ABDOME (INDICAÇÕES CLÍNICAS

)
• Estadiamento/seguimento de neoplasias. • Avaliação de massas abdominais. • Pancretite. • Diverticulite. • Apendicite. • Obstrução intestinal. • Complicações pós-operatórias. • Urolitíase. • Aneurisma de aorta. • Dor abdominal.

TÉCNICAS DO EXAME
Contraste • Oral. • Retal. • Venoso.

CONTRASTE ORAL (TIPOS)
POSITIVO - iodo - bário NEGATIVO - água - leite integral

CONTRASTE ORAL (OBJETIVOS)
1- Identificar as alças intestinais e diferenciá-las das demais estruturas. 2- Avaliar as alças intestinais (pregueado mucoso e espessura da parede). 3- Avaliar trânsito intestinal e possíveis trajetos fistulosos. IODO- Diluir 05 ml de contraste em 200 ml de água e dar esta solução de 15 em 15 minutos, num total de 04 a 05 copos. BÁRIO- Soluções já prontas, de 700 a 1500 ml, um copo de 200 ml a cada 15 minutos. ÁGUA OU LEITE- um copo de 200 ml a cada 15 minutos até completar 1000 ml.

CONTRASTE ORAL (MODO DE ADMINISTRAR)

CONTRASTE RETAL (OBJETIVOS)
• Identificar o intestino grosso. • Avaliar o intestino grosso (pregueado mucoso e espessura da parede). • Na avaliação de pacientes com suspeita de apendicite aguda que não podem tomar contraste por via oral.

CONTRASTE RETAL (MODO DE ADMINISTRAR)
• Diluir 25 ml de contraste iodado em 1000 ml de soro fisiológico e aplicar por via retal. • Utilizar a gravidade e mudança de decúbito do paciente.

CONTRASTE VENOSO (MODO DE ADMINISTRAR)
• Injeção em “bolus”. • “Dripping”. • Bomba injetora.

TÉCNICA DO EXAME
ESPESSURA DE CORTE
• 5 mm. • 7 mm. • 8 mm. • 10 mm.

INTERVALO DE CORTE
• 5 x 7,5. • 7 x 7. • 8 x 8. • 10 x 10. • No modo helicoidal haverá sempre a possibilidade de retrorecon

AORTA COSTELA VENTRÍCULO DIREITO SEPTO INTERVENTRICULAR V.C.I. VEIA ÁZIGOS PULMÃO CANAL VERTEBRAL COM MEDULA ESPINHAL PROCESSO ESPINHOSO ESTÔMAGO BAÇO VEIA HEMIÁZIGOS COSTELA

FÍGADO

MÚSCULO ERETOR DA ESPINHA

LIGAMENTO FALCIFORME

DIAFRAGMA 2 3

4

5

VEIA PORTA

ARTÉRIA ESPLÊNICA

GLÂNDULA ADRENAL

PARÊNQUIMA RENAL 6 DUODENO

7

VESÍCULA BILIAR

CÓLON

TRANSVERSO
PÂNCREAS

JEJUNO/ ÍLEO

CÓLON

DESCENDENTE

A. MÊS. SUP. V. RENAL

PELVE RENAL

8

9

A. RENAL

V. MES. SUP.

GORDURA

10

URETER

11

M. PSOAS

12

13

14

CÓLON ASCENDENTE

15

CÓLON SIGMÓIDE

16

17

18

19

VEIA ILÍACA COMUM

A. ILÍACA COMUM

20

ÍLEO

21

22

CECO

M. GLÚTEO MÍNIMO SACRO M. GLÚTEO MÉDIO M. GLÚTEO MÁXIMO

23

24

RETO

25

26

CABEÇA DO FÊMUR

BEXIGA

VESÍCULA SEMINAL 27

CORDÃO ESPERMÁTICO CORPO DO PÚBIS CORPO DO PÚBIS

VESÍCULA SEMINAL RAMO DO ÍSQUIO RAMO DO ÍSQUIO

CÓCCIX 28

RAMO SUP. DO PÚBIS CABEÇA DO FÊMUR

CABEÇA DO FÊMUR

GLÂNDULA PROSTÁTICA

ÍSQUIO TROCANTER MAIOR CÓCCIX

ÍSQUIO TROCANTER MAIOR

29

CORPOS CAVERNOSOS DO PÊNIS

PÚBIS BULBO DO PÊNIS COM URETRA

FÊMUR

FÊMUR

ÍSQUIO

ÍSQUIO

30

CORPOS CAVERNOSOS DO PÊNIS

PÚBIS BULBO DO PÊNIS COM URETRA

FÊMUR

FÊMUR

ÍSQUIO

ÍSQUIO

31

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful