You are on page 1of 20

Racismo, Colonialismo e Racismo

Moderno

Deivison Nkosi
Professor: Historia da África
Deivison Nkosi
AFRICA
• Processos imperialistas (últimos 3.500 anos)

– Proto-europeus (gregos – romanos – vândalos)

– Semitas (hicsos – assírios – persas – turco-otomano – arabes)

– Asiáticos do sul (indonésios …)

– Europeus ocidentais (espanhóis – portugueses – franceses –


holandeses – belgas – ingleses …)

• (Distorções historiográficas e antropológicas)


2. Racismo, Colonialismo e Racismo
Deivison Nkosi
moderno
O que é Racismo?
• Visão liberal
– Preconceito individual/intolerância
– Fruto do Conceito de Raça

– Culturalista
– exótic

• Visão economicista
– Reduzida mecanicamente à dominação de classe

• “Pan Africanista”
“Gestão racial monopolizada dos recursos do planeta”
(Moore, 2008)
2. Racismo, Colonialismo e Racismo
Deivison Nkosi
moderno
O que é Racismo?

“O racismo, vimo-lo, não é mais do que um elemento de um conjunto mais


vasto: a opressão sistematizada de um povo (...) Assiste-se à destruição
dos valores culturais, das modalidades de existência. A linguagem, o
vestuário, as técnicas são desvalorizados. Na realidade, as nações que
empreendem uma guerra colonial, não se preocupam com o confronto
das culturas. A guerra é um negócio comercial gigantesco e toda a
perspectiva deve ter isto em conta.
A primeira necessidade é a escravização, no sentido mais rigoroso, da
população autóctone.Para isso, é preciso destruir os seus sistemas de
referência. A expropriação, o despojamento, a razia, o assassínio objetivo,
desdobram-se numa pilhagem dos esquemas culturais ou, pelo menos,
condicionam essa pilhagem. O panorama social é desestruturado, os
valores ridicularizados, esmagados, esvaziados.Desmoronadas, as linhas
de força já não ordenam. Frente a elas, um novo conjunto, imposto, não
proposto mas afirmado, com todo o seu peso de canhões e de sabres.”
(FANON, 1969)
2. Racismo, Colonialismo e Racismo
Deivison Nkosi
moderno
“O mundo colonizado é um mundo cindido
em dois. A linha divisória, a fronteira, é
indicada pelos quarteis e delegacias de
polícia. Nas colônias o interlocutor lefal
e institucional do colonizado, o porta-
voz do colono e do regime de opressão
é o (…) soldado… nas regiões colonais,
ao contrario (dos paises europeus), o
gendarme e o soldado, por sua
presença imediata, por suas
intervenções diretas, e frequentes,
mantém o contato com o colonizado, e
o aconselham, a coronhadas ou com
explosões de napalm, a não se mexer...
O intermediário não torna mais leve a
opressão, não dissimula. Exíbe-as
manifestas –as com a boa consciência
das forças da ordem” (FANON, 1968)
Deivison Nkosi
O Racismo segundo Carlos Moore
• Simbologicisação
– Alteridade alienada (reificação e demonização)
– Motivados por conflitos civilizatórios reais
– Supra-racional

• Estruturas sistêmicas
– Organização social segundo critérios fenotípicos

• Estruturas intelectuais normativas


– Ordem filosófico-moral sustentadora (ideologia)
(Moore, 2007)
2. Racismo, Colonialismo e Racismo
Deivison Nkosi
moderno

Presença de visão racial pré-moderna

• Cheiq Anta Diop


Deivison Nkosi
2. Racismo
Periodização
Primeiras dispersões: 100
mil anos
(melanodermicos)

• 40 mil anos (Ásia e


Austrália)

• 30-35 mil anos


(Europa)

• 18 mil anos (América)

(MOORE, 2007)
Deivison Nkosi
Os Berços Civilizatórios
Condições extremas de subsistência

Regiões setentrionais Berço setentrional


Condições naturais
diferenciadas
Homo- sapiens Diásporas
Regiões meridionais Berço meridional

Condições férteis para a subsistência


Periodização

. Primeiras dispersões:
100 mil anos
(melanodermicos)

. 40 mil anos (Ásia e


Austrália) Espaços civilizatórios distintos
. 30-35 mil anos (Europa)
Implicações culturais significativas
18 mil anos (América)

(MOORE, 2007)
Berços
Deivison Nkosi
civilizatórios

Berço setentrional
• Condições climáticas extremas
– Escassez de recursos básicos
– Natureza hostil
– O outro como ameaça

• Cultura correspondente
– Belicismo (Natureza – outros individuos – outros grupos) – questão de
sobrevivencia
– Poder masculino (patriarcado)
– Divindades dominadoras masculinas (expulsão do paraíso – necessidade do
Religare)

(MOORE, 2007)
Deivison Nkosi
Berços civilizatórios
Berço meridional
• Condições climáticas favoráveis
– Disponibilidade de recursos básicos
– Natureza favorável
– O outro como possibilidade

• Cultura correspondente
– Partilha
– Comunalismo
– Matriarcado
– Natureza divinizada
– Inexistência da xenofobia (exemplo nordeste)
– Religiões abertas a convivência– (inexistência de mitos de expulsão do
paraíso)
Deivison Nkosi
Encruzilhadas civilizatórias
2. Racismo, Colonialismo e Racismo
Deivison Nkosi
moderno
(Moore )
• Harapa
• Modo de produção escravista (Grecia e Roma)
• Escravidão Racial (Árabe)
• Escravismo mercantilista (Europeu)
– Como a Europa subdesenvolveu a África
– Como subdesenvolveu os africanos no mundo

(MOORE, 2007)
2. Racismo, Colonialismo e Racismo
Deivison Nkosi
moderno
Racismo moderno(“Como a Europa subdesenvolveu a África”)

A reestruturação produtiva do Capital


•Racismo Contemporâneo
(Eugenia e Guetização na democracia burguesa)

Investimentos Externo Diretos


•Neo colonialismo

Industrialização e monopolismo (ocupação imperialista do continente)


•(abolição e subsunção dos negros nas Américas)

Mercantilismo (acumulação primitiva de capital)


•Relação comercial desproporcional e tráfico escravista
Tratado de Belim

O Congresso de Berlim 15 de Novembro de 1884 e 26 de fevereiro de


1885 ██ Bélgica
██ França
██ Alemanha
Objetivo: organizar a ocupação de África pelas potências coloniais ██ Grã-Bretanha
██ Itália
██ Portugal
██ Espanha
██ Estados independentes
Mapa de África Colonial em 1913.
Deivison Nkosi

Os combustíveis
O racismo – ideologia-chave do colonialismo
2. Racismo, Colonialismo e Racismo
Deivison Nkosi
moderno
Racismo moderno
Eugenia

Polícia Brasileira Monteiro Lobato


2. Racismo, Colonialismo e Racismo
Deivison Nkosi
moderno
Racismo moderno
Eugenia no Sec XXI
Deivison Nkosi A superação do racismo
• Distribuição racial dos recursos econômicos,
políticos e culturais do planeta (Reparações).
• Reconstrução simbólica
• A busca da “verdadeira humanidade”

A superação do Capitalismo
Deivison Nkosi
sdeivison@kilombagem.org