Janeiro a Abril 2008

Relatório Técnico de Execução

Projeto Caminho das Águas
Uma proposta para o Semi-Árido
Relatório Técnico de Execução Maio a Julho de 2008

1

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

REALIZAÇÃO

PATROCÍNIO

ORGANIZAÇÕES ENVOLVIDAS

IPA
Instituto de Permacultura da Amazônia

2

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Índice

1. 2. 3. 4.

Resumo Executivo ........................................................................................................ 4 Indicadores de Êxito .................................................................................................... 8 Relatório Técnico de Execução ............................................................................... 235 Relatório Fotográfico ................................................................................................. 84

3

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

1. RESUMO EXECUTIVO
O atual relatório apresenta a evolução do projeto Caminho das Águas ao longo de seu quarto trimestre de implantação (sexto trimestre contratual). A grande maioria das atividades do projeto Caminho das Águas está sendo realizada de acordo com o planejamento original. Como pode ser observado na planilha de acompanhamento a seguir, muitas das metas já foram superadas. As atividades defasadas em relação à linha de base já tiveram sua implementação planejada, e deverão ser concluídas até outubro de 2008. Nesse período, foi dada continuidade à dinâmica de mobilização e educação ambiental no âmbito das comunidades rurais, com 36 agentes comunitários realizando atividades diárias de engajamento da população e disseminação de técnicas de manejo ecológico do solo e dos recursos hídricos. No relatório passado, focamos a aprendizagem e o conhecimento gerados com esse trabalho. Essa edição destaca os indicadores quantitativos, quem oferecem uma boa visão do ganho de escala das atividades. Dentre as atividades de campo, destacamos como eventos marcantes desse trimestre: obras de abertura dos canais de infiltração em áreas críticas de erosão nas comunidades Alfredo Graça e Olinto Ramalho; contratação do serviço e início das obras dos Kits da Água na comunidade Cruzinhas; e conclusão das obras de três estruturas do Sítio Maravilha (casa sede, sala de aula e quiosque multi-uso). Merece também destaque o crescimento do número de visitas ao Sítio por estudantes, agricultores e técnicos da área. A articulação com o Comitê Gestor da Bacia do Araçuaí evoluiu, tendo sido realizada a primeira reunião com o novo presidente. Dois coordenadores do projeto passaram a compor o quadro de diretores do Comitê. Foi também apresentada uma proposta de parceria financeira ao Fundo estadual de Recursos Hídricos (FHIDRO), que se encontra em fase final de negociação. No âmbito da gestão, o trimestre foi marcado pela realização de mais um encontro de reflexão coletiva, que culminou no planejamento de uma agenda de atividades até julho de 2010. Foi também celebrada parceria com a consultoria internacional PriceWaterhouseCoopers, que está assessorando a equipe gestora em termos da inteligência financeira do programa. Nesse relatório, apresentamos uma síntese das atuais parcerias do programa Arassussa, no qual está inserido o projeto Caminho das Águas. O fortalecimento e diversificação de parcerias é outro importante indicador de avanço do projeto. Os principais desafios para o próximo trimestre são a conclusão das obras do Sítio e dos Kits da Água nas comunidades; além da publicação do website, que irá apresentar Arassussa e Caminho das Águas para o público interessado.

4

Janeiro a Abril 2008

Relatório Técnico de Execução

Projeto Caminho das Águas - Programa Petrobrás Ambiental
Atividades e componentes 1. Promover práticas de uso racional de recursos hídricos 1.1. Criação de centro irradiador de tecnologias ambientais (sítio maravilha) 1.1.1. Implementar estruturas de ensino e administrativas do sítio maravilha 1.1.2. Implementar estruturas demonstrativas para uso e conservação da água no sítio maravilha 1.1.3 Contratação de 6 coordenadores 1.2. Formação para o uso sustentável da água 1.2.1 Formação de permacultores (PDC) 1.3. Formação e mobilização popular 1.3.1 Instalação de 5 habitats: sua escola sustentável 1.3.2 Desenvolvimento de 1 bornal de jogos ambientais 1.3.3 Realização de folias da água 2. Implementar práticas de gestão integrada de recursos hídricos 2.1. Fortalecimento e manutenção do comitê gestor da Bacia Hidrográfica do Rio Araçuaí 2.1.1 Formação de 1 comitê gestor / reuniões bimestrais 2.1.2 Contratação de 2 coordenadores para zoneamento participativo 2.2.1 Manejo integrado da bacia do Araçuaí - ano 1 Curso swales 2.2.2. Implementação Swales 2.2.3. Curso Pedagogia da água 2.2.4. Construção de sistema de captação, filtragem, armazenamento de água 2.2.5. Construção de sistema de saneamento 2.2.6. Produção de biofertilizante em núcleos familiares multiplicadores 2.2.7. Instalar sistemas de biofertirrigação em núcleos familiares multiplicadores 2.3. Replicar modelo para outras 75 propriedades rurais 2.3.1. Replicação de valas de infiltração vegetadas (swales) para famílias cadastradas 2.3.2. Replicação de sistema de captação, filtragem, armazenamento de água de chuva 2.3.3. Replicação de sistema de saneamento (sanitário compostável ou biolítico) 2.3.4. Replicar produção de biofertilizante 2.3.5. Replicar sistemas de biofertirrigação 2.4. Formação de agentes comunitários de gestão hídrica 2.4.1 Oficina de formação de agentes comunitários de gestão hídrica (Guardiões da Água) 2.4.2. Oficina de formação de Mães Cuidadoras da Água 1T 1T 1 1 1 1 1 2 100% 200% 8T 8T 8T 8T 8T 75 75 75 75 75 45 45 45 45 45 28 25 0 116 116 37% 33% 0% 155% 155% 8T 8T 1T 4T 1T 4T 4T 4T 4T 12 2 1 30 1 30 30 30 30 8 2 1 30 1 30 30 30 30 2 2 2 30 2 30 0 30 30 17% 75% 200% 100% 200% 100% 0% 100% 100% 8T 8T 8T 5 1 12 4 1 9 21 1 76 420% 75% 633% 6T 4 3 2 50% 4T 4T 8T 4 4 6 4 4 6 3 11 6 75% 275% 75% PRAZO FINAL META Global PREVISTO 6T REALIZADO %

2.2. Aparelhar 30 propriedades rurais com tecnologias para conservação de água na agricultura e segurança hídrica familiar

5

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Projeto Caminho das Águas - Programa Petrobrás Ambiental
Atividades e componentes 3. Recuperar e Conservar os ambientes da micro bacia local 3.1. Implantação de viveiros de sementes e mudas 3.1.1. Curso de capacitação para construção e manutenção do viveiro 3.1.2. Construir estrutura física para viveiro 3.1.3. Adquirir ferramentas, equipamentos e materiais de apoio. 3.1.4. Adquirir insumos (esterco, palhas, restos de alimentos, etc) 3.2. Diagnóstico para identificação de áreas-críticas para preservação 3.2.1 Contratação de 1 diagnóstico georreferenciado de identificação das áreas críticas 3.2.2 Realização de visita técnica de campo 3.2.3. Produzir plano participativo de ações junto as comunidades envolvidas em áreas críticas 3.2.4. Visitas técnicas para conduzir contrução de plano de ações para áreas críticas 4. Garantir a Sustentabilidade e Articular de Alianças 4.1. Manutenção da estrutura de gestão do projeto 4.1.1 Contratar equipe de gestão e prestação de contas 4.1.2. Acompanhamento local de gestão e prestação de contas 4.2. Identificação de novos parceiros e articulação institucional 4.2.1 Reuniões de articulação de novos parceiros e articulação institucional 4.3. Manutenção de equipe executiva para captação de recursos 4.3.1Contratação de consultoria especializada na redação de propostas 5. Sistematizar o conhecimento gerado 5.1. Manutenção da equipe executiva de sistematização 5.1.1 Contratação da consultoria 5.1.2 Estabelecimento de processo de sistematização 5.2. Socialização e reflexão coletiva dos parceiros envolvidos na proposta 5.2.1 Reunião de reflexão coletiva entre parceiros envolvidos na proposta 8T 4 3 5 125% 8T 8T 1 1 1 1 1 1 75% 75% 8T 10 7 22 220% 8T 10 7 11 110% 8T 8T 1 4 1 3 1 4 100% 100% 1T 3T 4T 8T 1 1 1 6 1 1 1 4 1 1 3 4 100% 100% 300% 67% 1T 3T 3T 3T 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 100% 100% 100% 100% PRAZO FINAL META Global PREVISTO 6T REALIZADO %

6

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Projeto Caminho das Águas - Programa Petrobrás Ambiental
Atividades e componentes 6. Comunicar os resultados à nível local e nacional 6.1 Comunicação Público Local 6.1.1 Evento de abertura em Araçuaí 6.1.2 Produção de Folder 6.1.3 Produção de Banners 6.1.4 Produção de camisetas 6.2. Comunicação Público do Projeto 6.2.1 Campanha divulgação inicial no rádio - campanha educativa 6.2.2 Campanha divulgação via TV - campanha educativa 6.2.3 Produção de 1.000 livretos educativos 6.3. Comunicação Institucional 6.3.1 Contratação de 1 assessor de imprensa 6.3.2 Desenvolvimento de website 6.3.3 Manutenção e hospedagem do website 7. Monitorar e Avaliar as atividades 7.3. Aplicação do Monitoramento de Processos e Resultados da Aprendizagem - MPRA 7.1.1 Contratação de 1 coordenador comunitário de atividades 7.5. Registro documental 7.5.1 Produção de video documentário sobre o tema 8T 1 0 0 8T 1 1 1 75% 8T 4T 8T 1 1 1 0 1 1 0 0 0 0% 0% 0% 4T 4T 8T 5 5 1 5 5 0 2 5 0 40% 100% 1T 1T 1T 1T 1 1 5 500 1 1 5 500 1 0 13 500 100% 0% 260% 100% PRAZO FINAL META Global PREVISTO 6T REALIZADO %

7

Janeiro a Abril 2008

Relatório Técnico de Execução

2. INDICADORES DE ÊXITO

2.1 Indicadores Qualitativos Essa é a área do relatório destinada à sistematização dos principais aprendizados gerados pelo projeto. O título Indicadores de Êxito reflete uma importante opção metodológica da equipe: focar sempre os pontos positivos do trabalho, e as oportunidades de potencializá-los. É claro que as reflexões também apontam desafios a serem abordados; entretanto, quando assumimos esses desafios como aprendizados do processo, eles se tornam indicativos de avanço. São insumos essenciais para inovação e superação permanentes. Como mencionado em outros relatórios, o projeto Caminho das Águas insere-se no contexto do programa Arassussa, ou Araçuaí Sustentável. A estratégia desse programa está fundamentada em três pilares principais: Lugar como Ponto de Partida; Visão Sistêmica; e Alianças com Propósitos. Assim, com o objetivo de demonstrar a coerência entre a abordagem metodológica e as atividades práticas, apresentaremos os indicadores de êxito deste trimestre de acordo com essas três dimensões. As avaliações foram realizadas a partir de uma visita a campo da consultoria parceira, em julho de 2008.

Lugar como ponto de partida Um LUGAR é onde os fatos sociais, ambientais e econômicos ocorrem. Eles acontecem simultaneamente e interferem-se mutuamente. Para potencializar investimentos no desenvolvimento social, é preciso tomar o LUGAR como ponto de partida. Isso significa coordenar ações complementares no mesmo espaço, dando conta da complexidade social, ambiental e econômica desse lugar. Significa, também, que a realidade local é sempre a matéria-prima e o motor das ações. Quais são os saberes específicos dos moradores desse lugar? Quais são seus anseios? O que o lugar oferece em termos de recursos naturais e ativos culturais? Essas questões estão na raiz da reflexão que gerou o programa Arassussa e o projeto Caminho das Águas. Assumimos Araçuaí como o ponto de partida para um processo de transformação da região do Vale do Jequitnhonha e de outras áreas do semi-árido brasileiro. Reunimos investimentos, conhecimentos, parceiros, tecnologias em ações focadas na cidade. Mas há, ainda, muitos LUGARES dentro da mesma Araçuaí, e é preciso que o trabalho dê conta das especificidades de cada local. No âmbito do projeto Caminho das Águas,

8

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

são realizadas atividades em 5 lugares diferentes: os núcleos de comunidades rurais Alfredo Graça, Cruzinhas e Olinto Ramalho; o centro irradiador de tecnologias Sítio Maravilha; e o pólo de cultura e comunicação Fabriqueta de Cultura. A seguir, destacamos alguns indicadores de êxito a partir de cada um desses lugares.

Comunidades rurais
Proatividade, autonomia e dinamismo dos times de Mães e Guardiões Os agentes comunitários de educação ambiental - Mães Cuidadoras e Guardiões da Água - são os protagonistas das atividades do Caminho das Águas nas comunidades rurais. Cada localidade conta com um time de 12 agentes, que contam com a coordenação de uma educadora cada. A despeito da facilitação realizada pelas educadoras, que promovem momentos de reflexão e avaliação do trabalho, a atuação dos agentes se mostra autônoma em relação à coordenação. A observação de campo revelou que os mesmos organizam e realizam as atividades de forma proativa, sem necessidade de indução ou cobrança. Esse é um excelente indicador de apropriação do projeto por seu público-alvo. O dinamismo dos grupos fica evidente por sua capacidade de inovação permanente, criatividade e superação de desafios. Essa dinâmica deu origem, por exemplo, à metodologia dos Quintais Maravilha, mutirões de limpeza e plantio, redução do uso de materiais descartáveis, criação de usos diversos para resíduos sólidos, e diversificação das estratégias de engajamento dos moradores. Atuando coletivamente ou em grupos menores, os agentes dedicam 4 horas diárias à disseminação de práticas ecológicas nas casas e espaços comunitários, organização de eventos de mobilização, e avaliação e registro do processo e seus resultados. Permacultura: os novos métodos fluem naturalmente na zona rural de Araçuaí, potencializando saberes locais Hortas mandala e espirais de ervas, círculos de bananeira, compostagem, cobertura do solo são algumas das práticas apropriadas não apenas pelos agentes como também por muitos moradores. Os relatos dos beneficiários revelam familiaridade e preferência pelas técnicas ecológicas: destacam as vantagens das hortas circulares, que otimizam a irrigação e resistem à enxurrada, além de aproveitarem melhor os espaços; os círculos de bananeiras que canalizam águas residuais e melhoram o aspecto do quintal; o diferencial de nutrição e sabor das hortaliças orgânicas. Essa "mudança cultural" é, na verdade, um processo de resgate e revalorização de conhecimentos comuns à população da zona rural de Araçuaí. O trabalho com hortas é

9

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

algo presente na cultura local, e os resultados práticos das novas técnicas são facilmente apreendidos por uma população que já possui imensa sabedoria sobre o assunto. Esses saberes ficam evidentes nas atividades diárias: conhecimentos sobre técnicas de produção de mudas e plantio, receitas de fertilizantes e inseticidas naturais, técnicas de confecção de filtros caseiros são sistematicamente coletadas e difundidas pelos agentes. O êxito na disseminação de técnicas ecológicas de manejo do solo e da água demonstra a coerência da metodologia do projeto com a cultura local, e a capacidade da equipe de aprender com a prática, adaptar e diversificar estratégias.

Satisfação econômica: projeto gera avanços a partir do incremento da produção de subsistência Os impactos positivos das práticas ecológicas nas hortas gerou outro indicador de êxito significativo: o aumento da produção familiar e, como conseqüência, ganhos de autoestima e satisfação econômica dos beneficiários. A diversidade de hortaliças, leguminosas, ervas e outras plantas funcionais nos quintais já tornou diversas famílias autônomas em relação a esse tipo de produtos. Além da vantagem econômica, esse indicador revela avanços em relação à segurança alimentar e nutricional dessas famílias. Os próximos passos nesse sentido irão focar a capacitação dos agentes em técnicas ecológicas de criação de pequenos animais e produção de ração alternativa. ”Tanto o andu como o feijão de corda produziram muito esse ano, tenho certeza que é porque estou cuidando melhor das plantas, adubando mais e não queimando as folhas. Agora aproveito tudo nos pés das plantas e o resultado está na produção que aumentou muito esse ano” Maria José Mãe Cuidadora - Núcleo Cruzinhas Atividades culturais geram grande mobilização Engajar as comunidades nos debates e atividades do projeto é um desafio constante para os agentes. Um grande êxito nesse sentido são os eventos culturais, que provocam participação em massa dos moradores: é o caso do cinema itinerante, das rodas de viola e folias. Cada encontro mobiliza de 100 a 200 pessoas. Nesses eventos, agentes e educadores aproveitam para colocar em pauta, sempre de maneiras diferentes e inovadoras, os temas do projeto. O objetivo é promover conscientização e envolvimento, de forma lúdica e prazeirosa. Desde a organização, os times discutem, por exemplo, como podem evitar a produção de lixo e pensar o lanche valorizando os recursos locais. As rodas de viola resgatam

10

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

importantes elementos culturais, valorizam os músicos da comunidade e ainda são fonte de inspiração para a criação de novas músicas ligadas ao tema da água. As peças de teatro também motivam agentes e moradores, desenvolvem habilidades artísticas e de comunicação, ao mesmo tempo em que educam para a sustentabilidade.

Compromisso da equipe e atuação das educadoras; alta qualidade das memórias As ações realizadas nos três núcleos de comunidades atendidas pelo projeto Caminho das Águas são coordenadas por uma equipe de 4 educadores, sendo um por núcleo e uma coordenação geral. Esse time é responsável por provocar os agentes comunitários, facilitando rodas de reflexão e avaliação. As rodas são espaços privilegiados de diálogo e exercício de auto- crítica, momento em que os envolvidos discutem os avanços e desafios do trabalho. É desse diálogo que nascem as inovações necessárias ao sucesso do projeto; ao mesmo tempo, esse processo de aprendizagem gera apropriação dos conceitos por parte dos moradores. As educadoras assessoram também o trabalho de registro desse aprendizado em memórias, que trazem também dados sobre as atividades realizadas. Esse registro é insumo fundamental para o acompanhamento e prestação de contas do projeto. A visita a campo revelou a alta qualidade dessas memórias, extremamente coerentes com o observado na prática. O comprometimento da equipe de coordenadores e educadores é, ao mesmo tempo, motivo e indicador de êxito do projeto. Ao mesmo tempo que assegura eficiência e eficácia das ações, a motivação da equipe revela sinergia entre as estratégias do projeto e os desafios da zona rural de Araçuaí.

Núcleo Alfredo Graça
A comunidade Alfredo Graça tem uma população de 166 famílias, que sobrevivem do cultivo das lavouras e do corte de cana. Há uma escola estadual de ensino fundamental e médio, um posto de saúde, uma creche, uma antiga estação ferroviária, um centro comunitário e um rio em degradação. A comunidade produz farinha, goma, cachaça, hortaliças, feijão, milho etc. Algumas pessoas usam os cactos mandacaru e palma como cerca viva ao redor de suas casas. Duas instituições atuam em Alfredo Graça, a EMATER e a ASSOCIAR, além do grupo de agricultores da organização Para Terra. Um dos principais indicadores de avanço do projeto na comunidade refere-se à evolução das parcerias com essas instituições, com as quais o time do projeto estabelece construtivas relações de troca e aprendizagem mútua. Nesse trimestre, os agentes participaram de curso sobre criação de abelhas realizado pela EMATER, e receberam sementes de moringa (que servem para purificar a água) da ASSOCIAR. A interação com a escola local se deu através do empréstimo das algibeiras de leitura do projeto. A participação das crianças também é um destaque nessa comunidade: as

11

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

educadoras do projeto Cidade Criança atuam em conjunto com os agentes do Caminho das Águas, realizando atividades de educação ambiental com as crianças de 4 a 7 anos. Na horta Semente da Esperança, da ASSOCIAR, cada criança fez seu próprio canteirinho, com formas orgânicas criativas. Um dos principais desafios, a questão do lixo está sendo trabalhada em parceria com a ASSOCIAR. Além de palestras e rodas de conversa, estão sendo realizados diversos mutirões para coletar lixo de espaços públicos e, especialmente, do rio. O Rio Gravatá, afluente do Rio Araçuaí, banha a comunidade. É dele que a população retira a água para consumo doméstico e a agricultura. Hoje, o rio está contaminado com esgotos e com muito lixo às suas margens, sendo portanto foco de ação do time de agentes. Além do rio, outra ação estratégica no sentido do manejo sustentável dos recursos hídricos são os canais de infiltração em um dos morros da comunidade. De acordo com o planejamento do projeto e com os diagnósticos realizados, foram abertos canais em toda a encosta do morro, de maneira que a água da chuva deixe de provocar erosão e passe a penetrar nos níveis. Os canais formam plataformas que receberão sistema de irrigação por gotejamento e serão utilizadas para plantio. Aproveitando o maquinário contratado para as obras, foram melhoradas as barraginhas (represas) do grupo Para Terra. "O grupo ficou muito entusiasmado com o resultado do trabalho, estão ansiosos à espera de chuva para encher a represa e para iniciar o plantio de mudas próximo ao aterro." Viviane Neiva Educadora - Núcleo Alfredo Graça

Núcleo Cruzinhas
O núcleo Cruzinhas é formado por 10 comunidades, localizadas em região de altitude mais elevada (chamada pelos moradores "chapadinha"). É o núcleo mais distante da sede do município, com acesso dificultado não só pelas distâncias como pela precariedade das estradas. Na época de chuvas, a maior parte das comunidades do núcleo não pode ser acessada por veículos automotores. No alto da chapada não existem rios, o que faz das Cruzinhas a região mais vulnerável à seca. Os moradores abrem cacimbas e poços para encontrar água no subsolo, mas mesmo assim são muito comuns situações em que as famílias precisam se revezar para lavar roupas, louças e até tomar banho. Essa restrição não impede que os moradores façam pequenos milagres em suas hortas, fartas e diversas. Com as novas técnicas trazidas pelo projeto, estão conseguindo otimizar o uso e conservação da água no terreno. Canteiros circulares, cobertura do solo com matéria orgânica e abandono da prática da queima são algumas das ações que já geram resultados visíveis na produção. O enriquecimento do solo está sendo trabalhado de forma sistemática: as práticas de pilhas de composto e biofertilizantes já foram

12

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

incoporadas pelos agentes, que estão multiplicando essas iniciativas em vários quintais e com receitas diversas. Também está sendo desenvolvido um trabalho de recurperação de minadouros e limpeza das cacimbas. São oportunidades de realizar mutirões envolvendo moradores, e também para fazer aulas-passeio com as crianças. O foco com os pequenos, agora, é desenvolver ações de reflorestamento do entorno dos minadouros. As crianças ficaram muito empolgadas com o desafio, sendo que muitas nem sabiam da existência dessas fontes. Por ser esse o núcleo com maior carência de água, foi selecionado para receber os 30 primeiros kits de captação e armazenamento de águas pluviais. Os obras já foram concluídas e os moradores apenas aguardam as próximas chuvas para iniciar uma nova fase de vida pautada pela segurança hídrica. A próxima seca nas Cruzinhas promete ser bem diferente. Para educadores e agentes, o principal desafio agora é construir uma lógica de "moeda de troca" para as famílias que estão recebendo as caixas d'água. De forma educativa e participativa, todos os envolvidos estão debatendo quais devem ser os compromissos assumidos por essas famílias, e como isso pode beneficiar a comunidade como um todo, impulsionando a adoção de hábitos de vida mais sustentáveis, cuidado com a água de beber, cuidados com as crianças, entre outros. Outras iniciativas de sucesso nas Cruzinhas são os buracos de lixo e a pintura com tinta de terra, que estão embelezando casas, quintais e espaços públicos da comunidade, demonstrando a importante relação entre ecologia, estética e qualidade de vida. "A pintura de tinta é mais uma atividade que está fazendo com que a comunidade fique mais bonita, com recursos naturais do próprio lugar. Depois que realizamos as oficinas de pintura de terra, as pessoas estão encantadas com a beleza natural que cada cor consegue deixar. O grupo já está fazendo as pinturas sozinho, é grande o número de famílias que pedem que a gente mude pelo menos uma parede de sua casa." "Algo que as famílias também pedem com freqüência são os buracos de lixo. Algumas fizeram sem a nossa participação, outras ainda ficam dependentes do Projeto. Mas temos aproveitado para falar da importância de reduzir o lixo, começando pelo que produzimos em casa. Só esta semana, quatro buracos foram feitos, e temos observado que a maioria das comunidades do núcleo já estão mais limpas." Luciana Prates Educadora - Núcleo Cruzinhas

Núcleo Olinto Ramalho
O Núcleo Olinto Ramalho é composto por 10 comunidades (Barra do Gravatá, São João Setúbal, Ponte do Gravatá, Cemitério de Adão, Vargem de João Alves, Banco de Setúbal, Olinto Ramalho, N. S. Aparecida, Bom Jesus do Setúbal e Ponte do Setúbal). Há duas escolas municipais e a região é cortada por dois rios, o Setúbal e o Gravatá.

13

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Os rios Setúbal e Gravatá são a única fonte de água para as pessoas dessas comunidades, sendo também fonte de renda para algumas famílias, que realizam plantações em seu leito. Hoje, entretanto, os rios estão com suas águas poluídas. Exames recentes não recomendam utilizá-las para o consumo humano. O processo de recuperação dos rios está sendo trabalhado pelo time de campo em três eixos: produção de mudas e plantio nas margens dos rios, mutirões de limpeza, e através dos canais de infiltração, que promovem percolagem das águas das chuvas e conseqüentemente favorecem os lençois freáticos e diminuem o assoreamento causado pela erosão. Nesse trimestre, o morro selecionado no diagnóstico prévio recebeu as obras de abertura dos canais. Como estratégias de curto prazo, os agentes discutem junto às famílias formas de melhorar a qualidade da água para consumo humano. Valorizam- se a filtragem e a fervura, ao mesmo tempo em que se discutem os malefícios do cloro e do sulfato de alumínio. No âmbito da questão do lixo, um desafio encontrado foi o excesso de sacolinhas plásticas. Assim, o time organizou uma campanha de coleta desses materiais, e uma dupla de agentes irá a Araçuaí participar de uma capacitação na Cooperativa Dedo de Gente para aprender a confeccionar sacolas plásticas novas e resistentes (nãodescartáveis). O trabalho nos Quintais Maravilha está evoluindo. Uma das principais novidades é a tinta de terra: as Mães Cuidadoras e Guardiões da Águas participaram de uma oficina com as artistas da Cooperativa Dedo de Gente, que já possuem conhecimento dessa técnica. Essa é uma prática que valoriza recursos naturais, tem custo baixíssimo, e alto impacto na estética e auto-estima da comunidade. Nos Quintais, surgem dois desafios interessantes, que estão sendo problematizados pela educadora de acordo com os princípios da permacultura. O primeiro diz respeito à funcionalidade das plantas cultivadas: muitas vezes, as famílias têm preferência por espécies que são meramente decorativas, o que representa um desperdício energético no sistema. Assim, o debate gira em torno da importância de encontrar múltiplas funções para todos os elementos do design. Outra questão importante é o hábito cultural de criar galinhas soltas, o que restringe o uso do espaço para plantio. Um evento importante esse trimestre foi a visita da Escola Família Agrícola de Virgem da Lapa. Os visitantes se admiraram com a praticidade e funcionalidade dos círculos de bananeira e hortas em mandala. Um ativo específico do núcleo Olinto Ramalho é a abundância de bambu. O material tem sido o principal recurso para cercar hortas, construir minhocários, entre outras aplicações. Além de ser bonito, é uma planta de crescimento muito rápido, o que o torna adequado às estratégias de sustentabilidade. Porém, o time ainda não conta com ferramentas apropriadas para colheita e corte, o que torna o trabalho lento e pesado. No que se refere ao envolvimento da comunidade, merecem destaque duas frentes do trabalho: as rodas de viola e o MDI das crianças.

14

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

O MDI levantou 15 "Maneiras Diferentes e Inovadoras" de trabalhar junto às crianças os temas do projeto: contação de histórias, jogos e brincadeiras, casas de passarinho, miniviveiros, cercar árvores, fazer desenhos e murais, passeios, teatro, gincana, dia da muda, mutirão de limpeza, horta, reflorestamento nas represas e beiras de rio, e oficinas de reciclagem. As rodas de viola provocaram grande mobilização e participação proativa e animada de todos. Os princípios do projeto estiveram presentes nas mais diversas esferas: foram confeccionadas vassouras de fibras naturais, e pesquisadas alternativas para copos e pratos descartáveis. O lanche foi feito coletivamente, com produtos da comunidade. "A roda de viola foi além da expectativa, porque as mulheres não fizeram só biscoito, como combinado: aproveitaram o tempo juntas e torraram café, fizeram sabão, roscas e bolos entre elas, para sanar suas necessidades, e o melhor, por iniciativa própria." "Foi necessário fazer um cercado com varas e sacos de linhagem para proteger as mudas de rosas por causa das galinhas, que comem tudo. Ainda não conseguimos mudar o hábito das pessoas de criarem galinhas soltas. Foi colocada a proposta para fazermos o 'trator de galinha', mas sempre aparecem muitas desculpas como a falta de espaço, etc. Na nossa região as pessoas preferem cercar as hortas e as plantas, o que limita a plantação e produção dos alimentos, e criar as galinhas soltas no quintal. Sendo que se fosse ao contrário poderíamos utilizar melhor e mais adequadamente o espaço do quintal que temos." Edilúcia Borges Educadora - Núcleo Olinto Ramalho

Sítio Maravilha
O Sítio Maravilha foi concebido no planejamento do projeto Caminho das Águas para funcionar como um centro irradiador de tecnologias ecológicas. Os resultados obtidos até o momento indicam que essa meta já está se consolidando, antes mesmo da conclusão de algumas obras de infra-estrutura previstas. Além dos gratificantes resultados produtivos (cerca de 3 toneladas de alimento orgânico por mês, que abastecem projetos com crianças na zona urbana), o Sítio já se tornou referência regional em permacultura e agroecologia. O número de procuras por visitas (as chamadas aulas-passeio) tem crescido significativamente. Entre os visitantes, estudantes, escolas agrícolas, técnicos da área, agricultores familiares e sindicatos do setor, além de participantes de outros projetos de desenvolvimento rural sustentável. O Sítio é espaço de aprendizagem também para os times do projeto Caminho das Águas, e das outras iniciativas em curso em Araçuaí, sendo uma forma de multiplicar as práticas sustentáveis através de outros projetos locais.

15

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

A procura por visitas ao Sítio Maravilha evoluiu junto à metodologia das aulas. A aulapasseio baseia-se nos três princípios da permacultura: Cuidado com a Terra, Cuidado com as Pessoas, e Contribuição dos Excedentes. Em uma roda de conversa, o coordenador responsável pelo Sítio apresenta exemplos concretos desses princípios, demonstrando sua presença na vida cotidiana de cada um, seja na zona rural ou urbana. A estratégia é provocar os participantes para mudanças de atitutude. Em uma caminhada, podem se conhecer tecnologias como as hortas ecológicas (canteiros mandala), sanitário seco, sistema de biorremediação de efluentes, compostagem, entre outras. Design e zoneamento são dois elementos chave de todo o debate, destacando a importância de uma ocupação bem planejada, capaz de otimizar todos os recursos disponíveis no terreno. Outro indicador de avanço no espaço do Sítio Maravilha é o processo sistemático de reflorestamento. Estão sendo privilegiadas áreas estratégicas como divisas da propriedade, margens do Rio Jequitinhonha e linhas de quebra-ventos. Nesse trabalho os coordenadores do Sítio observam o comportamento de diversas espécies de mudas, construindo conhecimento sobre quais as espécies mais adaptadas ao clima do semiárido, dentre muitas outras funcionalidades: valor econômico da madeira, usos dos frutos, folhas, cascas, propriedades repelentes, nutritivas, etc. "A espécie mais plantada foi o jenipapo, porque ele faz o processo de sombreamento da área e os frutos servem de alimento para os pássaros e abelhas, e podem ser utilizados em licor e tintura. O neem também foi plantado no processo de reflorestamento, uma vez que tem seu valor para construção, as folhas e frutos servem como repelente. O neem, mesmo não sendo da região, se adapta muito bem no nosso lugar. Mudas de abacate, manga, acerola foram plantados para ajudar no habitat de animais, que têm papel fundamental na semeadura natural." Celso Educador - Sítio Maravilha

Fabriqueta de Cultura
A Fabriqueta de Cultura funciona no espaço do Cinema Meninos de Araçuaí, inaugurado em março de 2008. A equipe é formada por um time de 14 jovens de 16 a 20 anos, e dois educadores. Através do projeto Caminho das Águas, jovens e educadores participaram de uma formação em dezembro de 2007. Realizada pelos parceiros da Rádio Margarida, com duração de 120 horas, a formação focou conteúdos básicos de produção de áudio e vídeo. O resultado da formação foram 4 vídeos de curta-metragem, abordando temas do projeto Caminho das Águas e da cultura local; além de vinhetas para rádio, que também trataram das atividades do projeto. Atualmente, o time da Fabriqueta de Cultura divide seu tempo entre atividades educativas, exibição de filmes e formação de público para o cinema. Além disso, estão

16

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

captando imagens de todas as iniciativas do projeto Caminho das Águas, incluindo ações nos 3 núcleos de comunidades e no Sítio Maravilha. A formação dos jovens da Fabriqueta de Cultura, à medida que interage com o trabalho de campo do Caminho das Águas, gera uma série de avanços importantes para o projeto: produção de material educativo e de divulgação; e formação de um grupo de comunicadores locais, qualificados tanto em técnicas quanto nos conceitos centrais da iniciativa. Esses ativos são fundamentais para futuras ações de difusão em escala das idéias e resultados do projeto, no âmbito da cidade de Araçuaí como um todo e mesmo nas cidades vizinhas. Os próximos desafios são aprofundar a formação do time, investir em equipamentos e articulações com rádios e TVs locais. O foco será na comunicação local. Uma das propostas é ter uma rádio móvel, que possa levar notícias às feiras e outros espaços de encontro popular.

Conexões sistêmicas O programa Arassussa nasceu com o objetivo de ser uma PLATAFORMA para a transformação social. Isso significa criar um espaço que facilite a integração de iniciativas diversas, a interpolação de tecnologias, experiências, saberes. Uma plataforma é um campo pleno de multiplicações e exponencializações. Coordenadores, educadores e agentes comunitários colocam essas idéias em prática no dia-a-dia do trabalho em Araçuaí. Nesse último trimestre, observamos a evolução dessas conexões e os benefícios gerados para o público. Destacamos aqui alguns exemplos, como indicadores de que a proposta teórica do projeto é exitosa na prática. Sítio Maravilha como centro irradiador dos conceitos e práticas da permacultura Estão sendo realizadas aulas-passeio no Sítio com times dos diversos projetos de Araçuaí, tanto próprios quanto de outras instituições locais e regionais. Dessa forma, o conhecimento está sendo difundido exponencialmente. Os educadores responsáveis pelos diversos projetos desenvolvem MDIs sobre o tema: de quantas maneiras diferentes e inovadoras podemos trabalhar a permacultura no nosso espaço? Essa provocação serve de estímulo para o planejamento de ações diversas e criativas, que estão sendo adotadas pelas equipes da Fabriqueta de Cultura, Softwares, Cooperativa Dedo de Gente e os projetos Ser Criança e Cidade Criança. Fabriqueta de Cultura: atuação transversal a todas as iniciativas Os jovens da Fabriqueta de Cultura estão realizando filmagens sobre as atividades do Caminho das Águas nas comunidades e no Sítio Maravilha, bem como nos demais projetos na cidade. Dessa forma, estão constituindo um importante arquivo para

17

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

difundir o trabalho para a cidade como um todo, ao mesmo tempo em que os jovens se qualificam como agentes de educação ambiental. Ações conjuntas entre projetos Cidade Criança e Caminho das Águas No âmbito das comunidades, são comuns as atividades integradas entre os dois projetos, o que promove não apenas o engajamento das crianças, como também a qualificação das Mães Cuidadoras nos temas ambientais. Isso tem facilitado o desenvolvimento de jogos, brincadeiras, histórias e outras atividades lúdicas que abordam a temática da água, do lixo e do cuidado com o ambiente. Intercâmbios entre Mães e Guardiões das Águas e os jovens da Cooperativa Dedo de Gente As oficinas de tinta de terra coordenadas pelos artistas da Dedo de Gente nas comunidades estão rendendo muitos frutos: os moradores se interessaram muito pela técnica, que é acessível e transformadora. O intercâmbio também gira em torno da busca de soluções para o reaproveitamento de resíduos sólidos, como garrafas de vidro e sacolinhas plásticas. Outro resultado positivo dessa troca é o aumento do conhecimento dos jovens que vivem na cidade sobre a zona rural, suas belezas e desafios. Fabriqueta de Softwares e a administração do Blog Arassussa A recém-criada Fabriqueta de Softwares também participa de atividades de intercâmbio, de maneira a se interarem das ações do Caminho das Águas. A partir de julho, passaram a administrar o Blog Arassussa, que publica as principais notícias da quinzena para todos os parceiros do projeto. A partir de outubro, esses jovens irão estagiar nos diversos projetos em Araçuaí, pensando e desenvolvendo sistemas que possam facilitar o trabalho e a aprendizagem das equipes.

Alianças com propósitos O programa Arassussa acredita que a transformação social depende de novos arranjos sociais. É preciso inovar os modelos de parcerias e alianças, superando as diferenças de linguagem e interesses dos diferentes setores. Poder público, iniciativa privada, organizações civis - acreditamos que todos queremos uma sociedade melhor, para nós e para nossos tataranetos. É em torno desse propósito comum que reunimos parceiros locais, estaduais, nacionais e internacionais - com formas de envolvimento diversas, mas sempre com vontade de dialogar, aprender e gerar resultados concretos. A lista a seguir sintetiza o escopo das atuais parcerias do Arassussa, as quais, via de regra, têm relação direta com o projeto Caminho das Águas. Entendemos o fortalecimento e a diversificação dessas parcerias como importantes indicadores de êxito da iniciativa.

18

Janeiro a Abril 2008

Relatório Técnico de Execução

Nome da Instituição Apel Associação Vaga lume ASSOCIAR - Associação Comunitária Infantil de Araçuaí BAMCRUS - Bambuzeria Cruzeiro do Sul BESA - Banco de Êxitos S.A. Cáritas Diocesana de Araçuaí Cooperativa Dedo de Gente CPCD - Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento Escola de Teatro Bolshoi Fundação AVINA

Escopo da parceria Assessoria técnica Assessoria técnica Apoio técnico Assessoria técnica Assessoria técnica e aporte financeiro; divulgação da iniciativa Apoio técnico Execução de projetos em parceria Assessoria técnica e aporte financeiro; divulgação da iniciativa Execução de projetos em parceria Aporte financeiro, articulação de parcerias, divulgação da iniciativa

Detalhamento Planejamento estratégico e desenvolvimento metodológico do projeto Bibliotecas comunitárias e formação de mediadores de leitura Mobilização comunitária; garantia dos direitos da criança e do adolescente Uso do bambu como vetor do desenvolvimento sustentável Gestão dos projetos e coordenação das atividades educativas Construção de sistemas de captação e armazenamento de águas pluviais Geração de oportunidades de aprendizagem, trabalho e renda para os jovens de Araçuaí Gestão dos projetos e coordenação das atividades educativas Formação de jovens do Coral Meninos de Araçuaí em dança clássica Coordenação dos encontros de reflexão coletiva Roda Arassussa

Prazo / Duração Contínuo Contínuo Contínuo Contínuo Contínuo Contínuo Contínuo Contínuo Contínuo Contínuo

19

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Nome da Instituição Fundação Banco do Brasil Fundação Bernard Van Leer Giral viveiro de projetos Grupo Ponto de Partida IMCA - Instituto Morro da Cutia de Agroecologia Instituto Oi Futuro IPA - Instituto de Permacultura da Amazônia IPEC - Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado IPEP - Instituto de Permacultura e Ecovilas da Pampa Ministério do Desenvolvimento Agrário

Escopo da parceria Divulgação da iniciativa Aporte financeiro Assessoria técnica Assessoria técnica Assessoria técnica Aporte financeiro Assessoria técnica Assessoria técnica Assessoria técnica Aporte financeiro

Detalhamento Divulgação através da Rede de Tecnologias Sociais Projeto Pedagogia do Abraço Gestão do projeto e captação de recursos Formação de jovens do Coral Meninos de Araçuaí em teatro, dança e música Agroecologia, cooperativismo, comércio solidário, biocombustíveis Projeto Fabriqueta de Softwares Permacultura, design para ecoeficiência, biossistemas integrados Permacultura, design para ecoeficiência, biossistemas integrados Permacultura, design para ecoeficiência, biossistemas integrados Projeto Araçuaí, Cidade Sustentável. Educação para a sustentabilidade

Prazo / Duração Contínuo 2008/2010 Contínuo Contínuo Contínuo Dezembro 2007 a Dezembro 2008 Contínuo Contínuo Contínuo Julho 2008 a Julho 2010

20

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Nome da Instituição Petrobras Petrobras Ambiental PriceWaterhouseCoopers Rádio Margarida Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Araçuaí

Escopo da parceria Aporte financeiro Aporte financeiro Assessoria técnica Assessoria técnica Apoio técnico

Detalhamento Projeto Arassussa Projeto Caminho das Águas Inteligência financeira Comunicação popular, radiodifusão, jornalismo, cinema Agricultura e organização de agricultores

Prazo / Duração Julho 2008 a Julho 2010 Janeiro 2007 a Dezembro 2008 Junho 2008 a Agosto 2008 Contínuo Contínuo

21

Janeiro a Abril 2008

Relatório Técnico de Execução

2.2 Indicadores Quantitativos

ANO 1 CONSOLIDADO OBJETIVO 1 - Promover práticas de uso racional dos recursos hídricos Times Educadores / coordenadores Mães Cuidadoras e Guardiões da Água formados Mães Cuidadoras atuantes Pais Cuidadores atuantes Jovens Guardiões atuantes Reuniões de planejamento da equipe Envolvimento da comunidade Famílias atendidas com práticas de permacultura Famílias visitadas Reuniões comunitárias Participantes reuniões comunitárias Oficinas comunitárias Participantes oficinas comunitárias Quantidade de eventos Cinema Itinerante Participantes Cinema Itinerante Folias (mutirões de limpeza, plantio) Folias (eventos culturais, ‘procissão’, rodas de viola, teatro) Eventos realizados Pessoas mobilizadas Músicos participantes Músicas criadas Lixo recolhido (kg) Mudas doadas / trocadas Mudas plantadas
PESSOAS PESSOAS PESSOAS PESSOAS PESSOAS EVENTOS UNIDADE

ANO 2 3T 4T 5T 6T Total

1T

2T

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 3 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 27 0 1 9 24 35 259 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 15 7 1 5 15 110 255 0 0 0 0 0 0

3 89 28 1 6 20 116 272 4 144 12 57 7 645

3 134 35 3 20 59 261 786 4 144 12 57 7 645

FAMÍLIAS FAMÍLIAS EVENTOS PESSOAS EVENTOS PESSOAS EVENTOS PESSOAS

EVENTOS PESSOAS PESSOAS MÚSICAS KG MUDAS MUDAS

0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0

45 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0

10 200 0 0 0 0 0

21 861 37 6 85 217 243

76 1061 37 6 85 217 243

22

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

ANO 1 CONSOLIDADO OBJETIVO 1 - Promover práticas de uso racional dos recursos hídricos Grupos de produção Grupos Pessoas envolvidas Receitas experimentadas / criadas Envolvimento das crianças Crianças envolvidas Gincanas realizadas Passeios ecológicos realizados Jogos e brincadeiras criados Jogos e brincadeiras adaptados Livros sobre meio ambiente utilizados Histórias sobre meio ambiente contadas Práticas ecológicas Quintais Maravilha Círculos de bananeira Minhocários Mandalas Espirais de ervas Pilhas de Composto Casas de passarinho Buracos de lixo Biofertilizante Repelente / inseticida natural Tinta de terra (quantidade de locais embelezados) Aproveitamento de resíduos Materiais aproveitados (latas, litros, PET, plásticos) Experimentos / produtos criados
GRUPOS PESSOAS RECEITAS UNIDADE

ANO 2 3T 4T 5T 6T Total

1T

2T

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 2 0 0 0 2 0 0 0 0 0 0 0

3 0 0 78 0 0 11 0 0 0 4 14 0 19 19 1 0 35 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

10 0 0 132 4 0 43 0 0 0 6 34 5 101 25 6 5 51 104 40 0 0 0

15 112 15 189 2 5 3 15 92 35 11 19 4 81 38 24 1 30 420 55 14 60 3

28 112 15 399 6 5 57 15 92 35 21 69 9 201 82 33 6 116 524 95 14 60 3

PESSOAS EVENTOS EVENTOS JOGOS JOGOS LIVROS HISTÓRIAS

QUINTAIS CÍRCULOS MINHOCÁRIOS MANDALAS ESPIRAIS PILHAS CASAS BURACOS LITROS LITROS ESPAÇOS

KG TIPOS DE PRODUTOS

23

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

ANO 1 CONSOLIDADO OBJETIV0 2 - Implementar práticas de gestão integrada de recursos hídricos OBJETIVO 3 - Conservar os ambientes da bacia local Plantio Mudas produzidas Mudas trocadas Mudas plantadas Sementes produzidas Sementes trocadas Mini-viveiros comunitários Variedade de espécies trabalhadas (quantidade) Canais de infiltração em nível Manuais (quintais, pequenos espaços) Com máquinas (grande escala) Água para consumo humano Famílias que abandonaram o uso de sulfato / cloro Famílias que adotaram prática de fervura Filtros desenvolvidos Sistemas de captação de águas das chuvas Sistemas implantados (calha + caixa fechada) Sistemas abertos implantados (calha + tambor, ou caixa aberta) Capacidade dos sistemas Pessoas beneficiadas Áreas críticas para preservação Quantidade de minadouros protegidos Ações nas margens de rios Mudas plantadas em margens e minadouros Articulações - eventos em parceria com outras entidades Eventos em parceria com outras entidades Participantes eventos Envolvimento / intercâmbio com escolas Participantes eventos escolas Comitê Gestor de Bacias Reuniões Comitê 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 3 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 694 0 0 0 0 2 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 224 0 0 0 0 4 0 0 0 0 0 7 0 0 2 0 0 0 0 0 0 0 763 0 478 0 0 1 0 24 0 0 0 0 3 0 0 0 2 0 0 0 0 0 0 1
UNIDADE

ANO 2 3T 4T 5T 6T Total

1T

2T

MUDAS MUDAS MUDAS

KG ESPAÇOS ESPÉCIES

1127 68 308 242 2 10 66 4 29 179 32 0 55 0 0 0 2 2 116 4 95 2 19 1

2584 68 1010 242 2 14 66 35 29 179 32 0 59 8 0 0 6 2 116 4 95 2 19 2

QUINTAIS CANAIS

FAMÍLIAS FAMÍLIAS FILTROS

SISTEMAS SISTEMAS LITROS PESSOAS

MINADOUROS EVENTOS MUDAS

EVENTOS PESSOAS EVENTOS PESSOAS

EVENTOS

24

Janeiro a Abril 2008

Relatório Técnico de Execução

3. RELATÓRIO TÉCNICO DE EXECUÇÃO
Objetivo I. Promover práticas de uso racional de recursos hídricos

Resultado 1.1. Criação de centro irradiador de tecnologias ambientais

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

O Sítio Maravilha está localizado a aproximadamente 28 km de Araçuaí, às margens do rio Jequitinhonha. Implantado em 2005 a partir de uma parceria entre o CPCD e a Ação Social, o Sítio foi desenvolvido a partir da proposta de se criar um centro de referência local em Permacultura que sirva à demonstração de técnicas sustentáveis de manejo e à produção de alimentos para as iniciativas de educação empreendidas em Araçuaí. O investimento em infra-estrutura realizado no âmbito do projeto Caminho das águas vem permitindo que as atividades produtivas e educacionais do Sítio sejam ampliadas, potencializando a capacidade de transformação social da iniciativa. A finalização das estruturas de hospedagem e administrativas vem permitindo que o Sítio Maravilha receba um maior número de visitantes, tanto de iniciativas ligadas ao projeto Arassussa quanto de escolas agrícolas e faculdades da região, associações e produtores rurais, e projetos socioambientais afins. A otimização dos recursos na implantanção das estruturas de ensino e administrativas deve permitir a construção de mais uma cozinha comunitária, com os recursos do projeto.

25

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

1.1.1.

Implementar estruturas de ensino e administrativas do Sítio Maravilha

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 75% 3

1º. T- 4º. T

Em execução 4

Atividades Realizadas
• Geodésica de Bambu e sapé • Refeitório de Sapé • Finalização das obras do alojamento • Planejamento da Cozinha e Galpão Multiuso

Meios de Verificação

Projetos das obras Registro fotográfico Pesquisas orçamentárias

Segundo os debates realizados pelo grupo gestor no final de julho, a construção das estruturas de ensino e administrativas planejada no início do ano de 2008 será readequada, com o objetivo de melhorar a infra-estrutura e a logística de recebimento de visitantes. A cozinha e o galpão multiuso em bambu, originalmente planejados, darão lugar à geodésica de bambu, a um galpão de menores proporções e a uma cozinha, a ser construída ao lado do alojamento do Sítio. As alterações propostas já estão em fase de planejamento, com a geodésica de bambu já tendo sido implantada. A substituição dos modelos anteriormente planejados para a cozinha e o galpão por modelos racionalizados reduzirão os custos globais da obra, permitindo a construção de mais estruturas e potencializando o trabalho realizado no Sítio Maravilha. De acordo com a vocação do espaço, os próximos cursos de permacultura a serem realizados no âmbito do projeto deverão acontecer dentro do Sítio Maravilha. O atraso na implantação provocado por esta correção de rumo não deverá comprometer as metas globais para o projeto.

26

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Detalhes da Geodésica de bambu e sapé, sala de aula do Sítio Maravilha

27

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

1.1.2. Implementar estruturas demonstrativas para uso e conservação da água no Sítio Maravilha

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 275% 11

1º. T- 4º. T

Em execução 4

Atividades Realizadas

Meios de Verificação Registro fotográfico Lista de presença do curso

• Atividades concluídas

A implantação das estruturas produtivas demonstrativas de uso racional da água foi realizada em 2008 e no último trimestre foi alvo apenas de manutenção.

Novas placas indicando o Sítio Maravilha, Centro de Permacultura do Vale do Jequitinhonha

28

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

1.1.3. Contratar coordenadores comunitários de atividades

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 75% 6

1º. T- 8º. T

Em execução 6

Atividades Realizadas

Meios de Verificação Carteira de trabalho assinada/recibo de pagamento Relatórios Técnicos por Núcleo/MPRA por núcleo.

• Contratação dos coordenadores comunitários de

atividades

Dando continuidade ao trabalho de mobilização iniciado em 2007, os coordenadores comunitários de atividades vinculados ao projeto Caminho das Águas continuam a cumprir a essencial função de coordenar os trabalhos dos educadores que atuam diariamente nos três núcleos de comunidades atendidas. Além de se responsabilizarem diretamente pela gestão de iniciativas como o Sítio e os Quintais Maravilha, os coordenadores ainda conduzem semanalmente dinâmicas de avaliação. O registro destas dinâmicas é circulado entre parceiros e consiste em uma das peças fundamentais para a gestão conjunta do processo. No que se refere ao acompanhamento técnico das ações dos coordenadores, o ano de 2008 tem se mostrado fundamental na consolidação de metodologias de aprendizagem tais como os Quintais Maravilha. O sucesso de tais iniciativas tem permitido que o trabalho se desenvolva em novas frentes, como no caso dos viveiros comunitários e mutirões.

29

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 1.2. Formação técnica para o uso sustentável da água

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

Seguindo o planejamento realizado pelo grupo gestor quando da apresentação do projeto Caminho das Águas, a formação de coordenadores comunitários, mães, guardiões da água e moradores das comunidades em técnicas para o uso sustentável da água nas áreas atendidas pelo projeto, deverá ser realiziada pelos próprios profissionais do projeto a partir de agosto de 2008. Se inicialmente a capacidade de replicação local das práticas e saberes relacionadas ao melhor uso da água era colocada em dúvida, o desdobramento do projeto tem demonstrado a total viabilidade de se trabalhar com os professores locais na formação dos moradores de Araçuaí. Levando-se em conta que os responsáveis pelo desenho inicial da proposta desenvolvem suas atividades em biomas diferentes (como Pampa, Cerrado ou Floresta Amazônica) hoje já podemos certificar que alguns dos profissionais do projeto começam a se formar como professores técnicos e educadores especializados na realidade da Caatinga. Tal acontecimento deve ser comemorado como um dos grandes sucessos do projeto principalmente porque, dentre os diversos ecossistemas brasileiros, é na Caatinga onde as questões de manejo da água se tornam mais críticas. Com o objetivo de facilitar tal processo, a formação em uso racional da água para as comunidades será, a partir do segundo semestre de 2008, realizada pelos coordenadores comunitários, a partir dos desafios locais dos moradores das zona rural de Araçuaí.

Celso Silva, educador coordenador do Sítio Maravilha, em aula passeio com jovens de Araçuaí

30

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

1.2.1. Formação e apoio de permacultores (PDCs)

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 50% 2

1º. T- 8º. T

Em execução 3

Atividades Realizadas
• Acompanhamento técnico dos professores/técnicos

Meios de Verificação Registro Fotográfico Relatórios equipes de campo

locais em processo de formação.

Conforme explicado no início deste item do relatório, a formação e apoio de permacultores será ministrada a partir de julho de 2008 pelos coordenadores comunitários de atividades, selecionados localmente e conhecedores dos desafios da realidade local. Como forma de garantir que as formações realizadas respondam às demandas locais dos moradores com um nível técnico adequado, os coordenadores comunitários responsáveis pelas atividades nas comunidades, e pelo Sítio Maravilha, vêm recebendo uma formação sistemática dos parceiros do projeto especializados em Permacultura. Os cursos ministrados pelos coordenadores deverão acontecer ainda em 2008 e serão um campo de experimentação não apenas no desenvolvimento de novas soluções para os desafios locais, como também na formação destes técnicos que começam a ministrar aulas e, portanto, devem desenvolver metodologias e pedagogias apropriadas. O objetivo deste processo é garantir que ao final do projeto o grupo de educadores locais esteja formado para responder aos desafios que surgirão, e atuarem como multiplicadores dos novos conhecimenos aportados pelo projeto.

31

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 1.3 Educação e Mobilização Popular

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

O item “Educação e Mobilização popular” refere-se às atividades educativas que já eram empreendidas no âmbito do programa Araçuaí Sustentável antes do início do projeto Caminho das Águas. As iniciativas dos Habitats, Bornal de Jogos e Folias, que anteriormente foram desenhadas para a apreensão de conceitos básicos de língua portuguesa, raciocínio lógico e promoção da leitura, foram adaptadas para estimular a reflexão sobre a importância dos recursos hídricos. As iniciativas vêm sendo realizadas continuamente, conduzidas pelos coordenadores comunitários de atividades, Mães Cuidadoras e pelos Guardiões da Água.

32

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

1.3.1. Programa Habitat: Sua Escola Sustentável – Água

Previsão Global

Status

Previsto 80%

Realizado 420% 21

1º. T- 8º. T

Em execução 4

Atividades Realizadas
• Habitats na zona rural: Quintais Maravilha

Meios de Verificação Registro Fotográfico

Como explicado no relatório do último trimestre, o Programa Habitats, inicialmente planejado para acontecer junto às escolas públicas de Araçuaí, foi adaptado para a realidade rural das comunidades onde acontece o projeto Caminho das Águas, sob o nome de Quintais Maravilha. A iniciativa vem demonstrando grandes resultados e hoje, em plena época de seca, os Quintais Maravilha se destacam na paisagem como oásis de verde, produtivos e coloridos em meio à dura realidade da Caatinga. Mais do que mini unidades demonstrativas de uso racional da água, os Quintais Maravilha vêm se apresentando como espaços privilegiados de encontro das comunidades, onde são discutidos problemas e apresentadas soluções que beneficiam a todos. Selecionadas as famílias responsáveis pelos Quintais Maravilha, educadores e agentes têm pesquisado e experimentado inovações diversas para tornar esses espaços modelos de sustentabilidade. Compostagem, minhocultura, adubação verde, biofertilização, design dos espaços e das hortas, cobertura do solo, abandono da prática de queima, produção de sementes e mudas, diversificação da produção, pintura com tinta de terra são algumas das iniciativas apropriadas pelos times.

33

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Quintal Maravilha de dona Maria José, no núcleo Cruzinhas, já oferece autonomia para a família em termos de hortaliças, leguminosas e frutas, incluindo feijão e café

Quintal Maravilha do seo Beu, no núcleo Alfredo Graça, é espaço de aprendizagem para toda a comunidade

Time de agentes constroem um minhocário no Quintal Maravilha de dona Fatinha, no núcleo Olinto Ramalho

34

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

1.3.2. Desenvolvimento de um bornal de jogos ambientais

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 75% ND

1º. T- 8º. T

Em execução ND

Atividades Realizadas
• Sistematização dos jogos • Atividades quinzenais com crianças nas comunidades

Meios de Verificação Registro Fotográfico do Processo

O Bornal de jogos da água é resultado de uma metodologia educativa desenvolvida pelo CPCD há mais de uma década e que tem como objetivo criar, com as crianças das comunidades, jogos lúdicos que consigam transmitir as mensagens educacionais do projeto. Utilizado como matéria-prima do processo educacional, o Bornal de jogos é desenvolvido continuamente. A todo o momento podem ser criados jogos ambientais que são jogados em conjunto por educadores e crianças. Ao final do projeto, os jogos desenvolvidos serão sistematizados na forma de um Bornal de Jogos Ambiental. A exemplo de outros bornais educativos já desenvolvidos em Araçuaí, o Bornal de Jogos Ambiental poderá até ser comercializado pela cooperativa Dedo de Gente, gerando renda para os artesãos de Araçuaí.

35

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

1.3.3. Incorporar Teatro e Folia da Água no calendário de celebrações local

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 633% 76

1º. T- 8º. T

Em execução 9

Atividades Realizadas
• Folias para a limpeza de rios e áreas comuns das

Meios de Verificação

comunidades
• Teatros das Águas • Roda de Viola das Águas

Registro Fotográfico dos eventos

Assim como o Bornal de Jogos e os Quintais Maravilha, o conjunto de atividades de mobilização comunitária em torno do tema do uso e da conservação da água vem se mostrando uma ferramenta fundamental no trabalho de formação do projeto Caminho das Águas. Os mutirões de limpeza dos rios são eficientes, pois constituem um momento de quebra de rotina na comunidade, no qual os agricultores e donas de casa param suas atividades rotineiras para trabalhar pelo bem da localidade onde moram. Os teatros, rodas de viola e cinema intinerante são os principais eventos de mobilização comunitária, que chegam a reunir mais de 200 pessoas. Nesses encontros, educadores e agentes usam formas criativas de colocar em pauta temas de educação ambiental, de forma lúdica e prazeirosa. Também a organização do evento é um momento de aprendizagem para a equipe, que experimenta novas formas de atrair os moradores, pensa formas de valorizar recursos disponíveis e alimentos regionais, além de formas de evitar a geração de lixo. Cada comunidade que participa do projeto é incentivada a desenvolver suas próprias soluções e instrumentos de mobilização. As diferentes dinâmicas desenvolvidas até o momento (roda, mutirão) são, via de regra, adaptadas à realidade das comunidades, sendo construídas em momentos apropriados, de acordo com a necessidade.

36

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Objetivo II. Implementar práticas de gestão integrada de recursos hídricos

Como explicado em edições anteriores do relatório técnico, o projeto Caminho das Águas procura promover práticas de gestão integrada de recursos hídricos em dois níveis distintos. Institucionalmente, ocupando espaços nos Comitês de Bacia; e na base comunitária, fomentando a criação de uma cultural local de manejo racional e sustentável dos recursos hídricos. Os trabalhos realizados nos dois níveis vêm apresentando resultados e desafios. Em termos de articulação institucional, o principal desafio se relaciona com a realidade de inoperância de Comitês de Bacia na região. No nível comunitário, a mobilização dos moradores busca dar conta de uma privação quase total de recursos hídricos, com solo degradado, rios poluídos e chuva concentrada em dois ou três meses no ano. Os desafios apresentados são endereçados por moradores, coordenadores comunitários e profissionais técnicos do projeto num esforço de promover o engajamento de pessoas e instituições em torno do tema.

37

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 2.1. Fortalecimento e manutenção do Comitê Gestor da Bacia Hidrográfica do Rio Araçuaí

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

Após as articulações realizadas entre a equipe do BESA/CPCD e o Fhidro, no início de 2008, a mobilização comunitária para o fortalecimento do Comitê de Bacias do Rio Araçuaí vem sendo articuladas em duas frentes. A primeira, dando seqüência ao trabalho já iniciado, consiste na negociação diretamente com o Fhidro para que o projeto que dá seqüência ao Caminho das Águas seja apoiado pelo fundo estadual. As negociações estão avançadas e a expectativa é de que a parceria seja concretizada ainda este ano. A segunda frente, relacionada ao fortalecimento do comitê em si, consiste no emprego de esforços para que o comitê exista de fato, de forma operacional. O trabalho desta segunda frente será detalhado nesta etapa do relatório.

38

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.1.1. Mobilização comunitária para participação no Comitê Gestor da Bacia Hidrográfica do Rio Araçuaí

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 17% 2

1º. T- 8º. T

Em execução 8

Atividades Realizadas
• Eleição de membros do comitê.

Meios de Verificação Ata de eleição dos membros do comitê

Após quase um ano de articulação, foi realizada em maio de 2008 a nova eleição para membros do Comitê da Bacia do Rio Araçuaí. Representantes do projeto Caminho das Águas estiveram presentes e formalizaram a participação no Comitê. Na atual gestão, um representante do Banco de Êxitos tem assento, tendo um do CPCD como suplente. A eleição de novos representantes para o Comitê consiste num importante passo para gestão dos recursos hídricos da região de Araçuaí. Quando do início do projeto, o Comitê responsável pela região encontrava-se inoperante.

39

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.1.2. Contratar coordenadores de grupos de trabalho para zoneamento participativo

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 75% 2

1º. T- 8º. T

Não iniciada 2

Atividades Realizadas

Meios de Verificação Carteira de trabalho assinada/recibo de pagamento Relatórios Técnicos por Núcleo/MPRA por núcleo.

• Mobilização comunitária – coordenadores realocados

Conforme detalhado no relatório anterior, os coordenadores comunitários originalmente designados para o acompanhamento dos Comitês foram realocados para a coordenação das atividades de campo com as comunidades. O relato de suas atividades encontra-se detalhado nos itens referentes às atividades com as comunidades.

40

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.2 Aparelhar 30 propriedades rurais com tecnologias para a conservação da água na agricultura e segurança hídrica familiar (time de multiplicadores)

Previsão Global 1º. T- 4º. T

Status Em execução

Status Prazo Atrasada

De acordo com os princípios de trabalho para a mobilização comunitária dos 3 núcleos participantes – Olinto Ramalho, Alfredo Graça e Cruzinhas – a implantação em escala dos kits de tecnologias sociais foi iniciada em abril de 2008. Após uma discussão inicial quanto aos modelos mais adequados para os sanitários secos e os sistemas de captação de água a serem implantados nas propriedades familiares, o grupo gestor do projeto optou por trabalhar com o conhecimento local que os profissionais das comunidades já possuem. Seguindo o trabalho da Associar e da Cáritas que já vem sendo realizado na região há alguns anos, o projeto decidiu trabalhar com cisternas modelo “placas”, que são feitas separadamente e levadas para o local de implantação apenas no momento da montagem. Isso facilita as dificuldades logísticas, causadas pela precária situação das estradas na zona rural, e da demanda por água na construção das placas. A solução adotada também foi a mais econômica dentre as orçadas. No caso dos sanitários, o princípio desenhado para as cisternas foi adaptado e as unidades também serão construídas em placas e montadas no local. No caso dos sistemas de biofertirrigação e da produção de biofertilizante, o trabalho vem sendo realizado pelas coordenadoras comunitárias, Mães Cuidadoras e Guardiões da Água (ver quantidades produzidas na tabela de índices quantitativos). A construção dos canais de infiltração foi finalizada com o uso de tratores contratados para o projeto.

41

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

As obras de construção das cisternas de placas já foram inciadas no núcleo Cruzinhas

Seo Darci, pedreiro local capacitado pela Cáritas, coordena as obras

Representante de uma das famílias beneficiárias participa do mutirão, também no núcleo Cruzinhas

42

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.2.1. Curso para construção de valas de infiltração vegetadas (swales)

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 200% 2

1º. T

Realizado 1 Atividades Realizadas

Meios de Verificação -

• Atividade concluída em 2007

Atividade concluída.

João Rockett, do IPEP, observa o morro com canais de infiltração no núcleo Alfredo Graça

43

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.2.2. Construção multiplicadoras

de

valas

de

infiltração

vegetadas

(swales)

para

famílias

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 30

1º. T- 4º. T

Realizado 30

Atividades Realizadas
• Atividades concluída

Meios de Verificação Registro Fotográfico

Atividade concluída.

2.2.3. Curso Pedagogia da Água

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 200% 2

1º. T

Realizado 1 Atividades Realizadas

Meios de Verificação -

• Atividade Concluída em 2007

Atividade concluída.

44

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.2.4 Construção de sistema de captação, filtragem, armazenamento de água de chuva para famílias multiplicadoras.

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 30

1º. T- 4º. T

Realizado 30

Atividades Realizadas
• Implantação de Sistemas nas comunidades das

Meios de Verificação Registro Fotográfico

Cruzinhas

Com o fim do período de chuvas foi iniciado em maio de 2008 a implantação dos sistemas de captação de água da chuva para os núcleos selecionados. Após a discussão inicial quanto ao modelo mais adequado para a realidade local, o grupo gestor do projeto optou por trabalhar com o modelo da ASA/Associar, em placas. Como já mencionado, a opção por trabalhar com este tipo de cisternas se deu por conta das dificuldades logísticas de acesso às comunidades; do menor preço em relação aos outros modelos, na região; e também pelo fato de que envolve menos uso de água no local de implantação, uma vez que as placas não são produzidas nas propriedades. O trabalho de construção foi coordenado por uma empreiteira local, com a mão de obra da comunidade contratada diretamente pelo projeto, e essa parceria se mostrou muito próspera. De acordo com a metodologia planejada inicialmente para o projeto, os núcleos familiares que recebem os kits são selecionados a partir de critérios de contrapartida. Além de se responsabilizarem comunitariamente pela escavação dos buracos onde são colocadas as cisternas, as famílias que recebem o kit também devem se comprometer a executar contrapartidas ambientais, tais como a conservação de jardins e o não uso da queima para a limpeza de pasto. As 30 primeiras cisternas foram construídas com sucesso, gerando bons aprendizados para sua reaplicação nas outras 75 propriedades rurais.

45

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.2.5. Construção de sistema de saneamento (sanitário compostável ou biolítico) para famílias multiplicadoras

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 0% 0

1º. T- 4º. T

Atrasado 30

Atividades Realizadas

Meios de Verificação

Nos primeiros meses do projeto Caminho das Águas, o trabalho foi focado na conscientização das famílias multiplicadoras com a disseminação de técnicas adaptadas à realidade local, tais como as espirais de ervas, círculos de bananeira e o buraco do lixo. A partir de maio de 2008, com o novo período de seca, foram iniciadas as construções das cisternas. Dada sua maior necessidade e urgência em comparação aos sanitários compostáveis, optamos por priorizar a construção das 105 cisternas planejadas, deixando os sanitários para um segundo momento. Temos como meta a construção de todas as cisternas antes do próximo período das chuvas (outubro de 2008), de maneira a já garantir a segurança hídrica imediata nas famílias envolvidas. Assim que finalizarmos as cisternas iniciaremos a construção dos sanitários, que, por também serem feitos de placas, concorrem diretamente (em termos de mão de obra) com as primeiras.

46

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.2.6. Produção de biofertilizante em núcleos familiares multiplicadores

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 30

1º. T- 4º. T

Realizado 30

Atividades Realizadas
• Produção global de 420 litros de biofertilizantes nos 3

Meios de Verificação Registro Fotográfico RT Comunidades

núcleos comunitários

A produção de biofertilizante cumpre a importante função de garantir a qualidade das culturas iniciadas nas comunidades. Produzido nos núcleos familiares capacitados o biofertilizante é aplicado nas propriedades pela equipe de campo do projeto. Dado que a Coordenação comunitária construiu com os moradores locais um processo coletivo de produção de biofertilizante e de demais insumos permaculturais, diversos são os núcleos familiares produtores. Como parâmetro para medir o número núcleos familiares atendidos, usamos o indicador “quantidade de famílias atendidas com práticas de permacultura”, sistematizados pela equipe de campo.

Produção de biofertilizante num dos Quintais Maravilha do núcleo Cruzinhas

47

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.2.7. Instalar sistemas de biofertirrigação em núcleos familiares multiplicadores

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 30

1º. T- 4º. T

Realizado 30

Atividades Realizadas
• Experimentação de sistemas de fertirrigação de baixo

Meios de Verificação Registro Fotográfico

custo nos quintais

Da mesma forma que com a produção de biofertilizante, o número de famílias que recebem os sistemas de Biofertirrigação refere-se àquelas atendidas com práticas de permacultura pela equipe de campo.

48

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 2.3. Replicar modelo para outras 75 propriedades rurais com tecnologias para conservação de água na agricultura e segurança hídrica familiar

Previsão Global 1º. T- 4º. T

Status Em execução

Status Prazo Atrasado

Como mencionado acima, atualmente, o foco da replicação dos kits de tecnologias nas 75 demais propriedades rurais integrantes do projeto é a construção das cisternas e dos demais itens do sistema de captação e armazenamento de águas de chuvas. Os sistemas de saneamento, por demandarem a mesma tecnologia e mão de obra das cisternas, serão os últimos itens do kit a serem replicados. O início de suas obras ocorrerá assim que se der por encerrado o processo de construção das 105 cisternas planejadas. A produção de biofertilizante, construção de sistemas de biofertiirrigação e das valas de infiltração continuarão ocorrendo no contexto das atividades de campo.

49

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.3.1. Replicação de valas de infiltração vegetadas (swales) para famílias cadastradas

Previsão Global

Status

Previsto 60%

Realizado 37% 28

4º. T- 8º. T

Em execução 45

Como mecionado no relatório anterior, dado o diagnóstico de áreas críticas feita pela equipe de permacultores e o contexto de divisão territorial das comunidades participantes, em alguns casos, aliada à estratégia de construção de valas de infiltração nos núcleos familiares, fizemos também valas nos em áreas comuns da comunidade usada por todos para agricultura. No núcleo Alfredo Graça foram feitas 20 valas de grande extensão nas terras do grupo Para Terra, composto por 21 famílias. No núcleo Olinto Ramalho foram feitas 9 valas em área utilizada por duas famílias. Ao total, somando-se as valas construídas manualmante nos núcleos comunitários (35 valas), com o número de famílias atendidas pelas valas feitas por trator, temos 58 famílias atendidas. Uma vez que as áreas críticas já foram beneficiadas, a partir de agora construiremos valas de infiltração apenas nos núcleos comunitários demandantes, de forma manual.

50

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.3.2. Replicação de sistema de captação, filtragem, armazenamento de água de chuva para famílias multiplicadoras.

Previsão Global

Status

Previsto 60%

Realizado 33% 25

4º. T- 8º. T

Em execução 45

Por conta da prioridade dada à construção das cisternas, acabadas as 30 primeiras unidades, já iniciamos a construção das demais 75 unidades planejadas. Atualmente temos 25 novas unidades em processo de construção, já tendo os buracos cavados e montagem planejada. Por conta de estar na região mais vulnerável à seca (sem acesso a rios e com poucas cacimbas), o núcleo das Cruzinhas é o maior beneficiado. Dado que a proposta é de já aproveitarmos a próxima época de chuvas para armazenarmos água potável, temos como meta encerrar a construção das 75 cisternas faltantes até o mês de outubro deste ano.

2.3.3. Replicação de sistema de saneamento (sanitário compostável ou biolítico) para famílias cadastradas

Previsão Global

Status

Previsto 60%

Realizado 0% 0

4º. T- 8º. T

Não inciada 45

Como mencionado acima, os sistemas de saneamento, por demandarem a mesma tecnologia e mão de obra das cisternas, serão os últimos itens do kit a serem replicados. O início de suas obras ocorrerá assim que se der por encerrado o processo de construção das cisternas planejadas.

51

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

2.3.4. Replicar produção de biofertilizante para famílias cadastradas

Previsão Global

Status

Previsto 60%

Realizado 155% 116

4º. T- 8º. T

Concluída 45

Como já mencionado acima, a produção de biofertilizante cumpre a importante função de garantir a qualidade das culturas iniciadas nas comunidades. Insumo para os Quintais Maravilha, a produção dos biofertilizantes está sendo bem aceita nos núcleos familiares. A equipe de campo do projeto inseriu a capacitação para produção desse insumo em todas as visitas de caráter permacultural que realizou neste trimestre às famílias atendidas. Apesar de já cumprida a meta proposta no projeto, esta diretriz continuará em vigor nas demais visitas realizadas.

2.3.5. Replicar sistemas de biofertirrigação para famílias cadastradas

Previsão Global

Status

Previsto 60%

Realizado 155% 116

4º. T- 8º. T

Concluída 45

Assim como apresentado no tópico acima, a capacitação para replicação dos sistemas de biofertirrigação foi inserida nas visitas permaculturais feitas pela equipe de campo às famílias. Esta é outra prática que está sendo bem aceita pelos membros familiares.

52

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 2.4. Formação de agentes comunitários de gestão hídrica

Previsão Global 1º. T- 3º. T

Status Concluído

Status Prazo No prazo

Atividade de formação das equipes concluída em 2007.

2.4.1. Oficina de formação de agentes comunitários de gestão hídrica (Guardiões da Água)

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T

Concluída 1

Atividade Concluída em 2007.

2.4.2. Oficina de formação de Mães Cuidadoras da Água

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 200% 2

1º. T

Concluída 1

Atividade Concluída em 2007.

53

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Objetivo III. Recuperar e conservar os ambientes da bacia local

Resultado 3.1. Implantação de viveiros de sementes e mudas

Previsão Global 1º. T- 3º. T

Status Concluído

Status Prazo No prazo

O viveiro de mudas foi construído sob a coordenação da Bamcrus. A bambuzeria de Araçuaí foi a responsável pelo tratamento do bambu utilizado na construção do viveiro. A construção foi concluída em novembro de 2007 e o viveiro encontra-se em operação.

3.1.1. Curso de capacitação para construção e manutenção do viveiro

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T

Concluído 1

Atividade Concluída em 2007.

54

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

3.1.2. Construir estrutura física para viveiro

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T- 3º. T

Concluído 1

Atividade concluída em 2007.

3.1.3. Adquirir ferramentas, equipamentos e materiais de apoio

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T- 3º. T

Concluído 1

Atividade concluída em 2007.

3.1.4. Adquirir insumos (esterco, palhas, restos de alimentos, etc)

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T- 3º. T

Concluído 1

Atividade Concluída em 2007.

55

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 3.2. Diagnóstico para identificação de áreas críticas para preservação (áreas degradadas, zonas de erosão, divisores de água, barrancos e nascentes)

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

Como mencionado no relatório anterior, a equipe de permacultores do projeto, especializados em leitura de paisagens e planejamento para recuperação de ecossistemas, juntamente com equipe do CPCD, profundos conhecedores da realidade local, realizaram em 2007 amplos diagnósticos locais que serviram de base para a orientação da execução do projeto. Neste último trimestre a equipe de permacultores realizou mais uma visita técnica para conduzir a construção/execução do plano de ações para áreas críticas – única atividade ainda não concluída do presente componente.

56

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

3.2.1. Contratar diagnóstico georreferenciado de áreas críticas para conservação de água

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T

Concluído 1

Atividade Concluída em 2007.

3.2.2. Realizar visita técnica de campo para verificar características das áreas críticas identificadas

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T- 3º. T

Concluído 1

Atividade Concluída em 2007.

3.2.3. Produzir plano participativo de ações junto às comunidades envolvidas em áreas críticas (subsídio para programa de gestão de bacias)

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 300% 3

3º. T- 4º. T

Concluído 1

Atividade Concluída em 2007.

57

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

3.2.4. Visitas técnicas para conduzir construção de plano de ações para áreas críticas Previsão Global Status Previsto 67% 3º. T- 8º. T Em execução 4 Atividades Realizadas
• Vistas às comunidades para acompanhamento das

Realizado 67% 4

Meios de Verificação Registro fotográfico das visitas

atividades

Na primeira semana de agosto, a equipe de permacultores do projeto realizou mais uma visita técnica para a construção e execução do plano de ações para as áreas críticas diagnosticadas. Foram visitados os três núcleos comunitários, além do Sítio Maravilha. Cabe destacar, no entanto, a análise realizada nas valas de infiltração construídas nas áreas do grupo Para Terra, no núcleo Alfredo Graça. Segundo os especialistas, tanto sua profundidade quanto sua declividade podem ser melhor exploradas no intuito de aumentar o potencial de infiltração da água no solo. As valas e as micro-barragens atuais estão mais rasas do que poderiam ser. A coordenação do projeto já está tomando as providências para encaminhar essa questão.

58

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Objetivo IV. Garantir a Sustentabilidade e Articular Alianças

Resultado 4.1. Manutenção da estrutura de gestão do projeto

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

Como é sabido, o projeto Caminho das Águas foi elaborado com base em uma visão complexa do problema social. Sua lógica de operação é pautada pela integração sistêmica de atores e tecnologias sociais diversas. Em 2008, a integração de esforços entre AVINA, APEL, BESA, CPCD e GIRAL tem contribuído para criar uma referência em gestão no terceiro setor no país.

59

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

4.1.1 Contratação de consultoria para gestão e prestação de contas

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% ND

1º. T- 8º. T

Em execução ND

Atividades Realizadas

Meios de Verificação Cópias de notas fiscais de prestação de serviços/notas de contratação administrativo CPCD

• Acompanhamento das atividades

No início do projeto a empresa paulistana Giral - Gestão de Projetos para o Desenvolvimento Sustentável foi contratada para realizar as atividades de gestão e prestação de contas do Caminho das Águas. Desde então, sua equipe de consultores continua coletando de dados, acompanhando o andamento das atividades e elaborando os relatórios do projeto.

60

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

4.1.2. Acompanhamento local de gestão e prestação de contas.

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 100% 4

1º. T- 8º. T

Em execução 3

Atividades Realizadas
• Acompanhamento local das atividades

Meios de Verificação Registro fotográfico

Como já mencionado em relatórios anteriores, a equipe de gestão do projeto é composta por um time local, que trabalha diariamente em Araçuaí junto às comunidades, e um time externo, composto por integrante de diversas organizações parceiras. Neste trimestre que se passou, no intuito de aprimorar os processos de gestão do projeto e de alinhar melhor as linguagens das duas equipes, uma consultora da Giral passou uma temporada de um mês em Araçuaí. Além de ter podido estreitar os laços e trocar experiências com a equipe de campo, a consultora também contribuiu com a integração entre os membros do projeto e a equipe de consultores da PriceWaterhouse Coopers, que estão colaborando na sistematização e no plano de expansão do projeto. Essa parceria da Price com o Caminho das Águas é fruto de um programa internacional de cooperação promovido pela empresa, no qual o projeto foi selecionado. Os benefícios dessa visita de acompanahemto e troca de experiências foram inúmeros. Novas ferramentas de gestão foram criadas e novos planejamentos de expansão estão sendo feitos, no intuito de tornar a gestão do projeto ainda mais eficiente.

61

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 4.2. Identificação de novos parceiros e articulação institucional

Previsão Global 3º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

Lembramos mais uma vez que é premissa da metodologia de ação via “Plataforma de Convergência de Tecnologias Sociais” a formação de alianças e o engajamento de atores dos diferentes setores da sociedade. Uma vez que buscamos abranger o máximo possível de variáveis do problema social, torna-se fundamental o trabalho conjunto com organizações de diferentes áreas do conhecimento e competências. De maneira geral, no período a que se refere o presente relatório, aprofundarmo as diversas parcerias estabelecidas anteriormente e criamos formas alternativas de engajamento destes apoiadores nas causas do Caminho das Águas.

62

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

4.2.1 Reuniões de articulação de novos parceiros e articulação institucional

Previsão Global

Status

Previsto 70%

Realizado 110% 11

3º. T- 8º. T

Em execução 7

Atividades Realizadas
• Reuniões de campo com a PriceWaterhouseCoopers • Assinatura de novo contrato com a Petrobras (Projeto

Meios de Verificação

Arassussa)
• Reuniões com FHIDRO para aprimoramento do

Formalização parcerias

projeto submetido
• Articulação com Coral Meninos de Araçuaí e

apresentação da peça Pra Nhá Terra

Como mencionado no relatório anterior, o Projeto Caminho das Águas foi selecionado no concurso Ulysses, da empresa de consultoria PriceWaterhouseCoopers, para receber suporte técnico no que tange sua consolidação e expansão. Durante três semanas do mês de julho, recebemos a visita de dois consultores internacionais da companhia que aprofundaram o entendimento e a abrangência da iniciativa, com o objetivo de agregar no planejamento de sua estratégia de sustentabilidade. De volta aos seus respectivos países, os consultores estão aprimorando os estudos iniciados no Brasil. Dentre alguns meses eles irão retornar a Minas Gerais, já com a equipe da Price Brasil envolvida, de maneira a iniciar a execução do planejamento. Outra parceria já estabelecida, porém aprofundada neste período, foi junto à própria Petrobras. Por conta de uma negociação iniciada em 2004, no contexto do prêmio de tecnologias sociais da Fundação Banco do Brasil, firmamos um novo contrato de trabalho tendo como escopo o projeto Araçuaí Sustentável (carinhosamente chamado de Arassussa) como um todo. O cronograma de atividades deste projeto (que engloba as atividades do Caminho das Águas) se estende até 2010. Junto ao FHIDRO - Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais, com quem negociamos uma parceria

63

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

técnica e financeira, fizemos diversas reuniões de aprimoramento do projeto de parceria. Acreditamos que em breve iniciaremos as iniciativas concretas. Junto ao Coral Meninos de Araçuaí e ao Grupo Ponto de Partida, parceiros do projeto desde seu início, estruturamos uma parceria inovadora. Inseridos diretamente no contexto do projeto, estes grupos desenvolveram um novo espetáculo teatral (Pra Nhá Terra) que trata justamente do cuidado cuidado com a terra, com os animais e com as águas. Apresentado em Araçuaí em praça pública, em São Paulo, e em diversas outras localidades, esta peça, que pode ser consideranda uma estratégia de mobilização social, conta agora com o patrocínio da empresa Natura Cosméticos para ampliar sua turnê em outros estados. Por fim, a parceria estruturada junto a Associar e a Cáritas, mencionadas no relatório anterior, já está dando bons frutos. A construção em escala de sistemas de captação de água de chuva nos núcleos familiares já foi iniciada, contando com o suporte técnico destes dois parceiros especialistas no tema.

64

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 4.3. Manutenção de equipe executiva para captação de recursos

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

As atividades de captação de recursos ocorrem de forma contínua e vem servindo de base para o estabelecimento de parcerias nos âmbitos nacional e internacional.

65

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

4.3.1. Contratação de consultoria especializada na redação de propostas.

Previsão Global

Status

Previsto 50%

Realizado 220% 22

1º. T- 8º. T

Em execução 5

Atividades Realizadas
• Proposta Unibanco • Proposta Sebrae • Proposta AVON

Meios de Verificação

Cópias das propostas enviadas

O trabalho de captação de recursos foi continuado com a elaboração de mais 3 propostas de mobilização de recursos. Como mencionado acima, no tópico 4.2.1, também neste período assinamos com a Petrobras o contrato referente ao projeto Arassussa. O escopo deste novo projeto continua sendo a articulação de tecnologias sociais diversas, agregando, no entanto, demais áreas temáticas e organizações não integrante do Caminho das Águas. O projeto Arassussa tem duração de dois anos e orçamento total de R$ 1.200,000,00.

66

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Objetivo V. Sistematizar o conhecimento gerado

Resultado 5.1 Manutenção da equipe executiva de sistematização

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

Como já mencionado, a APEL Consultoria Empresarial contratou a Giral para ampliar sua atuação no projeto Caminho das Águas agregando também as funções de sistematização do conhecimento, elaboração de propostas e captação de recursos.. No primeiro trimestre de 2008 o processo de registro e sistematização foi continuado, com disseminação da experiência alcançando dimensões internacionais, como no caso da parceria com a Price Waterhouse Coopers.

67

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

5.1.1 Contratação da consultoria

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 75% 1

1º. T- 8º. T

Em execução 1

Atividades Realizadas
• Contratação consultoria para suporte ao processo

Meios de Verificação Notas de Prestação de serviços (contrapartida)

A Giral – Viveiro de projetos continua a dar suporte ao processo de gestão do conhecimento no âmbito do projeto Caminho das Águas. A assessoria concentra-se principalmente na sistematização dos relatórios técnicos e de campo em consolidados trimestrais, além da elaboração de propostas de parcerias e captação de recursos.

68

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

5.1.2 Estabelecimento de processo de sistematização

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 75% 1

1º. T- 8º. T

Em execução 1

Atividades Realizadas
• Produção dos Circulandos • Registro fotográfico

Meios de Verificação Cópia dos reflexórios e circulandos

No trimestre que se passou, demos continuidade no processo de sistematização do projeto desenvolvido pela equipe de gestão anteriormente. A principal ferramenta utilizada é o “Circulando Arassussa”, publicação quinzenal que circula entre os parceiros e destaca as principais atividades realizadas no período, fatos interessantes, aprendizados e encaminhamentos. A produção dos “Circulando Arassussa” e dos relatórios de campo servem de insumo para a produção dos relatórios trimestrais de avaliação e prestação de contas, produzidos em versões extensas e executivas. A novidade do trimestre é que agora o Circulando Arassussa é publicado on line, sob administração dos jovens da Fabriqueta de Softwares. A nova ferramenta facilita a interatividade e contribuição dos parceriros, melhora o arquivamento de dados, e ainda promove educação ambiental entre os jovens participantes do projeto de inclusão digital. O link é http://circulandoarassussa.blogspot.com/

69

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 5.2 Socialização e reflexão coletiva dos parceiros envolvidos no projeto

Previsão Global 2º. T, 4º. T, 6º. T, 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

Para manter constantemente um alinhamento conceitual entre todas as pessoas e organizações envolvidas no projeto, bem como para debater novos aprendizados e planejar atividades futuras, torna-se fundamental a realização de eventos de socialização e reflexão coletiva. Esse fato torna-se mais relevante ainda se considerarmos a diversidade geográfica e de especializações dos colaboradores do Caminho das Águas. O mês de julho foi marcado por mais uma reunião do grupo Arassusa, para a avaliação das atividades realizadas e incorporação de novas atividades no planejamento geral do projeto.

70

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

5.2.1 Reunião de reflexão coletiva entre parceiros envolvidos no projeto

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 125% 5

2º. T, 4º. T, 6º. T, 8º. T

Em execução 3

Atividades Realizadas
• Reunião de reflexão (Encontro Arassussa)

Meios de Verificação Registro Fotográfico dos encontros

No início de agosto realizamos mais uma reunião de reflexão coletiva entre os parceiros envolvidos no projeto. Durante os dois primeiros dias do encontro, os parceiros visitaram e acompanharam as atividades que estão sendo desenvolvidas nos três núcleos comunitários e no Sítio Maravilha. Os dias subsequentes foram dedicados a rearranjar o Plano de Trabalho e Avaliação (PTA) do projeto inserindo o novo planejamento 2008/2010 referente aos novos projetos captados.

Parceiros do Arassussa visita a zona rural

71

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Objetivo VI. Comunicar os resultados em níveis local e nacional

Resultado 6.1 Comunicação Público Local

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo Parcialmente atrasado

Sabemos que o estabelecimento de uma comunicação efetiva com público beneficiário é fator crítico para o sucesso em todos os projetos de desenvolvimento local. O Caminho das Águas conta com algumas vantagens nesse contexto à medida que nasce dentro de um histórico de atuação de 9 anos do CPCD no Vale do Jequitinhonha, e que é integrado sistemicamente com outras iniciativas em desenvolvimento no município de Araçuaí. Passada a fase inicial do projeto, na qual foram realizadas reuniões de apresentação em todas as comunidades, estamos nos pautando desde o início do ano pela comunicação direta com as famílias, no intúito de ampliar seu engajamento e sentimento de apropriação pelas atividades do projeto.

72

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

6.1.1 Evento de abertura em Araçuaí

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T

Concluído 1

Atividade concluída em 2007.

6.1.2 Produção de folder

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 0% 0

1º. T

Em execução 1 Atividades Realizadas

Meios de Verificação Cópia do Folder

• Elaboração gráfica do folder

Não houve uma grande necessidade pela produção de folderes até o momento. Por conta disso, a presente atividade não apresentou avanços com relação ao apresentado no relatório anterior. Planeja-se desenvolver os folderes concomitantemente ao portal de internet, tendo como prazo máximo o mês de outubro.

73

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

6.1.3 Produção de banners

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 260% 13

1º. T

Concluída 5

Atividade Concluída no início de em 2008.

6.1.4 Produção de camisetas

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 1

1º. T

Concluída 1

Atividade Concluída no início de em 2008

74

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 6.2. Comunicação Público-alvo do Projeto – Campanhas

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

As campanhas educativas têm o objetivo de fortalecer a divulgação do projeto e dar suporte à mobilização comunitária realizada em cada uma das atividades previstas. Através do rádio, televisão, cinema e de livretos, a equipe gestora do projeto Caminho das Águas visa sensibilizar seu público alvo, “preparando o terreno” para a posterior ação específica. Neste trimestre investimos na produção de novos programas educativos. A Fabriqueta de Cultura pesquisou, colheu materiais e realizou diversas entrevistas com moradores, de forma a desenvolver as novas campanhas. O desafio agora é ampliar a sua veiculação.

75

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

6.2.1 Divulgação inicial no rádio - campanha educativa

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 25% 1

1º. T - 4º. T

Concluída 4

A Fabriqueta de Cultura, formada por um time de 14 jovens de 16 a 20 anos, e dois educadores, é a nova responsável pela produção das campanhas educativas do projeto. Neste trimestre, como produto de sua atuação, a Fabriqueta produziu 4 vídeos de curtametragem, abordando temas do projeto Caminho das Águas e da cultura local; além de diversas vinhetas para rádio, que também trataram das atividades do projeto. As vinhetas produzidas ainda não foram veiculadas nas rádios locais. A equipe do projeto e da Fabriqueta está articulando sua veiculação junto a essas organizações, assim como está estudando a proposta de ter uma rádio móvel, que possa levar notícias às feiras e outros espaços de encontro popular.

6.2.2 Divulgação via TV - campanha educativa

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 100% 5

1º. T - 4º. T

Concluída 5

Como mencionado, a Fabriqueta de Cultura produziu neste trimestre 4 vídeos de curtametragem abordando temas do projeto Caminho das Águas e da cultura local. Utilizando-se da rica estrutura de mídia do Cinema Meninos de Araçuaí, a equipe do projeto veiculou os 4 filmes no cinema, abordando diretamente a população local em diversas seções.

76

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

6.2.3 Produção de livreto

Previsão Global

Status

Previsto 0%

Realizado 0% 0

1º. T - 8º. T

Em execução 0

Atividades Realizadas
• Definição de um novo conteúdo

Meios de Verificação Cópia do briefing do conteúdo

Foi definido pela equipe gestora um novo conteúdo dos livretos educativos que serão produzidos no intuito de potencializar as atividades do projeto. Por conta de ser talvez a experiência mais exitosa do projeto em campo, os “Quintais Maravilha” serão o foco principal desta publicação. O prazo estipulado para a publicação do jornal educativo é o mês de outubro de 2008.

77

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 6.3. Comunicação Institucional

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Não iniciada

Status Prazo Atrasada

Com o avanço das atividades de campo do projeto e com resultados concretos a serem apresentados, as atividades de comunicação institucional começarão agora a ser executadas com o objetivo de ampliar a capacidade de articulação e multiplicar os benefícios do projeto. Apesar de as atividades estarem atrasadas no cronograma original, a decisão por postergá-las foi consciente, dado o andamento das demais atividades do projeto.

78

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

6.3.1 Assessoria de imprensa

Previsão Global

Status

Previsto 0%

Realizado 0% ND

1º. T - 8º. T

Não iniciada ND

Atividades Realizadas
• Matéria de capa com Tião Rocha na revista Caros

Meios de Verificação

Amigos, edição de agosto 2008
• Destaque do programa Sementinha (envolvido no

contexto do Caminho das Águas) no Jornal da Globo
• Matéria do espetáculo Pra Nhá Terra na revista Marie

Cópias de matérias sobre o projeto

Claire, de agosto 2008
• Matéria na home do site da Rede de Tecnologia Social

Por conta da grande quantidade de mídia espontânea que o projeto está gerando, não foi necessário contratar uma assessoria de imprensa formal para divulgar suas atividades. Os núcleos comunitários onde são realizadas as atividades do projeto, bem como o Sítio Maravilha, estão recebendo diversas visitas institucionais, que vêm gerando muita visibilidade ao projeto.

79

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

6.3.2 Desenvolvimento de site

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 0% 0

2º. T - 4º. T

Atrasado 1

Já foi desenvolvida uma primeira estrutura para o site do projeto Caminho das Águas. Atualmente esta encontra-se em fase de validação pela equipe gestora. A data estipulada para inaugurar o portal na internet é o mês de outubro deste ano.

6.3.3 Manutenção e hospedagem do site

Previsão Global

Status

Previsto 100%

Realizado 0% 0

1º. T - 8º. T

Não iniciada 1

Atividade ainda não iniciada.

80

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Objetivo VII. Monitorar e Avaliar as atividades

Resultado 7.1. Construção coletiva e aplicação de indicadores meio (PTA)

Previsão Global 1º. T- 8º. T

Status Em execução

Status Prazo No prazo

Com o já mencionado no documento do projeto, o PTA (Plano de Trabalho e Avaliação), tecnologia social desenvolvida pelo CPCD e certificada pela Fundação Banco do Brasil, é uma ferramenta de planejamento e avaliação de efetividade das ações na relação com a comunidade. A metodologia de construção dos PTAs é educativa, participativa e pragmática. Dando continuidade ao processo de avaliação, a aplicação do PTA vem sendo realizada de forma contínua pelos coordenadores comunitários, servindo de base para a melhoria contínua das atividades.

81

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

7.1.1 Contratação de equipe para avaliação periódica

Previsão Global

Status

Previsto 75%

Realizado 75% 1

1º. T - 8º. T

Em execução 1

Atividades Realizadas
• Acompanhamento PTA Caminho das águas

Meios de Verificação Cópia do planejamento realizado

Como mencionado em relatório anterior, para que o PTA pudesse ser utilizado com sucesso, a equipe gestora do projeto contratou uma equipe de coordenadores comunitários responsáveis pelo acompanhamento das ações dentro de cada uma das atividades do projeto. As equipes trabalham continuamente, de forma integrada com a equipes técnica e de campo. Este time acompanha todas as atividades desenvolvidas e realiza, periodicamente, a avaliação do que foi feito, adequações metodológicas, redefinição de prioridades, etc.

82

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

Resultado 7.4. Registro Documental

Previsão Global 7º. T- 8º. T

Status Não iniciada

Status Prazo No prazo

A presente atividade não foi iniciada, dado que está planejada para acontecer a partir do 7º. Trimestre.

7.4.1 Produção de vídeo documentário sobre o tema

Previsão Global

Status

Previsto 0%

Realizado 0% 0

7º. T - 8º. T

Não iniciada 0

Atividade prevista como conclusão dos trabalhos.

83

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

4. RELATÓRIO FOTOGRÁFICO

“Todas as práticas que o Projeto trouxe para ensinar na comunidade foram de suma importância, aos canteiros-mandalas não há comparação. O pessoal experimentou e gostou, conserva e economiza mais a água, tem uma forma criativa além de produzir bastante.” Maria de Lourdes Ramos - Mãe Cuidadora da Água Núcleo Olinto Ramalho

“Reflorestar as represas com árvores frutíferas é muito importante porque estamos cuidando da água e das pessoas que terão alimento mais tarde para colher.” Edina Ramalho Pinheiro - Mãe Cuidadora da Água Núcleo Olinto Ramalho

84

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“O Projeto não ensina apenas técnicas novas e diferentes, mas também aprendizados importantes que levaremos para a vida toda. Como a convivência e a amizade entre as pessoas.” Ilda Ap. Lemos- Mãe Cuidadora da Água Núcleo Olinto Ramalho

“Para mim, ser integrante do Projeto é de grande valor, aprendi muito e descobrir que ainda tenho muito mais o que aprender. Ter participado da oficina de tinta de terra me deixou feliz e empolgada. É bom ver que mesmo com tanta degradação na natureza, ela ainda revela maravilhas para a gente. Temos que cuidar do meio ambiente porque nele há muitas riquezas guardadas para serem descobertas.” Vanessa Souza –Guardiã da Água Núcleo Olinto Ramalho

85

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“Para mim o melhor que poderia ter acontecido na minha vida foi participar do Projeto Caminho das Águas. Eu me sinto bem em aprender coisas novas, poder compartilhar minhas idéias e ajudar a melhorar a minha comunidade. Contribuir com o pouco que eu sei, para que amanhã o lugar em que vivo esteja melhor para o meu filho viver.” Gicélia Silva PereiraMãe Cuidadora da Água Núcleo Olinto Ramalho

“Antes quando chovia eu não podia nem trabalhar no quintal porque tinha muito lixo espalhado. Agora eu tenho o buraco de lixo e está tudo limpinho. Aprendi que o lixo não é bom para mim, para minha família e nem para a natureza.” Rosa de Lina Comunidade Banco do Setúbal Núcleo Olinto Ramalho

86

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“Através desses encontros na comunidade aprendi a fazer economia. Antes 01 barra de sabão durava 02 dias na minha casa e agora fazendo a pasta dura até 15 dias. Não preciso usar mais brilho alumínio para deixar as minhas vasilhas brilhando. E passo a receita para todo mundo porque a pasta é muito boa.” Janice Aparecida Pereira Câmara – São João Setúbal Núcleo Olinto Ramalho

“É de grande importância o viveiro de mudas para que possamos ter mais vegetação na nossa comunidade. As mudas de moringa, por exemplo, foi uma grande descoberta porque limpa a água e evita usarmos produtos químicos”. Terezinha Pinheiro dos Santos - Mãe Cuidadora da Água Núcleo Olinto Ramalho

87

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“Depois que estou fazendo parte do Caminho das Águas estou sentindo que eu e minha família estamos com mais saúde.” Carmelita Alves Campos- Mãe Cuidadora da Água Núcleo Olinto Ramalho

“A iniciativa do Projeto Caminho das Águas em nos ajudar na recuperação daquela terra foi muito importante , pois a erosão estava crescendo. Com os canais de infiltração que estão sendo feitos, toda a água da chuva se concentrará naquele local e a partir daí conseguiremos ver os resultados.” Ronaldo Rodrigues agricultor Núcleo Alfredo Graça

88

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“Gostei muito de ter a oportunidade de participar da roda de viola, porque é uma tradição da nossa comunidade e fazia tempo que não participava. Foi muito interessante, pois revi velhos amigos, brincamos , dançamos e cantamos muitas músicas antigas como a dança dos nove.” Alzira Batista lavradora Núcleo Alfredo Graça

“O Projeto é algo que está promovendo muitas transformações na comunidade, começando pela mudança dos quintais, o incentivo às práticas de permacultura e o maior cuidado com o meio ambiente.” João Teixeira Agricultor Núcleo Alfredo Graça

“A idéia do Projeto construir as barragens foi muito boa, porque na minha parte da terra não tinha água e eu precisava levar a criação em terreno de outros. A represa segurando a água, não precisarei mais deslocar as criações.” Adelson Rodrigues Agricultor Familiar Núcleo Alfredo Graça
89

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“Acho muito bom nós adultos participarmos da roda de contação de história. Gosto de participar e contar as histórias, para que as crianças aprendam e transmitam para outras pessoas.” Maria Aparecida lavradora Núcleo Alfredo Graça

“Com as visitas do Projeto, aprendemos a reciclar. Antes jogávamos latas de óleo e garrafas pet, no lixo, mas, agora sabemos aproveitá-las para transformar o nosso quintal.” Maria José Professora Núcleo Alfredo Graça

“A partir das atividades desenvolvidas pelo Projeto, nossa comunidade está muito diferente. As pessoas estão mais conscientizadas em relação à preservação da natureza, reduzindo a quantidade de lixo, cuidando do Rio.” Sônia Lopes Mãe Cuidadora Núcleo Alfredo Graça
90

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“ Desde quando começamos a desenvolver a permacultura no meu quintal, tenho produzido alimento em quantidade maior e de boa qualidade. O feijão e verduras tem produzido de forma que não preciso mais comprar. Isso me deixa feliz porque estou usando alternativas que contribuem com o meio ambiente e com a qualidade de vida da minha família. Maria José Lopes-Mãe Cuidadora Núcleo Cruzinha ”

“Nossa vida vai melhorar muito , depois que construir essas caixas , para captar água de chuva. Nossa comunidade é carente de água e quando chega a seca, tem dia que não podemos tomar banho. Tem sido difícil conseguir água até para fazer a massa . Mas o nosso esforço tem que ser maior que essas dificuldades para que o nosso lugar possa ser melhor de viver.” Ilma Gomes – Córrego das Cinzas Núcleo Cruzinha

91

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“Estava um pouco insegura com a pintura de tinta de terra. Mas depois que pintamos uma parede gostamos tanto que estamos pintando a casa toda. Eu não sabia que a terra tinha tanta beleza assim.” Maria Aparecida AlvesMucambo Núcleo Cruzinha

“Com os livros da algibeira, conscientizamos as crianças a cuidarem melhor da natureza. Cada um tem uma história legal que fala sobre os bichos, água, plantas...Desta forma a atividade torna se prazeirosa e eles aprendem com mais facilidade.” Aldilene Gomes – Guardião da Água Núcleo Cruzinha

92

Maio a Julho 2008

Relatório Técnico de Execução

“Eu sinto que o meu quintal melhorou muito com as práticas de permacultura. Antes a gente produzia muito, mas não preocupávamos com alternativas para melhorar a qualidade das plantas e preservar o solo. Depois que estamos usando a biofertirrigação em forma de gotejamento , as mudas de café estão crescendo com mais vitalidade.” Osmar Roque da SilvaPalmital Núcleo Cruzinha

“Estamos aprendendo a cuidar mehor da nossa comunidade, como guardião da água. Sintome privilegiado por aprender tanto com as famílias e também ter a oportunidade de contribuir cm minha comunidade. “

Marcos Ferreira RamosGuardião da Água Núcleo Cruzinha

93