Faculdade de Tecnologia do Piauí – FATEPI Disciplina: Introdução ao Estudo do Direito Professora: Rochele

PROCESSO LEGISLATIVO

Componentes: Helson Melo Cezar Pacheco Rejane Rodrigues Stefan Henrique Monielly Oneide Torres Carmary Leite

Teresina, novembro de 2010.

eleitos pelo voto universal e direto. tendo duração de quatro anos coincidindo com o mandato parlamentar. Termos fundamentais como. do Senado Federal. normalmente sendo numeradas com a utilização de algarismos romanos e subdividem-se em Sessões Legislativas anuais. fundamental para que a União. Constituição. e nos faz refletir seriamente sobre a importância do trabalho do legislador. alertava que "A liberdade é o poder das leis. E no poder das leis. não do povo. Estados e Municípios. pela Constituição Estadual. Lei. Coordenadorias e demais Órgãos e setores que formam o conjunto administrativo do Poder. pelo Colegiado de Presidentes das Comissões Permanentes. pelo Colégio de Líderes.INTRODUÇÃO O processo legislativo é norteado pela Constituição Federal na medida em que fixa regra de competência para a União. Essa variedade é fruto de uma longa série histórica de mutações. A Sessão legislativa ordinária das Casas não serão interrompidas em 30 de junho enquanto não for aprovado o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias. Sua função legislativa exerce um papel estabilizante. A importância de sua existência é fato histórico consumado. meditar sobre elas e responde-las na medida do possível. nem em 15 de dezembro se não for apreciado o Projeto de Lei Orçamentária para o exercício seguinte. O Poder Legislativo funciona de 15 de fevereiro a 30 de junho e de 1º de agosto a 15 de dezembro. A maior parte dos termos usados na linguagem da conhecida técnica legislativa tem significados diversos. Estados e Municípios cumpram seu objetivo fim. compreendendo suas atitudes e seus anseios. em sua obra mais famosa. das Assembléias Legislativas dos Estados e das Câmaras de Vereadores dos Municípios. nas Secretarias. foram-nos legados por pensadores e escritores gregos. A Legislatura tem início com a posse dos parlamentares eleitos. . sobre a Presidência de um membro eleito para mandato de dois anos. Os parlamentares. pela representatividade dos Partidos Políticos com representação na Assembléia Legislativa. Política e Democracia. pela Lei Orgânica de cada um dos Municípios e principalmente pelos Regimentos Internos do Congresso Nacional. pelos Blocos Parlamentares instituídos e finalmente pelos servidores que exercem seu papel nas unidades administrativas dos gabinetes Parlamentares. comandam o funcionamento do Poder Legislativo. eis a liberdade do povo. O Poder Legislativo deve estar preparado para acolher críticas. para atingir o bem-estar social do povo. que por sua vez subdividem-se em períodos legislativos semestrais. da Câmara dos Deputados. Montesquieu." Esse pensamento de quase três séculos atrás. ainda não perdeu sua força original. podendo ser reconduzido ao mesmo cargo na eleição imediatamente subseqüente. que é a harmonia entre os Poderes.

Maioria é o número inteiro imediatamente superior à metade. resoluções e leis financeiras. Só pode exercer a iniciativa quem tem poder de iniciativa. Os princípios do processo legislativo federal se aplicam ao processo legislativo estadual ou municipal (princípio da simetria do processo legislativo). leis delegadas.  ESPÉCIES:  Procedimento legislativo ordinário ou comum: É aquele que se destina à elaboração da lei ordinária.  Procedimento sumário: Diferencia-se do ordinário apenas pelo fato de existir prazo para o Congresso Nacional deliberar sobre determinado assunto. A iniciativa de um processo legislativo ordinário pode acontecer de várias formas: . Iniciativa: A iniciativa é a faculdade conferida a alguém ou a algum órgão para apresentar um projeto de lei. DIANTE DO EXPOSTO. Sendo exigida maioria relativa para a lei ordinária e maioria absoluta para a lei complementar.: Entre uma lei ordinária e uma lei complementar. uma inconstitucionalidade formal. Na maioria absoluta. medidas provisórias. se ela for fracionada. medidas provisórias. votação. emenda. em relação ao procedimento. ou é a unidade imediatamente superior a metade. leva-se em consideração o total dos membros da Casa e na maioria relativa. se ela não for fracionada.  PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO: Fases do processo legislativo ordinário:  FASE INTRODUTÓRIA (INICIATIVA): Trata do poder de iniciativa. decretos legislativos e resoluções. leis delegadas. pois caso contrário haverá um vício de iniciativa. leis complementares. DAREMOS ÊNFASE APENAS AO PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO OU COMUM.PROCESSO LEGISLATIVO  CONCEITO: A expressão “processo legislativo” compreende o conjunto de atos (iniciativa. promulgação e publicação) realizados pelos órgãos competentes na produção das leis e outras espécies normativas indicadas diretamente pela Constituição. os presentes na reunião ou sessão. As espécies normativas abrangidas pelo processo legislativo estão enumeradas no art. sanção e veto. decretos-legislativos. leis ordinárias. Obs. 59 da Carta da República de 1988: emendas à Constituição.  Procedimento especial: É aquele que se destina à elaboração das leis complementares. só há diferença quanto ao número de votos para aprovação.

Procurador-Geral da República e aos Cidadãos. deveria ter inserido um parágrafo no artigo 60 da Constituição Federal. embora caiba para leis.  Iniciativa extra parlamentar: A apresentação do projeto de lei cabe ao Presidente da República. pois se fosse intenção do legislador. do Senado Federal ou do Congresso Nacional. §2º da CF). Quando se reserva a matéria a alguém. poderia ser visto que a iniciativa popular é uma forma de exercício de poder e não se pode restringir o direito político. Presidente da República. com não menos de 3/10% (três décimos por cento) dos eleitores em cada um deles (art. caracterizador de inconstitucionalidade. ao Ministério Público e aos cidadãos. Comissão da Câmara dos Deputados. distribuído por pelo menos 5 Estados.  Iniciativa popular: Pode ser exercida pela apresentação à Câmara dos Deputados de projeto de lei subscrito por.  Iniciativa concorrente: A apresentação do projeto de lei é de competência de vários legitimados. ao Supremo Tribunal Federal. no mínimo. A iniciativa popular. TSE. aos Tribunais Superiores. Parte da doutrina diz que não existe possibilidade de iniciativa popular para emenda constitucional. 1% do eleitorado nacional. Para outra parte da doutrina. Supremo Tribunal Federal. Ex: Iniciativa de leis ordinárias e complementares. STM e TST). 61 da CF): A iniciativa de leis ordinárias e complementares cabe: Qualquer membro da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal.  Iniciativa exclusiva (reservada ou privativa): A apresentação do projeto de lei pertencente a um só legitimado. 61. Iniciativa geral  Iniciativa parlamentar  Iniciativa extra parlamentar  Iniciativa concorrente  Iniciativa exclusiva  Iniciativa popular  Iniciativa geral (art. sob pena de configurar vício de iniciativa formal. “A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e .  Iniciativa parlamentar: A apresentação do projeto de lei cabe aos membros do Congresso Nacional (Senadores e Deputados Federais). não cabe para emendas à constituição. não é de mais ninguém. Tribunais Superiores (STJ.

27. cinco por cento do eleitorado” (art. nos termos da lei. • Sanção: É a manifestação concordante do Chefe do Poder Executivo. com valor igual para todos. pelo menos. para que sancione ou vete. • Veto: É a manifestação discordante do Chefe do Poder Executivo que impede ao menos transitoriamente a transformação do projeto de lei em lei. Pode ser expressa ou tácita. mas sempre motivada. O que se promulga é a lei e não o projeto de lei. A sanção subseqüente pelo Chefe do Poder Executivo não convalida vício de iniciativa. necessitando de maioria relativa em cada uma delas. Características do veto:  FASE COMPLEMENTAR (INTEGRADORA): Trata da promulgação e publicação da lei. e em um turno de discussão e votação (no plenário). Assim. podemos ter uma lei sem sanção. 14 da CF).  Publicação: . através de manifestação de. referendo.secreto. pois o ato é nulo e o que é nulo não pode ser convalidado. Em regra é o Presidente da República que verifica se a lei foi regularmente elaborada e depois atesta que a ordem jurídica está sendo inovada. O veto rejeitado tem necessidade de ser promulgado. “Iniciativa popular de projetos de lei de interesse especifico do Município. Pode haver lei de iniciativa popular nos Estado e nos Municípios.  Promulgação: É um atestado da existência válida da lei e de sua executoriedade. XII da CF). Este já se transformou em lei com a sanção presidencial ou com a derrubada do veto no Congresso Nacional.  FASE CONSTITUTIVA: Trata da deliberação parlamentar e da deliberação executiva. O veto é irretratável. da cidade ou de bairros.  Deliberação Parlamentar: O projeto de lei é apreciado nas duas casas do Congresso Nacional (Casa Iniciadora e Revisora). que transforma o projeto de lei em lei. e. A presunção de validade das leis decorre da promulgação. mediante: plebiscito. iniciativa popular” (art. “A lei disporá sobre a iniciativa popular no processo legislativo estadual” (art. ainda que haja rejeição do veto. Cabe ao Presidente da República promulgar conferir e atestar a lei.  Deliberação executiva: O Presidente recebe o projeto de lei aprovado no Congresso Nacional com ou sem emendas. 29. §4º da CF). estando a lei apta a produzir efeitos no mundo jurídico. mas nunca uma lei sem promulgação. É a fase final e consiste na promulgação e publicação. separadamente.

É o ato através do qual se dá conhecimento à coletividade da existência da lei. É a fase que encerra o processo legislativo. Consiste na inserção do texto promulgado na Imprensa Oficial como condição de vigência e eficácia da lei. .