You are on page 1of 6

48

Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.5, nº. 1, p.48–53, 2011
ISSN 1982-7679 (On-line)
Fortaleza, CE, INOVAGRI – http://www.inovagri.org.br/rbai
Protocolo 039 09 – 24/08/2010 Aprovado em 03/03/2011

PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS
MÁXIMAS DO AR NA CIDADE DE IGUATU, BRASIL

Eliakim Martins Araújo
1
; Efraim Martins Araújo
2
; Joaquim Branco de Oliveira
3
;
Eder Ramon Feitosa Lêdo
4
; Paula Carneiro Viana
5
; Mairton Gomes Silva
6


1
Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Engenharia Agrícola, UFC, Campus do Pici, 60356-000,
Fortaleza - CE; eliakim.araujo@bol.com.br;
2
Monitor de Topografia, Laboratório de Geoprocessamento, Aluno do Curso de Tecnologia em Irrigação e
Drenagem do IFCE - Campus Iguatu; efraimirrigacao@gmail.com;
3
Doutorando em Fitotecnia, Prof. MSc. do IFCE - Campus Iguatu . Email:
joaquimbrancodeoliveira@gmail.com;
4
Bolsista, Aluno do Curso de Tecnologia em Irrigação e Drenagem do IFCE - Campus Iguatu;
eder_ramon@hotmail.com;
5
Aluna do Curso de Tecnologia em Irrigação e Drenagem do IFCE - Campus Iguatu;
paulinhatmgm@hotmail.com;
6
Bolsista FUNCAP, Aluno do Curso de Tecnologia em Irrigação e Drenagem do IFCE - Campus Iguatu;
mairtong@hotmail.com;


RESUMO
Este estudo teve como objetivo calcular as probabilidades de ocorrência das temperaturas
máximas do ar da cidade de Iguatu, Ceará, Brasil, em escala quinzenal para todos os meses do
ano a diferentes níveis de probabilidade. Foram utilizados dados diários de temperatura
máxima do ar, obtidos junto ao 3º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). A
distribuição utilizada foi a Log-Normal e seu desempenho foi testado segundo os testes de
aderência Qui-quadrado e Kolmogorov-Smirnov. Os níveis de probabilidade utilizados foram
25, 50, 75 e 90%, representando um período de retorno de 1,3; 2; 4 e 10 anos,
respectivamente. A distribuição Log-Normal obteve ajuste considerado satisfatório e pode ser
utilizada para a representação dos dados utilizados no estudo segundo ambos os testes de
aderência. Após a aplicação da distribuição Log-Normal foi possível gerar tabelas com os
valores esperados de temperatura máxima do ar para os diferentes níveis de probabilidade. Os
resultados das tabelas evidenciam que para todo o ano, em escala quinzenal, a temperatura
máxima de Iguatu para todos os níveis de probabilidade estudados, será maior que 30 °C.
PALAVRAS-CHAVE: Log-Normal, testes de aderência, níveis de probabilidade.


OCCURRENCE PROBABILITY OF MAXIMUM AIR TEMPERATURE IN SCALE
OF FIFTEEN DAYS IN IGUATU CITY, BRAZIL


49
PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA
CIDADE DE IGUATU, BRASIL

Rev. Bras. Agric. Irrigada v. 5, nº. 1, p. 48-53
ABSTRACT
This study aimed to calculate the probabilities of occurrence of maximum air temperatures in
Iguatu city, Ceará, Brazil, on a scale of fifteen days for each month of the year at different
levels of probability. Were used daily data of maximum air temperature, obtained from the
3rd District of the Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). The distribution used was the
Log-Normal and its performance was tested according to the Chi-square and Kolmogorov-
Smirnov test. The probability levels used were 25, 50, 75 and 90%, representing a payback
period of 1,3, 2, 4 and 10 years respectively. The Log-Normal distribution fit obtained
satisfactory and can be used for the representation of the data used in the study according to
both tests of adhesion. After applying the Log-normal distribution was possible to generate
tables with the values of maximum air temperature expected for different levels of
probability. The results of the tables show that for every month of the year, on a scale of
fifteen days, to a maximum temperature of Iguatu at all levels of probability studied, will be
greater than 30 °C.
KEYWORDS: Log-Normal, adherence tests, probability levels.

INTRODUÇÃO

A temperatura é um dos mais importantes
elementos meteorológicos, pois a mesma
traduz os estados energéticos e dinâmicos
da atmosfera e consequentemente revela a
circulação atmosférica, sendo capaz de
facilitar e/ou bloquear os fenômenos
atmosféricos. Portanto, é de fundamental
importância as medições da temperatura do
ar, em qualquer instante, principalmente
naqueles horários recomendados pela
Organização Meteorológica Mundial,
incluindo neste caso as temperaturas do ar
máxima e mínima, ocorridas em um
período de 24 horas, e na impossibilidade
destas ultimas medidas, deve-se recorrer a
métodos de estimativas (DANTAS et al.,
2000).
O estudo das distribuições de variáveis, ao
longo do tempo, como um meio de
compreender os fenômenos
meteorológicos, para determinar seus
padrões de ocorrência e permitir uma
previsibilidade razoável do comportamento
climático de uma região, é uma ferramenta
de grande valor para o planejamento e
gestão de inúmeras atividades
agropecuárias e humanas (ASSIS et al.,
2004).
O uso de funções densidade de
probabilidade está diretamente ligado à
natureza dos dados a que estas funções
estão sendo relacionadas. Algumas têm
boa capacidade de estimação para pequeno
número de dados, outras requerem grande
série de observações. Devido ao número de
parâmetros de sua equação, algumas
podem assumir diferentes formas,
enquadrando-se em um número maior de
situações, ou seja, são mais flexíveis.
Desde que respeitado o aspecto da
representatividade dos dados, as
estimativas dos seus parâmetros para uma
determinada região, podem ser
estabelecidas como de uso geral, sem
prejuízo da precisão na estimação da
probabilidade (CATALUNHA et al.,
2002).
A distribuição de probabilidade Log-
Normal é muito utilizada em hidrologia e
climatologia (MELLO et al., 1994). Essa
distribuição considera que os logaritmos
das variáveis aleatórias seguem uma
distribuição Normal (FRIZZONE, 1979
citado por LYRA et al., 2006).
Araújo et al. (2010) avaliaram a
distribuição de probabilidade que melhor
se ajusta a series diárias de temperatura
máxima da cidade de Iguatu no Ceará,
utilizando seis diferente distribuições de
probabilidade, constatando que a
distribuição Log-Normal obteve
desempenho considerado bom.
Em Lavras - MG, a distribuição Log-
Normal mostrou-se adequada para
50
PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA
CIDADE DE IGUATU, BRASIL

Rev. Bras. Agric. Irrigada v. 5, nº. 1, p. 48-53
predição das precipitações prováveis
apenas nos meses de maior precipitação
(SAMPAIO et al., 1999).
O objetivo desse estudo foi determinar as
temperaturas do ar máximas prováveis para
os períodos de retorno de 1,3, 2, 4 e 10
anos, para a escala de quinze dias na
cidade de Iguatu (CE), utilizando-se a
distribuição Log-Normal, analisando seu
desempenho em relação aos dados.

MATERIAL E METÓDOS

Os dados de temperatura máxima do ar,
utilizados para o ajuste da função
distribuição de probabilidade, foram
obtidos junto ao 3º Distrito do Instituto
Nacional de Meteorologia (INMET) de
Iguatu (latitude: 6°22’ S, longitude 39°18’
W e altitude: 217,67 m) do período de
1961 a 2005, totalizando uma série de 40
anos. A cidade de Iguatu acha-se situada
no Semiárido do Nordeste brasileiro,
compreendendo, segundo a classificação
de Köppen, o tipo de clima: BSw’h’,
representando um clima muito quente,
Semiárido, com estação chuvosa atrasada
(SUDENE, 1973).
A homogeneidade dos dados foi testada
segundo a metodologia proposta por Thom
(1966), sendo constatado que a serie é
homogênea. Em toda a série não foram
encontradas falhas, fato esse que não
exigiu nenhum tipo de tratamento especial
aos dados. Os dados foram separados em
escala quinzenal (período de 15 dias),
agrupados em classes e realizaram-se os
procedimentos de distribuição de
frequência. Após os procedimentos de
distribuição de freqüência utilizou-se a
distribuição de probabilidade Log-Normal.
Conforme Ribeiro et al. (2007), a função
densidade da distribuição Log-Normal a
dois parâmetros e a três parâmetros são
representadas pela seguinte equação:

( )
( )
( ) | |
|
|
.
|

\
|
o
u ÷ ÷
÷
t o ÷
=
2
2
2
a x ln
e
2 a x
1
x F
(1)

Em que:
F(x) - função densidade de probabilidade
da variável,
e - base do logaritmo neperiano,
x - valor da variável aleatória,
u - média dos logaritmos da variável x,
o - desvio-padrão dos logaritmos da
variável x,
a - limite inferior da amostra.
Para encontrar a probabilidade de que uma
variável aleatória x tendo distribuição Log-
Normal, assuma valores entre a e b
(a ≤ x ≤ b), tem-se:

( )
( ) | |
dx
a x
x
b x a F
b
a
|
|
.
|

\
|
÷ ÷
÷ = s s
í 2
2
2
ln
exp
2
1
o
u
t o
(2)

O valor de “a” pode ser zero, quando se
considera a distribuição Log-Normal a dois
parâmetros, ou um valor mínimo da série,
quando se considera Log-Normal a três
parâmetros. O valor de “b” pode ser o da
variável aleatória, quando se considera a
probabilidade cumulativa de ocorrência
daquele valor (HASTINGS; PEACOCK,
1975 citados por CATALUNHA et al.,
2002).
Ao ajustar uma distribuição de
probabilidade a um conjunto de dados,
assume-se a hipótese de que a distribuição
pode representar adequadamente o
conjunto de informações. Para verificar o
ajuste entre as Frequências de temperaturas
máximas decendiais observadas e
estimadas adotou-se os testes de Qui-
quadrado (;²) e Kolmogorov-Smirnov
(KS), considerando os níveis de
significância como sendo 5 e 20%,
respectivamente.
Ao final, foram geradas tabelas com os
valores estimados de temperatura máxima
do ar para níveis de 25, 50, 75 e 90% de
probabilidade de ocorrência e seu
respectivo tempo de retorno para a escala
decendial.




51
PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA
CIDADE DE IGUATU, BRASIL

Rev. Bras. Agric. Irrigada v. 5, nº. 1, p. 48-53
RESULTADOS E DISCUSSÃO

Através da análise de distribuição de
frequência foi possível utilizar a função
distribuição de probabilidade Log-Normal
para a estimativa de ajuste dos dados de
temperatura máxima para a escala
quinzenal, da cidade de Iguatu. Entende-se
por ajuste, a aproximação entre as
frequências observadas e esperadas por
cada função, ajustes esses que são dados
pelos testes de aderência.
Na verificação do ajuste da distribuição
Log-Normal a partir do teste Qui-quadrado
(Tabela 1) observou-se que ela obteve um
desempenho bom, podendo ser utilizada
para representar os dados para dez meses
do ano. Como no estudo de Araújo et al.
(2010), a aderência das distribuição Log-
Normal para a analise dos dados segundo o
teste ;
2
.

Tabela 1. Ajuste da distribuição de probabilidade Log-Normal aos dados de temperatura do ar máxima
na cidade de Iguatu, na escala decendial, para o teste Qui-quadrado ao nível de 5% de significância.
Distribuição de
probabilidade
Teste de Qui-quadrado
Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Log-Normal
*.

n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. *.
Onde: n.s. - não significativo; *. - significativo.
Observando-se o ajuste da distribuição
Log-Normal pelo teste Kolmogorov-
Smirnov (Tabela 2), é possível notar que
ela obteve um desempenho semelhante ao
constatado pelo teste ;
2,
diferindo apenas
nos meses em que ela não obteve ajuste.
Em ambos os casos, o desempenho da
distribuição é capaz de justificar a sua
utilização para a estimativa da
probabilidade de ocorrência, ou seja, os
valores estimados de temperatura do ar em
diferentes níveis de segurança para a
cidade de Iguatu.

Tabela 2. Ajuste da distribuição de probabilidade Gumbel aos dados de temperatura do ar máxima na
cidade de Iguatu, na escala decendial, para o teste Kolmogorov-Smirnov ao nível de 20% de
significância.
Distribuição de
probabilidade
Teste de Kolmogorov-Smirnov
Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Log-Normal
n.s.

n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. n.s. *. n.s. *.
Onde: n.s. - não significativo; *. - significativo.

Foi constatado, então, que a distribuição
Log-Normal pode ser utilizada na
estimativa da temperatura do ar máxima
provável para Iguatu na escala quinzenal
para os níveis de 25, 50, 75 e 90% de
probabilidade de ocorrência (Tabela 3),
onde tais níveis de probabilidade
representam os limites de ocorrência de
valores iguais ou inferiores aos calculados,
ou seja, de acordo com a Tabela 3, existem
90% de probabilidade de que o valor da
temperatura do ar máxima média para o
mês de janeiro em escala quinzenal não
ultrapasse 35,1 ºC. Tal valor também pode
ser interpretado como se a cada dez anos,
nove apresentarão valor igual ou menor
que 35,1 ºC.
52
PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA
CIDADE DE IGUATU, BRASIL

Rev. Bras. Agric. Irrigada v. 5, nº. 1, p. 48-53
Tabela 3. Diferentes níveis de probabilidade de ocorrência da temperatura do ar máxima em escala
quinzenal para a cidade de Iguatu, segundo a distribuição Log-Normal.
Escala decendial para todos
os meses do ano
Níveis de probabilidade %
25 50 75 90
Janeiro 31,3 32,6 33,9 35,1
Fevereiro 30,7 31,6 32,6 33,5
Março 30,2 31,0 31,8 32,5
Abril 30,2 30,8 31,5 32,1
Maio 29,5 30,4 31,3 32,2
Junho 29,6 30,5 31,5 32,3
Julho 30,8 31,5 32,4 33,1
Agosto 32,5 33,2 33,8 34,4
Setembro 34,0 34,5 35,0 35,4
Outubro 34,8 35,3 35,8 36,3
Novembro 34,0 34,1 33,7 31,6
Dezembro 33,9 34,6 35,4 36,1
Período de retorno (anos) 1,3 2 4 10

CONCLUSÕES

A distribuição de probabilidade Log-
Normal teve bom desempenho na
estimativa de ocorrência da temperatura
máxima do ar na cidade de Iguatu, segundo
os testes de aderência Qui-quadrado e
Kolmogorov-Sminorv. A construção de
tabelas de probabilidade se mostrou uma
ferramenta de grande valia no estudo do
comportamento térmico de uma região.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ARAÚJO, E. M.; SILVA, I. N.;
OLIVEIRA, J. B., CAVALCANTE
JÚNIOR, E. G.; ALMEIDA, B. M.
Aplicação de seis distribuições de
probabilidade a séries de temperatura
máxima em Iguatu – CE. Revista Ciência
Agronômica, Fortaleza, v. 41, n. 1, p. 36-
45, 2010.

ASSIS, J. P.; DOURADO NETO, D.;
MANFRON, P. A.; MARTIN, T. N.;
SPAROVEK, G.; TINM, L. C. Ajuste de
séries históricas de temperatura e radiação
solar global diária às funções densidade de
probabilidade normal e log-normal, em
Piracicaba, SP. Revista Brasileira de
Agrometeorologia, Santa Maria, v. 12, n.
1, p. 113-121, 2004.

CATALUNHA, M. J.; SEDIYAMA G. C.;
LEAL, B. G.; SOARES, C. P. B.;
RIBEIRO, A. Avaliação de cinco funções
densidade de probabilidade a séries de
precipitação pluvial do Estado de Minas
Gerais. Revista Brasileira de
Agrometeorologia. Santa Maria, v. 10, n.
1, p. 153-162, 2002.

DANTAS, R. T.; NÓBREGA, R. S.;
CORREIA, A. M; RAO, T. V. R.
Estimativas das temperaturas máxima e
mínima do ar em Campina Grande – PB.
In: CONGRESSO BRASILEIRO DE
METEOROLOGIA; RIO DE JANEIRO,
11. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro.
SBMET, 2000. p. 534-537.
53
PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA
CIDADE DE IGUATU, BRASIL

Rev. Bras. Agric. Irrigada v. 5, nº. 1, p. 48-53

LYRA, G. B.; GARCIA, B. I. L.;
PIEDADE, S. M. S.; SEDIYAMA, G. C.;
SENTELHAS, P. S. Regiões homogêneas
e funções de distribuição de probabilidade
da precipitação pluvial no Estado de
Táchira, Venezuela. Pesquisa
Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 41,
n. 2, p. 205-215, 2006.

MELLO, M. H. A.; ARRUDA, H. V.;
ORTOLANI, A. A. Probabilidade de
ocorrência de totais pluviais máximos
horários em Campinas - São Paulo.
Revista do Instituto Geológico, São
Paulo, v. 15, n. 2, p. 59-67, 1994.

RIBEIRO, B. T.; AVANZI, J. C.; MELLO,
C. R.; LIMA, J. M.; SILVA, M. L. N.
Comparação de distribuições de
probabilidade e estimativa da precipitação
provável para região de Barbacena, MG.
Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 31,
n. 5, p. 1297-1302, 2007.


























SAMPAIO, S. C.; CORRÊA, M. M.;
SOUZA, M. R.; GUIMARÃES, J. C.;
SILVA, A. M. Precipitação provável para
o município de Lavras-MG, utilizando a
distribuição Log-normal. Ciências e
Agrotecnologia, Lavras, v. 23, n. 2, p.
382-389, 1999.

SUDENE. Levantamento Exploratório –
Reconhecimento de Solos do Estado do
Ceará – Volume I. Recife: SUDENE,
1973. 301 p.

THOM, H.C.S. Some methods of
climatological analysis. Geneva, World
Meteorological Organization, 1966. 53p.

The Log-Normal distribution fit obtained satisfactory and can be used for the representation of the data used in the study according to both tests of adhesion. Desde que respeitado o aspecto da representatividade dos dados. enquadrando-se em um número maior de situações. BRASIL ABSTRACT This study aimed to calculate the probabilities of occurrence of maximum air temperatures in Iguatu city. 48-53 . principalmente naqueles horários recomendados pela Organização Meteorológica Mundial.... 2. pois a mesma traduz os estados energéticos e dinâmicos da atmosfera e consequentemente revela a circulação atmosférica. 75 and 90%. em qualquer instante.. Were used daily data of maximum air temperature.. constatando que a distribuição Log-Normal obteve desempenho considerado bom. incluindo neste caso as temperaturas do ar máxima e mínima.49 PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA CIDADE DE IGUATU. 1979 citado por LYRA et al. ao longo do tempo.3. outras requerem grande série de observações. to a maximum temperature of Iguatu at all levels of probability studied. The probability levels used were 25. Bras. nº. (2010) avaliaram a distribuição de probabilidade que melhor se ajusta a series diárias de temperatura máxima da cidade de Iguatu no Ceará. adherence tests. INTRODUÇÃO A temperatura é um dos mais importantes elementos meteorológicos. p. 5. 50. Ceará. Portanto. 2006). podem ser estabelecidas como de uso geral. Brazil. will be greater than 30 °C. deve-se recorrer a métodos de estimativas (DANTAS et al. KEYWORDS: Log-Normal. The results of the tables show that for every month of the year. Em Lavras . Devido ao número de parâmetros de sua equação. sendo capaz de facilitar e/ou bloquear os fenômenos atmosféricos. algumas podem assumir diferentes formas. utilizando seis diferente distribuições de probabilidade. Araújo et al. e na impossibilidade destas ultimas medidas. Algumas têm boa capacidade de estimação para pequeno número de dados. 1994). 1. como um meio de compreender os fenômenos meteorológicos. obtained from the 3rd District of the Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Irrigada v. probability levels. representing a payback period of 1. O estudo das distribuições de variáveis. 2004). 4 and 10 years respectively. After applying the Log-normal distribution was possible to generate tables with the values of maximum air temperature expected for different levels of probability. é de fundamental importância as medições da temperatura do ar. ocorridas em um período de 24 horas. on a scale of fifteen days for each month of the year at different levels of probability. Essa distribuição considera que os logaritmos das variáveis aleatórias seguem uma distribuição Normal (FRIZZONE. Agric. 2000). O uso de funções densidade de probabilidade está diretamente ligado à natureza dos dados a que estas funções estão sendo relacionadas. para determinar seus padrões de ocorrência e permitir uma previsibilidade razoável do comportamento climático de uma região. as estimativas dos seus parâmetros para uma determinada região. sem prejuízo da precisão na estimação da probabilidade (CATALUNHA et al. A distribuição de probabilidade LogNormal é muito utilizada em hidrologia e climatologia (MELLO et al. são mais flexíveis. ou seja. The distribution used was the Log-Normal and its performance was tested according to the Chi-square and KolmogorovSmirnov test. 2002). a distribuição LogNormal mostrou-se adequada para Rev. é uma ferramenta de grande valor para o planejamento e gestão de inúmeras atividades agropecuárias e humanas (ASSIS et al. on a scale of fifteen days.MG.

2002). Para verificar o ajuste entre as Frequências de temperaturas máximas decendiais observadas e estimadas adotou-se os testes de Quiquadrado (²) e Kolmogorov-Smirnov (KS).  . 4 e 10 anos. nº. 2. Para encontrar a probabilidade de que uma variável aleatória x tendo distribuição LogNormal. quando se considera a distribuição Log-Normal a dois parâmetros. x . o tipo de clima: BSw’h’. Ao final. Os dados foram separados em escala quinzenal (período de 15 dias). longitude 39°18’ W e altitude: 217. para a escala de quinze dias na cidade de Iguatu (CE). sendo constatado que a serie é homogênea. utilizando-se a distribuição Log-Normal. analisando seu desempenho em relação aos dados.. fato esse que não exigiu nenhum tipo de tratamento especial aos dados. foram obtidos junto ao 3º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) de Iguatu (latitude: 6°22’ S. Ao ajustar uma distribuição de probabilidade a um conjunto de dados. Conforme Ribeiro et al. Irrigada v. foram geradas tabelas com os valores estimados de temperatura máxima do ar para níveis de 25.valor da variável aleatória.média dos logaritmos da variável x. O objetivo desse estudo foi determinar as temperaturas do ar máximas prováveis para os períodos de retorno de 1. Agric. utilizados para o ajuste da função distribuição de probabilidade. (1) Rev. 75 e 90% de probabilidade de ocorrência e seu respectivo tempo de retorno para a escala decendial.desvio-padrão dos logaritmos da variável x. Após os procedimentos de distribuição de freqüência utilizou-se a distribuição de probabilidade Log-Normal.50 PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA CIDADE DE IGUATU. p.função densidade de probabilidade da variável. PEACOCK.3. (2007). considerando os níveis de significância como sendo 5 e 20%. quando se considera Log-Normal a três parâmetros.  .base do logaritmo neperiano. agrupados em classes e realizaram-se os procedimentos de distribuição de frequência. e .67 m) do período de 1961 a 2005. ou um valor mínimo da série.limite inferior da amostra. O valor de “b” pode ser o da variável aleatória. A cidade de Iguatu acha-se situada no Semiárido do Nordeste brasileiro. BRASIL predição das precipitações prováveis apenas nos meses de maior precipitação (SAMPAIO et al. MATERIAL E METÓDOS Os dados de temperatura máxima do ar. segundo a classificação de Köppen. a . a função densidade da distribuição Log-Normal a dois parâmetros e a três parâmetros são representadas pela seguinte equação: Fx    ln x  a   2   e   2 2 x  a  2    1 Em que: F(x) . 1975 citados por CATALUNHA et al. Semiárido. representando um clima muito quente. Bras. 1999). 5. 1973).. quando se considera a probabilidade cumulativa de ocorrência daquele valor (HASTINGS. assuma valores entre a e b (a ≤ x ≤ b). 48-53 . 1. compreendendo. 50. assume-se a hipótese de que a distribuição pode representar adequadamente o conjunto de informações. com estação chuvosa atrasada (SUDENE. totalizando uma série de 40 anos. tem-se: F a  x  b    a b  ln  x  a    2  dx exp    2 2 x 2   1 (2) O valor de “a” pode ser zero. Em toda a série não foram encontradas falhas. A homogeneidade dos dados foi testada segundo a metodologia proposta por Thom (1966). respectivamente.

s. BRASIL RESULTADOS E DISCUSSÃO Através da análise de distribuição de frequência foi possível utilizar a função distribuição de probabilidade Log-Normal para a estimativa de ajuste dos dados de temperatura máxima para a escala quinzenal.s.s. então. diferindo apenas nos meses em que ela não obteve ajuste.s. *.s. que a distribuição Log-Normal pode ser utilizada na estimativa da temperatura do ar máxima provável para Iguatu na escala quinzenal para os níveis de 25. . Bras. 5.1 ºC.s.s. Irrigada v. Agric. Em ambos os casos.s. Como no estudo de Araújo et al. *.s. n. Out Nov Dez *. 75 e 90% de probabilidade de ocorrência (Tabela 3). Jul Ago Set n. n. Ajuste da distribuição de probabilidade Gumbel aos dados de temperatura do ar máxima na cidade de Iguatu. onde tais níveis de probabilidade representam os limites de ocorrência de valores iguais ou inferiores aos calculados.51 PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA CIDADE DE IGUATU. n. *.s. os valores estimados de temperatura do ar em diferentes níveis de segurança para a cidade de Iguatu.s. Tabela 2. nove apresentarão valor igual ou menor que 35.s. Distribuição de probabilidade Log-Normal Jan Teste de Kolmogorov-Smirnov Fev Mar Abr Mai Jun n. n. podendo ser utilizada para representar os dados para dez meses do ano.s. n. n.s. n.s. n. Entende-se por ajuste.significativo. . 1.s. Rev.significativo. n. existem 90% de probabilidade de que o valor da temperatura do ar máxima média para o mês de janeiro em escala quinzenal não ultrapasse 35. (2010). nº. *. Onde: n. Onde: n. de acordo com a Tabela 3.s. Teste de Qui-quadrado Fev Mar Abr Mai Jun n. o desempenho da distribuição é capaz de justificar a sua utilização para a estimativa da probabilidade de ocorrência. Distribuição de probabilidade Log-Normal Jan *. da cidade de Iguatu.s. Foi constatado. 48-53 . p.não significativo. ou seja. 50.s. Na verificação do ajuste da distribuição Log-Normal a partir do teste Qui-quadrado (Tabela 1) observou-se que ela obteve um desempenho bom. para o teste Kolmogorov-Smirnov ao nível de 20% de significância. n.s. Tabela 1. n. para o teste Qui-quadrado ao nível de 5% de significância. n.1 ºC. Out n. a aproximação entre as frequências observadas e esperadas por cada função.s. a aderência das distribuição LogNormal para a analise dos dados segundo o teste 2. na escala decendial. Tal valor também pode ser interpretado como se a cada dez anos. . . ajustes esses que são dados pelos testes de aderência. Observando-se o ajuste da distribuição Log-Normal pelo teste KolmogorovSmirnov (Tabela 2). n. n.s. é possível notar que ela obteve um desempenho semelhante ao constatado pelo teste 2.não significativo. ou seja. Nov Dez n. Ajuste da distribuição de probabilidade Log-Normal aos dados de temperatura do ar máxima na cidade de Iguatu. na escala decendial. Jul Ago Set n.

.3 34. p..4 33.8 31. ALMEIDA. n.8 32. B. segundo a distribuição Log-Normal. n. Revista Ciência Agronômica. G. p..6 31. p. L.6 30.0 33. M. TINM. Escala decendial para todos Níveis de probabilidade % os meses do ano Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Período de retorno (anos) 25 31... CORREIA. J. E. Santa Maria. Rev. OLIVEIRA.5 34. Estimativas das temperaturas máxima e mínima do ar em Campina Grande – PB.5 32. S.3 31.1 33.3 31.2 32. Rio de Janeiro.. DANTAS. G. MANFRON. I. 113-121.3 50 32. segundo os testes de aderência Qui-quadrado e Kolmogorov-Sminorv. 2010. SILVA.3 33. p.0 30. 41. 2000.6 2 75 33.5 32. RIO DE JANEIRO. v. LEAL.5 31. 534-537.5 31.2 34. T.8 33.7 30.6 31.3 30.4 35. Irrigada v. B. Ajuste de séries históricas de temperatura e radiação solar global diária às funções densidade de probabilidade normal e log-normal.2 29.1 34.9 1. V. Fortaleza. SOARES..1 32.5 32. Anais. Revista Brasileira de Agrometeorologia. R. 1. A. SBMET. J. N.9 32.8 34.. P. E. RIBEIRO.8 35. Revista Brasileira de Agrometeorologia. Aplicação de seis distribuições de probabilidade a séries de temperatura máxima em Iguatu – CE. R. C. nº. Diferentes níveis de probabilidade de ocorrência da temperatura do ar máxima em escala quinzenal para a cidade de Iguatu. DOURADO NETO. RAO. 11. 153-162.5 35.. 3645. p. n.. 1. G. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE METEOROLOGIA.2 30.6 36. Avaliação de cinco funções densidade de probabilidade a séries de precipitação pluvial do Estado de Minas Gerais. A. 1. 5.. v. 48-53 . Rio de Janeiro. Agric.4 36. B. A construção de tabelas de probabilidade se mostrou uma ferramenta de grande valia no estudo do comportamento térmico de uma região.4 30.. 2002. SEDIYAMA G. M.. R... T. B. SPAROVEK. J. Santa Maria. Bras.0 34. T. A. BRASIL Tabela 3. 10. M. em Piracicaba. 12.52 PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA CIDADE DE IGUATU. M. C. N.5 33.7 35..6 31. P. ASSIS.1 34. CATALUNHA. P. SP.5 29.8 30. v.4 4 90 35. MARTIN.. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ARAÚJO.0 35. 2004.1 10 CONCLUSÕES A distribuição de probabilidade LogNormal teve bom desempenho na estimativa de ocorrência da temperatura máxima do ar na cidade de Iguatu. 1. CAVALCANTE JÚNIOR. C. D. NÓBREGA.

nº.. 5.. p. n. Ciências e Agrotecnologia. São Paulo. 382-389. ARRUDA. 59-67. utilizando a distribuição Log-normal. M. THOM. p. L. p. GUIMARÃES. B. GARCIA. AVANZI. Lavras. B. M. C. 2.. 1. C.. 48-53 . Recife: SUDENE. SEDIYAMA. 1297-1302. M. 41. Brasília. L. BRASIL LYRA. B. 15. SILVA.. 301 p. Venezuela. n. G. A....S. Revista do Instituto Geológico. C. Bras. Probabilidade de ocorrência de totais pluviais máximos horários em Campinas . 2. MELLO. 23. MELLO. M. S. CORRÊA.C. M. Pesquisa Agropecuária Brasileira. 1973. 1994. SILVA. J. 2007. G. MG. 1999.. n. A. Agric. Ciência e Agrotecnologia. 2. p. v. v. SOUZA. v.53 PROBABILIDADES QUINZENAIS DE OCORRÊNCIA DE TEMPERATURAS MÁXIMAS DO AR NA CIDADE DE IGUATU. Geneva. M. H. 2006. R. S. p.. Irrigada v. J.. v. 5. N. C. C. LIMA. V. M. P. World Meteorological Organization. M. 205-215. 31. J. I. RIBEIRO. R. S. Regiões homogêneas e funções de distribuição de probabilidade da precipitação pluvial no Estado de Táchira. ORTOLANI. Some methods of climatological analysis. 1966. PIEDADE.. H. H.. S. SUDENE. Levantamento Exploratório – Reconhecimento de Solos do Estado do Ceará – Volume I.. Comparação de distribuições de probabilidade e estimativa da precipitação provável para região de Barbacena. SAMPAIO. T. SENTELHAS. Rev. n.São Paulo. A. Precipitação provável para o município de Lavras-MG. 53p. A. Lavras.