You are on page 1of 11

Rescisão é precedida da relação contratual.

Sua terminologia serve para


definir o término da relação. Encontramos nos estudos da relação
contratual, tanto no trabalho, como nas demais, outras terminologias que
definem mais adequadamente a forma do fim do contrato.
• Deverá ser pago na rescisão os direitos assegurados por lei, podendo
ser efetuado os devidos descontos.

• Os descontos: contribuição previdenciária, imposto de renda, pensão


alimentícia, contribuição sindical, vale transporte são atribuídos por força
de lei. Outros descontos, como por exemplo, vale refeição, assistência
médica, cesta básica, seguro de vida, danos, etc, devem possuir
autorização por escrito do empregado

• O instrumento de rescisão ou recibo de quitação, qualquer que seja a


causa ou forma de dissolução do contrato, deve ter especificada a
natureza de cada parcela paga ao empregado e discriminado o seu valor,
sendo válida a quitação, apenas, relativamente às mesmas parcelas, CLT
art. 477 § 2º.

•Verbas Rescisórias normalmente consideradas são: férias, décimo


terceiros, FGTS, aviso prévio, entre outras.
IMPORTANTE
Ocorrendo atraso no pagamento da rescisão, deverá a empresa pagar
multa para o empregado e para o governo. A multa para empregado é de
1 (um) salário base. Já a parte do governo equivale, atualmente, a 160
(UFIRs), recolhido na guia darf.
Existem algumas circunstâncias em que a empresa pode despedir o empregado usando motivo de "justa
causa". A justa causa é o pior dos motivos de dispensa do trabalhador, porque faz com que ele perca uma
série de benefícios, como a multa de 40% sobre o FGTS, a possibilidade de sacar o FGTS de imediato, as
férias proporcionais e o 13o salário. Isso sem falar na anotação na carteira de trabalho.

Art. 482. Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador:
a) ato de improbidade;
b) incontinência de conduta ou mau procedimento;
c) negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador, e quando
constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado, ou for prejudicial ao
serviço;
d) condenação criminal do empregado, passada sem julgado, caso não tenha havido suspensão da
execução da pena;
e) desídia no desempenho das respectivas funções;
f) embriaguez habitual ou em serviço;
g) violação de segredo da empresa;
h) ato de indisciplina ou de insubordinação;
i) abandono de emprego;
j) ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço
contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas
condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou
de outrem;
k) ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas
praticadas contra o empregador e superiores hierárquicos,
salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;
l) prática constante de jogos de azar.
Instrutora: Adriana Curso: Auxiliar Administrativo com Secretariado 1ª AULA
Accioly