You are on page 1of 2

ILHA SOLTEIRA

XII Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 22 a 26 de agosto de 2005 - Ilha Solteira - SP Paper CRE05-DM08

ANÁLISE ESTÁTICA E DINÂMICA DE EIXOS UTILIZANDO MANCAIS DE ROLAMENTO E DESLIZAMENTO Filipe Padova Santoro e Gilberto Pechoto de Melo
UNESP, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Departamento de Engenharia Mecânica. Av. Brasil, 56, Bairro Centro, Caixa Postal 31, CEP 15385-000, Ilha Solteira, SP. E-mail para correspondência: fpsant03@yahoo.com

Introdução O problema de mecânica estrutural é ainda um desafio para os projetistas. As maiores fontes de tais problemas são os rotores, que por experimentarem cargas cíclicas e serem flexíveis, se tornam verdadeiras “máquinas de vibrar”. Desta forma, o conhecimento do comportamento dinâmico dos rotores é essencial para estudos sobre a dinâmica estrutural, assim como o conhecimento das características relativas ao dimensionamento de mancais, para o melhor adequamento possível às condições do problema. Um eixo é um elemento rotativo ou estacionário normalmente de seção circular, que pode ser submetido a esforços radiais e axiais, atuando de maneira isolada ou combinada. Já uma árvore é um elemento rotativo que pode ser submetido aos mesmos esforços que os eixos, além de um esforço torcional. A árvore tem montado sobre si elementos de transmissão de potência (engrenagens, polias, volantes, etc...), embora o linguajar técnico adote eixo como a nomenclatura de referência tanto para o eixo em si, como também para a árvore. Os métodos de projeto e dimensionamento de eixos e árvores têm por objetivo a adequação da peça quanto às solicitações estáticas, onde são consideradas constantes as tensões ocasionadas pelos momentos fletor e torçor aos quais a peça está submetida, e quanto às solicitações dinâmicas, que por sua vez consideram a ação de tensões alternadas devidas ao momento fletor e tensões constantes causadas pelo momento torçor. Uma vez que a utilização de mancais se divide em duas “frentes” (deslizamento e rolamento), uma análise relativa às características de cada tipo faz-se necessária. Nos mancais de escorregamento, a área de lubrificação relativamente grande amortece as vibrações, os choques e os ruídos, além de apresentar uma menor sensibilidade à poeira. Por outro lado à película de lubrificante só se forma com o movimento de escorregamento, razão pela qual o coeficiente de atrito de partida apresenta valores sensivelmente mais altos. Objetivos O objetivo principal deste trabalho é o desenvolvimento de um programa computacional para análise estática (dimensionamento do eixo e mancais) e dinâmica (cálculo das freqüências) de eixos. Métodos O trabalho foi realizado através do cálculo das tensões de flexão, torção e dimensionamento dos mancais e dos eixos. Determinaram-se também as freqüências naturais do sistema. Para isso, foi desenvolvido um programa computacional com rotinas dedicadas a cada etapa do projeto. Quanto às equações utilizadas para os cálculos do diâmetro do eixo, mancais e análise dinâmica, tem-se: 1/ 3 • Carregamento estático: (1) ⎛ 32.n 2 ⎞ (M + T 2 )1/ 2 ⎟ ⎜ ⎝ π .Se ⎠ 1/3 • Carregamento dinâmico pela teoria de Sines: (2) ⎛ 32 . M . n ⎞ ⎟ ⎜ ⎝ π . Sn ⎠ 1/ 3 • Carregamento dinâmico pela teoria de Soderberg: (3) ⎛ n ⎛ T 2 M 2 ⎞1/ 2 ⎞ ⎜ 32. ⎜ ⎛ ⎞ + ⎛ ⎞ ⎟ ⎟ ⎜ ⎟ ⎜ ⎟ ⎟ ⎟ ⎜ π ⎜ ⎝ Se ⎠ ⎝ Sn ⎠ ⎝ ⎠ ⎠ ⎝ • • Equação das freqüências naturais: Equações gerais relativas a mancais de deslizamento: η =

(β n . L )2
(0 , 2 ). Pn .ψ
ω

E .I M . L4
2

(4)

; Da=1,085.d + 5,5mm (5) e (6)

New York.090 m Espessura do mancal 0. “Elementos de máquinas”.M. carregamento. Isso reduz a necessidade de protótipos. “Rotordynamics production in Engineering”.10 mm Viscosidade do lubrificante à 20o C 549.437 Pa. Shigley).. Rio de Janeiro.040 m Diâmetro externo 0. podendo-se simular computacionalmente qualquer alteração de projeto.883rad/s Especificações relativas aos mancais de deslizamento Mancal A Diâmetro externo da bucha 0.043 m 0. “Elementos orgânicos de máquinas. Brasil.0402 m Folga radial entre a bucha e o eixo 0.J.037 m 0.278 rad/s Freqüência natural do 3o harmônico 1023. Faires.190 m 0. 1984. Rio de Janeiro. Ferraris.471 rad/s Freqüência natural do 2o harmônico 522.090 m 0. material utilizado. .040 m Diâmetro externo 0. Nomenclatura Coeficiente de segurança Limite de escoamento Limite de resistência à fadiga completamente corrigido Momento fletor Momento torçor Comprimento do eixo Módulo de elasticidade Momento de inércia da área transversal do eixo Pressão hidrostática média Folga relativa (por unidade de comprimento) Velocidade angular média de funcionamento do sistema n Se Sn M T L E I Pn ψ ω Resultados Para validação das rotinas desenvolvidas.. onde foram obtidos os seguintes resultados: Tabela 3 – Resultados obtidos Especificações para o eixo Diâmetro referente ao carregamento estático 0.00 N Diâmetro interno 0. como dimensões.S. fez-se a simulação computacional utilizando os dados abaixo: (Joseph E. Livros Técnicos e Científicos Editora S..075 m 0..023 m Conclusões Verifica-se que as rotinas computacionais forneceram resultados bastante interessantes para o dimensionamento e eixos.s Material recomendado para a bucha Ferro sinterizado ou bronze ao estanho Mancal B Diâmetro externo da bucha 0.A.00 N Diâmetro interno 0.s Material recomendado para a bucha Ferro sinterizado ou bronze ao estanho Especificações relativas aos mancais de rolamento Mancal B Mancal A Fixo de esferas Capacidade de carga 11000.00 N 3150..0402 m Folga radial entre a bucha e o eixo 0. Vol 1 e 2.090 m Espessura do mancal 0.023 m Fixo de rolos Capacidade de carga 12700.0265 m Diâmetro referente a carregamento dinâmico 0. 1986. mancais e análise dinâmica dos mesmos.. M. Referências Bibliográficas Lalane.0328 m Freqüência natural do 1o harmônico 189. E. Livros Técnicos e Científicos Editora S. V. A.554 Pa. R.A. 2001 Shigley.160 m 0.. Brasil. U.10 mm Viscosidade do lubrificante à 20o C 157.00 N 3750. etc.Tabela 1 – Nomenclatura. G. John Wiley and Sons 3rd edition. J.