You are on page 1of 8

UNIVERSIDADE PAULISTA FARMÁCIA-BIOQUÍMICA

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA

Nagib Abib - RA: A17FCB-9

Limeira - SP 2011

se as partículas tiverem dimensões coloidais. chamam-se dispersões coloidais. criando gotículas por toda a fase dispersora. o propilgalato e a hidroxipropilcelulose. antibactericidas ou ainda conter fármacos específicos em sua fórmula. o fármaco é conhecido como fase dispersa. Os magmas e os géis representam estas dispersões finas. Em conjunto.INTRODUÇÃO FORMAS FARMACÊUTICAS: GÉIS E MAGMAS Um dos principais tipos de formas farmacêuticas são os géis e magmas. a água). As dispersões que contem partículas menores são conhecidas como dispersões finas (0. produzem um sistema disperso. (¹) Os géis são definidos como sistema semi-sólido constituídos por dispersões de pequenas partículas inorgânicas ou de grandes moléculas orgânicas encerradas e interpenetradas por um liquida. (¹) Neste trabalho apresentaremos os procedimentos exercidos na aula prática de laboratório da disciplina de Tópicos de Farmacotécnica para o preparo das seguintes formulações: y y Prática 3: preparo de Gel Redutor. formando uma substanci insolúvel a que tem forte atração pela água. geralmente de 10 a 50 µm. como o propilenoglicol. No caso das emulsões. havendo pouca sedimentação da fase dispersa. são conhecidas como dispersões grosseiras: compreendem as suspensões e as emulsões. (¹) Devido ao alto grau de atração entre a fase dispersa e o meio aquoso existente em magmas e géis. Além do veículo (no caso. À medida que se desenvolvem.1. As dispersões que contem partículas grandes. Nos casos em que a massa do gel é constituída por floculos de pequenas partículas distintas. a fase dispersa de um substancia líquida que não é solúvel no líquido da fase dispersante nem miscível com ele. É possível preparar outros magmas e géis por meio da hidratação direta da substancia inorgânica. entre 1. a fim de se obter fino grau de subdivisão das partículas e conferir-lhes caráter gelatinoso.5. .5 µm. ou partículas de dimensão coloidal. Nessas formas. Os géis são comumente usados como formulações orais ou para uso tópico.10 µm). quando o tempo de repouso é muito prolongado. (¹) As partículas da fase dispersa geralmente são materiais sólidos insolúveis no meio dispersante. Pratica 4: preparo de Álcool Gel. produzindo-se assim partículas gelatinosas que se combinam e formam o precipitado gelatinoso. em que a forma hidratada constitui a fase dispersa. as partículas microcristalinas do precipitado atraem irresistivelmente a água.0 . essas preparações permanecem bem uniformes em repouso. de tal maneira que não há ligações aparentes entre elas e o liquido. (¹) Muitos magmas e géis são preparados pela precipitação da fase dispersa. o sistema é classificado como bifásico. Os géis nos quais as macromoléculas se distribuem por todo o liquido. Quando em forma tópica. sendo chamado de magma ou leite. O processo de emulsificação produz a dispersão do fármaco líquido. forma-se um sobrenadante do meio de dispersão. No entanto. são conhecidos como géis monofásicos.0 nm e 0. enquanto que o veiculo é denominado fase dispersante. mas a uniformidade do produto é facilmente restabelecida com agitação moderada. Obtêm precipitado gelatinoso quando soluções de agentes inorgânicos reagem. podem ser utilizados como antissépticos. podem ser usados outros agentes para intensificar a formação do gel.(¹) As partículas da fase dispersa variam muito de tamanho: podem ser grandes e visíveis a olho nu.

2. 3. bem como das fórmulas necessárias.0. utilizando-se para isto dos materiais disponibilizados. foram utilizados os seguintes materiais: Tabela 1: Materiais utilizados em atividade prática 03 (preparo de Gel Redutor): Frasco para acondicionamento Rótulo Espátula para pesagem Papel para pesagem Bastão de vidro Pipeta de 05 mL Béquer de 100 mL Béquer de 50 Ml Pipeta Pasteur Banho-maria Balança 1 unidade 1 unidade 4 unidades 5 unidades 1 unidade 1 unidade 1 unidade 1 unidade 2 unidades ----------------- Tabela 2: Materiais utilizados em atividade prática 04 (preparo de Álcool Gel): Espátula para pesagem Papel para pesagem Bastão de vidro Cálice de 125 mL Béquer de 100 Ml Béquer de 50 Ml Pipeta Pasteur Frasco para acondicionamento Rótulo Balança 3 unidades 3 unidades 1 unidade 1 unidade 1 unidade 1 unidade 2 unidades 1 unidade 1 unidade --------- .OBJETIVOS O objetivo desta aula prática foi a preparação de maneira correta de géis. observando-se os princípios de Boas Práticas de Manipulação Farmacêutica.0± MATERIAIS Para a realização das atividades práticas em laboratório.

................. .................................................................0% Trietanolamina ou AMP....................................................2-Álcool Gel Água destilada....................................................................................................... pH=7 Cânfora........................................s......................... unidades do S......................): .....................p....10 0...........................Quantidades necessárias (em gramas/mL.............................................................L........................................ ............0 ± CÁLCULOS UTILIZADOS 5.....................................02 % Propilenoglicol...................................... ....................................................s... 1 .........pH 6 -7 5...4...q.....................................................Gel Redutor Carbômero (Carbopol® 940).........................30% Álcool 96 º G......................0...............q... 0........................18% Glicerina.............................5% Metilparabeno..............70% Carbopol..0g 4. 0.1....0..........s........ ............................................................................. Água purificada q..0....................3% Solução de trietanolamina ou AMP q..............4% Mentol.............0 ± FÓRMULAS FARMACÊUTICAS 4................................................1% Corante verde.........I.........3.. .........s....................0....18% Propilbarabeno.................. ..............1....0% Metilparabeno........

Metilparabeno g .3.% 100 .02 g de Propilparabeno 5.100 x .1-Carbômero (Carbopol® 940): g .% 100 .% 100 .Propilparabeno g .5.100 x .2.4.02 100x = 2 X = 0.18 100x = 18 x = 0.0.2.Propileniglicol mL .s.1 100x = 100 x = 1 g de Carbômero (Carbopol® 940) 5.3 .2-Prática 03-Preparo de Gel Redutor (q.% 100 .100 x .2.0.100 x .2.p 100g): 5.2.18 g de Metilparabeno 5.

..Prática 04 ± Preparo de Álcool Gel (q...s. 5..100 x ..100 x ...p..% 100 .7.0.% 100 .18+0...4 100 x = 40 X = 0.9....Corante verde: q.1 = 4..0g 1+0.30 .2.5...p.1 100x= 10 x= 0....7-100 = 95.2...4 mL de Cânfora 5..2..Água purificada q. 100g): 5......Água destilada mL .02+3+0.s..1 mL de Mentol 5. 5.100x = 300 x= 3 mL de Propilenoglicol 5..Trietanolamina ou AMP : q.Cânfora mL ..0.2.Mentol mL .s.1.100......3.8... para atingir pH 7 5.% 100 .s.3 mL de Água purificada..2.6.4+0...100 x .3..

4.2.Álcool 96º G.5 g de Carbopol 5.3.100 x .3.Carbopol g % 100 .0.L.100x= 3000 x= 30 mL de Água destilada 5.100 x . 5.0.18 g de Metilparabeno 5.100 3 100x= 300 x=3 mL de Glicerina .5. mL % 100 .5 100x= 50 x= 0.Metilparabeno g % 100 .18 100x= 18 x=0.3.70 100x= 7000 x= 70 mL de Álcool 96º G.L.Glicerina mL 100 x % .3.3.100 x .

6.0 ± ANÁLISE CRÍTICA 8.para atingir pH 6-7. ANSEL.LOYD. Formas Farmacêuticas & Sistemas de Liberação de Fármacos.0 ± REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (¹)V.0 ± PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS 7. NICHOLAS G. POPOVICH..0 ± CONCLUSÃO 9. São Paulo: Editorial Premier..Solução de trietanolamina ou AMP: q.5. 6ª Ed.6..3. HOWARD C.s. .ALLEN Jr.