You are on page 1of 2

CONTRATO SOCIAL SOCIEDADE EMPREÁSRIA LIMITADA

CONTRATO DE CONSTITUIÇÃO DE CÉLULA COMUNICAÇÃO 1. Fabio Ramos de Oliveira, brasileiro, natural de Uruçuca, casado, nascido em 18 19 de agosto de 1972, designer, CPF de nº 06067083-59, documento de identidade 69096490525, órgão expedidor SSP-BA, onde foi emitida (documentos válidos como identidade: carteira de identidade, certificado de reservista, carteira de identidade profissional, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Carteira Nacional de Habilitação – modelo com base na Lei nº 9.503, de 23.9.97), domicílio e residência, reside na rua 1, nº15, Cajazeira 5, SalvadorBahia, 41.330-350 1.2 Marcelo rosa Santos, brasileiro, natural de Salvador, solteiro, nascido em 1982, designer, CPF de nº não informado, documento de identidade não informado, órgão expedidor SSP-BA, onde foi emitida (documentos válidos como identidade: carteira de identidade, certificado de reservista, carteira de identidade profissional, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Carteira Nacional de Habilitação – modelo com base na Lei nº 9.503, de 23.9.97), domicílio e residência, reside na rua Salvador, Bahia, CEP- 40800560 1.3 Jonathas Antonio Costa Santos, brasileiro, natural de Salvador, solteiro, nascido em 21 anos, designer, CPF de nº tal, documento de identidade tal, órgão expedidor SSP-BA, onde foi emitida (documentos válidos como identidade: carteira de identidade, certificado de reservista, carteira de identidade profissional, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Carteira Nacional de Habilitação – modelo com base na Lei nº 9.503, de 23.9.97), domicílio e residência, reside num apartamento na Rua, apartamento, , Salvador, Bahia, 41.000-000 (art. 997, l, CC/2002) constituem uma sociedade empresária limitada, mediante as seguintes cláusulas: 1ª A sociedade girará sob o nome empresarial Tecnologia e Designer e terá sede e domicílio na Avenida ACM, nº3840 Edifício Capemi Sala 1104, Pituba, Salvador, Bahia, CEP 41.820-010. (art. 997, II, CC/2002) 2ª O capital social será R$ R$ 40.000(quarenta mil reais dividido em 40 mil quotas de valor nominal R$ 1,00 (um real), integralizadas, neste ato em moeda corrente do País, pelos sócios: Fabio Ramos de Oliveira nº de quotas 13 mil R$ 13.000,00 Marcelo Rosa Santos nº de quotas 15 mil R$ 15.000,00 e Jonathas Antonio Santos Costa nº de quotas 12 mil R$ 12.000,00 (art. 997, III, CC/2002) (art. 1.055, CC/2002) 3ª O objeto será prestação de serviços gráficos.

4ª A sociedade iniciará suas atividades em 01 de janeiro de 2012 e seu prazo de duração é indeterminado. (art. 997, II, CC/2002) 5ª As quotas são indivisíveis e não poderão ser cedidas ou transferidas a terceiros sem o consentimento do outro sócio, a quem fica assegurado, em igualdade de condições e preço direito de preferência para a sua aquisição se postas à venda, formalizando, se realizada a cessão delas, a alteração contratual pertinente. (art. 1.056, art. 1.057, CC/2002) 6ª A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas, mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social. (art. 1.052, CC/2002) 7ª A administração da sociedade caberá à com os poderes e atribuições de Fabio Ramos de OliveiraGerente-Sócio em conjunto com Marcelo Rosa Santos gerente Geral e na sua ausência com o diretor de produção Jonathas Antonio Santos Costa junto ao sistema financeiro. Autorizado o uso do nome empresarial, vedado, no entanto, em atividades estranhas ao interesse social ou assumir obrigações seja em favor de qualquer dos quotistas ou de terceiros, bem como onerar ou alienar bens imóveis da sociedade, sem autorização do outro sócio. (artigos 997, Vl; 1.013. 1.015, 1064, CC/2002)

ou por se encontrar(em) sob os efeitos dela.078. de que não está(ão) impedidos de exercer a administração da sociedade. a sociedade continuará suas atividades com os herdeiros. contra o sistema financeiro nacional. 12 Falecendo ou interditado qualquer sócio. os lucros ou perdas apurados. concussão. 1.031. abrir ou fechar filial ou outra dependência. (art.071 e 1. a título de “pro labore”. peculato. § 1º. Não sendo possível ou inexistindo interesse destes ou do(s) sócio(s) remanescente(s). contra as relações de consumo. 1. ___ de ___________de 20__ Local e data aa) ___________________ aa)______________________ Fabio Ramos de Oliveira aa) Marcelo Rosa Santos ________________________ Jonathas Antonio Santos Costa Visto: ______________ (OAB/BA) Nome .065. ou por crime falimentar. 14 Fica eleito o foro de Salvador Bahia – Brasil para o exercício e o cumprimento dos direitos e obrigações resultantes deste contrato. observadas as disposições regulamentares pertinentes. E por estarem assim justos e contratados assinam o presente instrumento em 4 vias d igual e teor e forma. fé pública. CC/2002) 9ª Nos quatro meses seguintes ao término do exercício social.8ª Ao término da cada exercício social. _____________.072. CC/2002) 13 O(s) Administrador(es) declara(m). na proporção de suas quotas. em 01 de dezembro de 2012. CC/2002) 10 A sociedade poderá a qualquer tempo. o valor de seus haveres será apurado e liquidado com base na situação patrimonial da sociedade. contra normas de defesa da concorrência. (art. os sócios deliberarão sobre as contas e designarão administrador(es) quando for o caso. cabendo aos sócios. ainda que temporariamente. mediante alteração contratual assinada por todos os sócios. (art. 1. 1.028 e art. ou contra a economia popular. o acesso a cargos públicos. por lei especial. Parágrafo único .011. à data da resolução. sob as penas da lei. 1. ou em virtude de condenação criminal. 1. procedendo à elaboração do inventário. (arts. do balanço patrimonial e do balanço de resultado econômico. peita ou suborno. 11 Os sócios poderão. ou a propriedade. CC/2002) Inserir cláusulas facultativas desejadas.O mesmo procedimento será adotado em outros casos em que a sociedade se resolva em relação a seu sócio. § 2o e art. sucessores e o incapaz. fixar uma retirada mensal. verificada em balanço especialmente levantado. de comum acordo. o administrador prestará contas justificadas de sua administração. de prevaricação. a pena que vede.