O outro lado da Inovação

Nilton Bahlis dos Santos e Alberto de Francisco Pesquisadores do Next (Icict/Fiocruz)

“A política de saúde (…) deve ser analisada de maneira bastante singular como uma política pública que tem dupla referência. [Quando se fala de] equidade, integralidade, universalidade, em diminuição do sofrimento humano, em prevenção de doença, aumento da expectativa de vida”, falamos dos componentes sociais da política de saúde (Guimarães, 2007). Mas para que o aspecto social da política de saúde se mantenha e desenvolva são necessários recursos crescentes, o que nos leva ao outro aspecto de como viabilizá-las. Uma das hipóteses trabalhadas na Área da Saúde é de que a solução para o problema da sustentabilidade do SUS poderia estar em um outro componente da política de saúde, relacionado ao chamado complexo industrial da saúde: o setor económico, composto de agentes públicos e privados que produz fármacos, medicamentos, dispositivos diagnósticos, vacinas e hemoderivados. Este setor está inserido em um mercado comercial extremamente competitivo, onde o agente público é obrigado a garantir seu espaço, como qualquer empresa privada, para viabilizar sua política nacional de saúde de interesse social. A Fiocruz se integra neste complexo de várias formas: ela participa na produção, como acontece na área de vacinas onde tem função decisiva como instituição de pesquisa; contribui para o complexo de saúde com a própria inovação no desenvolvimento dos serviços de saúde; aumenta o poder do agente público ao influenciar a pesquisa e a indústria de saúde nesta ou naquela direção; e permite alavancar recursos e aumentar seu poder de negociação junto aos agentes privados através do uso de seu patrimônio intelectual, patentes e direitos. Dentro desta perspectiva nos últimos anos, a preocupação com inovação ganhou importância nas políticas públicas e na Fiocruz. Esta preocupação já está presente nos anos 80, quando o então presidente da Fiocruz, Sérgio Arouca, que estimulou a criação do NEP (Núcleo de estudos especiais da Presidência) que gerou diversos GTs, dentre eles o de Propriedade intelectual (que mais tarde se transformou na Gestec). Como um desdobramento recente destas preocupações recentemente foi criada uma Vice-presidência de Produção e Inovação em Saúde e feitos esforços de estruturação do Sistema Gestec/Nit (DEFINIR). Segundo Carlos Gadelha, então vice-presidente, o objetivo da vice era “reforçar o papel da área de produção da Fiocruz como base estratégica para uma política de inovação em saúde, flexível do ponto de vista gerencial e comprometida com a transformação do complexo industrial da saúde” (Gadelha, 2010).

o que ampliou e começou a descentralizar as atividades relacionadas a patrimônio intelectual. e. Um ponto culminante deste processo foi a criação de um Porta-fólio de Inovações. Mas. 2010). preferencialmente para o incremento do Sistema de Inovação em Saúde brasileiro (SIS). Além disso. uma das contribuições é este artigo. . houve um esforço para levantar o que existe em termos de patrimônio intelectual e patentes. Esta iniciativa tem grande importância. com a importância da Fiocruz. para difundirmos conhecimento. proteção ao software) pode-se ainda.. como organização pública.) de subsidiar a formulação de políticas nacionais para o desenvolvimento em saúde” (Gadelha. para ser o de como criar e viabilizar a Inovação em saúde. e outro (. do ponto de vista do interesse público. Por um lado se procurou definir melhor um problema de fundamental importância sobre quais os direitos de propriedade intelectual que correspondem ao pesquisador e a instituição. para a qual. é importante entender que elas não respondem a todas as necessidades de uma instituição pública de pesquisa. o sistema de patentes. Neste sentido o problema deixa de ser apenas uma questão de administração do patrimônio gerado pela Inovação. No ano de 2010 foram feitos importantes esforços pela Gestec/Nit para organizar a gestão interna da inovação na área da produção. terminou por abrir uma discussão sobre as políticas de inovação na Fiocruz que possa dar vazão a esta diversidade. ela tem outra função conforme nos afirma o próprio dirigente: “a Vice-presidência tem dois pilares de sustentação: um voltado para a gestão interna da produção da Fiocruz. que possa ser assumido em negociações da Fiocruz com os seus clientes potenciais. na área de saúde coletiva. visto a diversidade das práticas e pesquisas da Fiocruz. a partir das unidades. aumentando as possibilidades de retorno para a Instituição e seus pesquisadores. Ao mesmo tempo. estrategicamente. tendo consciência da importância destas iniciativas de política de Inovação. No caso da Fiocruz o que se deseja é contribuir com a saúde pública. mesmo que o Porta-fólio possa ainda não ser representativo do conjunto das Inovações da Instituição.. foi estruturada uma rede de NITs para trabalhar a Inovação. O que importa é que ele é um primeiro passo e um importante instrumento para organizar o processo de gestão do patrimônio intelectual da Instituição.Com a proteção por patentes e outros mecanismos de Propriedade Intelectual (direito de autor. mais especificamente com o SUS. garantir que ninguém vai se apoderar daquela invenção para fins que sejam diferentes daqueles que o inventor deseja. o sistema Gestec/Nit procurou assumir o controle dos procedimentos necessários para patentear produtos e processos e preservar o patrimônio intelectual. Usar as regras globais. Por outro. Além de se colocar em condições de influir e competir no interior do complexo industrial de saúde. para ser apresentado às empresas que buscam parceira com a Fiocruz.

concebia algo. ou outros agentes. consolidando-o. O primeiro tipo de atividade tem uma lógica diferente dos outros: a concepção é algo incontrolável. conhecimentos e novas formas de interagir que criam novas realidades. Em geral. As inovações emergem. a Quinina ou a Insulina foram fruto de erros e acasos. quando acontecem fatos inesperados que colocam novos problemas e necessidades. também por emergência de novas percepções. a Penicilina. não cria novos padrões. Antes de mais nada devemos lembrar que não é por acaso. Em geral ele apenas “desenvolve” algo. que conseguem realizar coisas. A Inovação não pode ser antecipada. Ocorre ainda em áreas de conhecimento ou fazer. ou negociando seus direitos. anteriormente não imaginadas. por outros. ao estudar as alternativas para seu desenvolvimento em função de objetivos claramente definidos. Mas não existiria inovação se não houvesse invenção. assegurar os direitos e viabilizar no mercado. e se mostraram posteriormente como altamente úteis (http://www. por mudanças no mercado que criam novas exigências. mas que no processo adquire novas características e formas. em função do aumento da velocidade e da competitividade do . é passível de um maior controle e está relacionada as lógicas e práticas do mercado. desenvolvimento e gestão. organizando a produção. ela é resultado do desvio de algo que poderia estar previsto. onde agentes e pesquisadores não controlam completamente os processos. Isto ocorre particularmente em áreas de intersecção de especialidades. Inúmeras inovações na área da saúde como o Raio X. instrumentos e maneiras de fazer e produzir que permitem novas soluções. e novas tecnologias. nesta fase. Com o encurtamento dos prazos. Estas atividades antigamente eram vistas como fases e desenvolvidas sucessivamente. quando a pesquisa se funde com ação e desenvolvimento. inventava. A gestão. pelo menos 3 tipos de atividades mais ou menos diferenciadas: concepção. Posteriormente esta ideia era desenvolvida pelo mesmo individuo ou grupo. se algo de diferente não tivesse sido concebido ou inventado. o que foi imortalizado pela expressão: Eureka!.A outra ponta da Inovação Muitas vezes se resume a questão do patrimônio intelectual ao aspecto relativo a sua gestão. se reinventa a inovação. Mas muitas vezes. patenteando-o. ou por alianças. que a Inovação muitas vezes tem sua origem em um erro ou no acaso. O desenvolvimento pode ser fruto de uma ação planejada e sob controle. É por isto que queremos chamar a atenção para o que pode originar e estimular a Inovação.pbs.org/wgbh/nova/cancer/discoveries. A Inovação é resultado de um processo complexo que inclui.html). A partir de então o mesmo individuo ou grupo. Alguém (um indivíduo ou grupo) tinha uma ideia. se encarregavam de gerir o patrimônio intelectual que tinha sido criado. pois em geral ele não inova. sozinho ou em aliança. colocando-o no mercado.

a Internet vem gerando uma nova realidade para a Inovação ao colocar em uma mesma plataforma todo o tipo de atividade. onde se considera que nunca existirá um produto final. no início. divisão tarefas e retornos. usado por milhões de pessoas. com possibilidades amplas de interação. as metodologias utilizadas para gerar e gerir a Inovação. Rever conceitos. basta desenvolver as “sinapses” necessárias. etc. interações. programas e serviços são lançados e desenvolvidos sem estarem acabados para que se desenvolvam e adquiram novas configurações através de seu uso e desenvolvimento por uma multidão de usuários e desenvolvedores. nestes processos complexos de Inovação. pronto e acabado. produção. o processo de inovação subverte completamente os planos estabelecidos e/ou seu significado. pois o mundo hoje. Evidentemente que. nesta como em todas áreas da ciência. Reforçada pelos processos de convergência de tecnologia. para os quais. por exemplo. Exatamente por que se busca o novo. em sua manifestação como ideia.. As possibilidades estão todas presentes nesta plataforma. que já se dá por alianças produzidas pela gestão. desenvolvimento e gestão (distribuição.mercado. como o Twitter. Nesse tipo de concepção. Nos processos complexos estes fatores se embaralham ainda mais. ao amplificar a possibilidade de interações estimulando os processos de inovação. O que nos parece é que os processos complexos nos cobram uma forma nova de abordar o processo de Inovação e a formulação de suas políticas. etc. aquele programa respondia a pergunta frivola “What are you doing?” e hoje é um instrumento de trabalho e uma mídia de massa. desenvolvimento e gestão começaram a se misturar: a patente passa a ser pedida logo no início do desenvolvimento. . As políticas desenvolvidas para Inovação. Em muitos casos. A Internet nos mostra como em sistemas de grande complexidade e diversidade. hoje em dia. ao permitir a socialização de experiências. ao transformar processos locais em universais. que não é descoberto por quem inventou. se centram quase exclusivamente no produto. se subverte a lógica de inovação. Algumas iniciativas. mas por alguém que tinha uma necessidade e lhe deu um uso não previsto originalmente.. Na Internet é conhecido o conceito de Beta perpétuo. é radicalmente diverso dos processos de inovação tradicionais. é uma necessidade urgente. ao se estender além de qualquer tipo de especialização. adquirindo características inesperadas. exige pensar e agir de acordo com esta nova realidade que estamos construindo. criação. desenvolvimento e gestão e mesmo misturando-os. Isto leva a uma aceleração do surgimento de novas ideias e um encurtamento do processo de inovação aproximando criação. que se conforma em uma única rede e manifesta sua complexidade.) ocorrem ao mesmo tempo. E a Inovação não fugiria a esta regra. no caso da Internet. Para aproveitar esta potencialidade dos processos de invenção em rede. adquiriram funções que não foram idealizadas pelos seus lançadores. a Inovação se obriga a buscar metodologias diferentes das tradicionais que tentam se antecipar e controlar todo o processo. e o tipo de patrimônio cultural que se constrói nestas relações.

através de instrumentos de regulação (políticas públicas e investimento de recursos). e pela criação de estímulo ao mercado. e assim viabilizar sua continuidade. Por parte do Estado. inclusive históricas. serviria para assegurar este retorno. As possibilidades de modificá-lo (ou organizá-lo) eram muito limitadas em função da pouca possibilidade de processamento da informação. dadas estas dificuldades. Cuba e outros processos revolucionários. além do fato de ser por aí que se viabiliza e circula o dinheiro. ou por países que se colocaram em centros de comércio e circulação (península ibérica na época das grandes navegações). e recursos restritos para se investir na Inovação em maior escala. E a patente. era por que existiam possibilidades (em uma escala maior do que os limites da empresa). em princípio. ou centros de pesquisas ou universidades como o MIT. de se intervir no ambiente com sucesso. com retornos limitados do ponto de vista da Inovação.desenvolvimento e gestão. pouca possibilidade de viabilização de interações múltiplas acessíveis por todos. nos textos introdutórios sempre se fala sobre um outro elemento. é que as possibilidades de intervir no ambiente por parte das empresas eram basicamente intervir em suas relações de fidelidade com seu consumidor e através de relações de mercado (relações com parceiros e fornecedores. que só . Além do Patrimônio Intelectual Uma das razões de se abordar a Inovação como produto.000 pesquisadores e cientistas para sustentar o esforço aliado na Segunda Guerra Mundial. Mas praticamente nenhuma destas experiências se concretizou como um ato de planejamento. Os ambientes bélicos também são propícios a inovação. Por isso que a questão do patrimônio ganha esta importância. foram obrigados a reiventar sua economia. suas fábricas e seus produtos. seja porque no mercado se pode “pagar” o investimento feito em pesquisa. Mas poderíamos apontar uma série de ambientes que se destacaram como inovadores. que obedece uma lógica de interesses privados. como a reunião de cerca de 4. que acaba se transformando em motor e centro do desenvolvimento da Inovação. ou em regiões com grande migração e exílio (Paris). este aspecto sempre ficou relegado a retórica. Alguns por situações políticas como as que aconteceram no Vietnam. e a dimensão social e a Inovação como uma necessidade social. mas por razões. por exemplo. Ocorreram por fatos além da vontade de dirigentes e empresários. Isto provoca uma tensão entre esta dinâmica de mercado. viabilizando-os sem insumos e peças que lhes eram essenciais. Em geral se relaciona ambiente de inovação a ideia de algo com finalidade de mercado. Em geral. O resultado. que submetidos a bloqueios econômicos. onde por fatores particulares se reuniram e circularam muitas expertizes diversas. seja porque nele a inovação encontra uma razão de ser (justificativa de ganhos e de garantir uma vantagem competitiva). a necessidade de um ambiente favorável.

O modo de fazer isto não é investir principalmente nos homens ou grupos de pesquisa isoladamente. as possibilidades no mercado. o que seria o meio de assegurar o controle privado e se apropriar e tornar mais rentável os investimentos (dos outros) em inovação. Visto por este lado. não há como deixar de se considerar como necessário um ambiente inovador. e onde se concretiza todo o processo de inovação será na gestão. e práticas. uma das grandes bandeiras do capitalismo contemporâneo seja a luta contra a “pirataria” e pela “defesa dos direitos autorais e patentes”. que apesar de se falar da necessidade de um ambiente para que se desenvolvam as inovações. Não é também por azar que. Na realidade existe uma visão de que a inovação é resultado de um processo particular em relação ao produto: um ato de pessoas ou grupos que inventam e desenvolvem uma ideia particular. também. mas investir muito. sempre se pensa e se trata basicamente do produto. é criar um ambiente favorável para que ela ocorra. Não é portanto por azar. O desenvolvimento também pode ser comprado ou terceirizado. Alias. na transformação de todo o processo em uma vantagem competitiva e em sua exploração. se observe basicamente o ambiente econômico. O que se pode fazer. Podemos apontar algumas características de um ambiente favorável a Inovação: 1) A existência de uma ampla circulação de informações. teorias. na cultura da organização. e estimular sua continuidade para que ela se viabilize. Esta lógica econômica de certa forma pauta a discussão e as iniciativas relacionadas a Inovação. de amplas possibilidades de interação e experimentação que viabilizem o contato e intercâmbio constante com uma grande variedade de metodologias. experiências. É aí onde ela realmente ganha valor de mercado e onde se viabiliza o seu retorno. relacionadas ao desenvolvimento do conhecimento e a objetivos sociais. Mas quando a inovação está vinculada a interesses mais amplos. onde a Inovação pode se transformar em recurso. . é importante que se tenha consciência que não há forma exata de produzir inovação e não é possível prever onde e quando ela ocorrerá. Este tipo de lógica está muito ligado ao lado econômico da Inovação. a inovação ganha outro significado e o ambiente passa a ser fundamental. o desenvolvimento e a gestão tem um determinado valor monetário. Mas quando se elaboram políticas ou desenvolvem ações. no ambiente de pesquisa. como se ela surgisse de dentro da sua alma. a ideia. em um mundo onde a inovação deixa de ser construída principalmente em laboratórios e oficinas fechadas. As ideias podem ser compradas e com isto se evita perder tempo e dinheiro trabalhando em coisas incertas e que podem fracassar (por isso as empresas investem tão pouco em pesquisa). Na realidade quando se discute Inovação.secundária e indiretamente contribuiram para seu acontecimento.

O que procuramos neste artigo é levantar algumas questões e reflexões. congressos internos. Através da rede se tem acesso aos mais diversos tipos de informação. e nem sempre. formulação de políticas. se desdobram. com o objetivo de contribuir para a ampliação da política de inovação em nossa instituição. em praticamente todas as áreas da saúde. debates. eleição de dirigentes. Do mesmo modo. criando campos especializados de conhecimento e separando ciência e técnica. se desenvolvem e se viabilizam na Rede. A existência da Internet e a ampliação das possibilidades de processamento de informação criadas pelas novas tecnologias. experimentações. contamos com as diversas câmaras técnicas. a dados. Contamos com muitos fatores favoráveis para Inovação no ambiente de nossa instituição. metodologias. se manifestam. Os processos surgem. se reduziu. viabilizaram a pesquisa em rede. Contamos com uma diversidade muito grande de pesquisas. etc. a ações em desenvolvimento. mas circulação particularmente dos procedimentos políticos. por ambas conviverem e serem acionadas a partir de uma mesma plataforma. das pesquisas e desenvolvimento que mantem suas atividades mais compartimentadas. através do reconhecimento público e de sua divulgação na coletividade e fora dela. a possibilidades de simulação. com eventos. ou raramente. da invenção e da inovação individual ou de grupos. a sensores mais variados. que podem cumprir um papel importante.2) O estímulo e a valorização da criatividade. Um apoio ágil e que não precise de largos processos burocráticos. Novas formas de Pesquisa em época da Internet e das Ciências da Complexidade Antes de mais nada é importante uma reflexão sobre o ambiente de pesquisa tradicional e como é que ele se desenvolve a partir das possibilidades criadas pelas novas tecnologias: 1) A especialização foi a estratégia da ciência tradicional para superar as limitações técnicas de processamento da informação. Com uma estrutura dotada de uma dinâmica democrática. . 3) O apoio material e de recursos às iniciativas inovadoras. o que implica em uma política de financiamento especificamente dirigida para isto. propostas pelo Nit/Icict. a experiências empíricas. e com estruturas criadas pela Gestec/Nit. o que viabiliza uma certa circulação de informação. algumas redes de gestão. A brecha entre teoria e prática. os Nits das unidades. pensamento e ação. elaboração de teorias. o que por sua vez modificou os parâmetros de espaço e tempo e iniciou um processo de encolhimento das distâncias entre estes diferentes aspectos do conhecimento.

individual ou de uma equipe) que lhe concretizou/atualizou ou permitiu sua manifestação. ciência de código aberto. Mas a modificação dos parâmetros de tempo. compartilhamento de bancos de dados. Não é só divulgar os resultados. explicito. pois a escala para viabilizá-las exige recursos e equipes imensos. Isto permite uma colaboração distribuída e massiva. compartilha o mesmo espírito que o software de código aberto. Viabilizou pesquisas que não poderiam ser feitas de outra forma. como as políticas de software e hardware livre (Projeto Arduino http://elearndev. participar do esforço de colaboração. o caráter coletivo da produção do conhecimento se torna.blogspot. a possibilidade de colocar em marcha importantes processos sincrônicos. 4) A rede propiciou. a . Estes e outros diferentes fatores já vem produzindo uma modificação na maneira de se fazer pesquisa. desenvolvem e testam teorias e dinâmicas extremamente complexas e de grande amplitude. A Open Science (Ciência Aberta). os dados preliminares da pesquisa podem ser interpretados por alguém que tenha mais experiência ou informações particulares. que constroem. portanto. e o estímulo de objetivos muito diversos. uma multiplicidade de ações. Os direitos autorais não podem ser tratados da maneira tradicional e se utilizam licenças Creative Commons ou GNU que permite customizar o que se está protegendo (o uso.2) O “paper” ainda continua sendo o principal produto de muitas pesquisas. Explicito porque na realidade ele sempre foi coletivo mesmo quando isto ficava escondido e só era valorizado o ato individual (um insight ou incremento. torná-los acessíveis e disponíveis através da Internet.html). Conceitos como pesquisa colaborativa. quanto da convivência de seus “momentos” diversos. suas práticas. Open Research (Pesquisa Aberta) ou Open Source Research (Fontes de Pesquisa Aberta). superpondo passado e presente como se fossem camadas geológicas. Portanto o "produto final" do projeto resulta de muitas contribuições ao invés do esforço de um pequeno grupo. tanto do ponto de vista da velocidade dos processos. agora. uma variedade de expertises. mas também a metodologia e bancos de dados.com/2011/01/arduino-how-to-learn-basics-of-physical. que exige a revisão dos métodos e modelos de produção de conhecimento e propriedade intelectual usados até a pouco. Assim. através de verdadeiros consórcios. A pesquisa ainda é organizada por grupos de pesquisa. mas o acesso a seus dados serve a toda a comunidade de pesquisadores. começam a frequentar os ambientes de pesquisa obrigando as políticas de inovação a assumirem novas formas. permitem acompanhar todo o processo de produção cientifica e criar uma infinidade de produtos derivados: 3) O individuo continua visto como o grande protagonista da inovação mas. com seus atores. sua história imediatamente acessíveis a partir de qualquer ponto do tempo e do espaço.

publicação. que visa reunir em um mesmo espaço físico projetos.thesynapticleap. O acesso a informação pode ser customizado pelo pesquisador.) que contribuem para a circulação da informação. pesquisas. comissões. é fundamental um conjunto de outras iniciativas. dos mais diversos processos de automatização que permitem que o usuário escolha ou simplesmente . etc. enfim.acs. não diretamente envolvidos nas pesquisas ou as novas ideias antes de elas converterem-se em motivo de uma pesquisa. centralizados e apoiados em mediadores. por exemplo através de uma plataforma Wiki. como The Synaptic Leap http://www. Temos ainda um projeto estruturante como o projeto do CDTS. As tecnologias interativas. (http://pubs. que pode oferecer uma contribuição fundamental. Mas para que estes polos não se isolem. ou redes sociais. The Useful Chem Project http://usefulchem.org/cen/science/84/8430sci1. na velocidade necessária. listas.org/. não permitem a circulação da imensa massa de informação das pesquisas desenvolvidas e estão longe de viabilizar articulações e rearticulação de processos e projetos. criam a possibilidade de circulação de uma massa de informações sem limite. como o projeto Genthe. na Fiocruz. como um polo para criação de um ambiente de Inovação na Instituição. Iniciativas vem sendo feitas na Fiocruz. para combater as doenças infecciosas comuns aos países em desenvolvimento. Redes Sociais: Sincronizar idéias. uso de Plugins e aplicativos. para que eles estimule inovação no conjunto da Instituição. a priorização da informação relacionada a gestão e as características tradicionais dos meios de comunicação utilizados. como é o caso da criação da rede de NITs.html). Mas o caráter especializado das articulações. projetos e iniciativas Existem já. assim como meios de divulgação (portais. que se desenvolveram a partir da Internet oferecem uma possibilidade neste sentido. o Open Source Drug Discovery Network ( http://www. que se propunha a organizar o debate sobre setores relacionados a novas tecnologias na área de saúde e foi descontinuado. através de uma série de instrumentos como busca aleatória. câmaras técnicas e projetos interunidades.com/. diversas iniciativas transversais.wikispaces.osdd. tais como dados finalmente rejeitados. Em junho de 2008 The Open Source Project Science foi lançado em Michigan para convidar os membros da comunidade da Internet para participar de projetos de pesquisa científica onde os pesquisadores publiquem seus dados de pesquisa sob uma licença Creative Commons.net/) foi lançado na Índia. pesquisas e Laboratórios de alta tecnologia de diferentes áreas. científico ou comercial). Algumas outras partes do ciclo do trabalho científico podem ser abordados sob esta ótica aberta. Em 2005 se iniciaram vários projetos Open Science sobre doenças negligenciadas. Em setembro de 2008. o desenvolvimento. robôs de busca. Viabilizando a publicação descentralizada. Outras.

pdf A ciência. viabilizam a extensão de suas atividades fora de sua fronteiras físicas e funcionais. Para isto capacidade de focar. As redes sociais que ganham importância hoje em dia. Arte e Sociedade (parceria entre o IOC e o Icict). http://www. abstrair aspectos secundários. procura isolar um problema para resolvê-lo. criam amplas possibilidades de interação e de flexibilizar estruturas. permitem a incorporação de colaboradores e parceiros da Fiocruz em seus projetos e ao mesmo tempo. o Next com o apoio do NIT/Icict.eliminem a necessidade de intermediários. que estuda as características particulares de uma rede colaborativa de pesquisadores. o apoio mútuo e solidariedade. e a Pesquisa sobre Multribuição. Por outro lado. e que se viabilizam entre homens. Estudos feitos pela equipe de Shelley H. A chamada inibição latente discrimina o ruído dos dados relevantes para a sobrevivência. vídeos e documentos. ao criar uma plataforma única de trabalho. são o Projeto da Rede Social Internet e Saúde (Rede de caráter internacional agrupando pesquisadores da área de Internet e Saúde). mostraram que os mais criativos tem sete vezes menos inibição latente. de estabelecer rotinas. Estímulos a criatividade e as ideias inovadoras Ignorar estímulos irrelevantes em um entorno sobresaturado de informação é uma conquista evolutiva. sem centro e onde ganham importância interações particulares que se verificam em processos complexos (interações não intersubjetivas. Criam a possibilidade de sincronizar a ação não apenas dos pesquisadores. são características suas fundamentais. que servem a criação de metodologias e desenvolvimento.ca/users/peterson/pdf/2000%20Peterson%20JB%20Carson%20S%20LI %20and%20Openness%20PID. vem desenvolvendo uma série de pesquisas. o compartilhamento de links. e a produção coletiva de conhecimentos.psych. permitindo sua adaptação às necessidades de ação e processos em curso. Alguns desses sub-projetos. A inovação se desenvolve exatamente quando se estabelecem . informação e formação. Visando a utilização de redes sociais na Fiocruz. criando a possibilidade de expansão infinita do sistema.utoronto. máquinas e ambiente). podem ser moduladas e combinar espaços fechados e abertos à participação externa. Viabilizam a troca de informações. mas também de gestores e funcionários em geral. Este tipo de procedimento leva o cérebro a estabelecer sinapses predefinidas a partir desta rotina. a Rede Social de Ciência. as redes sociais não sendo organizações finitas e fechadas. como é praticada hegemonicamente hoje. Carson (Departamento de Psicologia de Harvard). projetos e sub-projetos agrupados em um grande projeto de Redes Sociais na Saúde. o Projeto de um Dispositivo de Interação Virtual para Rede de Pesquisadores (que estuda as funcionalidades e características particulares dos dispositivos que permitem estruturar redes de pesquisadores).

registrando a história das ideias criativas e dos sonhos da Fiocruz. acompanharam.o TED . é o inicio de uma linha de trabalho. resultado de uma “distração”. inevitável quando da inexistência de redes eletrônicas. nos protocolos e relatórios.ganhou forças ao nível internacional e hoje se desenvolve em praticamente todo o planeta. Outras. Com isso teremos a possibilidade de transformá-lo em um articulador. de estímulo e valorização da criatividade que colocasse a questão da inovação e criatividade na ordem do dia na Instituição. em particular de alguns companheiros que por suas caracteristicas pessoais ou por uma destas oportunidades que a vida lhe brindou. como sensores. A compartimentação de atividades e dificuldades de articulação e circulação de informações. e pretendemos realizá-lo como um evento anual. que criam novas associações e possibilidades. mas ficaram em corações e mentes dos que viveram e as acompanharam. não conseguiram se realizar. para registrar a memória e ideias criativas da Fiocruz. iniciativa do NIT do Icict. que apontam novas possibilidades. pretendemos recuperar esta memória. Elas não foram registradas nos projetos. não tem registro.. O TED. criando um ambiente mais favorável a inovação. fez com que um sem número de ideias criativas que germinaram na Fiocruz não seja de conhecimento de seus funcionários. por falta de verba ou razões que não as invalidam. e o esforço de seus funcionários e dirigentes em sua construção.. O TEDXFiocruz.novas sinapses não previstas. Algumas dessas aconteceram e foram conhecidas. Trabalhando com esta visão e com o lema “ideias são para serem espalhadas”. atualmente sendo transformada em projeto. quando prestamos atenção para possibilidades não previstas. Exatamente por isso é que dizemos que inovação é desvio. com seus olhos e seus ouvidos. nos memorandos. que conta com a adesão da Unidade e do Sistema Gestec/Nit. Com o objetivo de incorporar esta iniciativa à nossa experiência e aproveitar a sinergia que ela gera. catalisador e registro de ideias criativas. viveram e estavam lá. Estas ideias e os sonhos que elas envolviam. serve como estimulo para que os membros de um coletivo prestem mais atenção a estas ideias que fogem a rotina. da necessidade de controle de patentes. registrando o TEDxFiocruz. um evento . O crescimento da Fiocruz. dentro da estratégia do NIT/Icict. vimos que poderíamos encaminhar uma iniciativa de impacto. Nos associamos ao TED. Valorizar as ideias criativas não previstas. como base para outras iniciativas como bancos de dados de ideias e incentivos para que algumas delas sejam levadas a prática. pode ser um momento para levar a discussão sobre Inovação na Fiocruz em todo os seus aspectos. às vezes por fatos fortuitos. Esta memória está depositada no coração e mente dos funcionários e pesquisadores que as acompanharam. Agora. limita o registro e a circulação de informações àquelas atividades que são “prioritárias” ou de mais importância imediata da . que quase dobrou seu número em cerca de dez anos. mas também em todos os aspectos que discutimos neste artigo.

em grande maioria. dando o direito. aproveitando o aniversário de 25 anos da Unidade. documentos ou arquivos. não são registradas. Elas são injustas porque o patrimônio intelectual jamais foi um processo produzido individualmente. mas que sobrevive apenas na memória de pessoas que viveram experiências criativas na Instituição.com/2010/11/realidades-y-mitos-sobre-el-sistema-de. Patrimônio Intelectual Coletivo O fato de que as formas de controle de produção de conhecimento e patrimônio intelectual que estão aí conseguiram viabilizar a concentração de recursos para que as inovações se desenvolvessem. na sociedade de informação. mesmo quando esta invenção pode evitar epidemias e calamidades. . para não falar da própria formação e educação do autor. visto o grau de complexidade que assume a ciência. das maneiras de fazer que trazem os instrumentos que ela usa. pois além de todo invento ser uma construção histórica e social. mas anti-sociais. O TED pode ser um início de esforço neste sentido. e de termos de entrar no jogo das patentes e direitos autorais. procurando utilizá-lo a serviço da saúde coletiva. A invenção se alimenta dos comentários de seus antecessores. O TED pode contribuir também para canalizar e tornar produtivo um patrimônio intelectual da Fiocruz. ela. Temos o paradoxo da ciência obrigar as referências autorais que a precederam e deram base (isto não é um reconhecimento que ninguém inventa algo do nada?). as formas tradicionais de produção e apropriação do patrimônio intelectual passam a ser um entrave para o próprio desenvolvimento da ciência. hoje. Por que reconhecer o direito apenas aos que fizeram o último ato? Anti-sociais porque transformam um patrimônio da humanidade (o conhecimento) em propriedade individual. que não se deposita nos seus repositórios.instituição. ou alimentar os famintos. de simplesmente vendê-lo ou não segundo seus interesses particulares. e muitas vezes as escalas em que ela tem de ser realizada. ele é alimentado por inúmeras fontes. que não são divulgadas e que. se propôs a organizá-lo em maio de 2011 como fundação de um processo de estimulo às ideias criativas.blogspot. é cada vez mais um entrave para o desenvolvimento da ciência. e com o apoio do sistema Gestec/Nit. da crítica de seus colegas e parceiros. Foi com esta preocupação que o Nit/Icict. que permitiram o exercício do olhar que viabilizou aquela invenção. http://interneteando-lara. como é concebida e praticada.html Mas além do mais. e possibilita criar uma dinâmica de recuperação deste capital intelectual colocando-o a serviço da Instituição. não nos impede de reconhecer que elas se mostram. relatórios. inclusive de descontinuá-lo. Ocorre que hoje. ao autor ou ao proprietário. não apenas como injustas. mas se reconhece como patrimônio intelectual apenas o incremento final do “autor”.

determinação de preços. está organizando uma pesquisa sobre as novas formas de produção de conhecimento. ⎯ Restrições as possibilidades de prorrogação das patentes por artifícios múltiplos. em associação com o Next. organizações de pesquisa e educacionais.). novas formas de compartilhamento. Por exemplo a Escala ou Índice de Apgar. que uma instituição pública. reconhecimento da produção coletiva de conhecimentos. como eles eram concebidos. Redes Sociais de Pesquisa.). que relativizam os direitos de patentes e autorais. o Nit/Icict. onde pesquisadores. mais flexível e permitindo a customização do nível de controle e autorização em função dos interesses e necessidades particulares do autor. Reconhecendo a importância destas discussões. por mecanismos extremamente simples. ⎯ O reconhecimento do limite destes direitos em função de interesses sociais (quebra de patentes de remédios. entre outros assuntos.neonatology. Um caso exemplar foi o das pesquisas em Alzeimer. orgãos governamentais e empresas. e não pode. de acordos e contratos cívis. por exemplo. ser patenteada. Hoje é aceito que nem toda a inovação pode ser patenteada. Podemos citar alguns avanços neste sentido: ⎯ O julgamento da autoria do patrimônio em fatos mais além dos registros formais (reconhecimento de autoria em função de prova de anterioridade. garanta sua autoria e restrições ao uso indevido de suas inovações. Além disto o surgimento e crescimento do Creative Commons criando uma outra possibilidade de registro e controle de direitos.html foi uma inovação definitiva para que os índices de mortalidade infantil descessem. ao mesmo tempo tornando pública. são. um teste desenvolvido pela Dra. o que é sua obrigação. novas experiências de controle de patrimônio intelectual. criado por ações políticas e por restrições em função do reconhecimento de outros direitos. Um caso importante para ser estudado Gostaríamos de terminar. suas pesquisas financiadas pela população.. . sentiram a necessidade de se associarem para desenvolver a pesquisa na área. com o objetivo de contribuir para um posicionamento da Fiocruz no relativo a estes assuntos.org/classics/apgar. consórcios de pesquisa. Virginia Apgar en 1952 para avaliar a saúde no récem nascido http://www.Hoje existem um certo consenso e reconhecimento de uma série de questões . etc. A licença do Creative Commons. pesquisas colaborativas. permite. com o registro de apenas uma das múltiplas experiências atualmente em curso que servem como inspiradoras para nosso trabalho. etc. questões que serão abordadas nesta pesquisa. nem deve.

"Era preciso encontrar alguma maneira de ver o que estava acontecendo no cérebro." A chave para o projeto de Alzheimer foi um acordo tão ambicioso como seu objetivo: não apenas para arrecadar dinheiro.Em 2003. Era necessário que todos juntos conseguissem um conjunto de dados comuns. um pesquisador de Alzheimer da . as indústrias de medicamentos e de geração de imagens médicas. Potter relembrou em uma entrevista. embora as empresas privadas acabariam por beneficiar-se de qualquer droga ou exames de imagem desenvolvidos como resultado do esforço.dar uma droga e esperar que ela faça alguma coisa". "Estamos muito animados. Nenhum pesquisador individuai poderia fazer isso sozinho. Ninguém possui os dados. um porta-voz da fundação. imediatamente. Ninguém pode apresentar pedidos de patentes. disse Holly Barkhymer. algumas com comprometimento da memória. o que não é surpreendente. se uniram em um projeto sem precedentes: um esforço conjunto para encontrar os marcadores biológicos que indicam a progressão da doença de Alzheimer no cérebro humano. A iniciativa surgiu de uma preocupação entre o ritmo de desenvolvimento das pesquisas sobre Alzheimer e sua complexidade e necessidades imensas para o seu desenvolvimento. o Dr. "Diferentes pessoas usando métodos diferentes sobre assuntos diferentes em lugares diferentes foram obtendo resultados diferentes. universidades e grupos sem fins lucrativos. alguns com memórias normais. como o Alzheimer progrediu e perguntar sobre as drogas experimentais que podiam alterar a progressão".. um grupo de cientistas e executivos do National Institutes of Health.. e não apenas para fazer pesquisas em larga escala. O esforço começou a dar frutos com uma riqueza de recentes trabalhos científicos sobre o diagnóstico precoce de Alzheimer usando métodos como tomografias e exames de líquido espinal. disse o Dr. O trabalho sobre a doença de Alzheimer "é o precedente". tornando cada único achado público. mas também para compartilhar todos os dados. "Foi inacreditável". trabalhavam em suas próprias pesquisas com seus pacientes e com seus próprios métodos”. Mais de 100 estudos estão em andamento para testar drogas que possam retardar ou impedir a doença. Muitos cientistas diferentes em muitas universidades diferentes. e nem poderiam empresas isoladas. John Q. a Food and Drug Administration. que seriam testado para possíveis biomarcadores e seguidos por anos para ver se estes marcadores sinalizavam a progressão da doença. disponível a qualquer pessoa com um computador em qualquer lugar do mundo. O projeto exigiria 800 indivíduos. " Mas isso exigiria um esforço enorme. “Queríamos sair do que eu chamei o desenvolvimento da droga do século 19 . alguns com Alzheimer. Trojanowski.

Rio de Janeiro: GESTEC-Nit). Montenegro. GUIMARÃES. . K.boingboing. B. Esta é uma das múltiplas experiências de pesquisas colaborativas que vêm sendo desenvolvidas. N.htm?from_info_index=151&infoid=1033 &sid=3 2) Pessoas distraídas são mais criativas http://www1.“Políticas Públicas em Saúde. DEGRAVE. Organização EMERICK. 2007.fiocruz.shtml 3) Novas Tecnologias na Genética Humana: Avanços e Impactos para a Saúde. http://groups. 252 p.com/group/comunidades-virtuais-nasaude/browse_thread/thread/e51185c9179c57ca 4) http://www. M.uol. M.net/2011/01/23/oscarwinning-saul-b. e decidido que todos os nossos dados seriam públicos imediatamente ". Referência Bibliográficas: 1) Entrevista do Gadelha http://www. R.html . complexidade e necessidades de expertises diversas.com/2010/12/20/de-donde-vienen-las-buenas-ideas-por-stevenjohnson-productividad/ 5) http://translate.Universidade da Pensilvânia.es/translate?js=n&prev=_t&hl=es&ie=UTF8&layout=2&eotf=1&sl=en&tl=pt&u=http://www.com.exe/sys/start.google.folha.br/equilibrioesaude/853753-pessoas-distraidas-sao-maiscriativas-do-que-as-concentradas.br/ccs/cgi/cgilua.arturogoga. Mas todos nós percebemos que não teríamos a chance de biomarcadores. W. a menos que todos nós deixássemos nosso ego e narizes de propriedade intelectual fora da porta.google. impulsionadas pela sua amplitude. C. "Não é a ciência da maneira que a maioria de nós tem praticado em nossas carreiras..

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful