You are on page 1of 10

Imperialismo : Imperialismo é a política de expansão e domínio

territorial, cultural e econômico de uma nação sobre outras, ou sobre uma ou várias regiões geográficas. O imperialismo contemporâneo pode ser também denominado como neocolonialismo, por possuir muitas semelhanças com o regime vigorado entre os séculos XV e XIX, o colonialismo. Esta prática está registada na história da humanidade através de muitos exemplos de impérios que se desenvolveram e, em muitos casos, foram aniquilados ou substituídos por outros. No entanto, o conceito, derivado de uma prática assente na teoria econômica, só surgiu no início do século XX

O conceito de imperialismo moderno
No final do século XIX e começo do século XX, a economia mundial viveu grandes mudanças. A tecnologia da Revolução Industrial aumentou ainda mais a produção, o que gerou uma grande necessidade de mercado consumidor para esses produtos e uma nova corrida por matérias primas. A concepção de neo-imperialismo foi realizada por economistas ingleses e franceses no início do século XIX. Este conceito constituiu-se em duas características fundamentais: o investimento de capital externo e a propriedade econômica monopolista. ³Um país imperialista era um país que dominava economicamente o outro´, e desse modo a capitalização das nações imperialistas gradativamente se ampliava, assim como a "absorção" dos países dominados pelos monopólios, mão-de-obra barata e abundante e mercados consumidores, levavam ao ciclo do novo colonialismo, que é o produto da expansão constante do imperialismo. Os países imperialistas dominaram muitos povos de várias partes do planeta, em especial dos continentes africano e asiático. Porém, a maior parte dos capitalistas e da população desses países se sobrepunham tendo como afirmativa que suas ações eram justas e até benéficas à humanidade em nome da ideologia do progresso. Dessa forma, tinham 3 visões explicativas: o etnocentrismo, baseado na idéia de que existiam povos superiores a outros (europeus superiores a asiáticos, indígenas e africanos, exemplos clássicos), da mesma forma o racismo e o darwinismo social que interpretava a teoria da evolução duma forma errônea, afirmando a hegemonia de alguns sobre outros pela seleção natural. Assim, no final do século XIX e o começo do século XX, os países imperialistas se lançaram numa corrida pela conquista global, o que desencadeou rivalidade entre os mesmos e concretizou o principal motivo da Primeira Guerra Mundial, dando princípio à ³nova era imperialista´.

Liberalismo e imperialismo

O primeiro estudo sistemático do imperialismo surgiu em 1902 com "Imperialismo", do autor inglês John Hobson, para quem o fenômeno se devia à acumulação de capital excedente que devia ser exportado. Seriam motivações importantes do expansionismo a busca de novas fontes de matérias-primas e de mercados. A originalidade da obra de

Socialism and Democracy" (1942). Na década de 1950. conclui que o capitalismo acabaria por esgotar-se e dar lugar a alguma forma de controle centralizado da economia. que dependem para sua sobrevivência de guerras e conquistas. após um período de altas taxas de crescimento e rápida industrialização. Guerra dos Bôeres A atual África do Sul era uma região dominada por holandeses que eram os bôeres. "Capitalism. de 1492 até o presente.Hobson consiste em atribuir ao imperialismo raízes econômicas. elevando os padrões de vida e tornando a RPC uma das grandes potências Para o economista Joseph Schumpeter. O expansionismo se deve a um impulso atávico de luta. Com a descoberta de minas de diamante na região. Revolta dos Cipaios. as alterações às políticas económicas de Taiwan transformou a ilha em uma tecnologia orientada a economia desenvolvida industrializados. na década de 1970. A Inglaterra ganhou a guerra e consequentemente o domínio efetivo do mesmo. tecnologia e defesa. Índia. que em sua obra mais conhecida. e que a política imperialista não tem relação com a natureza do capitalismo. a Inglaterra queria dominar e explorar esse território. dando início a Guerra dos Bôeres pela dominação dele. Os principais países que adotaram a prática do imperialismo y y y y y y y y y y y y Reino Unido França Bélgica Itália Alemanha Portugal Espanha Países Baixos Japão Rússia Estados Unidos Império Otomano Alguns exemplos do Imperialismo Britânico África do Sul. Gandhi e Imperialismo Britânico . as reformas conhecida como Quatro Modernizações melhoria da agricultura. que é pacifista em essência. Na China continental. O Imperialismo do Século XIX Impérios coloniais do ocidente. dando origem à União Sul Africana. o que forneceu as bases para a interpretação marxista. remanescente em estruturas e camadas sociais pré -capitalistas. indústria.

Isso causou uma revolta por vários motivos na ilha. Com o fim de acabar com o imperialismo britânico na Índia a população fez a Revolta dos Cipaios. conhecido como Restauração Meiji. mas ela foi sufocada. o Imperador proíbe o comércio de Ópio em seu território. Já a entrada do Japão no grupo dos países imperialistas foi por pressão dos Estados Unidos e do Reino Unido de tempos. anexando ao seu território a região correspondente à Manchúria. Este país teve de indenizar o Japão. Mais tarde. Sob muita pressão dos estadunidenses. o exército japonês invadiu a China e obteve sucesso em suas missões. em que nacionalistas indianos apoiados pela população local e pelo exército da Índia reivindicavam o direito indiano à liberdade. França. que fez o Japão dar um salto no desenvolvimento industrial e economico do país. os chineses buscaram apoio em vão . que construiu uma estrada de ferro ligando a Rússia européia até suas margens do Pacífico Oriental. primeiramente com o abrir de alguns portos em pequenas ilhas durante o século XVIII e antigas colônias hispano-holandesas nas Filipinas (cedida aos Estados Unidos pela Espanha depois) e ilhas da Indonésia (holandeses). Este fato serve de pretexto para o Reino Unido declarar guerra à China. Mas a revolta foi sufocada pela Inglaterra. o Xogun. Na tentativa de expulsar os japoneses. com o objetivo de influenciar e dominar a Mongólia e a China.da Rússia. Para tanto. O Reino Unido começou sua investida. cujo era comercializado pelo Reino Unido na Índia. através de acordos comerciais com o Imperador da China. Isso fez com que a concorrência entre Reino Unido. Com uma marinha superior a da chinesa o Reino Unido vence. Mas a desenfreada exploração que se deu por estas bandas foi a partir da Rússia. a Indochina cedida pela França. onde restaurava plenamente os poderes do Imperador. decidiu abrir alguns portos para os países ocidentais. o Japão governado formalmente por um monarca. devido à Guerra dos Sete Anos. as atuais Coréias e a Ilha de Formosa. que impôs através da formalidade o domínio militar e cultural através da justificativa do Darwinismo Social e do Eurocentrismo (Europa como centro do mundo e cultura superior às outras).A Índia foi mais um país afetado pelo Imperialismo Britânico. e como pagamento ao vencedor a China teve que ceder a Ilha de Hong-Kong e abrir diversos portos. Como punição o governo chinês afunda alguns navios britânicos. Mas os britânicos não acataram as ordens e continuaram a comercializar a droga. Nesse decorrer de tempos ocorreram várias revoltas. A Conquista do Sudeste Asiático e o Império Japonês A conquista da Ásia foi-se aos poucos. uma muito importante ocorreu na Índia. mas quem tinha plenos poderes era o comandante das Forças Militares Japonesas. o Reino Unido conquistou a hegemonia também do Sudeste Asiático. Em 1839. e assim os britânicos abocanham de vez a Índia integrando- . Rússia e os Estados Unidos ficasse mais acirrada e incluísse o Japão na disputa imperialista. Mahatma Gandhi propôs uma luta sem armas e sem sangue derramado através do boicote de varios produtos ingleses. Com o domínio meridional da China.

a China sofre sua pior humilhação. começou a industrialização da Rússia por meio de empréstimos do exterior e a construção de redes ferroviárias. Por esta razão. a Rússia. a partilha foi feita sem qualquer consulta ou uma participação dos povos que seriam atingidos pelas decisões. aumentando assim os seus territórios e zonas de influência de um modo considerável Rússia Introdução No século XIX. a fim de terem um maior número de consumidores para os seus produtos e serviços. Com estas redes de transporte. para poucas pessoas consumirem. França. isso gerou a Revolta dos Boxers. nomeadamente os seus vizinhos. do Leste Europeu. Para vencer essa batalha. conquistando assim mais mercados consumidores. mas exerceram grande influência em outros países mais fracos. a enciclopédia livre. com maior número de colônias em áreas economicamente mais interessantes. do Cáucaso. vendo a iminente queda do Império TurcoOtomano. tiveram que se unir e com muita luta conseguiram vence-la. Em 1884. a partilha de seu território em áreas de influência entre: Reino Unido. ou seja. ou até ocuparam e dominaram territórios ou países inteiros. Alemanha e Rússia. A Conferência de Berlim não contou com participação de nenhum representante africano. que reuniu representantes de potências européias para promover a "partilha amigável" do continente africano. as potências européias e nipônica. e grande parte do norte da China.a como parte de seu Império Colonial. As maiores beneficiadas com a partilha foram a França e a Inglaterra. teve início a Conferência de Berlim. territórios na qual tenha um comércio favorável à Rússia. anexou vários territórios da Europa Oriental. Seguindo esta prática. O termo imperialismo asiático é usado geralmente e em sentido mais restrito aos únicos dois países asiáticos na qual tiveram uma interferência imperialista europeia desprezável. sem levar em conta os aspectos culturais e étnicos de cada povo. invadiu e ocupou países da Ásia Central. Já os Estados Unidos recolonizaram as Filipinas e conquistaram e anexaram ilhas como o Havaí entre outras. no início da Primeira Guerra Mundial. [editar] Desenvolvimento russo e a anexação de territórios vizinhos Mas como existia muitos produtos. . Já no ano de 1895. Japão. o escoamento da produção acelerou-se e assim incentivou novos investimentos de capital privado na qual favoreceu um crescimento econômico rápido na Rússia. Imperialismo asiático Origem: Wikipédia. a Rússia viu-se obrigada a procurar mais mercados.

Por esta razão. Nesta última participação. Japão O desenvolvimento do Japão e a anexação de territórios vizinhos O Japão teve rápido e crescente industrialização. construindo várias redes ferroviárias. o Japão invadiu a Coréia. Coreia. Taiwan. como a China. Hong Kong. Desde o início do século XX. o que originou no colapso da economia e da qualidade de vida da população. Assim. pela indiferença do Governo russo com a crescente pobreza e o proletariado que sofria grandes dificuldades e a permanência na I Guerra Mundial. devido principalmente à opressão à oposição. um tempo de bonanza apareceu na Rússia. a União Soviética desmoronou-se. a Indochina. mas como não ganhou nenhum território. a Rússia viu-se abalada externa e internamente. sendo uma das maiores o fato de o Japão ser um país pobre em matérias-primas. através principalmente da língua. em 1991. que era gerada principalmente por ainda em alguns lugares praticarem o Feudalismo. ela. esteve do lado dos Aliados durante a I Guerra Mundial. à supressão e limitação de muitas liberdades e direitos individuais e à falta de produtos de consumo. E externamaente. Internamente. E com essas transformações económicas. porque o Governo já tinha grandes baixas e a sua esperança em ganhar era baixa. não hesitou em ficar contra os Aliados e por isso do lado do Eixo durante a Segunda Guerra Mundial. e juntamente com outras repúblicas socialistas. porque a Rússia Czarista sofria de muita oposição. mesmo com o colapso deste grande país comunista. Mas só que este crescimento econômico também tinha limitações. conseguiu garantir a posse de países e territórios do Sudeste Asiático. no que provocou a Revolução de 1917. com o comunismo instaurado na Rússia. Mas. da cultura e da economia dos países que continuam a ter monopólios russos. as Filipinas e tantos outros territórios. que são indispensáveis para o fabricação de produtos industrializados. e o desenvolvimento econômico centrou-se nas empresas estatais. nos quais o Japão exerceu uma grande influência e domínio imperialista.[editar] A crise russa e as suas mudanças econômicas Na derrota para os Alemães na I Guerra Mundial. transformou-se na poderosa União Soviética. Pesadas dívidas externas herdadas sobrecaíram sobre os comunistas e pesada oposição fizeram com que a Rússia se transformasse. Segunda Guerra Mundial e suas consequências . que viu a sua economia e estatuto internacional a crescer novamente e em força. o estatuto de grande potência e o papel imperialista (ou neoimperialista) da Rússia continua a perpetuar até hoje. Da década de 1990 até os dias atuais Já nos finais do século XX. ele viu-se obrigado a invadir territórios vizinhos para ter as matériasprimas necessárias em abundância e novos mercados consumidores para os seus produtos.

. podendo assim afirmar que se trata de um tipo de neo-imperialismo. O Império Romano dominou toda a África Mediterrânica. os romanos no século II a. a partir do século XIV.C.. na costa da Península Ibérica.C. no século VII e. História da colonização de África A história da colonização da África encontra-se documentada desde que os fenícios começaram a estabelecer colónias na costa africana do Mediterrâneo. a parte do norte da África e que rodeia o Mar Mediterrâneo. Uma das colónias fenícias mais importantes desta região foi Cartago. os vândalos. as colônias. no século seguinte..C.C. História da colonização da África A colonização fenícia A Fenícia foi um antigo reino cujo centro se situava na planície costeira do que é hoje o Líbano.Com as duas bombas atómicas lançadas pelos EUA contra o Japão e consequente derrota do último.[1] A colonização romana Em 146 a. no Mediterrâneo oriental. os gregos iniciaram um longo processo de expansão. A colonização grega A partir de 750 a. no norte de África. as quais chamavam de apoíkias.C. formando colônias em várias regiões. bem como na Austrália e na Nova Zelândia. A colonização árabe . os árabes. estabelecendo colónias em todo o norte de África. Cartago foi destruída por Roma no que se pode considerar a implantação daquele império no Norte de África. mas com a indenização dos EUA para o Japão por causa das bombas e a ajuda econômica concedida pelos EUA chamada de Plano Marshall do Extremo Oriente. finalmente. por volta do século X a. este país asiático conseguiu reorganizar-se em pouco tempo e ressurgindo como uma potência hegemônica na região que anteriormente dominou. Esta civilização desenvolveu-se entre os séculos X e V a. principalmente no Egito. que tomaram algumas colónias romanas já no século V da nossa era. seguidos pelo império bizantino. e nas costas do mar Negro. palavra que pode ser traduzida por "nova casa". Seguiram-se os gregos a partir do século VIII a. no sul da França. os estados modernos da Europa.C. fundaram aí novas cidades. ou seja. Japão viu-se arruinado em pesadas dívidas externas por causa da sua derrota. mas agora apenas exercendo um papel imperialista social-industrial e econômica. Entre os séculos VIII e VI a. quando ocorreu a descolonização na África. como Sicília e sul da Itália.C.

tribos aliadas foram separadas e tribos inimigas foram unidas. tais col nias foram perdidas quando. a competição entre as metrópoles pelo domínio dos territórios africanos intensifica-se. Porém. As pot ncias europeias desenvolveram uma "corrida à África" massiva e ocuparam a maior parte do continente. onde as potências coloniais negociaram a divisão da África. as Comores. Moçambique. no princípio do século XIV. que tinha sido recentemente formada por escravos libertos dos Estados Unidos da América. início do XX. 90% das terras já estavam sob domínio da Europa. durante a Segunda Guerra Mundial) e a Libéria. o que contribui para muitosdos conflitos atuais no continente africano. começa o neocolonialismo no continente africano. com a Conferência de Berlim (1884). Esses países dominaram as regiões de seu interesse e entraram em acordo para dividir o continente. . No século XIV. em 1891 o sultanato vira protetorado brit nico. Porém os europeus não cuidaram com a divisão correta das tribos africanas. como a Alemanha. de fato. Os únicos países africanos que não foram colônias foram aEtiópia (que apenas foi brevemente invadida pela Itália. propuseram para não invadirem áreas ocupadas por outras potências. O processo de ocupação territorial. criando muitas colônias.A coloni o dos árabes ocorreu durante os séculos VIII e IX e abrangeu todas as terras que formam o Deserto do Saara e grande parte da África Ocidental e a zona costeira da África Oriental Omã ¢ ¡  Durante o século XVIII o Omã estabeleceu várias col nias ultramarinas. é marcado pelo aparecimento de novas pot ncias concorrentes. a primeira fase do colonialismo africano surge da necessidade de encontrar rotas alternativas para o Oriente e novos mercados produtores e consumidores. alguns chefes locais. não respeitando as características étnicas e culturais de cada povo. A partir de 1880. exploração econômica e domínio político do continente africano por pot ncias europeias tem início no século XV e estende-se até a metade do século XX. No princípio do século XIX. que institui normas para a ocupação. Os seguintes países dividiram a África e "formaram" países africanos existentes ainda hoje. Entre outras características. A partilha é feita de maneira arbitrária. gerando assim muitas guerras internas. com a expansão do capitalismo industrial. com o declínio do sultanato. Ligada à expansão marítima europeia. No fim do século XIX. dentre as quais estão o Baluchistão (atual Paquistão). No início da Primeira Guerra Mundial. a Bélgica e a Itália. Pode dizer-se que a colonização recente da África iniciou-se com os descobrimentos e com a ocupação das Ilhas Canárias pelos portugueses. exploradores europeus chegaram a Áfric Através de trocas com a. os europeus foram capazes de capturar milhões de africanos e de os exportar para vários pontos do mundo naquilo que ficou conhecido como a escravidão. A partilha da África tem início. Madagascar e Tanzania . muitos países europeus foram até a África em busca das riquezas presentes no continente.

os ingleses. No Oceano Índico. mas ainda no século XV. os franceses obrigaram o sultão de Marrocos a assinar o Tratado de Fez. Em 1444. Em 1912. Os portugueses continuam com Cabo Verde. São Tomé e Príncipe. nos anos que se seguiram ocupando a grande parte do Norte de África e da África ocidental e central. depois de vários referendos: y y a ilha de Mayotte. os franceses e os holandeses expulsam os portugueses das melhores zonas costeiras para o comércio de escravos. mas não formaram verdadeiras colônias até ao século XIX. o Egipto foi também conquistado por um breve período. os franceses colonizaram a Île de Bourbon (actual Reunião). Foram os seguintes os actuais países africanos que se tornaram independentes de França no século XX (data da independência. O verdadeiro interesse da França por África manifestou-se em 1830 com a invasão da Argélia e o estabelecimento de um protectorado na Tunísia. A partir de meados do século XVI. Mas a verdadeira "descoberta" de África iniciou-se um pouco mais tarde. nas Comores. vários territórios africanos continuam sob administração francesa. em 1881. mas a dominação francesa nunca se estendeu para além da área imediatamente à volta do Nilo. limitando-se a traficar escravos para as suas colónias nas Caraíbas. Durante a segunda metade do século XV os portugueses foram estabelecendo feitorias nos portos do litoral oeste africano. Angola e Moçambique. Dinis Dias descobre Cabo Verde e segue-se a ocupação das ilhas ainda no século XV. [editar] A colonização britânica . abrindo as portas para a colonização da costa oriental da África pelos europeus. em 1756. Portugal e Espanha conservam antigas colônias. mas que são reclamadas por Madagáscar e Maurícia. foi no Senegal que os franceses primeiro estabeleceram entrepostos em 1624. formando. em 1664. Durante o reinado de Napoleão. povoamento este que se prolongou até ao século XIX. Entretanto.A colonização portuguesa A colonização portuguesa de África foi o resultado dos descobrimentos e começou com a ocupação das Ilhas Canárias ainda no princípio do século XIV. e a ilha da Reunião e várias outras ilhas que dependem administrativamente deste departamento ultramarino. Île Royale (actualmente Maurícia). [editar] A colonização francesa Na África. A primeira ocupação violenta dos portugueses em África foi a conquista de Ceuta em 1415. tornando-se outro protectorado. Bartolomeu Dias dobrou o Cabo da Boa Esperança. em 1880. expandiram-se para o interior e para sul. em 1718 e as Seychelles. em ordem cronológica): Entretanto. No virar do século. a colónia do Sudão Francês (actual Mali) e. Guiné-Bissau.

tapetes e animais. no nordeste e no sudeste e no sul também do continente. principalmente. os restantes territórios africanos começaram a obter a independência a partir da década de 1950 e. Camarões. marfim. A descolonização da África A ocupação da África pelas potências europeias prosseguiu até depois do final da Segunda Guerra Mundial. já menos lucrativa. direcionando o comércio africano para a exportação de ouro. que se tinha tornado autónoma em 1910. Ruanda. A colonização italiana A Itália conquistou a Líbia. . os britânicos estabelecem novas colônias na costa e passam a implantar um sistema administrativo fortemente centralizado na mão de colonos brancos ou representantes da coroa inglesa. Os atuais estados africanos que se tornaram independentes do Reino Unido foram (por ordem cronológica): A colonização neerlandesa Os neerlandeses estabeleceram-se na litorânea Cidade do Cabo. na África do Sul.No final do século XVIII e meados do século XIX. em que participaram os quatro países africanos independentes nessa data. o Saara Espanhol e o norte do atual Marrocos. os africanos ficam com o mercado dominado pelos interesses do Império Britânico. Tanzânia (a parte continental ou Tanganica. Para isso. Burundi e Namíbia. os ingleses. num processo que se chamou descolonização. Combatem a escravatura. quando as colónias começaram a obter a independência. A descolonização não foi pacífica. que tinha proclamado unilateralmente a sua independência em 1922. na forma de domínio do Império Britânico. com enorme poder naval e econômico. A colonização alemã A Alemanha colonizou as regiões correspondentes aos atuais Togo. Os ingleses estabelecem territórios coloniais em alguns países da África Ocidental. a partir de 1652 e dominaram o que antes de 1994 era a província do Cabo. os bôeres perdem o domínio da região para o Reino Unido na Guerra dos Bôeres. assumem a liderança da colonização africana. A colonização espanhola A Espanha colonizou a Guiné Equatorial. A colonização belga A Bélgica colonizou o Congo Belga (atual República Democrática do Congo). e da África do Sul. a partir da Conferência de Bandung. Em consequência disso. Com exceção do Egito. a Eritreia e a região autônoma da Somália. Mais tarde. a Somalilândia ou Somália Italiana. Desenvolvem na região uma nova cultura e formam uma comunidade conhecida como africâner ou bôer. em 1958.

ainda subsistem vários territórios de África ocupados por países europeus. as potências coloniais tentaram manter o seu domínio através do seu apoio a políticos amigos ou através de vínculos entre os territórios semi-autónomos e a Europa. Outros territórios. administradas pelo Reino Unido. Ascensão e Tristão da Cunha. já na década de 1990. Os últimos países africanos a alcançarem a independência. ao abrigo de uma antiga tutela da Sociedade das Nações. como as ilhas Reunião e Mayotte.embora nem sempre fosse forçada através de guerras de libertação. . que tinham ficado sob administração. No entanto. foram a Namíbia e a Eritreia. respetivamente da África do Sul e da Etiópia. como foi o caso das colónias portuguesas e da Argélia. como as possessões espanholas em Marrocos e as ilhas de Santa Helena. decidiram por referendo popular manter-se parte da República Francesa.