# 2º.Ano Licenciatura em Letras - Habilitação Português e Literatura Brasileira. Atividade Prática - Graduação/DGLE-LETRAS L.L. PORT.

/DGLE0801SPOJ Disciplina: Literaturas de Língua Portuguesa III: Romantismo # * a) Título da aula: um revival do romantismo-saudade em letra de Roberto e Erasmo (como Canção do Exílio de Gonçalves Dias, reunindo poesia à música), entre outras... b) Indicação do Movimento Literário em estudo: Romantismo poético da primeira geração, ufanista, valorizando as coisas do Brasil. c) Transcrição do Textos literários que estarão em debate: Canções da poesia romântica. Canção: poema leve e gracioso, com musicalidade a vibrar a alma do poeta, uma vibrância poética e musical, uma singeleza dorida nos versos cantantes, um quê de dorido no qual se exalça, se engrandece um ser por suas qualidades. Pode abarcar expressão de conteúdo militar, patriótico (saudades da terra amada e amor pela pátria), filosófico, satírico ou humorístico, sentimental, amoroso, guerreiro, ou conter temas religiosos ou morais. Em geral compõe-se de quadras e/ou sextilhas ou oitavas, ou mesmo de tercetos e quintilhas, seguindo um esquema regular ou mais ou menos regular de rimas. Às vezes se acrescenta um estribilho ou versos que se repetem. Exemplo: De Gonçalves Dias, Canção do Exílio: “Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá; As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá. (A (B (A (A B (C (E D (F (B (A (B (D (B (B (A (B (D (B (B

Nosso céu tem mais estrelas, Nossas várzeas têm mais flores, (D Nossos bosques têm mais vida, (E Nossa vida mais amores. Em cismar, sozinho, à noite, Mais prazer encontro eu lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. Minha terra tem primores, Que tais não encontro eu cá; Em cismar – sozinho, à noite - (F Mais prazer encontro eu lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. Não permita Deus que eu morra, Sem que eu volte para lá; Sem que desfrute os primores (D Que não encontro por cá;

Que se mira nos cristais! Não amo a terra do exílio. Daqueles campos natais! Daquele céu de safira Que se mira. Meus amores ficam lá! . Suspiros o sabiá! (A (A (B (C (C (B (D (E (F Oh! que céu. Eu vivo longe do ninho. Não exalas. Distante do solo amado .Onde canta nos retiros Seus suspiros. que galas... (F Não exalas. Sou bom filho.Sem qu’inda aviste as palmeiras. 14: “Eu nasci além dos mares: Os meus lares. Tudo escuro Só vejo em roda de mim! Falta a luz do lar paterno Doce e terno. que luz. Quero a pátria. meu Brasil! (E Oh! que saudades tamanhas Das montanhas. o meu país. Doce e terno para mim. Sem carinho e sem amor! Debalde eu olho e procuro. Onde canta o Sabiá. Nessa eterna primavera Quem me dera. p.Desterrado A vida não é feliz. Quero a terra das mangueiras E as palmeiras. Agir Editora. Canção do Exílio. (D Rica e bela Como o céu de claro anil! Que seiva. que terra aquela. E as palmeiras tão gentis! Como a ave dos palmares Pelos ares Fugindo do caçador. Sem carinho.” (A (B De Casimiro de Abreu. Quem me dera o meu país!” .

Nas débeis cordas da lira Hei de fazê-la rainha.É uma terra de amores Alcatifada de flores Onde a brisa fala amores Nas belas tardes de Abril. .Mimoso jardim de fada Do mundo todo invejada. Também vou cantar a minha. Deu-lhe os leques da palmeira. Minha Terra.. A minha terra natal. .É uma terra encantada .)” d) Transcrição de letras de música que dialogam com os textos literários escolhidos: (A (B (C (B (D (D (D (B (E (F (G (F (H (H (H (F Debaixo dos caracóis dos seus cabelos (Letra e Música: Roberto Carlos e Erasmo Carlos. não tem. a Caetano. exilado na Inglaterra) Um dia a areia branca seus pés irão tocar E vai molhar seus cabelos a água azul do mar Janelas e portas vão se abrir prá ver você chegar E ao se sentir em casa. Agir Editora: “Todos cantam sua terra. Que o mundo não tem igual.Hei de dar-lhe a realeza Nesse trono de beleza Em que a mão da natureza Esmerou-se em quanto tinha. E a borboleta que adeja Sobre as flores que ela beija. Não. Tem tantas belezas.. Correi pr’as bandas do sul: Debaixo dum céu de anil Encontrareis o gigante Santa Cruz. Quando o vento rumoreja Na folhagem da mangueira. hoje Brasil. Que nem as sonha um poeta E nem as canta um mortal! . que Deus fadou-a Dentre todas – a primeira: Deu-lhe esses campos bordados.De Casimiro de Abreu. tantas. (etc. sorrindo vai chorar refrão | Debaixo dos caracóis dos seus cabelos | Uma história prá contar de um mundo tão distante .

especial 2008. MEC: Cisne Branco além de Canção é também um hino.. Linda galera que em noite apagada Vai navegando no mar intenso.com/watch?v=UnUssvOhA7E&feature=related ou http://br.. sagrado. militar. ao final chama Caetano Veloso para homenageá-lo: http://www. um sonho Um dia vou ver você chegando num sorriso Pisando a areia branca que é seu paraíso (Fonte: http://www.. ou seja.br/musicos/roberto.mpbnet. voltar prá sua gente Debaixo dos caracóis. Da Pátria minha em que tanto penso. na casa onde mora Você olha tudo e nada lhe faz ficar contente Você só deseja agora.youtube.com/watch?v=Ur4KW83CviQ&feature=related Com Roberto Carlos. Os verdes mares. acessado em 17/05/09) Vídeo Youtube: Caetano Cantando: http://www.| Debaixo dos caracóis dos seus cabelos | Um soluço e a vontade de ficar mais um instante As luzes e o colorido que você vê agora Nas ruas por onde anda. De acordo com o objeto ou ser homenageado classifica-se em: patriótico. Estribilho: Qual linda garça que aí vai cortando os ares. profano.erasmo/letras/debaixo_dos_caracois.youtube. time ou ideal a que se defenda com determinação e amor. Nossa galera também vai cortando os mares.. guerreiro.truveo.htm.com/watch?v=DzJXvEPzxLM&feature=related Com Nara Leão: http://www.com/roberto-carlos-especial-2008-debaixo-dos/id/3896357698 versão antiga: http://www.youtube. Nos verdes mares de Norte a Sul.com. apud Música na Escola Primária. os mares verdes do Brasil.. poema acompanhado de música em honra. a um grupo. “Qual cisne branco que em noite de lua Vai deslizando num lago azul. Nos faz saudades da terra amada.youtube.. em homenagem a um símbolo da pátria. etc. Vai navegando sob um belo céu de anil. . futebolístico. à nação. Quanta alegria nos traz a volta.com/watch?v=5u90a9LYoIg&feature=related Canção do Marinheiro (Cisne Branco) de Benedito Xavier de Macedo. O meu navio também flutua.e. Você anda pela tarde e o seu olhar tristonho Deixa sangrar no peito uma saudade.

etc. a glória do meu Brasil! Eu venho da minha terra. Temos cumprido nossa missão. J. das montanhas alterosas.” Vídeo Youtube: http://www. da boa terra do coco.youtube. do seringal. 5a. da casa branca da serra e do luar do sertão. a ração do meu bornal. p. De justo orgulho nossa alma envolta. não permita Deus que eu morra sem que eu volte para lá..com/watch?v=HBuNIzAk5tY Canção do Expedicionário (cantada na II Guerra Mundial pelos soldados brasileiros a lembrar a pátria distante). Da Pátria minha em que tanto penso. Estribilho: Por mais terras que eu percorra. Estribilho: Qual linda garça que aí vai cortando os ares. Nos faz saudades da terra amada..youtube. Livr. apud “Comunicação em língua nacional”. as asas do meu ideal. venho da minha Maria . de Guilherme de Almeida. Linda galera que em noite apagada Vai navegando no mar intenso.À nossa Pátria do coração. da minha terra natal. série.com/watch?v=I40nGj5kg10 http://www. dois é bom. dos verdes mares bravios. das selvas. sem que eu leve por divisa esse “V” que simboliza a Vitória que virá: Nossa Vitória final. a água do meu cantil. dos cafezais. das margens crespas dos rios. do engenho. do pampa. três é demais. da choupana onde um é pouco. 170): “Você sabe de onde eu venho? Venho do morro. Martins Editora. que é a mira do meu fuzil. Venho das praias sedosas. Milton Benemann e Myrian Zahur Elias.

cheio de estrelas prateadas que se ajoelham. Fulge a vitória.. meu pé de jacarandá. que de viver no meu peito foi até tomando jeito de um enorme coração. Deixei lá atrás meu terreiro.” v Canção do Soldado. meu limoeiro. fazendo o Sinal da Cruz! Estribilho: Por mais terras.. Você sabe de onde eu venho? É de uma pátria que eu tenho no bojo do meu violão.. Venho do verde mais belo. meu limão.. (A Fiéis soldados Por ela amados.cujo nome principia na palma da minha mão. Alberto Augusto Martins. lábios de mel de Iracema estendidos para mim! Ó minha terra querida da Senhora Aparecida e do Senhor do Bonfim! Estribilho: Por mais terras. MEC: “Nós somos da Pátria a guarda. minha casa pequenina lá no alto da colina onde canta o sabiá. onde nosso amor nasceu.. deslumbradas. Estribilho: Por mais terras. de saudade já morreu. Braços mornos de Moema. Venho de além desse monte que ainda azula no horizonte. (B Nas cores da nossa farda Rebrilha a glória.. do azul mais cheio de luz. coitado. apud Música na Escola Primária. do rancho que tinha ao lado um coqueiro que. do mais dourado amarelo. (B (A (C (C .

Enciclopédia Ginasial Ilustrada. Manoel Macedo. a sua pátria. Milton & Elias. Gramática. Lutaremos com valor! Como é sublime Saber amar Com a alma adorar A terra onde se nasce! Amor febril Pelo Brasil No coração Não há quem passe!” (D (E (E (D (C (C Vídeo Youtube: http://www. http://www. grau – programa completo. Redação). Ediouro/98073 Grupo Coquetel.youtube. Comunicação em língua nacional . 5. Editora Formar.Em nosso valor se encerra Toda a esperança Que um povo alcança. Música na Escola Primária. Agir Editora. se a Pátria amada For um dia ultrajada. Fulge a vitória. J. 2. Silva de Andrade. 2o. Casimiro de Abreu. 6. A guerra só nos causa dor. forçado a deixála em exílio pelo regime militar presente e avesso à liberdade de pensamento e expressão. Livr. MEC. Benemann. A paz queremos com fervor. f) Referências bibliográficas: 1. Curso Prático de Português (Literatura. Martins Editora. A letra e música Debaixo dos Caracóis dos seus Cabelos de Roberto e Erasmo é um neo-romantismo tropicalista de saudades da terra amada e distante. e também a construção poética melodiosa em forma de canção.com/watch?v=azUbVZx9vlA. série. Editora Ática. volume de Português.com/watch?v=BGrs5mP1kY0&feature=related http://www.5a. características da primeira geração romântica. 4.youtube. 3.youtube. Amílcar Monteiro Varanda e Assis Figueiredo S. . Aprenda a Fazer Versos. Luís Agostinho Cadore. Myrian Zahur.com/watch?v=5l7WXUYOKeY&feature=related e) Análise literária que contenha considerações acerca dos elementos que aproximam os textos comparados: Na comparação nota-se o tom ufanista e de saudades. No peito em que ela impera Rebrilha a glória. Porém.

Related Interests