Introdução a Ciência da Computação

2

SUMÁRIO
1. ORIGEM EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA COMPUTAÇÃO ........ 4 1.1. 1.2. 1.3. As gerações de computadores .......................................... 5 Evolução dos computadores.............................................. 9 Classificação dos computadores ..................................... 10 1.1.1. História dos computadores – as gerações ................... 6

1.3.1. Quanto à característica de operação ......................... 11 1.3.2. Quanto ao porte (tamanho) ........................................ 11 1.3.3. Quanto à característica de construção ....................... 12 2. HARDWARE E SOFTWARE ................................................. 14 2.1. O que é hardware? .......................................................... 14 2.1.1.1. Memória ............................................................... 15 2.1.1.2. Dispositivos de entrada e saída............................ 20 2.2. O que é software? ........................................................... 21 2.2.1. Software Básico ......................................................... 21 2.2.2. Software Utilitário ....................................................... 22 2.2.3. Software do usuário ................................................... 24 3. SISTEMAS DE REPRESENTAÇÃO ...................................... 25 3.1. Sistema Binário de Numeração ....................................... 25 3.1.1. Conversão do Sistema Binário para o Decimal .......... 26 3.1.2. Conversão de Sistema Decimal em sistema Binário .. 26 3.2. Sistema Octal de Numeração .......................................... 27 3.2.1. Conversão do Sistema Octal para Decimal ................ 27 3.2.2. Conversão do Sistema Octal para Binário.................. 27 3.2.3. Conversão do Sistema Binário para Octal.................. 27 3.2.4. Conversão do Sistema Decimal para o Octal ............. 28 3.3. Sistema Hexadecimal de Numeração .............................. 28 3.3.1. Conversão do Sistema Hexadecimal para o Decimal. 28 3.3.2. Conversão do Sistema Hexadecimal para Binário ..... 29 2.1.1. Funções do processamento das informações ............ 14

3 3.3.3. Conversão de sistema Binário em Hexadecimal ........ 29 3.3.4. Conversão de Decimal para Hexadecimal ................. 29 4. 5. FUNDAMENTOS DA LÓGICA DE FUNCIONAMENTO ........ 30 REDE DE COMPUTADORES ................................................ 34 5.1. 5.2. 5.3. História ............................................................................ 34 Camadas OSI .................................................................. 35 Topologia......................................................................... 39

5.2.1. Descrição das camadas ............................................. 35 5.3.1. Barramento ................................................................ 40 5.3.2. Anel ou ring ................................................................ 40 5.3.3. Estrela ou star ............................................................ 40 5.3.4. Árvore ........................................................................ 41 5.4. Tipos de Redes ............................................................... 41 5.4.1. PANs (Personal Area Network) .................................. 41 5.4.2. LANs (Local Area Network) ........................................ 42 5.4.3. CANs (Campus Area Network) .................................. 42 5.4.4. MANs (Metropolitan Area Network) ............................ 42 5.4.5. WANs (Wide Area Network) ....................................... 43 6. SISTEMAS OPERACIONAIS ................................................. 43 6.1. 6.2. 6.3. 6.4. 6.5. 7. Mono e multiusuário / mono e multitarefa ........................ 43 MS-DOS .......................................................................... 44 MAC OS .......................................................................... 46 LINUX .............................................................................. 47 WINDOWS ...................................................................... 49

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...................................... 49

4
1. ORIGEM EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA COMPUTAÇÃO Existe uma certa confusão quando se trata de alguns termos como informática, computação, processamento de dados etc. Será que este termo está correto? Vejamos algumas definições básicas: Computador é uma máquina com capacidade de armazenar, processar e recuperar adequadamente informações. Computação é uma ciência,

relativamente recente, que estuda o computador (Ciências da Computação), desde sua engenharia até sua lógica. Já Informática é a Ciência que estuda a informação. Não está diretamente relacionada com o computador e existe a muito tempo, antes mesmo de serem inventadas estas máquinas. É certo que os computadores vieram a dar grande auxílio a esta ciência e, hoje, não conseguimos pensar em Informática sem computadores... Mas, o que é informação? Informação é o conjunto lógico de dados. Os dados, por si só, geralmente não nos "dizem" nada... Por exemplo, o conjunto de alturas dos alunos de uma sala pode não ser muito significativo, já a altura média dos alunos desta sala é uma informação. Assim, os dados são processados (processamento de dados), sofrem uma seqüência de cálculos e análises lógicas, para gerar a informação. A história da humanidade já passou por várias fases. Três delas mudaram completamente a estrutura e o modo de vida da sociedade. Por isso,

ganharam o apelido de “ONDAS”, dado por Alvin Tofler. (Alvin Tofler = é autor de A Terceira Onda, O choque do Futuro e outras obras.) A primeira onda foi a Revolução Agropecuária, que há milhares de anos fixou o homem no campo para produzir os bens de que necessitava e, um pouco além, para trocar pelo que não conseguia produzir (escambo). O homem passou a viver em família, e o seu trabalho se voltava para ela. As poucas indústrias eram manufaturas, voltadas para atender a população geograficamente, caracterizando a produção para a prestação de serviços, e não para o consumismo. No final da Idade Média surgiu a segunda onda, sob a forma da Revolução Industrial. Os homens se agruparam em torno das fábricas, formando as

supervisionar. involuía a valorização do eu em prol de projetos de maior produção. desde os valores humanos até o meio ambiente. ou seja: é um conjunto de elementos interligados com a finalidade de atingir um objetivo determinado. o computador é um sistema. idealizadas e dominadas pelo homem. maior consumo. para fazer máquinas e para uma infinidade de atividades. liberando o homem para voltar às origens participando mais da vida do lar e dos seus. . A matéria prima com que o computador trabalha é a informação. se incube destes serviços. auxiliando-o em seu cotidiano. Ou seja o homem não vive mais em função da máquina. tirar conclusões. Através dos computadores o homem já poderia deixar todo trabalho exaustivo de classificar. Pois o computador devido a sua rapidez e exatidão. como todas as máquinas. para comunicar. Existem máquinas para transportar. tarefas que exigem atenção e muito tempo para sua concretização. Quase desapercebida entre tudo isso. mais pensa. para manter a temperatura. cadastrar. rastrear. sendo assim à medida que evoluíam as indústrias. unir outras informações e obter através dele ainda mais dados. e com isto a propaganda.1. passando a maior parte de seu tempo fora do lar. organizar. com a qual poderemos tomar decisões. cria e a máquina produz. maiores vendas. para grampear. O computador também é uma criação do homem. Surgindo a produção para o consumo. contabilizar. O homem estava destruindo seu próprio universo. enfim. As gerações de computadores É inegável que o homem vive cercados de máquinas. ia crescendo a terceira onda: a era da Informação e a ciência que fornecia os métodos de seu tratamento: a INFORMÁTICA. Vindo então a poluição. O homem com sua família vivia em função das fábricas. Fornecemoslhe informações que possuímos para que processe e gere uma nova. para escrever. Todas criadas. pesquisar. solucionar problemas. 1. criar e produzir meios para levar uma vida mais interessante.5 cidades.

Principal exemplo desse período é o UNIVAC I. esquentavam muito. centenas de operações por segundo. dispositivos de entrada/saída primitivos. Os computadores da primeira geração normalmente quebravam após não muitas horas de uso. Esta geração vai até 1959.1. programação em linguagem de máquina. e sua principal característica é sua dinâmica evolutiva. mas seu início é classificado em 1942 e 1951. calculavam com uma velocidade só de milésimos de segundo e eram programados em linguagem de máquina. Considerando que só em 1951 surgiram os primeiros computadores produzidos em escala comercial. operações internas em milissegundos. 1. a quantidade de energia consumida e o calor produzido por 20. quebravam com muita freqüência.000 válvulas de um computador da primeira geração. Não é difícil de imaginar a confiabilidade. o Whirlwind e o IBM 650 como computadores típicos dessa geração. Ela engloba o computador (tanto a parte física quanto a lógica) e os vocábulos próprios. . História dos computadores – as gerações Primeira geração Os computadores de primeira geração são todos os baseados em tecnologias de válvulas eletrônicas.1. A seguir tem-se as principais características dessa geração. pode-se iniciar a primeira geração com o UNIVAC I destacando o EDVAC.6 A ciência que trata da informação chama-se Informática (INFORmação autoMÁTICA). grande consumo de energia. Tinham dispositivos de Entrada/Saída primitivos. • • • • • • • • circuitos eletrônicos a válvulas. produzido em escala comercial (15 unidades foram vendidas) tinha pouco mais que 20m2.

000 sistemas. Esse fato tornou seus antecessores totalmente obsoletos e possibilitou à IBM comercializar bem mais 30. o IBM 360. • • • • • • Operações internas em microssegundos. era mais rápido e mais confiável. Linguagens simbólicas (ASSEMBLY).transistores e outros componentes eletrônicos miniaturizados e montados num único chip -. Eram menores. Os computadores da segunda geração á calculavam em microssegundos . Eram mais rápidos. Um transistor era 100 vezes menor que uma válvula o que permitiu a redução do tamanho dos computadores.000 computadores. com seis modelos básicos e várias opções de expansão que realizava mais de 2 milhões de adições por segundo e cerca de 500 mil multiplicações. eram mais confiáveis e o seu representante clássico foi o IBM 1401 e seu sucessor o IBM 7094. não precisava de tempo para aquecimento. O transistor foi desenvolvido em 1947 no Bell Laboratories e por William Shockley. J.Brattain. . chamada System/360. já totalmente transistorizado. Consumiam pouca energia que os anteriores.7 Segunda Geração Nos equipamentos de segunda geração. Computadores com transistores. Terceira geração A terceira geração começa com a substituição dos transistores pela tecnologia de circuitos integrados . O evento considerado precursor da terceira geração é o anúncio em 7 de abril de 1964 da família criada por Gene Amdahl. a IBM vendeu mais de 10. tecnologia usada entre 1959 e 1965. consumia menos energia. Seu tamanho era 100 vezes menor que o da válvula. Entre os modelos 1401 e 7094. Milhares de operações por segundo. que já calculava em nanosegundos (bilionésimos). Características dessa geração: • circuitos eletrônicos transistorizados. a válvula foi substituída pelo transistor.

Década de 90 operações internas em nanosegundos.000.Início da década de 60 • MSI (Medium Scale of Integration) .000 circuitos . Quantos circuitos eletrônicos podem-se colocar num único chip: • SSI (Small Scale of Integration) . Finalmente. • • • • • muito mais confiáveis (não há peças móveis).Década de 80 • ULSI (Ultra Large Scale of Integration) . muito menores. mas considerando que a miniaturização de fato com os . através de processos mais precisos de miniaturização de componentes).8 A principal característica dessa geração é a utilização de circuitos integrados (miniaturização dos transistores e outros componentes eletrônicos).000 circuitos .Centenas de CIs: Aproximadamente 100 circuitos . Outros consideram que a partir da tecnologia LSI e até mesmo VLSI são o marco para o início da quarta geração de computadores.Dezenas de CIs: Aproximadamente 10 circuitos .Milhões de CIs: Aproximadamente 100.Milhares de CIs: Aproximadamente 1. custo menor.Década de 70 • VLSI (Very Large Scale of Integration) . Quarta geração A quarta geração é localizada a partir do ano de 1970 ou 1971 até 1984 .Final da década de 60 • LSI (Large Scale of Integration) . escala de integração crescente (cada vez mais componentes num mesmo chip. Alguns autores consideram que a terceira geração vai até os dias de hoje. a outra corrente usa o mesmo argumento da anterior.considerando a importância de uma maior escala de integração alcançada pelos CI's de LSI. baixíssimo consumo de energia.Centenas de milhares de CIs: Aproximadamente 10.000 de circuitos .000 circuitos a 1.

definindo a quarta geração de 1975. 1. as válvulas e os transistores dando lugar aos chips. com o advento dos microprocessadores e dos microcomputadores. arquitetura Risc. pois a partir desse ponto começou a tornar-se acessível a qualquer pessoa a compra de um computador de uso pessoal. em 1924. Em 1880. As partes mecânicas iam sendo substituídas por componentes elétricos e. A primeira máquina capaz de efetuar cálculos complexos sem a intermediação humana é o Mark I. LSI (Large Scale of Integration) e VLSI (Very Large Scale of Integration): Microprocessador (levou a criação dos microcomputadores).5. posteriormente. Evolução dos computadores Máquina capaz de realizar várias operações matemáticas em curto espaço de tempo. Na mesma época é . sistemas especialistas e linguagem natural. a International Business Machines (IBM). base dos microcomputadores. computadores com inteligência artificial (sistemas especialistas) e desenvolvimento de linguagens naturais. nos EUA. que surge em 1944 e tem 15 m por 2. mil vezes mais rápido que o Mark I. em 1880. Quinta geração A quinta geração é localizada a partir do ano de1984 até hoje. Este é o principal marco dessa geração o que permitiu que a informática realmente realizasse o seu processo de difusão. Há autores que consideram uma quinta geração de computadores que surge a partir do desenvolvimento de máquinas de processamento paralelo. Dois anos depois.2. de acordo com programas preestabelecidos que atendem a finalidades específicas. OS Computadores estão voltados para a área da inteligência artificial. A partir de 1930 são feitas experiências para substituir as partes mecânicas por elétricas. um grupo conclui o ENIAC (Eletronic Numerical Integrator and Computer). o americano Hermann Hollerith (1860-1929) desenvolve o primeiro computador mecânico e funda a empresa que se tornaria. Passou a utilizar de novas tecnologias como os raios laser e outras técnicas em feixes eletromagnéticos. que permitiram o avanço dos microprocessadores. o objetivo foi desenvolver máquinas cada vez menores e com maior capacidade.9 VLSI's. Desde o surgimento do primeiro computador mecânico. os relés.

Gates se antecipa a uma demanda do mercado por softwares e. avança a miniaturização dos equipamentos eletrônicos. funda a Microsoft. o primeiro modelo de microcomputador. O ícone é um símbolo gráfico que indica um comando e o mouse substitui muitas das funções do teclado. em 1976. em 1975. 386SX. o Apple I. substitui a válvula e propicia a criação dos primeiros modelos de tamanho reduzido e preço mais acessível. a utilizarem o seu sistema. 486DX.0. Pentium e Pentium Pró (lançado em 1955). dispositivo que reúne num mesmo circuito integrado todas as funções do processador central. A invenção do transistor. a IBM lança o PC-XT. No final da década de 50. empregada até hoje: memória. a Intel projeta o microprocessador. A IBM é a primeira a lançar modelos com a nova tecnologia. cada vez mais potentes: 286. a Microsoft lança o Windows. Classificação dos computadores . sistema operacional que utiliza também o ícone e o mouse em PC. Cinco anos depois. Com ele. 1.3. Em 1995 uma nova versão vende 7 milhões de cópias em menos de dois meses após o lançamento. No final dos anos 60. resistores e capacitores construídos sobre uma base de silício (material semicondutor). No ano seguinte. O Windows só alcança a partir de 1990. Bill Gates convence outras companhias. além da IBM. pelos americanos Steven Jobs (1955) e Stephan Wozniak. em 1947. com a versão 3. Primeiro PC . o MS-DOS. é criado em uma garagem. 386DX.10 estabelecida a arquitetura básica de um computador. O primeiro computador pessoal. a Texas Instruments anuncia os resultados de uma pesquisa com circuito integrado. 486SX. a IBM lança o seu PC (Personal Computer) e contrata a Microsoft para desenvolver o sistema operacional. chamado chip. que é lançado em 1984 e revoluciona o mercado promovendo o uso de ícones e do mouse. o que permite que um mesmo programa funcione em micros de diversos fabricantes. unidade central de processamento e dispositivos de entrada e saída de dados. um conjunto de transistores.Em 1974. o programador americano Bill Gates (1955) adapta a linguagem Basic dos computadores de grande porte para o Altair. A arquitetura é copiada em todo o mundo e os micros tipo PC passam a ser conhecidos pelos modelos do microprocessador. Em 1983. O único micro a fazer frente aos PC's é o Macintosh.

representam variáveis por meio de analogias físicas. Os computadores analógicos tem emprego principalmente em laboratórios e para aplicações científicas e tecnológicas. Quanto à característica de operação Analógicos . em números (trabalha com dígitos).3. Especialmente voltados a aplicações comerciais. Muito rápidos. Digitais . cujas unidades usadas para medir a capacidade de cálculo do computador (medida de desempenho . centros militares e de inteligência artificial. O computador analógico "mede".processa a informação representando-a por combinação de dados discretos ou descontínuos. utilizando circuitos equivalentes como analogia ao fenômeno físico. dependendo de suas características eles podem ser divididos em vários grupos: • • • • Quanto à característica de operação Quanto ao porte (tamanho) Quanto à característica de construção Outras classificações 1. Avalia-se o desempenho dos supercomputadores em termos de MIPS (milhões de instruções executadas por segundo). internamente. enquanto os computadores digitais têm emprego mais generalizado. Transforma qualquer informação.11 Existem muitas formas de se classificar os computadores.2. 1. Supercomputadores: Utilização em laboratórios de pesquisa . Quanto ao porte (tamanho) Os computadores podem ser classificados quanto ao seu porte em: Mainframes (ou computadores de grande porte): Manipulam grande quantidade de informações atendendo vários usuários ao mesmo tempo.3.1.performance) são Gigaflops e Teraflops . por meio de quantidades mecânicas ou elétricas. Trata-se de uma classe de computadores que resolve problemas referentes a condições físicas. O computador digital "conta".

IBM (IBM-PC). Teraflops: em termos de rapidez equivale a um computador com capacidade de 1 milhão de PCs trabalhando juntos ao mesmo tempo. Baixo custo 2. 1. provocada pela velocidade do desenvolvimento tecnológico. 1. milhões e bilhões de operações de ponto flutuante por segundo). surgimento dos primeiros microcomputadores em escala comercial. Minicomputadores: Panorama atual da Informática: classe de computadores em extinção (desaparecendo do mercado) em função da diminuição dos preços dos mainframes e o aumento da potência dos supermicros. Gerações Época Primeira 1957-1959 Segunda Terceira 1959-1965 1965-1975 Quarta 1975 Quinta 1990 .12 (respectivamente. Supermicros: Plataforma de ambiente multiusuário e multitarefa (redes). Quanto à característica de construção Quanto à característica de construção os computadores são agrupados em gerações. pode-se ressaltar a tendência ao desuso progressivo dos demais tipos de equipamentos em função do uso generalizado da tecnologia de microinformática. Indústria dos microcomputadores: Aplle (Lisa e Macintosh). Complexidade tecnológica transparente ao usuário: desenvolvimento maciço de ferramentas e programas (crescente capacidade e potencial de aplicações). A mudança de uma geração à outra se dá pela alteração da tecnologia utilizada na construção dos computadores. Frente à capacidade e aplicação dos microcomputadores no mercado atual da informática. marco importante na história da Informática.3. Compaq (micros portáteis). Microcomputadores: Década de 70. Obsolência: vida útil física e principalmente vida útil tecnológica do equipamento. 3. Neste ponto alguns autores discordam quando ao início exato de cada período. total interação com o usuário através da facilidade de operação (softwares amigáveis) e recursos visuais.3.

VLSI CI .1 >1 M > 10 MeG > 100 ou gigaflops (1 bilhão de operações por segundo) .01 32K 0.ULSI 2K 0.13 Exemplos Típicos ENLAC UNIVAC I EDVAC WHIRLWIN D IBM 650 IBM 3090 CRAY IBM 1401 IBM 360 Micros IBM 7094 IBM370 (evolução do CDC6600 DECPDP-8 computador digital) Pentium Tecnologia Básica (Componentes) Memória MIPS Válvula Transistor Circuito Integrado (CI) 128K 1K CI .

Velocidade do Clock (Relógio): Cada CPU produz uma série de pulsos eletrônicos numa taxa predeterminada. acompanha vários estágios do ciclo. desde microssegundos (um milionésimo de segundo) e picossegundos (um trilionésimo de segundo) para os mais rápidos. ou pulsos do “relógio” da CPU. HARDWARE E SOFTWARE 2. parte integrante da máquina. Funções do processamento das informações Tempo de Ciclo de Máquina: Para a execução de uma instrução de máquina. Esta medida. O que é hardware? É o conjunto de toda a parte física do computador. Ou seja. Um ciclo de máquina. seguindo instruções internas predeterminadas conhecidas como microcódigos. O tempo de ciclo de máquina pode ser medido em termos de quantas instruções são executadas num segundo. a mesma . no mínimo.1. Cada instrução de microcódigo leva.14 2. é feita em um ciclo de máquina. O sistema pode ser esquematizado como se segue: ARMAZENAMENTO ENTRADA UNIDADE LÓGICA E ARITMÉTICA SAÍDA UNIDADE DE CONTROLE 2. representa milhões de instruções por segundo.1. que é o tempo no qual um ciclo ocorre é medido em frações de segundos. denominada velocidade de clock. que afeta o tempo de ciclo de máquina. A Unidade de Controle. chamada MIPS.1. a Unidade de Controle executa o microcódigo de acordo com o ciclo eletrônico.

Toda e qualquer informação e/ou instrução do computador deve estar na memória para a realização de uma tarefa. mais rápido cada instrução de microcódigo será executada.1. e é interna ao computador. RAM e ROM. Concluindo: quanto menor o intervalo entre os pulsos. Megahertz (Mhz) milhões de ciclos por segundo Gigahertz (Ghz) bilhões de ciclos por segundo Terahertz (Thz) trilhões de ciclos por segundo 2. Quando a quantidade é muito grande. Já a memória secundária é externa ao computador. Memória É a unidade de armazenamento do sistema computador.024 Kbytes 1. A capacidade de memória é quantificada em bytes (já que nos interessa saber o número de caracteres que podemos guardar).1. utilizamos os múltiplos de byte. Um hertz equivale a um ciclo ou pulso por segundo.024 Mbytes A memória é dividida em duas partes: a principal e a secundária (ou auxiliar) A memória principal é formada por componentes de dois tipos.024 bytes 1. A unidade de medida utilizada para a velocidade de relógio é megahertz. Byte Kilobyte (Kbyte) – Kb Megabytes (Mbyte) – Mb Gigabytes (Gbyte) – Gb 1 unidade 1.1. e é utilizada para guardar dados e programas para posterior reutilização.15 quantidade de tempo entre os pulsos. .

Funciona como se fosse um manual de consultas interno do computador. • SDRAM – RAM Sincrônica Dinâmica = supera a EDO RAM em performance.16 a) Memória Principal RAM: A RAM (Random Access Memory = memória de acesso aleatório) é um tipo de memória volátil. ou seja. mas sim em posições (endereços) não previamente definidas. de acesso seqüencial. fixa. constante. Já vem gravada de fábrica e contém as informações básicas para o funcionamento do computador (por exemplo: o sistema operacional) Ativa os dispositivos necessários para a inicialização das tarefas. pode ser gravada. tem o vantagem de efetuar mais rapidamente a transferência entre o microprocessador e a memória. É a área da memória que se destina as armazenamento do programa e os dados relativos ao processo que está sendo relativos a processo que está sendo realizado no momento. é a nossa área de trabalho. Seu conteúdo é destruído quando o micro é desligado. ou seja. ROM: A ROM (Ready Only Memory´= memória apenas de leitura) é um tipo de circuito de memória. O nome “memória de acesso aleatório” vem do fato de que esta memória não guarda as informações em seqüência. • DRAM – RAM DINÂMICA – os chips de RAM Dinâmica necessitam da aplicação de altas e baixas voltagens em intervalos regulares – a cada dois milisegundos (dois milésimos de segundos) – para que não percam a informação. Tipos de RAM • EDO RAM – Extended Data Out = Principal tipo de RAM mais rápida do que outros tipos de RAM. lida e alterada via programa. .

. a saber: • PROM: Programmable Read-Only-Memory = memória programável apenas para leitura.17 De acordo com o processo de gravação do qual se vale o fabricante. qualquer tipo de ROM é firmware. Todos os dados utilizados freqüentemente no processamento são armazenados na memória cache. DISCOS: Os discos. É uma ROM que pode ser apagada por raios ultravioletas e posteriormente regravada. ao invés de serem armazenados na memória RAM que é mais lenta. existem três tipos de ROM. para leitura somente. através de equipamento especial. também definido por fusão de hardware com software. FIRMWARE é o nome especial que se dá ao componente que vem gravado de fábrica por se tratar de software embutido em hardware. Memória Cache: Memória de alta velocidade. onde o processador consegue acessar mais rapidamente as informações do que as memórias principais. cujo conteúdo pode ser alterado eletricamente. e quando desligamos a máquina ela perde seu conteúdo. ou hardware programado. no caso. • EPROM: Eraseble Programmable Read-Only-Memory = memória programável e apagável apenas para leitura. • EAROM: Electrically Alterable Read-Only-Memory = memória alterável eletricamente. É um tipo de ROM que só pode ser gravada uma vez. a CPU pode acessá-los mais rapidamente do que se estivessem na memória principal. Como existem menos dados na memória cache. como parte da memória auxiliar. precisamos de recursos para armazenar dados e programas fora do computador: a memória auxiliar ou secundária. são unidades que permitem manter as informações intactas fora da memória principal. Trata-se de uma ROM. b) Memória Secundária (Auxiliar) Como sabemos que a memória que está dentro o computador fica ativa durante os processamentos.

não expô-los ao sol ou altas temperaturas. b) Discos Flexíveis: o São mais baratos e simples de usar. A gravação é feita de modo aleatório (sorteado). mas são seguros. 2. o Tem por volta de 1. . o Ficam fixos dentro do computador. e as trilhas. de acordo com os espaços disponíveis. o Para micros chamam-se WINCHESTERs ou HDs. 4. Alguns cuidados especiais para com os discos flexíveis: 1. em setores. a) Discos Rígidos: o Têm muito maior capacidade de armazenamento. o Para grande porte chamam-se DISK-PACKs.44 Mbyte de capacidade. o Custam mais caros. Todos os discos são divididos em trilhas. o São chamados de disquetes. Existem dois tipos principais de discos: rígidos e flexíveis. não engordurá-los. Já a leitura é feita de modo direto. não molhá-los. 5. o disco tem uma trilha só com os endereços das informações. 3. não tocar nas áreas descobertas. o A capacidade mínima é sempre por volta de 10 Mbyte. não expô-los à poeira e a fumaça.18 Os discos são gravados e lidos magneticamente e não pelo mesmo processo dos discos de áudio que são comprados em lojas. e para localizar essas informações.

podendo deixar partes do disco livre para novas gravações futuras. se o computador está lendo os dados do centro do carretel de fita. O disco é somente de leitura. Os dados são lidos diretamente do disco por meio de um dispositivo de leitura ótica. e não podem mais ser modificado seu conteúdo. permitem manter as informações fora o sistema. 9. 7.19 6. somente uma única vez. ou seja. não amassá-los. as fitas cassete e os cartuchos (para micros). não escrever sobres eles (escreva na etiqueta e depois cole-a). toda a fita antes do ponto desejado precisa ser lida e passada seqüencialmente. Sendo esta uma desvantagem da fita magnética. 8. Discos Magnéticos: São revestidos de óxido de ferro. . como um aparelho de disco laser estéreo. CD-ROM: São mídias que gravam informações. Tem acesso seqüencial. Discos Óticos: Equivalem a um disco de plástico. A unidade que lê e grava fitas é comumente chamada de unidade de fita. sendo um meio de acesso direto. podem ser pratos finos de aço (discos rígidos) ou de filme Mylar (disquetes). Os discos representam os bits em pequenas áreas magnetizadas. Em cada um destes casos o risco é da perda das informações e/ou do disquete. Temos três tipos de fitas: as de rolo (para grande porte). da mesma forma que os discos. onde os dados são gravados através de lasers especiais que fisicamente queimam pontos do disco. não empilhá-los. onde as cabeças de leitura e gravação podem ir diretamente ao dado desejado sem ter que ler todo o disco. mas não é possível apagar dados já gravados anteriormente. São revestidas de óxido de ferro. CD-R: São mídias que permitem a gravação de dados. FITAS: As fitas. não guardá-los em locais com objetos eletromagnéticos.

20 CD-RW: São mídias que permitem a gravação e a regravação de dados. Qualquer que seja seu conteúdo ou forma. Os monitores semelhantes a um aparelho de TV exibem estas saídas para o usuário. desde a resolução do problema até a capitalização de uma oportunidade competitiva.1. no formato certo e na hora certa. Estes dispositivos fornecem saída para aos usuários para poderem tomar decisões em todos os níveis de uma organização. Estes equipamentos são destinados à concretização da comunicação entre o usuário e a máquina. podendo deixar partes do disco livre para novas gravações futuras. O reconhecimento de voz também pode ser utilizado em sistemas de segurança das empresas permitindo o acesso a áreas restritas somente de pessoal autorizado. Dispositivos de Saída: São dispositivos que recebem as informações da CPU já processadas.2. por sua vez podem ser classificados da seguinte maneira: Dispositivos de Entrada : São aqueles que enviam informações do meio externo (dados brutos que são lançados para dentro da máquina). Estes dispositivos. que foram projetados para evitar danos às mãos e os pulsos causados por muitas horas de digitação. para a pessoa certa. convertem em informação utilizável pela máquina. 2. Algumas empresas estão desenvolvendo teclados mais confortáveis. textos e comandos básicos. Dispositivos de entrada e saída São todos os dispositivos que estiverem ligados à unidade de processamento.Teclados como da Microsoft. que é um dispositivo de entrada que lê as informações da impressão digital dos dedos da pessoa. apagar dados gravados anteriormente. ajustáveis e mais rápidos de usar. elas registram e armazenam imagens e vídeos na forma digital. Dispositivos de voz que usam microfones e software especiais para registrar e converter o som da voz humana em sinais digitais. para a CPU.1. Mouse e teclado são dispositivos mais comuns para entrar e inserir dados como caracteres. . podendo restringir o acesso a algumas áreas da empresa. As câmeras digitais também são outro tipo de dispositivo de entrada. Existe também a biometria. podendo se desejável. a função desses dispositivos compreende o fornecimento da informação certa. a fim de que sejam mostradas ao usuário. entre outro. bastante parecidas com os modelos convencionais.

compiladores e interpretadores. para imprimir projetos. marcas e preços sendo que as novas tendências de mercado são os monitores de cristas líquido. sendo uma física (circuitos) e uma lógica. o que os torna grandes e volumosos. Exemplos típicos: sistemas operacionais e seus complementos. Os plotters são também um tipo de dispositivo de saída são utilizados para a impressão de projetos de arquitetura.1.21 Existem vários modelos. nas empresas. material orgânico semelhante ao óleo colocado entre dois polarizadores para formar caracteres e imagens gráficas sobre uma tela iluminada por trás. que funcionam através de uma pistola de elétrons. 2.2. utilitários (de apoio) e aplicativos (do usuário). A largura padrão é de 24 e 36 polegadas. engenharia. esquemas e desenhos de construções ou de novos produtos em papel acetato ou transparências. Fazem parte do Software: o programa. Software Básico É o conjunto dos programas básicos que o fabricante do computador ou SoftHouse especializada desenvolve para utilizar toda a sua potencialidade. o compilador.48cm) da tela.2. ou telas de LCD. o sistema operacional. O que é software? Você já percebeu uma coisa: um sistema de computação constitui-se de duas partes. . o interpretador etc. os dados. ditante cerca de 1 pé (30. o assembler. Toda a parte lógica do sistema recebe um nome genérico: SOFTWARE. ou melhor. 2. São telas planas que utilizam cristais líquidos. Existem três tipos de software: básico (do fabricante).

Software Utilitário São programas desenvolvidos por empresas ou profissionais liberais especializados. Editores de Texto: Tem a função de auxiliar na criação/correção de textos. além de se contar com um número considerável de comandos para inserir trechos de outro texto. planilhas eletrônicas. alterações. Dentro do editor. Existe um infinidade de utilitários. repetir operações. • Layout de fichas. com a facilidade de efetuar cálculos por linhas ou pro colunas. gravar para depois reutilizar etc. duplicar. alterar. As planilhas geralmente se apresentam em formato de linhas e colunas. anular linhas inteiras ou qualquer outra operação que facilite o trabalho. • Formatação de páginas. geradores de gráficos. Para localizar ou operar com . ferramentas operacionais e integrados. • Escrituras. • Livros como este com numeração de páginas. Um bom editor de texto permite a elaboração de: • Etiquetas de identificação. “salvar” o texto em disco para utilizar em outra ocasião. com a vantagem de que se pode “correr” pela folha com o cursor e fazer correções.2. bases de dados. vários tipos de letras etc. Planilhas eletrônicas: Tem a função de manipular tabelas numéricas ou não. • Mala direta. imprimir cópias. simuladores. trabalha como se o vídeo fosse uma folha de papel na máquina de escrever. • Correspondências. copiar. permitindo formatar. para auxiliar na execução de tarefas repetitivas e exaustivas.2. sendo as linhas identificadas por letras e as colunas por números. concatenar (ligar em seqüência).22 2. índice. mas podemos agrupá-los em famílias de acordo com a área de atuação: editores de texto.

• Fichários diversos. • Controle de turmas de escolas.. • Controle de conta bancária. Exemplo: para localizar uma dado na linha B coluna dois. • Controle de crediário. • Controle de estoque simples. mas esta denominação é mais correta para as coleções de dados gerenciados pelo dB. São aplicados no gerenciamento de coleções de dados como: • Carteira de cobrança. • Gerenciamento de clientes. digita-se B2 (chamado de célula). alteração. • Controle de frotas. Com uma planilha eletrônica pode-se elaborar: • Fluxo de caixa. Podem ser: . • Cálculos científicos. Podem ser utilizados de forma direta ou programada.23 um dado fornece-se à linha e a coluna onde ele se encontra. • Cálculos contábeis. • Controle de pagamentos. com grandes recursos de localização.. etc. Também são chamados de Banco de Dados. • Controle de materiais. Base de Dados: São gerenciadores de arquivos (coleções de dados). gravação e consulta de dados.

recuperando arquivos destruídos acidentalmente ou não. Relacionais = arquivos que se completam entre si pela chave de acesso (Access – chave primária). Ferramentas operacionais: São utilitários que atuam junto ao sistema operacional. pesquisando ocorrência em arquivos.3. reunidos em um só.2. Não são adaptáveis e geralmente são . reutilizar. recuperando discos e outras tarefas de interesse do operador. Simuladores: São geradores de movimento (animação) ou de som (sintetizador). de engenharia e outros.24 Simples = arquivos completos independentes. que geralmente “conversam” entre si. científicos ou artísticos. imprimir gráficos e desenhos técnicos ou artísticos em seus trabalhos utilizam-se destas ferramentas. Cada programa é aplicado para resolver um problema ou para realizar um determinada tarefa e nada mais. Todos os profissionais que necessitam gerar.2. racionalizando espaços de arquivos. ilustram trabalhos estatísticos. Este tipo de software é utilizado na elaboração de jogos ou no auxílio de tarefas que outros softwares não estão preparados para realizar. São desenvolvidos especialmente para empresas ou particulares que solicitem a um programador ou SoftHouse. Exemplos: LOUTS 1. controlando diretórios e subdiretórios. simuladores de equipamentos ou similares. Software do usuário São programas dedicados para fins específicos. alterar. São programas de alta especialização. Geradores de gráficos: São utilizados para plotar gráficos e elaborar desenhos e diagramas. pesquisando erros em discos. gravar. Integrados: Trata-se de grupos de utilitários.3 = editor de texto + planilhas + banco de dados MICROSOFT OFFICE = editor de texto + planilha + banco de dados + apresentações de slides 2.

Este sistema não o mais simples.25 exclusivos de quem solicitou. quando vejo o número 7. etc. faturamento. controle de estoque. Afinal. 3. marcação de consultas. estamos acostumado a representar as informações numéricas pelo sistema decimal. Por isso. Sistema Binário de Numeração Em informática. trocamos o SIM/NÃO por 1 e 0. automaticamente associo a ele o valor de sete unidades. 3. Devido à casualidade de termos dez dedos para contar.1. devido às particularidades e que atendem. uma informação a ser tratada por um sistema de computação pode ser representada de várias maneiras. uma vez que o modo mais objetivo de transmitir informações é o velho SIM/NÃO. chamado de Sistema Binário. Não importa qual deles eu veja: estarei identificando a empresa. contabilidade. SISTEMAS DE REPRESENTAÇÃO Uma empresa pode ser representada tanto pelo seu nome como pelo seu logotipo ou por um funcionário. Podem ser: folhas de pagamentos. agenda. Da mesma forma. para representarmos uma quantidade neste sistema. DECIMAL 0 1 BINÁRIO 001 010 . devemos utilizar o mesmo princípio de formação do sistema decimal. convenientemente transformado em perguntas. o símbolo computação “7” representa o valor “sete” apenas por conversão. O SIM/NÃO serve sempre que o problema for.

14/2 = 7 resto 0..... 56/2 = 28 resto 0. Conversão do Sistema Binário para o Decimal Utilizamos um número decimal como exemplo: 510 5x100 + 1x10 + 0x1 = 510 centena dezena unidade 5x102 + 1x101 + 0x100 = 510 Podemos notar que cada algarismo possui um valor absoluto e outro relativo. 3.26 2 3 4 5 . e utilizando o conceito de formação de números: 1x20 + 1x21 + 0x22 = 1x1 + 1x2 + 0x4 = 3 Logo 110 na base 2 é igual ao número 3 na base decimal.2.1. A base do sistema binário é o número 2 (dois). 011 100 101 110 . que é o sistema decimal comumente usado. Cada posição corresponde a uma potência de 10. 7/2 = 3 resto 1 5610 = 10002 . Conversão de Sistema Decimal em sistema Binário Como exemplo tomemos o número 5610. que decorre de sua posição.1. Tomemos então como exemplo o número binário 110.1. Então 310=1102 3. 28/2 = 14 resto 0.

7 111 3 011 Esta conversão irá resultar em 1110112 3.3.2.2.5.2. Conversão do Sistema Octal para Decimal Vamos tomar como exemplo.2. Sistema Octal de Numeração O sistema octal de numeração é o sistema no qual existem 8 (oito) algarismos que são: 0.2.1.1. Para transformarmos esse número em octal. vamos separá-lo em grupo de três algarismos a partir da direita. Conversão do Sistema Binário para Octal Vamos utilizar como exemplo o número 1110112. vamos separá-lo a partir da direita indicando abaixo destes os seus valores em binário. Conversão do Sistema Octal para Binário Utilizemos como exemplo o mesmo número acima 7310.27 3.2.6 e 7. DECIMAL 0 OCTAL 0 1 1 2 2 3 3 4 4 5 5 6 6 7 7 8 10 9 11 3.3. .4. e vamos converter o número 1118 para decimal 82 81 80 1 1 1 1x82 + 1x81 + 1x80 = 64+8+1 = 7310 3.

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 A B C D E F .. Conversão do Sistema Hexadecimal para o Decimal Utilizaremos como exemplo o número 3F16 161 3 160 F 3x161 + 15x160 = 6310 . 3. Conversão do Sistema Decimal para o Octal Existem 2 métodos para efetuarmos esta conversão.. DECIMAL HEXADECIMAL 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 .3.1. 3.3.4. Sistema Hexadecimal de Numeração É o sistema que possui 16 algarismos..2. Primeiro Segundo 92 4 2 11 2 3 92 2 1 9210 = 1348 0 46 2 0 23 2 1 11 2 1 5 2 1 2 2 0 1 9210 = 10111002 = 1348 3..28 111 7 011 3 Esta conversão irá resultar no número 738.

e usaremos com exemplo o número acima: 1100000100112 1100 0001 0011 12 1 3 Esta conversão irá resultar em 121310 3.3.4. Conversão de sistema Binário em Hexadecimal Neste caso agrupamos o número binário de quatro em quatro algarismos.3.3.2. Conversão do Sistema Hexadecimal para Binário Peguemos como exemplo o número C1316 C 1 3 1100 0001 0011 Esta conversão irá resultar em C1316 = 1100000100112 3.3. Conversão de Decimal para Hexadecimal Existem duas maneiras de fazer esta conversão: .29 3.

.. a chamada eletrônica . O computador faz. Mas não é isto que acontece. cálculos. se trabalhamos num sistema de cálculo decimal (com dez algarismos). Ora. Este mínimo são os dois estados físicos de energia distintos que os chips trabalham (0 e 5V). o computador trabalha com o mínimo possível de níveis de energia para a codificação de todas as informações. Operações aritméticas e lógicas com números e textos (chamadas "strings"). Um computador com esta característica seria muito caro e complexo. Ao contrário.30 Primeiro Segundo 1000 16 8 62 16 1000 2 0 500 2 0 250 2 0 125 2 14 3 Como 1410 = E 100010 = 3E816 1 62 2 0 31 2 1 15 2 1 7 2 1 3 2 1 1 100010 = 3E816 4. FUNDAMENTOS DA LÓGICA DE FUNCIONAMENTO A base do funcionamento de um computador PC está na chamada eletrônica e lógica digital. na realidade. seria muito lógico imaginarmos que um computador tem de ser capaz de identificar 10 níveis diferentes de energia para codificar cada um dos 10 algarismos.

numéricos. diferenciando-as em maiúsculas e minúsculas. Embora o EBCDIC não seja freqüente na . um bit só pode assumir um dos dois estados lógicos já citados. Quantos? Chegou-se a um número de 8 bits como sendo o suficiente. que um bit 0 está desligado e um bit 1 está ligado. De importante para nós temos os códigos EBCDIC (Extend Binary Coded Decimal Interchange Code) e ASCII (American Standart Code for Information Interchange). Dizemos. que convencionamos chamar de 0 e 1. vamos utilizar um conjunto de bits. e ainda alguns caracteres especiais. e utiliza os 8 bits para a definição de 256 caracteres. todas as letras do alfabeto. Como cada byte representa um caracter. posso representar 256 caracteres diferentes (o suficiente para representar os 10 algarismos. ou 1. Para representar um algarismo. trabalha. Em computadores fazemos uso da chamada aritmética digital ou binária e da lógica digital. armazena. um caractere dentro do computador. O byte é a palavra do computador. que é a menor unidade de informação que pode ser representada pelo computador. de pontuação e de controle de transmissão. o conceito de BIT. também por convenção. ou 0. É através do byte que o computador se comunica. e não apenas um. Associados a estes estados físicos distintos temos dois estados lógicos distintos. O código EBCDIC é um esquema de codificação desenvolvido pela IBM para ser usado em seus computadores como um método de padronização de associação de valores binários e caracteres alfabéticos. binária ou Booleana. processa. Mas para podermos fazer esta representação eu preciso de uma tabela onde eu relaciono cada byte diferente com um caracter e todos os computadores precisam usar a mesma "tabela de conversão" para poderem se entender. Quantos bytes diferentes existem? Quantos conjuntos diferentes posso fazer com 8 bits? Simples. Temos assim. 256 (que é 28). uma letra. É análogo ao ASCII. Ou seja. A este conjunto de 8 bits deu-se o nome de BYTE. Mas como vamos conseguir representar todos os dez algarismos do nosso sistema decimal e ainda letras e outros caracteres com apenas dois estados lógicos de um bit? Simplesmente agrupando-se estes bits. Estas tabelas já existem e são chamadas de códigos.31 digital ou binária. calcula etc.

aos dígitos 0 a 9. O código ASCII é o conjunto de caracteres do código padrão americano para o intercâmbio de informação. enquanto o conjunto de caracteres ASCII standard é um padrão universal para os equipamentos e programas.32 microinformática. fazemos uso dos múltiplos do byte. ele é bastante conhecido e utilizado em todo o mundo como o padrão da IBM para computadores de grande porte e minicomputadores. os caracteres estendidos só poderão ser interpretados corretamente por programas projetados especialmente para fazê-lo. Mas lembre-se que estamos no campo da aritmética digital. muito pequeno. O ASCII Estendido utiliza 8 bits para cada código. Por isso utilizamos com muita freqüência o byte para quantificarmos características do computador. e às letras maiúsculas e minúsculas do alfabeto romano. e. Os 32 primeiros valores ficam reservados para códigos de controle de comunicação e da impressora. O ASCII Standard (básico) utiliza 7 bits (ou 0 + 7 bits para formar um byte) gerando 128 códigos de caracteres numerados de 0 a 127. 1. por isso mesmo. Os 96 códigos restantes estão associados aos sinais de pontuação convencionais. capacidade de disco etc. que consiste dos caracteres disponíveis num teclado padrão de 128 caracteres e incluindo códigos de controle não imprimíveis como retorno da cabeça de impressão e quebras de página. Portanto. São 256 códigos divididos em dois conjuntos: o standard (básico) e o estendido. . Ficam associados a conjuntos de caracteres que podem variar conforme o fabricante do computador e a software house. com 128 códigos cada. como memória. na realidade. proporcionando 128 códigos numerados de 128 a 255.024 bytes (210). Como o byte é a unidade. onde mil vezes um byte são.

quando em operação. São os chamados programas e aplicativos. O firmware é o meio termo.103 do byte (ou 1024 bytes) Megabyte – MB . Funcionamento do Computador Um computador.33 Múltiplos do Byte: Kilobyte .KB . na realidade.106 do byte (ou 1024 KB) Gigabyte – GB – 109 do byte (ou 1024 MB) Terabyte – TB – 1012 do byte (ou 1024 GB) Petabyte – PB – 1015 do byte (ou 1024 TB) De maneira análoga podemos também podemos fazer uso dos múltiplos do bit (quilobit. lembra muito a estrutura de fases de um processamento de dados: Um computador.. é um sistema composto por três partes: Hardware + Software + Firmware. quase que inseparáveis. É a parte tangível. Veremos mais adiante detalhes de vários softwares. . megabit. unidade mais utilizada em transferência de dados. O software é a parte lógica do sistema.. terabit e petabit). É um conjunto de software gravado em um hardware. É a máquina propriamente dito. O hardware é a parte física do sistema. gigabit.

REDE DE COMPUTADORES Uma Rede de computadores consiste de dois ou mais equipamentos computacionais que podem ser ligados entre si de forma a compartilhar dados ou recursos computacionais. Em 1964. o telégrafo. No mesmo ano. História Antes do advento das redes de computadores baseadas em algum tipo de sistema de telecomunicação. pombo-correio. e também comunicar-se entre si. Com o surgimento dos computadores. Naturalmente. estas formas de comunicação utilizaram diversos mecanismos e ferramentas conforme a evolução humana e a sociedade que a utilizava. Conectar sistemas de saída como teletipos a computadores era interesse na Advanced Research Projects Agency (ARPA) quando. Daí surge o conceito de Rede de Computador. pesquisadores de Dartmouth desenvolveram o Sistema de Compartilhamento de Tempo de Dartmouth para usuários distribuídos de grandes sistemas de computadores.34 5. R. J. Esta idéia de compartilhamento é uma herança direta das telecomunicações. Em setembro de 1940. 5. Como exemplo de formas primitivas de rede podemos mencionar os sinais de fumaça. C.1. George Stibitz usou uma máquina de teletipo para enviar instruções para um conjunto de problemas a partir de seu Model K na Faculdade de Dartmouth em Nova Hampshire para a sua Calculadora de Números Complexos em Nova Iorque e recebeu os resultados de volta pelo mesmo meio. surgiu a necessidade de interligação entre duas ou mais máquinas que pudessem acessar e manipular uma mesma base de dados. Licklider foi contratado e desenvolveu um grupo de trabalho o qual ele chamou de a “Rede Intergaláctica”. no MIT. um precursor da Arpanet. as redes telefônicas e de distribuição. um grupo de . em 1962. que por sua vez surgiu da necessidade do ser humano comunicar-se de forma fidedigna e eficiente por grandes distâncias. a comunicação entre máquinas calculadoras e computadores antigos era realizada por usuários humanos através do carregamento de instruções entre eles.

de maneira independente. Em 1969.35 pesquisa apoiado pela General Electric e Bell Labs usou um computador (DEC’s PDP-8) para rotear e gerenciar conexões telefônicas.1. Leonard Kleinrock. SRI (em Stanford). a Universidade da Califórnia em Santa Bárbara e a Universidade de Utah foram conectadas com o início da rede ARPANet usando circuitos de 50 kbits/s. a Universidade da Califórnia em Los Angeles. portanto. Ela contém os equipamentos de cabeamento ou outros canais de comunicação que se comunicam diretamente com o controlador da interface de rede. 5. . a Organização Internacional de Padronização (ISO . para esconder a complexidade e transparecer as operações para o usuário. denominado OSI (Open Systems Interconnection). Camadas OSI Para facilitar o processo de padronização e obter interconectividade entre máquinas de diferentes sistemas operativos. no início dos anos 80. Descrição das camadas Este modelo é dividido em camadas hierárquicas. Camada física: A camada física define as características técnicas dos dispositivos elétricos (físicos) do sistema.International Organization for Standardization) aprovou. Paul Baran e Donald Davies.2. conforme a unidade de transmissão) através de um meio de transmissão. média ou longa distância. em permitir uma comunicação bastante simples e confiável. na maioria dos casos com controle de erros básico: • Move bits (ou bytes. Preocupa-se. seja de curta.2. ou seja. 5. conceituaram e desenvolveram sistemas de redes os quais usavam datagramas ou pacotes. cada camada usa as funções da própria camada ou da camada anterior. Durante a década de 1960. Esse modelo serve de base para qualquer tipo de rede. um modelo de referência para permitir a comunicação entre máquinas heterogêneas. seja ele um programa ou uma outra camada. que podiam ser usados em uma rede de comutação de pacotes entre sistemas de computadores.

e outras não IEEE 802 como a FDDI. corrige erros que possam acontecer no nível físico. É responsável pela transmissão e recepção (delimitação) de quadros e pelo controle de fluxo. que fornece uma interface para camada superior (rede). convertendo endereços lógicos em endereços físicos. Em redes do padrão IEEE 802. LAPB (do X. opcionalmente. com isso. que acessa diretamente o meio físico e controla a transmissão de dados. Ela também estabelece um protocolo de comunicação entre sistemas diretamente conectados. e controle de acesso ao meio físico (MAC). Esta camada detecta e. Confirmação e retransmissão de quadros.36 • Define as características elétricas e mecânicas do meio. Controle da quantidade e velocidade de transmissão de informações na rede. taxa de transferência dos bits. tensões etc. esta camada é dividida em outras duas camadas: Controle de ligação lógica (LLC). Camada de ligação de dados: A camada de ligação de dados.NetBios. baseada em fatores como condições de tráfego da rede e prioridades. há mais de um caminho para um pacote de dados trafegar da origem ao destino. • • • Controle de acesso ao meio. também conhecida é como camada de enlace ou link de dados. Camada de rede: A camada de Rede é responsável pelo endereçamento dos pacotes. Essa camada também determina a rota que os pacotes irão seguir para atingir o destino.25). que deve ser único na rede. de forma que os pacotes consigam chegar corretamente ao destino. Na rede ethernet cada placa de rede possui um endereço físico. Exemplo de protocolos nesta camada: PPP. Essa camada é usada quando a rede possui mais de um segmento e. Também está inserida no modelo TCP/IP (apesar do TCP/IP não ser baseado nas especificações do modelo OSI). .

A camada 4. Na realidade. ordenação dos pacotes e a correção de erros. tipicamente enviando para o transmissor uma informação de recebimento. faz a ligação entre esses dois grupos e determina a classe de serviço necessária como orientada a conexão e com controle de erro e serviço de confirmação. controle de congestionamento e sequenciamento de pacotes são funções desta camada. Estas primitivas são transportadas pelas TPDU. confiável e de baixo custo. interconexão de redes. uma entidade de transporte poderia estar simultaneamente associada a vários TSA e NSAP. • Define como dispositivos de rede descobrem uns aos outros e como os pacotes são roteados até seu destino final. Transporte. No receptor. remontar o dado original e assim enviá-lo à camada de Sessão. Isso inclui controle de fluxo.37 Encaminhamento. O objetivo final da camada de transporte é proporcionar serviço eficiente. fragmentação de pacotes. • Movimenta pacotes a partir de sua fonte original até seu destino através de um ou mais enlaces. A entidade de transporte comunica-se com seus usuários através de primitivas de serviço trocadas em um ou mais TSAP. endereçamento. A camada de Transporte separa as camadas de nível de aplicação (camadas 5 a 7) das camadas de nível físico (camadas de 1 a 3). O hardware e/ou software dentro da camada de transporte e que faz o serviço é denominado entidade de transporte. que são definidas de acordo com o tipo de serviço prestado: orientado ou não à conexão. associada a vários TSAP e a um NSAP e no caso de splitting. Camada de transporte: A camada de transporte é responsável por pegar os dados enviados pela camada de Sessão e dividi-los em pacotes que serão transmitidos para a camada de Rede. a camada de Transporte é responsável por pegar os pacotes recebidos da camada de Rede. tratamento de erros. sem conexões e nem confiabilidade. No caso de multiplexação. informando que o pacote foi recebido com sucesso. . associada a um TSAP e a vários NSAP.

A resposta é sutil. Como exemplo de protocolo orientado à conexão. temos o UDP. Constatado os fatos acima.38 A ISO define o protocolo de transporte para operar em dois modos: • • Orientado a conexão. os computadores reiniciam a transmissão dos dados a partir da última marcação recebida pelo computador receptor. Se porventura a rede falhar. o protocolo de transporte não orientado à conexão pode ser utilizado. e de protocolo não orientado à conexão. surge a seguinte questão: "Por que termos duas camadas e não uma apenas?". onde o serviço da camada de rede e das outras camadas inferiores é bastante confiável . Nesta sessão. Camada de sessão: A camada de Sessão permite que duas aplicações em computadores diferentes estabeleçam uma sessão de comunicação.entre outras coisas mais. o serviço de transporte sem conexões também é muito semelhante ao serviço de rede sem conexões. a entrega das TPDU. mas procede: A camada de rede é parte da sub-rede de comunicaçoes e é executada pela concessionária que fornece o serviço (pelo menos para as WAN). O endereçamento e controle de fluxo também são semelhantes em ambas as camadas. Entretanto. a camada de transporte assume as responsabilidades. • Disponibiliza serviços como pontos de controle periódicos a partir dos quais a comunicação pode ser restabelecida em caso de pane na rede. também chamada camada de Tradução. melhorando a qualidade do serviço. Ele não garante . temos o TCP. converte o formato do dado recebido pela camada de . essas aplicações definem como será feita a transmissão de dados e coloca marcações nos dados que estão sendo transmitidos. É obvio que o protocolo de transporte não orientado à conexão é menos confiável. nem tão pouco a ordenação das mesmas. Para completar. Quando a camada de rede não fornece um serviço confiável. sem o overhead inerente a uma operação orientada à conexão. Não-Orientado a conexão. O serviço de transporte baseado em conexões é semelhante ao serviço de rede baseado em conexões. Camada de apresentação: A camada de Apresentação.como em redes locais.

ao solicitar a recepção de e-mails através do aplicativo de e-mail.Há várias formas nas quais se pode organizar a interligação entre cada um dos nós (computadores) da rede. este entrará em contato com a camada de Aplicação do protocolo de rede efetuando tal solicitação. pode-se usar algum esquema de criptografia neste nível. A compressão de dados pega os dados recebidos da camada sete e os comprime (como se fosse um compactador comumente encontrado em PCs.A topologia física é a verdadeira aparência ou layout da rede. Por exemplo. como compressão de dados e criptografia. por exemplo.39 Aplicação em um formato comum a ser usado na transmissão desse dado. Camada de aplicação: A camada de aplicação faz a interface entre o protocolo de comunicação e o aplicativo que pediu ou receberá a informação através da rede. um formato entendido pelo protocolo usado. A transmissão dos dados torna-se mais rápida. . e também como os dispositivos estão conectados a ele. como o Zip ou o Arj) e a camada 6 do dispositivo receptor fica responsável por descompactar esses dados. Um exemplo comum é a conversão do padrão de caracteres (código de página) quando. o dispositivo transmissor usa um padrão diferente do ASCII.3. Para aumentar a segurança. ou seja. Tudo nesta camada é direcionada aos aplicativos. por exemplo. já que haverá menos dados a serem transmitidos: os dados recebidos da camada 7 foram "encolhidos" e enviados à camada 5. Pode ter outros usos. sendo que os dados só serão decodificados na camada 6 do dispositivo receptor. 5. Topologia A topologia de uma rede descreve fisicamente e logicamente como é o layout do meio através do qual há o tráfego de informações. enquanto que a lógica descreve o fluxo dos dados através da rede. Telnet e FTP são exemplos de aplicativos de rede que existem inteiramente na camada de aplicação.

3. portanto.3. a estação inicia sua transmissão. Todos os nós são conectados diretamente na barra de transporte.2. que são as mais comuns hoje em dia. O hub se encarrega de .Os sinais sofrem menos distorção e atenuação no enlace entre as estações. . quando uma estação conectada no barramento reconhece o endereço de uma mensagem. Tem como característica típica. a possibilidade de todas as estações escutarem o meio de transmissão simultaneamente. .A cada estação inserida.1. O princípio de funcionamento é bem simples: se uma estação deseja transmitir. Cada no -computador.Dados circulam de forma unidirecional. Estrela ou star As redes em estrela.40 5. 5. . até ser retirada pela estação destino ou pela estação fonte. .3. Uma mensagem enviada por uma estação passa por outras estações. esta a aceita imediatamente.atende por um endereço na barra de transporte (normalmente cabos coaxiais).3.O problema esta no fato de que se há um ponto danificado no barramento.toda a rede e prejudicada.Há um atraso de um ou mais bits em cada estação para processamento de dados. formando um circuito fechado (anel).É possível usar anéis múltiplos para aumentar a confiabilidade e o desempenho! 5. Características: .se apenas aquela estação desejava transmitir. Os dados são transmitidos unidirecionalmente de nó em nó até atingir o seu destino.se estiver desocupado. através das retransmissões. caso contrário. . utilizam cabos de par trançado e um hub como ponto central da rede. . . ela verifica se o meio está ocupado. Barramento Na topologia em barra (barramento) pode ser empregada a comunicação com caminhos bidirecionais. Anel ou ring Na topologia em anel os dispositivos são conectados em série. a transmissão ocorre sem problemas. sendo que o sinal gerado por uma estação propaga-se ao longo da barra em todas as direções. há um aumento de retardo na rede. pois há um repetidor em cada estação. a despreza.Há uma queda na confiabilidade para um grande número de estações.

Como exemplo podemos imaginar um computador portátil conectando-se a um outro e este a uma impressora. Em geral. A menos que estes caminhos estejam perfeitamente casados.41 retransmitir todos os dados para todas as estações.1. por estes motivos. Em inglês é usado também o termo Star Bus. os sinais terão velocidades de propagação diferentes e reflectirão os sinais de diferente maneiras. redes em árvore. apenas o PC ligado ao componente defeituoso ficará fora da rede. já que a topologia mistura características das topologias de estrela e barramento. Geralmente existe uma barra central onde outros ramos menores se conectam. uma das portas do hub ou uma das placas de rede estiver com problemas. mas com a vantagem de tornar mais fácil a localização dos problemas. Em redes maiores é utilizada a topologia de árvore. onde temos vários hubs interligados entre si por switches ou roteadores. ou estrela em barramento. Estes dispositivos podem ser pertencentes ao usuário ou não. já que os hubs costumam ter apenas 8 ou 16 portas. Cuidados adicionais devem ser tomados nas redes em árvores. Tipos de Redes As redes também podem ser definidas de acordo com a extensão do alcance de sua comunicação. vão trabalhar com taxa de transmissão menores do que as redes em barra comum. Claro que esta topologia se aplica apenas a pequenas redes. formadas por nós (dispositivos conectados à rede) muito próximos ao usuário (geralmente em metros).4. Tecnologicamente é o .3. 5. Esta ligação é realizada através de derivadores e as conexões das estações realizadas do mesmo modo que no sistema de barra padrão. pois cada ramificação significa que o sinal deverá se propagar por dois caminhos diferentes. Árvore A topologia em árvore é essencialmente uma série de barras interconectadas. já que se um dos cabos. PANs (Personal Area Network) Personal Area Network ou Rede de Área Pessoal é uma rede de computadores pessoais.4. 5.4. 5.

escritório. A televisão a cabo não é a única MAN. como em campus universitários ou complexos industriais. Deve também usar links (ligações) típicos de LANs (Local Area Networks) ou perde-se seu caráter de CAN para tornar-se uma MAN ou WAN.3.2. as operadoras de redes de TV a cabo. LANs (Local Area Network) LANs (acrônimo de Local Area Network. que foi padronizada como IEEE 802. diferindo-se desta apenas pela pouca possibilidade de crescimento e pela utilização doméstica. elas poderiam oferecer serviços da Internet de mão dupla em partes não utilizadas do espectro.42 mesmo que uma LAN.16. 5.4. com algumas mudanças no sistema. Tais redes são denominadas locais por cobrirem apenas uma área limitada (10 Km no máximo. visto que. 5. maior a taxa de erros que ocorrerão devido à degradação do sinal. fisicamente.4.4. 5. quanto maior a distância de um nó da rede ao outro. periféricos e outros dispositivos que possuam capacidade de processamento em uma casa. "rede de área local" ) são redes utilizadas na interconexão de equipamentos processadores com a finalidade de troca de dados. escola e edifícios próximos. quando passam a ser denominadas WANs ). . As LANs são utilizadas para conectar estações. MANs (Metropolitan Area Network) Uma Metropolitan Area Network ou Rede de Área Metropolitana é uma rede de comunicação que abrange uma cidade. A partir do momento que a internet atraiu uma audiência de massa.4. dependendo de quem seja o dono do link usado. servidores. Os desenvolvimentos mais recentes para acesso à internet de alta velocidade sem fio resultaram em outra MAN. começaram a perceber que. O exemplo mais conhecido de uma MAN é a rede de televisão a cabo disponível em muitas cidades. CANs (Campus Area Network) A CAN (Campus Area Network) é uma rede que usa ligações entre computadores localizados em áreas de edifícios ou prédios diferentes.

mas pode não ser completada. sendo uma. As Wans tornaram-se necessárias devido ao crescimento das empresas. SISTEMAS OPERACIONAIS 6. Exige técnicas de multiprogramação. através de uma linha telefónica de baixa velocidade. Difere. pois era necessária uma forma de passar informação de uma empresa para outra de forma rapida e eficiente.1. Monotarefa (Monoprogramado) – executa um programa por vez. as redes geograficamente distribuídas contém conjuntos de servidores. que conectam redes dentro de uma vasta área geográfica. A CPU. Somente um programa na memória. A maior WAN que existe é a Internet. onde as Lan's não eram mais suficientes para atender a demanda de informações. um TX-2 em Massachussets a um Q-32 na Califórnia. com freqüência um país ou continente. só pode atender um usuário por vez. As tarefas são executadas em ordem de chegada.5. criando a primeira rede de área alargada (WAN). A CPU só é liberada ao término do programa. é uma rede de computadores que abrange uma grande área geográfica. Multitarefa (Multiprogramado) – mais de um programa na memória em execução. Em geral. A história da WAN começa em 1965 quando Lawrence Roberts e Thomas Merril ligaram dois computadores. Cada programa é . permitindo comunicação a grande distância. Essas sub-redes têm a função de transportar os dados entre os computadores ou dispositivos de rede. Mono e multiusuário / mono e multitarefa Monousuário – um usuário por CPU Multiusuário – mais de um usuário por CPU. 6. das LAN e das MAN.4.43 5. Ai surgiram as wans. das PAN. que formam sub-redes. assim. também conhecida como Rede geograficamente distribuída. Rede de área alargada ou Rede de longa distância. WANs (Wide Area Network) A Wide Area Network (WAN).

QDOS. A empresa Digital Research produziu um sistema compatível. e a vários outros fabricantes de hardware. e seu antecessor. sendo uma variação do CP/M-80 da Digital Research. Também não rodava nas CPUs 8080 (ou compatíveis) exigidas pelo CP/M-80. PCMOS. MS-DOS O DOS (sigla para Disk Operating System ou sistema operacional em disco) foi originalmente desenvolvido por Tim Paterson daSeattle Computer Products sob o nome de QDOS (Quick and Dirty Operating System. Os dados e programas em "espera" ficam armazenados na memória.x" e Win 95 Multiusuário-Monotarefa – sistema de terminais dedicados (cadastro) Multiusuário-Multitarefa – UNIX. VIRTUOS 6. fez algumas modificações e licenciou-o posteriormente à IBM (vendido como PC-DOS) para seu novo 'PC' usando a CPU 8088 (que internamente era idêntica à 8086). conhecido como "DR-DOS". que em português significa Sistema operacional rápido e sujo). A parte do Sistema Operacional que cuida das várias tarefas a serem executadas chama-se Escalonador de Processos ou Escalonador de Tarefas. A Microsoft licenciou-o da SCP. O QDOS era apenas um produto interno criado para testar uma nova placa com UCP 8086. Este se tornou o "OpenDOS" durante certo tempo. após a venda de . Monousuário-Monotarefa – DOS Monousuário-Multitarefa – "Win 3. foram baseados no CP/M (Control Program / (for) Microcomputers — Programa de Controle para Microcomputadores) — que era o sistema operacional de disco dominante entre os microcomputadores baseados nos processadores de 8 bits Intel 8080 e Zilog Z80.44 executado dentro de sua fatia de tempo (time sharing – tempo compartilhado). MS-DOS (e o IBM PC-DOS que foi licenciado desde então). Fica a sensação de que os dois programas estão sendo executados ao simultaneamente. vendido então como MS-DOS.2. que foi tomado pela Novell (depois de ter comprado a Digital Research).

atual SCO. md pasta chdir . DR-DOS e. em que se está posicionado. Hoje em dia temos inclusive diversos emuladores como o DOSBox que nos permitem rodar os antigos programas feitos para o DOS identicamente em qualquer máquina como antigamente. echo "conteudo" help . as iniciais MS). As principais extensões de arquivos são: .Edita ou exibe a hora do computador.45 uma divisão importante da Novell feita a Caldera International. Importante: Os comandos sempre são executados após o pressionamento da tecla ENTER. ou seja interface gráficas. mas não foi esquecido.Cria um diretório (pasta) novo. da Microsoft (por isso. Mais tarde. FreeDOS.Muda de diretório (pasta). a divisão da Caldera se separou. que por sua vez vendou o DR-DOS a recém-criada Device Logics.Limpa o conteúdo da tela.Exibe um conteúdo texto na tela. Com o aparecimento das GUIs desenvolvidas primariamente porDouglas C. A mais conhecida e popular é o MS-DOS.com. seu aspecto indica a letra da unidade de disco e o caminho corrente (diretório atual). tornando-se a Lineo (posteriormente rebatizada como Embedix). o MS-DOS ficou em segundo plano.Edita ou exibe a data do computador. atualmente DRDOS. Engelbart. Inc. time . O DOS possui nativamente uma interface de linha de comandos através do seu interpretador de comandos. Outros sistemas são os PC-DOS. e se não alterado.Exibe a lista de arquivos (com informações como tamanho. Os principais comandos do DOS são: dir . Ex. cd pasta cls . onde apenas a unidade de disco era exibida.Entra em determinada pasta. echo . Também existe uma alternativa livre chamada "FreeDOS". mais recentemente.Exibe a relação completa dos comandos.Cria uma nova pasta. Em versões anteriores. rd . md . o prompt de comando era representado apenas por A>. como por exemplo o Microsoft Windows 1. date . data. EX. porém não existe apenas uma versão do DOS. Ex. mkdir .Exclui determinada pasta.0 e o Common Desktop Environment(CDE). command. hora). C:\> é o prompt de comando oficial do MS-DOS. cd .

De início as pastas eram criadas renomeando-se uma "Pasta Vazia" que estava sempre na raiz do disco. podendo conter códigos tanto para 16.3. da versão 7. O lançamento do Mac OS X foi um marco para o sistema operacional.Arquivos executáveis (pequenos e rápidos).bat . . pastas e uma lixeira. . um pós o outro e seu uso é bem amplo e funcional). MAC OS O Macintosh Operating System (Mac OS) é a denominação do sistema operacional padrão dos computadores Macintoshproduzidos pela Apple. . System 7). era apenas chamado System (ex. . EDIT). 32 ou 64Bits).0 o sistema foi modificado.6 em diante passou a ser chamado Mac OS.Arquivos de lote (normalmente possuem uma sequencia de comandos que são executados em Lote. Na sua décima versão.exe . A versão atual denomina-se Mac OS X. Também foi pioneiro na disseminação do conceito de Desktop. 6. pastas e documentos.txt . A primeira versão foi lançada em 1984.6. com uma Mesa de Trabalho com ícones de documentos. inclusive o núcleo que passou a ser baseado no do Unix BSD. Foi o primeiro sistema gráfico amplamente usado em computadores a usar ícones para representar os itens do computador. com a inclusão do comando "Nova Pasta" no menu Arquivo do Finder. como programas.: System 4.com .Arquivos executáveis (padrão. o sistema foi remodelado como um todo.Arquivos de texto (normalmente texto puro. Até antes da versão 7.46 . em analogia ao ambiente de escritório. A partir do System 2. legível pelo editor oficial do DOS.

o sistema Linux passou a ter a colaboração de grandes empresas. LINUX Linux é o termo geralmente usado para designar qualquer sistema operativo (português europeu) ou sistema operacional (português brasileiro) que utilize o núcleo Linux. Hewlett- Packard (HP). Foi desenvolvido pelo finlandês Linus Torvalds. Logo que Linus Torvalds passou a disponibilizar o Linux. encontrando-se cada vez mais presente nos computadores de uso pessoal atuais. e ela já era capaz de rodar o bash e o gcc.[1] Apoiado por pacotes igualmente estáveis e cada vez mais versáteis de aplicativos para escritório (LibreOffice. estudar. Oracle. inspirado no sistema Minix.47 6. Novell. havia extensos trechos em assembly. como a IBM. Há muito entretanto destaca-se como o sistema operacional preferido em servidores de grandes porte. O seu código fonte está disponível sob licença GPL para qualquer pessoa que utilizar. o Tianhe-I. o núcleo linux. o Linux tenha carregado consigo a etiqueta de sistema operativo apenas para técnicos. tem gradualmente caido no domínio popular. tela. Talvez por isso.4. BrOffice. do Manchester Computer . por exemplo) ou de uso geral. modificar e distribuir de acordo com os termos da licença. o sistema de arquivos adotava o mesmo layout do Minix (embora não houvesse código do Minix no Linux).01. Sun Microsystems. Red Hat. Foi neste ambiente que surgiu a MCC Interim Linux. O próprio usuário deveria procurar os programas que dessem funcionalidade ao seu sistema. por programas para micro e pequenas empresas gratuitos(projeto GNU) mas que em nada ficam a dever aos seus concorrentes comercializados. compilá-los e configurá-los. Google. Inicialmente desenvolvido e utilizado por grupos de entusiastas em computadores pessoais. teclado e portas seriais. chinês. já havia suporte ao disco rígido. encontrando-se quase sempre presente nos "mainframes" de grandes empresas comerciais [2] e até mesmo no computador mais rápido do mundo. conhecido por sua estabilidade e robustez. ou seja na sua versão 0. e interfaces gráficas cada vez mais amigáveis como o KDE e o GNOME. Mandrivae a Canonical.

Foi uma primeira tentativa de facilitar a instalação do Linux. O núcleo de um sistema operativo define entre várias operações. o gerenciamento da memória. não obstante diversas pessoas e instituições tiveram a mesma idéia e assim várias distribuições começaram a surgir baseadas no núcleo desenvolvido inicialmente por Linus. o GNU Hurd. mas não necessariamente. Stallman acabou adotando o núcleo Linux como base para distribuir os programas do projeto GNU . tocadores de som. de processos.Org para oferecer a funcionalidade do sistemas de janelas X — interface gráfica. vários aplicativos já vinham sendo reunidos pelo Projeto GNU da Free Software Foundation (‘Fundação Software Livre’). . e outros aplicativos como editores de texto. compiladores. dos dispositivos físicos no computador e é uma parte essencial de qualquer sistema operacional utilizável. contudo para um sistema operacional adquirir funcionalidade são necessários também vários outros aplicativos que determinam funções específicas que aquele sistema será capaz de desenvolver. que oferecem respectivamente uma interface para o usuário do computador. No momento do desenvolvimento do Linux. desenvolvida capaz de por Owen ser Le Blanc da Universidade Manchester. A maioria dos sistemas inclui ferramentas e utilitários baseados no BSD e tipicamente usam XFree86 ou X. os aplicativos existentes em um sistema operacional com a única exceção do núcleo são determinados pelo usuário do computador. gerenciadores de janelas. CLI ou GUI. editores de imagem. instalada independentemente em um computador. Desde o começo. como por exemplo: interpretadores de comandos. Assim como também oferecem ferramentas desenvolvidas pelo projeto GNU.48 Centre. e. que embarcara em um subprojeto que ainda continua para obter um núcleo. a primeira distribuição de Linux. o núcleo Linux incluía um sistema básico para chamadas do sistema e acesso aos dispositivos do computador. Porém devido a várias complicações o projeto GNU e demora em desenvolver o Hurd.

pelo fato dessa palavra ser de uso corrente em inglês ("windows" é equivalente a "window". A versão mais atual do Windows é o Windows 7. indispensáveis. Lísias Rapid – Lísias Software – Copyright 1997. do seu funcionamento. Heller. previamente desenvolvido em Xerox PARC: possui janelas que exibem informações e recebem respostas dos utilizadores através de um teclado ou de cliques do mouse. Conhecimentos mínimos desse sistema. É o sistema operacional mais utilizado em computadores pessoais no mundo.49 6. que significa janela. O Windows é um produto comercial. A sua interface gráfica é baseada no padrão WIMP e utiliza o conceito WYSIWYG. 2005. na visão de muitos.1. Nascimento e Jorge L. O impacto deste sistema no mundo atual é muito grande devido ao enorme número de cópias instaladas. . Antes da versão NT.5. empresa fundada por Bill Gates e Paul Allen. da sua história e do seu contexto são. embora uma grande quantidade de cópias sejam ilegais. O registro da marca Windows foi legalmente complicado. era uma interface gráfica para o sistema operacional MS-DOS. Redes de Computadores – Curso Completo – Gabriel Torres. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Apostila de Sistema de Informação – Professora Sônia Reni. editora Makron Books. Versão 1. porém no plural). com preços diferenciados para cada uma de suas versões. 7. mesmo para os leigos em informática. WINDOWS Microsoft Windows é uma popular família de sistemas operacionais criados pela Microsoft. editora Axcel Books. Introdução à Informática – Autores: Ângela J. lançado em 2009 A palavra windows em português significa janelas.