DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA ORGÂNICA NO NORDESTE Liv Soares Severino

Texto baseado na palestra apresentada no Programa Debate das Quintas no dia 14/12/2000, Banco do Nordeste, Passaré, Fortaleza, CE. INTRODUÇÃO

A agricultura orgânica, nos últimos anos, vem ganhando grande importância no cenário agrícola nacional e internacional. Este texto aborda o assunto de forma simplificada, com o objetivo de informar leitores interessados em conhecer o que significa e de onde surgiu esta idéia. Iremos recordar a evolução da agricultura para entender como se chegou ao que temos hoje, e depois comentaremos sobre a Revolução Verde e suas implicações, o crescimento da agricultura orgânica seus fundamentos, algumas modalidades de agricultura orgânica praticadas no Brasil, a tecnologia disponível e por fim, a cadeia produtiva e seus fatores limitantes. São sugeridos vários links para instituições que trabalham com agricultura orgânica no Brasil e no mundo para que você possa aprofundar o conhecimento em algum tema específico ou como leitura complementar e fonte de pesquisas futuras.

EVOLUÇÃO DA AGRICULTURA

Os primeiros passos para o desenvolvimento da agricultura começaram na préhistória, com a domesticação de algumas plantas. Junto com a domesticação, os antigos agricultores de forma rudimentar foram selecionando as plantas que apresentavam características desejáveis. É importante salientar que esse processo de domesticação e seleção eram realizados por longo período, pois não havia conhecimento estruturado cientificamente e tecnologias apropriadas. Outra

característica da agricultura neste período, refere-se à s técnicas agrícolas que deviam ser muito rudimentares, refletindo-se em baixa produtividade (certamente, não existia a idéia de produtividade). Quanto à preocup ação com meio ambiente, conservação do solo e equilíbrio ecológico, esta praticamente não existia, pois como a população era

Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste

relativamente pequena em relação à área ocupada, quando uma região não estivesse oferecendo o suficiente, era possível migrar para outra. Depois da pré-história, a agricultura apresentou muitas evoluções no campo dos tratos culturais, desenvolvimento de linhagens adaptadas a diferentes regiões, irrigação, surgimento de novos produtos alimentícios etc. Estes acontecimentos permitiram mudanças substanciais no modo de vida do homem, que passou paulatinamente da vida nômade para vida séssil. Contudo, foi no Século XX que ocorreram os maiores avanços na indústria e na ciência, o que teve forte impacto na agricultura. Entre os principais avanços realizados nesse século, estão a mecanização agrícola pelo uso de tratores e máquinas de beneficiamento, a purificação de elementos químicos que possibilitou o estudo de nutrientes essenciais para o desenvolvimento das plantas e aprofundamento do conhecimento em nutrição vegetal e o melhoramento genético que desenvolveu cultivares altamente produtivos e adaptados a diferentes condições edafoclimáticas. A Teoria de Malthus, idéia largamente difundida no começo do Século XX, defendia que a população mundial crescia exponencialmente e a produção agrícola linearmente, o que em pouco tempo ocasionaria grande crise mundial por falta de alimento para a população. As previsões desta teoria não se concretizaram porque os avanços tecnológicos possibilitaram o aumento da produção agrícola, embora com alto custo ambiental. Esta fase de intensa tecnificação ficou conhecida como Revolução Verde e será detalhada a seguir.

REVOLUÇÃO VERDE

Durante guerras, a evolução do conhecimento é mais rápida devido à necessidade de sobrepor-se ao adversário. Desta forma, durante a II Guerra Mundial, foram descobertas diversas substâncias químicas com fins bélicos, processos industriais e técnicas de manipulação. Com o fim da guerra, viu-se que alguns daqueles produtos e processos poderiam ser utilizados na agricultura para controle de insetos e doenças e para fabricação de adubos concentrados. O aperfeiçoamento e relativo barateamento de tratores e implementos agrícolas, junto com o baixo preço do petróleo na época, deu grande impulso à mecanização agrícola para preparo do solo, colheita e beneficiamento de muitas culturas. O melhoramento genético (não é transgênico) desenvolveu linhagens altamente produtivas e com qualidades desejáveis
2

surgiu o movimento que ficou conhecido como “Revolução Verde”. causando impactos ambientais negativos e morte de pessoas. Entre os impactos ambientais da Revolução Verde. subsídios e ampla aceitação das universidades e entidades de pesquisa. O uso intensivo de agrotóxicos gera um ciclo de dependência. O aumento da produtividade tem sido nas últimas décadas a grande meta agrícola e o referencial adotado por todos. No Brasil. contribuindo para o aumento das desigualdades sociais. existem vários exemplos ligados a produtos agroquímicos. inclusive no ser humano. Dentro deste contexto. Assim como o DDT. caracterizado como um conjunto de técnicas e insumos agrícolas que a partir da década de 50 possibilitaram grandes aumentos na produtividade agrícola mundial. com formação de políticas agrícolas favoráveis. Dois grandes erros da Revolução Verde foram não se preocupar com as conseqüências ambientais da tecnologia empregada e não ser eficiente em distribuir riquezas. já que estava faltando alimento (principalmente nos países pobres) e havia tecnologia suficiente para produzi-lo. a Revolução Verde foi implantada com amplo apoio das instituições governamentais. produtos como o DDT foram liberados para uso agrícola sem alertar aos usuários a respeito dos riscos para o ambiente e para os consumidores do alimento. Alguns viram este pacote tecnológico como uma forma de resolver o problema da fome. Para driblar este problema. Como a ameaça de fome era iminente. Outras pessoas consideram que toda esta tecnologia proposta foi uma forma de vender subprodutos da indústria bélica e possibilitar o lucro das empresas multinacionais que dominavam sua produção.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste como melhor conservação pós-colheita. Cabe aqui a exposição de dois pontos de vista a respeito da Revolução Verde. O produto foi utilizado em larga escala por muitos anos e só depois de algum tempo a sociedade tomou conhecimento de que ele não se decompõe com facilidade e tem a característica de acumular-se na gordura dos animais. o uso de agrotóxicos foi o mais grave pela seguinte razão: um dos principais entraves para o cultivo de plantas é o ataque por insetos que podem diminuir a produção de forma drástica e até inviabilizar a produção. aspecto visual e organoléptico e muitas outras vantagens. principalmente dos países subdesenvolvidos. pois os insetos tornam-se resistentes ao produto aplicado e os agricultores precisam estar 3 . foi proposto um pacote de tecnologias e produtos que possibilitariam o rápido aumento da produção agrícola.

a preocupação ambiental foi muito pequena. possibilitando que ocorressem grandes impactos ambientais e trazendo graves implicações sociais. Outra importante tecnologia da Revolução Verde são os adubos químicos de alta solubilidade que foram um dos pilares para a obtenção de alta produtividade agrícola. contribuiu significativamente para o equilíbrio da economia e conseqüentemente com o crescimento econômico nacional.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste constantemente recorrendo a uma nova formulação. Por muitos anos. têm efeitos extremamente danosos à saúde humana. O uso desequilibrado de adubos também gerou perda de fertilidade de grandes áreas. Os agrotóxicos também contaminam cursos e reservatórios de água. eutrofização de cursos de água. científico e mesmo entre os agricultores. se a produção agrícola fosse menor. contaminação do lençol freático e degradação de áreas cultivadas. principalmente. pois se pode considerar como orgânica praticamente toda a agricultura realizada com baixa tecnificação ou por quem não tem acesso a insumos. Embora ainda haja fome no Brasil e no mundo. 4 . pois a receita proveniente do abastecimento interno e exportações de soja. que porém. causou significativa redução do teor e matéria orgânica do solo. “Agricultura Orgânica” não é uma idéia recente. Este contexto impulsionou o crescimento da linha de agricultura chamada “Agricultura Orgânica”. Como este pacote tecnológico necessita de capital para aquisição de máquinas e implementos. AGRICULTURA ORGÂNICA Durante a fase de expansão e tecnificação agrícola. Deve ser ressaltado que este aumento na produção agrícola também trouxe grandes benefícios para o Brasil. a sonhadores idealistas ou atitude de protesto e por isso sofria restrições no meio acadêmico. agrotóxicos. Sabe-se que o problema de fome está mais ligado à forma de distribuição e à desigualdade social do que à produção de alimentos. sementes. a idéia de agricultura orgânica foi associada ao movimento hippie. adubos. carne e outros produtos agropecuários. laranja. os agricultores pouco capitalizados ou que não tiveram acesso a crédito ficaram de fora do processo de desenvolvimento e a agricultura familiar ou de pequenos produtores esteve em grande desvantagem ao concorrer com a agricultura altamente tecnificada. infra-estrutura e conhecimento. café. certamente este problema seria ainda mais grave. influenciando os organismos vivos presentes e.

Não existe definição exata sobre o que é Agricultura Orgânica. espécies nativas. As pessoas querem consumir produtos livres de agrotóxicos e estão dispostas a pagar um pouco mais caro para isso. evitar adubos de alta solubilidade e aumento da qualidade. formou-se uma onda mundial de rejeição a alimentos produzidos com estes insumos. não adianta preservar os pássaros. respeito aos trabalhadores. esta característica do produto (ambientalmente correta) é muito importante. pois o nome surgiu de um processo conduzido por várias pessoas e em diferentes locais do mundo. ou seja. fontes de água e o equilíbrio ambiental ainda tem pouca influência sobre a decisão de compra. esta característica tem grande importância. pois além de significar qualidade ambiental para o local em que ele próprio vive. Respeito aos trabalhadores É muito comum se ouvir que o alimento além de ser produzido respeitando o meio ambiente. os peixes. outros valores como equilíbrio ambiental. Equilíbrio ambiental A maioria dos consumidores brasileiros procura produtos orgânicos tendo como principal preocupação a sua saúde. o fato de produtos orgânicos serem produzidos respeitando a biodiversidade. No Brasil. forçando as empresas e agricultores a adotar práticas ambientalmente corretas. Já em sociedades preocupadas com a causa ambiental. o que faz com que surjam várias modalidades. Interessados em atender este mercado. Foi esta força de mercado que conseguiu erguer todo o movimento que assistimos nos dias atuais. esta é uma importante contribuição para a sustentabilidade da atividade. Porém. muitas das pessoas que idealizam e lideram o movimento de Agricultura Orgânica procuraram inserir ao lado da idéia de “evitar uso de venenos”. Estas características também são importantes para a sustentação da atividade em médio e longo prazo.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste Quando a sociedade passou a ter conhecimento do potencial malefício à saúde causada pelos agrotóxicos. Para o produtor. as plantinhas e os microorganismos se o 5 . os produtores interessaram-se em converter suas áreas de produção e buscar técnicas apropriadas. precisa respeitar aqueles que trabalharam para produzi-lo. objetivos e interpretações. Porém. a idéia central desta atividade é ser “livre de agrotóxicos”. Este é o grande propulsor do movimento. Por isso. a preocupação ambiental vem crescendo rapidamente.

superfosfato simples e triplo (fósforo). utilizar estes produtos estaria indo contra a tendência geral. a agricultura orgânica contribua para redução das desigualdades sociais no campo e aumente o respeito ao ser humano. Do ponto de vista social. adubos químicos) como uréia (nitrogênio). o consumidor ao comprar um alimento orgânico. entre outras coisas.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste alimento é produzido em condições de injustiça social (trabalho infantil. 6 . O uso de recursos “não-renováveis” também é preocupante. o que é obtido. estaria tendo a sensação de contribuir para a justiça social e distribuição de renda. permite-se o seu uso dentro de limites e com controle. A primeira implicação está no processo industrial de obtenção que consomem elevada quantidade de energia e utilizam alguns recursos naturais “não-renováveis”. houve redução significativa do teor de matéria orgânica dos solos (com inúmeras outras implicações). pois nenhuma atividade tem sustentabilidade se for intimamente dependente destes recursos. Assim. Em países desenvolvidos. Do ponto de vista ambiental. é importante que além de contribuir para os aspectos ambientais. Ainda não se sabe ao certo o quanto o consumidor brasileiro reage a esta causa. Freqüentemente. o uso excessivo de adubos ocorreu devido à idéia de obter produtividade máxima em qualquer atividade agrícola. há significativa parcela do mercado sensível a esses aspectos. com adubações pesadas. Adubos de alta solubilidade Aparentemente. cloreto de potássio e outros macro e micronutrientes constitui-se uma grande ferramenta para o desenvolvimento da agricultura ajuda a produzir maior quantidade de alimentos. Como conseqüência. contaminação do lençol freático e diminuição da fertilidade dos solos devido ao desequilíbrio das adubações. sulfato de amônio (nitrogênio e enxofre). Eventualmente. porém eles estão sendo utilizados de forma excessiva e trazendo malefícios ao sistema agrícola. trabalho escravo). as entidades certificadoras exigem a suspensão total do uso de adubos químicos de alta solubilidade (os mais tradicionais) para que a atividade seja reconhecida como agricultura orgânica. É verdade que os adubos são muito importantes. utilizar adubos de alta solubilidade (simplificadamente. baixos salários. Como energia está se tornando uma das limitações do mundo atual.

Além da aparência. justiça social o etc. vamos apresentar algumas das modalidades de agricultura orgânica importantes no Brasil e 7 . principalmente se eles estiverem pagando preço superior ao produto similar proveniente do sistema de produção tradicional. Dentro da agricultura orgânica. Com a agricultura orgânica. política e religião. mas foi uma idéia que evoluiu ao longo do tempo ou podemos até dizer que ela existia antes mesmo de se desenvolver a agricultura tecnificada. existem freqüentes relatos de que os produtos orgânicos estão em vantagem em relação aos tradicionais o que acontece devido à produção mais natural e menor indução para altas produtividades. cor. ausência de marcas. não existe um conceito definido sobre o que é agricultura orgânica. Dentro deste universo. Como resultado desta diversidade de pensamentos. Quanto ao sabor. MODALIDADES E CONCEITOS Como comentado anteriormente.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste Qualidade O uso dos insumos da “Revolução Verde” permitiu que fossem oferecidos aos consumidores. porém. levando o consumidor a acostumar-se com produtos neste padrão de qualidade. produtos com aparência impecável: tamanho. diversas correntes de pensamento se desenvolveram com suas particularidades e diferentes interpretações sobre a natureza. isto exige mais trabalho do produtor. porém incluem outros valores e implicações. a conservação do produto é importante. pois ele não utilizará inseticidas. mesmo sabendo que eles não possuem agrotóxicos. surgiram e continuam surgindo muitos nomes que basicamente significam agricultura orgânica. picadas de insetos etc. agricultura. também é possível obterem-se produtos com o mesmo padrão de qualidade e até mesmo superior em aparência. Isto acontece por que ela não foi inventada por alguém em certo momento. o conceito de agricultura orgânica inclui uma série de práticas ligadas à conservação ambiental. economia. sendo que muitos produtores orgânicos garantem que o tempo de prateleira de seus produtos é maior que os convencionais devido ao equilíbrio nutricional da planta e do solo onde foram cultivados. Atualmente. os produtores precisam ter bem claro que os consumidores (a maioria) não estão dispostos a adquirir produtos de aparência inferior. De forma resumida. fungicidas ou conservantes. proibiçã ao uso de produtos tóxicos.

Howard declarou que já sabia como cultivar lavouras praticamente livres de pragas e doenças sem recorrer a insumos químicos. www. um microbiologista e botânico inglês.br/. apesar dos diferentes métodos de combate utilizados. na Silésia. hoje Polônia2. tendo como mestres. na estação experimental de Pusa. porém com uma visão bastante diferente. 2 Extraído do texto Fundamentos Essenciais da Ecologia e da Agricultura Ecológica. depois de anos de estudo. plantas e animais sofriam das mais diferentes anomalias.megagro. Deste modo. Agricultura orgânica (específica) Inicialmente. Caracteriza-se por dois elementos que lhe emprestam características diferentes das outras correntes: 1 Extraído do texto Fundamentos Essenciais da Ecologia e da Agricultura Ecológica. Em 1905. o nome “agricultura orgânica” deixou de ser específico para a corrente criada por Howard e passou a abranger todas as correntes de agricultura alternativa que se enquadram nas características abordadas neste texto. Em 1919.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste no Nordeste.1 Atualmente. Em contrapartida.com. onde ele trabalhava.com. ou “ciência espiritual”. Biodinâmica A agricultura biodinâmica surgiu de um ciclo de oito palestras feitas em 1924 pelo filósofo Rudolf Steiner (1861-1925) em uma fazenda de Koberwitz. mas devolviam à terra todos os resíduos vegetais e animais cuidadosamente acumulados. escrita pelo Engenheiro Agrônomo José Arimatéia Campos. Esta modalidade específica foi criada por “Howard. Howard utilizou uma área de 30 hectares para iniciar sua metodologia. os nativos da região ao invés dos fitopatologistas e diplomados.br ou www. escrita pelo Engenheiro Agrônomo José Arimatéia Campos.com. Muitas outras informações podem ser obtidas em sites sobre o assunto como o Planeta Orgânico (www. o termo “agricultura orgânica” foi usado para designar uma forma alternativa de agricultura que objetivava contrapor-se à agricultura tradicional. 8 .unitednaturex. Steiner foi o criador do movimento denominado Antroposofia.planetaorganico.br) . Surgiu como corrente alternativa. especialmente pelo fato de seu inspirador ser um filósofo e não um especialista em agronomia. A”. ele foi trabalhar na Índia e lá observou que os camponeses hindus não usavam pesticidas nem fertilizantes químicos.

SP. Mercúrio) agem no calendário da Terra e dirigem a reprodução. O preparado 500 é feito a partir de esterco. A certificadora e entidade difusora do método no Brasil é o IBD . assim como uma atenção muito grande à influência dos astros sobre as plantas e animais. b) Steiner propôs o que ele chamou de “preparados biodinâmicos” num total de nove. por isso relativamente mais simples. Estes preparados são conhecidos por números variando de 500 a 508.br) que tem sede na cidade de Botucatu. Sem agrotóxico (SAT) Basicamente. carvalho. Cerca de 230 projetos abrangendo aproximadamente 60 mil hectares estão certificados por este instituto no Brasil. Júpiter. a planta nele cultivada será sadia. Considera -se indispensável a participação animal no ciclo de vida da propriedade agrícola para realizar a ciclagem de nutrientes e produção de matéria orgânica. Em seus fundamentos. a “agricultura biodinâmica” foi adaptada a condições tropicais para que fosse utilizada em países como o Brasil. Deve ser evitado o plantio contínuo de grandes áreas com uma única espécie vegetal (monocultura).Instituto Biodinâmico (www. com objetivo de vitalizar as plantas e estimular seu crescimento. urtiga. é uma forma de agricultura que não utiliza agrotóxicos. dente-de-leão etc). A entidade fornece os selos “Biodinâmico” e “Demeter” e é uma das poucas alternativas de certificação disponíveis no Brasil e aceitas no mercado externo (Europa. as forças dos corpos celestes próximos (Lua. 9 . os outros planetas (Marte. Aceita-se a utilização de alguns adubos químicos desde que associados a outras técnicas como compostagem ou coquetel verde. Embora concebido na Europa. pois se o solo for sadio.abd. a atenção deve ser dada ao solo ao invés da planta. Estados Unidos e Japão). porém não tem grandes preocupações com os outros fatores como biodiversidade ou situação social dos produtores. A propriedade agrícola deve ser vista como um organismo onde cada elemento tem sua importância. camomila. Entretanto.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste a) uma visão espiritual da agricultura.com. Segundo Steiner. É uma forma de agricultura pouco normatizada. Saturno) transmitem suas forças por intermédio da sílica e agem sobre o crescimento e nutrição. Vênus. o 501 da sílica e os outros sete a partir de espécies vegetais determinadas (miofolio. Os produtores ficam mais à vontade para escolher seus métodos de combate à s pragas e doenças.

a todos os organismos vivos. ela é fundamental para a melhoria do nível espiritual do ser humano. combate a pragas. Auxiliam na decomposição da matéria orgânica. A Fundação Mokiti Okada (www. aos vegetais. O EM (efficient microrganisms) são microorganismos selecionados que possuem qualidade regenerativas para o solo e para as plantas. algas. o que resulta na melhoria do seu nível material. é possível que ocorram problemas quanto à certificação ou desconhecimento do significado da sigla por parte dos consumidores. Natural A Agricultura Natural é um método de agricultura desenvolvida pelo filósofo teísta japonês Mokiti Okada e tem íntima ligação com a Igreja Messiânica. procurando conduzir a atividade produtiva em ambientes similares a florestas. emanar toda sua força vital. crescimento vegetal etc.org. A filosofia okadiana defende a tese de que o espírito é inerente não somente aos seres humanos. enfim. farelos vegetais.br) foi a fundadora do movimento de Agricultura Natural no Brasil. pois a biodiversidade. O bokashi é preparado a partir de palhas. no seu estado natural. sendo a principal difusora do método. chegando ao Brasil em 1979. O homem somente será verdadeiramente sadio se sua alimentação for constituída de produtos provenientes de um solo sadio. portanto. Ela vem sendo experimentada desde 1935 e foi lançada em 1950. cinzas e outros produtos fermentados por microorganismos. mas aos animais. toda sua capacidade produtiva. Assim.mokitiokada. Baseia-se na idéia de que a natureza. deve ser respeitada. (Manual de Certificação da Agricultura Natural – Fundação Mokiti Okada)” Dentro deste modelo foram desenvolvidos produtos específicos como o bokashi e o EM. ciclagem de nutrientes e equilíbrio ambiental são facilitados pela cobertura florestal. Agroflorestal / Florestal Baseia-se no princípio de que o ecossistema natural das plantas é a floresta. Os sistemas agroflorestais que unem o componente agrícola ao 10 . além de prestar o serviço de certificação para comercialização do produto. organismo vivo. é a verdade e. “O princípio básico da Agricultura Natural é fazer o solo.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste Ao adotar esta modalidade de agricultura.

Entretanto. a maioria das plantas cultivadas tem desempenho reduzido se colocadas em tais ambientes o que. a sustentabilidade destes sistemas é máxima. Existem várias experiências de agricultura florestal e agroflorestal no Brasil que podem ser consultadas através do link acima. lhes deixaria em desvantagens competitivas frente aos similares cultivados convencionalmente.org).org). a IMAFLORA . produtos extrativistas.icraf. esta não é uma certificação estritamente agrícola. Do ponto de vista ambiental e ecológico. mas uma certificação sócio-ambiental para que o consumidor tenha conhecimento do processo 11 .ac. palmito.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste componente florestal já são um pouco estudados e reconhecidos no mundo todo. assim como a saúde do cidadão e sua família que consumirá aquele produto.International Centre for Research in Agroforestry (www.cgiar. Vários produtos podem ser facilmente produzidos em ecossistemas florestais como madeiras. A atividade agrícola tornou-se um empreendimento onde custos. A agricultura sócio-ambiental preocupa-se que os direitos dos trabalhadores estejam sendo respeitados.imaflora. pimenta-do-reino. Na verdade. tornou o trabalhador rural mais pressionado quanto a remuneração e esforço exigido. risco e investimentos assemelham-se a qualquer outra atividade industrial ou comercial. lazer e educação etc. trabalho escravo. Sócio-ambiental O viés sócio-ambiental une as preocupações de conservação do ambiente com respeito à s condições de vida dos produtores e da humanidade como um todo. respeito ao descanso. respectivamente CATIE – Centro Agronômico Tropical de Investigación y Enseñaza (www. várias frutas. no Quênia (África). certifica produtos florestais dentro de uma visão que também engloba o tópico sócio-ambiental que será visto a seguir.cr) e ICRAF . em outras palavras. Esta visão empresarial trouxe impactos negativos à atividade. evitando o uso de produtos tóxicos e respeitando a saúde do trabalhador que iria aplicar o produto na lavoura. cacau e outros. do ponto de vista econômico. principalmente África. Ásia e América Central. Dois grandes centros de pesquisa sobre Agroflorestas estão situados na cidade de Turrialba na Costa Rica (América Central) e em Nairóbi. No Brasil.catie.Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola – IMAFLORA (www. como ausência de trabalho infantil.

desenvolveu -se o conceito de Comércio Justo que também é muito conhecido pelo nome em Inglês. mas o aspecto ambiental tem grande importância para sua sustentabilidade e principalmente para a sensibilização dos consumidores. o dinheiro está chegando à s mãos do produtor e não ficando retido na mão do “atravessador”. caíram com maior rigor sobre os pequenos produtores que geralmente não têm acesso à informação com tempestividade e até mesmo não conseguem entender como pode alguém do outro lado do mundo influenciar o seu pequeno negócio. o pequeno produtor estaria em condição de manter seus filhos estudando. Como forma de amparar estes pequenos agentes produtivos expostos aos “atravessadores” e à Lei da Oferta e da Procura.htm) que está facilitando o comércio entre pequenos produtores e uma grande cadeia de lojas no Rio de Janeiro. ou em outras palavras. Os efeitos desta economia. descansar o necessário etc. o que só funciona com pessoas dispostas a dar. os preços são comandados pela Lei da Oferta e da Procura.vivario. Desta forma. mas um preço justo que remunere satisfatoriamente a pessoa que produziu aquele produto. conhecidos como “atravessadores”. Esta modalidade de comércio é restrita a nichos de mercado. que compram a sua produção por preços mínimos e os revendem junto aos centros consumidores. em função da globalização e da facilidade de comunicação. O pano de fundo desta idéia é a comercialização. o consumidor se dispõe a pagar não o preço estipulado pela concorrência de mercado. Esses pequenos produtores também são freqüentemente explorados pelos comerciantes. Comércio Justo (Fair Trade) Na nossa economia guiada pelo mercado. aliou-se a idéia de conservação do meioambiente e daí vem a sua ligação com agricultura orgânica. pois o consumidor precisa pagar um valor acima do preço de mercado. alimentar-se dignamente. O Instituto IMAFLORA citado no item anterior (agricultura florestal) também realiza esta certificação.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste de produção do produto que está consumindo. Alguns exemplos de comércio justo no Brasil podem ser encontrados no site Viva Rio (www.br/frame1/PROJETOS. Neste tipo de comércio. O consumidor tem também a garantia de que o valor pago está sendo distribuído de forma justa dentro da cadeia produtiva. sua contribuição para redução das desigualdades sociais no mundo. Junto ao ideal de justiça social. através do consumo. realizando o menor trabalho e percebendo a maior parcela do rendimento. Outras 12 . “Fair Trade”.org.

Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste experiências (relatadas em inglês) podem ser acessadas para obtenção de maiores informações através do endereço www.com. um ex-professor universitário australiano. à s vezes de poucos meses e com alta dependência de insumos.br/biblioteca/permacultura-jorge/). mas tem as mesmas bases das outras modalidades já apresentadas.dutcham. sustentabilidade etc.htm#br. preocupa-se com o bem-estar do ser humano. utilizando os recursos florestais como força motriz para o equilíbrio ecológico e para o vigor das plantas. ela defende a suspensão total do uso de agrotóxicos e produtos químicos modernos. diversidade biológica. Ecológica / Biológica A agricultura ecológica e biológica. 13 .agrorede. podemos considerá-las similares à agricultura orgânica tradicional. quando houve o lançamento do movimento no Brasil. da preservação dos recursos naturais e da sobrevivência do planeta. Também podem ser obtidas informações no Instituto de Permacultura Austro-brasileira (www. Assim como as demais modalidades de agricultura orgânica. através de um curso realizado em Porto Alegre/RS. pois não há como diferenciar este modo de cultivo de outras modalidades.br/trade_f. Permacultura A Permacultura é uma modalidade de agricultura orgânica idealizada há cerca de 20 anos (década de 70) por Bill Millison. são praticamente. sem perda de generalidades.com/ipbbr/) que desenvolve a técnica desde 1992. Adota os mesmos ideais: respeito ao meio ambiente e ao homem. o termo inglês “organic agriculture” é traduzido para português como “agricultura biológica”. A palavra deriva do Inglês de “Permanent Agriculture” e baseia-se em criar sistemas agrícolas permanentes em oposição aos sistemas agrícolas tradicionais em que as culturas são conduzidas em curtas temporadas.geocities. Entretanto. A Permacultura aproxima-se dos conceitos de agricultura florestal e agroflorestal.ufsc. nomes que tornaram-se conhecidos. A experiência mais conhecida de permacultura no Brasil é o Instituto de Permacultura da Bahia (www. pois preconiza o desenvolvimento de florestas produtivas. No site IFOAM.

mas não tem atração econômica para que se difunda e atinja significativa parcela dos agricultores. mas idéias alternativas ao modelo geral de agricultura.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste Autoconsumo Grande parte dos pequenos agricultores nordestinos realiza uma agricultura livre de agrotóxicos e adubos químicos. mas uma modalidade de agricultura voltada para o produtor rural produzir seu próprio alimento de forma sadia e a baixo custo. Esta visão tem muito sentido. existem diferentes correntes que são generalizadamente conhecidas por “agricultura orgânica”. Fala-se ainda em “agricultura alternativa” que não se constitui uma linha de pensamento. onde se inclui a agricultura orgânica. porém constitui-se um grande desafio. fazer com que essa produção seja certificada e distribuída para os grandes centros consumidores é possível. que dois grandes entraves ao desenvolvimento da agricultura orgânica são a certificação e distribuição. 14 . O pequeno excedente de produção geralmente é comercializado de forma fragmentada em mercado local. Para agricultores de subsistência. esta agricultura classifica-se como orgânica. a agricultura orgânica é uma forma de garantir sua saúde e evitar despesas desnecessária com produtos fitossanitários e adubos químicos. mas caracteristicamente de subsistência. é preciso que a agricultura orgânica seja abordada com visão de mercado. Para agricultores empresariais. Há quem defenda energicamente que a agricultura orgânica não deveria ser entregue à s forças de mercado. contabilizando custos e receitas e planejando corretamente seu negócio rural. Veremos logo a seguir no tópico Cadeia Produtiva. respeito ao homem tanto à sua saúde à sua condição social e cultural como a visão econômica que é necessária para conquistar a sustentabilidade. Resumo das modalidades de Agricultura Orgânica Como se pode notar. Embora genuinamente orgânica. alguns pontos são comuns a todas: o respeito ao ambiente através de técnicas conservacionistas e suspensão de uso de produtos danosos. porém não é voltada para o mercado. Embora haja diversidade de idéias. Certamente. desejando que esta característica possa se tornar uma oportunidade de aumentar sua receita através do mercado de produtos orgânicos.

Porém. urtiga. porém. Contudo. natural etc) tenha um conjunto de técnicas desenvolvidas. Embora. As falhas mais comuns encontradas nas técnicas orgânicas são inviabilidade econômica (não traz retorno satisfatório). desenvolvimento de cultivares altamente produtivas. sabão. 15 . óleo mineral. conservação de solos. mas ao menos precisamos avaliar as técnicas disponíveis. A maior carência de técnicas está no controle de pragas e doenças. dificuldade de obtenção os produtos necessários e baixa eficiência. matéria orgânica etc. como fisiologia vegetal. extrato de nim. Existem inúmeros produtos naturais indicados para este fim como fumo. fungicidas e inseticidas. a eficácia destes produtos é questionável e sua obtenção nem sempre é possível. há uma grande carência de técnicas alternativas aplicáveis à agricultura orgânica. fertilidade. manipueira. técnicas de manejo e mecanização agrícola. nutrição de plantas. aranhas ou eliminados pela ação de microorganismos patogênicos. ácido húmico.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste TECNOLOGIAS PARA AGRICULTURA ORGÂNICA Grande parte da pesquisa científica agrícola mundial dos últimos anos voltouse prioritariamente para técnicas ligadas à Revolução Verde como ensaios de adubação e calagem. ácido pirolenhoso. a tecnologia ainda é considerada insuficiente para desenvolver a agricultura orgânica de forma segura. cada modalidade de agricultura orgânica apresentada acima (biodinâmica. O controle biológico depende de pesquisa científica para ser desenvolvido e sua utilização em campo. significativa parcela do que se produziu de conhecimento dentro da agronomia é aplicável também à agricultura orgânica. O melhoramento genético necessita de apoio científico para realização e pode levar muitos anos para se chegar a um resultado. Outra alternativa para pragas e doenças é o melhoramento genético (não tem relação com organismos transgênicos) que pode desenvolver cultivares resistentes a várias doenças e pragas. desenvolvimento e teste de herbicidas. à s vezes é complicada. depois de concluído é de aplicação muito simples e acessível a qualquer produtor rural. pois grande parte do conhecimento foi direcionada para agricultura tradicional. não podemos nos prender firmemente à exigência de que qualquer nova técnica tenha que passar por rígidos padrões de avaliação científica. Por esta razão. caldas com sais minerais e muitos outros. Por outro lado. Uma alternativa para as pragas é o controle biológico onde os insetos indesejados são predados por outros insetos.

16 . alegando que a propriedade tem que ser autosuficiente. Porém. composto. produzindo todo o adubo necessário para sua manutenção. A adubação verde tem ganhado grande importância como alternativa para adubação. é importante saber que a compra desses insumos contribui para o aumento dos custos da produção orgânica. Algumas correntes de pensamento aceitam o uso de adubos industriais de forma racional. adubos. herbicidas. CADEIA PRODUTIVA DA AGRICULTURA ORGÂNICA Insumos orgânicos Quando a agricultura orgânica começou seu ciclo de rápida expansão no Brasil. Contudo. inseticidas e implementos agrícolas. um dos seus fundamentos era libertar os produtores da dependência dos vendedores de insumos industrializados: sementes geneticamente melhoradas. outros proíbem. O ponto de convergência de todos é que a matéria orgânica no solo é indispensável para a sustentação do sistema e para a fertilidade. fungicidas. havendo ainda os que acabam criando dependência excessiva de insumos orgânicos provenientes de fora da propriedade. lodo de esgoto. Outras fontes precisam ser mais bem estudadas como: resíduos industriais. soluções nutritivas. composto de lixo etc. vermicomposto.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste Outro campo onde há muitas controvérsias é quanto a alternativas de adubação. Estas alternativas eventualmente apresentam alto teor de metais pesados. extratos de plantas medicinais. substratos e até produtos altamente industrializados com máscara de orgânicos. o que se tem observado é que grande parte dos produtores orgânicos estão deixando de comprar tais insumos e passando a comprar insumos orgânicos: esterco. porque isso tolheria grandes oportunidades de negócios no campo e também não contribuiria para a eficiência das empresas rurais. Acreditamos que não é correto defender a idéia de que os produtores precisam se fechar em suas propriedades sem comprar qualquer insumos externo.

A pesquisa para geração de conhecimento e tecnologia específica para agricultura orgânica está dia-a-dia ganhando importância e há muito espaço para novas descobertas e aperfeiçoamento das técnicas já existentes. Isto dá uma grande ajuda. Esta afirmação tem fundamentos.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste Figura 1 – Principais elos da Cadeia Produtiva da Agricultura Orgânica. pois neste momento se une a experiência dos profissionais mais antigos com a teoria em desenvolvimento. O choque de idéias entre profissionais defensores da agricultura convencional e da forma alternativa é muito freqüente. 17 . Isto gera uma carência de profissionais para conceber e conduzir projetos de agricultura orgânica e dificulta o desenvolvimento da atividade. mas deve ser entendida como necessidade de aperfeiçoamento de técnicas que permitam a produção agrícola aliada à preservação ambiental e não como defin itiva inviabilidade da produção orgânica. não seria possível produzir alimento suficiente para a população mundial. muitos técnicos estão se dispondo a estudar e aprofundar-se em agricultura orgânica. Como estas técnicas alternativas de agricultura são relativamente recentes. O elo “insumos” da cadeia produtiva inclui a assistência técnica. O principal argumento utilizado contra a agricultura orgânica é que se toda a área agrícola fosse convertida a este método. Mesmo assim. os profissionais de assistência técnica e extensão rural estão tendo certa dificuldade em absorver a idéia. o que é natural quando se realiza qualquer tipo de mudança.

Por exemplo. A imprensa está tendo importante papel na divulgação do movimento de agricultura orgânica. a produção ainda não pode ser vendida como orgânica. “soja orgânica garante lucro”. porém isto implica na utilização de insumos alternativos ou no uso mais intensivo de mão-de-obra o que torna a aumentar o custo de produção. ou seja. a falta de um pode ser coberta por outro. comercialização e. apesar das limitações quanto a assistência técnica. ocorre excessiva exposição onde apenas se enfatizam tópicos sensacionalistas como “preço do tomate orgânico é 100% maior”. Em certos casos. Durante este período. Entretanto. a certificação. exige-se um programa de conversão que pode durar até dois anos. independente da época do ano. é possível que o prêmio extra pago pelo consumidor seja suficiente apenas para cobrir os gastos excedentes da atividade. principalmente para produtos perecíveis. pois quando há muitos produtores. atribuindo-se a causa a planejamento inadequado. para que haja produção orgânica. embora o preço seja relativamente atraente. por vezes. Uma das exigências dos responsáveis pela comercialização e pelo consumidor. produção atomizada (dispersa) e pequena quantidade de produtores. Os principais entraves para o crescimento da atividade não estão ligados diretamente à produção. tecnologia apropriada e mesmo adequação de custos. Por isso. mas a outros elos da cadeia produtiva. Os custos de produção devem ser bem gerenciados. é a regularidade de oferta. uma rede de supermercados que vende repolho orgânico exige que toda semana seja fornecida certa quantidade do produto. “mercado de orgânicos movimenta R$ 300 milhões e cresce 18 . Porém. é freqüente não haver essa regularidade. mas sim dificuldades de distribuição. Outro grande entrave para o crescimento da atividade é o processo de conversão de agricultura tradicional para orgânica porque os agrotóxicos que haviam sido utilizados na propriedade permanecem como resíduos no solo e nas plantas. mas tem custo de produção superior à agricultura tradicional. Pode se achar que a suspensão do uso de insumos industrializados representa uma grande economia.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste Produção A produção de alimentos orgânicos está crescendo em ritmo inferior ao desejável. condições climáticas ou ocorrência de pragas e doenças. o que desestimula muitos produtores que não estão capitalizados o suficiente para atravessar esta fase. não é a dificuldade de produzir quem está limitando o crescimento da atividade.

Atualmente. o processo de certificação é o seguinte: celebra-se um contrato entre as partes. O preço para registrar-se junto à IFOAM é muito alto. se a propriedade atender aos padrões. o Ministério da Agricultura e do Abastecimento (www. O custo de certificação é muito alto e tem significativa participação no preço do produto. respeitando o ambiente e o homem. a certificação é indispensável quando se deseja vender para o mercado externo. O mercado brasileiro ainda não está muito exigente quanto a certificação. etc. A agroindústria de produtos orgânicos precisa adquirir produtos orgânicos certificados e passar por um programa de certificação próprio. a certificação seria dispensável. Etretanto. isso não ocorre.br) está regulamentando a formação e obrigações das entidades certificadoras.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste 40% ao ano” etc. emite-se um certificado e autoriza-se que o rótulo do produto exiba um selo da entidade.org. que garantirá ao consumidor que o processo de produção obedeceu determinados padrões.agricultura. Isto acontece porque é necessário que a instituição certificadora não tenha envolvimento com a empresa. bem como sua fiscalização.IFOAM (International Federation of Organic Agriculture Moviments – www. Caso os consumidores confiassem totalmente nas informações escritas no rótulo dos produtos. principalmente para produtos locais ou onde o próprio produtor pode acompanhar e realizar diretamente a venda. Resumidamente. para que este selo seja aceito nos mercados externos (Europa. Estados Unidos e Japão) é preciso que a entidade certificadora esteja devidamente registrada junto à Federação Internacional dos Movimentos de Agricultura Orgânica . Certificação A certificação é uma forma de assegurar ao consumidor que o produto que ele está comprando foi produzido dentro de um processo orgânico onde não se utilizaram agrotóxicos. a entidade realiza tanto inspeções programadas como eventuais.ifoam. existem algumas poucas entidades certificadoras que podem oferecer o serviço por preço bem mais acessível que as certificadoras internacionais.org). Contudo. seja idônea e tecnicamente capacitada para realização da atividade de inspeção. se necessário realizam-se testes laboratoriais e. Estas manchetes criam uma imagem de que agricultura orgânica é uma mina de ouro. onde serão avaliados os 19 . Para o mercado nacional. porém. o que limita a abertura de certificadoras nacionais. atraindo muitos aventureiros que não têm experiência em agricultura e atrapalham o bom desenvolvimento da atividade.

Existe liberdade para que cada certificadora desenvolva suas próprias regras de certificação de forma a atender a seus objetivos específicos.com). O produto precisa estar disponível na hora em que o consumidor tem tempo de ir comprá-lo e que o ponto de distribuição seja facilmente acessível. se o produtor desejar obter a certificação de uma entidade diferente. Em casos pontuais. pode haver a venda direta para o consumidor. a comercialização independe de cooperativas e a assistência técnica pode ser viabilizada pela contratação de um 20 . os maiores desafios podem ser facilmente superados: custos de certificação são diluídos. Como exemplo simplificado.ifoam. Neste tópico. o que também resolve apenas casos pontuais.com/). que dependendo da entidade certificadora. Informações adicionais sobre entidades certificadoras e regras de certificação podem ser encontradas no site da IFOAM (www. as associações de produtores e cooperativas podem ser de fundamental importância. precisa adequar-se a estas regras. Grandes produtores também já estão despertando interesse em produção orgânica. uma fábrica de doces orgânicos precisa adquirir açúcar e frutas certificados e ter seu processo industrial certificado para que possa exibir o selo em sua embalagem.org) e United Nature (www. Conclui se assim.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste processos e produtos adotados. Ou diretamente com outras entidades como KRAV (www.htm) ou Organic Farm Verified (www. Distribuição / comercialização Esta etapa da cadeia produtiva pode parecer simples. A maioria dos sites só estão disponíveis em inglês. pois nem todo produtor rural tem habilidade para comercializar ou tempo disponível para isso. precisará adequar-se à s exigências da nova certificadora. Este modelo pode ser copiado para muitas localidades. No ano seguinte. Já existem grandes áreas contínuas conduzidas dentro dos princípios da agricultura orgânica. Para grandes produtores. pois depende de alto nível de organização.se/kravkontroll/english.ics-intl. mas comercializar é bem mais difícil. mas não seria solução para todos os casos. Pequenos produtores isolados podem até conseguir produzir satisfatoriamente. O produtor que deseje receber a certificação.krav.unitednaturex. Existem várias experiências de associações de produtores no Brasil que criaram uma feira própria e conseguiram conquistar sua freguesia e viabilizar a comercialização. a certificação significa mais do que produção sem agrotóxicos. mas tem sido o maior entrave em várias experiências de produção orgânica.

Atender o mercado externo é bem mais complicado que aproveitar o mercado interno. antes de planejar a produção. o benefício social. Algumas pessoas podem pagar até o dobro do preço do produto normal. o mercado para produtos orgânicos tem potencial enorme de crescimento tanto no Brasil como em outros países. documentação e logística. Novamente. Mercado Como se pode notar através dos meios de comunicação. taxas. supermercados etc. é preciso verificar os canais de comercialização. Se for obedecida a Lei da Oferta e da Procura. devido à maior exigência de certificação e a experiência com negócios entre países. traçar planos. por excelência. Ela reúne. pode entrar em vigor a figura do “atravessador” que se dispõe a recolher a produção. Para isso. entrar em acordo com feirantes. transportá-la e realizar a distribuição e comercialização junto aos centros consumidores. o respeito ao meio 21 . Em projetos de produção orgânica. Neste caso. Porém. enquanto outras aceitam o limite máximo de 10%. americano e japonês que já está mais avançado e com maior demanda. Isto acontece porque as pessoas estão tomando conhecimento que os alimentos estão contaminados com resíduos de agrotóxicos e outros produtos danosos à saúde e conseqüentemente estão desejando consumir a limentos livres deste perigo. pois a demanda insatisfeita ainda é muito grande. o mercado brasileiro não deve ser subestimado pois mesmo este ainda não está sendo explorado. Porém. são os consumidores que estão pressionando o desenvolvimento da atividade. CONCLUSÕES A Agricultura Orgânica abriga uma excelente oportunidade de negócio para a Região Nordeste. os consumidores se dispõe a pagar mais caro por este diferencial de qualidade. câmbios. o diferencial de preço dos produtos orgânicos tenderá a zero quando a oferta aproximar-se da demanda. a limitação pode passar a ser falta de técnicas apropriadas. A imprensa enfatiza o mercado consumidor europeu. dentro do enfoque estritamente econômico. dificuldade no monitoramento de grandes áreas ou disponibilidade e gerenciamento da mão-de-obra. o quanto cada um está disposto a pagar a mais é variável. Dentro da cadeia produtiva.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste técnico.

22 . O benefício social é obtido pela possibilidade de pequenos produtores.Desenvolvimento da Agricultura Orgânica no Nordeste ambiente e a viabilidade econômica – os três pilares para o desenvolvimento sustentável. Focado no objetivo de levar o desenvolvimento para todo o Nordeste. precisa participar ativamente. como agente de desenvolvimento da Região Nordeste. apresentando casos de sucesso. O benefício ambiental é inerente aos fundamentos da Agricultura Orgânica. é preciso empenho de todos os setores da sociedade. deve estar em fina sintonia com o crescimento deste grande negócio. emprego e renda. contribuindo para a organização da cadeia produtiva. apoiando através do crédito e orientando os empreendedores que se dispõem a estruturar este mercado. A viabilidade econômica é a resposta da sociedade que tem procurado incentivar o desenvolvimento de atividades ambientalmente corretas e que reduzam as desigualdades sociais. está em nossas mãos mais uma oportunidade de gerar negócios. mobilizar agentes produtivos e contribuir para a conservação do ambiente em que vivemos. Os consumidores já estão manifestando o desejo de contribuir. Para que este negócio potencial se transforme em benefício real para a região. O Banco do Nordeste. E mais que isso. as instituições de pesquisa estão se propondo a dar apoio tecnológico à atividade e os agricultores já estão captando a me nsagem. levando o conhecimento e capacitação. associações e cooperativas produzirem competitivamente e terem acesso ao mercado.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful