum) Foi assim que mais uma vez orientado por Exu. a mãe de todos os Orixás) Epê Laiê depositou aquele belo prato na beira da cachoeira e seguiu em direção ao mar. Fortalecida. Oxum estava fraca.. com firmeza e autoridade... Nada falaram. A cachoeira estava fraca. é responsável pela cabeça dos homens e por mostrar-lhes o caminho correto para que cumpram com dignidade os seus destinos. se Oxum está fraca. a deusa mãe de todos os Orixás que. Oxum). Mas apareceu chorando. Oxum apareceu. como sempre repentinamente.

sacos. Então ele pensou: “Alimentei Oxum para que Ela ficasse forte. veio ao seu socorro: “Epê Laiê. Mesmo sozinha. Era o que a arvorezinha precisava ouvir. Era raiva de mãe. começou a retirar da areia da praia o lixo devolvido por Yemanjá. Epê Laiê até podia ter tido medo de Yemanjá. O mar revolto foi se acalmando e yemanjá adormeceu. porém o melhor calmante para uma mãe é continuar acreditando que seus filhos estão se esforçando para estarem em harmonia consigo.. A indignação da Grande Mãe agitava fortemente as ondas. Objetos que levam séculos para sumirem da natureza. Descanso de mãe é sagrado! Outro dia ele voltaria para pedir Seus conselhos. tentar mostrar-lhes as conseqüências dos seus inconseqüentes atos. mas não teve. . irresponsavelmente. que devolviam aos homens o lixo que eles depositavam na sua morada.Yemanja não respondeu. esta irada! As pessoas. (Epê Laiê encontra Ogum e Orixá Okô) No caminho de volta encontrou Ogum (Ògún). Raiva que brota do amor. e Iyá. Esta foi a forma que Yemanajá encontrou para punir seus filhos e assim. jogavam latas. garrafas. Epê Laiê sentiu que precisava voltar para a floresta. com os seus semelhantes e com a natureza como um todo”. o deus que abandonou as caçadas para dedicar-se ao ofício de ferreiro e assim ajudar os homens no trato com a terra. Epê Laiê preferiu deixá-La descansando. mais uma vez. o cheiro da folha alfazema sempre acalma. o que posso fazer para acalmá-Lá? Oura vez Exu.tudo no mar.. o mais humano dos deuses.

devido ao tom de voz de Ogum e até mesmo de Orixá Okô. só lhe restava desistir. Além do mais. Agora não tinha mais jeito! – pensou Epê Laiê – Não contava com ninguém. Parecia ter destino certo. Epê Laiê não teve medo. Epê Laiê não deixou de ouvir a conversa entre os deuses. nem mesmo com os deuses. sim. que conhecidamente calmo. A arvorezinha nem ousou saudá-Los. Orixá Okô para criar e desenvolver a agricultura de forma sustentável. onde pensava encontrar a tranqüilidade necessária para refletir sobre sua “peregrinação”. Mas a floresta que vira Epê Laiê crescer estava uma confusão só: máquinas e mais máquinas derrubando as suas companheiras. . Mesmo afastado. E preferiu. realmente. que só contribuem para que o planeta fique mais destruído?! (Epê Laiê resolve voltar para casa) Da ira de Iyemanjá. Indo em busca do apoio de ogum. mas da ira de Ogum. Epê Laiê seguiu o seu rastro e O encontrou em uma conversa nervosa com Orixá Okô – o deus da agricultura. o facão e outras ferramentas necessárias para arar a terra. mas Ogum continuou andando em passos largos. pois tinha conhecimento do jeito explosivo de Ogum. voltar logo para sua “casa”. Não era para menos. tanto empenho tiveram para ajudar o homem a sobreviver: Ogum pra criar a enxada. seria muita falta de educação interromper a conversa de dois deuses.Ogum andava rápido. Epê Laiê O saudou. também estava exaltado. e agora via os homens simplesmente fazendo queimadas.

meu amigo! Eu e Nando. como também: Xango (Sangó) Deus da Justiça. Não só os deuses que você conhece. Oxalá (Osalá) A Divindade da Paz.. o rapaz que lhe plantou trazendo os outros orixás) Nesse momento. Epê Laiê viu de longe um permanente companheiro seu. Olhe para aquela montanha! Veja o que ninguém vê: todos os deuses estão descendo.(Epê Laiê volta a encontrar Exu e Nando.. . disse-lhe: “Estamos aqui. Omolu (Omolu) Médico por excelência. Oxumare ( Osumaré) Senhor do Equilíbrio e Euá (Ewa) Sua companheira inseparável. acompanhado de alguém que ele sabia conhecer.. Exu então. mas não identificava quem era. no entanto. o rapaz que lhe plantou. Oiá (Oya) Deusa dos Ventos e das Tempestades.

como sempre. um conselho (Gbimoran). Aquele que entende como nenhum outro as necessidades e conflitos humanos. (Os orixás fazem uma assembléia para decidir como ajudar Epê Laiê) Os orixás. sentados em círculo. Nesse evento. ao ouvir as palavras de Exu e visualizar a chegada dos Deuses. Exu. Ele é o grande amigo dos homens. fizeram uma assembléia. Yemanjá orientaria os homens e Oxum as crianças. Epê Laiê. . para que se ocupassem mais com os problemas que fossem comum a todos. responsável pelo equilíbrio cósmico. a fim de limpá-las. percebeu que nunca esteve só e que sua peregrinação foi necessária apara descobrir a sua capacidade de acreditar nos outros. deixaria cair chuva de forma organizada.Todos eles sendo guiados por Oxossi ( Ososi) O Deus protetor dos animais e das florestas”. fora indispensável. Oxossi pediria às aves que pusessem os seu dejetos em lugares apropriados. Orixá Okô e Ogum trabalhariam no sentido de transformar a sujeira da terra em energia aproveitável. Oxumarê. de forma que se transformassem em vegetais. para decidir como cada um deles poderia ajudar Epê Laiê na sua nobre missão: Oxalá e Xangô fariam uma mistura de quiabo com ígbín (caramujo) para por nas águas.

2009. Mãe Stella de .Os orixás seguiram para o Orun. Salvador – Bahia – Brasil Oxóssi . não sem antes deixar uma mensagem escrita nas nuvens para todos os homens do planeta: E você. o que pode fazer para contribuir com o equilíbrio do mundo? Fim (Epé Layé de Maria. Stella de Azevedo Santos.

Related Interests