Admissões causaram instabilidades no After School

O mês foi azul no Inkigayo. O grupo de rock CN Blue levou o Mutizen nos quatro domingos do mês no programa da SBS.

O After School usa o conceito de admissões e graduações na Coreia. Trata-se de um sistema inteligente para as próprias companhias, já que é a melhor maneira de testar o potencial de seus aprendizes ao adicioná-los como novatos em um grupo já estabelecido no mercado. Ainda que não tenha havido ainda uma saída oficial – com exceção da saída voluntária de Yoo SoYoung – o stress emocional e mental existe. “No começo, nós éramos um tanto receosas de trabalhar tanto para estabelecer o nome do After School e uma nova integrante simplesmente ser adicionada. Por que pensaríamos assim? Simplesmente porque sempre que sentíamos que estávamos finalmente trabalhando em equipe, alguém sairia e uma outra entraria”. Até mesmo em seu mais recente disco, o primeiro álbum de estúdio ‘Virgin’, as integrantes contaram com uma nova adição,

a integrante E-Young. “Era complicado de lidar com isso a princípio, mas acabou se tornando algo natural após um tempo. Nós todas estamos apenas focadas no palco e em aceitar nossas novas integrantes de coração aberto. No fim, é tudo pelo After School“. As integrantes são divididas em gerações, com Kahi, JungAh, JooYeon e Bekah na primeira geração; UEE na segunda; Raina, Nana e Lizzy na terceira; e E-Young na quarta. As garotas declararam: “Agora que já passamos por todos os altos e baixos, não há quaisquer obstáculos para nós nos preocuparmos. Ao experimentar tudo isso, tornamos-nos uma equipe muito mais forte e unida. Nós também crescemos e amadurecemos ao superarmos as dificuldades juntas. Agora, o nosso sonho é ver as novas integrantes do After School promovendo por anos e anos a partir daqui”.

ShinDong, integrante do grupo Super Junior, revelou seus pensamentos sobre as performances de sapateado do grupo After School. No dia 1º de maio, o ídolo tuitou: “Ah~ Eu fiquei surpreso quando elas apareceram tocando aqueles tambores. Mas desta vez é sapateado. Elas são o grupo que tem as melhores apresentações da Coreia do Sul!! Estou ficando louco pelo After School!” Ele adicionou: “Tem de haver uma performance para ser realmente um grupo de dança! Dance!! Viva para sempre!! Obrigado After School! O que farão depois? Estou esperando ansiosamente..”, revelando seu fanatismo.

O ator veterano Lee DalHyung recentemente postou uma foto dele sendo preso pela “polícia” com uma nota dizendo “Me desculpe por amar Yoona” em seu minihompy pessoal. A foto foi tirada no set de filmagem de “Sweet Pit-A-Pat” do KBS 2TV. Estando na equipe do drama como o Diretor Oh de uma emissora de TV, Lee DalHyung disse, “No drama, eu gosto muito da Yoona do SNSD. Tinha uma cena onde eu imaginava sendo preso pela polícia por tendo uma guerra de palavras com fãs da Tiffany online”. Lee DalHyung confessou, “Embora eu admire muito a Yoona no drama, eu gosto na verdade da TaeYeon”, revelando sua admiração por TaeYeon.

Girlband RaNia fará apresentações na China e nos Estados Unidos
Após fazer a sua estreia com a música ‘Dr. Feel Good’ e causar muita polêmica com sua coreografia e traje provocantes, o grupo feminino RaNia revelou que irá promover a música na Coreia do Sul por mais 1 mês e após isso irá se preparar para sua estreia nos Estados Unidos em junho. Um porta voz da DR Music, companhia que agencia o grupo, relatou: “O RaNia se dedicará às atividades sul-coreanas durante o mês de maio, depois irá para os Estados Unidos em junho.” O produtor Teddy Riley já revelou que o grupo foi criado para se lançar no mercado musical mundial. Considerando o nível de influência do produtor no mercado musical dos Estados Unidos, muitos estão curiosos com relação aos próximos passos do grupo. De acordo com a DR Music, Teddy Riley não revelará a etnicidade das garotas durante suas promoções.“Teddy Riley irá promover as garotas principalmente através das rádios. O objetivo é entrar na Billboard, e ele está confiante de que as garotas serão capazes de conseguílo”. O grupo terá uma agenda cheia durante o resto do ano, após suas atividades nos Estados Unidos, retornará à Ásia para promover-se em 10 países diferentes. A partir do dia 09 de julho, o grupo se apresentará em países como Tailândia, Mianmar, Malásia e Cingapura, e em setembro na China. “O RaNia não será promovido com todas as integrantes. Ele será dividido em subgrupos de 3 a 4 integrantes em cada para poder se promover em diferentes países simultaneamente.” explicou um porta-voz.

Discussões sobre plástica da Taeyeon atiçam netizens
Recentemente o SNSD ficou em segundo lugar na parada diária de singles da Oricon, perdendo apenas para o ator e cantor Jang GeukSuk. Porém na última sexta-feira, 29 de abril, o grupo feminino subiu para a primeira posição com o seu terceiro single japonês, intitulado ‘Mr. Taxi / Run Devil Run’, lançado no dia 27. Em adição, o SNSD também liderou outras paradas musicais, como a de toques para celular da Recochoku

e a de músicas da iTunes no Japão, comprovando a enorme atenção que o grupo tem no país. ‘Mr. Taxi’ é a primeira canção originalmente japonesa do grupo, e ela tem chamado atenção de fãs de músicas não apenas na Coreia e no Japão, como também em diversos lugares em toda Ásia. Enquanto isso, o SNSD inicia uma turnê nacional pelo Japão no dia 31 de maio em Osaka, passando por outras cidades até o dia 17 de julho.

has gotten stronger because of it. We have a family-like relationship where we talk like nothing happened after quarreling. To be honest, it’s hard to have a friend beside me in life, who has same dream as mine, and go to the same way. But I’m thankful of the fact that we’re walking to the same path with same goal. So I can call unnies, 2nd family. I’m always thankful of the members because of it. (laugh)” What does ‘We got married’ mean to Seohyun? “I never had any dating experience

before. But I got to date through pretend marriage. It was a fun experience and I learned some things through program that schools don’t teach. Of course, there are some regrets. Because I have a personality that I don’t open up my mind and approach to others, I think Yonghwa oppa had hard time. I tried hard to make him comfortable. But since I showed many good sides of me, even with few regrets, the program helped me a lot. I asked her to pick out her most memorable moment.

“The most memorable event is knitting a muffler for Yonghwa. I think it’s more meaningful to give a small present filled with sincerity than any big and fancy events. When I get a boyfriend later, I want to hold a meaningful event like making a handmade photobook. (laugh)” She carefully said she has ambition in acting. She wants to change herself to variety of characters, from sonyuh character like herself, to role with action scenes. “I want to do acting as a role of a

student, which can only be done in my age range. I like a role that Moon Geunyoung took in a movie ‘Little bride’. I also like historic dramas, and I think ‘Hwangjinee’ would be interesting. Also, I want to try taking a tough character such as spy, and female detective. For example, I want to try Kim Taehee’s role in drama ‘Iris’. I want to show Seohyun with many different charms that can’t be found in real life.” What’s her plan for the future? “First, I’m going to focus on activities as Girl’s Generation. I want to show ourselves stretching activities in Asia. When We get a chance, I want to go around many countries, and communicate with many fans closely. I think that is what I, and Girls’ Generation have to do.”

How did she get into entertainment world? “I was recruited on subway when I was in 5th grade. I never dreamed about becoming a singer, and never had interest.” What was the importancy of your parents? “Back then, my

parents wanted to find me something that is suitable for me, and had me experience variety of things. I learned many things from horse riding to violin, piano, skating, and doubleheaded drums. Parents didn’t willingly recommend being a celebrity. But I told

them ‘I want to try’. After getting camera test, I was informed I passed the test, and started a trainee life.” But why did you decide to became a singer? “My dream was to be a person giving lots of happiness and joy to others. As a trainee, I realized

many people are really happy when they listen to music. Then, I decided to become a singer.” Would she fight with unnies? “It would be a lie if I say I haven’t fought with them. Like real sisters, we quarrel and get sulky on nothing important. I think our bond

As guitarras falam mais alto. Gritam, acompanhadas por um vocal lírico e um violino ao fundo. Após a canção do Rhapsody, ouvem-se blip-blops eletrônicos, ao estilo dos anos 80, enquanto uma voz robotizada recita, em inglês, “Não brinque comigo, eu não sou seu GameBoy”. Foi a vez do Freezepop tocar no tocador de música do computador. As guitarras voltam a se sobressair, dessa vez tendo como companhia o canto de um coral e toda uma orquestra, numa canção de Nobuo Uematsu, famoso compositor de músicas para videogames. A paz retorna. É a vez dos pianos de Regina

Spektor. Uma melodia tranquila toma conta do ambiente, mas por pouco tempo. O barulho volta, amplificado. Dessa vez não apenas guitarras, mas também claras referências à música eletrônica estão presentes. O vocal é gritado nessa canção do Atari Teenage Riot. Pouco depois, uma clara música pop, cantada em voz feminina, numa língua ‘estranha’ ocupa o ambiente. Voz não, vozes. São nove garotas coreanas. Uma clássica girl band. Esse cenário, aparentemente inverossímel, seria possível se todos os NERDs diferentes se juntassem em um só lugar e resolvessem fazer uma festa. A diversidade de gostos musicais é latente. Quando se fala de NERD, a primeira imagem que vem à cabeça de muitos é um jovem cheio de espinhas, jogador de videogame e com uma camisa de alguma banda de metal. Pelo menos a última parte não está tão errada. “Se você fizer uma pesquisa com alunos do meu curso, por exemplo, os números vão te dizer que uma esmagadora porcentagem gosta de metal”, desafia Henrique Araújo, estudante de Ciência da Computação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ele mesmo se inclui nas estatísticas. “Eu gosto principalmente de metal, e como o metal é dividido em 200 tribos com dialetos diferentes eu digo os subgêneros: folk, power e symphonical, principalmente.” Além de relação com tecnologia, algumas bandas de metal também são populares entre jogadores de RPG (Jogo de Interpretação de Personagens, na sigla, em inglês). O estilo do Rhapsody, que encarta criaturas míticas já na arte do CD, costuma ser unanimidade entre os rpgistas. Se o NERD em questão for também jogador de videogame, é provável que se aventure ainda em trilhas sonoras de videogames. Nobuo Uematsu é um dos principais expoentes entre esses entusiastas. Criador da música, principalmente, dos jogos da série Final Fantasy, que já vendeu mais de 70 milhões de unidades em todas as suas versões, ele costuma comover seus ouvintes. “Ouço ‘One Winged Angel’ [de Final Fantasy VII]. Gosto bastante. Coisa linda” declara, empolgado, Alexandre Benitah, designer. “O Sephiroth é um dos meus personagens preferidos. Ele e o Cloud do FF7. Não é à toa que tenho action figure dos dois”, revela. Outro famoso compositor de música para games é Koji Kondo, notável pelos jogos da franquia Super Mario. As trilhas de ambos são presenças garantidas em todos os shows de música de videogame que acontecem pelo mundo, incluindo o Brasil, com o Video Games Live, que acontece anualmente em outubro desde 2006. Os aficionados pelo Japão, que costumam ver

desenhos animados japoneses (os animes) e ler histórias em quadrinho que vem do outro lado do mundo (mangás), também ouvem as músicas que vêm de lá. J-rock e J-pop, o rock e pop da terra do sol nascente, fazem sucesso depois que os fãs veem as músicas tocando na entrada e encerramento dos animes, mas hoje em dia o fluxo está se expandindo. “Uma massa do povo que ouvia de j-rock a j-pop migrou pros coreanos [K-pop], não fui só eu. E se você observar no Orkut, tem muita pessoa que nem gosta de músicas japonesas, mas gosta de coreana”, observa Vanessa Ceron, estudante de Direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), e fã da música que vem da Coreia do Sul. “Eu nunca gostei de rap, mas fico ouvindo Big Bang, que é rapper. O K-pop, em geral, é parecido com a música pop americana”, conta, sem esconder que não gosta de música que vem

dos Estados Unidos. Outras bandas são NERDs desde a sua concepção. É o caso de Atari Teenage Riot, que fazia nos anos 90 um estilo que eles próprios denominaram Digital Hardcore (mais informações no box da página). O trio Freezepop também é NERD desde nascença. Fazendo um synthpop que remete aos anos 80, o grupo conta, inclusive com um desenvolvedor de jogos entre os integrantes. Kasson Crooker participa da produção dos jogos musicais da série Rock Band. Hadouken! é um grupo inglês que se destaca por usar como nome um movimento do jogo de luta Street Fighter. Além disso, a banda conta com samples do portátil GameBoy, da empresa japonesa Nintendo, em suas músicas. Até mesmo músicas não-NERDs estão entrando no gosto dos NERDs. “Bizarramente eu também gosto de músicas que não tem o menor parentesco com metal, como Regina Spektor. Acho que instrumentos clássicos também me agradam, dentro ou fora do metal, o que é uma coisa meio nerd hoje em dia”, opina Henrique. Regina Spektor é uma cantora indie americana que faz constante uso do piano em suas músicas. Muitas vezes é difícil diferenciar o que é NERD. “Rótulo serve para pessoa tentar se encaixar em alguma parte da sociedade”, desabafa Benitah. Enquanto isso, a festa NERD não tem hora para acabar. E com música de todos os tipos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful