You are on page 1of 5

Norma Hemoterapia

COD.000 (ou COD.0000 )

ADMINISTRAÇÃO DE COMPONENTES SANGUINEOS
Norma Hemoterapia APROVAÇÃO

1 2

± DEFINIÇÃO OBJECTIVOS
y y y y

Aumentar a capacidade de transporte de oxigénio. Restabelecer o volume sanguíneo Assegurar a correcção as alterações hemorrágicas e de factores de coagulação. Assegurar a correcção de deficiências imunológicas.

3

ÂMBITO DE APLICAÇÃO

Implementada no Departamento de Cirurgia pelos Enfermeiros. 4 4.1 4.2 RESPONSABILIDADES Pela implementação do Departamento de Cirurgia Procedimento: Chefia de Enfermagem do

Pela revisão do procedimento: Enfermeiros Carlos Romão, Cristina Cardoso, Dalila Matias, Fernando Carreira, Rui Valcôvo, Susana Pinto, Tânia Raposo .

5

INFORMAÇÕES GERAIS
ELABORAÇÃO

Nome dos profissionais que elaboraram o documento, por ordem alfabética

Carlos Romão, Cristina Cardoso, Dalila Matias Fernando Carreira, Rui Valcôvo, Susana Pinto,
Tânia Raposo
VERIFICAÇÃO

CQSD

EDIÇÃO Letra Edição Data Publicação

CIRCULAR INFORMATIVA Nº Nº da Circular

PRÓXIMA EDIÇÃO Data Publicação + 3 anos

Nº PAGS. 1/5

Identificar o Doente Identificação positiva no doente adulto e consciente.3 ± Antes de iniciar a Administração Observar o aspecto do Componente O plasma deve ter um aspecto límpido O concentrado eritrocitário de cor muito escuro pode indicar hem ólise. Administrar em via única ( a transfusão é incompatível com todas as soluções dextrosadas e maioria dos fármacos. EDIÇÃO Letra Edição Data Publicação CIRCULAR INFORMATIVA Nº Nº da Circular PRÓXIMA EDIÇÃO Data Publicação + 3 anos Nº PAGS. maior a hipótese de provocar hemólise). Se for necessária a perfusão mais rápida dos CE deve u sar-se equipamento próprio com termóstato que assegure que não ultrapassa os 37ºC.000 (ou COD.2 Condições do material Acesso venoso Calibre ideal 18G (quanto menor o lúmen. Sistema de administração Material compatível e filtro de poros Mudado sempre a cada unidade transfundida e não usar durante mais de 4 horas. Aquecimento ± nenhum dos componentes/ produtos sanguíneos precisa ser aquecido. Controlo de ritmo Bombas de infusão usar sistema próprio para administração de sangue e não bombas de infusão de soluções colóides ou cristalóides Compressão ± só quando se pretende uma transfusão rápida. Confirmar identificação da Unidade Componente certo.1 ± Administração 5.Norma Hemoterapia COD. Criança ou doente inconsciente ± confrontar processo e identificação da cama. 2/5 .0000 ) ADMINISTRAÇÃO DE COMPONENTES SANGUINEOS 5. evitando pressão superior a 200mmHg e utilizando equipamento específico. 5. perguntar o nome ao doente e aguardar que o diga sem qualquer sugestão da parte de quem faz a identificação.

o nº de colheita . Administrar durante hora e meia a 2 horas.o volume. Colocar etiqueta de identificação da unidade no processo do doente. Se ho uver suspeita de Reacção Transfusional suspender transfusão. O doente deve ser avisado para relatar qualquer sinal de reacção ( calafrios. Informar o doente do procedimento Confirmar que consente. 5. frequência cardíaca e respiratória. que no caso de CE tem sempre o resultado da prova de compatibilidade). Avaliar e registar Sinais Vitais Temperatura Tensão Arterial. cefaleias. dificuldade respiratória).000 (ou COD. se usar veia já cate terizada despistar sinais de infecção no local de inserção.0000 ) ADMINISTRAÇÃO DE COMPONENTES SANGUINEOS Grupo compatível (confrontar as etiquetas de identificação do doente e do componente. Iniciar a Transfusão Em via única. náusea. DEVOLVER SEMPRE ao SIH os componentes não transfundidos. 3/5 . 5.5 ± Final da Transfusão y y y y Avaliar e registar Sinais Vitais Manter vigilância e fazer nova avaliação ao fim de 1 hora. se for necessária uma administração mais lenta pedir ao SIH para dividir a unidade. EDIÇÃO Letra Edição Data Publicação CIRCULAR INFORMATIVA Nº Nº da Circular PRÓXIMA EDIÇÃO Data Publicação + 3 anos Nº PAGS. apresentam sinais nos primeiros minutos da transfusão. e registar em suporte informático o tipo de componente administrado . hora e inicio e tempo de administração devem ser também registados no processo do doente.Norma Hemoterapia COD. O ritmo de administração depende da situação cardiovascular do doente. nunca em mais de 4 horas. Verificar o prazo de validade.4 ± Durante a Administração y y y y Nos primeiros 15 minutos administrar lentamente (ritmo de perfusão não deve ser superior a 2ml/kg/hora num adulto de 60Kg) e vigiar o doente de perto para controlo de uma reacção Transfusional imediata ± as reacções Transfusionais por incompatibilidade muito graves. Reavaliar Sinais Vitais aos 15 minutos e a partir daí a cada meia hora até finalizar a transfusão.

. Verificar a temperatura do componente a transfundir Lavar as mãos Providenciar os recursos para junto do indivíduo.Concelho da Europa. nº de processo clínico e conferir o grupo sanguíneo. use and quality assurance of blood components.Manual Internacional da Qualidade CHKS/HAQU. 2005. Guide to the preparation.000 (ou COD. 11ª Ediç ão. Estraburgo. Identificar o indivíduo (perguntar -lhe o nome ou conferir com o processo clínico). 2006: 8 DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO Justificação Prevenir erros Acções de enfermagem Verificar a concordância entre a identificação do indivíduo e o rótulo do componente sanguíneo (nome. 4/5 . se necessário. Iniciar a transfusão e controlar o ritmo de Idem Prevenir a contaminação Gerir o tempo Prevenir erros Obter valores de referência Prevenir reacções adversas EDIÇÃO Letra Edição Data Publicação CIRCULAR INFORMATIVA Nº Nº da Circular PRÓXIMA EDIÇÃO Data Publicação + 3 anos Nº PAGS.0000 ) ADMINISTRAÇÃO DE COMPONENTES SANGUINEOS 6 SIGLAS E ABREVIATURAS CE ± concentrado Eritrocitário CP concentrado plaquetário CPP concentrado P ool plaquetas CRIO ± Crioprecipitado PFC ± plasma Fresco Congelado SIH Serviço de Imuno-hemoterapia 7 REFERÊNCIAS .Norma Hemoterapia COD. Ajustar o sistema de administração á torneira de 3 vias ou obturador e fixar à pele. Instruir o indivíduo sobre o procedimento Monitorizar os sinais vitais Calçar luvas Ajustar o sistema de administração ao saco de componente sanguíneo a transfundir Preencher o sistema de administração com o sangue ou componente sanguíneo Cateterizar a veia ou verificar a permeabilidade da mesma caso este se encontre colocado.

se necessário.000 (ou COD. Remover as luvas Monitorizar os sinais vitais Assegurar a recolha e lavagem do material Lavar as mãos Registar no processo do CE indivíduo o nº de colheita. Após a transfusão Lavar as mãos Calçar luvas Clampar e remover o sistema de administração do sangue ou componente sanguíneo Preencher o cateter com soro fisiológico.0000 ) ADMINISTRAÇÃO DE COMPONENTES SANGUINEOS perfusão. Identificar alterações Prevenir a transmissão cruzada de microrganismos Validar e documentar legalmente a administração do sangue ou componente sanguíneo. 5/5 .Norma Hemoterapia COD. ou remover o cateter. cruzada de Manter a permeabilidade do cate ter. Remover as luvas Lavar as mãos Durante a administração Monitorizar os sinais vitais de acordo com a orientação Controlar o ritmo de perfusão conforme prescrição médica e situação clínica do individuo. inicio e final da transfusão. EDIÇÃO Letra Edição Data Publicação CIRCULAR INFORMATIVA Nº Nº da Circular PRÓXIMA EDIÇÃO Data Publicação + 3 anos Nº PAGS. Identificar alterações Prevenir a transmissão microrganismos.