You are on page 1of 3

OAB 1ª FASE - EXTENSIVO VESPERTINO

Disciplina: Direito Penal


Prof. Patrícia Vanzolini
Data: 05.11.2009
Aula nº 07

TEMAS TRATADOS EM AULA

I – PARTE ESPECIAL

TÍTULO VI - Crimes contra a dignidade sexual

CAP I – Liberdade sexual

Art. 213, CP – estupro


Art. 214, CP – AVP
Art. 215, CP - violação mediante fraude
Art. 216-A, CP – AP mediante fraude
Art. 216-A – assédio

CAP II – Crimes contra vulnerável

Art. 217, CP – sedução


Art. 217-A, CP – estupro de vulnerável
Art. 218, CP – corrupção de menores
Art. 218, CP – mediação para satisfazer a lascívia de outrem com vulnerável
Art. 218-A, CP – prática de atos libidinosos na pr esença de vulnerável
Art. 218-B, CP – prostituição de menores

CAP III - Rapto


Art. 219 a 222, CP

CAP IV – Disposições Gerais


223 – qualificadas
224 – violência presumida
225 – Ação penal (modificado pela L.12.015)
226 – Causas de aumento

CAP V – Lenocínio
227 – mediação para satisfazer a lascívia de outre m
228 – facilitação da prostituição
229 – casa de prostituição
230 – rufianismo
231 – tráfico internacional de pessoas
231-A- tráfico interno de pessoas

CAP VI – Ultraje ao pudor público


Art. 233 – ato obsceno
Art. 234 – escrito ou objeto obsceno

CAP VII
Art. 234-A – causa de aumento de pena
Art. 234 – segredo de justiça

CURSO – OAB EXTENSIVO VESPERTINO – Direito Penal – Patrícia Vanzolini – 05.11.2009 – Aula n. 07
Antes Depois da Lei 12.015/09
Art. 213, CP – constranger mediante violência ou 213, CP – constranger mediante violência ou grave
grave ameaça mulher à conjunção carnal . ameaça a praticar ou submeter-se conjunção carnal
Obs.: violência real ou presumida. ou outro ato libidinoso.
Obs.1: estupro = antigo estupro + antigo atentado
violento ao pudor.
Obs.2: trata-se de tipo misto alternativo.
214, CP – constranger qualquer pessoa mediante Obs.3: só pode ser praticado com violência real.
violência ou grave ameaça a praticar ou submeter-se Obs.4: qualquer pessoa pode ser vítima do crime,
a ato libidinoso diverso. exceto o vulnerável.
Obs.5: qualificadoras.

Art. 217, CP-A – Estupro de vulnerável


Antes Depois
Ato libidinoso com vítima não maior de 14 anos, Praticar conjunção carnal ou outro ato libidinoso com
alienada mental ou que não podia oferecer menor de 14 anos, com enfermidade mental ou que
resistência. não possa oferecer resistência.
Pena: 6 a 10 anos. Pena: 8 a 15 anos.
Obs.1: relação sexual no dia do 14º aniversário /
relação sexual forçada no dia do 14º aniversário.
Obs.2: pode ser praticado com ou sem grave
ameaça.
Obs. 3: qualificadoras.

Art. 215, CP – Violação sexual mediante fraude


Antes Depois
Art. 215 – posse sexual mediante fraude. Art. 215 – violação sexual mediante fraude.
Art. 216 – atentado ao pudor mediante fraude. Manter conjunção carnal ou ato libidinoso mediante
fraude ou outro meio.
Outro meio: é preciso que vítima que não esteja
privada da capacidade de livre manifestação.

• Art. 216-A, CP - Assédio Sexual


*Não há violência ou grave ameaça.
* Crime formal que se consuma com o constrangimento.
* Necessária superioridade entre o autor e a vítima.
* Superioridade laboral.

Alteração trazida pela lei 12.015/09 – acrescentou qualificadora quando a vítima é menor de 18 anos.

• Mediação para satisfazer a lascívia de outra

Art. 218, CP Art. 227, CP


Induzir o menor de 14 anos a satisfazer a Induzir alguém a satisfazer a lascívia de outrem.
lascívia de outrem Forma qualificada vítima <18 e >14
O terceiro responde por estupro de vulnerável

• Praticar atos libidinosos na presença de vulnerável


Elemento subjetivo: intuito de satisfazer lascívia própria.

• Prostituição de menores

CURSO – OAB EXTENSIVO VESPERTINO – Direito Penal – Patrícia Vanzolini – 05.11.2009 – Aula n. 07
• Favorecimento a prostituição

Art. 218-B Art. 228


Submeter
Induzir
Atrair Qualquer pessoa
Facilitar Obs.: “consumidor” não
Impedir / Dificultar o abandono da comete crime
prostituição
Menor de 18 anos ou pessoa que
por enfermidade mental que não
possua o discernimento
Obs: o consumidor também
responde pelo crime desde que a
vítima seja maior de 14 anos
O responsável pelo local também
responde pelo crime.
Em ambos os casos, se o crime for praticado com o intuito de lucro aplica-se também a multa.

• Casa de Prostituição (art. 229, CP)


A lei 12.015/09 retirou a expressão local destinado para encontros libidinosos.
Trata-se de crime habitual - não admite tentativa.

• Rufianismo (art. 230, CP)


Tirar proveito:
- Participando diretamente dos seus lucros;
- Fazendo-se sustentar no todo ou em parte por quem a exerce.
Trata-se de crime habitual – não admite tentativa.
A facilitação consome o rufianismo.

• Tráfico de pessoas

Tráfico Internacional Tráfico interno


Promover ou facilitar a saída do território de Promover ou facilitar o deslocamento
pessoa para o exercício de prostituição em território nacional de pessoa para o
exercício da prostituição
Pena: 03 a 08 anos Pena: 2 a 6 anos

CURSO – OAB EXTENSIVO VESPERTINO – Direito Penal – Patrícia Vanzolini – 05.11.2009 – Aula n. 07