You are on page 1of 19

ALCINA DOURADO FERNANDO ALMEIDA

SETÚBAL, FEVEREIRO DE 2005

5 cm.2. base e direita . 1 .5. de modo a adequar a forma da sua apresentação com o que está estabelecido no mundo académico e nas normas portuguesas. Paginação Excepto a capa e a página de rosto. Margens Esquerda . Tipo de letra Espaço entre linhas Parágrafos Avanço de 1 cm à esquerda na 1ª linha de cada parágrafo ou espaço adicional de 6 pto depois de cada parágrafo.3 cm Topo. .1 INTRODUÇÃO O presente documento visa esclarecer algumas regras que devem ser seguidas na apresentação dos trabalhos escolares.FORMATAÇÃO Quadro 1 – REGRAS DE FORMATAÇÃO DOS TRABALHOS Papel Folhas de papel A4. Times New Roman ou Arial de tamanho 12. Pretende-se estabelecer a informação mínima que deve ser disponibilizada e as condições para uma boa legibilidade dos trabalhos. 1. todas as páginas deverão ser numeradas no canto superior direito. Pode ser utilizado papel reciclado. de cor branca impressas na frente.

. – Folha de título de publicações não periódicas. Nome do aluno e ano que frequenta.1 . só é exigível em dissertações de Mestrado ou Doutoramento. . 2. Deve-se destacar os aspectos inovadores e as principais conclusões na perspectiva do cumprimento dos objectivos. o resumo não é pedido em trabalhos de nível de Licenciatura. Identificação da disciplina. Local e data de entrega do trabalho.Escola Superior de Educação. NP 738.2 – PÁGINA DE ROSTO Repete a informação da capa. Ano lectivo. sem imagens e sem elementos decorativos 2.2 2 . Nome do(s) docente(s) da disciplina e/ou dos orientador(es). 1 2 3 NP 738. Título do trabalho. A capa pode conter imagens e/ou outros elementos decorativos.ESTRUTURA 2. Identificação do curso.Folha de título … Normalmente.CAPA Deve conter 1: Designação da Instituição: Instituto Politécnico de Setúbal .3 – RESUMO (FACULTATIVO) O resumo é uma síntese do trabalho apresentando aquilo que é essencial 3. O resumo é identificado com um título não numerado e tem um máximo de 500 palavras 4. O papel é igual ao que é utilizado no resto do trabalho. 2.

7 neste documento. .3 2. A apresentação dos objectivos e da estrutura do trabalho deve também constar da introdução.Introdução A Introdução deve ser entendida como uma componente genérica do trabalho pelo que o respectivo título não deve ser numerado. O seu conteúdo deve ser adequado ao sentido do trabalho.5.Desenvolvimento O Desenvolvimento do trabalho integra o resultado da reflexão do(s) autor(es) sobre as informações de carácter teórico e/ou empírico que foram recolhidas no processo de pesquisa. – Resumos analíticos para publicações e documentação. explicitando-se os factores gerais e pessoais que explicam a sua escolha e apresentando-se a sua pertinência teórica e/ou social. Os diversos temas são usualmente divididos em partes capítulos ou secções de forma a estruturar o texto numa sequência lógica e articulada 5.1 . Deve fazer-se uma referência à(s) disciplina(s) que enquadram o desenvolvimento do trabalho. 2. ponto 2. inclui a Introdução.5. mas. A delimitação do contexto de estudo (se aplicável) deve ser apresentada e justificada. em geral.AGRADECIMENTOS E/OU DEDICATÓRIA (FACULTATIVO) Os agradecimentos e/ou dedicatória têm um título não numerado. pode ser escrito pelo autor do trabalho ou ser uma citação de outro autor.5 . 2.2 .4 . Na introdução deve-se apresentar e identificar claramente o problema que justifica o trabalho. o Desenvolvimento e a Conclusão: 2.CORPO DO TRABALHO A estrutura do corpo do trabalho depende das suas características. Cf. O número destas divisões do texto deve ser o adequado para facilitar a apresentação de 4 5 NP 418.

As subsecções (secções de 2ª. uma nova secção (de 1ª ordem. nomeadamente guiões e transcrições de entrevistas. 3ª ou 4ª ordem. A hierarquia das diferentes divisões do texto (partes. secções de 1ª.3 .ANEXOS Nos Anexos são colocados documentos diversos.3.g. do sublinhado e do itálico.5. das maiúsculas. No início de cada parte.6 .: 1 ou 2) pode iniciar-se numa nova página. Os que não sejam considerados fundamentais devem ser incluídos nos anexos. capítulo ou secção deve ser feita uma breve descrição dos seus conteúdos e da sua estrutura. Num trabalho dividido unicamente em secções.g. 2. 3ª e 4ª ordem) exprime-se numa hierarquia decrescente de realce dos estilos de formatação 6. 2.1.Conclusão Na conclusão são apresentados os resultados obtidos tendo como referência o que foi exposto na introdução: é uma síntese do trabalho que expõe os resultados mais importantes e a sua relação com o problema definido e os objectivos propostos.1.4 conteúdos de natureza diferente. do negrito.2. questionários. 2ª.4) devem aparecer na sequência normal do texto. e. . figuras e 6 As funcionalidades dos processadores de texto permitem fazer a definição prévia dos “estilos” de formatação dos títulos através do tamanho do fonte. 1. capítulos.1. devendo evitar-se a excessiva compartimentação em divisões de reduzida dimensão.: 1. As partes e os capítulos devem iniciar-se numa nova página. grelhas de observação. Estes devem ser inseridos no texto se se revelarem fundamentais para a compreensão ou fundamentação do respectivo conteúdo. 2. e. A conclusão pode apresentar recomendações e sugestões resultantes do trabalho realizado. Os dados empíricos eventualmente recolhidos devem também ser apresentados sob a forma de quadros ou figuras.

separados por pontos.g. Anexo B.g.. Anexo A. NP 113.. Quando o número de Anexos é grande deve incluir-se um índice de Anexos na primeira página dos Anexos 7.. – Índices de publicações. Quando fazem parte do mesmo volume do corpo do texto a numeração das páginas dos anexos segue a numeração do corpo do texto. Parte II. – Divisões de um documento escrito..7 . Acima de 4 algarismos aconselha-se o uso de letras minúsculas ou maiúsculas seguidas de meio parêntese (e.: 2.: Capítulo primeiro. A numeração das figuras e quadros nos Anexos deve ser diferente da usada no corpo do texto.g. . Parte III). mas que devem constar do trabalho.) e os respectivos títulos devem aparecer na linha imediatamente a seguir. Cada parte deve ter um título colocado na linha imediata. Estas divisões devem ser apresentadas do seguinte modo: • As partes devem ser numeradas com um algarismo romano precedido da palavra parte (e. capítulos e secções tal como aparecem no conjunto de trabalho (com excepção da capa e da página de rosto) e indicação correcta das páginas onde se localizam no texto 8: As partes agrupam vários capítulos estreitamente relacionados entre si. . os capítulos agrupam várias secções com uma relação particular e as secções são divisões e subdivisões sucessivas do texto do documento 9.ÍNDICES É identificado com um título não numerado e consiste na discriminação das partes. – Divisões de um documento escrito: Numeração progressiva. 7 8 9 NP 113. • Os capítulos devem ser identificados com um número escrito por extenso.g. NP 739. Os Anexos devem ser classificados alfabeticamente (e.: Parte I. 2. Cada capítulo deve ter um título colocado na linha imediata (e.5 quadros.. que não sejam fundamentais no corpo do texto. se em volume separado terão numeração própria e obrigatoriamente um índice. precedido da palavra “Capítulo”. capítulo segundo) • As secções numeram-se com algarismos árabes consecutivos.

33 p.1 . A numeração das secções é independente dos capítulos mas reinicia-se em cada parte.22 p.23 p.2 p.20 p.15 p.Metodologia 1.6 2.17 p.9 p.31 p.) 3 ...1.5 p.) 2 .Bibliografia Anexo A Anexo B Índice de Quadros Índice de Figuras Índice p.Conclusão 6 .(.37 p. 2.32 p..2 ...1.) 2.25 p..1. em geral.1 a) )..2.1.(.A importância da comunicação municipal 2.1.2 .(. p. Considera-se aceitável que os trabalhos académicos.. A divisão em partes e em capítulos considera-se adequada em trabalhos de grande dimensão como é o caso das dissertações de Mestrado e Doutoramento. 2. Quadro 2 – EXEMPLO DE ÍNDICE: Índice Resumo Agradecimentos Introdução 1 .A produção do Boletim municipal 5 . dada a sua reduzida dimensão.4 Cf ponto 5 deste documento.) 2.1 . .4 p. • • Os índices devem ser colocados no fim do trabalho 10.. Em trabalhos que incluam quadros e figuras deve apresentar-se no fim do trabalho um índice de quadros e um índice de figuras 11.1 .Meios e tipos de comunicação nas autarquias 4 .(.(.1 p..37 p. – Divisões de um documento escrito.2. sejam divididos em secções.27 p..16 p.) 2...38 10 11 NP 113. Cada secção deve ter um título que se coloca imediatamente após a respectiva numeração seguida de um travessão • • A numeração dos capítulos reinicia-se em cada parte.

De acordo com a NP 405-1 diferentes: a) A citação em nota b) Citações entre parênteses com autor-data-localização c) A citação numérica Pode optar-se indiferentemente por um destes três modos diferentes de referenciar as citações. União Europeia. 12 13 13 as citações podem fazer-se de três modos NP 3680 – Descrição e referências bibliográficas.CITAÇÕES EM TEXTO Permitem-nos identificar um documento onde foi encontrada uma ideia ou um excerto. Documentos impressos. a respectiva descodificação.SIGLAS E ABREVIATURAS A utilização de siglas e abreviaturas implica necessariamente a sua prévia descodificação. em nota de rodapé ou no texto entre parênteses. DGA. Permite-nos. 4 . Abreviaturas de palavras típicas.7 3 . As siglas escrevem-se com letra maiúscula e sem pontos (e. na primeira utilização de uma sigla ou abreviatura no corpo do texto deve-se indicar. assim. a descodificação das siglas e abreviaturas pode ser indicada numa lista no início do trabalho 12. fazer a correspondência directa entre estes e a fonte onde foram obtidos: − Citações formais (transcrições) – reprodução textual da fonte. mas. . o que for escolhido deve ser o adoptado na globalidade do trabalho. NP 405-1. cópia exacta do original − Citações conceptuais (paráfrase) – quando se traduz fielmente a ideia de um autor mas não se transcrevem os termos exactos Ambos os casos necessitam de indicação da fonte (caso contrário incorre-se em plágio. – Referências bibliográficas. o que constitui um acto punido pela lei portuguesa). UE). Direcção Geral do Ambiente. Assim. Em alternativa.g..

1 . nº da página). Se um documento é citado várias vezes a cada citação deve corresponder uma nova nota. 14 O texto da nota reenvia para um documento referenciado na bibliografia. A citação de obras com mais de um autor identifica-se com o apelido do primeiro autor seguido de “et al” (Apelido do autor. e devem incluir o apelido do autor. Se o nome do autor integrar o texto a referência indica apenas o ano e a página (ano de publicação.2 .g. nº da página). et al.8 4. As notas da segunda citação e seguintes podem reduzir-se ao(s) apelido(s) dos autores. 14 Recomenda-se este sistema de notas pela sua facilidade de utilização com os processadores de texto actuais. Quando a citação é feita por intermédio de outro autor deve anteceder-se o texto da nota de rodapé por “cit por” (citado por). ano de publicação. o ano de publicação e o número da página de localização do trecho citado (Apelido do autor. .: 1) ou entre parênteses (E.A CITAÇÃO EM NOTA Os números inseridos no texto em expoente (e.: (1) ) reenviam para as notas de rodapé que são apresentadas numericamente pela ordem de aparecimento no texto. o título e a página onde se localiza a citação.g. ano de publicação. nº da página). pelo que a nota de rodapé deve incluir os elementos necessários para identificá-lo: No mínimo a nota deve incluir o(s) nome(s) do(s)s autor(es). a uma forma abreviada do título (seguida de reticências) e à página onde se situa o trecho citado.CITAÇÕES ENTRE PARÊNTESES COM AUTOR-DATALOCALIZAÇÃO As citações são apresentadas como referências entre parênteses a seguir ao trecho citado. Se as citações se referirem a várias obras do mesmo autor com a mesma data deve assegurar-se a correspondência adequada entre a referência e a bibliografia acrescentando-se uma letra (minúscula) ao ano de publicação. 4.

de modo a que as citações da mesma obra seja sempre referenciada com o mesmo número.: (4 p.FIGURAS E QUADROS As fotografias e outros elementos gráficos são designados figuras.56) ) 4.4 da NP 405-1.: 4) ou entre parênteses (e. Se forem citadas partes específicas de um documento.A CITAÇÃO NUMÉRICA Os números inseridos no texto em expoente (e. uma figura.g.g. se as referências das citações seguirem o sistema “autor . na bibliografia deve indicar-se o ano de publicação entre parênteses a seguir ao autor.OUTRAS NOTAS Independentemente da norma que for adoptada para as citações. não têm cabimento serem inseridas no corpo do texto. para outras obras e/ou outros autores no âmbito do tema que se está a tratar. − Para remeter para outras partes do texto. os números das páginas podem ser dados depois do número das citações (e. um quadro) 5 . .g. 4. as notas de rodapé podem ser utilizadas para notas explicativas: pequenas observações adicionais ou remissivas.data”.g.: (4) ) reenviam para os documentos listados na Bibliografia que devem ser numerados em correspondência. Os desenhos técnicos são identificados como desenhos. Se se dá um exemplo pode anteceder-se da abreviatura “e. inseparáveis do texto e que seriam sempre colocadas em pé de página.4 .” (exempli gratia – por exemplo).9 De acordo com o ponto 9. Neste caso pode usarse a abreviatura “cf.3 .” (que significa confira) seguida da identificação do elemento a conferir (um capítulo.” ou “cfr. Servem para: − Fazer comentários e/ou dar explicações adicionais que embora úteis para a compreensão do assunto.

g.. 16 17 .– Referências bibliográficas … NP 405-1. 6 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS As referências bibliográficas devem ser ordenadas por ordem alfabética dos apelidos dos autores ou dos títulos no caso de não haver referência ao autor 16.: Quadro 5. NP 113.2 deste documento. MAÍUSCULAS. Deve indicar-se sempre a norma utilizada para a sua formulação (E.4 e cfr. itálico) tal como são apresentadas nos exemplos apresentados a seguir: 15 A numeração dos quadros. em que “5.10 A numeração dos quadros. figuras e desenhos com o número das divisões do texto onde se situam. ponto 9. Ponto 4.5” corresponderia ao número da secção onde se situa o quadro) 15. só se justifica quando são em número elevado. os elementos das referências bibliográficas são formatados de diferentes formas (normal. deve indicar-se na bibliografia o ano de publicação entre parênteses a seguir ao(s) autor(es) 17. ao que é indicado na publicação a que se referem. figuras e desenhos é independente. – Divisões de um documento escrito… NP 405-1. Os quadros e gráficos titulam-se e numeram-se na sua parte superior.5-1. antecedendo-se ou não o respectivo número do número da divisão do texto onde se situa (e. tal e qual. Nos exemplos apresentados a seguir são utilizados apenas os elementos considerados obrigatórios e recomendados pelas Normas e são apresentados os tipos de documentos mais comuns em Ciências Sociais e Humanas e no contexto escolar.: bibliografia organizada pela Norma Portuguesa nº405). se as referências das citações seguirem o sistema “autor data”. e pode ser feita sequencialmente. Os elementos que constam da referência bibliográfica devem corresponder. as Ilustrações titulam-se e numeram-se na parte inferior. De acordo com a norma. De acordo com a NP 405-1. Cfr. Devem conter a indicação da fonte de modo discreto e abreviado.– Referências bibliográficas …..g.

1. The Netherlands: Kluwer Academic Publishers. Switzerland: Faculté des Sciences de l'Université de Neuchâtel. Nota suplementar (em que se identifica de que tipo de tese se trata).Título do livro: Complemento do título. CHENG. ISBN 972-36-0202-4. Regras para elaboração de relatórios técnicos e científicos. consoante o caso. D. Local de publicação: Editor. Teresa Barata . capítulos de livros. ISBN 0-471. ISSN 0-123-01245-8. 1ª ed. ISBN Nº ISBN. 503 p.Apport De La Cartographie Radiomagnetotellurique a L'Hydrogeologie Des Milieux Fractures. 25. 1329-1332. 1993. In AUTOR(ES) DO LIVRO – Título do livro: Complemento do título. Nº Edição ed. L. ISBN Nº ISBN. Local de publicação: Editor. Eng. ISSN Nº ISSN.. London. mas em que na designação do título deve constar o título da conferência (com indicação do título. Ano – Título: Editor.A cidade em Portugal: Uma geografia urbana. de 22 de Novembro. In BEAR J. . II PLANO de fomento (1959-1964): proposta de lei e projecto do II Plano. Volume. Título da publicação em série. Local de Publicação. . p.Título do artigo. NORMAS SIGLA e Nº da norma. – Analytical solutions. R. Vol. local de realização e datas). DOCUMENTOS LEGISLATIVOS E JUDICIAIS Igual a livros. p. ARTIGO EM CONFERÊNCIA Igual a livro. & GUILLANDE. [em linha]. nº 3 (1991). H. Lisboa: Imprensa Nacional. Ano. 1st. 57.11 Quadro 3 .Título da parte. Rem. Páginas. Tese para obtenção do grau de Doutor. p. et al. Ano. CAPÍTULO EM LIVRO: AUTOR(ES) . D.08315-1. & OUAZAR. Photogr. 163-192 ARTIGO EM PUBLICAÇÃO EM SÉRIE (REVISTAS OU JORNAIS) AUTOR(ES) . 1959. ESTATUTO do Provedor de Justiça: lei nº 81/77. DISSERTAÇÃO OU OUTRO TRABALHO ACADÉMICO AUTOR – Título: Complemento do título. Nº de páginas p. 434 p. ed. Nº Edição ed. Local de publicação: Editor. 1992. A. NP 405-1. 1999. TURBERG. Ano. Páginas. Sensing. 1994 – Referências bibliográficas: documentos impressos: Instituto Português da Qualidade. L. publicações em série e artigos de publicações em série. POLIDORI. vol. M. Methods and Practices. Número (Ano). . Neuchâtel. p.NORMA DAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: DOCUMENTOS IMPRESSOS 18 LIVRO AUTOR(ES) . Porto: Afrontamento. Nº Páginas. J. SALGUEIRO. CHOROWICZ. Coimbra: 18 Os exemplos apresentados foram adaptados das Normas 405-1 e de NUNES. and Application to Digital Elevation Model Quality Assessment. Ver NP 405-1. – Seawater Intrusion in Coastal Aquifers: Concepts.Description of Terrain as a Fractal Surface. P.

p. D. 20-22.R. Local. DECLARAÇÃO de 30 de Julho de 1987. reimp. PORTARIA nº 1111/89. I Série. 1980. 10 f. I Série. REIS. 1972. Acessível na Faculdade de Farmácia.R. Nº folhas. Só para publicações periódicas. LARANJINHA. I Série.R. João – Quem no espaço do medicamento?. Ano. D. 1977. anot. 131 (89-06-08) 2254-2257. 298 (89-12-29) 5629-5637.R. Acessibilidade (Instituição. Portugal. Coimbra Editora. Numeração20. Documentos não publicados. – Código do processo civil anotado. 3ª ed. José Alberto dos. ACORDO entre a Comunidade Económica Europeia e a República Portuguesa.3207. II Série. Lisboa: Fundo de Fomento da Exportação. . DECRETO-LEI nº 192/89. D. DESPACHO conjunto nº 55/MEC/87. DOMINGUES. Quadro 4 . 28 (87-02-03) 1402. País).NORMA DAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: DOCUMENTOS NÃO PUBLICADOS 19 MONOGRAFIAS E PUBLICAÇÕES EM SÉRIE (Trabalhos Académicos) AUTOR(ES) – Título. 188 (87-08-18) 3206. D.12 Atlântida. 1982. Fernanda. Coimbra. 19 20 De acordo com a NP 405-3 – Referências bibliográficas.

Título: Complemento do título. 1 disco sonoro (33 min.): 33 1/3 rpm DIAPOSITIVO AUTOR(ES) . 1993. 1 disco (CD) (4 min. Ano. Responsabilidade secundária. 1982. Local de publicação: Editor/Distribuidor. deve sempre identificar-se a fonte.Referências bibliográficas. Local de publicação: Editor/Distribuidor. PARTE DE UM REGISTO SONORO – DISCO / CASSETE / CD / DVD AUTOR(ES) (da parte) – Título da parte: Complemento do título (da parte). PACCAGNINO. Responsabilidade secundária.. CHAPELET. Responsabilidade secundária. Ano. PONTES. Designação especifica e extensão (da parte): Outras indicações físicas. 1991. 12 diapositivos: color. Lisboa: Lusomundo. Antal Dorati.13 Quadro 5 .Título: Complemento do título. Ano. Local de publicação: Editor/Distribuidor.Título: Complemento do título. fotogr.Título: Complemento do título. London: Decca. dir. Realização de Jacques-Yves Cousteau e Jean Michel Cousteau. O rio encantado. 1 cassete vídeo (VHS) (42 min. Paris: Hacchette. Dulce – Lágrimas. Dulce – Povo que lavas no rio. 2 manuais. Localização no documento. Sempre que se utiliza material existente na Internet. Designação especifica e extensão: Outras indicações físicas. Designação especifica e extensão: Outras indicações físicas. PRODUTO MULTIMÉDIA: AUTOR(ES) . STRAVINSKY. 1991-1992. Annik Dubroux. 21 De acordo com a NP 405-2 . 1 cassete. Materiais não livro. Apresenta-se a seguir alguns exemplos de referenciação destes documentos. son. In PONTES.): color. Marc – Les sources d’énergie. 1991. Marie-Laure – Kangourou I: méthode de français. Nº Edição ed. POLETTI.). Designação especifica e extensão: Outras indicações físicas.. REGISTO SONORO – DISCO / CASSETE / CD / DVD AUTOR(ES) . Nº Edição ed. 41 seg. Paris: Diapofilm. In Título: Complemento do título. 39 seg. Local de publicação: Editor/Distribuidor.NORMA DAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: MATERIAIS NÃO LIVRO 21 CASSETE VÍDEO AUTOR(ES) . Os exemplos apresentados são retirados desta norma. Local de publicação: Editor/Distribuidor. Ano. Igor – La consagración de la Primavera. Clélia. Responsabilidade secundária. Designação especifica e extensão: Outras indicações físicas. 13 cartazes: color. Orquestra Sinfónica de Detroit. quer esteja ou não protegido. Nº Edição ed. Nº Edição ed. Faixa 3. Lisboa: Moviplay. . Ano. Yves Vandewalle.

Título. Capítulo 4. Nº Edição ed. Lisboa: Ministério da Ciência e Tecnologia.Guia para Pais. 1995. Disponível em Disponibilidade e acesso. José Luís . 19 de Junho de 2000]. ISBN Nº ISBN . in Segurança das Crianças na Internet [em linha]. 19 de Junho de 2000]. Disponível em URL: http://www. BASE DE DADOS OU PROGRAMA AUTOR(ES) . MONOGRAFIA ELECTRÓNICA. Lisboa: Ministério da Ciência e Tecnologia. Ano. Évora: Viatecla.missaosi. Data de actualização ou revisão. Nº Edição ed. Disponível em URL: http://www. actual. Local de publicação: Editor. MONOGRAFIA ELECTRÓNICA.minerva. [Cd-Rom].Título. revisto em Junho 2000. Data de actualização ou revisão. [Consult. BASE DE DADOS OU PROGRAMA AUTOR(ES) .NORMA DAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: DOCUMENTOS ELECTRÓNICOS22 PÁGINA WEB. Évora: Viatecla.mct. actual. 1995.14 Quadro 6 . 1997 [consult. Portugalie Multimédia.Segurança das Crianças na Internet.]. Évora: Universidade de Évora. em 19 de Junho de 2000]. [em linha].missaosi.uevora.mct. 1997. [consult.html Exemplo para Programa: RAMOS. Referenciar documentos digitais. José Luís [et al. ISBN Nº ISBN . Disponível em URL: http://www. [em linha]. [Tipo de suporte].pt/livro_verde/cap_4. Os exemplos aqui apresentados foram adaptados da NP 405-4 e do NÚCLEO MINERVA DA UNIVERSIDADE DE ÉVORA. Disponível em URL: http://www. Local de publicação: Editor. Exemplo para Página web NÚCLEO MINERVA DA UNIVERSIDADE DE ÉVORA . [Cd-Rom].Título. In AUTOR(ES) . Exemplo para página web: NÚCLEO MINERVA DA UNIVERSIDADE DE ÉVORA . Localização no documento.pt/internet-segura/. ARTIGO OU CONTRIBUIÇÃO EM PUBLICAÇÃO ELECTRÓNICA EM SÉRIE 22 De acordo com a Norma Portuguesa 405-4 – Referências bibliográficas. Exemplo para livro electrónico: MISSÃO PARA A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO . [Consult.pt/internet-segura/ Exemplo para livro electrónico: MISSÃO PARA A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO .A escola informada: aprender na sociedade da informação in Livro Verde para a Sociedade da Informação em Portugal. .Livro Verde para a Sociedade da Informação em Portugal [em linha]. [consult.Economia: A propriedade senhorial (Séc.minerva. Évora: Universidade de Évora. XI-XIV) in Portugalie Multimédia. [Tipo de suporte]. Data-deconsulta]. Data-de-consulta]. Ano. (revisto em Junho 2000) [Consult. CONTRIBUIÇÃO OU PARTE DE PÁGINA WEB.uevora. Documentos electrónicos. 19 de Junho de 2000].pt/livro_verde/ Exemplo para Programa: RAMOS. Disponível em Disponibilidade e acesso.

org. Páginas).html Quadro 7 – ALGUMAS REGRAS GERAIS DA NORMA DAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Até três autores São todos referenciados pela ordem e na forma que aparecem na publicação: KELLERHALS. Jean. Exemplo: SALINAS. Em 19 de Junho de 2000]. Laboratório Nacional de Engenharia Civil – Colectividade – grupo eventual (congressos. – O título figurará como primeiro elemento da referência Transcreve-se o nome da colectividade tal como aparece na publicação: ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS Quanto a colectividade-autora é subordinada colectividade. (1999) [consult. Disponível em URL: http://www. exposições): indica-se o nome. Jesús – Enseñanza flexible. o número.] Editores literários. esta aparece em primeiro lugar a outra INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL. Mário [et al. administrativos. aprendizaje flexible. Rui. organizadores Autor desconhecido Autor Colectividade CANÁRIO. Título da publicação em série. [Consult. civis ficam subordinados ao respectivo território: PORTUGAL.]: SILVA. Ministério da Educação. Escola Superior de Educação Ministérios.uib. aprendizaje abierto. Disponível em Disponibilidade e acesso. judiciais. Localização na publicação (Vol. 1987 ARQUIVISTAS E . jornadas. órgãos legislativos.: nº (Ano). [Tipo de suporte]. DOCUMENTALISTAS. EDUTEC – Revista electrónica de Tecnologia Educativa [em linha]. TROUTOT. Data-de-consulta]. Coimbra.15 AUTOR(ES) – Título do artigo / contribuição. Direcção Regional de Educação de Lisboa – SETÚBAL. Emmanuel Mais de três autores Indica-se apenas o nome do primeiro seguido da expressão [et al. 2. ISSN Nº ISSN .es/depart/gte/revelec10. Las redes como herramienta para la Formación. Câmara Municipal – PORTUGAL. Nº 10. o local de realização e a data: CONGRESSO DE BIBLIOTECÁRIOS. Pierre-Yves e LAZEGA. p. Actual. Data de actualização ou revisão.

son. a designação específica do extensão (materiais não material e a respectiva extensão entre parênteses. podem ser utilizados os termos: em linha.n.16 Local de publicação desconhecido Editor desconhecido Ano de publicação desconhecido [s.L.). [s.. banda magnética ou disco.l.].) ou data presumível (neste caso.) Outras indicações físicas (materiais não livro) Outras características técnicas do documento. . Cd-Rom. data de depósito legal (D. o som ou a velocidade de execução. Disco de 45 rotações: 45 1/3 rpm. envolvida entre parêntesis rectos) Designação especifica e Indica-se o número de unidades.) ou 2 discos (DVD) (3 horas cada) 1 cassete (VHS) (60 min.]. data de copyright (precedida de cop. Tipo de suporte (Documentos electrónicos) Em [tipo de suporte].). Filme a preto e branco: p & b. livro) Exemplos: 1 cartaz 12 diapositivos 1 disco (CD) (90 min. Indicam-se a data de impressão (precedida de imp. como a cor. Exemplos: Filme a cores e sonoro: color.

Instituto Português da Qualidade: Instituto Português da Qualidade. (Bibliografia apresentada segundo a NP 405) . NP 405-1. 1989 – Divisões de um documento escrito: Numeração progressiva: Instituto Português da Qualidade.BIBLIOGRAFIA LIMA. NP 405-2.Referenciar documentos digitais. Disponível em URL: http://docentes. Paulo Sérgio . NP 405-4. 17 de Maio de 2004]. Documentos não publicados: Instituto Português da Qualidade. NP 418.htm NUNES. 1989 – Descrição e referências bibliográficas. Disponível em http://w3. NP 738. 13 de Dezembro de 2004].pt/internet-direitos/docdigitais. NP 405-3. NÚCLEO MINERVA DA UNIVERSIDADE DE ÉVORA . Revisto em 7 de Setembro de 2000. . Abreviaturas de palavras típicas: Instituto Português da Qualidade. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente.ualg. [Consult. 1994 – Referências bibliográficas. [em linha]. Disponível em URL: http://www.Referências bibliográficas. [em linha]. [consult.minerva. 2003.upt. 9 de Fevereiro de 2005]. NP 739. Jorge Reis e COSTA. Documentos electrónicos: Instituto Português da Qualidade.pt/~lnunes. 2000 . 2002 – Referências bibliográficas. [consult.Tratamento informático das normas bibliográficas Portuguesas e da documentação electrónica. Revisto em 5 de Julho de 1997.html. M. [em linha] Porto: Universidade Portucalense.pt/~pauloc/refbibli/tinfbib.Regras para elaboração de relatórios técnicos e científicos.uevora. NP 3680. Materiais não livro: Instituto Português da Qualidade. 1998 . L. 1969 – Índices de publicações.17 7.Referências bibliográficas. 1988 – Resumos analíticos para publicações e documentação: Instituto Português da Qualidade. 1986 – Folha de título de publicações não periódicas: Instituto Português da Qualidade. Évora: Universidade de Évora. Faro: Universidade do Algarve. NP 113. Documentos impressos: Instituto Português da Qualidade.

................................................. 8 4....................................................5 ........................1 ......3 .ÍNDICES ........................ 5 3 ...................................................................................7 .....................18 ÍNDICE INTRODUÇÃO ..........3 – RESUMO (FACULTATIVO).......................CAPA .....................................FIGURAS E QUADROS .............................................. 3 2...........................................................................................................................................................................................................................4 ............................................Introdução ....................................... 2 2.....................................AGRADECIMENTOS E/OU DEDICATÓRIA (FACULTATIVO) .......................... 2 2................................ 1 2 ...........................................................SIGLAS E ABREVIATURAS ....A CITAÇÃO EM NOTA ....................................6 ...2 .........................ANEXOS ...2 – PÁGINA DE ROSTO .............................. 1 1 ................... 3 2.......................................................4 ...............2 ..................... 9 6 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .................... 2 2..................5.......3 .......CITAÇÕES EM TEXTO ................. 17 .................................................................................... 8 4...........................CORPO DO TRABALHO .........BIBLIOGRAFIA ....FORMATAÇÃO ..................................................... 4 2................. 10 7. 9 5 ... 7 4 .....................................................1 ........OUTRAS NOTAS .............................. 3 2........................... 2 2.....................................................................................ESTRUTURA ...............................CITAÇÕES ENTRE PARÊNTESES COM AUTOR-DATA-LOCALIZAÇÃO .......................................... 3 2.............................................................................................................Conclusão ...........A CITAÇÃO NUMÉRICA ............... 4 2.....5......1 ... 7 4................. 9 4.....................Desenvolvimento................5.