You are on page 1of 65

PLANTAS DANINHAS

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

Prof. Anderson Luis Cavenaghi

O QUE É PLANTA DANINHA?
Planta que se desenvolve onde não é desejada Planta que causa mais danos que benefícios Planta que causa danos à outras plantas cultivadas Planta indesejada Planta rudimentar com extrema eficiência em competição e perpetuação da espécie

MECANISMOS DE EVOLUÇÃO

MUTAÇÃO GÊNICA ALTERAÇÃO DO NÚMERO DE CROMOSSOMOS RECOMBINAÇÃO GÊNICA

SELEÇÃO NATURAL / PRESSÃO DE SELEÇÃO

Plantas Pioneiras:

- estresse: disponibilidade de água, luz e
nutrientes, etc. - distúrbio: alterações relativamente drásticas como preparo do solo, cultivo, fogo, pastorio, etc.

ESTRATÉGIA EVOLUTIVAS
DISTÚRBIO E ESTRESSE 1. 2. NEGLIGENCIÁVEIS – ALTO ESTRESSE E DISTÚRBIO ESTRESSE TOLERANTES – ALTO ESTRESSE E BAIXO DISTÚRBIO RUDERAIS – BAIXO ESTRESSE E ALTO DISTÚRBIO COMPETIDORAS – BAIXO ESTRESSE E BAIXO DISTÚRBIO

3. 4.

CLASSIFICAÇÃO
MONOCOTÍLEDÔNEAS (Liliopsida) Embrião + endosperma de reserva Coleóptilo – origina parte aérea Folhas com nervura central Caule com colmos com entre nós apresentando gemas Xilema e floema dispersos Raízes fasciculadas – grande volume Plantas daninhas de folhas estreitas

CLASSIFICAÇÃO
DICOTILEDÔNEAS (Magnoliopsida) - Cotilédones de reserva se transformam no primeiro par de folhas - Hipocótilo eleva os cotilédones na germinação - Folhas com nervura central e laterais, formatos diversos - Caule ramificados - Xilema e floema em feixes - Raízes pivotantes – maior profundidade

Plantas daninhas de folhas largas

CICLO DE VIDA
- ANUAIS – 40 a 160 dias Inverno – ciclos menores – germinam no verão e florescem no inverno – Ex: nabiça Verão (Época de safra) – T°C maiores – Ex: beldroega, marmelada. - BIANUAIS – ciclo maior que um ano e menor que dois. Germinam no verão de um ano e atingem a maturidade no verão seguinte e frutificam no inverno. Ex: guanxuma. - PERENES – mais que dois anos – 2 a 10 anos semiperenes e acima de 10 perenes Perenes simples – sementes – Ex: guanxuma. Perenes compostas – sementes e partes vegetativas – Ex: tiririca e grama-seda.

HÁBITO DE CRESCIMENTO
NORMALMENTE PODEM SER CLASSIFICADOS COMO:

- Herbáceo – plantas com até 100 cm. - Arbustivas – 150 a 250 cm. Ex: Fedegoso - Arbóreas – acima de 250 cm. Ex: Cambará

PODE SE ENCONTRAR AINDA COMO: - Sub-arbustivas, trepadeiras e epífeas.

CARACTERÍSTICAS
Produção de um grande número de sementes
Planta Daninha Amaranthus retroflexus Euphorbia heterophyla Artemisia biennis Portulaca oleracea Polygunum convolvulus Chenopodium album Cenchrus echinatus Amaranthus spinosus caruru gigante leiteiro artemisia beldroega cipó-de-veado ançarinha-branca capim carrapicho caruru de espinho n° de sementes 117.400 150 1.075.000 52.300 11.900 72.450 1.100 11.000

CARACTERÍSTICAS
Tamanho, forma e tempo de formação das sementes
Planta Daninha Amaranthus retroflexus Euphorbia heterophyla Portulaca oleracea Polygunum convolvulus Chenopodium album Glycine max Zea mays caruru gigante leiteiro beldroega cipó-de-veado ançarinha-branca soja milho Peso de 1000 sementes (g) 0,38 3,50 0,18 7,00 0,70 140 - 180 225- 400

CARACTERÍSTICAS
Tamanho, forma e tempo de formação das sementes

Espécie Milho Soja Bidens pilosa Amaranthus deflexus

Relação S / V 7,97 8,75 8,75 448,50

CARACTERÍSTICAS
Dormência e Longevidade das sementes
Número de sp sobrevivendo em função do número de anos no solo
Período (anos) 1 6 10 20 30 38 Espécies germinando 71 68 68 57 44 36 Percentegem do n° inicial de sp 100 96 96 80 62 51

CARACTERÍSTICAS
Desuniformidade do processo germinativo
As plantas daninhas não apresentam germinação uniforme dificultando seu controle. Provavelmente pela distribuição variável no perfil do solo e mecanismos de dormência característicos de cada espécie.

Germinação e Crescimento em condições adversas
Crescem melhor em ambientes amenos, mas a maioria das espécies não tem germinação ou crescimento prejudicado por condições limitantes. Ex: Cyperus ssp

25 20 15 10 5 0

Porcentagem de germinação Cenchrus echinatus

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

Profundidade (cm)

30 25 20 15 10 5 0

Porcentagem de germinação Brachiaria plantaginea

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

Profundidade (cm)

CARACTERÍSTICAS
Mais de um mecanismo de reprodução
Além das sementes, muitas plantas apresentam reprodução vegetativa, dificultando o uso do controle mecânico. Tiririca (semente, bulbo, rizoma e tubérculo) Trapoeraba (sementes subterrâneas)

Eficientes mecanismos de dispersão de sementes
Plantas apresentam sistemas extremamente eficientes de dispersão de sementes reprodutivas, seja via águas superficiais, ventos e animais. Picão-preto e capim-carrapicho

CARACTERÍSTICAS
Rápido Crescimento e Desenvolvimento
Algumas espécies anuais apresentam ciclo curto, com rápido crescimento e desenvolvimento, podendo apresentar mais de um ciclo por ano ou safra, intensificando a produção de semente

Hábito de Florescimento
Mesmo em condições onde normalmente muitas plantas cultivadas não conseguiriam florescer, as plantas daninhas chegam ao florescimento e produzem sementes viáves, pelo grande número de sementes que estas plantas conseguem produzir, mesmo que não chegue a produção máxima, ela consegue manter a infestação de uma área.

CARACTERÍSTICAS
Habilidade Competitiva
As plantas daninhas possuem grande capacidade de competição por nutrientes, água, luz e CO2. Normalmente são encontrados maiores valores relativos de nutrientes em plantas daninhas quando comparado às cultivadas.
Concentração (g/kg de matéria seca) Plantas G. max- BR-16 Guanxuma Leiteiro Fedegoso Desmódio Maria-Pretinha N 16,8 - 25,4 23,0 - 73,2 22,5 - 32,6 22,3 - 33,8 21,4 - 34,6 22,3 - 33,8 P 1,57 - 3,06 1,70 - 3,70 1,21 - 3,18 0,94 - 3,41 1,70 - 2,70 2,04 - 3,68 K 9,0 - 15,0 19,2 - 29,7 27,2 - 41,5 17,3 - 27,6 18,9 - 47,3 28,1 - 52,0 Ca 16,9 - 21,5 10,5 - 18,1 20,2 - 28,3 14,5 - 18,8 7,0 - 15,4 17,0 - 27,2 Mg 5,2 - 7,1 3,4 - 14,8 2,8 - 4,0 2,6 - 4,6 3,3 - 4,9 5,1 - 6,4 S 1,3 - 2,2 1,1 - 1,8 1,1 - 1,5 1,6 - 4,5 2,7 - 4,4 1,7 - 2,8

Adaptado de Bianco (2003)

CARACTERÍSTICAS
Plasticidade
Grande capacidade adaptativa, variabilidade genética. Autógamas e Alógamas.

Resistência a métodos de controle
Pela grande variabilidade genética pode selecionar indivíduos resistentes, principalmente pelo uso contínuo de herbicidas de mesmo mecanismo de ação. Ex. amendoim-bravo – ALS marmelada – ACCase picão preto – ALS

N o m e C ie n tífic o A m a ra n th u s h y b rid u s A m a ra n th y s s p in o s u s A v e n a fa tu a C h e n o p o d iu m a lb u m C o n v o lv u lu s a rv e n s is C y n o d o n d a c ty lo n C y p e ru s e s c u le n tu s C y p e ru s ro tu n d u s D ig ita ria s a n g u in a lis E c h in o c h lo a c o lo n u m E c h in o c h lo a c ru s g a lli E ic h o rn ia c ra s s ip e s E le u s in e in d ic a Im p e ra ta c y lin d ric a P a s p a lu m c o n ju g a tu m P o rtu la c a o le ra c e a R o ttb o llia a x a lta ta S o rg h u m h a le p e n s e

C3 / C4 C4 C4 C3 C3 C3 C4 C4 C4 C4 C4 C4 C3 C4 C4 C4 C4 C4 C4

C3 Bidens pilosa Bidens subalternans Convolvulus arvensis Eichornia crassipes Ipomoea ssp Sida ssp Solanum ssp Senna obtusifolia

C4 Amaranthus ssp Brachiaria ssp Cenchrus ssp Cynodon dactylon Cyperus ssp Digitaria ssp Echinochloa Eleusine indica Euphorbia ssp Panicum maximum Shorgum halepense

PRINCIPAL = PROTEÇÃO DO SOLO SEM CULTURA Picão- preto: Bidens pilosa Hepatite, malária e anti-cancerígeno. Quebra-pedra: Phyllanthus sp. Diurético, cálculos renais e afecções do fígado. Mentruz: Coronopus didymus Sistema respiratório, afec. renais e contusões. Mentrasto: Ageratum conyzoides Artrite ou artrose, contusões e inchaços. Língua-de-vaca: Chaptalia nutans Dores musculares, afec. das vias urinárias. Cordão-de-frade: Leonotis nepetaefolia Nevralgias, úlceras, asma, tosse e ácido úrico. Rubim: Leonurus sibiricus Cicatrizante, diurético, vermífugo. Caruru: Amaranthus sp. Diurético, retenção de urina, emoliente. Beldroega: Portulaca oleracea Diurética, elimina toxinas dos intestinos e da pele, abcessos, úlceras e erisipela.

No processo evolutivo as plantas daninhas adquiriram grande agressividade, caracterizada por elevada e prolongada capacidade de produção de propágulos dotados de alta viabilidade e longevidade, que são capazes de germinar, de maneira descontínua, em muitos ambientes. Normalmente, possuem adaptações para disseminação a curta e longa distância em muitos ambientes. Via de regra apresentam crescimento e desenvolvimento rápido com grande variabilidade genética (plasticidade).