O bobo-grande, cagarra-do-atlântico[1], pardela-de-bico-amarelo ou cagarra-de-cory (Calonectris diomedea) é uma ave procelariiforme migratória

da família dos procelariídeos encontrada comumente no mar Mediterrâneo e no oceano Atlântico. Tais aves chegam a medir até 49 cm de comprimento, possuindo as partes superiores fuliginosas, as inferiores brancas, o bico amarelado e tarsos rosados.

A alma-negra (B. bulwerii) é uma ave marinha da família Procellariidae. Caracteriza-se pela plumagem escura, com cauda e asas longas. Esta espécie nidifica nos arquipélagos dos Açores, da Madeira, das Canárias e de Cabo Verde. Ocasionalmente aproxima-se de Portugal Continental, ocorrendo na ZEE.

O painho-da-madeira (Oceanodroma castro) é uma ave marinha da família Hydrobatidae. Tal como outros painhos, é preto com o uropígio branco. É também conhecido por alma-de-mestre, angelito (Açores), canitobo (São Tomé e Príncipe), jaba-jaba (Cabo Verde), roque-de-castro, roque e roquinho (Arquipélago da Madeira). Nidifica unicamente em ilhas, situando-se as suas colónias nos arquipélagos das Berlengas, Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde. Na Madeira podem ser avistadas a muitas milhas da costa, normalmente alimentando-se sobre bancos de pesca, sendo a população composta por mais de 10000 indivíduos e com uma extensa área de ocorrência.

A Andorinha-do-mar-comum (Sterna hirundo), também conhecida por Garajau-comum nos Açores, é uma ave costeira ágil, das costas europeias, africanas e americanas

o pintainho (Puffinus assimilis baroli), Quando adultos os frulhos apresentam uma envergadura
média de asas de 63 cm e um peso que varia entre 140 e 211 g. As suas patas são azuis e, tal como o estapagado, possui um dorso muito escuro e um ventre claro. Uma maneira prática de distinguir as duas espécies é observando a divisão entre o preto e o branco, que no frulho ocorre acima do olho. O seu voo é caracterizado por frequentes batimentos de asas. Esta subespécie só nidifica nos Açores, Desertas, Selvagens e Canárias e apresenta um comportamento sedentário comparativamente aos outros procelariformes, não efectuando migrações de longas distâncias

(espécie endémica da Macaronésia) andorinhão-da-serra (Apus unicolor). Nome científico: Petronia petronia madeirensis (Erlanger. 1899) Distribuição e Habitat: Subespécie endémica da Macaronésia. Pode ser observada em locais com vegetação rasteira. Estatuto de Conservação e Ameaças: Vulnerável. em falésias costeiras e em áreas de cultivo. Anthus berthelotii madeirensis. nas Ilhas do Porto Santo e da Madeira. o corre-caminhos (Anthus berthelotii madeirensis). . pertencente ao gênero Larus e à família Laridae.500) e que apresenta uma área de ocorrência restrita. Ocorre no arquipélago da Madeira. População com pouco indivíduos (menos de 2. Descrição: De plumagem parda-acastanhada e com listas na cabeça e extremidades da cauda brancas.gaivota-de-patas-amarelas (Larus cachinnans atlantis A gaivota-de-patas-amarelas (Larus michahellis) é uma espécie de gaivota. Nome vulgar: Pardal da terra.