Atos administrativos são os que exprimem a vontade estatal,na forma do regime jurídico administrativo e com o objetivo de produzir efeitos

jurídicos que atendam ao interesse publico Classificação dos ATOS administrativos.1)NORMATIVOS:são aquels atos que contem um comando geral do executivo, orientando a execução da lei: (decreto)privativo do chefe do poder executivo(regulamento)normas de caráter geral-obs.art 84-(regimento) normas de estruturação dos órgãos e dispõe sobre normas processuais(resolução e delibração)são atos de órgãos colegiados em matéria de sua competência. São atos que contem um comando geral,impessoal,como o regulamento o decreto,regimento(é ato admint normativo de aplicação interna,destinando-se a prover o funcionamento dos órgãos) e resolução(é ato editado por altas autoridadesministros,secretários do estado) 2)ORDINATÓRIOS: são normas dirigidas aos servidores públicos disciplinando a sua conduta funcional no cumprimento de suas atribuiçõesInstruções/circulares/ordens de serviço.atos disciplinadores da conduta interna da administ ,endereçadas aos servidores,como as instruções ,os avisos, os ofícios, 3) NEGOCIAIS:são auqles em q há uma declaração de vontade da administração com a pretensão dos administrados.Esses atos se objetivam em àlvaras, em despachos que possibilitam a realização de negócios jurídicos e o exercício de direitos não chega a constituir um contrato.É unilateral.Exprime manifestação de vontade bilateral e concordante:administ e particular sugerindo a realização de um negocio jurídico.Licença,autorização e permissão são xemplos correntes.-especie d alvará-A licença não pode ser negada e a autorização pode ser recusada e a qualquer tempo invalidada, a permissão exprime por fim faculdade outorgada ao particularpara utilização especial de bem publico Ex:alvará de licença para edificar,construir e exercer profissão). Licença/ato vinculado-gera direitos adquiridos(v) Autorização/permissão-atos discricionários-pode decidir a qualquer momento sem permissão(D) Aprovação-são atos de controle.pode ser Discicionário ou Vinculado.Age de acordo com a lei(D,V). Admissão-é um ato vinculado(v). Visto-são atos de controle,ato vinculado(v) Homologação-são atos de controle.ato vinculado(v) Dispensa-ato discricionário-liberação de cargo(D) RenunciaDesistencia de um direito.é um ato vinculado(v) 4)ENUNCIATIVOS:Alguns chamam de meros atos administrativos.Não tem uma declaração d

vontade,reconhce uma:certidão,atestados, pericias. Apenas atestam,certificam uma situação de interesse do particular ou da própria administ,tal como ocorrem com as certidões,atestados pareceres normativos e técnicos. 5)PUNITIVOS-são atos administrativos quem tem sanções,podem ser de dois tipos:disciplinares-estão aplicados aos servidores públicos e queles subordinados a disciplina,são aquels concorrente ao poder d policia normativo.Atos que possuem uma sanção imposta ao particular ou ao agente publico ante ao desrespeito as disposições legais,regularmentarias ou ordinatórias,ex:multas administrat.,interdição administrat,destruição de coisa.

Celso Ribriro bastos/QT a atuação jurídica(império-sempre prerrogativas pública/gestão-privado da administração,não precisa d prerrogativas)Qt a formação da vontade(simples-única declaração d vontade=unipessoal,ex:presidente da repúblicacolegiado=pluripessoas/complexosdeclaração d vontade d 2 ou mais órgãos que se somam para a realização do atos administrativos.ex:nomeação do minstro do STF pelo presidente da republica,1-indicado,2aprovado(senado);3nomeado/composto=envolve duas declarações de vontade,em q um deles é pressuposto d validade.QTO ao conteúdo:constitutivo-crer,modificar ou extinguir o contratodeclaratória.EXTINÇÃO DOS ATOS ADMINSRATIVOS/FORMAS DE EXTINÇÃO;1)sgotamento dos seus feitos,ex:demolição das barracas d praia.Derrubou esgotou seus efeitos. 2)desaparecimento do sujeito ou do objeto.ex:falência/morte do sujeito. 3)retirada do ato:motivo de conveniência oportunidaderevogação-descumprimento de condições nociais-cassaçãocaducidade-renúncia e ilegalidade.A forma de extinção depende da natureza,especie ou efeitos jurídicos do ato divergindo a doutrina quanto a terminologia. Revogaçao extinção d um ato administrativo ou dos seus efeitos ou motivo de conveniência ou d oportunidade m virtude de superveniência do interesse publico extinção ordenada por razão de mérito,pela apuração da oportunidade e conveniência(não convem ao interess publico a manutenção do ato) .a)sujeito ativo:somente a administração pode revogar seu poprio atos(sumula 473-stf/lei 9784/99,art

desvio d finalidade__finalidade.em princípio todos os atos administrativos podem ser revogados:atos concretos sofrem limistaçõs. fazendo cessar seus efeitos a partir do momento da revogação.anuláveis/celso bandeira-nulos. Anulação/invalidação: quando um ato administrativo estiver eivado em vício pode a Administração anulá-lo de ofício ou por provocação de terceiro.c)motivo-incoveniencia ou a inoportunidad.obs:os outros são anuláveis.. todos os efeitos provocados pelo ato anulado também são nulos.d)objeto-o ato ou a relação invalida. todos os efeitos surgidos enquanto o ato permaneceu válido também o são. com defeito em um dos lementos da sua estrutura jurídica(nasceu c defeito em um dos seus elmntos). Convalidação: é o processo de que se vale a Administração para aproveitar atos administrativos com vícios sanáveis.quando as razoes de fase do direito enfocadas para a produção dos atos inexiste.desde então(retroativo)A anulação e a revogação constituem as principais formas de extinção do atos.lei 9784/99-os atos serão declarados nulo ou sera convalidados(são aquels que podem ser repetidos sem vicio-atos portados de vicio da competência/vicio de forma/vicio de finalidade-obs:ñ podem ser convalidados:objetos.atos compostos dependem de controle. Convalida-se por ratificação. Na reforma ou conversão.atos enunciátiveis não são atos revogáveis. ou seja.CONVALIDAÇÃO:Art 55. ilegalidade do objeto quando os efeitos agride a norma jurídica. Extinção natural: extingui-se pelo natural cumprimento do ato. Assim.a questão da invalidade do ato administ.e)efeitos-ex nunc.d)objeto-é um ato ou uma relação jurídica válida ou eficaz. ou pode o judiciário anulá-lo também.b)fundamento-competencia discricionária. é a perda de efeitos jurídicos em virtude de norma jurídica superveniente contrária àquela que respaldava a prática do ato defeitos dos atos. o novo ato suprime a parte inválida do anterior.ilegalidade do objeto__objeto.c)motivo-ilegitimidade do ato.ineistencia de motivos. a autoridade que praticou o ato ou superior hierárquico decide sanar o ato inválido anteriormente praticado.motivo e alguns que tem vicio de procedimento.Produzindo com vício.pois normalmente geram direitos adquiridos e são barreiras intransponíveis. ou seja.53). Na ratificação.b)fundamento-dever de legalidade. pode aquela revogá-lo motivadamente e garantido a ampla defesa dos interessados.inexistência d motivo__motivo. reforma ou conversão.473) (pode fazer de oficio ou a requerimento da autoridade)poder judiciário. Caducidade ou decaimento: neste caso.inxistntes.e)efeitos-ex tunc.§único. . A anulação age retroativamente.incompetencia quando o ato praticado não se enquadra no rol de atribuições do agente público. de modo a confirmá-los no todo ou em parte..mediante provocação. Portadores/imcopetencia__comptenci a.art 2 da lei 4717/65são nulos atos administ.a)sujeito ativoadministração(sumula346 STF. mantendo sua parte válida. Cassação: extingue-se quando o beneficiário de determinado ato descumpre condições que permitem a manutenção do ato e seus efeitos.desvio de finalidade quando a autoridade embora competente utiliza finalidade para fins diversos.irregulares/oswald aranha-nulos. É prerrogativa da administração não podendo ser invocada por meio judicial.assi são tidas como interrogáveis os.somnte é possível qd não cauar prejuízo a terceiros uma vez q stes desde que prejudicadospela .A convalidação é a supressão de um vicio do ato administrativo ou novo ato administrativo com efeito retroativoretabelecer a legalidade-proteger a boa-fé e a estabilidade jurídica.vicio de forma se configura qd ha inobservância da forma do procedimento. a retirada do ato se funda no advento de legislação posterior que impede a permanência da situação anteriormente consentida.os motivos eo objeto do ato admnt. suprindo a ilegalidade que o vicia.atos cumpridos/esgotavieis-já foram executados não podem ser revogados.a confirmação difere da convalidação pq ela não corrige o vicio do ato ele o mantem tal como foi praticado.ineficaz..invalidação:é uma supressão de atos administrativos ou da relação jurídica dele nascida em virtude da sua desconformidade com o odenamnto jurídico.-hely Lopesvalidos/inválidos-seara fagundesnulos.vicio de forma__forma.obs.a anulação ou invalidação contitui principio.anuláveis. Revogação: em virtude de a administração não mais julgar oportuno e conveniente o ato administrativo.anuláveis.é obigatoria sempre q a ilegalidade atinge a finalidade.

empresa pública. Exemplos de autarquias mais conhecidas.decisão poderão impugna-la pela via administrativa ou judicial.. sejam próprias e típicas do Estado.INDIRETA:autarquia. e outros mais. 4)controle-tutela administrativa-“supervisão ministerial”. federal. Autarquia é uma pessoa . dotada. que foram criadas para realizar atividades de Governo de forma descentralizada. São elementos necessários à conceituação das autarquias os relativos àpersonalidade jurídica.ato unilateral(permissão e a autorização de serviços ou de atividades). criada por lei para desempenhar funções que.atuam em nome próprio-PATRIMONIOformação e natureza jurídica.Orgão que se incubem dos programas.mediante controle administrativo exercido nos limites da lei. São os próprios organismos dirigentes.XIx).de bens moveis e imóveis da entidade statal a quem se vinculam. vinculadas a união federal:o INSS .porque ela surge precisamente qd se destaca determinado serviço público do estado p atribui-lo outra pessoa jurídica dai o seu conceito como seriço publico descentralizado. 5) vinculadas.territorial.criada por lei especifica(Cf. à forma de instituição e ao objeto. estadual ou municipal. o IBAMA .sujeição a controle ou tutela.Outra ideia ligada a autarquia é a de descentralização.capacidade de auto administração.personalidade jurídica publica.ADMINIST. de características especiais . o Banco Central do Brasil.A organização administ é o aparelho que atua através dos órgãos supremos do estado que tem como função orientar a sociedade. Autarquia. 2)personalida jurídica própria. CONTROLE JURISDICIONAL ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA :CONCEITO.funcional./DESCENTRALIZAÇÃO:tirar do centro. Administração indireta é aquela composta por entidades com personalidade jurídica própria.Organização administrativa brasileira.Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária.econômico. Segundo Granjeir]. conjunto de regras.Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos naturais renováveis. e sua organização é imposta por decreto. À luz desses elementos conceitua-se autarquia como a pessoa jurídica de direito publico..CARGO E EMPREGOS PUBLICOS-ATOS-LICITAÇÕES E CONTRATOS-PRERROGATIVASCONTROLE-Administração direta é aquela composta por órgãos ligados diretamente ao poder central. Fundações.mpsa publica.criada por lei.serviço)/OUTORGA:quand o são criadas pessoas administrativas:executar atividd do estado-autarquia.art 37.DIRETA:presidênci a da republica e Ministério {setorespolitico.social.sociedade d emprsa mista)/DELEGAÇÃO:ato bilateral.CARACTERISTICAS:Criação por lei. despidas de caráter econômico.para o desempenho de serviço publico descentralizado.consiste na transferência de atividade de serviços para serem exercidos.-PESSOAL.regulamento ou estatuto.Instituto Nacional do Seguro Social.entdads do governo que executam as diretrizes correspond ao aparelho administ burocrático.com capacidade de auto administração. É o fenômeno da repartição de competência dentro da pessoa jurídica através dos seus órgãos.d ministrativa.fundação.envolve sempre pessoa jurídica distinta(plotica. a Comissão de Valores Imobiliários. fundação pública. Estados e Municípios também tem suas próprias autarquias.-DIRIGENTES-a investidura dos seus dirigentes é fixado na lei de criação.militar}. são essas as características das entidades pertencentes à administração indireta Organização administrativa brasileira Administração indireta – autarquia É uma modalidade de pessoa administrativa.(administ centralizada ou admnist direta)/DESCONCENTRAÇÃOsignifica a distribuição.especialização dos fins ou atividades. instituída pelo estado para o desempenho de atividade predeterminada . a comissão de Energia Nuclear. 3)autonomia administrativa.executados por outra pessoa jurídica.pessoa juridicad direito publico. São exemplos as Autarquias. sociedade da economia mista 1)criadas por lei ou mediante autorização legislativa. seus ministérios e secretarias.ADM INIST. principio qu estrutura a dministração. integrante da administração indireta. 6)Incidencia d normas de direito público.Principios:CENTRALIZAÇÃ O-significa que os órgãos e atividades estão integradas na pessoa jurídica do estado.o INCRA .a extinção tb depnde de expressa previsão legal-ATRIBUTOS -detem personalidade jurídica popria. Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista.constituído a partir de transferência.mediante concessão ou permissão de serviço publico.

não se aplica o regime de direito privado na íntegra. para realizar atividades econômicas ou serviços públicos de interesse da Administração instituidora nos moldes da iniciativa particular.As sociedades de economia mista possuem como principais características a personalidade jurídica de direito privado. 49.jurídica criada pelo Estado. A CF/88 em seu art. com a participação do Poder Público e de particulares no seu capital. podendo revestir de qualquer forma admitida em direito. O Decreto .37 se refere a autarquias como sendo de administração indireta do estado. Ele afere a conveniência e a necessidade de deflagrar o processo criativo. como também disse claramente que essa categoria era integrante da administração indireta. com destaque a obrigatoriedade de realizarem licitações e concursos públicos. ( Conselhos de Fiscalização do Exercício profissional). em regra. diverso da empresa pública. por normas de direito público. com capital exclusivamente público.lei nº 200 de 25/02/1967.X e 70. ofereceu não somente a conceituação de autarquia. Como às empresas públicas. Ademais. visa a atribuirlhes algumas funções que merecem ser executadas de forma descentralizada. a que a lei atribui personalidade jurídica de direito público ou privado. São semelhantes à empresa pública. pois são entidades da Administração Pública algumas normas públicas são aplicadas a estes entes. cuja característica seria a de atribuir prerrogativas especiais e diferenciadas a certas autarquias. as empresas públicas não realizam atividades típicas do poder público. na sociedade de economia mista é possível que haja capital privado. Empresas Públicas Empresas públicas são pessoas jurídicas de direito privado criadas por autorização legislativa específica. Características . Porém. Contudo devemos destacar que o controle será público. capital exclusivamente público. criadas para a realização de atividade econômica de interesse público. Sua função é administrativa. e criação por autorização legislativa específica. para consecução . A lei de criação da autarquia deve ser de iniciativa do presidente da república. total ou parcialmente público. Daí não poderem criar regras jurídicas de auto-organização. Elas dividem-se em: Empresas públicas unipessoais – são as que o capital pertence a uma só pessoa pública. nem terem capacidade política. Vinculação de um patrimônio a uma finalidade pública. corporativassão formadas de pessoas. O estado quando cria autarquias. realização. Também se refere a autarquias por várias vezes com a expressão entidades autárquicas (art. as pessoas jurídicas de direito privado. o revestimento da forma de sociedade anônima. Fundações públicas Conforme explica a doutrinadora Di Pietro: “A fundação instituída pelo Poder Público caracteriza-se por ser um patrimônio. tendo o Estado a maioria absoluta das ações com direito a voto.caput ). Apesar de serem pessoas jurídicas de direito privado. De acordo com doutrinadores quanto ao regime jurídico. e a criação por autorização legislativa específica. a detenção por parte do Poder Público de no mínimo a maioria das ações com direito a voto. Características Este ente da Administração Pública Indireta possui as seguintes características: personalidade jurídica de direito privado. as derrogações do regime de direito privado por normas de direito público. derrogações (alterações parciais) do regime de direito privado. Que podem ser dividas em:a) autarquias comuns (ou de regime comum): estas sujeitas à disciplina jurídica sem qualquer especificidade b) autarquias especiais (ou de regime especial): estas regidas por disciplinas legais específicas. não se aplica o Direito Privado integralmente às Empresas Públicas. São os conceitos de fiscalização das atividades profissionais. a realização de atividades econômicas. tendo como diferenças básicas o fato do capital ser diverso. Note-se que. podendo somente ter a forma de sociedade anônima. revestimento de qualquer forma admitido no Direito. o capital público e privado. e a vedação de seus servidores acumularem cargos públicos de forma remunerada. 37 caput. mas sim atividades econômicas em que o Poder Público tenha interesse próprio ou considere convenientes à coletividade. Elas próprias elegem os seus próprios diligentes. em nenhum momento afirma que elas integram a administração indireta. e Empresas públicas pluripessoais – são as que o capital pertence a várias pessoas públicas. de atividades econômicas. De seguimentos profissionais. Sociedade de Economia Mista São consideradas sociedades de economia mista. o chefe do executivo. as autarquias podem ser: ) Fundacionais administrativas ou de serviço.

prestado pelo Estado ou por quem lhe faça as vezes. estadual e municipal. como compromete a confiança que deve predominar na relação funcional do agente público com o Estado. O principio da probidade administrativa consiste na proibição de atos inequivocadamente desonestos ou deleais para com o poder público. Nos serviços sociais autônomos. a perda da função pública. em oposição a autarquia corporativa. Teoria geral do serviço público ( art. uma regida pelo Direito Público e outra por normas privadas. no exercício de suas atribuições ou a pretexto de exercê-las. que funciona de forma paralela ao Estado sem integrá-lo. educação. cumulativamente. Generalidade. O serviço público pode ser essencial ou não essecencial. como é o caso do ensino universitário.” Observa-se assim que há dois tipos de fundação. cultura. surge uma entidade paraestatal. Ela está numa zona intermediária. gozando de privilégios e sofrendo restrições próprias da Administração Pública. a imparcialidade. Urbanidade – o usuário deve ser bem tratado. paralelamente ao Estado. chamada de autarquia fundacional.base legal: CF – art. em regra.deve estar disponível para tantos quantos preencham os requisitos para a sua obtenção. O serviço público pode ser: Federal. Entidades do terceiro setor/ entidades Paraestatais A expressão entidade paraestatal é amplamente utilizada para denominar as organizações sociais autonômas. porém em colaboração com o poder público e sem perder. a lealdade às instituições e a prestação de contas. 175 da CF lei 8987/95) Toda atividade de oferecimento de utilidade ou comodidade material fruível diretamente pelos administrados. reservada para atividades sociais não exclusivas do Estado. sem se confundir com o serviço público próprio do Estado. a legalidade. As tarifas devem ser subsidiárias – para baixar os custos. assim sendo. Estes também exercem atividades sociais não exclusivas do Estado. sendo por isso mesmo. A improbidade se configura quando o agente público. A improbidade administrativa como infração de natureza disciplinar. sob regime de direito público. O parágrafo 4º do art 37 da CF estabelece que “ os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direito políticos. É cediço na doutrina moderna que a fundação pública é um patrimônio dotado de personalidade jurídica. tanto afeta a preservação do patrimônio público. se afasta do dever da probidade. praticados por agentes seus ou terceiros. violação aos princípios da administração pública. o desempenho de atividade atribuída ao Estado no âmbito social. a natureza de atividade privada de interesse público. educacional ou cultural. Em verdade. o seu regime jurídico é idêntico ao das autarquias. o serviço. que são: a criação por dotação patrimonial. Diferencia-se por submeter-se a um regime jurídico de direito privado. IV e pela lei nº 8429/92. mas quando remunerados. realizando uma atividade de interesse público. Características Compete a nós ressaltarmos as peculiaridades das fundações públicas. Improbidade. 37.continuidade de atendimento as necessidades da sociedade. possuem personalidade jurídica de direito público. Hipóteses especificas da improbidade – enriuecimento ilícito.112/90 – art. é necessária a dotação de um de conjunto de bens. e criação por autorização legislativa específica. sujeitam ao controle ou tutela por parte da Administração Direta. para ser criada. E aqui também há uma diferença grande em relação aos serviços sociais autônomos. Que ele receba as informações que ele precisa.permanência. como já dito.de fins público. A fundação deverá ter sempre por objetivo a realização de atividade social. Modalidade – em principio o serviço público deve ser gratuito. da pesquisa e outras. o que se está fazendo com a instituição deste tipo de organização social é criar uma nova forma de delegação de serviço público. que vai funcionar. 132. quando tem personalidade pública. do serviço hospitalar. pela lei nº 8. Eficientemáximo beneficio com o minimo de ônus. É vocacionado para a universialização. Ela não é serviço público e não é atividade inteiramente privada. A probidade envolve a honestidade. como saúde. Requesitos para um serviço adequado. A característica principal das organizações sociais autonômas é a colaboração com o poder público. paragráfo 4º. mas. lesão aso cofres públicos. As fundações de direito privado regem-se pelo Direito Civil em tudo o que não for derrogado pelo direito público. meioambiente e assistência social. a indisponibilidade dos bens e o . as tarifas devem ser modicas/ compatível com a capacidade de pagar dos usuários.

1 Conceito: corresponde ao exame que a Administração Pública faz sobre a sua conduta. para corrigi-los. sendo-o usualmente p a atuação das infrações mais graves e que estão sujeitas a imposição d demissão. c)controle posterior – busca reexaminar atos já praticados. Abrange os órgãos da Administração direta e as pessoas jurídicas que integram a Administração indireta.Controle Judicial. 137).Pode esta er especial(constituída para o processo)ou permanente(para todo processo) e composta por agentes efetivos de cargo idêntico ou mais elevado do q o servidor acusado. homologação. prevendo-se a indisponibilidade dos bens. desfazê-los ou apenas confirmá-los.. 132. o art. Ex: aprovação.5. b)controle concomitante – exercido ao mesmo tempo em que se realiza a atividade.cassação de aposentadoria.” À sua vez.Ainstauração desse processo adm disc é ordenada pela autoridade competente para a aplicação da sanção. Ex. art. b)controle de mérito: exercido pela própria Administração. com o objetivo de garantir a compatibilidade de sua atuação com os princípios que lhe são impostos pelo ordenamento jurídico. b)controle financeiro: art. convocação de ministro de Estado para prestar informações.ressarcimento ao erário. LXXII.A comissão elaborara.suspensão por mais de 30 dias. por iniciativa própria ou mediante provocação. pois busca impedir a expedição de ato ilegal ou contrário ao interesse público.Controle Administrativo 3.perda do cargo. 5º. revogação.violação de deveres funcionais e imposição de sanções a servidores públicos. Poder Judiciário não pode invadir o mérito do ato administrativo.sendo ele presidido por comissão processante vinculada ao órgão ou entidade. inoportunos ou inconvenientes. da lei n° 8112/90.3 Controle sobre as entidades da Administração Indireta (tutela) é um controle externo que só pode ser exercido nos limites estabelecidos em lei.destitui ção de cargo em comissão. 3.O PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR. Legislativo e Executivo. financeira e orçamentária a cargo do Congresso Nacional com o auxílio do Tribunal de Contas da União.4.A obrigatoriedade do processo administrativo disciplinar é estabelecido no regime jurídico a que estiver sujeito o agente publico. Habeas Data – art.Meios de Controle para movimentar o Poder Judiciário: Remédios constitucionais: Habeas Corpus – art. 5º. quanto à legalidade ou ao mérito de seus atos. fundação pública. e não poderá voltar ao serviço público federal ( parágrafo único do art. da CF).2 Limites: análise da legalidade (art. 2. financeira e orçamentária (CF. determinado pela Administração Pública. visando a impedir que a autarquia. 2.3. 5º. Mandado de . sem prejuízo da ação penal cabíbel (art. 2.2.como visto o relatório opinativo. 2. Ex: fiscalização contábil.3 Quanto à localização do órgão controlador (integrante ou não da estrutura do órgão controlado): a)controle interno: controle que cada um dos Poderes exerce sobre sua própria atividade administrativa.disponibilidade. 5. 136). da CF – “a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito.1 Sistema de unidade de jurisdição (jurisdição una) .4 Quanto ao aspecto da atividade administrativa a ser controlada: a)controle de legalidade: exercido pelos 3 Poderes.1 Quanto ao órgão que o exerce: administrativo. LXXIII e 37. ressarcimento ao erário. empresa pública ou sociedade de economia mista se desviem dos objetivos previstos na lei específica que as criou ou instituiu.é o meio hábil a apuração de faltas disciplinares. 5º .2 Controle sobre os órgãos da Administração direta é um controle interno (hierárquico) e decorre do poder de autotutela que permite à Administração rever os próprios atos quando ilegais.Definição de controle da Administração Pública: dever de verificação e correção que sobre ela exercem os órgãos dos Poderes Judiciário.2 Quanto ao momento em que se efetua: a)controle prévio (a priori) – controle preventivo.Controle Legislativo. IV erige a prática de atos da improbidade à causa de demissão. no inciso.6. XXXV.Espécies. legislativo ou judicial.. com o auxílio do TC.monopólio da função judicial nas mãos do Poder Judiciário art. Súmula 346 e 473 do STF. 3. CONTROLE: 1. 70 a 75 – fiscalização contábil.1 Dois tipos de controle: a)controle político: analisa aspectos de legalidade e de mérito. b)controle externo: controle exercido por um dos Poderes sobre o outro ou controle da Adm. 71) prevê o controle externo a cargo do Congresso Nacional.” 5. apuração de irregularidades pela Comissões Parlamentares do Inquérito. convalidação. LXVIII. 4. direta sobre a indireta.

129. 5º. 5º. 5º. LXIX. III. Ação Civil Pública – art. LXX. 5º. . Ação Popular – art.Injunção – art. LXXIII. LXXI. Mandado de Segurança individual – art. Mandado de Segurança coletivo – art. Controle de constitucionalidade.