You are on page 1of 3

.Informações

sobre o autor

Antônio de Pádua Barreto Carvalho - Antônio Barreto - nasceu em PassosMG, no dia 13 de junho de 1954 (58 anos). De Passos, ele tem muitas lembranças, especialmente da Turma da Upes (União Passense dos Estudantes Secundários), o memorável grupo de amigos aos quais se juntou, no início da década de 1970, para muitas ‘aventuras’, sobretudo as literárias, como a criação da revista Protótipo. Aos 18 anos ele mudou-se para Belo Horizonte, onde estudou História, Letras, Engenharia Civil e Arquitetura. Na cidade de BH, Barretou participou e participa ativamente do movimento cultural da cidade. Sua obra é muito vasta, indo desde histórias infantis a romances históricos.Aplaudido pela crítica e pelo público, Barreto impressionou especialmente Carlos Drummond de Andrade, depois que este leu O Sono Provisório. Numa de suas crônicas no Jornal do Brasil, Drummond elogiou a obra e o talento do escritor passense. Atualmente Barreto coordena o Grupo Didacta (de professores de literatura e linguistas), cujo destaque é a coleção Para ler o mundo, que acaba de ser aprovada pelo MEC e será distribuída nas escolas públicas do país. Ao mesmo tempo, prepara-se para o lançamento de mais quatro obras, em 2011 – O Papagaio de Van Gogh; Crônicas adoidecentes; Lixo Cósmico e Mesmundo.

.Modernismo
O modernismo brasileiro foi um amplo movimento cultural que repercutiu fortemente sobre a cena artística e a sociedade brasileira na primeira metade do século XX, sobretudo no campo da literatura e das artes plásticas. Comparado a outros movimentos modernistas, o brasileiro foi desencadeado tardiamente, na década de 1920. Este foi resultado, em grande parte, da assimilação de tendências culturais e artísticas lançadas pelas vanguardas europeias no período que antecedeu a Primeira Guerra Mundial, tendo como exemplo do Cubismo e do Futurismo, refletindo, então, na procura da abolição de todas as regras anteriores e a procura da novidade e da velocidade. Contudo, pode-se dizer que a assimilação dessas ideias europeias deu-se de forma seletiva, rearranjando elementos artísticos de modo a ajustá-los às singularidades culturais brasileiras. Considera-se a Semana de Arte Moderna, realizada em São Paulo, em 1922, como ponto de partida do modernismo no Brasil. Porém, nem todos os participantes desse evento eram modernistas: Graça Aranha, um pré-modernista, por exemplo, foi um dos oradores. Não sendo dominante desde o início, o modernismo,

mais radical e fortemente oposta a tudo que foi anterior. suplantou os anteriores.Análise da Obra Logo na introdução do livro. A obra apresenta uma roupagem mais romântica a esses acontecimentos. da história do Brasil. pela liberdade de estilo e aproximação com a linguagem falada. Foi marcado. também chamada Pós-Modernismo por vários autores. Quando ele vem a Minas Gerais ele conhece uma jovem mulher chamada Marília (Maria Dorotéia).Contexto Histórico O contexto histórico em que a obra foi escrita é diferente do qual a história se passa.com o tempo. prórepública. Antônio Barreto escreve assim: "Longe de nós a pretenção de fazer aqui uma biografia histórica de Tomás Antônio Gonzaga e Maria Dorotéia Joaquina de Seixas. um português que vem para o Brasil com o pai.. dividese o Modernismo em três fases: a primeira fase. a qual ele logo se encanta.[. E durante a sua passagem por Minas Gerais ele escreveu as Cartas Chilenas.". Dirceu (Tomás Antônio Gonzaga) era um português que veio ao Brasil ainda muito cedo. E Antônio Barreto escolheu um dos momentos mais importantes da história brasileira. . cheia de irreverência e escândalo. faz parte de um grande projeto da Editora Lê de resgatar o passado histórico de Minas Gerais. sendo os da primeira fase mais radicais em relação a esse marco. mas sem mudar fatos importantes. e uma terceira. Ele após muito . o mais importante movimento separatista. que se opunha de certo modo a primeira e era por isso ridicularizada com o apelido de neoparnasianismo.]Dessa forma. usando para isto a figura real de Tomás Antônio Gonzaga. a Inconfidência Mineira. mas sempre baseado em fatos históricos. O romance mostra com muita exatidão o que aconteceu naquela época.. Essa obra. poema satírico com violentas críticas ao governo de Portugal. sobretudo. onde fica pelo resto da vida. Pela sua participação na Inconfidência Mineira ele é preso e "degredido" para Moçambique. ainda pequeno. uma segunda mais amena. sempre com uma visão mais romântica da história. desejando passar ao leitor uma visão mais romanesca dos fatos (reais ou não) e dos personagens (reais ou não) que povoaram a vida e a imaginação dos mineiros dos séculos XVIII e XIX. . A obra conta a história da lendária paixão entre Dirceu e Marília. que formou grandes romancistas e poetas. A Barca dos Amantes. Didaticamente.

fazendo o personagems várias regressões. e sim psicológico. Cláudio Manuel da Costa e o alferes Joaquim José da Silva Xavier. O autor usou uma linguagem as vezes até rebuscada e difícil. mas eles são descobertos pelo governo. com os quais ele planejava um golpe contra a coroa. onde escreve a maior parte de suas liras e poemas à Marília. apelidado de Tiradentes. liras que viriam ser publicadas em Lisboa com o nome Marília de Dirceu. O autor se filia ao estilo literário da época por apresentar um tipo de escrita um pouco diferente do abtual. A obra sempre é apresentada em primeira pessoa. um romance baseado em fatos históricos.cortejar a sua amada ele consegue o que quer. e sofrem duras penas. cheia de metáforas e alusões. ou outra forma de afronta. ora na visão de Marília. ou mesmo delírios e alucinações. logo acusariam ele de plágio. ou de uma pessoa qualquer. uma noivado com Marília. E Tomás foi "degredido" para moçambique. se fosse em outro período. ficando assim lonje da sua eterna amada até os últimos dias. libertar o Brasil do domínio de Portugal e implantar uma República. ora na visão de Tomás. Somente com a chegada do modernismo é que isso foi possível. . O tempo da obra não é um tempo cronológico. a fim de. Os dois acabam vivenciando uma das paixões mais famosas e lendárias da história brasileira. Nesse mesmo momento Tomás conhece entre outros. Tomás antes de ser "degredido"permance em reclusão em uma prisão no Rio De Janeiro.